O Casamento e a Idolatria

O Casamento e a Idolatria

Texto: Lucas 14:25-33

I. Introdução

A. Ao descrever o problema mais básico da humanidade em Romanos 1:25, Paulo diz que eles “trocaram a verdade de Deus pela mentira, e adoraram e serviram à criatura antes que ao Criador”

B. Assim, desde o início, as pessoas dão às coisas criadas o amor e a atenção que o Criador merece.

C. Isso se manifesta de milhares de maneiras. Como disse João Calvino, “o coração humano é uma fábrica de ídolos”.

D. Toda a criação reflete a glória de Deus, mas algumas coisas mais do que outras. E as coisas que mais refletem a glória de Deus, as coisas que são mais maravilhosas, belas ou agradáveis, são as mais tentadoras para serem adoradas como ídolos.

II. Bem, o Que Idolatria Tem a Ver Com Casamento?

A. Uma dessas belas partes da criação é o casamento. Em Efésios 5 Paulo nos diz que o relacionamento entre marido e mulher é um retrato do relacionamento entre Cristo e sua igreja. Assim, o casamento é uma imagem de nosso verdadeiro lar, nosso lar “celestial”, onde o verdadeiro Noivo, Cristo, e a verdadeira noiva, a igreja, habitam juntos em perfeita união.

B. Vamos falar sobre as duas maneiras muito diferentes pelas quais as pessoas tratam a imagem do casamento:

1. Muito pouca devoção/atenção/lealdade/amor

2. Muita devoção/atenção/lealdade/amor

III. Idolatria de Outras Coisas Que Prejudicam o Casamento

A. Existem muitas idolatrias que minam o relacionamento conjugal.

1. Crianças

2. Trabalho, dinheiro, posição, fama, poder, aprovação

3. Hobbies: esportes, videogames, jardins, colecionismo, televisão e etc

4. Casas, carros, eletrônicos

5. Internet: ilegítima ou legítima

6. Álcool, drogas

7. Podem até ser coisas boas.

8. Coisas que absorvem seu tempo com sua esposa ou marido, ou seu papel com seus filhos

9. Coisas que você ama mais, coisas pelas quais você é mais zeloso do que seu relacionamento com seu cônjuge

B. Em termos de relacionamentos terrenos, seu cônjuge é da maior importância.

1. Nos é dito para amar a todos. Mas de todos os próximos que devemos amar como a nós mesmos, nosso cônjuge é o primeiro da lista.

2. A quem mais nos é dito para amar como Cristo amou a igreja?

3. Com quem mais fizemos votos diante de Deus para amar para sempre na saúde e na doença...?

4. No entanto, no meio da vida, as coisas estão nos puxando em todas as direções.

5. E um casamento não é como uma pá que você coloca em um canto e é praticamente a mesma meses depois, quando você vai usá-la. Um casamento é como um jardim. Precisa de atenção. E atenção significa tempo.

6. Significa buscar compreender o outro, o que significa aprender a ouvir.

7. Significa procurar ser compreendido, o que significa compartilhar. Aprendendo a falar sobre seu relacionamento.

8. Às vezes você pode sentir que o tempo e o esforço são um desperdício. Para aqueles que são tentados a desistir e concluir que é inútil trabalhar em seu casamento, aqui está a decisão que você deve tomar: Em que você acredita mais na disfuncionalidade do seu casamento ou no poder de Deus?

a. Esta foi uma das provas para mim. Por muitos anos, parecia que nada ia mudar. Parecia impossível. E era impossível. Mas com Deus todas as coisas são possíveis.

C. E outra coisa sobre um casamento doloroso: você está mais tentado a encontrar fugas, fugas que se tornam ídolos.

D. Mas quando Cristo está primeiro em seu coração, então Cristo em você é zeloso para amar seu cônjuge.

1. Homens que amam seu Salvador amam suas esposas. As mulheres que amam seu Salvador amam seus maridos.

2. Esse é o efeito que Ele tem nas pessoas.

IV. Idolatria do Casamento

A. Lucas 14:26 “Se alguém vier a mim, e não aborrecer a pai e mãe, a mulher e filhos, a irmãos e irmãs, e ainda também à própria vida, não pode ser meu discípulo”

1. Nesta declaração surpreendente, Jesus nos diz que devemos aborrecer nossos cônjuges. Obviamente, Ele não está dizendo que não há sentido em que devemos amá-los, apenas que, em certo sentido, não devemos amá-los, mas realmente aborrece-los.

