Pai, Nas Tuas Mãos Entrego O Meu Espírito

Pai, Nas Tuas Mãos Entrego O Meu Espírito
Texto: Lucas 23:46

Introdução: Esta noite chegamos a última dos sete declarações que nosso bendito Senhor falou enquanto pendurado na cruz. Estas foram as últimas palavras que Jesus falou antes de entregar o espirito e morrer. Como na primeira e na quarta declaração, estas últimas palavras foram oferecidas como uma oração ao Pai celestial.

As últimas palavras de muitos que estavam morrendo foram registradas ao longo da história. Muitas vezes elas revelam muito sobre a mentalidade e condição daqueles que estavam enfrentando a morte. Alguns estão em paz e outros morrem lutando, em tormento. Estas últimas palavras de Cristo revelam muito para nós sobre Sua pessoa, Sua posição, Seu poder e Sua provisão. Ao encerrarmos esta série, quero considerar as últimas palavras que Jesus falou antes de morrer: Pai, Nas Tuas Mãos Entrego o Meu Espírito.

I. A Posição Mencionada

- “Jesus, clamando com grande voz, disse: Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito. E, havendo dito isso, expirou”. Para muitos que viram a cruz naquele dia, provavelmente parecia que um fim trágico havia chegado a um simples homem. Jesus havia sido julgado e condenado à morte na cruz. A maioria daqueles que O seguiram não estavam presentes naquele dia. Poucos que se importavam com ele estavam perto da cruz.

- Claramente Jesus havia falado palavras de compaixão, buscando perdão para aqueles que O haviam ofendido. Ele havia prometido ao ladrão que iria desfrutar o paraíso naquele mesmo dia. Mas houve palavras de angústia também. Jesus clamou: Deus Meu, Deus Meu, Porque Me Desamparaste? Para aqueles que olharam com zombaria, pode parecer que Jesus havia sido abandonado, forçado a morrer sozinho na cruz.

- Nós já discutimos a angústia que Jesus suportou enquanto os pecados do mundo foram colocados sobre Ele. Ali Ele sofreu a ira de Deus pela humanidade, e Ele suportou somente essa ira. Deus havia voltado as costas para o Seu Filho quando Ele levou o nosso pecado, mas Jesus não foi abandonado, sem esperança de qualquer futuro comunhão. Aqui encontramos que Jesus mais uma vez clamou a Seu Pai, revelando Sua posição e o relacionamento que continuaram compartilhando. João 17:4 – “Eu te glorifiquei na terra, completando a obra que me deste para fazer”. Jesus foi totalmente obediente à vontade de Deus.

- Eu não sei sobre você, mas eu acho muito encorajadora essas palavras. Todos nós lidamos com o pecado em nossas vidas. Nós sabemos que o pecado causa separação. Além da salvação, essa separação durará por toda a eternidade. Mas para o crente há consolo nestas palavras. Podemos permitir que o pecado entre em nossas vidas e isso pode impedir nossa comunhão com o Senhor, mas isso não impede nosso relacionamento. Os salvos foram feitos herdeiros da promessa, adotados na família de Deus, para nunca serem abandonados. Se você é um filho de Deus, você sempre será um filho de Deus! João 6:37 – “Todo o que o Pai me dá virá a mim; e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora”.

II. O Poder Mencionado

- “Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito”. Aqui encontramos uma verdade fundamental que não pode ser negligenciada ou super enfatizada. Pilatos e o sinédrio haviam lançado sua voz contra Jesus. A sentença foi declarada e Jesus foi crucificado na cruz. Gostaria de lembrar que não foi Pilatos ou mesmo a elite religiosa que forçou Jesus a carregar a cruz! Jesus não suportou o sofrimento da cruz à vontade dos homens. Ele sofreu os tormentos e a morte da cruz porque esse era o plano de redenção de Deus. Jesus morreu para providenciar nossa salvação!

