6 passos simples para fazer as pessoas dormir com sua pregação
Todo o propósito da pregação é envolver, inspirar e motivar os ouvintes a agir.

Embora às vezes, se não tivermos cuidado, nossa pregação pode se tornar monótona, previsível, chata ...

O que é preciso para pregar um sermão que faz com que seus ouvintes adormeçam?

O que é necessário para desafiar a capacidade de todos prestar atenção?

Se você aspira pregar sermões aborrecidos e chatos que ajuda as pessoas a dormir enquanto você prega, aqui estão seis passos simples:

1. Não se prepare adequadamente

O primeiro passo para que todos adormeçam com sua pregação é não se preparar. Esta parte é fácil.
Tudo o que você precisa fazer é levantar-se para pregar sem preparar um sermão.

Você pode retirar um antigo sermão que já pregou ou apenas repetir algumas coisas que você já conhece e já disse para que sua congregação possa dormir profundamente.

Faça a sua preparação muito antes de chegar ao púlpito e saiba para onde está indo.
Seu povo agradecerá.

2. Não tenha um foco claro

Não esteja totalmente claro sobre a direção que você quer seguir com o sermão.

Não tenha em mente um final claro. Os pregadores aborrecidos, ao invés de iniciar a preparação para o sermão com o fim em mente, seguem todas as trilhas de coelhos em suas cabeças que não apoiam seu ponto de vista (porque não têm nenhum foco).

Sua congregação rapidamente perceberá que você não tem foco na mensagem e vai parar de ouvi-lo e adormecer.

Afinal, se você não conhece seu objetivo, como eles poderão saber?

O propósito da pregação não é preencher o tempo, mas transmitir uma mensagem.

Lembre-se, grandes sermões não acontecem por acidente, eles vêm de um pregador que sabe por que ele está lá e qual será o resultado de seu sermão.

3. Pregue sem paixão

Uma maneira infalível de deixar as pessoas com sono em seu sermão é pregar sem paixão.

Os membros da igreja vão pensar: "Se você não consegue se mostrar apaixonado pelo que você está dizendo, por que eu deveria me interessar?"

Se você estiver entusiasmado com o que está fazendo, você manterá todos acordados.

Você deve parecer um pouco desapontado pelo seu conteúdo. Certifique-se de que todos cocem a cabeça, perguntando-se por que você está tão apático. Não mostre entusiasmo, não altere o tom da sua voz e não se mova demais.

Faça isso e eu garanto que as pessoas estarão dormindo antes de você sair da introdução do seu sermão.

4. Faça uma ilustração que não tenha uma conexão razoável com seu sermão

Pior do que não usar nenhuma ilustração em seus sermões é usar ilustrações que não tenham uma conexão com sua pregação.

Levar as pessoas para uma viagem decepcionante de aplicações desconectadas, irá deixá-las tão frustradas e confusas que desistiram de tentar conectar os pontos e voltarão a adormecer.

5. Pregue por muito tempo

Este é o penúltimo passo. Se tudo acima não conseguiu coloca-los para dormir, então é útil ter essa penúltima carta em seu bolso.

Apenas continue a pregar. Continue e continue e continue. Com o tempo, isso vai funcionar. Se os primeiros 30 minutos não derrubar todos, tente outros 10 ou 15, ou até mesmo 20. A chave é a persistência. Não desista até ter certeza de que a única pessoa que está ouvindo é você.

6. Use grandes palavras teológicas e não as explique

Use-as como uma maneira de mostrar a sua congregação o quão inteligente você é. Certifique-se de que seu idioma está tão desconectado e confuso que as pessoas desistam de tentar entender o que você está dizendo e voltem a dormir.

De alguma forma, quando pensamos em "pregar", é fácil pensar que temos que usar grandes palavras e expressões complexas.

Eu prometo que, se você colocar esses passos em prática regularmente, você terá um auditório cheio de sono em pouco tempo.

Mas se você quer ajudar para corrigir a praga dos sermões aborrecidos e chatos e que faz as pessoas dormirem, conheça as ferramentas e técnicas para se tornar um exímio pregador e um orador eficaz! Saiba mais

Quais são algumas das características dos sermões chatos e aborrecidos? Quais são as coisas que você faz para evitar que as pessoas durmam?
Série: Jesus no Evangelho de João - Jesus: A Videira Verdadeira
Texto: João 15:1-11

Introdução: A filosofia deste mundo é que uma pessoa pode encontrar alegria através de uma mudança nas circunstâncias. Aproveitando as férias, ganhando na loteria, conseguindo um emprego para ganhar mais, perdendo algum peso, etc., etc., mas Jesus tem um plano diferente para a nossa alegria.

Leia: V. 1-11

Nós passamos pelo Evangelho de João olhando em cada um dos capítulos e encontrando um retrato e uma descrição de Jesus Cristo. Algumas dos retratos são mais familiares para nós do que outros, mas todos são muito importantes para nós, pois buscamos conhecer Cristo mais plenamente.

