Triunfante Sobre a Morte

Triunfante Sobre a Morte
Texto: Apocalipse 1:18

Introdução: Nas últimas semanas, discutimos várias passagens em que a derrota parecia inevitável para o povo de Deus, e ainda assim o Senhor trouxe grande vitória para eles. No meio da impossibilidade, o Senhor trabalhou de maneira poderosa e milagrosa. Enquanto cada situação era diferente, todos experimentaram a impressionante presença e onipotência do Senhor. Eles descobriram que eles eram mais do que conquistadores por meio dele.

Embora todas as situações que consideramos tenham acontecido há milhares de anos, nós também podemos vencer através de Cristo, nosso Salvador. Como os santos antes de nós, Sua presença e poder permanecem à disposição de todos os que estão em Cristo. Paulo declarou - somos mais que vencedores por meio daquele que nos amou! Temos a esperança e a garantia da vitória porque Cristo, nosso Senhor, garantiu a vitória final. Ele enfrentou a morte e ressuscitou em vida triunfante. Por causa de Sua gloriosa ressurreição, somos mais que vencedores em qualquer provação que enfrentemos por meio de Cristo.

Hoje é um dia de celebração e louvor ao crente. Nós nos reunimos nesta noite para celebrar o triunfo vitorioso de nosso Senhor e Redentor. Nenhum triunfo maior jamais aconteceu do que a ressurreição de Cristo. Há aí nossa esperança e segurança para o futuro. Ao considerarmos o maior triunfo de todos os tempos, quero examinar as certezas que nosso Senhor revelou nesse versículo enquanto refletimos sobre o tema: Triunfante sobre a morte. Observe:

I. Ele Falou de Sua Crucificação. V. 18a

- “...e o que vivo; fui morto”. Quando João esteve na presença do Cristo ressuscitado, nosso Senhor afirmou Sua morte. Para alguns, isso foi uma surpresa, mas Jesus sabia que esse era o Seu propósito de vir à Terra na forma de um homem. Ele veio à terra para morrer! Ele veio oferecer-se em sacrifício pelo pecado da humanidade. Todos nasceram em pecado, separados de Deus. Por causa do pecado, todos foram condenados e dignos de justo juízo. Para que a expiação fosse feita pelo pecado, tinha que haver um sacrifício perfeito. Só Jesus foi digno de se tornar esse sacrifício. Para que os homens fossem perdoados e reconciliados com Deus, Jesus tinha que vir, envolto em carne, e oferecer-se como sacrifício expiatório.

- Ao refletir sobre as poderosas palavras de nosso Senhor, lembrei-me da enormidade da morte. É o único aspecto da vida que os homens mais temem. Existe um desejo inato dentro de nós de viver. Quando Jesus veio ao mundo, muitos creram nele como o Cristo. Eles seguiram Seus ensinamentos e depositaram sua confiança nEle como Deus em carne. Não podemos imaginar a tristeza e a dor que sentiram quando Jesus morreu na cruz. Sem dúvida, sua esperança e sonhos foram destruídos naquele momento. Aquele em quem eles criam, Aquele em quem depositaram sua eterna confiança havia morrido. Agora seus corações estavam cheios de dúvida, medo e incerteza. Lucas 23:46 – “Jesus, clamando com grande voz, disse: Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito. E, havendo dito isso, expirou”. Lucas 24:1 – “Mas já no primeiro dia da semana, bem de madrugada, foram elas ao sepulcro, levando as especiarias que tinham preparado”. A esperança dessas mulheres e de todos os que seguiram a Cristo parecia sepultada com Ele no sepulcro.

- Tais momentos de dúvida e desespero permanecem hoje. Continuamos a viver em corpos de carne que não são imortais. Nós enfrentamos a morte e outros obstáculos intransponíveis. Se Jesus não tivesse suportado a morte e vencido triunfante, ainda estaríamos sem esperança. No entanto, não há nada a temer para aqueles que estão em Cristo. Não enfrentamos nada, nem mesmo a própria morte que não possamos vencer Nele.

