Um Novo Começo

Um Novo Começo
Texto: Esdras 1:1-11

Introdução: Por favor, abra sua Bíblia no livro de Esdras. Esta é uma parte da Bíblia que pode ser menos familiar para alguns de nós, mas acredito que ela fala diretamente a todos nós hoje.

Deixe-me contar a história para que você possa fazer as conexões. Deus levou Seu povo para a Terra Prometida e os abençoou, especialmente sob a liderança do Rei Davi e seu filho Salomão.

Depois desse tempo, houve um longo período de declínio espiritual que durou 400 anos. O povo de Deus adorava outros deuses. Eles cometeram muitos grandes males e apesar de alguns curtos períodos de reforma, eles se recusaram a retornar ao Senhor. Então, Deus entregou Seu povo nas mãos de seus inimigos. Os exércitos do rei da Babilônia sitiaram a cidade de Jerusalém.

Alguns meses extenuantes se seguiram e, eventualmente, a cidade caiu. Muitos morreram. Alguns escaparam. Os demais foram deportados e reassentados na Babilônia.

Alguns dos Salmos foram escritos naquela época. “Junto aos rios de Babilônia, ali nos assentamos e nos pusemos a chorar, recordando-nos de Sião” (Salmo 137:1). “Mas como entoaremos o cântico do Senhor em terra estrangeira?” (Salmo 137:4).

Esse “exílio”, como era conhecido, durou 70 anos. Mas nenhum reino terreno dura para sempre e, com o tempo, o poder da Babilônia diminuiu.

O último dos reis babilônicos foi Belsazar. Ele reinou sobre um vasto reino, mas lhe faltava disciplina. Ele era autoindulgente e não tinha lugar para Deus em sua vida. Alguns de vocês se lembrarão da história de Daniel 5. Uma noite, o rei se entregou a uma festa de bêbados. Ele havia pedido os cálices sagrados que haviam sido roubados do templo de Deus em Jerusalém quando a cidade caiu, e os usava em sua noite de folia.

Foi um gesto de desafio a Deus - uma maneira de dizer que Belsazar poderia fazer o que quisesse, e nem mesmo Deus poderia impedi-lo.

Mas Deus o impediu!

Enquanto Belsazar comia e bebia, “apareceram uns dedos de mão de homem, e escreviam, defronte do castiçal, na caiadura da parede do palácio real” (Daniel 5:5). A Bíblia diz que a cor sumiu do rosto de Belsazar e que “os seus joelhos batiam um no outro” (Daniel 5:6).

A música parou. A festa parou, e Daniel, um homem piedoso que havia interpretado sonhos em anos anteriores, foi chamado para explicar o significado das palavras que haviam sido escritas pelo dedo na parede. Daniel era um homem de grande coragem. Ele disse a Belsazar: “O Deus, em cuja mão está a tua vida... a ele não glorificaste” (Daniel 5:23). “Belsazar, o dedo escrito na parede foi enviado por Deus e esta é a mensagem das palavras que Ele escreveu: MENE, MENE, TEQUEL, UFARSlM, que significa: “Contou Deus o teu reino, e o acabou. Pesado foste na balança, e foste achado em falta. Dividido está o teu reino, e entregue aos medos e persas”.

Naquela mesma noite, o exército de um rei persa em ascensão invadiu a Babilônia. Esse foi o fim de Belsazar. Ele morreu na noite de sua festa de bêbados. Nos meses que se seguiram, o grande império dos babilônios, tornou-se o império dos medos e dos persas.

O nome do novo rei persa era Ciro, e o livro de Esdras começa no primeiro ano de seu reinado:

1. Um Novo Começo Após um Longo Período de Interrupção. V. 1

“No primeiro ano de Ciro, rei da Pérsia, para que se cumprisse a palavra do Senhor proferida pela boca de Jeremias, despertou o Senhor o espírito de Ciro, rei da Pérsia, de modo que ele fez proclamar por todo o seu reino, de viva voz e também por escrito...” (Esdras 1:1).

- Ciro estava muito longe de ser um crente. Ele sabia sobre o SENHOR. Ele se refere a Ele pelo nome (verso 2). Mas como muitos em seu tempo, ele pensava que diferentes deuses exerciam poder em diferentes regiões. É por isso que ele se referiu ao Senhor como “o Deus que habita em Jerusalém” (verso 3).

- Mas Deus pode tocar o coração daqueles que não o conhecem tão bem quanto daqueles que o conhecem. E aqui nos é dito que Deus despertou o coração de Ciro para fazer uma proclamação: “Quem há entre vós de todo o seu povo (seja seu Deus com ele) suba para Jerusalém, que é em Judá, e edifique a casa do Senhor...” (Esdras 1:3).

