A Parábola da Grande Ceia

A Parábola da Grande Ceia
Texto: Lucas 14:15-24

Introdução: Podemos confiar na Palavra de Deus? Estou pensando particularmente sobre a oferta de salvação da parte de Deus. Quando Deus oferece salvação aos homens, é uma oferta genuína? Deus fez a oferta sinceramente, embora em Seus conselhos eternos e ocultos Ele sabe quem será salvo e quem não será salvo? Podemos confiar na oferta de salvação da parte de Deus? Ele algum dia nos enganará ou nos enganará se nos comprometermos com Cristo? A oferta de salvação de Deus em Cristo é real e Deus está por trás dessa oferta com Seu poder soberano, imutabilidade eterna e amor santo. Deus nunca falha em nenhuma de suas promessas.

Mesmo que a oferta de salvação de Deus seja genuína, quão disposto Deus está para salvar os homens? Deus deseja sinceramente salvar os pecadores? Ele deseja levar os homens ao Salvador? A Parábola da Grande Ceia, responderá a cada uma dessas perguntas para nós e esperançosamente fará com que alguma alma espiritualmente faminta e necessitada receba o Senhor Jesus Cristo como Salvador.

O Fundo

Tema. O tema desta parábola é a vontade infinita de Deus de salvar os homens, se os homens apenas desejarem ser salvos. Deus está muito mais disposto a salvar os pecadores do que os pecadores desejam ser salvos.

O Simbolismo:

(1) “Certo homem” - Isso representa Deus, o Pai que em amor e graça soberanos está disposto a salvar os homens se eles responderem sinceramente à Sua oferta de salvação.

(2) “Ceia” - Simboliza o reino de Deus ou o céu e pode ser uma imagem da Ceia das Bodas do Cordeiro que ocorrerá após o segundo advento de Cristo.

(3) “Servo” - fala de Jesus Cristo, o servo de Deus, que se oferece aos homens como Salvador e obriga os homens a crer nEle.

Ocasião e Cenário:

(14:15): "Ao ouvir isso um dos que estavam com ele à mesa, disse-lhe: Bem-aventurado aquele que comer pão no reino de Deus"

(1) Nosso Senhor foi à casa de um dos principais fariseus daquele dia para comer pão com ele e, aparentemente, outros fariseus também estavam lá (14:1). Cristo propôs uma parábola sobre uma festa de casamento e alertou os fariseus sobre tentarem ocupar um lugar de destaque entre os homens. Os fariseus estavam confiantes de que eram as melhores e mais religiosas pessoas de todo o Israel e achavam que mereciam destaque. Nosso Senhor então falou francamente com o anfitrião da casa e disse-lhe que não convidasse apenas parentes, os ricos ou importantes para jantar, mas também os necessitados (14:12,13).

(2) O Senhor estava tentando comunicar a esses fariseus religiosos que as pessoas que têm um verdadeiro espírito humilde são aquelas que sabem que são pecadoras e se refugiaram em Cristo. Esses serão recompensados ​​no julgamento final (14:14). Todo judeu foi ensinado que haveria uma grande e prolongada festa quando o reino messiânico fosse estabelecido na terra após a ressurreição. O judeu concebeu o reino como um banquete perpétuo e, naturalmente, um dos fariseus respondeu dizendo: “Bem-aventurado todo aquele que comer pão no reino de Deus” (14:15). Este homem religioso pensava que todo judeu “respeitável” teria uma parte na celebração do futuro reino messiânico. Este fariseu simplesmente presumiu que estaria naquele reino porque era um judeu bom, moral e justo. Ele aceitou complacentemente o fato de que seria contado entre os eleitos de Deus no reino futuro. Ele era sincero, mas sinceramente errado.

(3) Jesus usou esse pensamento errado do fariseu para dar a este homem religioso e aos outros fariseus uma compreensão correta da salvação e de como entrar no reino futuro de Deus. Nessa parábola, Ele avisa esses fariseus de que há grande perigo de perderem o reino por completo, pois somente aqueles que pela fé aceitam o convite de Deus serão genuinamente salvos, contados entre os eleitos e participarão do reino futuro.

