Porém Eu e a Minha Casa: Vencendo a Batalha Por Sua Família

Porém Eu e a Minha Casa: Vencendo a Batalha Por Sua Família

Texto: Josué 24:15

Introdução: Qualquer outra coisa que possa ser dita sobre o lar, é o resumo final da vida, a bigorna sobre a qual as atitudes e convicções são forjadas. É o lugar onde as contas da vida vencem, a força mais influente em nossa existência terrena.

Vivemos em um mundo que minimiza o valor do lar, casa. Não percebemos o tipo de mundo que nossos filhos enfrentam todos os dias e como as coisas mudaram.

Nossos filhos veem mais, sabem mais, experimentam mais e crescem muito mais rápido. A conversa sobre sexo não é nada para eles porque eles ouvem isso todos os dias. Contra essa realidade, devemos fazer da salvação de nossos filhos nossa prioridade número um. Nada mais é mais importante.

Josué certamente entendia o poder dos pais. Ao chegar ao fim de sua vida, ele convocou os líderes de Israel para uma mensagem final. Sabendo que está a apenas um passo da morte, ele faz um chamado à renovação que começa com uma recitação das bênçãos de Deus no passado (Josué 24:1-13). Então ele desafia o povo a ser fiel a Deus (Josué 24:14-27). No meio de sua mensagem encontramos aquelas palavras emocionantes que foram citadas e memorizadas por mais de 3.000 anos: “Porém eu e a minha casa serviremos ao Senhor” (v. 15). Nessas palavras, e nos versículos que as seguem, encontro cinco decisões que devemos tomar se quisermos que nossa família sirva ao Senhor conosco.

I. Primeira Decisão: Construir Uma Família Baseada na Graça. V. 11-13

A. Ao narrar a história da conquista da Terra Prometida, Josué os lembra do que o Senhor havia feito por eles. (vv. 11-13)

“E quando vós, passando o Jordão, viestes a Jericó, pelejaram contra vós os homens de Jericó, e os amorreus, os perizeus, os cananeus, os heteus, os girgaseus, os heveus e os jebuseus; porém os entreguei na vossa mão. Pois enviei vespões adiante de vós, que os expulsaram de diante de vós, como aos dois reis dos amorreus, não com a vossa espada, nem com o vosso arco. E eu vos dei uma terra em que não trabalhastes, e cidades que não edificastes, e habitais nelas; e comeis de vinhas e de olivais que não plantastes”

B. Josué quer que o povo nunca esqueça que deve tudo a Deus. Afinal, o exército israelita havia vencido batalha após batalha, muitas vezes expulsando o inimigo do campo. Seria natural começar a pensar: “Somos algo especial”. Mas esse pensamento é sempre mortal. Josué sabia que, uma vez que o povo recebesse o crédito por suas vitórias, logo se afastaria completamente do Senhor.

C. Devemos fazer com nossas famílias o que Josué faz com o povo de Israel. É bom rever as bênçãos passadas e fazer um registro escrito da fidelidade de Deus. Precisamos dizer aos nossos filhos: “Querido, você se lembra de quando estava tão doente, oramos a Deus e você melhorou?” “Você se lembra quando papai perdeu o emprego e estávamos com medo, então oramos e Deus deu a ele um novo emprego?” “Você se lembra quando oramos para que Joel e Sheila fossem salvos, e seis meses depois eles aceitaram a Cristo?” Uma boa memória das bênçãos de Deus é um baluarte contra a apostasia.

D. Deus te abençoou? Anote. Pense muitas vezes sobre isso. Conte para seus filhos, sua família, seus amigos. Passe adiante para que as gerações seguintes possam contar a história depois que você for para o céu.

II. Segunda Decisão: Ensinar Minha Família a Adorar a Deus. V. 14a

A. “Agora, pois, temei ao Senhor” (Josué 24:14a). Quando pensamos no temor do Senhor, muitas pessoas têm a ideia de se encolher de terror. O conceito bíblico é muito mais amplo do que isso. Temer ao Senhor significa ter um respeito tão profundo por Deus que queremos agradá-lo em tudo o que fazemos. Um escritor diz que se refere à “devoção interior” que nos leva a honrar a Deus.

B. Como compartilhamos essa “devoção interior” com nossa família? É mais uma atmosfera do que um programa. Quando os pais realmente temem a Deus, seus filhos aprenderão a temê-lo também. Quando eles amam o Senhor, será natural que os filhos também o amem. Quando cantam hinos, seus filhos aprendem a letra. Quando eles oram, seus filhos vão orar silenciosamente com eles.

