Uma Resposta Cristã a Pandemia de Coronavírus (COVID 19)
Textos: Salmos 91, Lucas 4:12, Salmos 27, Isaías 26:3-4, 2 Crônicas 7:13-15, Filipenses 4:6-7, Amós 4:6-12, Salmos 20:7, 2 Timóteo 1:7

Introdução: O coronavírus agora domina a notícia. Agora foi classificado como uma pandemia. Ações extremas estão sendo tomadas pelos governos para conter a propagação desta doença. Está levando o mercado de ações para baixo. Infelizmente, faz parte do diálogo político. Está afetando o comércio, viagens, entretenimento e esportes. Você sabe que é sério quando os países começam a  fechar e cancelar eventos esportivos.

A principal preocupação não é a atual doença e contagem de mortes; é a devastação potencial que esta doença pode causar. A pandemia de gripe que ocorreu em 1918 afetou um terço da população mundial. Seriam 2 ½ bilhão de pessoas na população de hoje. Estima-se que tenha matado 50 milhões de pessoas quando a população era muito menor do que é hoje. Algumas estimativas chegam a 100 milhões. Para colocar isso em perspectiva, as mortes totais na Segunda Guerra Mundial são estimadas em 70 a 85 milhões. Uma fonte disse: "Essa gripe matou mais pessoas em 24 semanas do que o HIV / Aids matou em 24 anos". Essas estatísticas explicam por que as respostas governamentais à pandemia atual são tão dramáticas.

A Bíblia tem muito a dizer sobre pragas, e podemos extrair conselhos da palavra de Deus sobre como devemos responder à situação atual. Como cristãos, o que devemos fazer pessoalmente sobre a atual crise? Devemos...

I. Exercer Prudência e Senso Comum

Quando Satanás tentou Jesus a pular do pináculo do templo, Jesus respondeu à sugestão citando Deuteronômio 6:6. Jesus disse: “Não tentarás o Senhor, teu Deus” (Lucas 4:12) . Forçar a mão de Deus fazendo algo tão tolo é tentar ou testar Deus. No momento em que fazemos algo para provar a Deus, estamos provando que não temos certeza de Deus. A confiança nunca emprega truques para descobrir se a pessoa confiável é digna de confiança. Uma coisa é dar um passo ousado de fé na obediência a Deus; outra é iniciar a mesma ação para nossos próprios propósitos, como sugeriu Satanás.

Quando Israel chegou a Cades-Berneia em Números 13, Deus lhes deu a terra (Números 13:2) e lhes disse que a possuíssem. Quando os doze espias voltaram de observar Canaã, Calebe e Josué insistiram que eles obedecessem a Deus e ousadamente entrassem em Canaã. Fazer isso teria sido um ato de fé, porque Deus havia dito para eles fazerem e prometeu estar com eles. Foi um ato de incredulidade quando a nação decidiu não confiar em Deus e não fazer o que Ele havia ordenado que fizessem. Mas a mesma ação se tornou presunção, não fé, quando Deus disse que eles não entrariam na Terra da Promessa (Números 14:22-30), e tentaram fazê-lo por sua própria iniciativa. Isso foi desastroso (Números 14:39-45).

Em João 8, os judeus pegaram pedras para atirar em Jesus e matá-Lo. A resposta de Jesus foi interessante. Ele poderia ter feito um milagre. Ele poderia ter paralisado aquelas pessoas. Ele poderia tê-las matado. O que ele fez? Ele se escondeu. Ele deslizou pela multidão e se afastou. João 8:59 diz: “Então pegaram em pedras para lhe atirarem; mas Jesus ocultou-se, e saiu do templo”. Vemos algo semelhante na vida de Paulo quando as autoridades estavam tentando prendê-lo. Ele fez algo muito prático. Em uma conversa sobre humildade, Paulo contou a história, incluindo como ele escapou. Em 2 Coríntios 11:33, ele disse: "mas por uma janela desceram-me num cesto, muralha abaixo; e assim escapei das suas mãos". Certamente Deus poderia ter feito algo mais impressionante. Não, neste caso, Paulo deveria usar os meios práticos disponíveis para ele.

O que quero dizer é o seguinte: na ausência de uma ordem divina para fazer o contrário, simplesmente agimos com prudência. Nós não agimos na presunção. A presunção é motivada pelo orgulho sutil. A fé age com humilde obediência.