2. O tipo de aborrecimento ao qual Jesus está se referindo aqui é o outro lado do amor que devemos somente a Deus. Deus nos ordena a amá-lo com todo o nosso coração, alma, mente e força. O tipo de amor que Ele exige de nós não deve ser compartilhado com nenhum outro. Ele insiste em conseguir tudo. Com relação a esse tipo de amor, devemos aborrecer todos os outros, incluindo nossas famílias, inclusive a nós mesmos.

3. O que é esse tipo de amor? É o amor da fidelidade final e definitiva, o amor da adoração, o amor do primeiro lugar. Dar esse tipo de amor a outra pessoa é idolatria.

a. Nenhum homem pode servir a dois mestres. Esse tipo de amor de fidelidade final deve ser reservado somente para Deus. Nosso cônjuge não é Deus. E ele/ela não deve ser tratado como tal.

B. Mas essa idolatria do casamento não se manifesta apenas em amar demais o cônjuge. Ainda mais frequentemente, manifesta-se ao procurar em seu cônjuge algo que só Deus pode dar.

1. É assim que geralmente acontece: há uma necessidade profunda em nós que nosso cônjuge simplesmente não está atendendo.

2. E empurramos e imploramos e imploramos e raspamos. Às vezes estamos desesperados, de tal forma que sentimos que não podemos continuar a menos que consigamos.

3. Mas estamos esperando algo de nossos cônjuges que nossos cônjuges não têm.

4. E isso realmente prejudica os casamentos, introduzindo expectativas que o casamento não pode suportar.

5. Muitas pessoas pensam que seu problema é um casamento ruim quando, na realidade, um casamento doloroso é o menor de seus problemas. O grande problema deles é que eles não têm Deus, eles não vão para Deus. Eles podem ir à igreja. Mas eles não vão para Deus. Eles não correm para os braços de seu único e verdadeiro Amor.

C. G. K. Chesterton disse: “Qualquer homem que bate na porta de um bordel está procurando por Deus”.

1. Bem, também é verdade que muitos dos que vão ao altar do casamento estão procurando por Deus.

2. Ou seja eles estão procurando o casamento para preencher um vazio neles que somente o Noivo celestial pode preencher.

3. Muitas vezes esta é a fonte de insatisfação no casamento. O problema não é o casamento ruim; o problema é que estou pedindo algo do meu casamento que o casamento não pode suprir.

D. Às vezes, a infelicidade conjugal é permitida para expor um coração idólatra.

1. Muitas vezes oramos por nossos casamentos e ficamos frustrados porque Deus não responde. Mas aqui está o que realmente está acontecendo: estamos pedindo a Deus que abençoe nossa idolatria.

2. E, porque Ele nos ama, em vez de nos dar os ídolos que pedimos, Ele se propõe a nos mostrar o vazio desses ídolos.

3. Quando Deus olha para baixo e vê meu coração necessitado, um coração que anseia por aceitação, intimidade, aprovação e harmonia que pensamos vir de um bom cônjuge/amante, o que Ele faz? O que Ele pensa? Ele não está com ciúmes de que clamamos pelo amor de outro? Ele não se entristece por acharmos Seu amor tão insatisfatório?

4. Quantos anos eu orei para que Deus mudasse minha esposa! E parecia tão sem esperança.

a. Mas agora essas orações parecem tão confusas para mim. Em vez de pedir a Deus para fazer meu cônjuge me amar, eu deveria estar pedindo a Deus para me ajudar a desfrutar do Seu amor.

