A Prioridade da Adoração

A Prioridade da Adoração

Texto: Esdras 3

Introdução: Estamos acompanhando a história do retorno, que é o retorno do povo de Deus à cidade de Jerusalém após seus longos anos de exílio na Babilônia.

Quando o rei Ciro fez uma proclamação de que qualquer pessoa que quisesse reconstruir a cidade em ruínas de Jerusalém estava livre para retornar, Deus tocou o coração de 50.000 pessoas e, nesta série, estamos acompanhando sua história.

É uma história que fala diretamente para nós hoje. Vimos da última vez que é uma história sobre um novo começo após um longo período de ruptura. Fizemos a pergunta, por que esse retorno importa? O povo de Deus podia ler as Escrituras e orar na Babilônia. Por que era tão importante que essas pessoas voltassem para Jerusalém?

Vimos que o propósito de Deus no Antigo Testamento era que houvesse um lugar na terra onde o povo de Deus se reuniria, onde o nome de Deus seria exaltado e onde a presença de Deus seria conhecida. Jerusalém era esse lugar no Antigo Testamento.

Então vimos que o propósito de Deus no Novo Testamento é que haverá lugares em cada comunidade onde o povo de Deus se reunirá, onde o nome de Deus será exaltado e onde a presença de Deus será conhecida. E este é o chamado da igreja.

Seria fácil pensar, nestes dias em que nos acostumamos a nos reunir on-line, que a reunião para adoração não importa. Mas, importa sim.

Quero dizer novamente que entendo que as pessoas escolherão voltar a adorar em momentos diferentes, assim como o povo de Deus retornou em momentos diferentes nos dias de Esdras e Neemias. Mas, por favor, não caia na armadilha de pensar que a reunião para adoração não importa. Importa sim.

É importante porque o propósito de Deus é que em cada comunidade haja congregações de crentes reunidas que declararão o louvor de Deus, e que a presença de Deus seja conhecida entre eles quando se reunirem para adoração.

Então, esta é uma história sobre um novo começo após um longo período de interrupção.

É também uma história sobre uma nova paixão após um longo período de desânimo. Deus “comoveu os corações do Seu povo” (Esdras 1:5). Quando foram tocados, o povo de Deus teve uma fé mais forte, uma esperança mais brilhante e uma alegria maior. Havia um novo brilho em seus olhos e uma nova primavera em seus passos.

O livro de Esdras é a história de um despertar espiritual, e terminamos da última vez com o desejo de que Deus despertasse nossos corações assim como Ele agitou os corações de Seu povo nos dias de Esdras.

Hoje retomamos a história em Esdras 3, e achei útil perguntar: “O que eu esperaria encontrar aqui?”

O capítulo 1 nos diz que Deus agitou os corações de 50.000 pessoas. O capítulo 2 lista os nomes daqueles que voltaram para reconstruir a cidade de Deus. O que eu esperaria no capítulo 3? Eu esperaria ouvir sobre a viagem. Sobre as ruínas quando eles chegaram. Sobre como eles coletavam comida e como construíam suas casas.

Mas nada disso está aqui. Em vez disso, Esdras chama nossa atenção para apenas três coisas. Três coisas que mais importam em qualquer trabalho que empreendemos para Deus. O altar, a festa e o templo.

Nosso título hoje é “A Prioridade da Adoração”. A adoração para essas pessoas girava em torno do altar, da festa e do templo. E eu quero que vejamos o significado desses três elementos de adoração para nossas vidas hoje.

1. O Altar: Oferecendo-se a Deus. V. 2

“…e edificaram o altar do Deus de Israel, para oferecerem sobre ele holocaustos, como está escrito na lei de Moisés, homem de Deus” (Esdras 3:2).

- Qual é o significado do altar e do holocausto? O altar era uma plataforma elevada. Na época de Salomão, media trinta pés quadrados e quinze pés de altura, e era acessado por uma longa rampa.

- O altar era o lugar onde os sacrifícios eram oferecidos. Os sacrifícios apontavam para a verdade central das Escrituras, que um dia o Filho de Deus seria morto, e que através do derramamento de Seu sangue, Deus abriria o caminho para encontrarmos paz com Ele.

- Havia diferentes tipos de sacrifícios no Antigo Testamento, e aqui nos é dito que o povo de Deus oferecia holocaustos no altar.

- Você pode ler sobre o holocausto em Levítico 1. O ponto principal do holocausto é que foi dado inteiramente a Deus.

- Com outras ofertas, parte da carne era reservada para os sacerdotes (Levítico 7:6, 16). Mas o holocausto foi dado inteiramente a Deus. Se for um touro, “o sacerdote queimará tudo sobre o altar” (Levítico 1:9). Se for uma ovelha ou um bode, “o sacerdote oferecerá tudo” (Levítico 1:13).

