31 de março de 2014

Adoração no Antigo Testamento

Adoração no Antigo TestamentoTexto: Êxodo 25:9
Introdução: Quando pensamos em adoração, costumamos compará-la com os cultos das noites de domingo. Esse não é o único momento em que podemos adorar, mas é quando o povo de Deus se reúne para adoração corporativa. Este tipo de adoração não começou com a igreja local, começou quando Deus instruiu Moisés sobre como construir o Tabernáculo.
A adoração do Antigo Testamento estava cheia de sombras e tipos de Cristo e da nossa verdadeira adoração hoje.
Esta noite, quero olhar para uma série de coisas, quanto ao culto do Antigo Testamento e ver o que eles têm a ver com a nossa adoração hoje. Primeiro, vamos olhar para o Tabernáculo e, em seguida, para as várias ofertas que eram oferecidas. A adoração no Tabernáculo foi projetada para mostrar o pecador como ele poderia se aproximar de um Deus Santo.
[post_ad]

I. O Tabernáculo.

A. O Altar do Holocausto.
1. Este lembrava os adoradores de seu pecado e da necessidade de um sacrifício.
2. Este era o primeiro item visto quando se entrava no tabernáculo.
3. Ele nos lembra de nosso sacrifício... João Batista apresentou Jesus como o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo.
B. A Pia de Bronze.
1. Esta mantinha a água para a limpeza.
2. Ela representa a necessidade do pecador pela limpeza espiritual.
3. "não em virtude de obras de justiça que nós houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou mediante o lavar da regeneração e renovação pelo Espírito Santo". Tito 3:5
4. Essa limpeza continua depois de sermos salvos através da confissão e do perdão dos nossos pecados, segundo 1 João 1:9.
C. A Mesa dos Pães da Proposição.
1. O pão era para sustentar os sacerdotes.
2. O pão representa o poder sustentador de Jesus Cristo na vida do crente.
3. "Eu sou o pão da vida: aquele que vem a mim não terá fome...” João 6:35ª
4. Assim como o pão físico sustenta a vida física... assim também a nossa vida espiritual é sustentada pelo pão da vida, Jesus Cristo!
D. O Candelabro de Ouro.
1. Mantinha a única luz disponível no local de culto, o lugar santo.
2. Jesus disse em João 8:12 "Eu sou a luz do mundo: quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida"
3. Não pode haver nenhum culto a Ele sem a luz d'Ele! Isso era verdade, então e é certamente verdade hoje.
E. O Altar do Incenso.
1. Este era um lugar de comunhão e oração, o incenso deveria queimar continuamente.
2. Somos instruídos a "orar sem cessar". 1 Tessalonicenses 5:17
3. Davi disse: "Suba a minha oração diante de ti como incenso...” Salmo 141:2ª
4. A oração nos leva à comunhão mais próxima possível com o Pai no céu.
F. A Arca da Aliança.
1. Este é o lugar onde Deus se encontrava com o homem.
2. O sumo sacerdote ia uma vez por ano e apresentava o sangue do sacrifício como expiação pelo pecado.
3. Cristo é o nosso propiciatório.
4. A única maneira de um Deus Santo encontrar e comungar com o homem pecador foi através do sangue!

II. As cinco ofertas do Antigo Testamento.

A. A oferta queimada. Levítico 1:1-17
1. Esta representa a consagração total.
2. O adorador voluntariamente oferecia esta oferta e todo o animal que ele sacrificasse era consumido no altar.
3. Tudo pertence a Deus, e devemos estar dispostos a dar tudo a ele.
4. Paulo se refere a isso como um "sacrifício vivo”.
B. A oferta de alimentos. Levítico 2:1-16
1. Esta oferta era oferecida a Deus em gratidão por suas bênçãos sobre nós.
2. Este deveria ser das primícias.
3. Esta oferta ilustra a importância de retribuir a Deus com um coração de gratidão pela vida que Ele nos deu.
C. A oferta de Sacrifício Pacífico. Levítico 3:1-17
1. Esta deveria ser colocada sobre as cinzas do holocausto.
2. Ela repousava sobre o trabalho do sacrifício feito anteriormente.
3. Podemos ter paz com Deus somente porque Jesus voluntariamente se entregou a Deus na cruz.
D. A oferta pelo pecado. Levítico 4:1 - 5:13
1. Este era para o pecado que foi cometido na ignorância.
2. Era para cobrir o pecado não intencional.
3. Quando nos aproximamos de Deus, precisamos ser lembrados de que na melhor das hipóteses nós ainda somos pecadores diante de Deus.
4. E que a nossa única base para a aproximação com ele é através do sacrifício de Jesus Cristo.
E. A oferta pela culpa. Levítico 5:14 - 6:7
1. Esta oferta era para pecados específicos que foram cometidos intencionalmente.
2. A diferença entre esta e a oferta pelo pecado é que essa exigia a restituição.
3. Não se pode, com razão, adorar se você abriga pecado em sua vida, ou mesmo pecado confessado que não foi feito corretamente.

Conclusão: O Antigo Testamento mostra o povo de Deus adorando a Deus por um reconhecimento de seu pecado, uma confiança em Sua graça, e uma apreciação por Sua bondade. Isso retrata como a nossa adoração deve ser hoje!

Pr. Aldenir Araújo

29 de março de 2014

Amargura: Culpando a Deus por nossos problemas

Amargura: Culpando a Deus por nossos problemasLivro de Rute, Parte 3
Texto: Rute 1:19-22
Introdução: Na semana passada, olhamos para o problema de tentar encobrir nossos erros. Isso é o que Noemi tinha tentado fazer, incentivando suas noras a voltar a Moabe e não acompanhá-la em sua viagem de volta a Belém. Orfa havia retornado, mas Rute se recusou a voltar e fez o compromisso de ficar com Noemi até a morte.
Fazia dez longos anos desde que alguém em Belém tinha visto Noemi. Quando ela e Rute entraram na cidade o povo olhou e disse: “esta é Noemi?".
[post_ad]
Os dez anos de distância das bênçãos de Deus tinha causado sérios danos a Noemi. Sua dor e tristeza por causa da morte de Elimeleque e seus filhos tinham causado uma mudança em sua aparência, mas a maior mudança estava em sua personalidade. Seu nome: “Noemi”, significa agradável, mas ela não era mais agradável. Agora ela diz-lhes para chamá-la de "Mara", que significa amargura. Em vez de torna-la melhor, suas provações a deixou amarga. Nós não podemos controlar as circunstâncias da vida, mas podemos controlar como nós respondemos a elas.

Noemi estava amarga para com Deus por causa do que tinha acontecido. Ela era uma mulher com as mãos vazias, uma casa vazia, e um coração vazio. Ela não tinha se rendido ao Senhor e não tinha aceitado Sua correção amorosa. Como resultado, ela não conseguiu experimentar o que Deus planejou para ela. Nota: Hebreus 12:11 : "Agora , nenhuma correção parece no momento ser motivo de alegria , mas de tristeza; mas depois produz um fruto pacífico de justiça nos que por ele têm sido exercitados"

Noemi reage como se Deus tivesse a abandonado totalmente. Ela estava realmente exagerando sua situação. A amargura leva uma pessoa a agir assim. Ela também fará com que nos concentremos no que não temos, e deixar de ver o que nós temos! O que Noemi não conseguiu reconhecer é que ela não estava muito pobre e vazia! Considere alguns dos recursos que estavam disponíveis para ela.

III. Amargura: Culpando a Deus por nossos problemas. V.19-22

A. Noemi tinha vida.
1. Isso em si é um dom precioso de Deus, e muitas vezes nós não reconhecemos.
2. Noemi tinha deixado três sepulturas em Moabe, mas Deus, em Sua bondade, a mantinha viva e lhe permitiu voltar a Belém.
3. Noemi pensou que a vida tinha terminado para ela, mas suas provações eram realmente um novo começo!
B. Noemi tinha oportunidade.
1. Ela estava cercada por amigos e familiares que se importavam com ela.
2. Ela pode ter sentido que ela estava isolada de tudo e de todos, mas ela estava em casa! 12
3. Novamente, vemos que, quando nos concentramos apenas em nossas provações perdemos o que Deus providenciou para nós.
C. Noemi tinha Rute.
1. Ruth foi sem dúvida uma das mais ricas bênçãos que Noemi tinha do Senhor.
2. Deus abençoou Rute e a usou porque ela era uma mulher que estava comprometida com ele.
3. Noemi em breve iria perceber que a mão da bênção de Deus estava sobre a jovem.
D. Noemi tinha Deus.
1. Ele não a havia abandonado, mas por Sua graça ele a havia poupado e permitido que ela voltasse.
2. Se Noemi percebeu ou não, Deus estava trabalhando.
3. Quando confrontados com provações precisamos nos lembrar de que Deus está conosco e que Ele trabalha através delas para cumprir o Seu propósito em nossas vidas.
4. Nota: Romanos 8:28-31
5. Deus não apenas está conosco, mas Ele é por nós!
6. Cevada colheita = Primavera = novo começo.

Recomendo:
Pr. Aldenir Araújo

28 de março de 2014

A Gloriosa Graça de Deus

A Gloriosa Graça de DeusTexto: Tito 2:11-14

11 Porque a graça de Deus se manifestou, trazendo salvação a todos os homens,
12 ensinando-nos, para que, renunciando à impiedade e às paixões mundanas, vivamos no presente mundo sóbria, e justa, e piamente,
13 aguardando a bem-aventurada esperança e o aparecimento da glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus,
14 que se deu a si mesmo por nós para nos remir de toda a iniquidade, e purificar para si um povo todo seu, zeloso de boas obras.
[post_ad]

I. A convicção da graça - v.11

João 6:44 “Ninguém pode vir a mim, se o Pai que me enviou não o trouxer; e eu o ressuscitarei no último dia”.
João 12:32 “E eu, quando for levantado da terra, todos atrairei a mim”.

II. A continuação da graça - v. 12

Atos 13:43 “E, despedida a sinagoga, muitos judeus e prosélitos devotos seguiram a Paulo e Barnabé, os quais, falando-lhes, os exortavam a perseverarem na graça de Deus”.

