Preparando nosso Coração e Mente (Parte 1)

Preparando nosso Coração e Mente (Parte 1)
Texto: Filipenses 4:4-9
 
Introdução: Ao caminhar nesta jornada cristã, enfrentamos muitos desafios que devemos superar para obter a vitória espiritual. Embora esses desafios sejam muitos, provenientes de uma variedade de fontes, nenhum deles é maior do que as batalhas que lutamos em nossa mente e coração. Afirmei muitas vezes que tenho mais problemas com a carne do que qualquer outra fonte externa de oposição. Juntamente com as lutas da carne, vêm as batalhas que se enfurece dentro da mente.
 
Para entender melhor o ensinamento de Paulo nesses versículos, é preciso compreender a composição do corpo humano. Quando nós vemos somente a aparência exterior, a carne física, nossos corpos são compreendidos realmente de três porções - corpo, alma e espírito. No momento da salvação, nosso espírito é vivificado em Cristo nosso Senhor. É selado até o dia da redenção. No entanto, após a salvação, continuamos a lidar com as lutas associadas ao nosso corpo e alma. A maioria tem uma compreensão adequada do corpo, e está mesmo ciente dos desejos e cobiças fortes da carne. Muitos não entendem completamente a alma do homem. A alma é realmente a sede do intelecto - o raciocínio, vontade e emoções do corpo. É através da alma que sentimos, processamos a informação e reagimos ao que percebemos. A alma é realmente a mente do corpo.
 
Quer queiramos admitir ou não, a maioria das batalhas que lutamos se originam dentro da mente. Paulo estava bem ciente disto, e sabia que nosso coração e mente devem estar preparados para a batalha, tanto, senão mais do que a carne. 2 Coríntios 10:3-5 – “Porque, embora andando na carne, não militamos segundo a carne, pois as armas da nossa milícia não são carnais, mas poderosas em Deus, para demolição de fortalezas; derribando raciocínios e todo baluarte que se ergue contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo pensamento à obediência a Cristo”. Claramente ele fala de uma batalha que se enfurece dentro da mente do crente. Considere novamente os seus pensamentos em Efésios – “pois não é contra carne e sangue que temos que lutar, mas sim contra os principados, contra as potestades, conta os príncipes do mundo destas trevas, contra as hostes espirituais da iniquidade nas regiões celestes”. Efésios 6:12. Paulo sabia que Satanás gosta de atacar a mente; e se devemos superar esses ataques espirituais, devemos preparar e guardar nossa mente.
 
Como veremos, Paulo lida com o coração e a mente do crente em nosso texto. A fim de vencer e desfrutar a vitória, nosso coração e mente devem estar estabelecidos no Senhor e preparados para envolver o inimigo. Vamos examinar os desafios dentro do texto ao considerar: Preparando nosso Coração e Mente.

I. Um apelo para alegrar-se. V. 4

- “Regozijai-vos sempre no Senhor; outra vez digo, regozijai-vos”. Este apelo trata do coração e da mente. Considere:
 
A. A admoestação. V. 4 - Paulo não oferece uma sugestão que pudesse ser benéfica para eles; ele admoestou os crentes a se alegrar no Senhor. Ele desejava que os crentes expressassem sua alegria e alegria no Senhor. Paulo advertiu-os a se alegrarem no Senhor.
 
- Se você se lembra da nossa introdução, descobrimos que muitos consideram que esta é a epístola de alegria de Paulo. Repetidas vezes ele fala de alegria e regozijo no Senhor. Para viver uma vida produtiva e vitoriosa, devemos desenvolver uma atitude de alegria.
 
B. A expectativa. V. 4 - Nós não somos estudiosos gregos, mas é interessante notar que a palavra se alegrar é falada de forma a implicar alegria contínua. Significa, literalmente, continuar a regozijar-se no Senhor. Paulo até repetiu a admoestação - novamente eu digo: Alegrai-vos.
 
