A Entrada Triunfal – Da Exaltação à Rejeição

A Entrada Triunfal – Da Exaltação à RejeiçãoTexto: João 12:12-13 “No dia seguinte, as grandes multidões que tinham vindo à festa, ouvindo dizer que Jesus vinha a Jerusalém, tomaram ramos de palmeiras, e saíram-lhe ao encontro, e clamavam: Hosana! Bendito o que vem em nome do Senhor! Bendito o rei de Israel!"

Introdução: Este é o quadro da entrada triunfal de Jesus em Jerusalém uma semana antes de sua crucificação e ressurreição de entre os mortos.
[post_ad]
Nesta mensagem quero olhar para a vida de Jesus, durante a semana de sua crucificação e como Ele entrou em Jerusalém como um rei exaltado nos corações do povo de Deus e, em seguida, uma semana depois, foi rejeitado e crucificado por essas mesmas pessoas que tinham anteriormente o exaltado como Rei.

O que aconteceu durante essa semana que levou tantos a virar lhe as costas, apenas para zombar e ridicularizá-lo?

I. A semana agitada.

A semana que Jesus foi crucificado começou com tremenda exaltação e a compreensão profética aos olhos das pessoas que haviam estado familiarizados com ele nos últimos 3 anos e 1/2. Ele estava sendo plenamente reconhecido e proclamado como o cumprimento da vinda do Messias. Eles tinham agora totalmente o recebido como o Rei vindouro que foi profetizado pelos profetas.

Até o final desta semana, porém, a maioria dessas pessoas rejeitaria, zombariam, escarneceriam e o crucificariam como um impostor. O que aconteceu no decorrer desta semana, que transformou drasticamente os corações de muitas dessas pessoas de seu prometido Rei? Não só muitos mudaram o coração e se afastaram, mas um de seus discípulos iria traí-lo e outro o negaria.

Há lições sobre a natureza humana para que possamos aprender e que irá nos impedir de virar as costas depois de ter recebido a visão profética de quem é Cristo? São estes mesmos elementos em nosso mundo hoje que levaram essas pessoas a virar as costas para o seu amado rei?

1. Sua entrada triunfal em Jerusalém.
Jesus está entrando em Jerusalém montado humildemente em um jumentinho, enquanto as pessoas estão indo diante Dele, louvando a Deus e proclamando em alta voz as obras maravilhosas que Jesus estava fazendo.

Lucas 19:28-40 “Tendo Jesus assim falado, ia caminhando adiante deles, subindo para Jerusalém. Ao aproximar-se de Betfagé e de Betânia, junto do monte que se chama das Oliveiras, enviou dois dos discípulos, dizendo-lhes: Ide à aldeia que está defronte, e aí, ao entrar, achareis preso um jumentinho em que ninguém jamais montou; desprendei-o e trazei-o. Se alguém vos perguntar: Por que o desprendeis? respondereis assim: O Senhor precisa dele. Partiram, pois, os que tinham sido enviados, e acharam conforme lhes dissera. Enquanto desprendiam o jumentinho, os seus donos lhes perguntaram: Por que desprendeis o jumentinho? Responderam eles: O Senhor precisa dele. Trouxeram-no, pois, a Jesus e, lançando os seus mantos sobre o jumentinho, fizeram que Jesus montasse. E, enquanto ele ia passando, outros estendiam no caminho os seus mantos. Quando já ia chegando à descida do Monte das Oliveiras, toda a multidão dos discípulos, regozijando-se, começou a louvar a Deus em alta voz, por todos os milagres que tinha visto, dizendo: Bendito o Rei que vem em nome do Senhor; paz no céu, e glória nas alturas. Nisso, disseram-lhe alguns dos fariseus dentre a multidão: Mestre, repreende os teus discípulos. Ao que ele respondeu: Digo-vos que, se estes se calarem, as pedras clamarão"

Neste quadro vemos Jesus sendo adorado, louvado e proclamado como o Rei de Israel, na medida em que os fariseus tentavam fazê-lo colocar um fim nisso.

