A Parábola do Tesouro Escondido

A Parábola do Tesouro Escondido
Texto: Mateus 13:44

Introdução

A. Os noticiários tem estado repleto de eventos que abalaram o mundo recentemente - coronavírus, inflação, corrupção, urnas eletrônicas, CPI e muitos outros problemas nacionais e internacionais delicados. Mas o evento que chamou a atenção de todo o mundo é a crise no Oriente Médio. Os judeus e os árabes estão envolvidos em uma luta de vida ou morte e, seja como for, as consequências serão de abalar o mundo.

B. Estudiosos da Bíblia, que são futuristas e pré-milenistas em sua teologia, fizeram algumas declarações ousadas a respeito de Israel. Eles disseram que este minúsculo país de Israel ganhou sua terra prometida em nossos dias e que nunca mais a perderá porque Deus é por Israel. Sei que Deus é por Israel, mas não posso ter certeza de que ele vencerá todas as suas guerras ou nunca perderá sua terra atual. Israel, como o conhecemos hoje, poderia ser derrotado pelos árabes se Deus quisesse, mas sabemos pelas escrituras que Deus tem um propósito soberano para Israel e no tempo de Deus isso será cumprido.

NOTA: O propósito espiritual de Deus para Israel começa próximo ou no segundo advento de Jesus Cristo. Seu propósito começa quando Israel é uma nação convertida.

C. Eu acredito que a Parábola do Tesouro Escondido nos dá uma dica sobre os tratos de Deus com Israel na era presente e na era por vir. Todas as parábolas em Mateus 13 são sobre os mistérios do reino e nos dizem como o reino se desenvolverá enquanto o Rei e Seu reino terreno estiverem ausentes deste mundo.

NOTA: Essas parábolas nos dão um vislumbre dos bastidores da história em fatores e forças que estão em ação hoje. A Bíblia é um livro único; é inspirado por Deus. Sempre que abrimos nossas Bíblias, devemos ter a sensação de que este é um livro que nos dá informações vitais e internas que não podemos obter de nenhuma outra fonte. A Bíblia nos dá a chave do mistério da história.

NOTA: Quero dizer novamente que não posso ser dogmático em minha interpretação desta parábola porque o Senhor não dá nenhuma interpretação divina. Algumas das coisas que digo podem ser especulativas e subjetivas.

D. Uma observação muito importante é que as três parábolas restantes, que incluem a Parábola do Tesouro Escondido, foram dadas apenas aos discípulos (13:36). As primeiras quatro parábolas foram faladas às multidões não salvas. Há algo significativo nisso. Essas parábolas foram dadas a homens de fé porque tratam dos planos e propósitos de Deus que dizem respeito a todos os verdadeiros crentes.

Mateus 13:36: “Então Jesus, deixando as multidões, entrou em casa. E chegaram-se a ele os seus discípulos, dizendo: Explica-nos a parábola do joio do campo”

I. A Parábola. 14:44

“O reino dos céus é semelhante a um tesouro escondido no campo, que um homem, ao descobri-lo, esconde; então, movido de gozo, vai, vende tudo quanto tem, e compra aquele campo”

II. A Interpretação

A. Existem dois símbolos que são facilmente identificáveis ​​nesta parábola - o homem e o campo. Das outras parábolas podemos concluir que o homem é Cristo e o campo é o mundo, o mundo da sociedade.

NOTA: Este homem encontrou um tesouro escondido na sociedade. O tesouro foi perdido no mundo humano, mas o homem o descobriu. Então ele fez uma coisa incrível. Ele cobriu tudo de novo, ele enterrou. Então ele saiu e vendeu tudo o que tinha para comprar o tesouro e o campo onde o tesouro estava enterrado.

NOTA: Esta parábola nos diz que Cristo descobriu um tesouro, mas o enterrou novamente e este tesouro permanece escondido, e lá permanecerá até o fim dos tempos que culminará no segundo advento de Cristo.

B. O que poderia ser esse tesouro? O que é tão valioso para Cristo que Ele venderia tudo para comprar este tesouro? Posso sugerir que o tesouro é Israel. Esses discípulos judeus de Cristo ligariam imediatamente a ideia de um tesouro com o ensino do Antigo Testamento sobre Israel. Israel é duas vezes declarado como um tesouro que pertence a Deus (Êxodo 19:5; Salmo 135:4). Israel, o tesouro de Deus, é de grande e inestimável valor e importância para Deus.