- Esse novo rei tinha uma nova política e não perdeu tempo em implementar sua nova abordagem. Os reis babilônicos faziam tudo o que podiam para suprimir a fé dos povos que haviam conquistado. Eles realocavam os povos conquistados e os pressionavam a adorar outros deuses.

- Você tem um exemplo claro disso no livro de Daniel, onde os babilônios levaram jovens estudantes brilhantes para longe da Terra Prometida. Eles destruíram o templo em Jerusalém e ensinaram a Daniel e seus amigos a língua e a literatura dos babilônios.

- A ideia era que, se as crenças distintivas desses povos conquistados pudessem ser enfraquecidas, as pessoas se tornariam mais complacentes e, portanto, o império seria mais estável. O problema, claro, é que não funcionou. Produziu grande ressentimento contra os babilônios e deu origem a heróis da fé como Daniel e seus amigos, que prefeririam morrer a renunciar à fé no Deus vivo.

- Ciro seguiu um caminho diferente. Na verdade, ele foi na direção oposta. Em vez de realocar os povos conquistados, ele os encorajou a retornar às suas próprias terras. Em vez de reprimir suas crenças distintas, ele encorajou as pessoas que governava a praticar sua própria religião. Ciro acreditava que este era o caminho para uma maior estabilidade e coesão social.

- Esta foi uma mudança de proporções de tirar o fôlego. De repente, o povo de Deus que estava no exílio há anos poderia retornar à Terra Prometida. Então, Esdras é a história de um novo começo após um longo período de ruptura.

2. Uma Nova Paixão Após um Longo Período de Desânimo. V. 5

“Então se levantaram os chefes das casas paternas de Judá e Benjamim e os sacerdotes, e os levitas, todos aqueles cujo espírito Deus despertara, para subirem a edificar a casa do Senhor, que está em Jerusalém” (Esdras 1:5).

- Nesta série, seguiremos a história de como o povo de Deus retornou a Jerusalém. Mas por trás disso, há uma história mais profunda que quero que sigamos. É uma história sobre a ascensão e queda da vida espiritual entre o povo de Deus.

- Pense na maré do oceano: a maré sobe e a maré desce. Da mesma forma, há momentos em que o nível de vida espiritual entre o povo de Deus aumenta e há momentos em que declina. Há momentos em que Deus parece estar perto, e há momentos em que Ele parece estar longe. Há momentos em que Sua bênção é óbvia, e momentos em que nos perguntamos o que Ele está fazendo. Você vê essa ascensão e queda da vida espiritual em toda a Bíblia.

- Por exemplo, o Salmo 85, que deve ter estado frequentemente na mente do povo de Deus durante o exílio: “Restabelece-nos, ó Deus da nossa salvação, e faze cessar a tua indignação contra nós. Estarás para sempre irado contra nós? estenderás a tua ira a todas as gerações? Não tornarás a vivificar-nos, para que o teu povo se regozije em ti? Mostra-nos, Senhor, a tua benignidade, e concede-nos a tua salvação” (Salmo 85:4-7).

- Essas pessoas estavam esperando o retorno da bênção de Deus. Um novo nível de vida espiritual. Uma nova obra de Deus neles e através deles.

- Vemos o mesmo desejo em Isaías 64: “Oh! se fendesses os céus, e descesses, e os montes tremessem à tua presença, como quando o fogo pega em acendalhas, e o fogo faz ferver a água, para fazeres notório o teu nome aos teus adversários, de sorte que à tua presença tremam as nações!” (Isaias 64:1-2).

- Aqui está o povo de Deus desejando que Sua presença seja evidente entre eles. “Desce entre nós, Senhor. Que a tua grandeza e a tua glória sejam conhecidas, especialmente para aqueles que não te conhecem”.

- Você vê essa ascensão e queda da vida espiritual no Novo Testamento. “...já é hora de despertardes do sono; porque a nossa salvação está agora mais perto de nós do que quando nos tornamos crentes” (Romanos 13:11).

- É muito claro que alguns dos crentes em Roma ficaram sonolentos. Eles se tornaram letárgicos. Eles precisavam acordar para a necessidade e oportunidade que estava ao seu redor.

- Você encontra algo semelhante no livro de Apocalipse, onde nosso Senhor Jesus ressurreto fala à Sua igreja. “Sê vigilante, e confirma o restante, que estava para morrer; porque não tenho achado as tuas obras perfeitas diante do meu Deus.... não saberás a que hora sobre ti virei” (Apocalipse 3:2-3).

- O nível de vida espiritual entre o povo de Deus é como a maré no oceano. Ou está subindo, ou está baixando. Ou está saindo, ou está entrando. Estes são dias difíceis para o povo de Deus e precisamos desesperadamente de uma nova infusão de vida espiritual.

- Para muitas pessoas boas, mesmo dentro da igreja, a vida perdeu o sentido. Não há brilho nos olhos, nem força no passo. À medida que a comunidade religiosa se debate na mediocridade, o mundo mergulha cada vez mais no pecado.