No último versículo do capítulo 14, encontramos Jesus e os onze discípulos deixando o lugar onde estavam e saindo a caminho do Jardim do Getsêmani. Imagine que, ao atravessarem as ruas em direção ao jardim, passariam pelas vinhas. Talvez Jesus estendeu a mão e pegou um galho da videira e usou para ilustrar o ponto dele enquanto caminhavam. Ele fala de quatro assuntos importantes nesta passagem. Ele falou da videira, do viticultor, dos galhos e dos frutos. Ele fecha a passagem com esta explicação: "Estas coisas vos tenho dito, para que o meu gozo permaneça em vós, e o vosso gozo seja completo". V. 11

O que torna isso importante para você e para mim é que Jesus estava muito perto do fim de Seu ministério terreno. Depois dos acontecimentos no jardim seria a crucificação no Calvário. Essas últimas palavras de instrução aos Seus discípulos foram, e continuam sendo de grande importância para aqueles que o seguiriam.

I. Os Quatro Elementos desta Passagem.

A. A videira.
1. Jesus deixa claro que Ele é a "videira verdadeira".
2. Não há substitutos aqui ... Ele é a videira original ou genuína.
3. Ele não é apenas uma "videira"; Ele é "A videira Verdadeira".
4. O significado disso é que a videira é a fonte da vida para os ramos. (João 15:5) “Eu sou a videira; vós sois as varas. Quem permanece em mim e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer”

B. O lavrador.
1. O lavrador era o viticultor que planta e cuida da videira, dos galhos e dos frutos.
2. Ele é aquele que vigia cuidadosamente a videira para garantir que os galhos tenham muitos frutos (que é todo o propósito da planta ao ser plantada).
3. Jesus nos diz que o Pai é o lavrador.
4. É o próprio Deus que colocou Jesus aqui nesta terra para realizar o Seu propósito.

C. Os ramos.
1. Aqui é onde entramos.
2. Esta noite, se você é filho de Deus, então você é um ramo da Videira Verdadeira.
3. Nossa vida vem da nossa união com Cristo, e nós somos totalmente dependentes dele.
4. Jesus nos lembra que "sem ele, não podemos fazer nada".
a. Mas com ele ... permanecendo nele ... há muita promessa para o filho de Deus.
b. A promessa da oração respondida. V. 7
c. A promessa da fecundidade. V. 4
d. A promessa de Seu amor. (João 14:21) “Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele”
e. E há a promessa de alegria. V. 11 (João 15:11) “Estas coisas vos tenho dito, para que o meu gozo permaneça em vós, e o vosso gozo seja completo”.

D. O Fruto.
1. O fruto é importante; porque o plano do Pai é que os ramos tenham muitos frutos.
a. Existem ramos que não dão frutos.
b. Há ramos que dão alguns frutos.
c. E há ramos que dão muito frutos.
d. Mas é o ramo que dá muito fruto que traz glória ao Pai!
2. Que tipo de fruto?
a. O fruto é a expressão externa da natureza interior.
b. Se eu ando pela mata, conheço uma árvore se eu vejo uma, mas não consigo reconhecer que tipo de árvore é olhando a casca ou as folhas.
c. No entanto, posso detectar uma árvore de noz ou uma árvore de nogueira quando vejo as nozes no chão ao redor.
d. O mesmo acontece com macieiras e pessegueiros.
e. O fruto é a expressão externa da natureza interior.
3. Jesus explicou que não é razoável esperar frutos contrários à natureza da árvore. (Mateus 7:16) “Pelos seus frutos os conhecereis. Colhem-se, porventura, uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos? ”
4. No caso de um crente, esses princípios de fecundidade se aplicam.
a. Isso significa que a natureza de Cristo (Quem habita dentro de nós na pessoa do Espírito Santo) deve ser expressa externamente.
b. O fruto não é algo que pode ser fabricado; é o produto natural da vida de um crente em Cristo.
c. A frutificação pode ser aumentada e reforçada pelo nosso relacionamento com Cristo e com a Palavra de Deus. (João 15:7) “Se vós permanecerdes em mim, e as minhas palavras permanecerem em vós, pedi o que quiserdes, e vos será feito”.
5. O resultado de uma vida cristã frutífera.
a. Deus é glorificado
b. Nossas vidas são cheias de alegria.

II. A aplicação.

A. Jesus é a videira verdadeira; não há outro.
B. Seu desejo é viver a nossa vida para que possamos dar frutos ao Pai Celestial.
C. Ao concluirmos, há algumas perguntas que precisam ser feitas agora.
1. Você está "na videira verdadeira"?
a. Em outras palavras, você já foi salvo? Renascido?
b. Caso contrário, posso convidá-lo a vir e confiar em Cristo nesta noite?
c. Não há alegria real além de Cristo.
2. Crente, você está "permanecendo na videira verdadeira"?
a. Você está tirando sua força dele para que Ele seja capaz de produzir fruto através da sua vida?"
b. Você está produzindo o fruto dele hoje?
c. Onde você está com Jesus hoje?
d. Se Deus revelou áreas em sua vida que precisam ser tratadas hoje, então eu desafio você a vir a Jesus e deixá-lo cuidar de sua necessidade.
A preparação necessária para pregar com excelência
Quando um homem é chamado pelo Senhor para pregar, a pregação deve ser a busca apaixonada desse homem.

