A Parábola do Fermento

A Parábola do Fermento
Texto: Mateus 13:33

Introdução

A. Muitas pessoas que olham para a Igreja Cristã visível dizem: “Onde está o poder e a dinâmica que a Igreja Cristã deve exibir? Por que a igreja é tão fria e sem vida? Por que os cristãos falam sobre o sobrenaturalismo, mas vivem como naturalistas? A Igreja do Século XXI afirma ser teísta, mas muitas vezes age como ateu porque não confia no Deus soberano e amoroso que afirma seguir”

B. A Parábola do Fermento nos dá uma explicação sobre a baixa condição espiritual da igreja visível em nossos dias. Lembre-se de que a interpretação desta parábola vem de meu próprio entendimento, mas não posso ser absolutamente dogmático de que meu entendimento está correto porque o Senhor não nos dá uma interpretação para esta parábola.

C. A título de revisão, vamos lembrar que nosso Senhor está apresentando algumas verdades sobre os mistérios do reino dos céus. Há uma operação misteriosa do reino na era presente com o Rei e Seu reino terreno ausentes. A Parábola do Fermento tem por objetivo ensinar algo sobre o desenvolvimento do reino entre o primeiro e o segundo advento de Cristo.

I. A Parábola 13:33

“Outra parábola lhes disse: O reino dos céus é semelhante ao fermento que uma mulher tomou e misturou com três medidas de farinha, até ficar tudo levedado”

II. A Interpretação

A. Introdução: Esta parábola nos fala sobre uma mulher que usa um truque furtivo; ela faz algo que não está certo. Ela coloca fermento em três medidas de farinha. Bem, isso pode não significar muito para você e para mim, mas teria um grande significado para um judeu, pois ele relacionaria esse incidente com sua formação e tradição judaica.

B. A Farinha:

1. Um judeu provavelmente faria uma conexão das três medidas de farinha com algo em sua religião. A multidão de judeus a quem Cristo estava propondo essa parábola provavelmente a relacionaria com a oferta de farinha. A oferta de farinha no Antigo Testamento consistia em três medidas de farinha, prescritas com precisão para serem sem fermento. Ou seja, a farinha não deveria conter fermento algum. A oferta de farinha falava da comunhão de Deus com o povo.

2. Três medidas de farinha são muito comuns no Antigo Testamento. Primeiro, o judeu provavelmente se lembraria de Gênesis 18, onde três medidas de farinha são mencionadas pela primeira vez na Bíblia. Abraão estava nos carvalhos de Manre um dia, e olhou pela porta e viu três estranhos se aproximando. Ele foi ao seu encontro e ofereceu-lhes hospitalidade. Ele deu-lhes as boas-vindas e ofereceu-lhes três medidas de farinha assada no pão que Sara havia feito. Durante a conversa, de repente ocorreu a Abraão que o próprio Deus o estava visitando, acompanhado por dois anjos. Em segundo lugar, no Livro dos Juízes, Gideão foi confrontado com o Anjo de Deus e trouxe ao anjo uma oferta de três medidas de farinha. Terceiro, quando Ana, a mãe de Samuel, foi adorar a Deus no templo, ela levou consigo uma oferta de três medidas de farinha sem fermento.

3. O símbolo das três medidas de farinha fala de sua comunhão de Deus com Seu povo e sua comunhão uns com os outros. É uma imagem do povo de Deus compartilhando a vida e comunhão de Deus.

NOTA: Este princípio de compartilhar a vida de Deus uns com os outros é verdadeiro para a igreja (I Coríntios 1:9; I João 1:3). É a vontade de Deus que os cristãos amem uns aos outros, aceitem uns aos outros, carreguem os fardos uns dos outros, sustentem uns aos outros e compartilhem juntos a vida de Cristo.

NOTA: A igreja primitiva tinha "todas as coisas em comum" e a palavra "comum" significa "comunhão". Eles tinham unidade e comunhão no Corpo de Cristo. Perdemos muito desse espírito na igreja porque o fermento entrou na igreja.

I Coríntios 1:9: “Fiel é Deus, pelo qual fostes chamados para a comunhão de seu Filho Jesus Cristo nosso Senhor”

I João 1:3: “sim, o que vimos e ouvimos, isso vos anunciamos, para que vós também tenhais comunhão conosco; e a nossa comunhão é com o Pai, e com seu Filho Jesus Cristo”

C. O fermento

1. O judeu reconheceria rapidamente o significado do fermento. O fermento é usado 98 vezes na Bíblia e apenas em duas referências ele se refere a algo bom. Em quase todos os casos, refere-se a algo mau ou ruim (Êxodo 7:14-15).