III. A coragem da graça - V.12

Romanos 12:1-2 “Rogo-vos pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos como um sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não vos conformeis a este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus”.
Provérbios 28:1 “Fogem os ímpios, sem que ninguém os persiga; mas os justos são ousados como o leão”.

IV. A consumação da graça - v.13

1 Tessalonicenses 4: 16-17 “Porque o Senhor mesmo descerá do céu com grande brado, à voz do arcanjo, ao som da trombeta de Deus, e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos seremos arrebatados juntamente com eles, nas nuvens, ao encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor”.
Hebreus 9:28 “assim também Cristo, oferecendo-se uma só vez para levar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o esperam para salvação”.

V. O preço da graça - v. 14

Colossenses 1: 14 “em quem temos a redenção, a saber, a remissão dos pecados”
1 Pedro 1:18-19 “sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver, que por tradição recebestes dos vossos pais, mas com precioso sangue, como de um cordeiro sem defeito e sem mancha, o sangue de Cristo”

VI. A limpeza da graça - v.14

Isaías 1:18 “Vinde, pois, e arrazoemos, diz o Senhor: ainda que os vossos pecados são como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que são vermelhos como o carmesim, tornar-se-ão como a lã”.
Tiago 4:8 “Chegai-vos para Deus, e ele se chegará para vós. Limpai as mãos, pecadores; e, vós de espírito vacilante, purificai os corações”.

VII. A condição da graça

Efésios 2:8-9 “Porque pela graça sois salvos mediante a fé;  e isto não vem de vós, é dom de Deus; não vem das obras, para que ninguém se glorie”.
Romanos 3:24 “sendo justificados gratuitamente pela sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus”

Conclusão: “Porquanto a graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens, educando-nos para que, renegadas a impiedade e as paixões mundanas, vivamos no presente século, sensata, justa e piedosamente.”(Tito 2.11-12)

Pr. Aldenir Araújo

A Graça de Deus

A graça de Deus“Dai graças ao Senhor, porque ele é bom, seu amor dura para sempre” Salmo 118:1

Alguma vez você já recebeu um presente que você não merecia? O presente foi dado a você por amor. Deus é tão grande que Ele nos dá a Sua graça por causa de Seu amor por nós.

Graça é Deus mostrando Seu amor a você mesmo que você não merece. Você não pode conquistar a graça de Deus. Você não merece ser salvo do pecado e ter a vida eterna. Mas Deus mostrou a Sua graça, salvando-o de castigo do pecado quando você confiou em Jesus como seu Salvador.
[post_ad]
Deus também mostra sua graça, dando-lhe força e orientação, e cuidando de você todos os dias. Deus, pela Sua graça, lhe dá força para lidar com problemas difíceis em sua vida.

Não é maravilhosa a graça de Deus?
Se você conhece Jesus como seu Salvador, você pode ser grato porque Deus te salvou por Sua graça. A Bíblia diz: "Porque pela graça sois salvos, mediante a fé..." (Efésios 2:8).
Você também pode depender de Deus a cada dia pela graça que você precisa para viver para Ele. Assim como Deus mostrou a Sua graça para você, você deve mostrar a graça de Deus para os outros.

Alguma vez você já agradeceu a Deus por Sua graça em sua vida?

Pr. Aldenir Araújo

Definindo Graça, o que é Graça?

Definindo graça, o que é graça?Especificamente, o que é a Graça de Deus?
E qual é a diferença entre a justiça, a misericórdia e a graça?

A graça é muito diferente de Justiça e Misericórdia:
  • Justiça é receber exatamente o que nós merecemos. (Que no nosso caso é a morte)
  • Misericórdia é não receber o mal que nós merecemos. (Mais uma vez, a morte)
  • Graça é receber o bem que nós não merecemos. (A vida eterna, NÃO a morte)
[post_ad]
Simplificando, a graça pode ser definida como favor imerecido. Especificamente, a graça de Deus é algo que Deus faz em favor do Seu povo porque Ele os ama, não por causa de algo que eles têm feito para merecê-lo.

A graça é um presente e nunca pode ser comprada. É sempre totalmente gratuita. ("Graça barata" é uma falsificação da incrível graça de Deus. A Graça de Deus é de graça, mas não é barata. Custou a vida de nosso Criador e é por isso que agora é um dom gratuito. Jesus quer que você a tenha, GRÁTIS).

A justiça de Deus, a misericórdia e a graça pode ser comparada ao perdão que um governador de um estado nos EUA pode dar a um prisioneiro culpado que estará enfrentando a execução (a pena de morte) por algo que ele ou ela realmente cometeu. A justiça será feita e ele será morto, a menos que o governador tenha misericórdia e perdoe o prisioneiro. Mas se o governador decide dar ao prisioneiro não só o perdão, mas também a total liberdade, uma enorme mansão para viver, e recursos ilimitados, então ele deu ao prisioneiro culpado tanto a misericórdia e a graça.
Se nós só recebemos a Justiça de Deus, todos nós seríamos mortos porque todos nós pecamos Romanos 3:23, 6:23, e "o salário do pecado é a morte" Romanos 6:23, mas nos foi dado uma "suspensão da execução" por agora.

Agora, porém, Deus nos oferece o perdão (Misericórdia). Ele quer nos perdoar e nos libertar dos resultados do pecado. E ele tem o direito legal de fazer isso porque o nosso Criador, Jesus, veio e morreu para que nós não tivéssemos que morrer. Jesus morreu por nós para que pudéssemos viver, mas sua morte só pode ser a nossa "salvação" se aceitarmos isso. Assim como o prisioneiro citado, podemos rejeita-lo ou podemos aceitar este perdão que Deus oferece. João 3:16.
Se aceitarmos o perdão que Deus nos oferece, não só não morreremos como também Ele, nos dará uma vida que nunca vai acabar. Ele continuará dando-nos uma fantástica morada para viver, recursos ilimitados, e liberdade total. Essa é a maravilhosa graça de Deus!

A Graça de Deus é "o poder de Deus para fazer por nós aquilo que não podemos fazer por nós mesmos." E o fato é que não podemos fazer nada por nós mesmos. Jesus disse: "... sem mim nada podeis fazer" João 15:5
A Bíblia nos dá um belo exemplo do que é graça e o que ela faz. Quando Moisés levou os filhos de Israel para fora do Egito e no deserto as pessoas logo ficaram com sede, mas não havia água para eles beberem, especialmente para mais de 2.000.000 de pessoas, além de seus rebanhos de animais. Deus disse a Moisés que tocasse em uma rocha específica e Ele (Deus) daria lhes água.
A água que saiu da rocha mostra a graça de Deus fluindo abundantemente para todos os que querem beber. Ele também fez com que a terra seca e estéril florescesse que por sua vez deu ao povo e aos animais algo para comer. Sem essa água, sem a graça de Deus suprindo as necessidades do povo, o povo teria morrido. Cristo é a rocha, Ele é também a Água Viva.

Sem a misericórdia e a graça de Deus, sem o perdão que Deus nos dá e todas as bênçãos que recebemos a cada minuto, nós morreríamos.
Todos os dias Deus nos fornece; a luz do sol, ar para respirar, e algo para comer e beber. Na verdade, quando você parar para pensar sobre isso, sem os materiais que Deus providenciou para nós nem sequer podemos gerar eletricidade por conta própria para fazer a luz, ou criar oxigênio, ou até mesmo criar alimentos.
Deus supre tudo o que precisamos, mas devemos optar por aceitar Seus dons, ou rejeitá-los. Temos a opção de se recusar comer ou beber. Nós temos a opção de nos fechar em um quarto apertado sem ar, impermeável e escuro, mas isso vai nos matar. Precisamos da misericórdia e da graça de Deus para viver.

A graça de Deus não se limita apenas as nossas necessidades físicas. Ele tem fornecido o que é necessário para o nosso bem-estar espiritual também. Só é necessário ler e esconder em nossos corações, a Santa Palavra de Deus, a Bíblia contém tudo o que precisamos para ser feliz, ganhar a liberdade total e ter a vida eterna. A Bíblia nos diz quem é Deus e como Ele é.
Além da Bíblia, o Pai permitiu que o Seu Filho, Jesus, viesse e nos mostrasse quem Ele (o Pai) é e como Ele é. Jesus deu a Sua vida para que eu e você não tenhamos que morrer. A justiça de Deus, a misericórdia e a graça estão tudo envolto em Jesus.

A graça de Deus está ao nosso redor. Ele quer que vivamos para sempre e sejamos felizes, mas nós temos uma escolha a fazer. Nós podemos aceitar algo de Sua graça durante este período da "suspensão da execução" e viver aqui na terra por alguns anos, ou podemos aceitar toda a sua graça e viver para sempre com Ele!

Aceite a graça que Deus oferece através de Jesus, e viva eternamente!

A Graça e o ídolo chamado Igreja

A Graça e o ídolo chamado IgrejaA Igreja nasceu porque Jesus se posicionou entre Deus e os pecadores. Ele permitiu que seu corpo fosse pendurado em uma cruz para que fosse dado o seu sangue para trazer o homem pecador de volta a relação com Deus.

