Vivendo na Realidade do Sobrenatural
Textos: 2 Reis 6:15-18; Mateus 28:16-20; Romanos 6:1-7

Introdução: Uma das minhas histórias favoritas na história bíblica é a história de Eliseu em 2 Reis 6:16-17. Eliseu está cercado por seus inimigos e seu jovem servo está aterrorizado. Os arameus cercaram a cidade de Dotã para matar especificamente Eliseu. Deus estava revelando ao profeta Eliseu os planos destrutivos dos arameus para destruir Israel. Cada vez que isso acontecia, Eliseu, o profeta, informava o rei de Israel sobre o ataque.

2 Reis 6:8-14
"8 Ora, o rei da Síria fazia guerra a Israel; e teve conselho com os seus servos, dizendo: Em tal e tal lugar estará o meu acampamento.
9 E o homem de Deus mandou dizer ao rei de Israel: Guarda-te de passares por tal lugar porque os sírios estão descendo ali.
10 Pelo que o rei de Israel enviou àquele lugar, de que o homem de Deus lhe falara, e de que o tinha avisado, e assim se salvou. Isso aconteceu não uma só vez, nem duas.
11 Turbou-se por causa disto o coração do rei da Síria que chamou os seus servos, e lhes disse: Não me fareis saber quem dos nossos é pelo rei de Israel?
12 Respondeu um dos seus servos: Não é assim, ó rei meu senhor, mas o profeta Eliseu que está em Israel, faz saber ao rei de Israel as palavras que falas na tua câmara de dormir.
13 E ele disse: Ide e vede onde ele está, para que eu envie e mande trazê-lo. E foi-lhe dito; Eis que está em Dotã.
14 Então enviou para lá cavalos, e carros, e um grande exército, os quais vieram de noite e cercaram a cidade"

A presença de Deus na vida de Eliseu era uma realidade flagrante para todos, exceto para o rei dos arameus. Se Deus revela seus planos a Eliseu, por que você iria querer mexer com Eliseu? Nunca mexa com aqueles que têm Deus do seu lado - eles vão vencer no final.

2 Reis 6:15-18
“15 Tendo o moço do homem de Deus se levantado muito cedo, saiu, e eis que um exército tinha cercado a cidade com cavalos e carros. Então o moço disse ao homem de Deus: Ai, meu senhor! que faremos?
16 Respondeu ele: Não temas; porque os que estão conosco são mais do que os que estão com eles.
17 E Eliseu orou, e disse: Ó Senhor, peço-te que lhe abras os olhos, para que veja. E o Senhor abriu os olhos do moço, e ele viu; e eis que o monte estava cheio de cavalos e carros de fogo em redor de Eliseu.
18 Quando os sírios desceram a ele, Eliseu orou ao Senhor, e disse: Fere de cegueira esta gente, peço-te. E o Senhor os feriu de cegueira, conforme o pedido de Eliseu”.

Com muita frequência, somos como o rei dos arameus e o servo de Eliseu, deixamos de ver o verdadeiro poder por trás do que está acontecendo. A ênfase bíblica é que o sobrenatural é uma realidade para o presente. Não é uma coisa de nossos dias passados, ou algo a ser realizado em nosso futuro - é uma realidade para hoje.

O que pensamos saber muitas vezes nos cega para o que poderíamos saber. Estamos tão ocupados tentando encaixar o que estamos aprendendo no que já sabemos que isso nos cega para o que poderíamos saber. Nossa visão do mundo é projetada pelo que achamos que sabemos. Nossa visão de mundo vem principalmente da observação de nosso mundo natural, porque a urgência do presente parece mais real e mais importante do que qualquer outra coisa. Crescer em um mundo natural doutrinou totalmente a maioria de nós para uma perspectiva natural da vida. Isso torna difícil viver na realidade da presença sobrenatural de Deus. Nosso mundo natural tende a cegar-nos para a realidade de Satanás, anjos, demônios e presença de Deus.

O Sobrenatural é Real

A história bíblica revela o aspecto sobrenatural de nossas vidas. Quantas vezes vemos anjos entrando e saindo da ordem natural das coisas no registro bíblico? Este é um testemunho vivo de que nossa caminhada com Deus é uma caminhada sobrenatural. Vemos anjos regozijando-se com a salvação dos pecadores (Lucas 15). Vemos os apóstolos se tornando um espetáculo ao mundo, aos anjos e aos homens. (1 Coríntios 4:9). É como se estivéssemos em um palco sendo observado pelos poderes fáticos. É como um espelho unidirecional; eles podem nos ver, mas não podemos vê-los sem a visão especial que Deus nos dá pela fé (2 Coríntios 5:7).