I. A Oferta Genuína de Salvação do Pai. V. 16

“Jesus, porém, lhe disse: Certo homem dava uma grande ceia, e convidou a muitos”

- Para entender esta parábola, devemos entender o costume judaico de convidar pessoas para um banquete. O dono da casa mandaria convites para o banquete com semanas de antecedência. Então, no dia do banquete, um criado iria à casa dos convidados e os lembraria do banquete. Era um grande insulto ao anfitrião recusar a segunda convocação para o banquete.

- O homem “convidou a muitos”. O “muitos” se refere às ofertas frequentes de salvação que Deus ofereceu aos judeus no Antigo Testamento, pois eles eram continuamente informados sobre o Messias que viria. Os judeus tiveram oportunidades ilimitadas do evangelho, mas recusaram os apelos compassivos de Deus para se voltar para Ele. Eles eram um povo obstinado e rebelde.

- Assim como Deus ofereceu salvação aos judeus repetidas vezes, Ele oferece o chamado geral de salvação aos pecadores. Deus sabia que os judeus iriam rejeitar, mas Ele genuinamente ofereceu a salvação, sabendo que apenas alguns iriam realmente responder a Cristo. O chamado externo de salvação e o convite de Deus para receber a Cristo é genuíno, sincero e nivelado. É um fato que qualquer pecador que se voltar para Cristo será salvo. Deus oferece salvação a todos os homens sem distinção e Ele está por trás dessa oferta com Sua própria palavra.

“Olhai para mim, e sereis salvos, vós, todos os confins da terra; porque eu sou Deus, e não há outro” (Isaías 45:22).

“Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto. Deixe o ímpio o seu caminho, e o homem maligno os seus pensamentos; volte-se ao Senhor, que se compadecerá dele; e para o nosso Deus, porque é generoso em perdoar” (Isaías 55:6,7).

“Dize-lhes: Vivo eu, diz o Senhor Deus, que não tenho prazer na morte do ímpio, mas sim em que o ímpio se converta do seu caminho, e viva. Convertei-vos, convertei-vos dos vossos maus caminhos; pois, por que morrereis, ó casa de Israel?” (Ezequiel 33:11).

“Vinde a mim, todos os cansados ​​e oprimidos, e eu vos aliviarei” (Mateus 11:28).

“Se alguém tem sede, venha a mim e beba” (João 7:37).

“Todo aquele que o Pai me dá, esse virá a mim, e aquele que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora” (João 6:37).

II. A Provisão do Pai Para a Salvação Dos Homens. V. 17

“E à hora da ceia mandou o seu servo dizer aos convidados: vinde, porque tudo já está preparado”

- Quando chegou a plenitude dos tempos, Deus enviou Seu servo, Jesus Cristo, a nação de Israel primeiro, pois Ele era o tão esperado Messias. Cristo foi Aquele que cumpriu as promessas e profecias do Antigo Testamento a respeito do Messias. Cristo se ofereceu aos judeus, mas foi rejeitado pelos líderes religiosos e pelo povo em geral. Eles não viam necessidade de um Messias que sofreria e morreria pelo pecado. Todo esse conceito de um Messias sofredor era repugnante para o judeu e estava abaixo de sua dignidade e respeitabilidade culta.

- Cristo teria salvado cada judeu se eles tivessem se voltado para Ele, mas eles se recusaram a fazê-lo.

“Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, apedrejas os que a ti são enviados! quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta os seus pintos debaixo das asas, e não o quiseste!” (Mateus 23:37)

- Os judeus não estavam dispostos a vir, mas Cristo estava mais do que disposto a salvá-los. Observe com atenção, não diz que eles “não poderiam” vir, mas que “não quiseram”. Cristo em Mateus 23 não está enfatizando a incapacidade de um homem de vir a Cristo, mas sua responsabilidade.

- Todos os homens são responsáveis ​​por crer em Cristo. Deus manda agora que todos os homens em todo lugar se arrependam (Atos 17:30). É, entretanto, seu coração endurecido que os impede de responder ao Salvador. Sua própria pecaminosidade os leva a rejeitar a Cristo.

- O servo disse: "vinde, porque tudo já está preparado". Quando Deus enviou Seu Filho a este mundo, Cristo fez uma provisão perfeita para o pecado e os pecadores. A morte de Cristo contém um suprimento completo de tudo que os pecadores precisam para serem salvos.