Quais são algumas coisas práticas que podemos fazer diante da atual pandemia? Médicos e autoridades governamentais estão fornecendo algumas orientações. (1) Devemos ser mais diligentes do que o habitual para lavar nossas mãos, limpá-las com desinfetantes e evitar tocar em nosso rosto depois de tocar em estabelecimentos públicos. (2) Devemos minimizar a exposição a grandes multidões quando for possível. Podemos ter que reduzir nossas atividades de entretenimento. Talvez tenhamos que limitar viagens desnecessárias. Continuamos com nossas vidas, mas simplesmente usamos o bom senso. (3) A profissão médica recomenda que você mantenha uma distância de cerca de 90 cm dos outros em público, quando possível. (4) Podemos comer mais em casa, em vez de irmos a restaurantes. (5) Se tivermos sintomas semelhantes aos da gripe, devemos consultar o médico mais rapidamente do que normalmente. (6) Podemos armazenar alguns suprimentos, caso haja escassez como resultado de tudo isso. Estas são algumas sugestões práticas que podemos e devemos seguir.

Dois extremos devem ser evitados. Um é a presunção de que, por sermos servos de Deus, não teríamos que lidar com nada disso. Pertencer a Deus não nos exime da experiência humana. Deus cuidará de nós quando confiarmos e obedecermos a Ele. Mas ainda estamos em corpos mortais. Nossa salvação completa ainda não chegou. Estamos ansiosos para ser revestidos com um corpo glorificado. Enquanto isso, gememos junto com o resto da criação (Romanos 8:23). O outro extremo é o pânico. Deus não nos deu o espírito de medo (2 Timóteo 1:7).

Ouça a confiança de Davi no Salmo 27:1-5:

"1 O Senhor é a minha luz e a minha salvação; a quem temerei? O Senhor é a força da minha vida; de quem me recearei? 2 Quando os malvados investiram contra mim, para comerem as minhas carnes, eles, meus adversários e meus inimigos, tropeçaram e caíram. 3 Ainda que um exército se acampe contra mim, o meu coração não temerá; ainda que a guerra se levante contra mim, conservarei a minha confiança. 4 Uma coisa pedi ao Senhor, e a buscarei: que possa morar na casa do Senhor todos os dias da minha vida, para contemplar a formosura do Senhor, e inquirir no seu templo. 5 Pois no dia da adversidade me esconderá no seu pavilhão; no recôndito do seu tabernáculo me esconderá; sobre uma rocha me elevará".

Se você se sentir ansioso, medite em passagens como essa e deixe que o Espírito Santo traga segurança e conforto ao seu coração. O fruto do Espírito não é medo, mas fé e paz.

"3 Tu conservarás em paz aquele cuja mente está firme em ti; porque ele confia em ti. 4 Confiai sempre no Senhor; porque o Senhor Deus é uma rocha eterna” (Isaías 26:3-4). não precisamos reagir aos problemas da mesma maneira que o mundo reage. Deus está conosco. Se olharmos para Ele como nossa fonte e proteção, ficaremos bem.

II. Buscar o Senhor

Toda crise é um chamado para buscar a Deus! Às vezes, os eventos acontecem como uma chamada de despertar. Israel foi o povo escolhido por Deus. Mas às vezes em sua história, eles se tornavam muito descuidados em seu serviço a Ele. Eles presumiriam a Sua bondade - às vezes até se aprofundando na idolatria. Em vez de acabar com eles imediatamente por sua desobediência, Deus enviava problemas suficientes para chamar sua atenção. Antes de Jerusalém ser capturada pela Babilônia em 586 aC (2 Reis 25:8-17), houve outros ataques que deveriam ter servido como advertências. Onze anos antes, Jerusalém foi atacada e o rei Joaquim foi levado cativo (2 Reis 24:10-12). Oito anos antes disso, a Babilônia atacou e levou cativos. Daniel fez parte desse cativeiro (Daniel 1:2-6). Entre esses eventos havia a oportunidade de se arrepender. Deus permitiu uma crise suficiente para chamar a atenção deles, depois deu a oportunidade de buscá-Lo e acertar as coisas. Israel falhou em aproveitar essas oportunidades. Essas coisas foram escritas para nossa advertência (1 Coríntios 10:11).

Minha maior preocupação com o Brasil é que responderíamos à crise atual com todos os nossos recursos, mas deixaríamos de buscar o Senhor. Uma coisa é ter confiança confiando no Senhor. Outra é pensar orgulhosamente que podemos lidar com o assunto por causa de nossos grandes avanços e experiências científicas. Devemos buscar a vitória no Senhor e não presumir que podemos lidar com ela sem ele.