- O ponto aqui é que tudo é dado, e nada é retido. Quando Jesus se entregou por nós, Ele não reteve nada. E quando o povo de Deus oferecia um holocausto, eles estavam dizendo a Deus: “Tu és o nosso Deus, e nós somos o teu povo, e não escondemos nada”.

- Paulo descreve o que eles estavam fazendo e o que devemos fazer em Romanos 12:1: “Rogo-vos, pois, irmãos, pela misericórdia de Deus, que apresenteis os vossos corpos como sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é vosso culto espiritual”

- A adoração começa com a oferta de si mesmo a Deus. À luz da Sua misericórdia, entregue-se a Ele. Observe que o povo de Deus fazia isso “diariamente” (verso 4). Isso era construído no ritmo de suas vidas. Hoje e todos os dias, eu me ofereço a Deus. Estou aqui para fazer a Tua vontade, ó Senhor.

- Esdras faz uma declaração surpreendente sobre o motivo deles. Há muitas motivações para nos entregarmos a Deus. Nós nos entregamos a Deus porque O amamos. Nós nos entregamos a Deus porque encontramos alegria em servi-lo. Nós nos entregamos a Deus porque estamos cheios de gratidão por tudo que Ele fez.

- Mas Esdras nos diz aqui que eles: “Colocaram o altar sobre a sua base (pois o terror estava sobre eles por causa dos povos das terras e ofereceram sobre ele holocaustos ao Senhor, holocaustos pela manhã e à tarde” (Esdras 3:3).

- Lembre-se que em anos anteriores, tanto os reis babilônicos quanto os assírios reassentavam as pessoas que conquistavam em terras diferentes. Quando o povo de Deus foi removido da Terra Prometida, outras pessoas foram transferidas, e quando o povo de Deus retornou, essas pessoas não ficaram felizes.

- Veremos na próxima semana que os povos das terras eram poderosos e se opunham implacavelmente à reconstrução de Jerusalém. O povo de Deus era apenas uma pequena comunidade, e “o terror estava sobre eles”. Esdras nos conta como eles lidaram com seus medos. Eles construíram o altar e se ofereceram a Deus. Eles encontraram forças para enfrentar seus medos sabendo que Deus era seu Deus e que eles eram o povo de Deus.

- Você se encontra lutando contra o medo? Quando o medo estiver sobre você, ofereça-se a Deus. Quanto mais difícil a vida se torna, mais precisamos saber que Deus é nosso Deus e que somos Seu povo.

- A dificuldade e o perigo devem nos incitar a buscar a face de Deus. Quando temos inimigos, precisamos saber que Deus é nosso amigo. Devemos fazer bom uso de nossos medos, devemos ser levados por eles de joelhos.

- Eis por que a adoração é importante. Na adoração, nos oferecemos a Deus. Na adoração, Deus nos assegura que somos Seu povo e que Ele é nosso Deus. Na adoração, ganhamos força para enfrentar nossos medos.

2. A Festa: Regozijando-se no Que Deus Fez. V. 4

“E celebraram a festa dos tabernáculos como está escrito, e ofereceram holocaustos diários segundo o número ordenado para cada dia” (Esdras 3:4).

- A Festa das Cabanas (que também era conhecida como a Festa dos Tabernáculos) era uma celebração do que Deus havia feito ao conduzir Seu povo pelo deserto e trazê-los para a Terra Prometida.

- Ao longo de seus anos no deserto, o povo de Deus viveu em tendas ou cabanas. Eles estavam constantemente em movimento e Deus providenciou para eles durante toda a sua jornada.

- Durante a Festa das Cabanas, o povo de Deus se lembrou do que Deus havia feito ao deixar suas casas, construindo abrigos temporários e permanecendo neles por uma semana inteira. As crianças devem ter adorado isso! A Festa das Cabanas foi uma ocasião feliz. Era uma festa, uma celebração. Um tempo de regozijo em tudo o que Deus havia feito.

- Os exilados que retornaram a Jerusalém devem ter aumentado a alegria ao fazer isso. Eles tinham sua própria história de como Deus os trouxe de volta da Babilônia para a Terra Prometida.

- Então, para eles, a Festa das Cabanas era mais do que uma memória do passado: era uma experiência presente. A alegria deles não estava apenas no que Deus havia feito pelos outros, mas no que Deus havia feito por eles. Deus salva e guarda Seu povo, e nós estamos entre eles!

- A Festa das Cabanas durou 7 dias. Pense nisso no contexto de tudo o que essas pessoas tiveram que fazer. Eles tinham escombros para limpar, comida para suprir, casas para construir, uma comunidade para estruturar, etc. Mas sua primeira prioridade era construir um altar e depois passar uma semana regozijando-se com o que Deus havia feito.

