Curando emoções danificadas (Parte 2) - Vitória sobre a culpaTema: Cura interior

Texto: João 8:1-11

Introdução: Todo mundo experimenta sentimentos de culpa, mas, às vezes, eles podem nem mesmo identificar uma razão específica para se sentir digno de culpa.

Uma vaga sensação de condenação rouba-lhes a alegria, segurança e confiança, mas não é assim que Deus projetou a culpa operar.

A história de Jesus e a mulher adúltera é um exemplo de verdadeira culpa (João 8:1-11). Ela estava em pé diante dos escribas e fariseus, sem desculpa. Todo mundo sabia que ela tinha quebrado a Lei de Moisés e da morte merecida, mas quando Jesus desafiou aqueles sem pecado atire a primeira pedra, todos os seus acusadores se afastaram. Ele disse a ela: "Nem eu tampouco te condeno; vai e não peques mais" (v. 11). Jesus não está interessado em condenar-nos, mas remover nossa culpa e purificar nossas vidas.

I. O que é a culpa?

A. A culpa pode ser definida de duas maneiras:
1. Um estado de ter feito algo errado ou ter cometido um delito.
2. Um sentimento doloroso de auto condenação por ter feito algo que reconhecemos como sendo um pecado.

B. A culpa pode ser boa, ruim, verdadeira ou falsa.
1. A culpa boa é recebida quando desobedecemos a Deus. É Sua "luz vermelha" nos dizendo para parar de fazer algo que é desagradável a ele.
2. A culpa ruim é o resultado do pensamento errado, não a ação errada. Por exemplo, algumas igrejas ensinam que ir ao cinema é pecado, mas se um filme é saudável, não há necessidade de se sentir culpado.
3. A verdadeira culpa é um sentimento doloroso recebido como um resultado de fazer algo errado. Exemplos incluem a desobediência de Adão e Eva no jardim, o desejo de Davi por Bate-Seba, e a negação de Pedro.
4. A culpa falsa é uma sensação dolorosa que uma pessoa sente quando ele / ela não cometeu um erro. Por exemplo, uma criança que é abusada pode sentir-se culpada, mesmo tendo sido forçada.

II. As consequências da culpa.

Toda culpa - se é boa, ruim, verdadeira ou falsa - pode levar as pessoas a...
A. Medo de rejeição por Deus. Algumas pessoas sentem que Deus nunca poderia amá-los pelo que eles fizeram.

B. Sentir que o juízo de Deus pode ser iminente. Muitas pessoas vivem com medo de que seus entes queridos ou o emprego poderiam ser tirados deles como punição.

C. Sentir forte ansiedade. A culpa e a preocupação trabalham juntas para fazer as pessoas infelizes.

D. Sentir conduzido na vida. Algumas pessoas trabalham incansavelmente em sua própria força para tentar superar ou compensar o que faz com que se sintam culpados.

E. Ter uma mente dividida. A culpa sempre dificulta a capacidade de uma pessoa se concentrar.

F. Experimenta a diminuição da energia. A culpa é a drenagem que deixa as pessoas se sentindo esgotadas antes mesmo de começar o dia.

G. Sentir uma sensação de autopunição. Pessoas que acreditam que merecem disciplina muitas vezes perdem a oferta de misericórdia e graça de Deus.

H. Sentir uma sensação de insegurança. Aqueles que se sentem separados do Senhor não podem experimentar o Seu amor, proteção e provisão.

I. Experimenta uma vida de oração prejudicada. Satanás é rápido para fazer as pessoas acreditar em sua mentira de que sua culpa significa que Deus não vai ouvir ou responder às suas orações.

J. Experimenta depressão. A culpa produz desespero que paira sobre as pessoas como uma nuvem negra.

K. Sentir vergonha. Não é certo sentir vergonha por culpa falsa ou ruim, só a desobediência a Deus deve fazer as pessoas se sentirem dessa forma.

L. Sentir-se incapaz de ter boas relações com os outros. Encobrir os pecados e fracassos do passado impede as pessoas de ser amorosas e abertas para com os outros.

M. Perde a vontade de Deus. Sem comunhão íntima com o Pai, é impossível seguir a Sua direção.

N. Sofrer de doença física. A culpa sustentada eventualmente afeta as pessoas fisicamente.

III. A libertação da culpa.

Ela começa quando compreendemos a morte vicária de Cristo na cruz. Através do nosso relacionamento com Ele, nós temos o direito e o privilégio e a autoridade de Deus para confessar, arrepender-se e ser purificado do pecado. Jesus já pagou o preço por nós. Cabe a nós...
A. Enfrentar os sentimentos de culpa honestamente.
B. Identificar a causa dos sentimentos de culpa.
C. Confessar e arrepender-se, se for necessário.
D. Escolha aceitar o perdão completo de Deus, baseada na cruz, e não os nossos sentimentos.
E. Reconhecer que receber o perdão não significa que não haverá repercussões. Poderemos ter que lidar com as consequências de nossas ações.
F. Tornar os nossos erros em bênçãos para os outros e dizer-lhes o que Ele tem feito por nós.

Conclusão: Como crentes, nós não temos que viver com a culpa. Então, se é falsa ou verdadeira, temos de lidar com ela, a fim de obter a felicidade, a alegria e a paz que o Pai tem para nós e ser mais capaz de cumprir Seus propósitos para nossas vidas.

Ele está pronto para nos libertar de tudo e qualquer coisa que impede nosso relacionamento com ele.

Veja também:

Gostou Desse Esboço? Olha a Novidade Que Tenho Para Você!

Eu preparei um E-book Com 365 Esboços de Sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá á disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! CLIQUE AQUI para adquirir seu livro.

Postar Comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

Postagem Anterior Próxima Postagem