Antes de 1918, o mundo se gabava de suas realizações científicas, especialmente no campo da medicina. Por mais de um século, a crescente ciência da medicina passou de um triunfo para outro. Os pesquisadores desenvolveram vacinas para muitas doenças: varíola, antraz, raiva, difteria, meningite. Os avanços na microbiologia levaram ao pensamento de invencibilidade. Foi nesse contexto que o mundo foi atingido por algo que eles estavam mal equipados para lidar. Bem parecido com o momento em que as pessoas se gabavam de ter construído um navio que não podia afundar. Aquele navio era o Titanic e você sabe o resto da história. "A soberba precede a destruição, e a altivez do espírito precede a queda" (Provérbios 16:18). Esse princípio é válido para as nações, assim como para os indivíduos.

Você já deve ter lido muitas vezes da promessa que Deus fez em 2 Crônicas 7:14. Temos uma noção melhor do contexto desse versículo quando lemos o versículo que o antecede.

"13 Se eu cerrar o céu de modo que não haja chuva, ou se ordenar aos gafanhotos que consumam a terra, ou se enviar a peste entre o meu povo; 14 e se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face, e se desviar dos seus maus caminhos, então eu ouvirei do céu, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra. 15 Agora estarão abertos os meus olhos e atentos os meus ouvidos à oração que se fizer neste lugar" (2 Crônicas 7:13-15 )

A passagem começa com uma situação em que os problemas chegaram. De fato, a palavra traduzida por peste no versículo 13 pode ser traduzida como praga. Qual é a resposta que Deus está buscando?

1) Nós devemos nos humilhar. Pode parecer corajoso enfrentar uma crise e dizer: "Podemos derrotar isso!" Se fizermos isso com a mesma mentalidade que Calebe tinha em Cades-Barnéia, é uma coisa boa. Calebe acrescentou ao seu orgulho: "o Senhor está conosco" (Números 14:8). Ele o precedeu dizendo: “Se o Senhor se deleitar em nós, ele nos trará a esta terra e nos dará. . . . ”

Seja explicitamente declarado ou não, essa deve ser a nossa mentalidade. A gripe de 1918 golpeou severamente o orgulho que se desenvolveu através das descobertas científicas que haviam sido feitas.
Em uma crise, devemos nos humilhar, sem nos vangloriar de nossa autossuficiência. Uma pandemia deve lembrar nossa mortalidade e nossa necessidade de Deus.

2) Nós devemos orar. Filipenses 4:6-7 nos instrui a: "6 Não andeis ansiosos por coisa alguma; antes em tudo sejam os vossos pedidos conhecidos diante de Deus pela oração e súplica com ações de graças; 7 e a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos pensamentos em Cristo Jesus"

Aí recebemos a promessa de paz se fizermos o que? Orar com ação de graças; deixar que nossos pedidos sejam feitos conhecidos por Deus; falar com Deus por nossa dependência dEle. Quando a igreja abandona seu chamado para ser uma Casa de Oração, Deus envia algo para fazê-la voltar a isso. A igreja primitiva é um exemplo para nós. Quando os problemas chegaram, eles oraram. Daniel também exemplifica isso.

Quando o problema veio, ele orou. Ele conseguiu que seus amigos orassem com ele. Enquanto ele orava, Deus trabalhou em seu favor. Espero que façamos mais do que colocar máscaras e lavar as mãos; espero que busquemos o Senhor por Suas soluções. Precisamos de Sua sabedoria, Sua orientação e Seu poder para trabalhar em nosso favor. Ele pode transformar isso em favor do evangelho.

3) Devemos buscar o seu rosto. Devemos buscar um relacionamento correto com Deus. Não é apenas o que dizemos a Ele o que queremos. Também nos submetemos a Ele e perseguimos Sua vontade.

Acredito que o futuro depende muito mais do que a igreja faz do que dos políticos. Jesus está caminhando entre os castiçais, como fez em Apocalipse 2-3, avaliando a condição da igreja e pronunciando o julgamento com base no que a igreja faz. Se um remanescente orar e buscar a Deus, Ele ouvirá e curará nossa terra. Você notou essa frase em 2 Crônicas 7:14? Em resposta à oração, ele "perdoará seus pecados e curará sua terra". Ele pode curar a terra de juízes injustos. Ele pode curar a terra de leis injustas. Ele pode curar a terra do caos econômico. E ele pode curar a terra dos vírus!