Jeremias escreveu: "Mas isso foi no meu coração como fogo ardente, encerrado nos meus ossos, e estou fatigado de contê-lo, e eu não poderia ficar" (Jeremias 20:9). Todo pregador entende essa paixão para pregar a Palavra. No entanto, a paixão por si só não é suficiente para fornecer consistentemente o ensino e a pregação que o povo de Deus precisa. Deve ser misturada com elementos como, proposito, planejamento e preparação para edificar os santos.

Deixe-me compartilhar sete elementos que aprendi com homens de Deus, e que recolhi de seus escritos, e descobri por experiência própria na minha busca apaixonada para pregar com excelência a Palavra de Deus.

Pregação é descoberta

A busca apaixonada da pregação é, em sua essência, uma dedicação à descoberta. Um pregador deve ter o coração de um explorador, e ele deve conhecer plenamente as montanhas, vales, rios e córregos da Palavra de Deus. Uma das áreas mais fascinantes da descoberta em nossas vidas tem sido em primeiro lugar, a capacidade dos homens voarem em aviões, e então, se atreverem a ir além de nossa terra até o espaço.

Você e eu não somos pilotos, mas nós somos exploradores e podemos ir a lugares de grandes alturas. Podemos experimentar a presença de Deus. Existe em você uma paixão para estudar, conhecer o Senhor e trazer de volta à terra o que aprendeu, e depois compartilhar o conhecimento do Santo com os outros?

Pregação é determinação

Embora uma paixão para a descoberta vai nos lançar na Palavra de Deus, a ciência do estudo deve determinar o significado de Deus. O piloto pode se prender na cadeira do avião e sentir a grande emoção. Mas para realmente experimentar a emoção do voo, ele precisa entender as regras e a física do voo. A Escritura nos ordena a estudar a Bíblia

"Procura apresentar-te diante de Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade" (2 Timóteo 2:15). A palavra “aprovado” denota entusiasmo e seriedade.

Um pregador consistentemente sem estudar é um pregador incompleto. A nossa paixão para o ministério deve ser regularmente vista em nosso árduo trabalho e estudo das Escrituras. Temos de aprender e aplicar a ciência da hermenêutica para que tenhamos, não só o que o texto significa para mim, mas o que foi feito por Deus para mim e para aqueles a quem eu ministro.

Não é meu propósito nem é possível ensinar hermenêutica neste artigo, mas posso lembrá-lo dos princípios. Ser hermeneuticamente preparado é aprender o contexto histórico da passagem que envolve seus eventos históricos, aspectos culturais e aspectos geográficos, para citar alguns.

É aprender e compreender seu contexto léxico, o gênero do livro, as palavras, a gramática, e isso envolve uma análise teológica. Alguns poderiam dizer: "Pastor, eu deixo o Espírito Santo me conduzir, não os dicionários, concordâncias e textos". Para eles, eu responderia: "O Espírito que vai conduzi-lo, ordenou estudar". O estudo não diminui a paixão em nossa pregação. Ele traz confiança e luz para a nossa pregação.

Pregação é devoção

A Palavra de Deus é pessoal. Deus me fala através da Bíblia, e quando eu determino o significado da mensagem de Deus, eu devo determinar a sua aplicação a minha vida.

Minha congregação é melhor ensinada quando o meu exemplo mostra a aplicação da mensagem de Deus na minha vida. Ouça as palavras de nosso Senhor no Evangelho de João 13:15-17 “Porque eu vos dei exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também. Em verdade, em verdade vos digo: Não é o servo maior do que o seu senhor, nem o enviado maior do que aquele que o enviou. Se sabeis estas coisas, bem-aventurados sois se as praticardes”

Se eu estou crescendo e me tornando o que o Senhor ensina, eu vou ser um pregador muito mais eficaz de sua Palavra. Que bênção ensinar a partir da experiência em vez de apenas a informação.

Pregação é desenvolvimento

Após a ciência da hermenêutica vem a arte da homilética.

Nossa intenção deve ser sempre expor o significado da Palavra de Deus no texto escolhido. Embora alguns podem discordar de mim; a pregação expositiva deve ser sempre o nosso método, mesmo se pregarmos sobre um tema ou um texto específico.

O nosso esboço deve ser desenvolvido a partir da Palavra de Deus e dirigido pelo autor da Escritura, o Espírito de Deus. Nossa tese, nossa discussão, e nossa aplicação deve ser a intenção de Deus, não a nossa. Nós não somos apenas oradores, ou filósofos. Nós não somos humoristas, nem somos professores. Somos profetas que falam a Palavra e dão significado de Deus.

Devemos pregar a Palavra de Deus e entregá-la a mente moderna, não adaptar a Palavra para o conforto da mente moderna. Devemos expor a Palavra, não impor nossos pensamentos. Devemos concentrar-se no conteúdo e substância sobre o estilo. Mas lembremo-nos de que a confiança no nosso conteúdo nos dá ousadia em nosso estilo.

Pregação é disciplina

É difícil escolher uma ordem adequada nestes pontos. Entendendo que a disciplina deve ser encontrada em todas as áreas de nossas vidas. Mas, especificamente, há certas disciplinas que devem ser trazidas à vida de um homem, a fim de pregar corretamente.

Eu não estou abordando os nossos problemas de separação pessoal. (Nós sabemos que a santidade pessoal é necessária na vida de um homem de Deus). Gostaria de sugerir duas disciplinas específicas para a pregação.