- A salvação é completada em Cristo e há abundância de perdão Nele. Não há pecado que Ele não possa perdoar ou consciência cansada que Ele não consiga acalmar. Cristo convida os homens a participarem Dele que os levará ao reino abençoado do Pai. “Jesus disse-lhes: Eu sou o pão da vida; quem vem a mim não terá fome, e quem crê em mim nunca terá sede” (João 6:35).

III. O Convite do Pai Para a Salvação é Frequentemente Recusado. V. 18-20

“Mas todos à uma começaram a escusar-se. Disse-lhe o primeiro: Comprei um campo, e preciso ir vê-lo; rogo-te que me dês por escusado. Outro disse: Comprei cinco juntas de bois, e vou experimentá-los; rogo-te que me dês por escusado. Ainda outro disse: Casei-me e portanto não posso ir”

- Cristo ofereceu aos judeus uma salvação gratuita e graciosa, mas eles encontraram mil e uma desculpas triviais para não aceitarem a Cristo. Observe cuidadosamente que suas desculpas eram aparentemente boas. Não há nada de errado em comprar terras ou bois, nem há nada de pecaminoso em se casar. No entanto, de alguma forma, seu materialismo e desejo de prazer os impediu de aceitar a Cristo. Eles trataram os apelos de Cristo por sua salvação com desprezo e indiferença. Esses judeus estavam colocando as preocupações cotidianas da vida antes da necessidade das realidades espirituais. Eles estavam tomando as questões normais da vida e tornando-as mais importantes do que o reino de Cristo e de Deus.

- Na verdade, suas desculpas eram apenas problemas superficiais e pretextos para problemas espirituais muito mais profundos. Esses judeus não entrariam no reino de Cristo porque eles realmente, no fundo, odiavam a Deus e a Cristo, pois queriam ser seu próprio deus. “...mas agora, não somente viram, mas também odiaram tanto a mim como a meu Pai” (João 15:24).

- Sabemos que os homens amam as trevas em vez da luz e muitas vezes darão todos os tipos de desculpas para evitar dobrar sua vontade ao Soberano Cristo. Eles imploram e abandonam sua responsabilidade de receber o Deus Vivo e Verdadeiro em Cristo. Quando você pede que recebam a Cristo, eles dizem: "Agora não, mas talvez mais tarde!" Eles continuam dizendo: “Assim que eu fizer uma fortuna, vou confiar em Cristo! Assim que eu seguir todas as filosofias do homem, então talvez receba a Cristo! Assim que tiver me satisfeito com o prazer e o sexo, talvez me volte para o Salvador. Assim que eu comprar uma casa maior, ou criar uma família, ou alcançar certos objetivos terrenos, talvez então eu aceite a Cristo”. Desculpas, desculpas, desculpas! A estrada para o inferno está pavimentada com multidões de pessoas que tinham boas desculpas, mas se recusaram a vir a Cristo. Por quê? Porque sob tudo isso elas amam o pecado e odeiam a Deus; elas querem ser seu próprio deus! Meus amigos, a infidelidade e a imoralidade matam seus milhares, mas a procrastinação e as desculpas matam suas dezenas de milhares. A indiferença porá um homem no inferno tão rápido quanto o adultério ou o assassinato!

IV. A Indignação do Pai Sobre a Rejeição da Salvação. V. 21a

“Voltou o servo e contou tudo isto a seu senhor: Então o dono da casa, indignado... ”

- Deus ficou indignado com Israel quando a nação se recusou a aceitar o Messias. Eles rejeitaram todas as súplicas de Cristo para que recebessem a salvação. Até mesmo a paciência de Deus diminuiu com aquele povo obstinado e rebelde.

- Deus é longânimo com Suas criaturas, mas a rejeição e a descrença do evangelho provocam a indignação de Deus contra os homens. Por causa da rebelião do homem a um Deus santo, "...Deus que sente indignação todos os dias”. (Salmos 7:11). Deus é paciente com pecadores que ouviram o evangelho até certo ponto, mas então Ele pode decidir entregá-los a uma mente réproba se eles continuarem em sua rejeição.

