A TEORIA DA IDADE APARENTE (PARTE 2)

A TEORIA DA IDADE APARENTE (PARTE 2)
Lição 9

Gênesis 1:1-31

I. INTRODUÇÃO

A. A teoria da Idade Aparente diz que Deus criou o mundo em seis dias solares literais de 24 horas, e que os fatos básicos da geologia e da paleontologia podem ser atribuídos à criação original pela idade aparente e pelo catastrofismo bíblico.

B. Em uma lição anterior (Parte 1), foi mostrado que uma interpretação normal das Escrituras fornece fortes evidências para uma criação em seis dias de 24 horas.

NOTA: Aqueles que acreditam na inspiração plenária verbal são mais propensos a sustentar a teoria da idade aparente.

II. A EVIDÊNCIA GEOLÓGICA E BÍBLICA DA TEORIA DA IDADE APARENTE

A. Catastrofismo Bíblico. Todas as descobertas geológicas podem ser explicadas pela catástrofe bíblica vista em (1) a Criação, e (2) a Queda e (3) o Dilúvio.

B. Idade aparente. Uma criação real exige que a substância criada tenha sido criada com a aparência da idade. Isso é confirmado pelo princípio científico da conservação de energia, a Primeira Lei Termodinâmica, que afirma que a energia, em seu sentido mais amplo, inclui tudo no universo físico e biológico e esta lei afirma essencialmente que nenhuma criação de energia está ocorrendo agora. Esta criação deve ter sido no passado. Morris afirma,
Até certo ponto, portanto, o mundo inteiro foi criado em algum momento no passado, por processos desconhecidos para nós, com uma "idade aparente". Esse fato deve ser levado em consideração na construção de uma história geológica ou no uso de um cronômetro geológico. Por exemplo, o oceano primitivo já pode ter sido minerais radioativos salinos, pode conter elementos filhas, a luz de estrelas distantes pode ter sido visível na Terra no instante da criação, e assim por diante, assim como Adão foi criado como homem adulto (Henry M. Morris, Biblical Catastrophism and Geology).
C. Falácia da evolução. Isso pode ser explicado na Segunda Lei Termodinâmica, que afirma que em qualquer sistema fechado, há um aumento natural de desordem e desorganização. Tudo tende a se desgastar, envelhecer, esgotar-se e finalmente se aproximar do estado da morte. Essa lei contradiz a evolução, que pressupõe que tudo naturalmente tende a se tornar mais ordenado e altamente organizado.

D. Paleontologia Bíblica. A Bíblia ensina que não poderia haver sofrimento ou morte até que o homem pecasse, sujeitando toda a criação a uma maldição, Romanos 5:1214; 8:20-22). Portanto, os fósseis de todos os animais anteriormente vivos agora encontrados nas rochas sedimentares da Terra devem ser datados após a queda. Se isso for verdade, nada além de uma grande catástrofe pode explicar os estratos fósseis. Essa catástrofe pode ser explicada pelo dilúvio universal. Morris afirma,
As descrições bíblicas do Dilúvio indicam um tremendo complexo de eventos que ocorrem durante o Dilúvio - grande destruição de todas as formas de vida, seguidas necessariamente por enterros extensos em grandes cemitérios de futuros depósitos de fósseis. Uma variedade infinita de características deposicionais poderia ser postulada em vários momentos e lugares durante o Dilúvio, muitas vezes violentos, mas também relativamente inativos. Em geral, no entanto, as sequências deposicionais dos fósseis, em qualquer coluna vertical, tenderiam a ser de simples a complexas, com aumento na elevação. Essa ordem é a de: (1) aumento da elevação do habitat - um zoneamento ecológico; (2) aumento da resistência ao assentamento, devido à geometria de contorno mais complexa e menor gravidade específica; e (3) aumento do tamanho e da mobilidade, com a consequente capacidade de adiar inundações e sepultamentos pelo aumento das águas do diluvio. É claro que essas sequências seriam estatísticas e não absolutas e estariam sujeitas a muitas exceções, mas certamente representariam as tendências dominantes. E tudo isso é exatamente o que é encontrado nos estratos, mesmo que tenha sido deturpado pela evolução! (Biblical Catastrophism and Geology)
E. Implicações geológicas. A maioria das descobertas geológicas pode ser explicada pelo seguinte:
1. O mundo foi criado com "idade aparente".

2. Em Gênesis 1:2, a terra estava coberta de águas primitivas. Parece razoável que, mesmo que a criação da Terra tenha sido realizada em um ato instantâneo, seu calor interno e as águas em sua face teriam começado imediatamente a realizar trabalhos de profundas mudanças geológicas.

3. No segundo, e especialmente no terceiro dia da criação, deve ter havido grandes mudanças geológicas. Esse processo teria sido realizado por grande erosão e reposicionamento de materiais de superfície à medida que as águas fluíam pelas novas bacias.

4. Aparentemente, o mundo antediluviano estava coberto por uma manta atmosférica (Gênesis 1:7; 2:5) ou uma nuvem de vapor de água invisível. Essa vasta extensão de vapor d'água teria um grande efeito nos climas terrestres e, portanto, na atividade geológica.

5. Na época do dilúvio universal, este cobertor atmosférico foi rompido e choveu pela primeira vez na terra, e sua grande precipitação provocou o dilúvio. O Dilúvio trouxe chuvas torrenciais em todo o mundo, tremenda erosão, revoltas tectônicas e vulcânicas em todo o mundo, tempestades violentas de vento, ondas gigantescas etc. Com o Dilúvio, veio o rompimento das “fontes do grande abismo”, vastas bolsas de água sob a terra. Todas essas forças pressionando a Terra por pelo menos um ano realizariam grandes mudanças geológicas.

F. Glaciação Continental. Morris comenta,
A Bíblia indica que existia antes do dilúvio um vasto manto de vapor d'água ao redor da terra. Entre outras coisas, esse dossel térmico teria produzido exatamente um clima quente e agradável universal, como é indicado para a maioria dos sistemas da coluna geológica. Sua precipitação não foi apenas uma das duas principais causas do dilúvio (a outra foi a ruptura das “fontes do grande abismo”, que provavelmente eram vastas águas subterrâneas e magmas anteriormente restritos sob grande pressão abaixo da crosta), mas também levariam a um repentino resfriamento do clima e a glaciação continental resultante. (Biblical Catastrophism and Geology).

Gostou Desse Esboço? Olha a Novidade Que Tenho Para Você!

Eu preparei um E-book Com 365 Esboços de Sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! CLIQUE AQUI para adquirir seu livro.

A TEORIA DA IDADE APARENTE (PARTE 2) A TEORIA DA IDADE APARENTE (PARTE 2) Reviewed by Aldenir Araújo on outubro 31, 2019 Rating: 5

Nenhum comentário:

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

Tecnologia do Blogger.