- Muitos tendem a acreditar que é difícil manter uma atitude de regozijo. Receio que confundam alegria e felicidade. Tenha em mente, Paulo está preso na prisão neste momento. A igreja em Filipos está enfrentando oposição e grande adversidade. Há pouco para gerar felicidade naquele momento, mas felicidade e alegria não são sinônimos. A felicidade depende das circunstâncias exteriores, enquanto a alegria vem de dentro. Paulo pode não ter ficado feliz com sua situação atual, mas encontrou razão para se alegrar no Senhor.
 
- Que a verdade eterna nos permita ter a capacidade de nos alegrarmos sempre no Senhor. Nossos sentimentos vão mudar. Muitas vezes enfrentamos circunstâncias na vida que são difíceis, deprimentes e onerosas. Somos forçados a lidar com mudanças nas pessoas. Talvez você tenha colocado confiança em um indivíduo em particular, e ainda assim ele traiu sua confiança. A felicidade é muitas vezes afetada pela mudança. No entanto, podemos sempre nos alegrar no Senhor porque Ele nunca muda. Ele é o mesmo ontem, hoje e eternamente. As dificuldades da vida que afetam a felicidade não alteram nossa segurança no Senhor. Independentemente do que enfrentamos na vida, podemos nos alegrar no Senhor, sabendo que a vida eterna nele é prometida! Romanos 8:18 – “Pois tenho para mim que as aflições deste tempo presente não se podem comparar com a glória que em nós há de ser revelada”. 2 Coríntios 4:17 - “Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós cada vez mais abundantemente um eterno peso de glória”. Pode parecer difícil às vezes, mas é possível se alegrar no Senhor sempre. Devemos preparar nosso coração e mente para regozijarmos Nele!

II. Um apelo para permanecer. V. 5-7

- Compreendendo as lutas que enfrentavam, Paulo instou a igreja a permanecer firmes no Senhor. Paulo exortou-os a permanecer:
 
A. Resilientes. V. 5“Seja a vossa moderação conhecida de todos os homens. Perto está o Senhor”. A igreja enfrentou muito que criou preocupação dentro de suas vidas. Eles eram frequentemente maltratados por aqueles que os rodeavam e até mesmo perseguidos por sua fé. Em tempos de desespero, eles foram tentados a abandonar sua fé e responder de igual modo às pressões que enfrentavam. Havia muito em jogo para eles se conformarem a essas pressões. Eles deveriam permanecer comprometidos com o Senhor, sendo resistentes diante da oposição.
 
- Paulo exortou-os a viver de tal maneira que a sua moderação fosse evidente para todos os que os encontrassem. Esta é uma palavra interessante que carrega uma variedade de aplicação. Doçura razoável, generosidade, boa vontade, amizade, magnanimidade, caridade para com as faltas dos outros, misericórdia para com os fracassos dos outros, indulgência com os fracassos dos outros, suavidade, abnegação, moderação, tolerância e mansidão são algumas das tentativas de capturar o rico significado de epieikēs. Talvez a melhor palavra correspondente seja graça - a graça da humildade; a graça humilde que produz a paciência para suportar injustiça, desgraça e maus tratos sem retaliação, amargura ou vingança. Isso é contentamento.
 
- Você terá que concordar que tal atitude e abordagem à dificuldade vai contra a natureza humana. Somos admoestados a demonstrar um espírito de graciosa humildade para com os outros, em vez de reagir com raiva ou hostilidade. Devemos permanecer pacientes e humildes diante da oposição e da adversidade. Muitas vezes é difícil conter nossas emoções. A mente imediatamente procura responder em uma postura defensiva, reagindo de forma semelhante ao que encontramos. Devemos permanecer resistentes na fé e resistir ao desejo de atacar. Ao invés de ser consumido pelo egoísmo que sempre procura nosso próprio benefício, devemos considerar os outros, mesmo à custa de nossos sentimentos e orgulho. Não podemos permitir que um momento de fraqueza, por meio da raiva ou do orgulho, prejudique nosso testemunho. O Senhor está próximo; Ele virá logo, e temos de fazer tudo o que pudermos para alcançar aqueles que permanecem separados Dele.
 