Em primeiro lugar, precisamos de uma disciplina de programação. Estudo requer tempo: tempo para ler, orar, meditar,  explorar. Eu sugiro que você organize a sua agenda de pregação. (Organizar a minha agenda de pregação me ajudou muito, como pastor local). Isso permite que você reconheça datas e dias especiais, e dedique tempo de estudo necessário para séries e mensagens sobre estas ocasiões especiais.

Em segundo lugar, precisamos de uma disciplina da mente. Ler, ler, e, em seguida, ler um pouco mais. Conheça os eventos atuais, conheça os clássicos, conheça a história, e, em seguida, fale a Palavra de Deus em relevância. Deus usa a Palavra. Ele nos deu a Palavra escrita, e exerce as nossas mentes de uma forma única. O hábito da leitura é essencial para uma mente crescer e se desenvolver.

Pregação é deliberação

Por deliberar, me refiro a oração - falar com Deus e deixar Deus falar com você. A pregação nunca deverá ser uma função da carne. Deve ser um produto da nossa comunhão com o Espírito de Deus que ensina e nos permite. Lembra-se do pedido de oração de Paulo aos crentes em Tessalônica?
"Finalmente, irmãos, orai por nós, para que a palavra do Senhor se propague e seja glorificada. Como também o é entre vós" (2 Tessalonicenses 3:1).
Orai por nós! Se Paulo sabia que precisava orar e receber oração, para ser eficaz na pregação, certamente precisamos dessa atitude também. Nós não somos inteligentes o suficiente, dotados o suficiente, ou talentosos o suficiente para pregar a Palavra de Deus sem a ajuda e o poder de Deus.

Pregação é entrega

Com a confiança de conhecer o significado de Deus, o compromisso de vê-lo aplicado em sua própria vida, e uma sensação certa de estar na presença de Deus – se levante e pregue.
Um homem apaixonado, preparado e que ama a Deus, cuja mensagem ele está entregando e ama as pessoas a quem ele está entregando; será eficaz.

Devemos descobrir e determinar a mensagem de Deus. Devemos, com vidas disciplinadas e deliberadas, desenvolver a mensagem de Deus para os outros ouvirem. A Palavra de Deus é viva e eficaz e não voltará vazia.

Conheça a Palavra! Pregue a Palavra! E pregue com confiança!
Série: Jesus no Evangelho de João - Jesus: a Ressurreição e a Vida
Texto: João 11:18-27

Introdução: Nas últimas semanas, estudamos o Evangelho de João e encontramos alguns maravilhosos retratos de Jesus.

Cada capítulo revela-nos uma faceta particular da vida e do caráter do Filho de Deus, Jesus Cristo.

Neste capítulo, podemos ver o poder do Senhor Jesus Cristo. Aqui encontramos um dos maiores de todos os seus milagres. Se todos os outros milagres fossem tirados do registro do Evangelho e tudo o que nos restasse fosse este grande milagre, teríamos o suficiente para concluir que Jesus é o Filho de Deus.

Esta noite, eu gostaria que nós observássemos juntos esses versos magníficos e vislumbrássemos Jesus como a Ressurreição e a Vida.

Leia: João 11:18-27

I. O problema que os derrotou: Morte v. 21

A. A morte é um evento terrível e feio.
1. Lázaro estava morto e o sofrimento invadiu uma casa uma vez feliz.
2. Aqueles de vocês que experimentaram este problema conhecem a devastação e a grande dor que traz.
3. Quando alguém morre, estamos literalmente separados.

B. A morte é um evento universal. (Gênesis 3:19) “Do suor do teu rosto comerás o teu pão, até que tornes à terra, porque dela foste tomado; porquanto és pó, e ao pó tornarás”. (Hebreus 9:27) E, como aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo depois o juízo”
1. Muitas vezes não gostamos de falar sobre isso ou mesmo pensar nisso
2. Mas precisamos enfrentar o fato de que todos morreremos.
3. Um pensamento sóbrio é que estamos mais próximos agora do que nunca em nossa vida.

C. A morte é um evento inesperado
1. Marta e Maria provavelmente pensaram que Lázaro se recuperaria de sua doença e que tudo voltaria ao normal.
2. Não eram diferentes da maioria de nós hoje.
3. Embora saibamos que a morte está chegando, ainda parece pegar-nos de surpresa.
4. Existe uma grande necessidade de estar preparado, e não há desculpa para não estar preparado. (Tiago 4:14) “No entanto, não sabeis o que sucederá amanhã. Que é a vossa vida? Sois um vapor que aparece por um pouco, e logo se desvanece”
5. O rico tolo (Lucas 12:16-20) pensou que continuaria a viver e a curtir sua vida e suas riquezas, mas a morte veio e o encontrou totalmente despreparado. (Lucas 12:19-20) “e direi à minha alma: Alma, tens em depósito muitos bens para muitos anos; descansa, come, bebe, regala-te. Mas Deus lhe disse: Insensato, esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será? ”
6. Você pode adiar o pagamento de impostos, a troca de óleo do seu carro ou milhares de outras coisas, mas não adie sua salvação! (2 Coríntios 6:2b) “...eis aqui agora o tempo aceitável, eis aqui agora o dia da salvação”
7. Uma menina teve dúvidas sobre a morte de seu avô.
a. Na tentativa de responder a ela, sua mãe explicou que Deus havia chamado o vovô para voltar para casa com Ele e que um dia ele também a chamaria.
b. A menina correu para seu quarto, com sua mãe seguindo para tentar consola-la.
c. Quando a mãe chegou ao quarto da menina, ela a achou abrindo sua cômoda.
d. Mamãe perguntou o que estava fazendo, e a menina lhe disse que estava fazendo as malas!
e. Ela queria estar pronta quando Deus a chamasse. Esse é um bom conselho para todos nós!