- Precisamos de um novo despertar espiritual. Precisamos de um novo enchimento de fé, esperança e alegria. Um amor renovado por Deus e uns pelos outros. Uma nova infusão de energia. E um renovado senso de propósito e chamado.

- Isto é o que temos no livro de Esdras: um movimento espiritual em que Deus agitou os corações de Seu povo, e aqueles que foram tocados tiveram uma nova paixão. Um novo amor por Deus e uns pelos outros, uma nova alegria, uma nova energia, um novo senso de propósito, um novo nível de compromisso.

- Deus agitou os corações de Seu povo e o que Ele fez por eles Ele é capaz de fazer por nós hoje.

3. Um Novo Desafio Após um Longo Período de Estabilidade. V. 5

“Então se levantaram os chefes das casas paternas de Judá e Benjamim e os sacerdotes, e os levitas, todos aqueles cujo espírito Deus despertara, para subirem a edificar a casa do Senhor, que está em Jerusalém” (Esdras 1:5).

- O povo de Deus havia se acostumado a estar no exílio. Mas quando Ciro subiu ao trono, tudo mudou.

- Tente imaginar esse momento extraordinário na vida do povo de Deus. O decreto do rei é lido por um mensageiro real que traz a notícia. Está afixado, por escrito, nas paredes dos edifícios públicos. A palavra se espalha rapidamente entre o povo de Deus. "Ouviste as notícias? O rei diz que estamos livres para voltar. podemos voltar a Jerusalém e reconstruir!

- Mas esses exilados estavam na Babilônia há pelo menos 50 anos. Eles tinham se acostumado com a vida lá.

- Aqueles que chegaram como jovens estudantes brilhantes na casa dos 20 anos estavam agora na casa dos 70. Outros que chegaram antes seriam mais velhos. Não é de surpreender que alguns deles sentissem que era tarde demais para retornar.

- Após 50 anos de exílio, havia duas gerações do povo de Deus que nunca tinham visto a Terra Prometida! A única vida que eles conheciam era na Babilônia.

- Ao longo dos anos, essas pessoas teriam plantado, criado animais, começado negócios. Jeremias, o profeta, havia dito a eles que construíssem casas, plantassem jardins e criassem famílias (Jeremias 29:5-6). Agora, de repente, eles estavam sendo convidados a deixar tudo o que haviam construído para trás e começar de novo em uma cidade em ruínas que nunca tinham visto!

- Essas pessoas tinham estabilidade na Babilônia. A maioria deles nunca tinha conhecido outra coisa. Babilônia estava segura. Voltar a Jerusalém parecia arriscado.

- Você pode imaginar as conversas. Por que eu iria querer voltar? Que diferença fará se eu fizer isso? Eu realmente quero deixar tudo o que construí para trás e começar de novo na cidade em ruínas de Jerusalém?

- Não é de surpreender que as pessoas tenham tomado decisões diferentes.

- Esdras 2 lista os nomes dos primeiros exilados a retornar, sob a liderança de um homem chamado Zorobabel. Cada família que retorna é nomeada, e você verá no verso 64 que quando os números são somados havia cerca de 42.000 deles, além de servos e alguns cantores, então aqueles que retornaram foram cerca de 50.000 pessoas.

- O estudioso do Antigo Testamento Walt Kaiser estima que isso pode ter sido cerca de um em cada seis dos exilados na Babilônia. Aqui está a pergunta que eu tenho tentado me perguntar honestamente. Eu teria voltado?

- Eu estaria pronto para deixar a estabilidade e segurança da Babilônia e me mudar com uma pequena comunidade para uma cidade em ruínas para começar um novo trabalho para Deus? E você?

- Se a estimativa de Walt Kaiser estiver certa, cinco em cada seis do povo de Deus decidiram ficar em casa na Babilônia. Mas havia 50.000 cujos corações Deus havia tocado. E eles voltaram.

- Oitenta anos depois, um segundo grupo de exilados retornou sob a liderança de Esdras. Você pode ler sobre eles nos capítulos 7 e 8 de Esdras. Então, treze anos depois disso, um terceiro grupo de exilados retornou sob a liderança de Neemias. Mas alguns, e talvez muitos do povo de Deus escolheram ficar na Babilônia e nunca mais voltaram.

- Tenho certeza de que alguns deles teriam boas razões para não voltar. Alguns tinham entes queridos que eram idosos. Eles não seriam capazes de fazer a viagem. Outros tinham filhos pequenos e não achavam que poderiam levá-los para uma cidade em ruínas. E imagino que havia outros que acabaram de se acostumar com a vida na Babilônia. Seus espíritos não foram estimulados a retornar e eles escolheram permanecer onde estavam.

