5 Dicas do Rei Salomão Para Uma Estratégia de Investimento Livre de Riscos

5 Dicas do Rei Salomão Para Uma Estratégia de Investimento Livre de Riscos
A administração do dinheiro pode ser um dos aspectos mais mal compreendidos da fé cristã. Quantas vezes você já ouviu alguém dizer: "O dinheiro é a raiz de todos os males?" Você sabia que essa declaração não aparece em nenhum lugar da Bíblia? É uma citação errada de 1 Timóteo 6:10, que diz: “O amor ao dinheiro é a raiz de todos os males”.

Não é errado que os cristãos tenham dinheiro, mesmo que seja muito. Recursos financeiros são uma ferramenta que Deus nos dá para realizar muitas coisas boas neste mundo.

O problema é nossa relação com o dinheiro. Logo a seguir, em 1 Timóteo 6:10, o apóstolo Paulo diz: “...e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores”. Se quisermos administrar nossas finanças com sabedoria, podemos começar avaliando nosso coração e nossos motivos. Vejamos cinco princípios financeiros do Rei Salomão, o homem mais rico e sábio do mundo antigo.

1. Quanto mais temos, mais queremos

“Quem ama o dinheiro não se fartará de dinheiro; nem o que ama a riqueza se fartará do ganho; também isso é vaidade”. Eclesiastes 5:10

De acordo com a Forbes, Elon Musk destituiu Jeff Bezos como a pessoa mais rica do mundo em janeiro de 2021. Graças aos valores crescentes das ações da Tesla, o patrimônio líquido de Musk aumentou para US $ 189,7 bilhões em comparação com a fortuna de Bezos de US $ 185 bilhões na Amazon. Se você fosse conhecer qualquer um desses homens e discutir seus sonhos, você provavelmente descobrirá que eles estão focados em obter mais, principalmente porque mais pode ser equiparado à sua felicidade.

Do trabalhador rural ao trabalhador de classe média, sempre parecemos querer mais.

Mas não são apenas os ricos que querem mais. Do trabalhador rural ao trabalhador de classe média, sempre parecemos querer mais. O fogo é alimentado, mas nunca apagado. Quanto mais obtemos, mais queremos, e nossa felicidade gradualmente se esvai.

Jesus disse: “Acautelai-vos e guardai-vos de toda espécie de cobiça; porque a vida do homem não consiste na abundância das coisas que possui” (Lucas 12:15). Não seria maravilhoso estar verdadeiramente contente? Para nos libertar do fardo de acumular mais bens? Para estar em paz com nosso lugar na vida? Por que nos tornamos infelizes por causa de algo com um péssimo histórico de satisfação?

O contentamento alimentou o incrível poder de Paulo no ministério. Ele testificou: “... já aprendi a contentar-me com as circunstâncias em que me encontre. Sei passar falta, e sei também ter abundância; em toda maneira e em todas as coisas estou experimentado, tanto em ter fartura, como em passar fome; tanto em ter abundância, como em padecer necessidade” (Filipenses 4:11-12)

2. Quanto mais temos, mais gastamos

“Quando se multiplicam os bens, multiplicam-se também os que comem; e que proveito tem o seu dono senão o de vê-los com os seus olhos?” Eclesiastes 5:11

Quando recebemos uma promoção com um aumento generoso, uma escolha sábia seria manter nosso estilo de vida atual e aplicar o dinheiro extra em poupança e caridade. Mas antes de sabermos disso, muitas vezes nos surpreendemos imaginando carros novos, móveis novos e talvez uma segunda casa. Mais dinheiro flui por nossa conta a cada mês, mas nossos gastos aumentam na mesma proporção.

A Nova Versão Transformadora traduz Eclesiastes 5:11 da seguinte maneira: “Quanto mais você tem, mais pessoas aparecem para ajudá-lo a gastar. Portanto, de que serve a riqueza, senão para vê-la escapar por entre os dedos?”. O autor William MacDonald diz:

"Quando os bens de um homem aumentam, parece que há um aumento correspondente no número de parasitas que vivem dele: consultores de gestão, consultores tributários, contadores, advogados, empregados domésticos e parentes esponjosos".

O problema dos amigos dos bons momentos existia nos dias de Salomão e continua até hoje.

Para muitos de nós, o problema não é nossa receita, mas nossas despesas.

3. Quanto mais temos, mais nos preocupamos

“Doce é o sono do trabalhador, quer coma pouco quer muito; mas a saciedade do rico não o deixa dormir” Eclesiastes 5:12

Quando você consegue colocar todos os objetos de valor da sua vida no banco de trás do seu carro, você pode dormir bem à noite. Pela graça de Deus, posso dizer que nunca perdi uma noite de sono por causa do status dos meus investimentos. Muitas pessoas acreditam que quanto mais dinheiro têm, mais felizes serão e mais profundamente dormirão à noite, mas o oposto é verdadeiro. Quanto mais elas ganham, mais elas se preocupam em preservá-lo.

Se o dinheiro é sua fonte de força, você vai gastar todo o seu tempo se preocupando com o que acontecerá quando suas defesas falharem.

Uma escolha muito melhor seria colocar sua fé em um Escudo e Protetor impenetrável, Aquele que disse: “Nunca te deixarei, nem te desampararei” (Hebreus 13:5).