II. O poder que Jesus descreveu: Vida. V. 25a

A. Jesus é a vida.
1. Isso significa que aqueles que O conhecem também conhecem a vida eterna.
2. Mas aqueles que não o conhecem não conhecem a vida, porque Ele é a vida!
3. Não há vida em nenhum outro. (1 João 5:12) “Quem tem o Filho tem a vida; quem não tem o Filho de Deus não tem a vida”.

B. Jesus é a Ressurreição.
1. Ele levantou outros de entre os mortos.
a. Casos registrados de Jesus levantando alguém de entre os mortos.
b. A filha de Jairo (Marcos 5: 41-42), o filho da viúva de Naim (Lucas 7:11) e Lázaro (João 11:43-44)
c. Eu acho interessante que foi uma pequena garota, um jovem e um adulto mais velho.
d. Isso me diz que não importa quantos anos tenhamos, precisamos do poder de Jesus em nossas vidas.
2. Jesus prometeu levantar seus seguidores de entre os mortos - 1 Coríntios 15:20-23; 1 Tessalonicenses 4:13-17.
a. Todos os que confiaram em Jesus como seu Salvador pessoal podem ter a confiança de que Jesus um dia ressuscitará seus corpos da sepultura.
b. Ele nos prometeu que Ele nos ressuscitaria, e Ele cumpre Suas promessas! (1 Coríntios 15:52) “num momento, num abrir e fechar de olhos, ao som da última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos serão ressuscitados incorruptíveis, e nós seremos transformados”
3. Jesus levantou-se de entre os mortos.
a. Se a história de Cristo terminasse na cruz, então teria sido outra morte trágica.
b. Mas, graças a Deus, três dias depois de Sua morte na cruz, Jesus saiu do Seu túmulo, vitorioso sobre a morte, o Inferno e a sepultura!
c. Os anjos disseram às mulheres na tumba: "Ele não está aqui, Ele ressuscitou!"

III. A promessa que Jesus declarou: A vida eterna está disponível para todos os que creem. V. 25b-26

A. Jesus é a resposta aos nossos problemas!
1. Ele tem o poder de tomar uma vida destruída pelo pecado e dar-lhe um novo começo.
2. Ele é especialista em dar aos mortos uma nova vida. (2 Coríntios 5:17) “Pelo que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo”
3. Ele pode tirar as manchas do pecado e dar a todos um novo começo. (Isaías 1:18) “Vinde, pois, e arrazoemos, diz o Senhor: ainda que os vossos pecados são como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que são vermelhos como o carmesim, tornar-se-ão como a lã”
4. Lázaro estava morto - tudo havia acabado para ele.
a. Não havia mais família, nem mais amigos, nem mais alegria, nada mais.
b. Sua vida acabou, até que Jesus passou e isso fez a diferença entre o fim e um novo começo.
c. Em João 12, encontramos Lázaro sentado à mesa e jantando com o Senhor Jesus.
d. Jesus deu-lhe uma nova vida, e Ele pode fazer o mesmo por você.

B. Podemos ter vida se crermos.
1. Aqueles que colocam sua fé em Jesus Cristo nunca morrerão!
2. De acordo com a Palavra de Deus, passamos da morte para a vida e viveremos para sempre. (João 5:24) “Em verdade, em verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna e não entra em juízo, mas já passou da morte para a vida” - (João 8:51) “Em verdade, em verdade vos digo que, se alguém guardar a minha palavra, nunca verá a morte”

C. Só está disponível pela fé.
1. Para receber a promessa de Cristo e ser resgatados da morte espiritual e do poder da sepultura, devemos crer em Jesus.
2. Isso significa que devemos confiar em Jesus e somente nEle para a salvação de nossa alma. (Atos 16:31) “Responderam eles: Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua casa”
3. A Bíblia não nos ensina a confiar em nossas obras, nossa bondade ou nossa religião. Devemos confiar em Jesus.
4. Não podemos colocar nossa confiança na igreja, no nosso batismo ou em uma vida mudada.
5. A salvação vem somente através da fé no Senhor Jesus Cristo. (Efésios 2:8-9) “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie”

Conclusão: Deixe-me fechar chamando sua atenção para o nosso texto e uma pergunta importante que o Senhor Jesus fez. Jesus disse: "todo aquele que vive, e crê em mim, jamais morrerá. Crês isto?". Qual é a nossa resposta hoje? Nós cremos?