V. O Desejo Sincero do Pai Pela Salvação Dos Homens. V. 21b-23

“disse a seu servo: Sai depressa para as ruas e becos da cidade e traze aqui os pobres, os aleijados, os cegos e os coxos”

- Observe cuidadosamente que este segundo convite é para pessoas que ainda estavam dentro da cidade de Jerusalém, portanto, deve envolver alguma classe de judeus que não sejam as pessoas religiosas respeitáveis. Os judeus respeitáveis ​​e religiosos nada teriam a ver com judeus não respeitáveis, pobres e rejeitados. Os fariseus eram arrogantes e orgulhosos. Quando os líderes religiosos rejeitaram a Cristo, Cristo voltou-se para os publicanos e pecadores em Israel e os convidou para o reino do Pai.

- Cristo oferece salvação a todos os homens, mas a grande maioria das pessoas não vê necessidade de serem salvas. Eles não conseguem acreditar que são espiritualmente pobres, aleijados, cegos e coxos. Eles são muito orgulhosos para admitir que são pecadores e precisam de Deus em suas vidas. A respeitabilidade social, intelectual e cultural mantém muitas pessoas longe do reino de Deus.

- Cristo não será derrotado! Quando um grupo de pessoas rejeita a Ele e ao reino de Deus, Ele se volta para outro grupo, convidando-os à salvação.

V. 22 “Depois disse o servo: Senhor, feito está como o ordenaste, e ainda há lugar”

- Cristo ofereceu-se a todo o Israel, mas apenas alguns responderam a Cristo. Havia apenas cento e vinte judeus no Cenáculo esperando pelo Dia de Pentecostes, então podemos concluir que apenas um punhado de judeus dentre as multidões daquela nação realmente responderam a Cristo.

- Deus quer que o pecador saiba que há muito espaço no céu para todos os que realmente desejam conhecer o Salvador. Deus tem grande amor e compaixão pelos pecadores. Sua longanimidade é inesgotável. Sua compaixão pelos perdidos não é fingida ou imaginária. Deus está infinitamente disposto a salvar almas e deseja a salvação dos homens. “(Deus) o qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade” (I Timóteo 2:4). No entanto, se os homens recusarem o evangelho, Deus convidará outros em seu lugar.

- Milhões diariamente ouvem o evangelho de Cristo, mas o rejeitam, e a escritura é verdadeira que “estreita é a porta e poucos são os que a encontram”.

V. 23 “Respondeu o senhor ao servo: Sai pelos caminhos e valados, e obriga-os a entrar, para que a minha casa se encha”

- Foi dito ao servo “para obrigá-los” a ir à casa do senhor casa para a festa. A palavra “obrigar” deve ser traduzida como “coagir”, embora signifique a mesma coisa. Deus ordena a Cristo que compele ou obrigue os homens a virem ao Salvador. É óbvio que nosso Senhor não está falando sobre o uso de força física ou violência para trazer os homens a Si mesmo, pois o evangelho de Cristo é um evangelho de amor. Este versículo não sanciona a intolerância ou perseguição de homens que não são cristãos ou que têm opiniões religiosas divergentes. A palavra “obrigar” refere-se à restrição lógica e moral quando Cristo exorta os homens a virem a Ele por meio da pregação do evangelho. Cristo realmente constrange os homens a virem a Si mesmo, mas isso é por meio de Sua obra de atração, pela qual os homens estão dispostos a vir a Cristo. “Ninguém pode vir a mim, se o Pai que me enviou não o trouxer; e eu o ressuscitarei no último dia” (João 6:44).

- Como servos de Cristo, nós também, por meio da pregação do evangelho, devemos convidar, exortar, exortar e até mesmo ameaçar os homens de condenação a virem a Cristo.

“Havendo-lhe eles marcado um dia, muitos foram ter com ele à sua morada, aos quais desde a manhã até a noite explicava com bom testemunho o reino de Deus e procurava persuadi-los acerca de Jesus, tanto pela lei de Moisés como pelos profetas” (Atos 28:23).

“Portanto, conhecendo o temor (terror) do Senhor, persuadimos os homens ...” (II Coríntios 5:11).