Nosso chamado como humanidade redimida é continuar apresentando Jesus à humanidade pecadora como meio de seu relacionamento com Deus ser restaurado. Os crentes em Jesus são a igreja, e não a organização estruturada que temos feito.
[post_ad]
A maravilha da verdadeira igreja é Cristo vivo no coração humano.
  • Seu coração batendo através do nosso coração.
  • Sua mente enchendo nossa mente.
  • Suas mãos tocando através de nossas mãos.
  • Seus pés caminhando através de nossos pés.
  • Seus olhos vendo através de nossos olhos e seus ouvidos ouvindo através de nossos ouvidos.
Temos reduzido muito e, por vezes, até mesmo removido esta maravilha misteriosa da nossa mentalidade sobre "igreja".
A teologia centrada no homem fez da igreja um edifício onde as pessoas se encontram. Não oficialmente, mas subconscientemente pensamos em igreja como um lugar e evento.
A verdadeira Igreja é corpo humano através do qual Cristo vive. A Igreja de hoje se apresenta como uma estrutura organizada, onde as pessoas se reúnem para adorar e fazer coisas boas. Não há nada de errado com se reunir para adorar, Jesus dirige-nos a fazê-lo. Não há nada de errado com a estrutura, Deus é um Deus de ordem. O problema é a mentalidade que temos desenvolvido.
Quando pensamos em "igreja" como um lugar ou um evento semanal para assistir, perdemos o coração e o propósito de Deus para a Sua Igreja.
  • Igreja é relacional e não rotina religiosa.
  • Igreja é orgânico não organizacional.
  • Igreja é fluido e não estática.
  • Igreja é expressão da vida não indução a dormir.
  • Igreja é uma comunidade de pessoas que expressam o amor e a vida de Jesus Cristo, aos demais e para o mundo.
  • Igreja é sacrifício dando o que ela tem a quem não o tem.
  • Igreja é eu e você se movendo na unidade, paz e amor e nos posicionando entre Deus e a humanidade pecadora, a fim de que eles possam experimentar a vida de Cristo.
  • Igreja é mais o que você é não o que você faz.
  • É pertencer a Cristo e sua família em todos os lugares, e não apenas um determinado grupo em um determinado local.
Agora eu acredito fortemente na expressão local da Igreja em uma comunidade. Acredito que precisamos pertencer e ser responsável perante os outros crentes que vivem perto de nós e trabalham conosco. Mas são as relações não o edifício. Trata-se de pessoas e não o lugar. Trata-se de sofrer juntos e rir juntos. Através do amor de Jesus, viver a vida juntos, os sucessos e os fracassos, os momentos bons e os maus.
No entanto, nós definimos muito, além disso, no mundo de hoje. Nós competimos. Nós criticamos. Nós mastigamos uns aos outros. O resultado é que nós então nos posicionamos entre o Senhor e os perdidos, como uma família disfuncional que abriga amargura, ressentimento e ódio. Jesus disse que devemos ser tão apaixonados um pelo outro, que o mundo saberia que pertencemos a Ele (João 13:34-35 ) e seria atraído para o Pai.
Antes de Jesus subir de volta para o pai, ele deu algumas instruções finais para os discípulos que ele usaria para assegurar a liderança na igreja primitiva, ele basicamente disse-lhes para ir busca-los, falando de pessoas perdidas e há muitas delas. Ele disse, vou enviar o Espírito Santo para dar-lhes o poder para fazê-lo (Atos 1:8). Vá ao redor da Terra e compartilhar o que eu tenho feito com eles. Ensiná-los a viver do jeito que vocês me viram viver.
Sabemos o que aconteceu depois disso. Mas o que está acontecendo agora?
Algumas coisas ainda são as mesmas:
  • Nós temos o mesmo Senhor.
  • Temos as mesmas instruções.
  • Nós ainda temos um mundo perdido.
  • Nós temos o mesmo Espírito Santo.
  • Nós também somos apenas pessoas comuns.
Mas como nós estamos fazendo?
Eu me incluo, com certeza neste desafio e acusação, porque tenho fracassado em tantas maneiras de medir o tamanho do desafio de expressar adequadamente a verdade de quem é Jesus.
As pessoas realmente veem o amor de Jesus na igreja?
Conforme as instruções; parece que mudamos as instruções do Senhor de "ir buscar" para "vir assistir" Em vez de ir por todo o mundo, lutamos por um espaço. Em vez de o Espírito Santo nos capacitar para testemunhar e nos posicionar entre Deus e o mundo no amor sacrificial, nos fortalecemos para criar paredes para nos manter longe do perdido. Nós ensinamos nosso povo a ter medo das pessoas do mundo em vez de amar as pessoas do mundo. É o sistema do mundo que, não devemos amar.
Talvez em nossos esforços para isolar o povo de Deus da influência do mundo, nós, também, criamos um sistema que curiosamente funciona exatamente como o sistema do mundo. Isto impede que as pessoas realmente conheçam a Deus. Nós mantemos Deus para nós mesmos. Nós O reduzimos a viver em nosso prédio.
As pessoas começaram a pensar desta maneira:
  • Para encontrá-lo, você tem que ir lá.
  • Para conhecê-lo, você tem que gastar tanto tempo quanto possível no seu edifício.
Sua espiritualidade é medida por sua devoção ao sistema que foi criado à custa de saber realmente o seu coração, que é posicionar a sua vida, juntamente com outros amantes de Jesus bem no centro do sistema mundial e amar as pessoas para Jesus. Se o que temos não funciona onde trabalhamos, então o que temos não é o que Jesus quer que tenhamos. Precisamos de horários regulares para conhecer e interagir e ser instruídos. Precisamos de líderes espirituais para nos ensinar e nos responsabilizar. Nós desesperadamente precisamos uns dos outros. Mas tudo isso deve ser com o coração de Deus para com aqueles que estão tão desesperados e nem sequer sabem do que tem fome.
A vida cristã é tipo como um jogo de futebol. Os jogadores pedem ao treinador para colocá-los no jogo, para não deixá-los no banco. O objetivo não é sentar-se no banco e assistir algumas pessoas jogar. O objetivo é acertar o campo e levá-la para o adversário. Para a Igreja, o verdadeiro adversário é a pessoa por trás do sistema do mundo. Enquanto a crença errada sobre a igreja nos engana fazendo acreditar que a missão está cumprida quando sentamos no banco com mais frequência e assistimos a mais jogos e inclusive nos animamos um pouco mais, não vamos impactar o mundo do jeito que deveria. E também vamos ter que começar a olhar um para o outro como adversários, a fim de manter um bom jogo.
Até quando vamos lutar contra nós mesmos?
Qual é a boa notícia em tudo isso?
A notícia ainda é as mesmas Boas Novas. Felizmente, Jesus ainda está entre nós e o Pai e intercede por nós. Eu acredito que por causa de quem Ele é e como Ele ama, essas orações serão respondidas!
Que visão impressionante quando Deus libera graça para todos nós e quebra e nos solta de todos os ídolos construídos em nossos corações. Claro, o ídolo é alguma coisa que amamos mais do que ele, até mesmo a "igreja”.
Eu acho que a unidade e a força da equipe de Deus é tão impressionante, que os jogadores do outro time vai realmente querer mudar de time e jogar para o nosso treinador. Uma vez que somos o time visitante, temos que jogar no campo do outro time. Mas quanto mais deles mudarem de lado, dentro de pouco tempo, vai ser o nosso campo.

Pr. Aldenir Araújo

27 de março de 2014

A graça de Deus no Novo Testamento

A graça de Deus no Novo TestamentoEntender a graça de Deus como revelado no Novo Testamento é compreender um dos mais maravilhosos atributos de Deus, e é a chave para um relacionamento profundo e pessoal entre Deus Pai e cada cristão, através de Jesus Cristo.
A graça de Deus expressa a grandeza do seu amor e a riqueza da sua misericórdia! Viver dentro e sob a graça de Deus é experimentar e apreciar o amor fantástico de Deus e Sua bondade misericordiosa.
Ao contrário das especulações religiosas, a graça não é apenas um inquilino teológico ou tópico de discussão; linhas de batalha denominacionais, de fato, a graça de Deus significa a PRÓPRIA VIDA! Sem graça, não haveria salvação, cristianismo... nem VIDA ETERNA!
[post_ad]
De fato, a graça é o fundamento do cristianismo verdadeiro. O Novo Testamento revela que a graça de Deus Pai é uma qualidade abrangente.
A graça de Deus tem um enorme significado para aqueles que realmente a entendem. Através de Jesus Cristo, o dom da graça de Deus é concedido para que possamos crescer espiritualmente n'Ele, Jesus Cristo - o Filho de Deus - que é a cabeça da Igreja de Deus, em todas as coisas.
A verdade bíblica é que Deus, o Pai, através de sua graça e salvação, irá partilhar a Sua vida eterna, a existência e a glória, com todos os seres humanos que realmente O amam de todo o coração, mente e ser.
O potencial do nosso destino de se tornar filhos literais de Deus através da graça de Deus, são as verdades mais incríveis e menos compreendidas da Bíblia. O apóstolo João escreveu: "Vede que grande amor nos tem concedido o Pai: que fôssemos chamados filhos de Deus; e nós o somos. Por isso o mundo não nos conhece; porque não conheceu a ele. Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifesto o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como é, o veremos. E todo o que nele tem esta esperança, purifica-se a si mesmo, assim como ele é puro" (I João 3:1-3).
É por isso que Pedro foi inspirado a advertir-nos a crescer na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. "Antes, crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A ele seja a glória, agora e para sempre” (II Pedro 3:18).

A graça é baseada no amor

O amor é a base para o relacionamento e comunhão entre Deus, o Pai, Jesus Cristo e à pessoa que tenha sido chamado para a salvação. Deus é amor. "Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor. Nisto se manifestou o amor de Deus para conosco: em que Deus enviou seu Filho unigênito ao mundo, para que por meio dele vivamos. Nisto está o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou a nós, e enviou seu Filho como propiciação pelos nossos pecados. Amados, se Deus assim nos amou, nós também devemos amar-nos uns aos outros. Ninguém jamais viu a Deus; e nos amamos uns aos outros, Deus permanece em nós, e o seu amor é em nós aperfeiçoado" (I João 4:8-12).
Nosso relacionamento com Deus deve ser baseado no amor! "Amarás o Senhor teu Deus com todo o teu coração, e de toda a tua alma e com toda tua mente, e com todas as tuas forças: este é o primeiro [isto é, o primário] mandamento" (Marcos 12:30 ). O AMOR é o fundamento da graça e sem essa base não há nada!
Assim, pois, a graça é a qualidade ou atributo principal, a primeira extensão ou expressão do amor de Deus. Portanto, GRAÇA, é a qualidade principal e a função da relação espiritual e a comunhão entre Deus Pai e a pessoa que Ele chama por meio de Jesus Cristo.

A definição de graça no Novo Testamento

GRAÇA, como revelado no Novo Testamento, tem um amplo significado e aplicação. GRAÇA vem da palavra grega "CHARIS", que significa: "mostrar favor para, boa vontade, benefício, presente, bondade”.

Graça, portanto, é uma palavra multifacetada, mostrando vários aspectos do amor gracioso e misericordioso de Deus Pai que misericordiosamente se manifesta através de Jesus Cristo.

Pr. Aldenir Araújo

A Graça de Deus é

A graça de Deus é1. A Graça de Deus é desesperadamente necessária!

