A Bíblia é a infalível palavra de Deus


A Bíblia é a infalível palavra de Deus
Texto : II Timóteo 3:14-17; Isaías 5:10-11

Introdução: A Palavra de Deus é infalível. A sua infalibilidade tem sido alvo de contradição da parte dos racionalistas que defendem a ideia da inspiração parcial da Bíblia e negam a sua inspiração plena.

Entretanto, neste estudo, vamos estudar alguns argumentos que provam a infalibilidade da Palavra de Deus.

I. A origem sobrenatural da bíblia

Vamos analisar a sua origem sobrenatural. Em 2 Timóteo 3.16 o apóstolo Paulo declara: "Toda Escritura divinamente inspirada é proveitosa...".

Para entendermos a origem sobrenatural da Bíblia, devemos considerar três aspectos dessa origem que fortalecem a infalibilidade da Palavra de Deus. São elas: Revelação, Inspiração e Autoridade da Bíblia.
Há uma relação entre Revelação, Inspiração e Autoridade que toma a Bíblia um Livro singular, o Livro dos livros. A Bíblia não teria autoridade senão pela revelação e inspiração divinas.
1. A revelação divina na Bíblia. A palavra revelação significa "tornar conhecido, mostrar". No latim o termo revelare significa "por para trás o véu para que se veja" . Segundo Thayer, o significado bíblico de revelação é: descobrir, despir. Significa "tomar a verdade conhecida". Jesus declarou que “Deus é Espírito” (João 4:24); por isso entendemos que é impossível ao homem, por seus próprios meios, conhecer a Deus, visto que Ele é imperceptível aos sentidos naturais. Pode o homem finito conhecer o infinito, o mortal conhecer o imortal, o limitado conhecer o ilimitado, sem que haja uma revelação? Não! Precisamos da revelação de Deus. E Ele se revela aos homens. Só Ele, o próprio Deus, pode tomar a ini­ciativa de se revelar a Si mesmo através de manifestações capazes de alcançar a percepção humana. Vejamos três modos pelos quais Dois tem se revelado ao homem:
a. A revelação natural. É feita me­diante o fato da Criação. É impossível ne­gar a existência de Deus diante da beleza da Criação (SI 19.1-6). Porém, essa revela­ção toma-se insuficiente por causa da in­credulidade do homem. Daí a necessidade de uma revelação mais objetiva. Em At 14.17, temos a prova que Ele deu essa revelação de Si mesmo através de um modo mais explícito, a escrita.
b. A revelação escrita. A Bíblia é a revelação escrita de Deus ao homem. Toda a Sua vontade está expressa na Bíblia, a Sua Palavra. A revelação estrita não anulou a revelação natural de Deus, mas a tornou ainda mais viva e real, propiciando ao homem uma revelação pessoal, como o Deus Todo-Pode- roso.
c. A revelação pessoal (João 5.39; Lucas 24.25-27; Mateus 5.17,18; João 1.18). A revelação escrita seria incompleta, se a profecia, que trata da Revelação Pessoal de Deus, não tivesse tido o seu cum­primento. Todas as profecias do Antigo Testamento anunciavam uma revelação pessoal de Deus, a qual foi feita através de Jesus Cristo.
2. A inspiração da Bíblia. É preciso não confundir revelação com Inspiração. A revelação é o ato divino pelo qual Deus se torna conhecido pelos homens. A inspiração diz respeito ao modo como os homens receberam a revelação e a transmitiram. No grego, a palavra inspiração é THEOPNEUSTOS, que significa sopro, ou o que é soprado ou inspirado por Deus. É com este sentido que Paulo declara: "Toda a Escritura divinamente inspirada..." (2 Timóteo 3.16). Entendemos que o Espírito Santo inspirou os escritores, capacitando-os a registrarem de modo correto a revelação recebida de Deus. De fato, inspiração refere-se ao ato de receber e transmitir, relatando com suas próprias palavras, a verdade de Deus.
3. A autoridade da Bíblia. A partir da declaração de que a revelação e a inspiração da Bíblia vem de Deus e a toma infalível, a. questão da autoridade serve tão-somente para reforçar essa declaração. Entretanto, o que destaca esse ponto de nossa lição é o fato da inerrância da Bíblia. Existem provas extra bíblicas que dão autoridade à Bíblia nos campos da Arqueologia, da An­tropologia e da História. Porém, a prova inconteste da autoridade da Bíblia está na própria Bíblia.