2. Ele purifica o templo.
Lucas 19:45-47 “Então, entrando ele no templo, começou a expulsar os que ali vendiam, dizendo-lhes: Está escrito: A minha casa será casa de oração; vós, porém, a fizestes covil de salteadores. E todos os dias ensinava no templo; mas os principais sacerdotes, os escribas, e os principais do povo procuravam matá-lo”.
Jesus não estava ganhando pontos com os líderes religiosos da época. A casa de Deus tinha sido transformada em um lugar onde as pessoas estavam negociando o povo de Deus. Tenho certeza de que muitas das pessoas mais comuns da época estavam envolvidas nesta prática também. Eles estavam começando a ver que o que Jesus tinha a oferecer tinha o potencial de destruir a sua segurança e renda atual. "Isso é realmente o que queremos?"

3. Ele usa uma parábola para falar contra os principais dos sacerdotes e escribas.
Lucas 20:19 “Ainda na mesma hora os escribas e os principais sacerdotes, percebendo que contra eles proferira essa parábola, procuraram deitar-lhe as mãos, mas temeram o povo”.
Jesus está saindo do seu caminho para estabelecer uma distinção clara entre o que Ele tinha para oferecer à nação de Israel contra o que tinha sido oferecido a eles por seus líderes religiosos.

4. Jesus discute com os fariseus e os saduceus sobre uma série de questões.
Lucas 20:20 “E, aguardando oportunidade, mandaram espias, os quais se fingiam justos, para o apanharem em alguma palavra, e o entregarem à jurisdição e à autoridade do governador”.
Mais uma vez, encontramos Jesus apontando o caminho para a verdade real que é o contrário das tradições religiosas que estavam sendo ensinadas e praticadas pelos líderes religiosos de Israel.

A verdade está continuamente conduzindo uma cunha mais profunda entre o que Jesus tem para oferecer e o que eles tinham a oferecer. Os líderes religiosos não veem outra alternativa a não ser encontrar alguma maneira de se livrar de Jesus. Eles estão sendo ameaçados!

5. Jesus emite um aviso a todas as pessoas sobre os escribas.
Lucas 20:46 "Guardai-vos dos escribas, que querem andar com vestes compridas, e gostam das saudações nas praças, dos primeiros assentos nas sinagogas, e dos primeiros lugares nos banquetes”.
Os escribas eram fariseus, que tinham se tornado os defensores zelosos da lei e os verdadeiros mestres das pessoas comuns. No Novo Testamento eles dominaram indiscutivelmente como os expoentes reconhecidos da lei e os representantes reverenciados do judaísmo. Eles receberam o profundo respeito do povo, como indicado no honroso termo rabino, que significa "meu mestre, ou professor" Orgulhosamente reivindicavam os primeiros assentos, buscavam o reconhecimento público das massas, e se vestiam com vestes longas, como a nobreza.

O que está acontecendo é que há um grande cabo de guerra acontecendo nos corações de todas essas pessoas. Este era um povo que tinha sido ensinado e treinado pelos escribas e agora Jesus vem desafiando-os com a verdade e a autoridade real. Suas lealdades estão agora divididas e são suscetíveis de serem puxados em qualquer direção depende da situação atual do momento.

6. Jesus começa a preparar os seus discípulos para a sua segunda vinda.
No meio de tudo o que está ocorrendo durante esta semana importante e crucial do ministério de Jesus para a humanidade, Ele agora começa a expor sobre sua segunda vinda e os eventos que precederão a ela.

Lucas 21:25-27 "E haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas; e sobre a terra haverá angústia das nações em perplexidade pelo bramido do mar e das ondas. os homens desfalecerão de terror, e pela expectação das coisas que sobrevirão ao mundo; porquanto os poderes do céu serão abalados. Então verão vir o Filho do homem em uma nuvem, com poder e grande glória”.
Jesus está olhando para além da importância deste dia e para o futuro de todos os crentes que viriam a conhecê-Lo. A coisa fascinante sobre Jesus é que Ele simplesmente continua a falar a verdade e as coisas que são necessárias para a nossa salvação, sem ser desviado pelos escribas. Ele não permite que seus ataques ou disputas o afastem para longe do seu propósito real.

