A TEORIA DA EVOLUÇÃO (IDADE DA TERRA)

A TEORIA DA EVOLUÇÃO (IDADE DA TERRA)
Lição 7

Gênesis 1:1-31

I. INTRODUÇÃO

A. A evolução é uma teoria, não um fato. O que as pessoas deixam de entender é que a ciência não resolveu nenhum dos problemas básicos da existência, como origens, gravidade, luz, vida de átomos, etc. A verdadeira ciência e a Bíblia nunca contradizem.

B. Toda a ciência é baseada em hipóteses e está sempre sujeita a alterações com base em novas informações. Portanto, a ciência nunca pode estabelecer a verdade absoluta. O método científico pode produzir dados com aparência de verdade, mas somente a verdade relativa está sujeita a alterações com testes adicionais. Não se pode negar que a ciência produz fatos, certos ou errados, e esses fatos devem ser tratados adequadamente pelo intérprete da Bíblia.

II. UNIFORMITARIANISMO A BASE DE TODA EVOLUÇÃO INORGÂNICA

A. Definição. O uniformitarismo é uma suposição de que as causas e os efeitos físicos em todas as eras foram apenas e sempre os mesmos que observamos hoje.

B. Razão. Os evolucionistas assumem o uniformitarismo porque é essencial para o seu sistema. Um evolucionista precisa de uma terra antiga para apoiar sua teoria de que há evolução de uma espécie para outra. A maioria dos evolucionistas acredita que, para uma nova espécie surgir, leva pelo menos quinhentos milhões de anos. Eles trabalham com a teoria de que, com tempo suficiente, tudo pode acontecer.

C. Resultados. O uniformitarismo permitiu aos geólogos montar uma coluna geológica, que inclui vários tipos de camadas ou estratos terrestres. A primeira camada foi depositada cerca de um bilhão de anos atrás, e as camadas subsequentes a intervalos de centenas de milhões de anos. Durante esses longos períodos, a evolução orgânica ocorreu de alguma forma produzindo vários tipos de plantas e animais. Consequentemente, nos estratos inferiores, encontramos restos fósseis de formas simples de vida e, nas camadas mais altas, os mais complexos. A coluna geológica que começa com a mais antiga para a mais nova é: arcaica (não datável), cambriana 1.000.000.000 anos), ordoviciana (900.000.000 anos), siluriana (800.000.000 anos), devoniana (700.000.000.000), Carbonífero (6.000.000.000 anos), permiano ( 500.000.000 de anos), Triássico (400.000.000 de anos), jurássico (300.000.000 de anos), Cretáceo (200.000.000 de anos), terciário (100.000.000 de anos), pleistoceno (10.000.000 de anos) e presente.

NOTA: Começando em algum lugar do período cambriano, a vida primitiva teve seu início e, em seguida, evoluiu através da vida marinha, répteis, mamíferos e depois pelo homem. Segundo os evolucionistas, o homem tem pelo menos 10 milhões de anos.

D. OBJEÇÕES AO UNIFORMITARIANISMO
1. É pura suposição de que todas as coisas foram uniformes, pois a ciência realmente não sabe de nem de um jeito nem de outro.
2. Não há lugar em toda a terra onde toda a coluna geológica possa ser vista como uma unidade. De fato, não há um local onde mais de duas ou três camadas sejam encontradas uma acima da outra.
3. A ordem dos estratos não é a mesma em todos os lugares em que são encontrados, um acima do outro. De fato, em muitos lugares há uma condição invertida das rochas. Às vezes, os estratos mais antigos são encontrados no nível superior.
4. A verdadeira falácia do sistema é que os fósseis são organizados primeiro de acordo com os estratos em que são encontrados e os estratos são organizados de acordo com os fósseis encontrados neles. Ou, em outras palavras, eles datam os fósseis pelos estratos e os estratos pelos fósseis.

III. TEORIA EVOLUCIONISTA DA IDADE DA TERRA

A. Introdução. Alguns evolucionistas colocaram a idade da Terra em 45 bilhões de anos. Alguns que são mais conservadores falam que o mundo tem apenas 1,2 milhão de anos. Quaisquer que sejam os métodos que eles possam usar para datar a Terra, todos são baseados no uniformitarismo.
B. Métodos ultrapassados ​​de datação da Terra
1. Resfriando a crosta terrestre. Presumindo que a crosta terrestre já foi derretida, pode-se fazer uma estimativa do tempo necessário para que ela esfrie até seu estado atual de temperatura. Uma resposta de alguns bilhões de anos é obtida.

OBJEÇÃO. Presumindo a criação, Deus poderia ter criado a terra sem a processo de fusão ou em várias etapas do resfriamento.
2. Salinidade do oceano. A quantidade atual de sal nos oceanos e a taxa com que o sal foi transportado para os oceanos permitem cálculos que dão uma idade para os oceanos da ordem de um bilhão de anos.

