A pregação e o pregador – Parte 2
O início da pregação cristã

Jesus Cristo veio pregando e ensinando em todas as aldeias e a todos os povos da Galileia e da Judeia. Chegando na sinagoga de Nazaré, onde tinha sido ensinado quando criança, Jesus declarou sua missão, citando o profeta Isaías, O Espírito do Senhor está sobre mim, porquanto me ungiu para anunciar boas novas aos pobres; enviou-me para proclamar libertação aos cativos, e restauração da vista aos cegos, para pôr em liberdade os oprimidos, e para proclamar o ano aceitável do Senhor. (Lucas 4:18-19).

É importante notar que a missão pública de Cristo foi proeminentemente uma missão de pregação, a proclamação das boas novas que curaria os quebrantados de coração e libertaria os oprimidos.

Jesus assim nos deu um exemplo do ministério de todos os crentes e, especialmente, daqueles que são chamados para pregar. Por esta razão, ele chamou os doze discípulos que receberam o título de apóstolos (enviados). Marcos diz que Jesus designou doze para estarem com ele, e enviou-os a pregar. (Marcos 3:14). É importante observar a sequência de eventos: em primeiro lugar, ele os chamou para estar com ele e, depois disso, ele enviou-os a pregar.
Não sabemos com certeza quanto tempo os apóstolos permaneceram com Jesus antes que ele pudesse envia-los a pregar. Provavelmente foi necessário pelo menos um ano ou mais de tempo para estar constantemente com Jesus, aprendendo com ele, observando-o em seu ministério e pregação, recebendo bem a mensagem antes de sair para pregar. Notamos também que Jesus ensinou-lhes a pregar a mensagem entregue a eles.

Para reflexão

1. Leia novamente Lucas 4:18-19. Nesta passagem, quais foram alguns efeitos da pregação de Jesus?
2. De acordo com Marcos 3:14, antes de sair para pregar, o que os apóstolos fizeram?
3. Como podemos estar com Jesus e conhece-lo bem?