NOTA: Por que Israel é tão valioso para Deus? Porque Deus os escolheu como um povo peculiar para servi-Lo (Deuteronômio 7:7-8; 14:2). Deus escolheu Israel e fez certas promessas a eles e essas promessas são eficazes para os judeus que são verdadeiros e crentes no Messias, Jesus Cristo. Deus tem planos e propósitos para Israel e eles não serão alterados. Mas esses planos são apenas para judeus crentes!

Êxodo 19:5: “Agora, pois, se atentamente ouvirdes a minha voz e guardardes o meu pacto, então sereis a minha possessão peculiar dentre todos os povos, porque minha é toda a terra”

Salmo 135:4: “Porque o Senhor escolheu para si a Jacó, e a Israel para seu tesouro peculiar”

Deuteronômio 7:7-8: “O Senhor não tomou prazer em vós nem vos escolheu porque fôsseis mais numerosos do que todos os outros povos, pois éreis menos em número do que qualquer povo; mas, porque o Senhor vos amou, e porque quis guardar o juramento que fizera a vossos pais, foi que vos tirou com mão forte e vos resgatou da casa da servidão, da mão de Faraó, rei do Egito”

Deuteronômio 14:2: “Porque és povo santo ao Senhor teu Deus, e o Senhor te escolheu para lhe seres o seu próprio povo, acima de todos os povos que há sobre a face da terra”

C. Um ouvinte alerta diria: “Por que Deus não está cumprindo Suas promessas agora a Israel? O propósito de Deus falhou? " Para responder a essa pergunta, devemos voltar ao Antigo Testamento e à história do Novo Testamento a respeito dos judeus. Originalmente, Deus escolheu Israel para ser Seu povo para que eles refletissem Sua santidade e fossem uma testemunha para o mundo sobre Aquele, o Verdadeiro Deus e o Messias que redime o homem. Israel, entretanto, era um povo obstinado e rebelde que não se submeteria a Deus apesar de tudo o que Deus havia feito por eles na graça. Quando Israel foi obediente, Deus abençoou, mas sua desobediência causou grande falta de poder e eles foram severamente disciplinados, a ponto de serem expulsos de sua terra pelos inimigos ao redor. Houve momentos na história de Israel em que era uma grande nação, especialmente nos dias do Rei Davi e do Rei Salomão, mas sua glória foi perdida porque Israel perdeu de vista seu Deus. Na época do Novo Testamento, Israel era uma nação pequena, impotente e subjugada.

D. Quando o Senhor Jesus, o Messias, veio ao mundo e veio a Israel, Ele descobriu que esse tesouro havia sido perdido para o mundo. Por mais de 400 anos, Israel foi uma nação pequena e obscura. Nenhuma voz de Deus estivera em seu meio; nenhum profeta proclamou revelação divina. A glória da nação se foi. Era uma nação subjugada pelos romanos com punhos de ferro. A nação estava em cativeiro, o templo estava corrompido com cambistas e charlatões que ganhavam muito dinheiro com a religião. A nação estava doente espiritual, política e economicamente. A pobreza e a miséria eram crescentes em todo o país.

E. Quando Cristo encontrou Israel em Seu primeiro advento, Ele o descobriu. Ele descobriu o tesouro por um curto período. Ele revelou por um curto espaço de tempo a glória que era legitimamente de Israel. O tão esperado Messias estava no meio de Israel e a bênção de Israel só poderia vir quando eles estivessem corretamente relacionados com o Messias pela fé. Cristo, o Messias, curou os enfermos, ensinou a justiça, purificou o templo e fez tantos milagres que ninguém poderia contá-los. Ele revelou como Israel será quando Israel finalmente se voltar para o Messias. Nos curtos 3 anos e meio de Seu ministério público, Cristo descobriu um pouco da glória que será de Israel quando se voltar para o Messias.

NOTA: O segredo da vida de Israel é sua obediência a Deus por meio da submissão ao Messias que é Jesus Cristo. O que vemos atualmente em Israel hoje é um retorno carnal de Israel à terra; é um movimento sionista, mas não é um movimento espiritual de forma alguma. Não está relacionado ao Messias. Na verdade, a maioria dos judeus desistiu de qualquer esperança em um messias pessoal.

F. A parábola diz que Cristo cobriu ou enterrou o tesouro novamente. Por quê? Porque a nação como um todo rejeitou o Messias. À medida que a nação começou a rejeitar a pessoa de Cristo, a obra e a mensagem de Cristo começaram a mudar o ímpeto de Sua mensagem. Ele não pregava mais que “o reino dos céus está próximo”, mas começou a pregar mais e mais aos gentios, oferecendo os benefícios espirituais de Seu reino a eles.