NOTA: O fermento permeia a farinha e faz com que a farinha ou pão inche, inche e destrói o propósito original da farinha. O pão fermentado também fica velho mais rápido do que o pão sem fermento, então podemos ver que o fermento tem uma influência perturbadora e corruptora.

2. Todos nesta multidão de judeus sabiam que a mulher não devia colocar fermento nessas três medidas de farinha, porque o fermento estragaria a farinha.

NOTA: Simbolicamente, o fermento ou o mal permeia a farinha que fala da comunhão de Deus com seu povo e da comunhão de Seu povo uns com os outros. O mal corrompe, rompe e destrói a comunhão dos verdadeiros crentes.

D. A Mulher

1. Na Bíblia, uma mulher é frequentemente usada para simbolizar autoridade religiosa e isso é especialmente verdadeiro no Novo Testamento (Apocalipse 2:20; Apocalipse 17:3-5). Esta mulher pode simbolizar um sistema religioso falso. Em nosso estágio atual do reino, isso se refere à falsa igreja professa que não é genuinamente cristã. A falsa igreja usa o título “Cristão”, mas é realmente anticristã.

Apocalipse 2:20: “Mas tenho contra ti que toleras a mulher Jezabel, que se diz profetisa; ela ensina e seduz os meus servos a se prostituírem e a comerem das coisas sacrificadas a ídolos”

Apocalipse 17:3-5: “Então ele me levou em espírito a um deserto; e vi uma mulher montada numa besta cor de escarlata, que estava cheia de nomes de blasfêmia, e que tinha sete cabeças e dez chifres. A mulher estava vestida de púrpura e de escarlata, e adornada de ouro, pedras preciosas e pérolas; e tinha na mão um cálice de ouro, cheio das abominações, e da imundícia da prostituição; e na sua fronte estava escrito um nome simbólico: A GRANDE BABILÔNIA, A MÃE DAS PROSTITUIÇÕES E DAS ABOMINAÇÕES DA TERRA”

2. Essa mulher está fazendo algo sorrateiro ou astuto. Ela está escondendo fermento na farinha, o que simplesmente não era feito por um judeu. Simbolicamente, podemos dizer que a mulher está tentando destruir a comunhão de Deus com Seu povo e o povo de Deus uns com os outros.

NOTA: A igreja professa está constantemente semeando o mal na verdadeira igreja com o objetivo de destruir a comunhão do povo de Deus uns com os outros. A falsa igreja está tentando destruir a verdadeira igreja e usará todo e qualquer meio para atingir esse fim.

NOTA: À medida que avançamos em direção ao final desta era, o conflito entre a igreja verdadeira e a falsa se tornará mais intenso e no tempo do fim a falsa igreja irá predominar sobre a igreja verdadeira.

II Tessalonicenses 2:3-10: “Ninguém de modo algum vos engane; porque isto não sucederá sem que venha primeiro a apostasia e seja revelado o homem do pecado, o filho da perdição, aquele que se opõe e se levanta contra tudo o que se chama Deus ou é objeto de adoração, de sorte que se assenta no santuário de Deus, apresentando-se como Deus. Não vos lembrais de que eu vos dizia estas coisas quando ainda estava convosco? E agora vós sabeis o que o detém para que a seu próprio tempo seja revelado. Pois o mistério da iniquidade já opera; somente há um que agora o detém até que seja posto fora; e então será revelado esse iníquo, a quem o Senhor Jesus matará como o sopro de sua boca e destruirá com a manifestação da sua vinda; a esse iníquo cuja vinda é segundo a eficácia de Satanás com todo o poder e sinais e prodígios de mentira, e com todo o engano da injustiça para os que perecem, porque não receberam o amor da verdade para serem salvos”

III. O Mal do Fermento

A. Introdução: A falsa igreja usará o mal do fermento para permear, corromper e destruir a verdadeira igreja. O fermento no Novo Testamento é usado simbolicamente cinco vezes e é através desses cinco métodos que a falsa igreja está procurando acabar com a verdadeira igreja.