Quando tinha 53 anos, John D. Rockefeller era o único bilionário do mundo. Sua renda era de $ 1 milhão por semana. Mas ele era um homem doente que vivia de biscoitos e leite e não conseguia dormir porque se preocupava muito com seu dinheiro. Com o tempo, ele aprendeu a doar seu dinheiro e sua saúde melhorou radicalmente. Como filantropo, viveu para comemorar seu 98º aniversário.

Casais idosos relembram seus dias de caixa de macarrão em um apartamento minúsculo. Eles concluem que aqueles podem ter sido os melhores momentos de seu casamento. A Grande Depressão foi uma época terrível para as pessoas, mas muitas se lembraram daqueles mesmos anos com carinho.

As dificuldades financeiras nos livram do isolamento da autossatisfação. Eles nos forçam a sair e encontrar pessoas e a precisar de algumas delas. Conforme nos tornamos mais prósperos, há uma tendência de nos afastarmos da comunidade. Sentimos falta de muitas pequenas graças e encontros relacionais que tornam a vida real e satisfatória. Em vez de saborear a verdadeira felicidade, substituímos por bugigangas que nunca correspondem ao seu fascínio brilhante.

4. Quanto mais temos, mais perdemos

“Há um grave mal que vi debaixo do sol: riquezas foram guardadas por seu dono para o seu próprio dano; e as mesmas riquezas se perderam por qualquer má aventura; e havendo algum filho nada fica na sua mão” Eclesiastes 5:13-14

Alguns de nós vivenciamos esse princípio quando fazemos grandes investimentos que geram ansiedade. Qualquer pessoa que já comprou uma casa pela primeira vez está familiarizada com isso. Um dia, estamos celebrando um novo capítulo na vida e, no outro, estamos raspando o fundo de nossa conta para pagar um encanador ou um pedreiro. À medida que nossas posses aumentam, descobrimos que temos mais a perder. E logo, nossa felicidade, alegria e paz pessoal dependerão de quão protetores somos de nossas posses.

Outras tentações são mais insidiosas. Podemos não comprar uma casa grande ou um carro novo, mas podemos satisfazer nossas papilas gustativas sempre que nos sentamos para comer. Aflições como diabetes tipo 2 e doença coronariana ganharam o rótulo de “doenças da abundância” porque estão associadas à supernutrição e obesidade crônicas - condições virtualmente desconhecidas no mundo em desenvolvimento. A boa administração começa com nossas decisões do dia a dia.

O que Deus pretende que eu faça com esses recursos?

Quando Deus nos confia riquezas, Ele nos dá a responsabilidade de compartilhar com os outros. Uma boa pergunta para nos fazermos é: O que Deus pretende que eu faça com esses recursos? Se Ele não tornar a resposta imediatamente aparente, nossa melhor decisão é esperar que Ele revele Seus planos enquanto estudamos a Bíblia e oramos.

5. Quanto mais temos, mais deixamos para trás

Como saiu do ventre de sua mãe, assim também se irá, nu como veio; e nada tomará do seu trabalho, que possa levar na mão. Ora isso é um grave mal; porque justamente como veio, assim há de ir; e que proveito lhe vem de ter trabalhado para o vento, e de haver passado todos os seus dias nas trevas, e de haver padecido muito enfado, enfermidades e aborrecimento?” Eclesiastes 5:15-17

Em outras palavras, você não pode levar suas riquezas com você. Esse é um senso comum. Além do preço, pagamos pelas coisas que acumulamos com suor e trabalho duro. Nosso esforço é trocado por dinheiro, que é trocado por mercadorias. Mesmo assim, nunca possuímos nada permanentemente; nós apenas as alugamos até passarmos desta terra. Um dia nossos bens preciosos, mesmo que durem mais do que nós, pertencerão a outra pessoa.

O outro lado da moeda é positivo: legados a instituições de caridade, ministérios cristãos e indivíduos têm o potencial de catalisar mudanças positivas em nosso mundo. A acumulação pode trabalhar de mãos dadas com as metas para o Reino de Deus. Em termos eternos, só precisamos lembrar que não existe um empréstimo próprio - apenas um empréstimo. E quanto mais doamos, menos nos preocupamos e mais felicidade podemos encontrar aqui. Jesus nos diz “ajuntai para vós tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem os consumem, e onde os ladrões não minam nem roubam. Porque onde estiver o teu tesouro, aí estará também o teu coração” (Mateus 6:20–21).

Uma forma de sentir satisfação nesta vida é fazer investimentos na próxima.

Podemos acessar um portfólio sem riscos por meio de nossos dízimos e ofertas.

Qual é a melhor estratégia de investimento? Aquele que se concentra em dividendos eternos. Os tesouros terrenos nunca irão nos satisfazer ou trazer paz. Eles podem nem mesmo sobreviver à próxima crise econômica. Mas investir no Reino de Deus oferece um retorno exponencial do nosso investimento. Mateus 6:33 diz: “Buscai primeiro o reino de Deus e a Sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas”.

Postar um comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

Postagem Anterior Próxima Postagem

Gostou Desse Esboço? Olha a Novidade Que Tenho Para Você!

Eu preparei um E-book Com 365 Esboços de Sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! CLIQUE AQUI para adquirir seu livro.