OBJEÇÃO. Porque Deus não pôde fazer sal marinho desde o princípio?

3. Sedimentação de Rochas. A taxa na qual as rochas ígneas (rochas cristalizadas a partir de materiais fundidos) foram transformadas em rochas sedimentares produz uma idade estimada para a Terra de alguns bilhões de anos.

OBJEÇÕES: (1) Deus na criação original poderia ter feito rochas ígneas e rochas sedimentares de uma só vez com a aparência da idade; (2) Pode-se provar que, mesmo agora, a sedimentação não ocorre na mesma proporção em todo o mundo. As condições climáticas e ambientais são fatores definidos.

4. Recessão da Lua. A lua está gradualmente se afastando da terra. Estudos da taxa desse movimento, juntamente com a suposição de que a lua partiu de uma posição muito próxima da Terra, rendem um tempo de alguns bilhões de anos atrás para o processo inicial.

OBJEÇÃO. Eles devem assumir a posição original da lua em relação à terra. Deus, quando criou o universo, poderia ter colocado a lua a qualquer distância da Terra e a taxa de movimento de uma só vez poderia ter sido maior do que é agora.

5. Velocidade da luz. Matematicamente, é possível calcular o tempo que a luz leva para viajar de estrelas distantes para a Terra e isso equivale a milhões de anos.

OBJEÇÃO: Deus que criou as estrelas poderia ter feito a luz cair sobre a terra no momento da criação. Deus também poderia ter acelerado a luz em qualquer grau que Ele escolhesse.
C. Métodos populares de datar a terra
1. Datação radioativa. A radioatividade é um processo no qual certos elementos emitem espontaneamente raios e partículas e são transformados em outros elementos, chamados produtos de decaimento ou elementos filhos. Esse processo funciona como um relógio de ponto, porque a taxa de decaimento é bastante regular e não é influenciada por forças ambientais, como calor, luz ou pressão. A taxa de decaimento para cada elemento radioativo pode ser determinada com precisão. Alguns desses métodos de datação radioativa são o urânio se transformando em chumbo, o urânio se transformando em hélio ou o potássio em argônio. Por esse método, os cientistas afirmaram que a Terra tinha mais de cinco bilhões de anos.

OBJEÇÕES:
a. É preciso presumir que nenhuma parte do elemento filha estava originalmente na rocha. No entanto, o mesmo Deus que criou o elemento mãe poderia ter colocado o elemento filha na rocha ao mesmo tempo.
b. Todos os minerais comuns de rochas ígneas, exceto o quartzo se aderem prontamente.
c. Elementos podem entrar em uma rocha através do tempo, como oxigênio, água e dióxido de carbono, o que afetaria o processo de datação.
d. Um diluvio mundial, como afirma a Bíblia, teria tido um grande efeito ao perder os elementos nas rochas.
2. Datação por radiocarbono (carbono-14): o carbono-14 é carbono radioativo e se forma com o oxigênio (02) formando dióxido de carbono (CO2). É então absorvido pelas águas da terra e é usado pelo cultivo de plantas. Nas plantas, torna-se parte da estrutura. Os animais que se alimentam das plantas também levam o C-14 para sua estrutura. O carbono-14 é um dos vários materiais radioativos que nosso próprio corpo contém. Assim que um ser vivo morre, o C-14 novo não é mais absorvido e o radiocarbono começa a lição. Assim, quanto mais antigo o material orgânico, menor o radiocarbono nele deixado.

OBJEÇÕES:
a. Deve-se presumir que a quantidade de C-14 e C02 sempre foi uniforme ou igual, mas isso não pode ser provado. Temos provas de que o radiocarbono foi reduzido por causa da revolução industrial e durante várias erupções vulcânicas e isso afetaria um pouco a datação por rádio.
b. Supondo que o registro bíblico seja preciso, ele fala do vapor de água que envolve a terra na criação original (Gênesis 1:7; 2:6). O dossel da água certamente filtraria grande parte do carbono-14. Se o vapor d'água caísse na terra durante o Dilúvio, seria razoável supor que a radiação cósmica realmente começou como a conhecemos hoje naquele momento. Isso reduziria as coisas datadas pelo radiocarbono para praticamente nada.
c. Da ciência e do registro bíblico, temos muitos motivos para acreditar que a terra tinha uma vegetação exuberante. Isso definitivamente afetaria a quantidade de dióxido de carbono na atmosfera. Não é irracional questionar se todas as coisas eram uniformes.
d. A datação por carbono 14 é confiável apenas por cerca de 25.000 anos.