- Jesus levou a cruz pelo seu próprio poder e morreu de acordo com o seu próprio poder. Isso pode ter sido uma crucificação, mas não foi uma execução. Jesus não foi um homem que suportou circunstâncias que estavam além de seu controle. Ele não estava lá na cruz porque não tinha outra escolha. As coisas não tinham saído do controle resultando em Sua crucificação e morte. Jesus não foi morto ou assassinado, Ele voluntariamente deu a Sua vida. Ele escolheu o momento em que cederia o espirito. Mesmo na morte, Jesus estava no controle total. A cruz é um testemunho de sua soberania!

- Agora, eu não estou fora dos limites da Escritura aqui. A palavra “entrego” em nosso texto significa “colocar ao lado ou perto; colocar diante”. Jesus colocou o Seu Espírito nas mãos do Pai antes de morrer. João 10:17-18 – “Por isto o Pai me ama, porque dou a minha vida para a retomar. Ninguém ma tira de mim, mas eu de mim mesmo a dou; tenho autoridade para a dar, e tenho autoridade para retomá-la. Este mandamento recebi de meu Pai”. Mateus 27:50 – “De novo bradou Jesus com grande voz, e entregou o espírito”. Aqui a palavra entregou significa literalmente “ceder; dar ou permitir”. Jesus não estava à mercê da cruz e da morte que traria. Enquanto Ele estava lá, a morte estava sujeita ao Seu comando e poder!

- Isso deve trazer alegria aos nossos corações hoje. Se Jesus estava no controle do momento exato em que Ele morreria, e Ele estava, Ele tem o poder e a sabedoria para lidar com as questões que enfrentamos. Ele é Deus de todas as coisas, incluindo a morte.

III. A Provisão Mencionada

- Quando Jesus entregou seu espírito a Deus, Ele providenciou nossa redenção. Era assim que tinha que ser. Não havia outras opções, nenhuma outra escolha. Se Cristo não tivesse levado os eventos da cruz até a morte, não teríamos salvação. Ainda estaríamos em nossos pecados e sem esperança de vida eterna. A cruz é o tema central do evangelho. Jesus teve que morrer para que pudéssemos viver. Hebreus 9:22 – “E quase todas as coisas, segundo a lei, se purificam com sangue; e sem derramamento de sangue não há remissão”.

- Não estou de forma alguma menosprezando a cruz ou o sofrimento que Cristo sofreu em meu favor. Foi lá que Ele pagou uma dívida que eu devia, mas não tinha esperança de pagar. Além da cruz, eu ficaria condenado e prestaria contas a Deus pelos meus pecados. Então, por causa disso eu vou me gloriar na cruz. Eu sou grato pela cruz. Gálatas 6:14 - “Mas longe esteja de mim gloriar-me, a não ser na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo está crucificado para mim e eu para o mundo”.

- Vivemos em um dia em que muitos querem remover a cruz. Eles não querem cantar sobre o sangue precioso que foi derramado. Eles não querem pregadores pregando sobre o sofrimento e a morte de nosso Senhor na cruz. É visto como uma religião de "matadouro". Eu não sou teólogo, mas sei que se Cristo não tivesse morrido na cruz, a humanidade permaneceria em pecado, separada de Deus e eternamente condenada. Graças a Deus pela cruz. Louvado seja o Senhor por estar disposto a suportar a cruz. Eu digo, cante-me uma canção sobre Jesus e o sangue que Ele derramou. Pregue-me sobre a redenção do Calvário. É aí que a nossa dívida foi paga.