- Não sei quanto a você, mas temo que, se estivesse lá, poderia ter levantado algumas questões. “Com tudo o que precisa ser feito aqui, podemos realmente nos dar ao luxo de tirar uma semana de folga? Vamos fazer o trabalho primeiro!” E então, quando tivermos feito o que precisamos fazer, podemos aproveitar a festa e celebrar o que Deus fez.

- Mas essas pessoas acertaram exatamente. Neemias declarou o princípio quando chegou a Jerusalém alguns anos depois: “A alegria do Senhor é a vossa força” (Neemias 8:10). Se você vai sustentar o trabalho que está fazendo para Deus, você tem que cultivar a alegria no que Deus fez por você.

- Alegria no que Deus fez por você é a chave para sustentar o que Deus o chamou para fazer. Perca sua alegria e você perderá sua força. É por isso que o povo de Deus se entregou à adoração. A adoração renova nossa alegria em tudo o que Deus fez por nós em Jesus Cristo.

a. Deus te fez exclusivamente dEle

b. Ele fez de você uma nova criatura em Jesus Cristo

c. Ele lhe deu um novo nascimento para uma esperança viva através da ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos

d. Ele te adotou em sua própria família

e. Ele trouxe você para sua sala de banquetes e sua bandeira sobre você é o amor

f. Ele te livrou do domínio das trevas e transferiu você para o reino de seu filho amado.

g. Ele selou você como seu para sempre, dando-lhe o seu Espírito Santo.

E todas essas coisas são verdadeiras para você no seu pior dia, bem como no seu melhor!

Então, quando a vida estiver difícil, quando você enfrentar uma tarefa avassaladora, quando a tristeza pesar em seu coração, quando sua energia estiver baixa... Entregue-se a adoração! Regozije-se no que Deus fez por você em Cristo e você encontrará forças para enfrentar o que está por vir.

Quando o povo de Deus retornou a Jerusalém, a adoração era sua primeira prioridade.

1. Eles construíram o altar: A adoração começa com a oferta de si mesmo a Deus.

2. Eles celebraram a festa: A adoração renova nossas forças enquanto nos regozijamos em tudo o que Deus fez.

E isso leva ao terceiro elemento em sua adoração:

3. O Templo: Confiando na Promessa da Presença de Deus. V. 10

“... os edificadores lançaram os alicerces do templo do Senhor...” (Esdras 3:10).

- O significado do templo é que este era o lugar onde a glória da presença do Senhor desceu. A dedicação do templo de Salomão foi o ponto alto da história do Antigo Testamento. Lemos em 1 Reis 8 sobre como os sacerdotes trouxeram a Arca da Aliança para o Lugar Santíssimo, a sala construída para abrigá-la no centro do templo.

- Então a Bíblia nos conta o que aconteceu: “E sucedeu que, saindo os sacerdotes do santuário, uma nuvem encheu a casa do Senhor; de modo que os sacerdotes não podiam ter-se em pé para ministrarem, por causa da nuvem; porque a glória do Senhor enchera a casa do Senhor” (1 Reis 8:10-11).

- Essas pessoas não precisavam confiar na promessa da presença de Deus. Eles podiam ver a nuvem da presença de Deus com seus próprios olhos. O que aconteceu foi uma antecipação do último dia em que a fé dos que creem se tornará vista e os que não creem serão confrontados com a inegável realidade do poder e da presença de Deus.

- O povo de Deus ansiava que a nuvem da glória de Deus descesse novamente. “Oh! se fendesses os céus, e descesses, e os montes tremessem à tua presença” (Isaias 64:1). “Senhor, desce entre nós de tal maneira que até teus inimigos fiquem impressionados com admiração e espanto”.

- Foi o que aconteceu na dedicação do templo de Salomão. E não é de surpreender que tenha havido grande entusiasmo quando as fundações do novo templo foram lançadas. Estamos construindo um lugar onde a glória de Deus descerá!

- Esdras nos diz: “Quando os edificadores lançaram os alicerces do templo do Senhor, os sacerdotes trajando suas vestes, apresentaram-se com trombetas, e os levitas, filhos de Asafe, com címbalos, para louvarem ao Senhor, segundo a ordem de Davi, rei de Israel” (verso 10).

- E eles cantaram em resposta, louvando e dando graças ao Senhor: “Porque ele é bom; porque a sua benignidade dura para sempre sobre Israel. E todo o povo levantou grande brado, quando louvaram ao Senhor, por se terem lançado os alicerces da casa do Senhor” (Esdras 3:11).

- Nós nos oferecemos a Deus. Encontramos alegria no que Deus fez por nós e agora estamos nos preparando para a glória de Sua presença descer entre nós!