NOTA: A oposição de Israel tornou-se tão intensa que nosso Senhor se retirou de Jerusalém e se recusou a ir para a capital novamente até que chegasse a hora marcada para morrer. Por fim, no tempo determinado, Cristo voltou a Jerusalém, pois era ali que Ele seria crucificado para cumprir a profecia do Antigo Testamento. Quando voltou a Jerusalém, pronunciou palavras solenes de julgamento contra a nação de Israel e seus líderes religiosos. Em Mateus 23, Cristo pronuncia uma série de aflições contra os escribas e fariseus. Repetidamente Ele disse: "Ai de vocês, escribas e fariseus, hipócritas!" Quando Cristo entrou em Jerusalém montado em um jumento, apenas um punhado de pessoas, principalmente mulheres e crianças, gritou: “Hosana! Bendito o que vem em nome do Senhor!” Cristo, vendo a nação em rebelião com grande ódio em seu coração para com o Messias, lamentou com choro incontrolável sobre a condição espiritual de Israel (Mateus 23:37). Então Cristo interrompeu os sacrifícios no templo e declarou que o reino havia sido tirado de Israel e dado a outra nação (Mateus 21:43). Por causa da desobediência, Israel novamente perdeu o reino. O golpe final veio quando Pilatos apresentou Cristo aos judeus e disse: "Eis o teu Rei!" Mas eles não queriam ter nada a ver com Cristo, o Messias (João 19:15). Depois de 70 d.C., Israel e Jerusalém foram arrasados ​​pelo general romano Tito e os judeus foram expulsos de suas terras e espalhados por todo o mundo.

Mateus 23:37: “Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, apedrejas os que a ti são enviados! quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta os seus pintos debaixo das asas, e não o quiseste!”

Mateus 21:43: “Portanto eu vos digo que vos será tirado o reino de Deus, e será dado a um povo que dê os seus frutos”

João 19:15: “Mas eles clamaram: Tira-o! tira-o! crucifica-o! Disse-lhes Pilatos: Hei de crucificar o vosso rei? responderam, os principais sacerdotes: Não temos rei, senão César

G. Podemos concluir disso que Deus desistiu de Israel; que Suas promessas agora são inválidas para Israel por causa de sua rebelião? Não é assim, pois Deus nunca se esquece de Israel porque Israel ainda é o povo escolhido de Deus (Isaías 44:21). Deus cumprirá Suas promessas a Israel em algum momento no futuro. O tesouro está atualmente escondido. Israel está coberto agora, mas Deus não se esqueceu de Israel porque Ele cumpre todas as Suas promessas. Israel perdeu o segredo de suas vidas - a obediência ao Messias - e Deus colocou a nação de lado. Agora Deus está trabalhando com a Igreja. A nação de Israel esteve oculta por 1900 anos, mas um dia Cristo desenterrará o tesouro novamente e Israel terá um futuro.

NOTA: O futuro de Israel é o que levou o apóstolo Paulo a escrever Romanos 9, 10 e 11. Deus ainda não terminou com Israel (Romanos 11:1). Cristo tem Seu plano para Israel oculto nesta era, mas ainda tem um propósito para Israel. Bem antes ou no segundo advento de Cristo, aquela geração de judeus que sobreviver ao período da Grande Tribulação será soberanamente convertida por Deus e todo o Israel será salvo. As promessas feitas a Israel no Antigo Testamento serão cumpridas na última geração de judeus antes do segundo advento. Neste momento, todos os israelitas crentes serão salvos (Romanos 11:25-28).

NOTA: Deus cumprirá Seu grande propósito para Israel no futuro e Israel será uma grande bênção para o mundo (Romanos 11:11-12).

Isaías 44:21: “Lembra-te destas coisas, ó Jacó, sim, tu ó Israel; porque tu és meu servo! Eu te formei, meu servo és tu; ó Israel não te esquecerei de ti”

Romanos 11:1: “Pergunto, pois: Acaso rejeitou Deus ao seu povo? De modo nenhum...”

Romanos 11:25-28: “Porque não quero, irmãos, que ignoreis este mistério (para que não presumais de vós mesmos): que o endurecimento veio em parte sobre Israel, até que a plenitude dos gentios haja entrado; e assim todo o Israel será salvo, como está escrito: Virá de Sião o Libertador, e desviará de Jacó as impiedades; e este será o meu pacto com eles, quando eu tirar os seus pecados. Quanto ao evangelho, eles na verdade, são inimigos por causa de vós; mas, quanto à eleição, amados por causa dos pais”