(Romanos 10:9-10) “Porque, se com a tua boca confessares a Jesus como Senhor, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, será salvo; pois é com o coração que se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação”

Querido, você creu Nele para a salvação, você crê nEle para a solução de todos os seus problemas? O cristianismo não é apenas para as noites de domingo; é para todos os dias 24 horas por dia. O que você precisa para confiar nele hoje?
Série: Jesus no Evangelho de João - Jesus: O Bom Pastor
Texto: João 10:1-18

Introdução: Dois homens foram convocados, em uma grande sala de aula, para recitar o vigésimo terceiro salmo. Um deles era um escritor e orador treinado em técnicas de fala e drama. Ele repetiu o salmo de uma maneira poderosa. Quando ele terminou, o público aclamou e até pediu um bis para que eles pudessem ouvir sua maravilhosa voz novamente.

Então o outro homem, que era muito mais velho, repetiu as mesmas palavras: "O Senhor é meu pastor; e nada me faltará ...," Mas quando ele terminou, nenhum som veio da grande classe. Em vez disso, as pessoas se sentaram em um clima profundo de devoção e oração. Então o primeiro homem, o orador, levantou-se, "eu tenho uma confissão para fazer", disse ele. "A diferença entre o que você acabou de ouvir do meu velho amigo e o que você ouviu de mim é esta: eu conheço o Salmo, mas meu amigo conhece o Pastor".

Jesus é o Bom Pastor. Como um pastor, ele está preocupado com o bem-estar e o cuidado de suas ovelhas. Quando Jesus pronunciou este sermão, Ele claramente declara sua identidade e claramente declara seus propósitos e planos. Nestes versos, podemos ver o coração de Jesus exposto. Aqui, Ele revela o Seu grande amor pelos pecadores e Seu plano de lidar com o pecado deles.

A pergunta que devemos nos fazer esta noite é a seguinte: "Eu realmente conheço o Pastor?"

1. Se você não o conhece, ouça atentamente porque você vai ouvir da própria Palavra de Deus, exatamente como você pode ser salvo.

2. Se você o conhece, então você vai ouvir como conhecer o Pastor torna sua vida mais abundante e rica.

Leia: João 10:1-18

O profeta Isaías usou o símbolo de um pastor para descrever o Messias vindouro:

"Como pastor ele apascentará o seu rebanho; entre os seus braços recolherá os cordeirinhos, e os levará no seu regaço; as que amamentam, ele as guiará mansamente". (Isaias 40:11)

Quando Jesus veio, Ele disse: "Eu sou o bom pastor; conheço as minhas ovelhas, e elas me conhecem, assim como o Pai me conhece e eu conheço o Pai; e dou a minha vida pelas ovelhas". (V. 14-15)

E ele também disse: "Eu sou a porta da ovelha" (v. 7).

I. A parábola. V. 1-6

A. Há apenas uma porta para o aprisco.
1. Um aprisco era um muro circular de cerca de 3 metros de altura com uma única abertura que servia de porta.
2. Vários rebanhos poderiam ser colocados no aprisco à noite, com um dos pastores deitado na abertura para servir como porta.
3. Nada poderia entrar ou sair do aprisco sem ter que passar pelo pastor.
4. Jesus está nos dizendo que apenas os ladrões e os salteadores procuram entrar no aprisco por outros meios além da porta.
5. O pastor, no entanto, sempre vem da maneira certa.

B. Jesus é a porta e todos os outros são falsos mestres que não se preocupam com as ovelhas.
1. Havia muitos falsos cristos que vieram para enganar.
2. Satanás é um especialista em falsificação.
3. Paulo nos lembrou que não devemos nos surpreender em saber que seus ministros se disfarçam de ministros de Deus.
4. O mesmo é verdade para os crentes.
5. Jesus proferiu a parábola do trigo e o joio para explicar que existem e existirão aqueles que fingem ser filhos de Deus.
6. Entre pela porta (Jesus) e você recebe a salvação e a paz.
7. Jesus veio dar uma vida abundante.

II. Jesus é a única porta na segurança do aprisco. V. 7

"Tornou, pois, Jesus a dizer-lhes: Em verdade, em verdade vos digo: eu sou a porta das ovelhas". (João 10:7)

"O ladrão não vem senão para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância". (João 10:10)

A. Os judeus não viram Jesus como o Bom Pastor.
1. Em vez disso, eles pensaram que ele tinha um demônio e era louco.
2. Mas alguns vislumbraram a Luz brilhando na escuridão e perguntaram: "pode porventura um demônio abrir os olhos aos cegos?" (João 10:21).
3. Estavam começando a ouvir o que Jesus estava dizendo.

B. Hoje, "ladrões e salteadores" ainda estão levando muitas pessoas para longe do Bom Pastor, ensinando que há mais de uma porta no aprisco.
1. Mas aqueles que ouvem as palavras do Bom Pastor e seguem-no não serão desviados.
2. Observe as palavras de Jesus para todos os que são Suas ovelhas: "As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu as conheço, e elas me seguem; eu lhes dou a vida eterna, e jamais perecerão; e ninguém as arrebatará da minha mão". (João 10:27-28)

Recomendo:

III. Jesus é o Bom Pastor. V. 11-29

A. Todos os pastores são bons? Não.
1. Jesus aponta para Si mesmo como o Bom Pastor, mas o profeta Ezequiel advertiu sobre os maus pastores que não buscavam as ovelhas ou procuravam o perdido.
2. Jesus chamou os maus pastores que vieram antes dele de "ladrões e salteadores" (João 10:8).
3. Uma maneira de reconhecer um bom pastor, disse Jesus, é ouvir sua voz.
a. Ele "chama suas próprias ovelhas pelo nome", e elas seguem-no.
b. Em Israel hoje, os pastores ainda andam diante de suas ovelhas, chamando-as pelo nome, e as ovelhas seguem.
4. Em nossa caminhada com Jesus, devemos ter certeza de que ele está liderando e estamos seguindo.
5. Se nós somos Suas ovelhas, estamos sob Seu amoroso cuidado.