O perigo é que olhamos para o coronavírus com olhos puramente humanísticos. Certamente, a compaixão por aqueles que sofrem da doença deve ser incluída em nossa resposta. Mas não devemos pensar em termos puramente humanísticos; não devemos deixar Deus fora de cena. Talvez Deus tenha nos levado ao reino por um tempo como este. Talvez essa chamada de despertar mundial seja a oportunidade de uma vida. Oxalá, que multidões se voltassem para Ele e encontrariam, não apenas ajuda temporal, mas salvação eterna. "Pois que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua vida?" (Marcos 8:36). Que possamos ser capacitados pelo Espírito Santo para levar cura e salvação a outras pessoas (Atos 4:31)

4) A última condição em 2 Crônicas 7:14 é que nos afastemos de nossos maus caminhos. Seus caminhos perversos podem não ser os mesmos que os meus. Mas todos eles são um afastamento dos mandamentos de Deus.

Quando Deus atingiu o Egito com pragas, Ele não estava apenas lidando com pessoas. Ele também estava atingindo seus deuses. Isso demonstrou a fraqueza de seus ídolos. O julgamento de Deus devastou a economia do Egito. Ao observar o impacto atual do coronavírus, fico impressionado com o impacto que está causando nas economias. Quanto do comércio mundial é impulsionado pela ganância? Quanta confiança as pessoas depositam em suas contas de aposentadoria e poupança? O que eles farão se o fundo cair debaixo de tudo isso? Confiarão no Senhor ou saltarão de uma janela de 20 andares? Às vezes, Deus sacode as coisas para nos levar de volta ao básico. Isso aconteceu no final dos anos 20, durante a depressão. Às vezes, Deus nos diz: "Podemos fazer isso da maneira mais fácil, ou podemos fazer isso da maneira mais difícil". Ele sempre quer que façamos da maneira mais fácil.

Em Amós, Deus implora ao Seu povo. No capítulo 4, ele ensaia o castigo que enviou, tudo planejado para trazê-los aos sentidos. No entanto, eles não se arrependeram. Ouça o que Deus disse a eles:

"6 Por isso também vos dei limpeza de dentes em todas as vossas cidades, e falta de pão em todos os vossos lugares; contudo não vos convertestes a mim, diz o Senhor. 7 Além disso, retive de vós a chuva, quando ainda faltavam três meses para a ceifa; e fiz que chovesse sobre uma cidade, e que não chovesse sobre outra cidade; sobre um campo choveu, mas o outro, sobre o qual não choveu, secou-se. 8 Andaram errantes duas ou três cidades, indo a outra cidade para beberem água, mas não se saciaram; contudo não vos convertestes a mim, diz o Senhor. 9 Feri-vos com crestamento e ferrugem; a multidão das vossas hortas, e das vossas vinhas, e das vossas figueiras, e das vossas oliveiras, foi devorada pela locusta; contudo não vos convertestes a mim, diz o Senhor. 10 Enviei a peste contra vós, à maneira de Egito; os vossos mancebos matei à espada, e os vossos cavalos deixei levar presos, e o fedor do vosso arraial fiz subir aos vossos narizes; contudo não vos convertestes a mim, diz o Senhor. 11 Subverti alguns dentre vós, como Deus subverteu a Sodoma e Gomorra, e ficastes sendo como um tição arrebatado do incêndio; contudo não vos convertestes a mim, diz o Senhor. 12 Portanto assim te farei, ó Israel, e porque isso te farei, prepara-te, ó Israel, para te encontrares com o teu Deus" (Amós 4:6-12).

Ele trabalhou para trazê-los ao relacionamento correto com o criador. Você pode ouvir a tristeza no coração de Deus quando Ele repete as palavras: "contudo não vos convertestes a mim". Alguém pode dizer: "Deus não faria tudo isso, ele é um bom Deus". Oh, mas Ele faz tudo isso porque Ele é um Deus bom.

Tudo foi projetado para trazê-los ao relacionamento correto com Ele - e nada está certo se isso não estiver certo. O relacionamento eterno com Ele é muito mais importante do que o conforto temporal.

Nada poderia ser mais preocupante do que as palavras: "Prepare-te para encontrar seu Deus".