II. Ele Falou de Sua Ressurreição. V. 18a

- “...e o que vivo; fui morto”. Tenha em mente que João havia encontrado o Cristo ressuscitado após a ressurreição, mas Jesus ofereceu a ele um lembrete glorioso ao receber o Apocalipse. Embora Jesus estivesse morto, enterrado dentro da tumba por três dias, Ele agora estava vivo e falando com João.

- Este é o fato que diferencia o cristianismo de todas as outras formas de religião e movimentos espirituais. Se Cristo não tivesse ressuscitado da tumba, Ele teria sido como qualquer outro homem que veio antes dele. Ele teria sofrido a mesma derrota, um mero mortal sucumbindo ao aperto gelado da morte. No entanto, Jesus ficou na sepultura por três dias, mas a sepultura não pôde segurá-lo. O que parecia ser sua maior derrota foi, na verdade, seu maior triunfo! Naquela terceira manhã gloriosa, Jesus saiu em vida de ressurreição triunfante. Ele não estava destinado a se tornar uma outra entrada entre os grandes homens da história. Jesus não era como os outros; Ele era Deus vestido em carne. Satanás procurou a sua derrota, mas foi incapaz de manter Jesus preso na morte! Lucas 24:5-6 – “e ficando elas atemorizadas e abaixando o rosto para o chão, eles lhes disseram: Por que buscais entre os mortos aquele que vive? Ele não está aqui, mas ressurgiu. Lembrai-vos de como vos falou, estando ainda na Galileia”. 1 Coríntios 15:4-8 – “que foi sepultado; que foi ressuscitado ao terceiro dia, segundo as Escrituras; que apareceu a Cefas, e depois aos doze; depois apareceu a mais de quinhentos irmãos duma vez, dos quais vive ainda a maior parte, mas alguns já dormiram; depois apareceu a Tiago, então a todos os apóstolos; e por derradeiro de todos apareceu também a mim, como a um abortivo”.

- É aqui que a nossa esperança e vitória descansa hoje. Se Jesus não tivesse ressuscitado da tumba, não teríamos esperança de vida eterna. Mas, porque Ele vive, nós também temos a gloriosa promessa da vida de ressurreição além do túmulo. A morte não foi final para Cristo, nosso Senhor, e não será final para aqueles que estão em Cristo, salvos pela Sua graça! João 11:25-26 – “Declarou-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que morra, viverá; e todo aquele que vive, e crê em mim, jamais morrerá. Crês isto? ”. Romanos 4:25 – “o qual foi entregue por causa das nossas transgressões, e ressuscitado para a nossa justificação”.

III. Ele Falou de Sua Ascensão. V. 18a

- “...e o que vivo; fui morto, mas eis aqui estou vivo pelos séculos dos séculos”. Jesus afirmou que Ele estava destinado a nunca mais provar a morte. Ele não foi o primeiro a experimentar a vida da ressurreição, mas Ele foi o primeiro a ressuscitar da sepultura e não morrer mais. Embora Ele tivesse vivido e morrido, Ele agora estava vivo e bem vivo para todo o sempre!

- Ao considerar estas poderosas palavras de nosso Senhor, lembrei-me de Sua gloriosa ascensão também. Após um breve período de quarenta dias na terra após a ressurreição, Jesus subiu de volta ao Pai. Atos 1:10-11 – “Estando eles com os olhos fitos no céu, enquanto ele subia, eis que junto deles apareceram dois varões vestidos de branco, os quais lhes disseram: Varões galileus, por que ficais aí olhando para o céu? Esse Jesus, que dentre vós foi elevado para o céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir”. Jesus está agora sentado à direita do Pai, fazendo intercessão pelos crentes. Ele não está ocioso; Ele permanece como nosso mediador e intercessor. Hebreus 12:2 – “fitando os olhos em Jesus, autor e consumador da nossa fé, o qual, pelo gozo que lhe está proposto, suportou a cruz, desprezando a ignomínia, e está assentado à direita do trono de Deus”. Hebreus 7:25 – “Portanto, pode também salvar perfeitamente os que por ele se chegam a Deus, porquanto vive sempre para interceder por eles”.