- João 12:24 – “Em verdade, em verdade vos digo: Se o grão de trigo caindo na terra não morrer, fica ele só; mas se morrer, dá muito fruto”. Romanos 5:6 – “Pois, quando ainda éramos fracos, Cristo morreu a seu tempo pelos ímpios”. Isaias 53:5 – “Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e esmagado por causa das nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados”. 1 Coríntios 15:3 – “Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras”

V. A Oração Mencionada

- “Jesus, clamando com grande voz, disse: Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito. E, havendo dito isso, expirou”. Nesta última oração a Deus, o Pai é muito revelado sobre Deus, o Filho. Como nosso Salvador e Senhor, devemos imitar a vida que Ele viveu. Jamais obteremos Sua santidade nesta vida, mas devemos nos esforçar para sermos mais parecidos com Jesus todos os dias. Vamos considerar o que é revelado nessa oração.

A. Jesus morreu orando a Deus - Nos momentos finais antes de sua morte, Jesus os passou em oração a Deus. Ele usou esses momentos preciosos finais como uma oportunidade de conversar e comungar com o Pai. Ele viveu em oração e morreu em oração. Eu comecei certo e quero terminar certo!

- Você tem que concordar que precisamos ser mais diligentes em nossa oração. Muitas vezes esperamos até que surja uma dificuldade antes de orarmos. Precisamos orar todos os dias. De fato, precisamos estar sempre em atitude de oração! Orar sem cessar.

B. Jesus morreu confiando em Deus - Jesus morreu entregando seu espírito a Deus. Ele havia suportado a cruz, mesmo tendo sido abandonado por algum tempo, mas Sua oração revelou que Sua confiança e esperança em Deus Pai não vacilou.

- Que lição poderosa para aprendermos. Deus é bom e é bom o tempo todo. Deus é soberano e controla todos os aspectos de nossas vidas. Nós devemos confiar nEle no vale da mesmo forma que fazemos na montanha. Nossas circunstâncias podem mudar, mas nosso Deus não muda! Jó 13:15 – “Eis que ele me matará; não tenho esperança; contudo defenderei os meus caminhos diante dele”.

C. Jesus morreu submetido a Deus - Ele nunca se recusou a se submeter à vontade de Deus. Jesus sabia que Ele deveria morrer para que os pecadores pudessem viver e Ele se submetesse a isso. Ele não estava preocupado com o Seu desejo, mas com o de Deus Pai. Isso não quer dizer que Jesus de alguma forma foi menor que Deus na cruz, mas sabemos que Sua humanidade temia o sofrimento.

- Se Jesus estava disposto a se submeter ao sofrimento e à morte, levando nossos pecados em Seu corpo, certamente podemos nos submeter a viver para o Senhor e servi-Lo. É pedir muito para viver para Jesus depois de tudo o que Ele fez por nós e continua a fazer?

D. Jesus morreu honrando a Deus - Ele se submeteu totalmente à vontade de Deus. Não havia uma área que foi deixada por fazer ou uma instância de desobediência. Quando Jesus morreu na cruz, Ele o fez honrando o Pai.

- Isso não te desafia hoje? Você não quer viver uma vida que honre a Deus para que você possa honrá-lo na morte? Se quisermos morrer corretamente, devemos viver corretamente. A única maneira de ter palavras de paz é estar em paz com Deus. Posso garantir que você pode ter essa paz se você fizer do Senhor sua prioridade na vida.

Todos nós temos um tempo determinado para morrer. Hebreus 9:27 – “E, como aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo depois o juízo”, Jesus já suportou a morte para que nós não tenhamos que enfrentar a segunda morte. Você já conhece o Senhor? Houve um momento em sua vida em que você confiou nele para sua salvação?

Cristão você está vivendo certo para que você morra certo? Você está vivendo uma vida que honra o Senhor? Certamente Ele merece nossa submissão e compromisso. Se existe uma necessidade, porque não vir hoje e resolve-la hoje?

Gostou Desse Esboço? Olha a Novidade Que Tenho Para Você!

Eu preparei um E-book Com 365 Esboços de Sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! CLIQUE AQUI para adquirir seu livro.

Pai, Nas Tuas Mãos Entrego O Meu Espírito Pai, Nas Tuas Mãos Entrego O Meu Espírito Reviewed by Aldenir Araújo on abril 24, 2019 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.