III. Devemos Confiar no Senhor

Quando estamos andando na luz, estamos cercados pela proteção de Deus. E Ele é capaz de trabalhar todas as coisas juntas para o nosso bem. Ele é capaz de redimir qualquer situação e direcioná-la para Seus propósitos.

Foi uma coisa terrível o que os irmãos de José fizeram com ele. A intenção por trás de suas ações era má. O sofrimento que José experimentou foi real. Mas Deus redimiu até isso e operou seus propósitos de salvação. No final, José pôde dizer a seus irmãos: “Vós, na verdade, intentastes o mal contra mim; Deus, porém, o intentou para o bem, para fazer o que se vê neste dia, isto é, conservar muita gente com vida” (Gênesis 50:20). Deus está sempre procurando salvar o que está perdido. Confiamos em Deus pela proteção de nós mesmos e de nossos entes queridos, mas também oramos pela misericórdia de Deus com os perdidos. Ele não está disposto a que nenhum deles pereça.

Se uma crise faz com que as pessoas se voltem para Deus e recebam a vida eterna, algo muito bom sai dela. Buscamos ao Senhor por Sua misericórdia, proteção e cura. Ao mesmo tempo, sabemos que a questão mais importante para todos é onde esse indivíduo passará a eternidade. Fui encorajado ao ler como os cristãos na China em Wuhan estavam saindo pelas ruas proclamando Cristo quando todo mundo estava recolhido e com medo de sair. Eles são um exemplo para nós. Eu tenho orado por uma grande colheita de almas lá. Muitas vezes, é em tempos difíceis que as pessoas se tornam mais abertas a ouvir sobre Deus. Quando essas oportunidades chegarem, pela graça de Deus, deixaremos de lado nossa própria preservação e proclamaremos o evangelho aos perdidos.

Quando estamos no centro da vontade de Deus, não há nada a temer. Se você beber algo mortal, isso não será prejudicial (Marcos 16:18). Essa promessa é dada no contexto da proclamação do evangelho. Paulo estava em missão de Deus quando foi mordido por uma víbora mortal. Ele a sacudiu no fogo e não foi prejudicado por ela (Atos 28: 3-5). Aquele evento sobrenatural chamou a atenção dos pagãos naquela ilha.

Ouça a garantia que nos é dada no Salmo 91:3-12.

"3 Porque ele te livra do laço do passarinho, e da peste perniciosa. 4 Ele te cobre com as suas penas, e debaixo das suas asas encontras refúgio; a sua verdade é escudo e broquel. 5 Não temerás os terrores da noite, nem a seta que voe de dia, 6 nem peste que anda na escuridão, nem mortandade que assole ao meio-dia. 7 Mil poderão cair ao teu lado, e dez mil à tua direita; mas tu não serás atingido. 8 Somente com os teus olhos contemplarás, e verás a recompensa dos ímpios. 9 Porquanto fizeste do Senhor o teu refúgio, e do Altíssimo a tua habitação, 10 nenhum mal te sucederá, nem praga alguma chegará à tua tenda. 11 Porque aos seus anjos dará ordem a teu respeito, para te guardarem em todos os teus caminhos. 12 Eles te susterão nas suas mãos, para que não tropeces em alguma pedra”.

Ele é capaz de nos proteger se buscarmos por Ele essa proteção. Deus usou as três primeiras pragas no Egito para fazer uma obra em Seu povo, bem como julgar o Egito. Mas quando essa obra foi feita, Ele fez uma distinção entre Seu povo e os Egípcios (Êxodo 8:22). Ele protegeu Seu povo da destruição. Para os egípcios, essas pragas significavam destruição. Para o povo de Deus, elas resultaram em sua redenção. O fator chave na última praga foi o sangue nas ombreiras das portas - um tipo do sangue de Cristo aplicado ao coração do crente. Quando Deus viu o sangue, ele passou por Seu povo como proteção, e eles não foram feridos. “Uns confiam em carros e outros em cavalos, mas nós faremos menção do nome do Senhor nosso Deus” (Salmos 20:7).

Certifique-se de que o sangue de Cristo tenha sido aplicado ao seu coração. Certifique-se de entregar sua vida a ele. Certifique-se de andar na luz. Então confie nEle para cuidar de você e até capacitá-lo pelo Seu Espírito para ministrar paz e cura a outras pessoas.
Postagem Anterior Próxima Postagem

Gostou? Olha a Novidade Que Tenho Para Você!

Eu preparei um E-book Com 365 Esboços de Sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! CLIQUE AQUI para adquirir seu livro.