C. Os homens têm uma grande responsabilidade nesta área. Estou falando com pais, maridos, avôs, bisavós e tios. Também estou falando com jovens, rapazes do ensino médio, universitários, rapazes solteiros e solteiros mais velhos. Homens de todas as idades, começa com você. Por muitos anos, delegamos liderança espiritual às mulheres enquanto saíamos pelo mundo para ganhar a vida. Colocamos um fardo sobre as mulheres que Deus nunca quis que elas carregassem sozinhas. Deus quis que a liderança espiritual fosse um fardo compartilhado, mas os homens devem tomar a iniciativa se realmente queremos a bênção de Deus.

D. Recentemente vi uma famosa pintura de Norman Rockwell. Ela mostra uma família suburbana indo para a igreja, liderada pela irmã mais velha seguida pela mãe que é seguida pela irmã mais nova. Todas as três mulheres estão vestidas para a igreja. Seguindo-os está um menino que parece estar indo com alguma relutância. Qual é o problema? No centro da pintura está o querido pai velho caído em um sofá, de pijama, lendo o jornal com um cigarro na mão. Enquanto o menino passa, ele lança um olhar ansioso para seu pai. Ele vai à igreja, mas prefere estar com o pai.

E. Homens, quando aprenderemos que nossas ações falam mais alto que nossas palavras?

III. Terceira Decisão: Torne-se um Estudante de Obediência. V. 14b

“...e servi-o com sinceridade e com verdade; deitai fora os deuses a que serviram vossos pais dalém do Rio, e no Egito, e servi ao Senhor” (v. 14b).

A. A palavra “servir” é usada de várias formas seis vezes em dois versículos. Este é obviamente o fardo no coração de Josué. Ele quer que as pessoas escolham voluntariamente servir ao Senhor. Ele especifica o que isso significa quando acrescenta “com sinceridade”. Cada área da vida deve ser entregue ao senhorio de Cristo. “Com sinceridade” significa que não pode haver “quartos escondidos” que reservamos para nós mesmos. Significa deixar de lado os falsos deuses adorados pelos pagãos. Matthew Henry os chama de “divindades do monturo” porque eles não têm poder para salvar, apenas o poder de corromper.

IV. Quarta Decisão: Lembre-se de Sua Herança Espiritual. V. 15.

A. Esses versículos me fizeram refletir quando os li pela primeira vez. Então entendi que Josué estava apelando para o senso democrático de seus ouvintes. Ele lhes oferece uma série de escolhas. Primeiro, o verdadeiro Deus. Em seguida, os deuses além do rio (significando o rio Eufrates), referindo-se aos deuses de Ur dos caldeus. Esses seriam os deuses da tradição antiga – o deus da lua e o deus do sol. Em seguida, os deuses do Egito, ou seja, os deuses do sol, chuva, escuridão e desastres naturais. Em seguida, os deuses dos amorreus, ou seja, os deuses da fertilidade e do prazer sexual.

B. Faça a sua escolha. Se você não quer escolher o Deus vivo e verdadeiro, então volte para os falsos deuses que você costumava adorar. Volte para Ur, se quiser. Algumas pessoas preferem os deuses deste mundo ao único Deus verdadeiro da Bíblia. Seus olhos estão tão cegos pelo pecado e seu coração tão dado à indulgência carnal que preferem beber da fossa do pecado do que beber da Água da Vida.

C. Aqui vemos a genialidade da religião bíblica. Não precisamos tentar coagir as pessoas a servir ao Senhor. Se eles preferem algum outro caminho, então que assim seja. É quase sempre um erro forçar demais as pessoas quando tentamos ganhá-las para Cristo. Não temos nada a temer e tudo a ganhar apresentando as opções e dando às pessoas o direito de tomar suas próprias decisões.

V. Quinta Decisão: Escolha Diariamente Servir ao Senhor. V. 15b

A. “Porém eu e a minha casa serviremos ao Senhor” (Josué 24:15b). Esta é uma das declarações mais famosas do Antigo Testamento, e com razão porque expressa o coração de um grande líder espiritual no final de sua vida. Nestas palavras simples encontramos a vontade de Deus expressamente declarada. Devemos servir ao Senhor e fazer tudo ao nosso alcance para que nossa família siga nosso exemplo.

B. Matthew Henry disse que servir ao Senhor envolve “séria piedade”. Essa frase capta o espírito das palavras de Josué. Se vamos fazer o que ele fez e dizer o que ele disse, isso significará “séria piedade” para todos nós.

C. Observe várias implicações.

1. Primeiro, cada um de nós deve decidir pessoalmente servir ao Senhor. Eu não posso escolher por você nem você por mim. Precisamos de uma geração de Josué que fará essa escolha por si mesmo.

2. Em segundo lugar, os pais têm uma obrigação especial de dar o exemplo certo nesta área. Dificilmente podemos esperar que nossos filhos sirvam a Cristo quando levamos nossos deveres com leviandade.