II. A inerrância da Bíblia

1. A Bíblia é infalível. Ela não contém erros. Ela é a Palavra da Verdade. No hebraico encontramos duas palavras traduzidas por "verdade", que são EMUNAH e EMETH, cujo sentido é firmeza, estabilidade, certeza. A certeza da inerrância da Bíblia está no fato de que a verdade, no sentido estrito, só é revelada de modo explícito nela. Nenhum livro no mundo fala da verdade do mesmo modo que a Bíblia. O Deus da verdade é revelado na Bíblia (João 17.17; 1 Reis 17.24; Salmo 119.142,151; Provérbios 22.21).
2. A autoridade humana e divina da Bíblia. Indiscutivelmente a Bíblia tem dupla autoridade. No lado divino, as Escrituras são a Palavra infalível de Deus, pois elas se originam em Deus e são a expressão de Sua Mente. No lado humano, Deus escolheu alguns homens par a receberem a sua palavra e apresentá- la na forma escrita. A inerrância da Bíblia está no fato de que ela procede diretamente de Deus. A infalibilidade e autoridade da Bíblia não têm qualquer mérito do talento humano. Mas Deus usou a inteligência humana para que a sua Palavra fosse transmitida, por escrito, ao homem.
3. A transmissão dos textos originais. É possível encontrar falhas nas cópias feitas do original das Escrituras. Os textos originais são chamado "manuscrito original "ou “'manuscritos originais” e são isentos de todo e qualquer erro, porque foram inspirados por Deus. Ele nunca poderia ter inspirado a um autor humano a escrever algo errado ou falso. Entretanto, é possível encontrar- se falhas de transmissão dos copistas do texto original. Alguns erros de pena, ou dificuldade de tradução de vocábulos, são encontrados em nossas traduções. Porém, são falhas banais que não ferem a integridade da inspiração nem modificam a verdade revelada. A exatidão da Palavra de Deus é constatada na experiência do crente e no cumprimento das profecias através dos tempos.

III. O cumprimento das profecias

Como dissemos, as profecias bíblicas são uma prova incontestável da veracidade e da infalibilidade da Bíblia.
O Velho Testamento está repleto de profecias referentes aos judeus, às nações vizinhas e ao Messias que havia de vir.
No Novo Testamento encontramos o cumprimento da maioria das profecias do Velho Testamento. Mui especialmente em relação a Cristo, encontramos muitas profecias cumpridas. Outras ainda estão para se cumprir.
O nascimento do Messias, o Emanuel (Isaías 7.14 e Mateus 1.23),
a fuga para o Egito (Oseias 11.1 e Mateus 2.15);
a correlação entre o cordeiro sacrificial e Jesus, entre o Maná e Jesus, entre a serpente de bronze e Jesus (João 1.29; 6.22; 3.14); Jesus o varão de dores (Isaías 53.9; Atos 832; 1 Pedro 2.4);
as vestes repartidas (Salmo 22.19 e João 19.26); os ossos do Messias não seriam quebrados (Salmo 34.21 e João 19.36).
Jesus alegou o cumprimento da profecia de baías 61.1,2, dizendo? "Hoje se cumpriu esta profecia que acabais de ouvir" (Lucas 4.21). Paulo citou a profecia de Salmo 2 como cumprida em Jesus (Atos 13.32,33).

Poderíamos citar centenas de outras profecias que tiveram o seu cumprimento no Novo Testamento que confirmam a infalibilidade das Escrituras e a sua inspiração divina.

IV. O testemunho da ciência

A Ciência é definida como “um conjunto de leis e princípios obtidos através de observações e repetidas experimentações”. Ela não baseia seus argumentos em hipóteses, teorias ou ideias não confirmadas. Os grandes cientistas, Prouste Lavoisier afirmaram certa feita que "na natureza nada se perde, nada se cria, tudo se transforma". Essa declaração fortalece o fato de que por trás de toda a criação, está a ação da mente superior e criadora do Deus da Bíblia.

O relato bíblico sobre a Criação em Gênesis 1, recebe o apoio da ciência, pois, a despeito da tentativa de alguns em desmenti-la, ninguém e nada têm conseguido apresentar alguma teoria superior ao relato bíblico. A Bíblia declara em Isaías que a terra é redonda (Isaías 40.22) e que o nosso planeta está suspenso sobre o vazio no ar (Jó 26.7) e a Ciência concorda com estas declarações. A Bíblia, de modo singular, afirma que o Universo foi criado do nada pelo poder de Deus (Gênesis 1.1).

As leis do Universo refletem a vontade e a sabedoria de Deus,pois tudo quanto foi criado obedece ao Criador Eterno (Mateus 8.27).

Gostou desse esboço? Olha a novidade que tenho para você!

Eu preparei um e-book com 365 sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! Clique Aqui para adquirir seu livro.