- Agora, aqui está a pergunta que temos que enfrentar: Por que o retorno importa?

- Afinal, o povo de Deus que escolheu não voltar poderia continuar a praticar sua fé na Babilônia. Eles podiam ler as Escrituras. Eles podiam orar. Eles podiam dar testemunho de seu Senhor onde estivessem.

- E por uma questão de história é claro que muitos deles o fizeram. O livro de Ester se passa na corte persa em Susã. É a história de como Deus usou pessoas fiéis que escolheram não retornar a Jerusalém.

- Existe um Talmude Babilônico, - uma reflexão devocional sobre as Escrituras - que foi transmitida através das gerações do povo de Deus que escolheu ficar na Babilônia. Essas pessoas podiam ler as Escrituras e orar e dar testemunho de seu Senhor onde estavam. Por que eles precisavam retornar a Jerusalém?

- No início do Antigo Testamento, Deus havia dito que haveria um lugar onde Ele colocaria Seu nome. “mas recorrereis ao lugar que o Senhor vosso Deus escolher de todas as vossas tribos para ali pôr o seu nome, para sua habitação, e ali vireis” (Deuteronômio 12:5).

- Davi discerniu que Jerusalém era o lugar onde Deus havia escolhido para colocar Seu nome e se encontrar com Seu povo, então ele levou a Arca da Aliança para lá. E quando Salomão construiu o templo, a nuvem da glória de Deus desceu.

- Alguém pode dizer: “Isto é coisa do Velho Testamento”, Um lugar onde Deus coloca Seu nome e diz: “Vou encontrá-lo lá”. Mas nossa situação não é tão diferente.

- O propósito de Deus em nosso tempo é que haja congregações de crentes reunidas que declarem o louvor de Deus e que a presença de Deus seja conhecida entre eles.

- Pedro descreve os crentes do Novo Testamento como pedras vivas, que estão sendo edificadas juntas (1 Pedro 2:5). Deus nos reúne para que possamos “anunciar as virtudes daquele que nos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz” (1 Pedro 2:9).

- E em 1 Coríntios 14, há uma descrição notável de um incrédulo entrando em uma reunião de crentes adoradores, onde a palavra de Deus é falada, ele se torna consciente da presença de Deus na adoração de Seu povo. Ele sente que Deus está falando com Ele diretamente e diz: “Deus está realmente entre vocês” (1 Coríntios 14:25).

- O propósito de Deus no Antigo Testamento era que houvesse um lugar na terra onde o povo de Deus se reunisse, onde o nome de Deus seria exaltado e onde a presença de Deus seria conhecida.

- O propósito de Deus no Novo Testamento é que haverá lugares em cada comunidade onde o povo de Deus se reunirá, onde o nome de Deus será exaltado e onde a presença de Deus será conhecida. E este é o chamado da igreja.

- Então aqui está o desejo do meu coração ao começarmos este Ano Novo:

Que Deus agite nossos corações com um novo desejo. Se reunir com o Seu povo. Para exaltar o Seu nome juntos. E conhecer Sua presença entre nós.

- Entendo que as pessoas escolherão voltar a adorar em momentos diferentes, assim como o povo de Deus retornou em momentos diferentes nos dias de Esdras e Neemias. Mas, por favor, não caia na armadilha de pensar que a reunião para adoração não importa. Importa muito.

- É importante porque o propósito de Deus é que haja congregações de crentes reunidos que declarem o louvor de Deus e que a presença de Deus seja conhecida entre eles quando se reunirem para adoração.

Conclusão

Minha oração por nós hoje é que Deus faça novamente o que fez em Esdras 1.

Que Ele mova nossos corações a buscá-Lo e servi-Lo de uma nova maneira. Para fazer um novo começo após um longo período de interrupção. Você sente essa agitação em seu coração hoje? Você gostaria de ter mais fé, mais esperança, mais alegria e mais amor?

Você deseja mais de Cristo, mais de Seu amor, Sua paz e Sua força em sua vida? Você sente vontade de confiar nele, obedecê-lo e servi-lo mais?

Se sim, é um sinal de que o Espírito Santo de Deus está mexendo em seu coração.

À nossa frente nesta série há uma jornada: veremos como você pode buscar o que seu coração foi incitado a buscar. Veremos como você pode navegar pelos contratempos que enfrentará no caminho.

Mas acima de tudo, veremos que quando Deus agitar Seu povo, haverá um novo começo e, onde o povo de Deus estiver reunido, onde o nome de Deus for exaltado, onde Sua presença for conhecida, Deus abençoará Seu povo, e através deles, Ele trará bênçãos ao mundo.

Postar um comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

Postagem Anterior Próxima Postagem
Gostou Desse Esboço? Olha a Novidade Que Tenho Para Você!

Eu preparei um E-book Com 365 Esboços de Sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! CLIQUE AQUI para adquirir seu livro.