Pense nisso:
A. Nós estamos sob o peso de toda a lei por qualquer infração da lei.
- Gálatas 2:21 "Não faço nula a graça de Deus; porque, se a justiça vem mediante a lei, logo Cristo morreu em vão”
B. Mesmo se pudéssemos viver perfeito a partir deste momento em diante, o nosso pecado passado pede juízo.
C. O castigo do pecado é a morte. (Romanos 6:23)
[post_ad]

2. A graça de Deus é absolutamente necessária!

Pense nisso:
A. Nós não podemos salvar a nós mesmos.
B. Nós não podemos salvar ninguém.
C. Nós não podemos comprar, negociar, conquistar ou merecer a salvação.
- Romanos 4:4 “Ora, ao que trabalha não se lhe conta a recompensa como dádiva, mas sim como dívida”.
- Romanos 11:6 “Mas se é pela graça, já não é pelas obras; de outra maneira, a graça já não é graça”.

3. A Graça de Deus é abundantemente disponível!

Tito 2:11 “Porque a graça de Deus se manifestou, trazendo salvação a todos os homens”
Pense nisso:
A. Onde o pecado abunda a graça é muito mais abundante.
- Romanos 5:20 “Sobreveio, porém, a lei para que a ofensa abundasse; mas, onde o pecado abundou, superabundou a graça”
- Romanos 5:17 “Porque, se pela ofensa de um só, a morte veio a reinar por esse, muito mais os que recebem a abundância da graça, e do dom da justiça, reinarão em vida por um só, Jesus Cristo”.
B. A graça nos salva quando nós confiamos em Jesus e no que Ele fez por nós. (Efésios 2:8-10)
- Atos 15:11 “Mas cremos que somos salvos pela graça do Senhor Jesus, do mesmo modo que eles também”.
C. A Graça nos permite fazer boas obras.
- Atos 20:32 "Agora pois, vos encomendo a Deus e à palavra da sua graça, àquele que é poderoso para vos edificar e dar herança entre todos os que são santificados”.
D. A Graça nos permite romper o poder do pecado
- Romanos 6:14 “Pois o pecado não terá domínio sobre vós, porquanto não estais debaixo da lei, mas debaixo da graça”.

4. A graça de Deus é totalmente gratuita!

Pense nisso:
A. Graça é um dom que é dado por Deus.
- Efésios 2:8 Porque pela graça sois salvos, mediante a fé, e isto não vem de vós, é dom de Deus,
- Romanos 5:15 “Mas não é assim o dom gratuito como a ofensa; porque, se pela ofensa de um morreram muitos, muito mais a graça de Deus, e o dom pela graça de um só homem, Jesus Cristo, abundou para com muitos”.
B. A graça é um dom recebido pelo homem através de Cristo.
- João 1:16 “Pois todos nós recebemos da sua plenitude, e graça sobre graça”.
- Romanos 3:24 “sendo justificados gratuitamente pela sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus”
C. A Graça é maior do que todos os nossos pecados.

5. Graça é o poder de Deus dado para viver a vida de Cristo.

- Atos 4:33 “Com grande poder os apóstolos davam testemunho da ressurreição do Senhor Jesus, e em todos eles havia abundante graça”.
- 1 Coríntios 15:10 “Mas pela graça de Deus sou o que sou; e a sua graça para comigo não foi vã, antes trabalhei muito mais do que todos eles; todavia não eu, mas a graça de Deus que está comigo”.

Pr. Aldenir Araújo

Um sermão que custou a vida do pregador

Um sermão que custou a vida do pregadorTexto: Atos 7:1-60

Introdução: Estevão tinha sido acusado de falar blasfêmia contra a lei e o Templo, porque ele disse aos judeus que o Senhor Jesus Cristo tinha cumprido todos os tipos de lei e satisfez todas as suas exigências, e que todas as formas de adoração carnal deveriam ser destruídas. Estas palavras não se coadunam com os líderes religiosos e eles o apedrejaram até a morte.

1. Implícita em todo sermão de Estêvão está a doutrina da absoluta soberania de Deus na Providência.
- Começando com a chamada de Abraão, Estevão mostrou como tudo no Antigo Testamento apontavam para Jesus Cristo e foi cumprida por ele.
[post_ad]
2. O Senhor Deus é um Deus de propósito.
- O propósito de Deus inclui todas as coisas e nada o pega de surpresa.
- O propósito de Deus é fixo e não pode ser mudado.
- Uma vez que uma pessoa reconhece a imutabilidade de Deus, ela passa a confiar em Deus.
- Tudo o que Deus fez ou permitiu ser feito, está fazendo ou deve ser feito é para o louvor e glória de seu grande nome.
- Sem Jesus Cristo e Sua grande obra da redenção, tudo o que está registrado no Antigo Testamento não teria sentido.

3. Todos os eventos da história do Antigo Testamento apontavam para a vinda de Jesus Cristo e a redenção através dele. (VV1-47)
- Todo o propósito de a Bíblia ser escrita é revelar a graça e a glória de Deus, o que Ele tem feito por meio do Senhor Jesus Cristo.
- Todos os acontecimentos do Antigo Testamento foram arranjados pela providência divina para revelar o propósito eterno da graça de Deus na redenção dos pecadores por meio de Jesus Cristo.
- Deus escolheu Abraão para iniciar o Seu povo eleito.
- Deus enviou José para o Egito para preservar o Seu povo escolhido vivo.
- Deus enviou Moisés para libertar o povo da aliança de Deus da escravidão.
- Deus estabeleceu uma casa temporária de adoração e a mobilou de tal forma a ser uma imagem da Igreja de Deus.

4. Agora que Jesus Cristo veio e a redenção foi cumprida por Ele, todas as ordenanças carnais do Antigo Testamento foram abolidas para sempre. (Vv48-50)
- Deus aboliu para sempre o velho sistema de adoração.
- Jesus predisse o dia em que Deus seria adorado nos corações dos homens e mulheres, e não em um lugar particular.

5. Contínua e voluntária rejeição da verdade divina resulta em reprovação eterna. (Vv51-53)
- Deus não vai brincar com quem brincar com ele.
- O propósito de Deus não foi afetado, mesmo os judeus tendo rejeitado Seu Filho, o Senhor Jesus.

6. Deus inclusive anula e usa as mãos de homens maus para cumprir o Seu propósito de graça para seus eleitos. (Vv54-60)
- Mesmo que o ato de apedrejamento de Estevão foi um ato imperdoável de maldade, Deus predominou e o usou para realizar o Seu grande propósito da graça.
- Estevão foi para a sua glória.
- Saulo de Tarso veio a conhecer o Senhor Jesus Cristo, a quem Estevão pregou tão corajosamente.
- A Igreja de Deus teria um novo apóstolo para ajudar a espalhar a palavra sobre Jesus - Paulo.

Conclusão:
1. O que aconteceria se este mesmo sermão fosse pregado no mesmo lugar aos descendentes dos que ouviram o sermão, quando foi pregado pela primeira vez?
2. Deus tem um propósito para tudo o que Ele permite ou não permite.
3. O Senhor Jesus Cristo trouxe o Novo pacto de Deus (Testamento), que anulou o Antigo Pacto (Testamento).
4. Deus vai cumprir a Sua vontade, apesar de Satanás e as pessoas más tentarem impedi-lo.
5. Uma vez que Deus não muda, nem pode a Sua vontade ser alterada, é seguro confiar plenamente em Deus.

Pr. Aldenir Araújo

26 de março de 2014

Jacó e os Votos Esquecidos

Jacó e os Votos Esquecidos Texto: Gênesis 35:1-7

Introdução: Deus diz a Jacó para ir a Betel e construir um altar. Por que Deus dá esta ordem a Jacó?
· Quase trinta anos antes, Jacó havia feito um voto.
· Mas ele parece ter esquecido, e Deus estava o chamando para cumpri-lo.
· Há várias lições que podemos aprender a partir dos "Votos esquecidos de Jacó".

I. Fundo Histórico.
[post_ad]
A. 30 anos antes, Jacó tinha feito um voto.
1. O voto foi feito quando ele estava fugindo da ira de Esaú (Jacó tinha enganado Esaú e recebido a benção de seu pai Isaque)
2. Deixando Berseba, ele dirigiu-se para Harã.
3. No caminho, ele parou com o que agora é chamado de Betel. Gênesis 28:10-15
a. Lá ele teve um sonho, no qual ele viu o que comumente chamamos de "Escada de Jacó" (anjos subindo e descendo em uma escada entre o céu e a terra).
b. Neste sonho, Deus promete estar com ele e com segurança retorná-lo à sua casa.
4. O sonho levou Jacó a fazer o seu voto. Gênesis 28:16-22
a. “O Senhor será o meu Deus”, se Deus cumprisse a promessa.
b. Santificar a pedra sobre a qual sua cabeça tinha descansado e que ele erigiu em coluna.
c. Dar a Deus o dizimo de tudo o que Deus lhe desse.
B. Durante os próximos 20 anos, Jacó habita em Harã.
1. Como Deus prometeu, Ele estava com Jacó.
2. Jacó prosperou tanto na família, como na obtenção de riqueza. Gênesis 29-30
3. Após o retorno de Jacó, Deus o guardou em segurança...
a. De Labão, que o perseguia. Gênesis 31
b. De Esaú, que vinha ao seu encontro. Gênesis 32-33
C. Até o momento, chegamos ao nosso texto, Jacó estava morando em Canaã por dez anos.
1. Ele tinha se estabelecido perto da cidade de Siquém. Gênesis 33:18
2. Mas ele não se preocupou em voltar a Betel, onde o Senhor lhe apareceu e lhe onde ele tinha feito o seu voto.
3. Assim, parece que Jacó tinha esquecido seu voto, e por esta razão Deus lhe ordena que volte a Betel. V.1