B. Confiante. V. 6a“Não andeis ansiosos por coisa alguma”. Devemos entender o que Paulo está procurando transmitir. Alguns podem olhar para isto e discernir que Paulo está defendendo uma vida de abandono imprudente, vivendo descuidadamente e irresponsavelmente. Esse não é certamente o caso. A palavra traduzida como "ansioso" tem a ideia de "preocupação excessiva, ser incomodado com cuidados". Paulo exortou a igreja a permanecer confiante no Senhor, descansando em Sua graça e confiando Nele. Eles não deveriam estar ansiosos com suas vidas ou o futuro. Não havia motivo para preocupação ou medo desnecessário. Ele não repreende uma preocupação genuína, mas uma preocupação sem sentido.
 
- Agora, vou admitir que sou fraco nessa área. Eu me preocupo mais do que deveria. Quando confrontado com situações que causam grande preocupação, eu permito que essas preocupações consumam minha mente. Eu costumo pensar nelas por longos períodos de tempo. Ao fazê-lo, eu permito que o inimigo ocupe a minha mente sem pagar aluguel! Eu abro a porta e o acolho para uma estadia prolongada. Se você é honesto, muitos de vocês terão que admitir o mesmo.
 
- Precisamos entender que tal ansiedade e preocupação são realmente pecado. Estamos, em essência, declarando que não confiamos no Senhor para satisfazer nossas necessidades. Talvez não conscientemente, mas pensamos que Deus é de alguma forma incapaz ou não quer fazer nada sobre nossa situação. Ao invés de entregar a Deus nossos problemas e descansar em Sua capacidade de lidar com eles, nós os carregamos e sofremos sob a pesada carga que eles trazem. Jesus advertiu sobre essa ansiedade no Sermão da Montanha, Mateus 6:25-34. A preocupação é carregar a carga de amanhã com a força de hoje – carregando dois dias de uma só vez. Isso é se move para o amanhã antes do tempo. A preocupação não esvazia o amanhã de sua tristeza, esvazia o hoje de sua força.
 
Conclusão: Eu esperava poder passar por esses versículos hoje, mas há muito a considerar. Esta passagem é relevante e necessária para nossas vidas, e eu preciso de tempo necessário para recolher a grande verdade que ela oferece. Vamos observar a última parte do versículo seis em nosso próximo sermão.
 
O Senhor falou com você hoje através dessa mensagem até agora? Você é capaz de se alegrar, mesmo quando a vida é difícil? Você responde com espírito de graça quando confrontado ou maltratado por outros? Você tende a se preocupar mais do que deveria? Se assim for, exorto-o a buscar o Senhor por força e sabedoria que necessita. A vitória é possível, mas temos de vencer a batalha que muitas vezes cresce em nossa mente.
 
Se você ainda tem não recebeu a Cristo pela fé para a salvação, você não desfruta dos benefícios de Sua graça. Receba Ele e seja salvo hoje.

Gostou desse esboço? Olha a novidade que tenho para você!

A Universidade da Biblia preparou um Kit com mais de 2.000 Ilustrações, Esboços e Sermões! Um Acervo com Ilustrações e Sermões Valiosos! Grandes sermões! Ilustrações selecionadas! Esboços detalhadamente prontos!

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição um excelente material! Clique Aqui para adquirir seu KIT.

Preparando nosso Coração e Mente (Parte 1) Reviewed by Aldenir Araujo on quinta-feira, janeiro 05, 2017 Rating: 5

Nenhum comentário:

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:
1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

All Rights Reserved by O Pregador © 2014 - 2015
Designed by Blogger

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.