B. O Bom Pastor "dá a sua vida pelas ovelhas". (11-18)
1. Somente o pastor faria isso.
2. O mercenário permitiria que o lobo devastasse as ovelhas.
3. Somente o pastor realmente se importa com o rebanho.
4. Há outras ovelhas, mas há apenas um pastor.

C. Ele dá as suas ovelhas a vida eterna (19-29)
1. A incredulidade indica que alguém não é uma ovelha e, portanto, não seguirá o pastor.
2. Suas ovelhas gozam da vida eterna - elas nunca irão perecer.
3. Porque elas estão aninhadas profundamente na segurança da mão de Deus.

D. Jesus é o Pai. V. 30-42
1. São um - mistério da trindade
2. Eles são inseparáveis ​​- "... o Pai está em mim e eu nele".
3. As obras de Cristo testemunharam sobre o fato de serem um.

Conclusão: Não há dúvida de que Jesus é o Bom Pastor. A única questão que permanece neste ponto no culto é esta: você conhece o Pastor? Como você responde essa pergunta determina onde você passará a eternidade. Sua resposta a essa pergunta fará toda a diferença entre o céu e o inferno.

Se você conhece o Pastor, então você pode se alegrar com o fato de que Ele estará sempre com você e que Ele sempre cuidará de você. Se você não o conhece, então eu convido você a chegar até ele agora. Você não precisa, nem tem que esperar. O atraso é perigoso!

Venha hoje a Jesus e Ele salvará sua alma. Ele o colocará no rebanho de Deus. Ele salvará você da ira de Deus. Ele lhe dará uma nova vida e um novo nascimento. Você quer vir a ele?
Série: Jesus no Evangelho de João - Jesus: A Luz do Mundo
Texto: João 9:1-12

Introdução: Luz do mundo, descreve o plano e propósito da vida e ministério do Senhor. Jesus veio a este mundo e realizou muitas grandes e milagrosas maravilhas, mas seu objetivo principal era iluminar a escuridão espiritual que envolveu esse mundo. Ele veio para ser a luz do mundo.

Nosso texto nesta noite detalha a cura e a salvação de um homem pobre e cego. É um exemplo do que Jesus veio fazer. Ele veio para dar luz àqueles que estão presos à escuridão. Se você está na escuridão esta noite, estou aqui para dizer-lhe que Jesus pode e irá levá-lo para a luz se você o invocar e se achegar a Ele pela fé.

I. A Miséria do Homem Cego

A. Considere sua cegueira
1. Este homem, de acordo com a Escritura, nasceu cego.
2. A meu modo de pensar, essa seria uma das mais horríveis desvantagens físicas.
3. Nunca ver um pôr-do-sol, o rosto de uma criança, o rosto de um ente querido seria uma coisa terrível.
4. No entanto, esse homem viveu toda a vida nesse estado de escuridão.
B. Mas há uma cegueira que é muito pior do que ter olhos sem visão?
1. É muito pior estar na escuridão espiritual.
2. E, esse é o lugar onde o mundo inteiro, sem Jesus, se encontra. (2 Coríntios 4:4) “nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus”.
3. Se você nunca recebeu Jesus como seu Salvador, de acordo com a Escritura, você está em profunda escuridão espiritual.
4. No entanto, há esperança em Jesus!
C. Considere seu Nascimento.
1. Este homem nasceu não apenas cego, mas também nasceu na pobreza.
2. Sua família não era capaz de prover para ele.
3. Muitos diriam que ele estaria melhor se nunca tivesse nascido.
4. No entanto, descobrimos que Jesus pensou o contrário.
5. Ele diz aos discípulos que a cegueira daquele homem foi permitida por Deus para que nele se manifestem as obras de Deu.
D. Que verdade maravilhosa!
1. Precisamos perceber que Deus pode tomar qualquer vida, independentemente de como os outros possam vê-la, e torná-la em algo bonito.
2. Essa é a graça de Deus!
3. Uma vida arruinada pelo pecado pode ser transformada por Sua graça e se tornar uma vida de infinitas bênçãos e alegria! (2 Coríntios 5:17) “Pelo que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo”.
4. Deus é especialista em salvar vidas velhas e perdidas.
E. Considere sua vida de mendicância
1. Este homem era incapaz de encontrar emprego e, como resultado, ele foi reduzido a implorar por comida e dinheiro que ele recebia.
2. É suficiente ruim ser cego, mas ser cego e mendigo ... este era um estado lamentável para estar.
3. Parece que ninguém se preocupava com ele, até que Jesus passou por ele!
4. Aqui é onde cada pessoa está hoje que não conhece Jesus Cristo como seu Salvador.
a. Deus nos criou para estar em comunhão com Ele.
b. Mas sem Cristo ... não pode haver comunhão.
c. Sem comunhão ... nossas vidas estão vazias e estamos espiritualmente falidos.
d. Buscamos preencher o vazio e satisfazer esse anelo, mas falhamos miseravelmente.
e. As coisas deste mundo não podem nos trazer satisfação ... somente Jesus pode trazer a verdadeira paz espiritual.