II. A aplicação.
A. Deus espera que cumpramos os votos que fazemos.
1. Ele não faz votos de qualquer maneira, e nem nós deveríamos. Eclesiastes 5:2-5
2. Então, devemos ter a certeza de cumprir qualquer pacto ou voto que fazemos a Deus.
B. Somos propensos a esquecer dos nossos votos quando Deus já cumpriu Sua parte.
1. Vimos que Deus cumpriu Sua parte, mas Jacó não cumpriu.
2. Este "esquecimento" parece ocorrer mais frequentemente quando os votos são feitos em momentos de dificuldade.
a. Como aqueles feitos em uma trincheira.
b. Ou aqueles feitos em um avião durante a turbulência do ar ou problemas mecânicos extremos.
c. Ou aquelas feitas em um esforço para resolver problemas conjugais.
3. Mas esses votos são tão obrigatórios como aqueles feitos após uma reflexão cuidadosa!
C. Nós somos propensos a esquecer dos nossos votos quando as coisas estão indo bem.
1. No caso de Jacó...
a. Ele tinha uma boa família
b. Ele tinha se tornado extremamente rico
c. Ele se estabeleceu em seu país de origem
2. O mesmo é verdade, muitas vezes de muitos cristãos...
a. Muitos obedecem ao evangelho, às vezes em suas vidas quando eles estão preocupados.
b. Mas, mais tarde, especialmente se eles conquistam a estabilidade financeira, eles esquecem o seu compromisso com Deus e Cristo.
3. Mas considere a advertência de Deus para Israel contra o esquecimento depois que eles entraram na "terra prometida" Deuteronômio 8:11-20
D. Nós somos propensos a esquecer dos nossos votos quando nós nos permitimos ser influenciados pelo mundo.
1. Observe que a família de Jacó havia aceitado os deuses estranhos das pessoas redor deles – Gênesis 35:2
2. De maneira semelhante, muitas pessoas não vivem a promessa que fizeram quando se tornaram cristãos. 2 Timóteo 4:10 (Demas)
a. Muitos novos cristãos
1) São zelosos no principio
2) Mas, quando influenciado por outros... muitas vezes eles perdem o interesse em assuntos espirituais
3) Isto é verdade para os adultos e os jovens.
b. Mas, novamente, isso não é desculpa para "votos esquecidos”.
E. Se nós esquecemos os nossos votos, precisamos voltar ao início.
1. Percebemos que Deus disse a Jacó para voltar a Betel.
2. De um modo semelhante, Jesus disse à igreja de Éfeso para voltar ao início. Apocalipse 2:4-5
a. Eles haviam deixado o seu "primeiro amor"
b. Eles foram orientados a "lembre-se... de onde você caiu”.
c. E "arrepender-se e praticar as primeiras obras"
3. Para os cristãos que deixaram o seu "primeiro amor", eles também precisam "praticar as primeiras obras" (os fundamentos, tais como o estudo da Bíblia, a oração, etc.).
F. Quando cumprimos nossos votos esquecido, há bênçãos renovadas!
1. Quando Jacó cumpriu seu voto, Deus apareceu para ele e renovou as promessas que foram feitas a Abraão e Isaque. Gênesis 35:9-15
2. Assim também poder ser conosco!
a. Pode ser que nos esquecemos do compromisso original que fizemos quando obedecemos ao evangelho de Cristo.
b. Mas, se nós voltarmos para Cristo...
1) Em arrependimento e confissão
2) Todas as bênçãos espirituais que Ele tem a oferecer podem ser nossas de novo! - 1 João 1:9
3) Ele vai perdoar e restaurar à comunhão apropriada com Ele.

Conclusão: Você tem algum voto esquecido?
Se assim for, precisamos voltar para o Senhor em arrependimento completo. As bênçãos do céu esperam por você, se você cumprir seus votos! Se você ainda não é um cristão, essas mesmas bênçãos podem ser suas se você aceitar o dom da salvação em Jesus Cristo.

Pr. Aldenir Araújo

23 de março de 2014

Pastores, Parem de Pregar

Pastores, parem de pregarHá algum tempo conversei com um homem que havia se convertido há um ano. Ele me disse que havia decidido parar de frequentar a igreja. Surpreso com a decisão dele, indaguei o motivo, e ele me disse: "É simples, existe uma diferença incrível entre a mensagem que ouço aos domingos e a Bíblia que leio diariamente. A Bíblia me transforma dia após dia, mas o que eles pregam na igreja parece estranho"
Jack Deere conta que numa pequena cidade, onde não havia um bar, alguém começou a construir uma taverna, não dando atenção a um pastor da cidade que pregava contra a ideia.
[post_ad]
O pastor e alguns cristãos reuniram-se para uma vigília com o objetivo de pedir a providência de Deus quanto ao caso. Naquela mesma noite, um raio atingiu a taverna em construção, destruindo-a completamente. O dono do prédio deu início a um processo judicial contra o pastor e a igreja, alegando que os crentes eram os responsáveis pelo que acontecera. O pastor e a igreja contrataram um advogado que negou que eles tivessem alguma coisa a ver com o ocorrido. Quando chegou o dia do julgamento, o juiz afirmou: "Uma coisa ficou muito clara neste caso, não importa qual seja seu desfecho. O dono da taverna acredita no poder da Bíblia e da oração, o pastor e os crentes, não."

Estas duas histórias são reais e chocantes. No entanto, elas refletem a realidade de um grande número de pastores da atualidade. Todas as semanas perto de um milhão de sermões são pregados em cerca de trezentas mil igrejas evangélicas no Brasil. Calculo que uma pessoa que frequente uma igreja por 15 anos, apenas um culto por domingo, já ouviu cerca de 780 sermões. Imagine o poder transformador de tanta pregação, por tanto tempo, na vida de milhões de pessoas. Entretanto, por que um avivamento não acontece? Por que os evangélicos não aniquilam a corrupção em lugar de serem aniquilados por ela?

É impossível deixar de fazer uma comparação. Por que Jonas, Pedro, Paulo, Spurgeon e Moody pregaram com mais dificuldade do que nós e causaram efeitos "devastadores"? Por que não vemos quase nada parecido a isto hoje?

Talvez a resposta esteja num "pedido" aos pastores: Parem de pregar!

1) Parem de pregar sermões onde não há alegria e são pregados por causa da obrigação com o emprego e porque estão sendo pagos pela igreja;
2) Parem de pregar sem antes estudar a Bíblia para aplicar em suas próprias vidas;
3) Parem de pregar sem antes dedicar dez a quinze horas de oração e mergulho no texto bíblico sobre o qual falarão;
4) Parem de pregar sermões prontos do seu bispo ou apóstolo, sem coração, paixão ou emoção;
5) Parem de pregar sermões copiados da internet, sem vida e sem experiência pessoal;
6) Parem de pregar suas ideias pessoais, justificadas com alguns versículos bíblicos;
7) Parem de pregar regras para as pessoas viverem, que vocês nunca viveram.
E a lista poderia ir embora...

Preguem a Palavra, poderosa, penetrante, transformadora e verdadeira.

Deixo um desafio que recebi há cerca de 30 anos, quando estudei pregação expositiva com um homem chamado Karl Lachler. Depois que ele nos explicou o poder da pregação da Bíblia – primeiro para a minha vida e depois como uma ferramenta que o Espírito Santo usa para alcançar outros –, a única coisa que consegui fazer naquele dia foi: me quebrantar, chorar, orar, chegar a minha casa e jogar fora todos os sermões que tinha, pedir perdão a Deus e começar tudo de novo. Nunca mais um sermão foi igual.

O apelo naquele dia foi: Parem de pregar na sua própria força ou sabedoria, mas deixem-se usar pelo Espírito, e o que Deus falar através de você incendiará o mundo. Talvez seja hora de parar de pregar do jeito que você está pregando e experimentar algo novo.

Josué Campanhã é escritor, palestrante, consultor e pregador

21 de março de 2014

A Decepção: Tentando esconder nossos erros

A Decepção: Tentando esconder nossos errosLivro de Rute, Parte 2

Texto: Rute 1:6-18

Introdução: Na semana passada nós observamos como Elimeleque saiu de Belém e foi para Moabe tentando fugir dos problemas. Descobrimos que não podemos fugir dos problemas, porque não podemos evitar levar conosco a causa básica da maioria dos nossos problemas: um coração incrédulo e desobediente.
Hoje veremos como Noemi tenta esconder seus erros... Observe
[post_ad]

II. Decepção: Tentando esconder nossos erros. 1:6-18

A. O Testemunho de Noemi. V. 6-15
1. Deus visitou seu povo fiel em Belém, mas não sua filha desobediente em Moabe!
2. Noemi tinha recebido relatórios das bênçãos do Senhor sobre aqueles em Belém: a fome tinha terminado; em Belém havia pão para todos.
3. Como é triste quando o povo de Deus só ouve falar de Suas bênçãos, e não as experimenta, porque eles não estão onde deveriam estar!
4. O apelo repetido dos profetas era para que o povo de Deus se convertesse dos seus pecados e voltasse para o Senhor.
5. A decisão de Noemi estava certa, mas seu motivo estava errado.
a. Ela estava interessada principalmente na comida, não na comunhão com Deus.
b. Ela estava voltando para sua terra, mas não para o seu Senhor.
c. Ela não queria que suas noras fossem com ela.
1) Por que ela iria querer que suas noras permanecessem em uma terra onde os falsos deuses eram adorados em vez de ir para o lugar onde o verdadeiro Deus abençoa?
2) Porque elas eram a prova viva de que Noemi e Elimeleque tinham desobedecido a Deus permitindo que seus filhos se casassem fora da nação de Israel.
3) Elas seriam uma vergonha para ela em Belém entre seus amigos e familiares.
4) Noemi estava tentando encobrir sua desobediência ao invés de confessar e arrepender-se.
5) Provérbios 28:13a, "O que encobre seus pecados jamais prosperará..."
6. Noemi culpou a Deus por sua tristeza e dor.
B. O Testemunho de Orfa. V. 11-14
1. As duas noras tinha partido rumo a Belém com Naomi, mas ela parou e exortou-as a voltar para Moabe.
2. Noemi mesmo orou para que o Senhor pudesse ajuda-las a encontrar novos maridos e dar-lhes descanso.
3. Nota: Há pouco valor na oração de um filho desviado de Deus.
4. Noemi discutiu com elas e foi capaz de convencer Orfa a voltar para casa.
5. Orfa tomou a decisão errada, ela saiu de cena e nunca mais é mencionada novamente na Escritura.
C. O Testemunho de Rute. V. 15-18
1. Noemi estava tentando encobrir seu erro, Orfa tinha desistido, mas Rute estava pronta para se levantar!
2. Ela se recusou a ouvir os apelos de sua sogra que a incentivou a retornar a Moabe.
3. O motivo, descobrimos mais tarde, é que ela tinha confiado no Deus de Israel.
4. A declaração de Rute aqui é um das mais magníficas confissões encontradas nas Escrituras.
a. Ela confessou seu amor por Noemi e seu desejo de ficar com ela até a morte.
b. Ela confessou sua fé no Deus vivo e verdadeiro e sua decisão de adorá-lo.