- Nosso Senhor também está preparando os salvos pela graça para se unirem a Ele por toda a eternidade. Este mundo de pecado, morte e tristeza não é tudo o que temos que esperar na vida. Há um dia melhor vindo quando habitaremos as glórias do céu na presença de nosso Senhor e Salvador! João 14:1-3 – “Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito; vou preparar-vos lugar. E, se eu for e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos tomarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também”.

IV. Ele Falou de Sua Provisão. V. 18b

- “...e o que vivo; fui morto, mas eis aqui estou vivo pelos séculos dos séculos; e tenho as chaves da morte e do inferno”. A morte é o aspecto da vida que os homens mais temem. É a batalha final que enfrentamos antes de deixar esta vida. Desde a queda do homem no Jardim, a morte reinou sobre esta terra. Nós continuamos a lidar com ela hoje. O salário do pecado é a morte, mas o dom de Deus é a vida eterna através de Jesus Cristo, nosso Senhor. A morte e o inferno não puderam segurar a Cristo quando Ele foi enterrado no túmulo. Ele subiu em vitória triunfante, tendo as chaves do inferno e da morte! Não há mais nada a conquistar; não há adversário que possa derrotá-lo! Enquanto o pecado traz a morte para aqueles que se recusam a se arrepender e receber a Cristo, a salvação traz libertação do juízo do pecado e promete a vida eterna!

- Os salvos pela graça são libertos da condenação em Cristo Jesus nosso Senhor. Nós não precisamos mais temer a morte ou sermos responsáveis ​​pelo nosso pecado. Cristo assegurou nossa salvação e nos libertou da escravidão do pecado, morte e inferno. Romanos 8:1 - “Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus”. 2 Timóteo 1:10 – “e que agora se manifestou pelo aparecimento de nosso Salvador Cristo Jesus, o qual destruiu a morte, e trouxe à luz a vida e a imortalidade pelo evangelho”. João 5:24 - “Em verdade, em verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna e não entra em juízo, mas já passou da morte para a vida”. Hebreus 2:14-15 – “Portanto, visto como os filhos são participantes comuns de carne e sangue, também ele semelhantemente participou das mesmas coisas, para que pela morte derrotasse aquele que tinha o poder da morte, isto é, o Diabo; e livrasse todos aqueles que, com medo da morte, estavam por toda a vida sujeitos à escravidão”.

Conclusão: Hoje celebramos a vitória final da humanidade. Esta vitória foi garantida em nosso favor. O Senhor Jesus Cristo levou o nosso pecado enquanto suportava o justo julgamento de Deus por você e por mim. Ele morreu em nosso lugar, para que pudéssemos escapar da morte eterna. Ele ressuscitou em vida triunfante, trazendo a promessa de ressurreição e vida eterna a todos os que nEle crêem. Esta é a maior vitória já falada pelos lábios humanos.

Sou grato pela vitória que tenho em Cristo. Ele proporcionou o que eu sozinho nunca poderia realizar. Minha fé repousa na obra consumada de Cristo, meu Senhor, através de Sua maravilhosa graça. Celebro um Senhor vivo e ressuscitado que intercede diariamente por mim e prepara todos os redimidos para o céu. Você conhece a Cristo como seu Salvador pessoal? Se sim, regozije-se e ofereça-lhe louvores. Se não, peço-lhe que responda pela fé e no arrependimento do pecado pela salvação hoje!

Gostou desse esboço? Olha a novidade que tenho para você!


Eu preparei um e-book com 365 sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá á  disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! Clique Aqui para adquirir seu livro.

Triunfante Sobre a Morte Triunfante Sobre a Morte Reviewed by Aldenir Araujo on maio 03, 2018 Rating: 5

Nenhum comentário:

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

Tecnologia do Blogger.