3. Terceiro, os pais têm a maior obrigação. Quando meu filho estava crescendo, as pessoas costumavam dizer que ele os lembrava de mim. Há um fardo pesado implícito nessas palavras. Se é verdade que a maçã nunca cai longe da árvore, então é melhor eu ter certeza de que a árvore está saudável, ou então como será o fruto?

VI. Um Tempo Para Escolher

Estou impressionado com a ousadia de Josué:

1. Esta é uma declaração pública: “Porém eu”. Ele quer dizer: “Eu não me importo com o que o resto de vocês faz. Eu vou servir ao Senhor”. Mesmo sendo o líder da nação, ele estava disposto a se separar de seu próprio povo nesta questão fundamental. Todos nós temos que dizer isso mais cedo ou mais tarde. Acontece conosco se somos funcionários de escritório, executivos, líderes de negócios, professores, estudantes, trabalhadores formais ou simplesmente lidando com nossos amigos, familiares e vizinhos. Se você seguir a Cristo, chegará um momento em que deverá dizer: “Faça o que quiser, e faça o que fizer, ainda serei seu amigo, mas vou servir ao Senhor”.

2. Esta é uma decisão pessoal: “Porém eu” No final se resume a isso. Você deve escolher servir ao Senhor. Isso não acontecerá por acaso e não pode ser herdado de seus pais. Eles podem lhe dar a herança, mas em algum momento você deve torná-la sua.

3. Esta é uma declaração persuasiva: “Porém eu e a minha casa”. Esta pode ser a coisa mais incrível de todas. Aqui Josué fala como o líder designado por Deus para sua família. Ele reivindica o direito de falar por sua esposa, seus filhos, seus netos, seus bisnetos e até mesmo por seus servos. Todo homem cristão deve fazer uma declaração semelhante sobre a família que Deus lhe deu.

4. Esta é uma declaração positiva: “Serviremos ao Senhor”. Isso é mais do que uma declaração sobre o abandono de outros deuses, embora isso esteja implícito. Isso significa que a família de Josué se orientará em torno da adoração ao Deus de Israel. Sua lei será a lei deles, seus mandamentos serão seu deleite, sua adoração seu objetivo mais alto e sua glória seu objetivo final.

Josué não diz “Minha casa sem mim”, que seria como aquela famosa pintura de Norman Rockwell. Nem diz: “Eu sem minha casa”, o que seria um tipo diferente de hipocrisia. Ambos estão unidos como Deus planejou. “Vou servir ao Senhor, e minha família se une a mim nesta promessa”.

Como pode um homem ter tanta certeza sobre sua família? Josué podia falar assim porque os havia ensinado bem por muitos anos. E ele sabia de seu próprio compromisso pessoal com o Deus que ele adorava. Que nenhum homem leia estas palavras e pense que pode viver descuidadamente e no final de sua vida pedir a Deus que salve sua família. Viver dessa maneira e depois orar desesperadamente no final é presumir a graça de Deus.

VII. Você Tem Que Servir a Alguém

A. Deixe-me fazer a pergunta desta forma. Posso garantir que meus filhos e netos seguirão meus passos e servirão ao mesmo Senhor que adoro? A resposta é não, porque Deus deu a cada um de nós a capacidade de fazer nossas próprias escolhas. Todos nós conhecemos casos tristes em que pais piedosos produziram filhos que não serviram a Cristo. O que significa, então, este texto? Pais piedosos podem inclinar a balança na direção certa. Não podemos garantir o que nossos filhos farão, mas podemos proporcionar uma atmosfera de “séria piedade” mais alegria sincera que torna mais fácil escolher Cristo do que escolher o caminho do mundo.

B. Sua mente está decidida? Você está pronto para servir ao Senhor? Você sabe onde você está com Deus? A aplicação não poderia ser mais clara: “Escolham hoje a quem vão servir”. Nas palavras de Bob Dylan,

“Você vai ter que servir a alguém

Bem, pode ser o diabo ou pode ser o Senhor

Mas você vai ter que servir a alguém”

C. Ninguém pega carona, e ninguém pode ficar em cima do muro para sempre.

D. Não há espaço para neutralidade. Toda pessoa precisa de um Deus, e toda pessoa deve servir ao Deus que escolher. Se você optar por não escolher, você já fez sua escolha. Você não pode escolher o verdadeiro Deus por padrão ou por herança.

Conclusão: Faça a sua escolha. Dê seu voto. Escolha o seu Deus. Porém eu e a minha casa serviremos ao Senhor.

Postar um comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

Postagem Anterior Próxima Postagem
Gostou Desse Esboço? Olha a Novidade Que Tenho Para Você!

Eu preparei um E-book Com 365 Esboços de Sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! CLIQUE AQUI para adquirir seu livro.