B. O fermento dos fariseus (Mateus 16). Lucas nos diz que esse fermento é hipocrisia (Lucas 12:1). Hipocrisia é fingir ser algo que não somos. Um hipócrita é um impostor que tem a aparência externa de religiosidade, mas internamente sua vida está repleta de podridão. Hipocrisia é colocar uma máscara, mas interiormente temos os mesmos velhos humores amargos e atitudes críticas. Os fariseus tinham religião - eles oravam, liam as escrituras, faziam boas ações, mas essas coisas eram feitas mecanicamente, sem nenhum coração para o Deus vivo. Seus corações estavam cheios de amargura, raiva, ódio, luxúria e medo, mas eles mantinham a aparência externa de serem religiosos.

NOTA: O farisaísmo leva ao formalismo, ritualismo e um espírito crítico. Produz um ar de formalidade sem ter um coração para o Único, Deus verdadeiro e vivo. O farisaísmo produz cristãos frios e duros.

NOTA: A falsa igreja está constantemente influenciando a verdadeira igreja para um espírito farisaico. A falsa igreja diz que ser bom, ir à igreja, dar dinheiro e fazer boas obras é o verdadeiro Cristianismo e os homens ficam muito orgulhosos de seus feitos religiosos.

NOTA: A falsa igreja enfatiza o poder da igreja, que inclui prédios gigantescos e uma grande organização da igreja. Há muitos rituais para embalar os homens para dormir, mas não há realidade de Cristo. A falsa igreja diz à verdadeira igreja para ficar satisfeita com o nominalismo e não exagerar no compromisso cristão.

NOTA: Deus pretendia que Sua igreja fosse real, honesta, aberta, calorosa, amigável e vital com verdadeiro amor e preocupação entre os membros, mas a falsa igreja diz que o Cristianismo é formalismo e ritualismo, que é destrutivo da coisa real.

Mateus 16:6 “E Jesus lhes disse: Olhai, e acautelai-vos do fermento dos fariseus e dos saduceus”

Lucas 12:1 “Ajuntando-se entretanto muitos milhares de pessoas, de sorte que se atropelavam uns aos outros, começou Jesus a dizer primeiro aos seus discípulos: Acautelai-vos do fermento dos fariseus, que é a hipocrisia”

C. O fermento dos saduceus (Mateus 16:6). Os saduceus eram os racionalistas religiosos no judaísmo. Saduceísmo é a ideia de que a vida consiste apenas no que você pode experimentar com seus cinco sentidos - tato, olfato, visão, tato e paladar. Eles afirmam que não há nada além do reino natural. Não há atividade sobrenatural de Deus - sem criação, sem ressurreição, sem anjos e sem vida além do túmulo.

NOTA: A falsa igreja propaga uma filosofia que diz que o sobrenatural é uma mentira e esta foi a mentira de Satanás desde o início. A falsa igreja está repleta do espírito saduceu e está constantemente lançando uma enxurrada de mísseis ateus contra a verdadeira igreja. O racionalismo sempre destrói a verdadeira comunhão cristã.

Mateus 16:6 “E Jesus lhes disse: Olhai, e acautelai-vos do fermento dos fariseus e dos saduceus”

D. O fermento dos herodianos (Marcos 8:15). Os herodianos eram seguidores do rei Herodes e seu fermento é o materialismo. Um herodiano acredita que o valor mais importante na vida é ser poderoso e rico. Adquirir coisas materiais é o segredo para uma vida feliz. Para eles, a posse de coisas torna a vida digna de ser vivida.

NOTA: A falsa igreja diz que um homem pode buscar poder e riqueza como o objetivo final da vida e ainda ser um bom homem da Igreja. Um herodiano diz que Cristo não precisa ser colocado antes do dinheiro.

NOTA: É verdade que um homem pode ser cristão e rico também, mas as riquezas não podem ser a paixão que consome sua vida. Os cristãos devem ter cuidado para não sucumbir às pressões materialistas, pois o Senhor prometeu cuidar de Seus filhos.

NOTA: O espírito do materialismo destrói a doce comunhão dos cristãos porque os homens estão muito ocupados “ganhando dinheiro” para ter comunhão.

Marcos 8:15: “E Jesus ordenou-lhes, dizendo: Olhai, guardai-vos do fermento dos fariseus e do fermento de Herodes”

E. O fermento dos coríntios (I Coríntios 5:1, 5, 6). Em I Coríntios 5, o apóstolo Paulo cita o caso de um homem que estava realmente vivendo em incesto com a esposa de seu pai. Paulo diz que essa imoralidade sexual é fermento dentro da igreja.