II. O Ministério de Um Mestre Soberano. V. 13-38

A. Ele foi exposto à luz.
1. Quando Jesus passou, a vida deste homem mudou para sempre.
2. Jesus, primeiro, curou-o de sua incapacidade física.
3. Quando o homem foi a Siloé e lavou os olhos, ele foi curado de sua cegueira.
4. Ser capaz de ver com esses olhos físicos nunca é suficiente.
5. Devemos também chegar ao lugar onde somos capazes de ver a verdade espiritual.
B. Observe a progressão que este homem atravessou quando a luz começou a brilhar em sua vida.
1. Primeiro o conheceu apenas como "um homem que se chama Jesus". V. 11
a. Era aí que eu estava durante muitos anos na minha vida.
b. Eu sabia sobre Jesus ..., mas eu nunca o havia conhecido pessoalmente.
c. Muitas pessoas sabem sobre Ele, eles conhecem o Seu nome ... eles usam Seu nome ... mas eles não o conhecem como seu Salvador!
2. Em seguida, ele o chamou de profeta. V. 13-34
a. Quando os fariseus ouviram falar do milagre, eles chamaram o cego e tentaram ficar a par do assunto.
b. Alguns ficaram chateados com o fato de Jesus ter feito este milagre no dia do sábado.
c. Eles concluíram que, se ele fez algo considerado como trabalho no sábado, ele deveria ser um pecador.
d. Eles perguntaram ao sujeito que estava cego e ele disse que Jesus era "um Profeta". V. 17
e. Em outras palavras, "Ele é um homem a ser ouvido".
1) Este homem tinha ouvido Jesus uma vez e essa obediência resultou em sua cura.
2) Portanto, ele conclui que Jesus merece ser ouvido.
3) Há muitos que têm essa opinião sobre Jesus.
4) Ele é um sábio, um grande mestre ... um profeta.
5) Ele é um líder religioso como tantos outros.
6) No entanto, antes que uma pessoa possa chegar a salvação bíblica, ela deve perceber que, embora Jesus seja um profeta, Ele é muito mais!
3. Finalmente, ele percebe o que Jesus realmente é. V. 35-38
a. Os fariseus já ouviram o suficiente deste homem.
b. Eles o expulsaram da sinagoga.
c. Jesus vem ao homem pessoalmente e quando Ele vem, Ele revela Sua verdadeira identidade a esse homem.
d. Neste ponto, o homem confessa que Jesus é o Filho de Deus e é salvo gloriosamente.
e. Este homem progrediu de ver Jesus como um entre muitos, ou alguém para ser ouvido, ou alguém para ser seguido.
f. Ele agora vê Jesus como alguém digno de fé e adoração. Ele o vê como ele realmente é!
4. Esta é a conclusão que todos devem chegar antes de poderem ser salvos!
a. Ou Ele é o Filho de Deus como Ele disse, ou Ele não é digno de nossa adoração e nossa fé.
b. Se Ele não é o Filho de Deus, então você e eu estamos indo para o inferno esta noite.
c. Não há esperança além de Jesus! (1 Coríntios 15:19) “Se é só para esta vida que esperamos em Cristo, somos de todos os homens os mais dignos de lástima”.
d. Este homem passou de ver Jesus como "Um Bom Homem", para vê-lo como "O Deus Homem".
e. E é aí que cada um de nós deve estar se esperarmos ser salvos.

III. A Mensagem de Um Milagre Sobrenatural

A. Jesus é uma luz que brilha
1. Ele continua a brilhar na escuridão deste mundo maldito pelo pecado.
2. Os crentes também são chamados a ser luzes que são fiéis para apontar os outros para Cristo.
B. Jesus é uma luz que busca.
1. Quando os judeus expulsaram esse homem, Jesus foi buscá-lo.
2. É por isso que Ele veio!
3. Lucas nos diz: "... o Filho do homem veio buscar e salvar o que estava perdido".
4. E Ele ainda está buscando almas para salvar esta noite!
C. Jesus é uma luz que salva.
1. Quando este homem se curvou e recebeu Jesus, Ele foi eternamente salvo!
2. A obra que Deus faz salvando o pecador é eterna! João 10:28-29; 1 Pedro 1:5
João 10:28-29 “eu lhes dou a vida eterna, e jamais perecerão; e ninguém as arrebatará da minha mão. Meu Pai, que mas deu, é maior do que todos; e ninguém pode arrebatá-las da mão de meu Pai”

Conclusão:

· Este homem não esperava que ele fosse curado de sua cegueira quando ele acordasse naquela manhã.
· Ele, sem dúvida, planejava viver naquele dia, como todos os dias, na escuridão da escuridão.
· Mas quando conheceu Jesus, sua vida mudou para sempre.
· Você conheceu Jesus, a Luz do mundo?
· Crente, somos fiéis para que nossa luz brilhe para que outros possam ver Cristo em nós?
· Venha agora.