E. Quando você se sente negligenciado, quando se sente insultado, quando se sente desrespeitado, quando se sente assediado, talvez haja algo que Deus esteja tentando lhe dizer: "Você está latindo para a árvore errada! Você está procurando respostas em um lugar onde você não pode encontrá-las. “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para as vossas almas" (Mateus 11:28-29)

1. Toda vez que você sente que seu cônjuge está falhando com você, Deus está batendo em seu ombro dizendo: "Venha a Mim!"

2. A mulher samaritana no poço em João 4.

a. Ela teve cinco maridos – mais. Ela estava procurando por amor em todos os lugares errados.

b. Jesus aparece e a convida a encontrar nele tudo o que ela está sentindo falta de seus homens.

c. Ela continuou indo ao poço do marido para tentar encontrar água que saciasse sua sede de alma, mas não funcionou. E agora Jesus entra em cena e diz: “Eu posso te dar água viva. Todo aquele que beber desta água do poço tornará a ter sede, mas aquele que beber da água que eu lhe der nunca mais terá sede. A água que eu lhe der se tornará nele uma fonte de água a jorrar para a vida eterna”. (João 4:10-14)

F. Não quero dizer que seu cônjuge não esteja realmente falhando com você. Tenho certeza de que os maridos da mulher samaritana falharam.

1. E não quero dizer que você não deve fazer nada a respeito.

2. Mas o problema da mulher não eram maus maridos. O problema dela era que ela não tinha Cristo.

3. O problema central nunca está ao nosso redor, está dentro de nós.

G. Nos últimos dias de Samuel os israelitas buscavam um rei como as outras nações tinham (1 Samuel 8). Eles estavam insatisfeitos com a ordem estabelecida quando na realidade o problema era a condição de seus corações.

1. E é nossa tendência também pensar que nosso problema está envolto no sistema estabelecido, na estrutura, nas circunstâncias. E muitas vezes ajustes precisam ser feitos no sistema. Mas em geral, se formos honestos conosco mesmos, veremos que o verdadeiro problema não é o sistema, o verdadeiro problema somos nós. Não é nossa agenda, não é nossa carga de responsabilidades.

2. Nós somos o problema. É a nossa resposta pecaminosa às nossas circunstâncias que é o problema: medo, ansiedade, impaciência, raiva, intolerância

3. E podemos ver que isso é verdade em nós quando somos mais zelosos pela reparação do nosso casamento do que pela reparação do nosso coração.

V. Aplicação

A. Veja, não precisamos de um ídolo, precisamos do Deus verdadeiro. E só prejudicamos a nós mesmos e nossos casamentos quando buscamos satisfação nos ídolos.

B. A alienação entre homem e mulher veio como resultado da alienação entre eles e Deus. A reparação acontece da mesma forma: primeiro reparando as coisas com Deus.

C. Jeremias 2:13 “Porque o meu povo fez duas maldades: a mim me deixaram, o manancial de águas vivas, e cavaram para si cisternas, cisternas rotas, que não retêm as águas”

1. Pense nisso no contexto do que estamos falando.

2. O que quer que busquemos, seja hobbies, casa ou o próprio casamento, é idolatria. É água potável que não sacia a sede de nossas almas. E é desconsiderar a fonte de águas vivas, onde nossa sede é verdadeira e permanentemente saciada.

D. Um aviso final: é muito mais fácil ver a idolatria de seu cônjuge do que ver a sua.

1. Todos somos suscetíveis à idolatria, mas é muito mais fácil ver as idolatrias de seu cônjuge do que as suas. Vejo os pecados de minha esposa com mais clareza do que ela. E ela vê o meu mais claramente do que eu.

2. Por muitos anos, minha esposa e eu fomos como dois cães perseguindo o rabo um do outro, duas pessoas tentando apontar as deficiências um do outro.

3. É tão fácil ficar indignado com os pecados do outro. Em vez disso, fique indignado com seu próprio pecado. Afinal, Paulo se autodenominava o principal dos pecadores (1 Timóteo 1:15).

Postar um comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

Postagem Anterior Próxima Postagem
Gostou Desse Esboço? Olha a Novidade Que Tenho Para Você!

Eu preparei um E-book Com 365 Esboços de Sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! CLIQUE AQUI para adquirir seu livro.