NOTA: A imoralidade sexual é destrutiva para o próprio corpo e para o Corpo de Cristo. A imoralidade sexual está crescendo desenfreada entre nossos jovens. No entanto, qualquer psicólogo honesto e bem informado pode dizer que o sexo praticado fora do casamento é a maneira mais prejudicial e perigosa de destruir e arruinar um relacionamento. Pessoas em pecado sexual não estão em comunhão com Cristo ou com outros cristãos, pois a imoralidade sexual é destrutiva para a comunhão real, vital e viva entre os cristãos.

NOTA: A falsa igreja bombardeia constantemente nossos jovens cristãos com a nova moralidade, dizendo-lhes que pode haver relacionamentos sexuais significativos fora do casamento. A pior coisa que a verdadeira igreja pode fazer é colocar seu selo de aprovação em toda essa frouxidão e perversão sexual em nossos dias. Não devemos dar ouvidos à falsa igreja que diz que você pode ter repetidas experiências sexuais fora do casamento e ser cristão também. Não é assim, Deus chamou Seu povo para a santidade de vida (I Tessalonicenses 4:3, 7).

I Coríntios 5:1, 6-7 “Geralmente se ouve que há entre vós imoralidade, imoralidade que nem mesmo entre os gentios se vê, a ponto de haver quem vive com a mulher de seu pai.. . . . Não é boa a vossa jactância. Não sabeis que um pouco de fermento leveda a massa toda? Expurgai o fermento velho, para que sejais massa nova, assim como sois sem fermento. Porque Cristo, nossa páscoa, já foi sacrificado

I Tessalonicenses 4:3, 7 “Porque esta é a vontade de Deus, a saber, a vossa santificação: que vos abstenhais da prostituição,. . . Porque Deus não nos chamou para a imundícia, mas para a santificação”

F. O fermento dos Gálatas (Gálatas 5:9). O fermento dos gálatas é legalismo. Legalismo é um espírito que faz uma pessoa viver pela Lei mosaica em vez da graça de Deus e pela lei de Cristo. Também envolve fazer uma longa lista de tabus feitos pelo homem e fazer as pessoas aderirem a eles. O legalismo coloca as pessoas sob regras e regulamentos e espera que os homens os mantenham por seus próprios esforços. Cristo veio para nos libertar do legalismo. Todo esforço para obedecer a uma regra e assim satisfazer a Deus, mesmo com obediência interna, quanto mais externa, está fadado ao fracasso antes de começar, se dependermos de nós mesmos para o poder necessário.

NOTA: O legalismo sempre resulta em um espírito crítico por parte daqueles que o impõem aos outros e um espírito rebelde por aqueles que estão sendo forçados.

NOTA: A falsa igreja tenta enfiar na garganta da verdadeira igreja um espírito legalista para fazer os homens pensarem que guardar as leis externas pela carne é o verdadeiro Cristianismo.

NOTA: O legalismo mata o espírito de Cristo e quebra e destrói a verdadeira comunhão cristã.

Gálatas 5:9 “Um pouco de fermento leveda a massa toda”

G. Conclusão: A Parábola do Fermento é um aviso para não permitirmos que o fermento do mal perturbe e corrompa a doce comunhão do povo de Deus. Hipocrisia, racionalismo, materialismo, libertinismo e legalismo devem ser mantidos fora da verdadeira igreja, e a verdadeira igreja deve lutar contra esses males com todas as suas forças.

Conclusão

A. Você tem uma imagem verdadeira de Cristo? Você vê que Cristo veio para morrer pelos pecadores e dar aos homens a vida eterna? Você entende que Cristo pode mudar radicalmente sua vida e dar-lhe novos desejos em Deus?

B. A salvação é um dom gratuito. No momento em que você crer em Cristo, você será salvo por Deus. A Bíblia declara solenemente: "Porque pela graça sois salvos, por meio da fé". Deus concede a graça para crer e você deve crer em Cristo se deseja que seus pecados sejam perdoados e receba a vida eterna.

Postar um comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

Postagem Anterior Próxima Postagem
Gostou Desse Esboço? Olha a Novidade Que Tenho Para Você!

Eu preparei um E-book Com 365 Esboços de Sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! CLIQUE AQUI para adquirir seu livro.