Romanos 11:11-12: “Logo, pergunto: Porventura tropeçaram de modo que caíssem?” (Isto é, Israel obviamente tropeçou naquela época, mas será que eles caíram completamente?). De maneira nenhuma, antes pelo seu tropeço veio a salvação aos gentios, para os incitar à emulação” (isto é, quando Deus separou Israel, ele permitiu que sua palavra fosse enviada diretamente aos povos gentios em todos os lugares para que eles pudessem ser os demonstração visível de como Deus pode curar e cumprir a vida humana, e Israel estava assistindo - pelo menos os judeus individualmente estiveram, o tempo todo). “Ora se o tropeço deles é a riqueza do mundo, e a sua diminuição a riqueza dos gentios, quanto mais a sua plenitude” (Ou seja, quando Israel voltar ao seu relacionamento correto com Deus, quantas mais bênçãos este mundo compreenderá e perceberá quando virem trabalhar diante de seus olhos a nação escolhida a dedo por Deus!)

H. A parte mais significativa desta parábola é que Cristo teve grande alegria em Seu coração, saiu e vendeu tudo o que tinha para comprar Israel. Isso fala da expiação de Cristo pelo pecado que foi feita para comprar todos os verdadeiros israelitas que creem. Deus promete redimir Israel na Nova Aliança (Jeremias 31:31-34). Deus deveria ter destruído todos os israelitas e lançado no lago de fogo por sua rejeição ao Messias. Deus deveria ter quebrado Sua aliança com Israel, mas não o fez porque Deus é fiel, amoroso, justo e imutável. Deus cumprirá Suas promessas a Israel com a última geração de judeus antes do segundo advento de Cristo. Cristo estabeleceu a Nova Aliança quando morreu no Calvário, mas aplicará os benefícios da Nova Aliança a Israel quando eles se voltarem para o Messias pela fé.

NOTA: Mas observe que diz que Cristo comprou todo o campo no qual o tesouro estava escondido. Cristo redime o mundo inteiro? Não! Mas o cumprimento final desta parábola será no segundo advento, e os crentes que sobreviverem à Grande Tribulação, sejam judeus ou gentios, serão convertidos. Todos os crentes no mundo naquela época serão introduzidos no reino de Cristo. Somente os crentes podem entrar no reino de Cristo e estes são aqueles que Cristo comprou com Seu próprio sangue.

NOTA: No reino de Cristo, Israel liderará o mundo em justiça e paz e Jerusalém será o centro da justiça quando todos os santos de todos os tempos estarão com Cristo em Seu reino.

Jeremias 31:31-34: “Eis que os dias vêm, diz o Senhor, em que farei um pacto novo com a casa de Israel e com a casa de Judá, não conforme o pacto que fiz com seus pais, no dia em que os tomei pela mão, para os tirar da terra do Egito, esse meu pacto que eles invalidaram, apesar de eu os haver desposado, diz o Senhor. Mas este é o pacto que farei com a casa de Israel depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei a minha lei no seu interior, e a escreverei no seu coração; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo. E não ensinarão mais cada um a seu próximo, nem cada um a seu irmão, dizendo: Conhecei ao Senhor; porque todos me conhecerão, desde o menor deles até o maior, diz o Senhor; pois lhes perdoarei a sua iniquidade, e não me lembrarei mais dos seus pecados”

I. Deus tem um futuro para Israel em Seu plano soberano e um dia esse plano será uma realidade. Podemos confiar na Palavra de Deus.

Conclusão

A. A Parábola do Tesouro Escondido nos ensina que Deus é fiel para cumprir Suas promessas. Ele nunca falha, mesmo se o homem for desobediente. O mesmo Deus que um dia salvará Israel está agora salvando todos os tipos de homens, tanto judeus como gentios, e os tornando parte da Igreja. Judeus e gentios na era presente devem confiar em Cristo, o Messias, se quiserem ser salvos e evitar a ira eterna de Deus.

B. Cristo promete salvar todos os que vêm a Ele pela fé. Ele promete salvar quando uma pessoa crê no Messias, Jesus Cristo (João 6:37; João 5:24; João 11:25; Mateus 11:28, 29).

João 6:37: “Todo o que o Pai me dá virá a mim; e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora”

João 5:24: “Em verdade, em verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna e não entra em juízo, mas já passou da morte para a vida”

João 11:25: “Declarou-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que morra, viverá”

Mateus 11:28-29: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para as vossas almas”

C. Eu o desafio a confiar em Cristo esta noite. Se você genuinamente vier a Cristo, Deus não voltará atrás em Sua palavra e Ele o salvará.

Postar um comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

Postagem Anterior Próxima Postagem
Gostou Desse Esboço? Olha a Novidade Que Tenho Para Você!

Eu preparei um E-book Com 365 Esboços de Sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! CLIQUE AQUI para adquirir seu livro.