Recomendo:
Pr. Aldenir Araújo

20 de março de 2014

Como Pregar Com o Objetivo Correto

Como Pregar Com o Objetivo CorretoEu gostaria de pensar que o que vou dizer é obvio, e que não é necessário tratar dessa questão. Mas eu ainda suspeito que possa estar equivocado.

O objetivo da leitura da Bíblia, e de fato, o objetivo de ouvir uma Pregação, não é para reunir informação. Ainda que isto não seja um mal resultado, mas não é o objetivo real, ou pelo menos não deveria ser.

Como pregador, o objetivo de passar tempo na Palavra de Deus, não é encher o cérebro com os fatos, ou seja, com informações, para que possamos impressionar os nossos ouvintes na nossa próxima mensagem. [post_ad]Não é para reunir informação para que possamos nos sentir bem acerca de nosso conhecimento em relação aos demais. Agora, isto não quer dizer que o conhecimento da bíblia que temos em nosso cérebro não importa. Sim, é importante, e muito. Mas nosso objetivo na leitura da Bíblia, e nossa meta e Objetivo na Pregação da Palavra de Deus, não é primordialmente intelectual, mas espiritual.

O objetivo de passar tempo na Palavra de Deus é conhecer, relacionar-se e responder a Deus. Adoramos a Deus, não a Bíblia. Sem duvida, podemos conhecer a Deus e responder a Deus, bem como passar tempo no que Ele tem dado de Si mesmo a nós através da Palavra, a Bíblia.
Você precisa ter isto muito claro na Pregação. Incluso se você sabe disso, creio que alguns de seus ouvintes ainda estarão no “Preciso saber mais, preciso educar minha escola de espiritualidade”.
Como pregadores, nós primeiro temos que viver, e logo também pregar, já que vivê-lo é de vital importância e de maneira absoluta do cristianismo como relação.

Alguns dos seus ouvintes podem ser que não entendem isto. De fato, eles podem estar muito preocupados e inclusive desanimados na luta por reter informação. Você como Pregador deve ajuda-las a conhecer que o verdadeiro objetivo é Conhecer e Responder a Deus.

O objetivo da pregação não é principalmente informativo ou educativo, ainda que isso faça parte, mas não é o mais importante. O objetivo sempre deve ser “Espiritual”. O objetivo é Deus, é conhecê-lo, e não o quanto eu sei dEle.

Pr. Aldenir Araújo

19 de março de 2014

Mefibosete: Onde Encontrar Graça

Onde Encontrar GraçaTexto: 2 Samuel 9
Introdução:
1. Mefibosete nunca esqueceria aquele dia. A palavra rapidamente se espalhou pelo campo, "o rei Saul e o príncipe Jônatas estão mortos e Davi agora é rei" Na casa de Jônatas, o que não só trouxe sofrimento, mas pânico também. Naqueles dias, era costume um rei assumir o trono e muitas vezes eliminar a família do rei antes dele. Sentado brincando no chão estava o pequeno Mefibosete alheio a tudo e logo a sua ama entra no quarto agarra-o e corre em direção à porta para protegê-lo, mas ao fazê-lo, ela deixa-o cair esmagando seus tornozelos incapacitando-o por toda a vida.
[post_ad]
a. Ele nunca imaginou que haveria um dia que impactaria sua vida e assim afetasse o futuro dele como naquele dia. (Destinando ele para a miséria, para viver como um mendigo, em vez de um príncipe)
b. Mas Mefibosete iria descobrir que em breve viria um dia em que faria um impacto muito maior em sua vida e em seu futuro. O dia em que ele achou graça.
2. Graça é uma palavra suja para o diabo.
a. É o poder por trás do evangelho. (Não credo, religião ou filosofia) "evangelho da graça”.
b. É a maravilha do evangelho. (Que Deus alcançaria alguém como eu)
c. É a distinção do evangelho. (Nenhuma outra religião é baseada em tal conceito)
3. Graça: o favor de Deus que é imerecido e impossível de pagar.
a. Este conceito é a chave para a totalidade do Novo Testamento
4. Muitas vezes nos limitamos a graça ao trabalho de salvação em nossas vidas, mas a graça é poder para nossas vidas.
· 2 Timóteo 2:1 “...fortifica-te na graça que há em Cristo Jesus”.
· 1 Pedro 4:10 “... como bons administradores da multiforme graça de Deus”.
· 2 Pedro 3:18 “Mas crescei na graça...”
· Apocalipse 22:21 “A graça de nosso Senhor Jesus Cristo seja com todos vós. Amém”.
a. Satanás gostaria que você deixasse a graça de Deus no altar da salvação, mas a graça de Deus só começa aí, enriquecendo e permitindo que as nossas vidas.
b. O diabo vai lhe dizer que a partir desse ponto você deve se levantar pelo seu próprio esforço e faze-lo em sua própria força.
c. Mas a graça é o favor imerecido de Deus em nossas vidas.
5. Davi tinha acabado de subjugar seus maiores inimigos, os filisteus, moabitas e sírios.
a. Enquanto estava sentado em seu palácio, olhando para trás sobre seu passado e como ele tinha vindo de um curral para a sala do trono - sem dúvida ele foi tomado pela maravilha da graça de Deus em sua vida.
b. Eu creio que ele começou a procurar uma maneira que ele pudesse demonstrar a graça de Deus para alguém que era tão indigno quanto ele. Verso 3 "para que eu possa mostrar a bondade de Deus para com ele?"
6. Mefibosete passaria a ser o destinatário da ação da graça de Davi, mas há uma história mais profunda aqui - a história da graça de Deus para conosco, revela onde podemos achar graça.

I. A Graça de Deus vai encontrá-lo primeiro.

1. Davi perguntou: "Não há ainda alguém da casa de Saul, para que eu possa mostrar a bondade de Deus para com ele?” A Graça começa na sala do trono e nos encontra.
2. Como Mefibosete, antes de estarmos cientes da graça, ela já começou a procurar-nos.
- Enquanto estávamos ainda no pecado, ele nos amou e nos procurou.
A. A graça de Deus se lembra de nós.
1. Esquecido pela sua nação, abandonado por sua família, nenhuma razão para Mefibosete ser lembrado.
2. Mas, pela graça de Deus, Davi se lembrou deste homem aleijado.
3. Eles foram rápidos para lembrar a Davi que Mefibosete era aleijado, como se isso fosse mudar o coração de Davi.
4. Não me lembro dele por causa do que poderia sair dele (sem uso), motivado por pura graça.
5. A motivação de Deus para chegar até nós é pura graça.
B. A graça de Deus nos persegue.
1. Ela vai onde você estiver.
2. Lo-Debar - "não há pasto" estéril, lugar desolado, esconderijo, lugar de indigentes.
3. Pergunte ao filho pródigo, quem o encontrou em um chiqueiro e o trouxe para casa.
4. Pergunte a José quem o encontrou em um poço cavado para ele por seus irmãos e o levantou tão alto como o segundo no comando do Egito.
5. Pergunte à mulher samaritana quem a encontrou em um poço no meio do dia.
6. Como Davi, ele envia seus mensageiros da graça.
7. Não importa onde você pode estar; hoje, a graça pode encontrá-lo lá e mudar a sua vida.
C. A graça de Deus nos carrega.
1. Mefibosete não podia ajudar a si mesmo, ele não poderia chegar a Davi se fosse necessário - assim Davi enviou homens para carregá-lo.
2. A graça de Deus é dependente de Sua capacidade, não da minha.
3. Quando você não pode andar mais longe, deixe sua graça carregá-lo.
4. Quando você não pode crer em nada mais, deixe sua graça carregá-lo.
5. Quando você está fraco, deixe sua graça carregá-lo. 2 Coríntios 12:9 “... A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza”.

II. Graça é o lugar onde você abandona o seu passado aleijado.

1. Davi tinha chamado Mefibosete, mas cabia a Mefibosete responder.
2. Apesar de a graça ser oferecida a nós, cabe a nós abraçá-la.
3. Abraçar a graça significa deixar o nosso passado aleijado.
A. Abandonar a vida aleijada.
1. Não só os pés de Mefibosete foi aleijado, mas a sua vida tinha sido mutilada também.
2. Ele poderia ter deixado a amargura mantê-lo em Lo-Debar, culpando Davi.
3. Ele poderia ter deixe o medo mantê-lo em Lo-Debar. (Davi era um homem de sangue)
4. Deus deseja trocar o seu passado pela Sua presença. Deixa-o e tome posse da graça.
B. Abandonar a mentalidade aleijada.
1. Sua deficiência e seu passado o deixaram sentindo se sem valor, inútil como ele próprio disse "um cão morto".
2. Quão transformador deve ter sido para ele perceber que ele tinha valor aos olhos do rei.
3. Quando você despertar para a realidade que você é precioso e valioso para ele, você vai abandonar essa mentalidade aleijada.

III. Graça é onde você descobre quem você nasceu para ser.

1. Talvez quando menino Mefibosete fingia que ele era a realeza que ele nasceu para ser, mas o tempo tinha levado esses sonhos para muito longe.
2. Agora, Davi olhou para ele e restaurou o seu lugar no palácio.
3. Nós também nascemos para ser a realeza no reino de Deus, mas o pecado nos destronou.
A. Uma posição íntima
1. Mefibosete não só recebeu uma posição de realeza, como também lhe foi dado uma posição de família. Verso 11 "como um dos filhos do rei".
2. A graça de Deus não vai apenas fazer-nos seus servos, ou apenas o sacerdócio real, mas filhos e filhas de Deus.
3. Esta era uma posição de companheirismo. (Comunhão pessoal)
4. Ele sempre tinha os ouvido do rei.
5. Ele comia o que o rei comia.
6. Você tem lugar na sua mesa, tudo que você tem a fazer é abraçar a sua graça.
B. Uma posição perpétua
1. Davi deixou claro que esta posição não era uma fantasia passageira, mas que estava destinada a ser; verso 7 "sempre".
2. Enquanto Davi estava sentado no trono, Mefibosete nunca teria que se preocupar com alguém que pudesse tomar seu assento real.
3. Temos a sua provisão a qualquer hora que precisarmos. (Dia, noite)
4. Temos a sua provisão eternamente.