- Devemos lutar contra os não salvos a fim de ganhá-los para Cristo. Tratemos sempre com amor o mundo não cristão, mas mostremos também a urgência de seu compromisso com Cristo. Devemos dizer: “Não posso; Eu não vou; Não me atrevo a deixar você continuar em sua vida sem convidá-lo a Cristo e avisá-lo das consequências se você rejeitar o Salvador!”. Se uma pessoa morre sem ter vindo a Cristo, seria melhor que ela nunca tivesse nascido!

- Deus encontrará homens para encher Sua casa. Se uma pessoa ou grupo rejeitar Seu convite para a salvação, Ele irá para outra pessoa ou grupo, pois Deus em Sua soberania terá um céu completo. O convite para a salvação está aberto a todos os homens agora, mas um dia a sala de banquetes de Deus no céu estará cheia. Deus sabe o número de Seus eleitos e a oferta de salvação será feita até que esse número de eleitos seja alcançado. Então não haverá mais oportunidade do evangelho para ninguém. Não haverá mais convite para receber a Cristo; portanto, a Bíblia é verdadeira quando diz: “Hoje é o dia da salvação!” Meus amigos, pode não haver amanhã!

VI. A Severa Advertência do Pai Para Aqueles Que Rejeitam a Salvação. V. 24

"Pois eu vos digo que nenhum daqueles homens que foram convidados provará a minha ceia"

- Aqueles judeus que foram convidados a receber a Cristo pelo Pai recusaram este gracioso convite e Deus diz claramente que eles não terão parte em Seu céu. O céu é para aqueles que responderam positivamente ao Filho de Deus, Jesus Cristo. Aqueles que não têm o Filho serão excluídos do banquete do céu.

- Por que os homens morrem? É porque Deus não salvará os homens? Não! É porque os homens não vêm a Cristo. Os homens são pecadores e têm um milhão de razões e desculpas pelas quais não precisam do Salvador. Sua própria rebelião, indiferença e ações tolas os afastam do reino de Deus. Se os homens não são salvos, não é porque Deus não os salvará. O Pai está pronto para receber todos os que vêm a Ele por meio de Cristo. O céu está aberto a todos os que creem em Cristo e O seguem. No entanto, a grande maioria das pessoas não quer ser salva porque não tem necessidade e não deseja vir a Cristo. O homem está perdido porque ele é um pecador e voluntariamente escolhe contra Cristo, mas ele é salvo puramente pela graça de Deus. As escrituras deixam claro que “muitos são chamados, mas poucos escolhidos” (Mateus 22:14).

Conclusão: Existem três observações básicas que você deve fazer sobre esta parábola se você for um pecador e espiritualmente necessitado.

Primeiro, a salvação e a entrada no reino de Deus são representadas como um convite para uma festa. Um banquete é uma ocasião alegre marcada pela alegria, música e risos. O evangelho não é um convite para um funeral (embora algumas pessoas ajam como se tornar-se um cristão fosse equivalente a ser embebido por uma semana em formol), mas é um convite à alegria. É um convite para experimentar a vida real. Deus não convida as pessoas para o trabalho enfadonho e as trevas, mas para uma vida emocionante, desafiadora e maravilhosa em Cristo.

Em segundo lugar, a salvação é sempre precedida por um convite para receber a Cristo. Uma pessoa pode aceitar ou rejeitar o convite de Cristo para entrar no reino de Deus. De alguma forma, o plano divino e a responsabilidade do homem trabalham juntos para que a salvação seja totalmente de Deus e a rejeição de Cristo seja totalmente do homem. No entanto, um pecador deve tomar uma decisão em sua vida se deseja ser salvo.

Terceiro, a salvação é sempre de Deus, e o Pai está pronto e desejoso de salvar os pecadores. Ele não rejeitará um pecador que realmente se voltou para Jesus Cristo. Ele está muito mais disposto a salvá-lo do que você a ser salvo; portanto, prove e veja que o Senhor é bom!

Postar um comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

Postagem Anterior Próxima Postagem
Gostou Desse Esboço? Olha a Novidade Que Tenho Para Você!

Eu preparei um E-book Com 365 Esboços de Sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! CLIQUE AQUI para adquirir seu livro.