PONTO: Enoque no livro Evolução ou Criação diz:
Assim, para a questão de qual a idade da Terra ou qual a idade de um fóssil em particular, nenhuma resposta científica confiável pode ser dada. Não existe um método confiável de data que possa provar cientificamente a idade correta ou mesmo aproximada da rocha, por mais de 4 a 5.000 anos! (p. 36)

IV. CRIACIONISTAS RESPONDEM AOS EVOLUCIONISTAS COM A IDADE DA TERRA

A. Rejeição do Uniformitarismo. O uniformitarismo não é comprovável por processos observáveis. É simplesmente uma teoria que nunca foi provada. A idade real da terra está aberta a disputas
B. Idade da aparência. Uma vez que Deus criou por um ato direto, isso requer a aparência da idade (ou seja, Adão e Eva foram criados como adultos, não crianças; eles tinham a aparência da idade, embora com o tempo fossem jovens).

NOTA: Nesse ponto, um evolucionista pode dizer que Deus nos enganou se as coisas tivessem uma aparência de idade. John C. Whitcomb, Jr., em seu livro Criação segundo a palavra de Deus, responde a esse problema,
A essa objeção bastante comum, precisamos apenas responder que Deus não nos enganou em tais assuntos se Ele nos deu um livro para nos contar o que fez. Não temos ninguém para culpar, a não ser a nós mesmos, se rejeitarmos o registro escrito de Suas obras criativas e milagrosas na história. (p. 8)
C. Lacunas nas genealogias. Baseado em uma interpretação estrita das genealogias de Gênesis 5 e 11, o arcebispo anglicano Ussher, por volta de 1650 DC, colocou a idade da Terra em torno de 6.000 anos, com a data de criação em 4004 a.C. Esta data foi colocada na Bíblia King James por volta de 1701 d.C. Ussher chegou a essa posição adicionando a expectativa de vida dos homens listados em Gênesis 5 e 11 e em outras partes do Antigo Testamento, rastreando-a até Adão.

NOTA: Na verdade, os manuscritos hebraicos de Gênesis não têm data de criação. Nem o cientista nem o criacionista podem fixar a data do princípio.

NOTA: Talvez haja grandes lacunas nas genealogias. Elas podem não ser baseadas em relacionamentos de pai e filho. Moisés não precisou listar todas as pessoas na linha direta. Também não é explicitamente declarado em nenhum lugar que as listas são fornecidas com o objetivo de nos permitir calcular a idade da Terra. Gleason L. Archer, Jr., no livro Survey of Old Testament Introduction, diz:
As genealogias registravam apenas os membros mais proeminentes da ascendência de Abraão, omitindo um número indeterminado de ligações (embora presumivelmente não sejam tantos quantos os nomes realmente mencionados nas listas em questão). Uma variação dessa visão interpretaria a fórmula "A gerou B" como significando o próprio B ou algum ancestral sem nome de B (perfeitamente permitido no jargão hebraico, já que ocasionalmente se diz que os avós geraram seus netos; pelo menos se fala em netos de Bila) como seus filhos em 1 Cr 7:13). As idades dos patriarcas que viveram vários séculos (até 900 anos ou mais) seriam entendidas como a vida real dos indivíduos nomeados.
PONTO: As lacunas nas genealogias podem permitir que o estudioso da Bíblia volte até dez a quinze mil anos como a data original da criação.

D. CONCLUSÃO: Os criacionistas não podem ter certeza da idade da Terra, mas a evidência está no fato de que a Terra é muito jovem.

V. PORQUE A EVOLUÇÃO É TÃO POPULAR?

A. O pensamento do dia é secular, e não bíblico, e a evolução é atraente para a mente secular.
B. A ciência tornou-se quase um deus para muitas pessoas e elas se ofendem se o sistema de evolução for desafiado.
C. Existem muito poucas pessoas realmente desafiando a teoria da evolução de maneira factual. A maioria dos cristãos evita o problema ou o combate emocionalmente
D. Alguns cientistas aceitam a teoria porque estão convencidos de que é apoiada pela evidência. Outros preferem qualquer teoria que os liberte da necessidade de introduzir o sobrenatural na ciência, aceitando um ato criativo de Deus. Mas também é verdade que muitos a aceitam porque é a teoria dominante no ramo da ciência em que trabalham. É um suicídio profissional para a maioria dos cientistas desafiar a teoria da evolução.

Gostou Desse Esboço? Olha a Novidade Que Tenho Para Você!

Eu preparei um E-book Com 365 Esboços de Sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! CLIQUE AQUI para adquirir seu livro.

A TEORIA DA EVOLUÇÃO (IDADE DA TERRA) A TEORIA DA EVOLUÇÃO (IDADE DA TERRA) Reviewed by Aldenir Araújo on outubro 30, 2019 Rating: 5

Nenhum comentário:

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

Tecnologia do Blogger.