IV. Graça é o lugar onde você abraça o favor de Deus à custa de seu filho.

1. Mefibosete não estava recebendo graça baseado no que ele tinha feito, mas sobre a base do que Jônatas, seu pai tinha feito. Verso 7 "por amor de Jônatas, teu pai"
2. Da mesma forma, não estamos recebendo a graça, favor de Deus em razão da nossa própria bondade ou obras, mas na base da obra de Jesus Cristo.
A. Devemos viver na realização de outro.
1. Mefibosete vivia na graça de seu pai que pagou o preço.
2. Nós vivemos na graça que Jesus pagou o preço.
3. Na abundância de sua herança.
4. Em favor do Filho unigênito.
5. Não em nossos méritos, mas sobre o mérito do Mestre.

Conclusão: Você está abraçando a graça que Deus lhe oferece. Sua graça está procurando-o.
Se você está perdido, você pode conhecer a sua graça agora. Mas você tem que recebê-la.
Se você é um crente, e encontra-se em um lugar onde você precisa de sua graça, sua graça está disponível para você também. Venha hoje - este pode ser o seu dia de graça.

Pr. Aldenir Araújo

18 de março de 2014

As 7 leis da colheita - Lei 1 “Colhemos apenas o que foi semeado”

As 7 leis da colheita - Lei 1 “Colhemos apenas o que foi semeado”Texto: Gálatas 6:7-8

Introdução: Normalmente, a maioria de nós quando pensamos no conceito de colher o que semeamos, pensamos nela no sentido negativo. Nós pensamos de sofrer as consequências pelas ações pecaminosas ou escolhas erradas, mas as leis da colheita não são apenas negativas.

Essas leis também são positivas, muito positivas, e se destacam como uma promessa de bênção para semear o que é bom, bem como uma advertência contra a semear o que é ruim.
[post_ad]
Há sete leis da colheita. Ao longo das próximas semanas vamos considerar cada uma delas e aprender com esses princípios.
  1. Colhemos apenas o que foi semeado
  2. Colhemos a mesma em espécie como semeamos
  3. Colhemos em uma temporada diferente do que semeamos
  4. Colhemos mais do que semeamos
  5. Colhemos na proporção que semeamos
  6. Colhemos a safra total do bem só se perseverarmos
Não podemos fazer nada quanto a colheita do ano passado, mas podemos fazer para este ano

Nota: Gálatas 6:7-8

I. Nós colhemos apenas o que foi semeado

A. Introdução
1. A vida é cheia de escolhas, escolhas que nos afetam no dia a dia em tudo que fazemos.
2. Isso significa que nossas escolhas diárias não são sem significado.
3. Nossas escolhas afetam a nós e outros de maneira dramática se o vemos de imediato ou não.
4. Enquanto a terra durar, ninguém vai zombar de Deus, alterando nem mesmo por um momento as leis da colheita. "Portanto, vede diligentemente como andais, não como néscios, mas como sábios, usando bem cada oportunidade, porquanto os dias são maus. Por isso, não sejais insensatos, mas entendei qual seja a vontade do Senhor. E não vos embriagueis com vinho, no qual há devassidão, mas enchei-vos do Espírito" (Efésios 5:15-18) - "Ensina-nos a contar os nossos dias de tal maneira que alcancemos corações sábios" (Salmo 90:12 )
B. Por que precisamos de sabedoria?
1. Assim, podemos fazer escolhas sábias!
2. O que colhemos foi plantado naturalmente ou propositalmente, seja por Deus ou pelo homem, e para resultados positivos ou para resultados negativos.
3. Em outras palavras, esta lei da colheita, colhemos apenas o que foi semeado, tem tanto um lado positivo como um lado negativo.
C. O lado positivo
1. Colhemos bênçãos do trabalho dos outros. "Eu vos enviei a ceifar onde não trabalhaste; outros trabalharam, e vós entrastes no seu trabalho" (João 4:38)
2. Colhemos bênçãos por causa do que Deus tem feito em nosso favor.
a. As bênçãos da graça comum. "para que vos torneis filhos do vosso Pai que está nos céus; porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons, e faz chover sobre justos e injustos" (Mateus 5:45) - "Toda boa dádiva e todo dom perfeito vêm do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação" (Tiago 1:17) - "Respondeu João: O homem não pode receber coisa alguma, se não lhe for dada do céu" (João 3:27)
1) Deus é misericordioso para com todos os homens, quer eles percebam ou não, ou se nunca lhe deram graças por Suas bênçãos.
2) Na verdade, cada bom presente que desfrutamos vem de Deus.
b.As bênçãos da salvação pela graça. "E o testemunho é este: que Deus nos deu a vida eterna; e esta vida está em seu Filho. Quem tem o Filho tem a vida; quem não tem o Filho de Deus não tem a vida" (1 João 5:11-12 ) - "Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna" (João 3:16)
1) Independentemente da falta de gratidão do homem, Deus deu ao homem o maior presente de todos em seu Filho.
2) Ele se fez homem e foi para o Calvário para que pudéssemos ter a vida pela fé nEle.
3. Colhemos bênçãos colhemos por causa do que os outros fizeram em nosso nome.
a. Não só somos abençoados por causa do que Deus tem feito em nosso favor, nós também somos abençoados pelo que os outros fizeram.
b. Outros trabalharam e colhemos as bênçãos de seus trabalhos.
c. As bênçãos que desfrutamos no nosso país, da liberdade, do direito, de ministrar aos que sofrem, aos pobres e afins, são todos os subprodutos do cristianismo e nossa herança divina.
d. Não damos conta das implicações de longo alcance de nossas escolhas na vida dos outros - filhos, familiares, colegas de trabalho, amigos?
4. O ensino das Escrituras em ser um exemplo para os outros. “Porque eu vos dei exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também" (João 13:15) - "De sorte que vos tornastes modelo para todos os crentes na Macedônia e na Acaia" ( 1 Tessalonicenses 1:7) - "Ninguém despreze a tua mocidade, mas sê um exemplo para os fiéis na palavra, no procedimento, no amor, na fé, na pureza" (1 Timóteo 4:12) - "Em tudo te dá por exemplo de boas obras; na doutrina mostra integridade, sobriedade" (Tito 2:7)
5. Ser um bom exemplo é uma forma de semear, que pode resultar em colher mudanças semelhantes a Cristo na vida dos outros.
D. O lado negativo.
1. Nós colhemos os erros que outros semearam
a. Colhemos certa quantidade de errado herdado de nossos pais. "Eis que eu nasci em iniquidade, e em pecado me concebeu minha mãe" (Salmos 51:5 ) - "Alienam-se os ímpios desde a madre; andam errados desde que nasceram, proferindo mentiras" ( Salmos 58:3 ) - "Adão viveu cento e trinta anos, e gerou um filho à sua semelhança, conforme a sua imagem, e pôs-lhe o nome de Sete" (Gênesis 5:3 ) - "O Senhor é tardio em irar-se, e grande em misericórdia; perdoa a iniquidade e a transgressão; ao culpado não tem por inocente, mas visita a iniquidade dos pais nos filhos até a terceira e a quarta geração" (Números 14:18)
1) Nós todos colhemos o pecado de Adão e passamos isso para os nossos filhos.
2) Isso significa não apenas uma natureza pecaminosa, mas coisas que as crianças podem aprender, como ser crítico de uma falha encontrada nos pais.
b. Nós colhemos o mal de líderes tolos e corruptos. Isaias 2:5
1) Isso muitas vezes inclui o juízo de Deus sobre a sociedade - passado, presente e futuro.
2) O que está acontecendo em nossas cidades em todo o nosso país é que nós estamos entesourando ira para nós mesmos. Romanos 2:5
3) É motivo de preocupação para nós, porque, se o Senhor tardar, isso pode nos afetar muito.
4) Como uma nação, tudo o que fazemos é mal, porque nós, como pessoas estamos errados espiritualmente e moralmente.
5) Observe o autor Edward Gibbon, que, em 1787 , após 20 anos de trabalho, completou o seu livro O Declínio e a Queda do Império Romano, ele atribuiu a queda do Império como sendo:
  • O rápido aumento do divórcio, o enfraquecimento da dignidade e santidade do lar, que é a base da sociedade humana.
  • Impostos mais altos e mais elevados e os gastos de recursos públicos para pão de graça e circo gratuito para a população.
  • A mania louca de prazer; esportes se tornando a cada ano mais emocionante e mais brutal.
  • A construção de armamentos gigantescos quando o verdadeiro inimigo estava dentro, a decadência do povo.
  • A decadência da religião – a fé sumindo mera forma, perder o contato com a vida e tornar-se impotente para alertar e orientar as pessoas.
Na próxima semana estudaremos a segunda das sete leis da colheita.

Pr. Aldenir Araújo

O Pregador e a Oração

O Pregador e a OraçãoA grande necessidade do momento é que os púlpitos através desse país sejam cheios com homens humildes, santos e de oração.
Um púlpito sem oração produz um povo sem poder. Sem poder para vencer seus pecados tribulosos. Sem poder para mudar a cultura. Sem poder para dar testemunho de seu grande Salvador. E bancos sem poder produzem um povo cínico.
A igreja, então, se torna objeto de desdém porque, em grande escala, ela perdeu sua autenticidade.
 [post_ad]
O livro de Atos diz que as pessoas reconheciam que os que proclamavam o Evangelho eram "sem letras e indoutos" (Atos 4:13). Hoje, temo que as pessoas podem facilmente observar que nós temos pregadores muito inteligentes e estudados, mas que poucos deles têm estado com Jesus. E nos perguntamos por que os avivamentos tardam.
Recentemente, um pastor me confidenciou, "Eu prego sobre oração. Mas, a verdade é que faz tempo que eu não passo um tempo qualitativo em oração". Eu não creio que essa situação seja única. Nós falamos muito sobre oração, mas oramos pouco. Nós lemos livros sobre oração, mas não fazemos nada a respeito do que lemos. Nós falamos que oração é uma necessidade para uma vida cristã vitoriosa, mas colocamos Deus fora da nossa vida interior. Proclamamos que a oração deveria ser a prioridade da igreja, mas nunca lamentamos nossas reuniões de oração vazias.

