Eufemismos Para a Morte
"Melhor é o bom nome do que o melhor unguento, e o dia da morte do que o dia do nascimento. Melhor é ir à casa onde há luto do que ir à casa onde há banquete; porque naquela se vê o fim de todos os homens, e os vivos o aplicam ao seu coração” (Eclesiastes 7:1-2).

Porque Salomão diria que o dia da morte de alguém é melhor que o dia do nascimento? Não porque ele era um homem gravemente deprimido que queria acabar com sua vida. Simplesmente porque ele sabia que a vida aqui é vaidade, mas temos algo melhor no além (Eclesiastes 12:7-8, 13-14).

A Bíblia usa várias expressões (eufemismos) para a morte. Eufemismo é uma palavra ou frase mais branda usada no lugar de uma mais forte. Um eufemismo comum que usamos para a morte é dizer que alguém faleceu. Os eufemismos para morte usados ​​na Bíblia nos ensinam algumas lições - tanto da realidade da morte quanto da esperança que temos após a morte, se somos fiéis. Devemos levar essas lições ao coração (Eclesiastes 7:2).

Seguir o Caminho de Toda a Terra

“Ora, aproximando-se o dia da morte de Davi, deu ele ordem a Salomão, seu filho, dizendo: Eu vou pelo caminho de toda a terra; sê forte, pois, e porta-te como homem” (1 Reis 2:1-2).

Antes de Davi morrer, ele encorajou seu filho Salomão a ser fiel ao Senhor. Para indicar que sua morte era iminente, ele disse: “Eu vou pelo caminho de toda a terra” (1 Reis 2: 2).

Esta frase indica que a morte é comum a todas as pessoas. “E, como aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo depois o juízo” (Hebreus 9:27). Não viveremos para sempre aqui na terra. O salmista escreveu: “A duração da nossa vida é de setenta anos; e se alguns, pela sua robustez, chegam a oitenta anos, a medida deles é canseira e enfado; pois passa rapidamente, e nós voamos” (Salmo 90:10). Certamente, os setenta a oitenta anos só são verdadeiros em geral; não é uma garantia.

Tiago escreveu: “No entanto, não sabeis o que sucederá amanhã. Que é a vossa vida? Sois um vapor que aparece por um pouco, e logo se desvanece. Em lugar disso, devíeis dizer: Se o Senhor quiser, viveremos e faremos isto ou aquilo” (Tiago 4:14-15). A razão pela qual a morte física é comum a todos é porque o acesso à árvore da vida foi perdido quando Adão e Eva pecaram e foram expulsos do Jardim (Gênesis 3:22-24). A consequência de seu pecado - mortalidade - se espalhou para todas as gerações que se seguiram.

Todos nós "seguiremos o caminho de toda a terra". A única exceção a essa regra é se estivermos entre aqueles que vivem quando o Senhor retornar. Sobre esse acontecimento, Paulo disse: “Depois nós, os que ficarmos vivos seremos arrebatados juntamente com eles, nas nuvens, ao encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor” (1 Tessalonicenses 4:17). Mas, além dessa exceção, sabemos que a morte é uma certeza para todos nós.

Último Suspiro

“Mas Jesus, dando um grande brado, expirou” (Marcos 15:37).

Quando Jesus morreu na cruz, o registro de Marcos diz que "deu o último suspiro" ou "entregou o espirito". A palavra grega usada é ekpneo, que significa respiração ou vento. Está relacionado ao pneuma (espírito), que é usado no relato de Mateus sobre o evento: "De novo bradou Jesus com grande voz, e entregou o espírito" (Mateus 27:50).

Essa frase nos mostra que a morte ocorre quando nosso espírito deixa nosso corpo físico. Tiago usou esse fato sobre a morte para mostrar como a fé e as obras devem acompanhar-se na vida de um cristão. “Porque, assim como o corpo sem o espírito está morto, assim também a fé sem obras é morta” (Tiago 2:26). A palavra espírito neste versículo é a palavra grega pneuma. O mesmo tipo de espírito que Jesus entregou na morte (Mateus 27:50) é o que parte do nosso corpo físico quando morremos.

Quando Deus criou Adão, Ele “soprou em suas narinas o folego de vida; e o homem se tornou um ser vivo” (Gênesis 2: 7). Todas as pessoas receberam “vida e fôlego” de Deus como descendentes de Adão (Atos 17:25-26). O folego / espírito que o homem tem é diferente do que os animais possuem.

Embora seja verdade que o homem e os animais tenham um espírito semelhante no sentido de que ambos têm vida (Gênesis 7:21-22), o espírito do homem é diferente. O homem sábio escreveu: "Quem sabe se o espírito dos filhos dos homens vai para cima, e se o espírito dos brutos desce para a terra?" (Eclesiastes 3:21). Na morte, nosso “espírito retornará a Deus que o deu” (Eclesiastes 12:7). Depois vem o juízo (Hebreus 9:27; Eclesiastes 12:14).

Reunido ao Seu Povo

“E Abraão expirou, morrendo em boa velhice, velho e cheio de dias; e foi reunido ao seu povo” (Gênesis 25:8).