- Mas nem todos estavam felizes. Alguns dos velhos que viram o primeiro templo choraram quando viram as fundações do segundo. “…os idosos que tinham visto a primeira casa, choraram em altas vozes quando, a sua vista, foi lançado o fundamento desta casa...” (Esdras 3:12). Esses homens mais velhos se lembraram do templo que havia sido destruído 50 anos antes. O templo de Salomão era vasto. Grandes multidões de todo o país se reuniam ali para adorar.

- E quando esses homens mais velhos viram a pegada do alicerce do novo templo, perceberam que esse novo templo seria apenas uma sombra do que havia sido antes. É isso? E havia um problema maior. O templo foi construído para abrigar a Arca da Aliança, e foi para a Arca, onde o sangue de um sacrifício foi aspergido, que Deus disse que desceria.

- Mas a Arca da Aliança havia se perdido quando Jerusalém foi destruída e até hoje nunca foi encontrada. Então, como poderia a gloriosa nuvem da presença de Deus descer sem a Arca da Aliança? Sem a Arca, o Lugar Santíssimo no centro do templo seria apenas uma sala vazia.

- Não é de surpreender que esses velhos choraram! Qual era o sentido de um templo, se a nuvem da glória de Deus não descesse entre o Seu povo?

- Houve grande alegria e celebração quando este segundo templo foi concluído. Mas a nuvem da glória de Deus nunca desceu. O povo de Deus não experimentou os milagres como eles experimentaram nos dias de Salomão. Deve ter sido uma grande decepção.

- E levantou uma questão: Deus nos deixou se não experimentarmos o milagroso?

- Deus respondeu a essa pergunta por meio do profeta Ageu: “Quem há entre vós, dos sobreviventes, que viu esta casa na sua primeira glória? Em que estado a vedes agora? Não é como nada em vossos olhos? ....esforçai-vos, todo o povo da terra, diz o Senhor, e trabalhai; porque eu sou convosco, diz o Senhor dos exércitos,... o meu Espírito habita no meio de vós; não temais” (Ageu 2:3-5).

- Você não vai experimentar Minha presença como uma explosão milagrosa de poder e glória. Você não verá a nuvem gloriosa descer para que os sacerdotes não possam nem se levantar. Mas eu, o Senhor, estou convosco, e o meu Espírito permanece no meio de vós. Agora confie na promessa da Minha presença.

- Um dia nossa fé se transformará em vista. Veremos o Senhor em toda a Sua glória. Mas esse dia ainda não chegou. Adoramos pela fé, não pela vista. E quando adoramos, confiamos na promessa da presença de Deus

Aplicação

- Existe alguém aqui hoje que anseia por um milagre que não aconteceu? Você tinha um ente querido que estava doente e orou por uma cura milagrosa. Mas esse presente não foi dado, e você se pergunta: “Onde está Deus nisso?”

- Você tinha um ente querido que estava longe de Deus e orou para que Deus interviesse. “Senhor, faça o que fez por Saulo de Tarso! Pare-o em suas trilhas e traga-o aos pés de Jesus!” Mas esse milagre não aconteceu, e você está desapontado.

- Você se lançou em um novo empreendimento de fé. Você esperou que Deus o abençoasse abundantemente, mas desde o início tem sido uma luta: houve um retrocesso após o outro, e você se pergunta: “isso significa que Deus nos deixou?”

- Para aqueles que não viram o milagre que esperavam, Deus diz: “Eu sou convosco, diz o Senhor dos exércitos, o meu Espírito habita no meio de vós; não temais” (Ageu 2:4-5).

Confie na promessa da presença de Deus.

Nós olhamos hoje para a prioridade da adoração. A adoração importa. E para essas pessoas, a adoração girava em torno do altar, da festa e do templo.

Aqui está o que fazemos quando adoramos: Nós nos oferecemos a Deus. Regozijamo-nos em tudo o que Ele fez por nós. Confiamos na promessa de Sua presença.

Quando estiver com medo, entregue-se à adoração, ao se oferecer a Deus, você poderá enfrentar seus medos sabendo que Você é Dele e Ele é seu. Quando você enfrentar uma tarefa avassaladora, entregue-se à adoração. Ao se alegrar com tudo o que Deus fez por você, suas forças serão renovadas para o que está por vir.

Quando estiver desapontado, entregue-se à adoração. Ao crer na promessa da presença de Deus, você terá esperança, porque adoramos na expectativa do dia em que a glória da presença do Senhor descerá, e a fé se transformará em vista, e estaremos para sempre com o SENHOR.

Postar um comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

Postagem Anterior Próxima Postagem
Gostou Desse Esboço? Olha a Novidade Que Tenho Para Você!

Eu preparei um E-book Com 365 Esboços de Sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! CLIQUE AQUI para adquirir seu livro.