A Bíblia é a infalível palavra de Deus Reviewed by Aldenir Araujo on quinta-feira, junho 24, 2010 Rating: 5

9 comentários:

  1. Inclusive molestar desconhecidas
    Espancar nossas crianças para dar educação
    Mata-los caso não nos obedeça
    AEntre outras verdades né colega?
    Hmm

    Vai entender

    ResponderExcluir
  2. Pr. eu creio que a Bíblia é inspirada por Deus,se nos atermos a historia de sua escrita ao longo do tempo,por exemplo, os livros proféticos como Isaías e o Evangelho veremos que foram escritos em épocas totalmente diferentes mas com a mesma conexão de pensamentos.Acredito que temos a liberdade de crer ou não.Eu escolhi crer.
    Bjos

    ResponderExcluir
  3. @Cenystro
    Confesso que não entendi o que você quis dizer. Poderia ser mais especifico, quanto a sua colocação. A quem você está se referindo?

    ResponderExcluir
  4. @Cecília Avenca
    Exatamente! A Bíblia foi escrita num período de 1.600 anos aproximadamente por 40 autores distintos. Esses autores não formaram uma comissão especial para produzirem juntos uma Bíblia. Pelo contrário, a maioria dos autores nem ao menos se conheceu e nem planejou formar uma coleção de 66 livros, que mais tarde foi denominada Bíblia. Deus fez uso desses homens distintos entre si, para entregarem ao mundo uma só revelação.

    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Querida, não existe pecado além do perdão de Deus.
    O pecado incomoda Deus? Mais do que você e eu, e porque incomoda tanto; Ele fez algo sobre isso. Ele enviou Seu Filho para morrer em nosso lugar. Para você ver todos os pecados devem ser punidos. Todos os pecados precisam ser contabilizados. É por isso que Deus enviou seu Filho para ser punido pelos pecados do mundo. Para morrer pelo meu pecado e o seu pecado. Para assumir a nossa punição. Para morrer em nosso lugar. Jesus veio para levar sobre Si o castigo; e sofrer até morrer por você. Descansa querida Jesus pagou o preço. No livro de Hebreus, Deus diz: "Porque serei misericordioso para com as suas iniquidades, e de seus pecados e de suas maldades não me lembrarei mais" Hebreus 8:12

    Um forte abraço

    ResponderExcluir
  6. PR. GOSTARIA QUE VOCÊ ME DESSE UMA PALAVRA ONDE SE FALA DA EXTIDÃO DA PALAVRA DE DEUS. TENHO PROCURADO E NÃO TENHO ACHADO.
    GRATA
    DAIANA

    ResponderExcluir
  7. a paz do Senhor, creio na inerrância da biblia, pois é muito fácil as pessoas escreverem muitos artigos questionando a verdade biblica porém o que se viu historicamente foi que todos os que creram na biblia tiveram esperança e felicidade até o ultimo momento de suas vidas, enquanto os que são contrários a ela não encontram base para as perguntas mais frequentes do ser humano como: o que acontecerá comigo após a morte,qual o motivo das minhas emoções, porque apenas o ser humano é capaz de estar discutindo assuntos como estes, fazendo casa, construindo história. a biblia deixa claro as respostas para dúvidas que os maiores estudiosos não podem responder e se eles acham que à biblia é mentirosa porque eles nunca apresentam a verdade?

    ResponderExcluir
  8. CISÕES...
    Em todas as doutrinas religiosas existem desacordos, e nem mesmo a Bíblia está livre...

    CISÕES BÍBLICAS


    Quando Jesus recomendou: Examinem as Escrituras porque julgais nela ter a vida eterna, e elas testificam de mim... Jesus não foi intolerante como muitos leitores do evangelismo atual são, pois os mesmos afirmam: A Bíblia é a única palavra de Deus sem desacertos... Jesus recomendou sabiamente EXAMINAR, ou seja, ANALISAR... E nessa análise nem tudo que reza na parte do Velho Testamento da Bíblia aplica-se moralmente para o estado social do homem moderno, muitas coisas são ensinamentos JÁ ULTRAPASSADOS, exemplos:

    Quem trabalhar no sábado será morto (Êxodo 35. 2)
    Quando o homem morrer sem deixar descendência, seu irmão deve se casar com a viúva (Deuteronômio 25. 5)
    Os filhos desobedientes aos pais.... e viciosos... devem ser apedrejados até a morte (Deuteronômio 21. 18 a 21)
    Selecionar os melhores animais para os sacrificarem em oferenda à Divindade para obter mercê da culpa pessoal (Levítico 5. 1 a 10), (práticas religiosas do Velho Testamento semelhantes aos cultos africanos, aos espíritos dos antepassados)
    É proibido comer carne de porco.... (Levítico 11. 05 a 07)
    O homossexualismo será punido com a morte (Levítico 20. 13)
    Relacionar-se sexualmente com uma mulher menstruada, o casal será expulso da comunidade (Levítico 20. 18)
    Os adultérios serão punidos com a morte (Deuteronômio 20. 10)
    Quem Blasfemar o nome do Senhor será punido com a pena de morte (Levítico 24. 16)
    Se um animal habituar-se a atacar alguém o ferindo de morte, e seu dono é conhecedor deste fato e não o guardou, o animal será morto apedrejado e também o seu dono morrerá com ele (Êxodo 21. 28 a 29)
    O homem que desviar os recursos dos dízimos consagrados no Altar para obra assistencial será punido com a pena de morte (Levítico 27. 28 a 29)

    Falou o Senhor a Moisés: Armem-se alguns de vós para a guerra, e vinga os filhos de Israel dos midianitas, matem A TODOS: homens, mulheres e crianças... POREM guarde as meninas virgens (para vossos guerreiros) (Números 31. 1 a 18). EXEGESE FORÇADA É ENGOLIR QUE ESTE ENSINAMENTO FLUÍU DA MENTE PURA DE DEUS, O PAI DAS LUZES


    Intensivo de Difusão Espiritualidade
    http://vozqclamabr.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. ESCRITURAS SAGRADAS

    É obra moldada diretamente por Deus; ou, escrita por mãos humanas?

    Homens marcados pela provação, mas laboriosos na busca da virtude, e com objetivos inspirados pelo Espírito Santo escreveram pequenos livros na linguagem hebraica no tempo e espaço de 15 séculos (II Pedro 1. 20 a 21).

    Essas Escrituras descrevem revelações de ordens espirituais e por isso permanecem no curso dos milênios como sagradas, e sintetizam: livros históricos, poéticos e instrutivos. E o tema central do Novo Testamento é a encarnação do Cristo celeste, o verbo de Deus – mentor espiritual e dirigente cósmico de nosso sistema planetário (Mateus 28. 18).

    As Escrituras ficaram dispersas em pequenos rolos de papiros pela região do antigo oriente. E para organizar os concílios ecumênicos o pe. Jerônimo de Strídon recebeu do Papa Dâmaso a incumbência de traduzirem os seus ESCRITOS para o latim por volta do século IV depois de Cristo, trabalho esse que durou quatro décadas.

    Depois de reunida e complementada essa gigantesca obra literária restou a seguinte pergunta: QUE NOME SE DARIA A ESSE LIVRO? E que em virtude do papiro que fora utilizado, o de melhor qualidade, na época, era da região de BIBLOS (Fenícia) hoje Jubay, no Líbano... Daí nasceu a idéia luminosa: BÍBLIA

    “Toda Escritura divinamente inspirada é proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em Justiça; para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda boa obra (II Timóteo 3. 16 a 17)”

    Discernimento espiritual: analisa-se à luz da Justiça e perfeição de Deus que, a escritura que é proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir e para instruir em justiça é que é divinamente inspirada, a fim de que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda boa obra.

    Você sabia: que a maior personalidade descrita na Bíblia não escreveu nenhum livro? Deixou tudo gravado no tempo através de suas palavras e ações no bem... E que se serviu, na sua obra de salvação moral, de companheiros sujeitos aos erros humanos: um traiu o apostolado entregando o Divino Mestre diretamente aos seus perseguidores; e outro, na hora extrema de suas provas, jurou 3 vezes que não o conhecia.

    Cristo jamais bloqueia o intercambio com a consciência humana, e conforme a sua palavra perene: está presente conosco até a consumação dos séculos. Em cumprimento às promessas esclarecedoras o Espírito da Verdade é que interage ampliando os horizontes do conhecimento espiritual (João 16. 13). E todos aqueles que, nos novos tempos, desenvolvem a consciência universal divina, também se integram no concerto da revelação celeste...

    Versículos para reflexionar... (Mateus 28. 20) (Hebreus 13. 8) (João 14. 26 E 16. 12 a 13) (I João 4. 1)

    Bíblia sagrada, portal da revelação divina, que sintetiza verdades básicas da espiritualidade - que é mister ter olhos para ver e ouvidos para compreender... (Mateus 11. 15) (João 6. 63) (II Coríntios 3. 6)


    Intensivo de Difusão Espiritualidade – IDE
    http://vozqclamabr.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:
1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

All Rights Reserved by O Pregador © 2014 - 2015
Designed by Blogger

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.