7. A trama e a sentença para matar Jesus.
Os judeus estão agora plenamente conscientes de que Jesus ganhou os corações das pessoas e que eles estão perdendo o controle de sua nação. O ciúme e a autoproteção deles estão impedindo-os de receber a revelação de que Jesus é o Messias. O único recurso é matá-Lo. Para fazer isso, eles devem fazê-lo de uma forma bastante enganosa de uma maneira a evitar a histeria em massa. (Lucas 21:38)
Lucas 22:1-2 “Aproximava-se a festa dos pães ázimos, que se chama a páscoa. E os principais sacerdotes e os escribas andavam procurando um modo de o matar; pois temiam o povo”.

Deste ponto em diante a trama é trabalhada em como prender Jesus no momento perfeito, sem causar uma revolta. Judas irá trair Jesus no Jardim e Jesus é levado perante o Sinédrio, que é o mais alto conselho judaico durante o período grego e romano. Durante esse tempo, Jesus é escarnecido e espancado, e Pedro, que já havia tido a grande revelação de quem era Jesus, nega-o. Jesus está passando por um dos seus maiores momentos de rejeição. Ele também é entregue a Pôncio Pilatos, então a Herodes e depois de volta para Pilatos, que emitiu a sentença que os judeus haviam solicitado.
Mateus 27:20 “Mas os principais sacerdotes e os anciãos persuadiram as multidões a que pedissem Barrabás e fizessem morrer Jesus”.

Mateus 27:22-23 “Tornou-lhes Pilatos: Que farei então de Jesus, que se chama Cristo? Disseram todos: Seja crucificado. Pilatos, porém, disse: Pois que mal fez ele? Mas eles clamavam ainda mais: Seja crucificado”.

Conclusão: O que havia em Jesus que fez com que os escribas e os principais sacerdotes o rejeitasse? Era porque eles estavam perdendo o controle e não estavam dispostos a perder? Jesus desafiou todas as suas ideias e filosofia pré-concebidas. A verdade que Ele falava desafiava a segurança e a própria base da sua espiritualidade deles.

Quantos estão por aí hoje em dia que rejeitam Jesus simplesmente porque tem medo de deixar de lado o passado e presente valores?

Como os escribas e os principais sacerdotes foram capazes de influenciar as multidões a rejeitar Jesus depois de segui-lo e até mesmo recebê-lo como o Messias? Eles entendiam e praticavam as táticas de manipulação de balançar o povo.

Lucas 23:23 “Mas eles instavam com grandes brados, pedindo que fosse crucificado. E prevaleceram os seus clamores”.
O que está acontecendo no mundo de hoje, que teria o potencial de atrair os cristãos para longe de seu Senhor? Há muitas vozes através do nosso sistema político, a mídia, o sistema de educação, etc., que estão tentando influenciar as multidões a verdade que Jesus Cristo tem para oferecer.

Assim como eles zombaram de Jesus e o que Ele representava, nós também seremos escarnecidos e ridicularizados. Foi por isso que Pedro negou o Senhor? Será que vamos deixar o som do mundo abafar a voz de Jesus ou vamos abraçar Jesus e Seu sofrimento? Não permitamos que as muitas vozes gritando na cultura de hoje enfraquecer a nossa fé em Jesus Cristo!

Pr. Aldenir Araújo

Gostou desse esboço? Olha a novidade que tenho para você!

Eu preparei um e-book com 365 sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! Clique Aqui para adquirir seu livro.

A Entrada Triunfal – Da Exaltação à Rejeição Reviewed by Aldenir Araujo on quarta-feira, abril 16, 2014 Rating: 5

Nenhum comentário:

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:
1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

All Rights Reserved by O Pregador © 2014 - 2015
Designed by Blogger

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.