Quando Abraão morreu "ele foi reunido ao seu povo". No entanto, isso não se refere ao seu enterro. “Então Isaque e Ismael, seus filhos, o sepultaram na cova de Macpela, no campo de Efrom, filho de Zoar, o heteu, que estava em frente de Manre, o campo que Abraão comprara aos filhos de Hete. Ali foi sepultado Abraão, e Sara, sua mulher” (Gênesis 25:9-10). Abraão foi sepultado na terra de Canaã, enquanto “seu povo” foi sepultado em Ur e Harã (Gênesis 11:28, 32).

Essa frase nos diz que existe vida após a morte. Embora não declarado explicitamente, os fiéis do Antigo Testamento entendiam o conceito de vida após a morte. Depois que seu filho morreu, Davi disse: “Respondeu ele: Quando a criança ainda vivia, jejuei e chorei, pois dizia: Quem sabe se o Senhor não se compadecerá de mim, de modo que viva a criança? Todavia, agora que é morta, por que ainda jejuaria eu? Poderei eu fazê-la voltar? Eu irei para ela, porém ela não voltará para mim” (2 Samuel 12:22-23). Jesus repreendeu os saduceus por "não entenderem as Escrituras" porque eles não concluíram que, como Deus disse: "Eu sou o Deus de Abraão ... Isaque e ... Jacó", que a vida existia após a morte (Mateus 22: 29-32). O fato de Abraão estar “reunido ao seu povo” (Gênesis 25:8) mostra que ele continuou a existir depois que ele passou desta vida.

Após a morte, se formos fiéis, seremos reunidos no paraíso com o povo de Deus (Lucas 16:22; 23:43). Após a volta do Senhor, podemos esperar "reunir-nos a Ele" (2 Tessalonicenses 2:1), onde "estaremos sempre com o Senhor" e com nossos irmãos em Cristo (1 Tessalonicenses 4:16-17).

Adormecer

“E, tendo assim falado, acrescentou: Lázaro, o nosso amigo, dorme, mas vou despertá-lo do sono. Disseram-lhe, pois, os discípulos: Senhor, se dorme, ficará bom. Mas Jesus falara da sua morte; eles, porém, entenderam que falava do repouso do sono. Então Jesus lhes disse claramente: Lázaro morreu” (João 11:11-14).

Essa frase - adormecer - pode ser o eufemismo mais comumente reconhecido para a morte usado na Bíblia. Jesus usou esta frase para se referir à morte de Lázaro. A princípio, seus discípulos não O entenderam. Então, ele lhes disse claramente que Lázaro não estava literalmente dormindo, mas que ele havia morrido.

Essa frase nos lembra que a morte é temporária. Muitos vivem suas vidas como se isso fosse tudo o que existe. O lema deles é: “Você vive apenas uma vez”, e eles fazem o que lhes parecer bom, sem levar em consideração a obrigação de obedecer ao Senhor. Não é errado gozar a vida, mas devemos lembrar que seremos julgados por nossos atos (Hebreus 9:27). O homem sábio escreveu: “Alegra-te, mancebo, na tua mocidade, e anime-te o teu coração nos dias da tua mocidade, e anda pelos caminhos do teu coração, e pela vista dos teus olhos; sabe, porém, que por todas estas coisas Deus te trará a juízo” (Eclesiastes 11:9).

Todos serão ressuscitados dentre os mortos um dia. Jesus disse: “Não vos admireis disso, porque vem a hora em que todos os que estão nos sepulcros ouvirão a sua voz e sairão: os que tiverem feito o bem, para a ressurreição da vida, e os que tiverem praticado o mal, para a ressurreição do juízo” (João 5:28-29). Portanto, como a morte é temporária, devemos viver de tal maneira que seremos ressuscitados para receber uma recompensa em vez de punição.

Os que “morrem no Senhor” têm “descanso de seus labores” (Apocalipse 14:13). Quando o Senhor voltar, a morte física será abolida. Paulo disse aos irmãos em Corinto: “Eis aqui vos digo um mistério: Nem todos dormiremos mas todos seremos transformados, num momento, em um abrir e fechar de olhos, ao som da última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos serão ressuscitados incorruptíveis, e nós seremos transformados. [...] então se cumprirá a palavra que está escrito: Tragada foi a morte na vitória”(1 Coríntios 15:51-54). Se formos fiéis, embora possamos “adormecer”, podemos ter a vida eterna por meio de Cristo (Romanos 6:23).

Conclusão

A morte é uma triste realidade da vida, mas é bom considerá-la (Eclesiastes 7:2). Precisamos viver de tal maneira que “o dia da [nossa] morte seja melhor que o dia do [nosso] nascimento” (Eclesiastes 7:1). Como podemos fazer isso? “Teme a Deus, e guarda os seus mandamentos; porque isto é todo o dever do homem. Porque Deus há de trazer a juízo toda obra, e até tudo o que está encoberto, quer seja bom, quer seja mau” (Eclesiastes 12:13-14).

Paulo disse aos irmãos em Filipos: "Para mim, viver é Cristo e morrer é lucro" (Filipenses 1:21). Vamos viver por Cristo para que possamos receber a vida eterna após a morte.


Gostou? Olha a Novidade Que Tenho Para Você!

Eu preparei um E-book Com 365 Esboços de Sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! CLIQUE AQUI para adquirir seu livro.

Postar Comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

Postagem Anterior Próxima Postagem