A oração nunca deveria ser um meio pelo qual o pregador tenta manipular a Deus para ganhar bênçãos sobre sua mensagem, ministério e a igreja. A oração, acima de tudo, é intimidade com Deus. É ser "com Jesus". Me pergunto o que aconteceria se os pregadores parassem de perguntar às suas esposas, depois do culto: "Como foi minha pregação?" e começassem a perguntar: "Será que as pessoas perceberam que eu tenho estado com Jesus?"

A oração não pode ser somente uma coisa a mais na vida do pregador. Ela deve se tornar a força propulsora por trás dele e de sua mensagem. A oração é a plataforma de onde se proclama a Palavra de Deus. A oração deve ser o fundamento de sua estratégia de ministério e o palco de onde o pregador vai tocar sua trombeta.

A oração foi o denominador comum dos homens poderosos de Cristo na antiguidade. A igreja nasceu em uma reunião de oração. O primeiro sermão de Pedro foi entregue no final de uma reunião de oração e 3000 pessoas foram salvas. O ministério apostólico de Paulo começou como resultado de uma reunião de oração. A oração impulsionou a pregação dos apóstolo do primeiro século aos corações das pessoas por todo o Império Romano. Ele oraram e Deus moveu.

Nós todos gostaríamos de pregar para as multidões como o grande evangelista do século XVIII, George Whitfield, fez. Mas, também devemos lembrar que ele frequentemente passava noites inteiras clamando a Deus pelas almas perdidas. Muitos, hoje, gostariam de construir uma grande igreja, como Charles Spurgeon fez. Mas, não podemos esquecer que ele tinha homens por trás dos bastidores que estavam orando por ele, enquanto ele pregava.

Os missionários gostariam de colher a colheita de David Brainerd. Mas, ele devem ter em mente que David Brainerd orava por tanto tempo que a neve por baixo dele derretia. Os pregadores de avivamento gostariam de ver os mesmos resultados de Charles Finney, que acendia as chamas do avivamento por onde quer que ele passava. Mas, precisamos nos lembrar que um homem chamado Nash viajava com Finney e ficava numa sala à parte orando o tempo todo que Finney pregava.

Nós temos produzido muitos pregadores/divertidores de plateia hoje. Mas, a necessidade grave do momento não é por apresentadores ou oradores. Nós, desesperadamente, precisamos de líderes que tenham estado "com Jesus". Os apresentadores vão divertir as plateias e os oradores vão impressionar os que têm grande influência. Mas, os pregadores de oração vão abrir os céus. Eles podem não receber o aplauso de homens. Mas, eles saberão manifestar a glória de Deus. Ele vão segurar a chave do avivamento da igreja e da nação.

Sammy Tippit

O Pregador que não Prega

O Pregador que não PregaNão é de hoje que o oficio da pregação tem sido alvo de reflexões, aplausos, censuras e análises; quando me refiro a pregação quero dizer o anúncio verbalizado das escrituras sagradas. Porém, seria muito simplório e ingênuo afirmar que a pregação do Evangelho é apenas a comunicação inteligível da mensagem de Cristo Jesus, uma vez que, até um papagaio treinado e adestrado conseguiria realizar tal trabalho. 

O oficio da pregação é um trabalho que está mais atrelado ao “ser”, do que propriamente o “fazer” daquele que o realiza, uma vez que a mensagem do arauto de Deus é simplesmente uma extensão daquilo que já é ou está em processo nele mesmo. 
[post_ad]
Fere e será ferido todo pregador que vive em desarmonia entre aquilo que anuncia daquilo que vivencia. A pregação é um sentimento de Deus em ebulição no coração de um mortal que se dispôs a viver e a testificar daquilo que é próprio de Deus para os homens. 

De modo que, pregar não se resume em falar, mas está mais atrelado para a essência do ser que transborda das boas novas do evangelho que testificam (também em palavras) da verdade de Deus em Cristo Jesus. 

Judas em sua epístola traça o perfil do ministro ou pregador que não prega, mas apenas encena para seu próprio prazer ou interesses: “Estes são manchas em vossas festas de amor, banqueteando-se convosco, e apascentando-se a si mesmos sem temor; são nuvens sem água, levadas pelos ventos de uma para outra parte; são como árvores murchas, infrutíferas, duas vezes mortas, desarraigadas;”(Judas) 

No Antigo Testamento encontramos um mensageiro sem mensagem, seu nome era Aimaás. No intuito de transmitir uma mensagem ao rei Davi passou na frente de outro mensageiro, mas quando o rei Davi perguntou pelo seu filho Absalão sua resposta foi :"...Quando Joabe me mandou a mim, o servo do rei, vi um grande alvoroço; porem não sei o que era." (2 Samuel 18.29), até que por fim, chegou o outro mensageiro comunicando a Davi que Absalão estava morto. Perceba que o mensageiro sem mensagem (Aimaás) chegou primeiro do que aquele que de fato tinha a mensagem, e sua pseudo-mensagem era sobre um alvoroço que não sabia o que era, será que podemos perceber as mesmas semelhanças nos atuais mensageiros sem mensagens (disputa, glamour, alvoroço, barulho, mas sem conteúdo e essência) 

Observe que, a pregação não está atrelado a aparência ou ao resultado imediato segundo as percepções humana, mas antes, está intrinsecamente ligada a essência, conteúdo, e caráter daquilo que habita o pregador. Deste modo, segue abaixo uma síntese de pregadores que na realidade não pregam, de nuvens que não chovem, e de árvores que não frutificam:
  • Pregador Ego (Aquele que a pregação gira em torno dele)
  • Pregador Eco (Aquele que decora e repete mensagens alheias)
  • Pregador Show (Aquele busca apenas performances teatrais e fúteis)
  • Pregador Super (Aquele que é tão poderoso que se esquece do Evangelho e de Cristo Jesus)
  • Pregador Multi (Aquele que faz tudo no púlpito e acaba se esquecendo do principal – pregar)
  • Pregador Uno ( Aquele que acha que só ele prega)
  • Pregador falso (Aquele que anuncia o outro evangelho)
  • Pregador oco (Aquele que prega, mas não vive o que prega)
Certamente, neste tempo de confusão e extrema apostasia é válido a lembrança das palavras de Francisco de Assis: “Pregue o Evangelho em todo o tempo. Se necessário, use palavras”, como também é importante a advertência paulina ao jovem pregador Timóteo, que também serve a todos os pregadores contemporâneos: “Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina. Persevera nestas coisas; porque, fazendo isto, te salvarás, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem.” (1 Timóteo 4.16)

Autor: Samuel Torralbo é teólogo, escritor,  blogueiro e colunista do Púlpito Cristão.

17 de março de 2014

O mito da igualdade religiosa

O mito da igualdade religiosaUm mito comum que todos envolvidos no evangelismo ouvem é algo como isto: "Todas as religiões levam ao mesmo Deus"
Se uma pessoa estuda e pratica os ensinamentos da Bíblia, do Alcorão, Livro de Mórmon ou outro, serão os seus valores, crenças e estilos de vida o mesmo? Claro que não, porque todas as religiões não são basicamente as mesmas, elas são fundamentalmente diferentes.
Por exemplo, Jesus ensinou seus seguidores a amar e servir aos pagãos na esperança de que eles voluntariamente voltassem para o verdadeiro Deus. Mesmo que isso não foi obedecido na história, isso é o que Jesus ensinou. E é uma forma muito diferente de declarar guerra santa contra os infiéis e descrentes.
[post_ad]
Então, todas as religiões, finalmente, levam ao mesmo Deus? Todas as estradas realmente acabam no mesmo lugar? O que importa o caminho que você toma, se você está tentando ir para casa? É claro que é importante; porque todas as estradas não levam a mesma casa. Se você tomar o caminho errado, você não vai chegar ao seu destino, não importa quão sincero você possa ser.
Quando Tomé disse a Jesus: "Senhor, não sabemos para onde está indo, então como podemos nós saber o caminho?" (João 14:5) Jesus não respondeu: "Tomé, meu filho, não importa que caminho você siga, porque todos os caminhos levam a Deus"
Não! Jesus disse: "Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim"(João 14:6) Jesus é o caminho muito estreito. Ele disse que havia apenas um caminho, e não várias opções.
Que os mesmos atos de violência praticados em nome de Deus que já ceifaram as vidas de milhares de pessoas inocentes também destruam os mitos que cega as mentes de milhões em todo o mundo.
Acredito que a maioria das pessoas já ouviu alguma variação desta afirmação:
"Se você é sincero, realmente não importa o que você acredita ou qual religião você segue"
Parece que a sinceridade substitui a verdade como a questão religiosa definitiva do nosso dia. Infelizmente, muitos hoje estão sinceramente errados.
Suponha que estamos ambos em um navio afundando e nenhum de nós sabe nadar. Dizem-nos para entrar em botes salva-vidas infláveis ​​e estaremos seguros. Nós dois acreditamos sinceramente no que nos é dito e agimos em conformidade. Você entra em um barco e eu entro no outro. Um problema: o meu barco tem um buraco no meio e afunda. Não importa quão sinceramente acredito que o barco vai me salvar, se ele tem um buraco, então minha sinceridade é inútil. Infelizmente muitas pessoas acreditam sinceramente nas religiões e filosofias que estão cheias de buracos, destinadas a afundar.
Vale lembrar que os pilotos que chocaram os aviões contra as torres do World Trade Center nos Estados Unidos, matando milhares de pessoas inocentes, eram muito sinceros em seu serviço ao seu deus. Este é o resultado de elevar sinceridade humana acima da verdade divina. O incidente ocorrido dia 11 de setembro deve ser um lembrete de que a verdade não, a sinceridade é a questão mais importante.

Pr. Aldenir Araújo