A presença do elemento sobrenatural é evidente na incumbência de Paulo a Timóteo. Como Paulo escreve ao jovem pregador Timóteo, ele escreve: "Conjuro-te diante de Deus, e de Cristo Jesus, e dos anjos eleitos, que sem prevenção guardes estas coisas, nada fazendo com parcialidade" (1 Timóteo 5:21). Ele fala de Timóteo diante dos olhos de Deus, Cristo e os anjos. A presença deles continua a ser uma realidade para cada um de nós. Nenhum livro do Novo Testamento revela o aspecto sobrenatural de nossas vidas como o livro do Apocalipse.

Um dos itens mais úteis na caixa de ferramentas é uma chave de fenda sem fio. É uma de uma nova geração de ferramentas elétricas que torna obsoleto o trabalho antiquado e doloroso de girar um parafuso manualmente. Coloque a broca na cabeça do parafuso, aperte um botão e o trabalho será concluído.

Há uma desvantagem neste dispositivo útil, no entanto. É totalmente dependente de uma fonte de energia externa e deve ser carregada regularmente. Sem um carregador, é uma ferramenta desajeitada e inutilizável.

O mesmo se aplica a nós. Precisamos de uma fonte de energia externa se quisermos servir a Deus efetivamente onde Ele nos colocou. Muitas vezes, quando queremos usar as ferramentas elétricas, as baterias estão descarregadas. É difícil manter essas ferramentas elétricas sempre carregadas. O mesmo acontece com nossas vidas. Ficamos tão preocupados com a ordem natural das coisas que deixamos de manter contato com Aquele que fortalece nossas vidas.

O escritor hebreu diz: "Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que não se veem" (Hebreus 11:1). Em essência, fé é a capacidade de ver o invisível (2 Coríntios 5:7). É a capacidade de explorar a presença sobrenatural de Deus para remover a montanha de dificuldades diante de nós.

A Caminhada de um Cristão é Sobrenatural

O condicionamento do mundo religioso muitas vezes nos cega para a realidade do invisível. Podemos estar procurando experimentar o poder de Deus em todos os lugares errados. Podemos estar procurando uma experiência carismática. Talvez estejamos procurando o extraordinário - como sinais sobrenaturais de Deus, que exibiriam o poder de sua presença em nossas vidas. Podemos estar esperando que outros nos transmitam esse poder através da imposição de mãos. Podemos querer que Deus nos torne poderosos da mesma maneira que ele fez tornou Sansão fisicamente forte - queremos uma explosão de energia que nos permita exterminar todos os nossos inimigos e superar todos os nossos problemas.

Tentamos ver o Deus que o mundo imagina e isso nos cega para o aspecto sobrenatural de nossa caminhada com Cristo. A caminhada do cristão é uma caminhada sobrenatural com Deus no poder de Cristo ressuscitado. A maior parte de nossas vidas parece tão comum que nunca sonhamos com o poder de Deus à nossa disposição. É porque não vemos a vida cristã como uma caminhada sobrenatural com o Doador e o Sustentador de nossas vidas.

Jesus passou quarenta dias com seus discípulos após sua ressurreição para convencê-los do aspecto sobrenatural de suas vidas. O último milagre que Jesus realizou na presença de seus discípulos foi exatamente como o milagre que ele realizou quando os chamou para segui-lo. Nas duas ocasiões, eles haviam pescado a noite toda e não pegaram nada. Jesus ordena que joguem as redes uma última vez. Cada vez , eles pegaram um número recorde de peixes. A primeira eles encheram tanto os barcos que começaram a afundar; na segunda vez capturaram tantos peixes que não podiam puxar nas redes (Lucas 5:1-6; João 21:1-10).

Quando os discípulos chegaram à praia após o último milagre, Jesus preparou o café da manhã para eles e ele comeu com eles. João nos diz que ninguém ousou perguntar a Jesus quem ele era. Jesus procurou dar a eles uma prova inegável da realidade de sua presença. No entanto, alguns eram como nós - continuavam duvidando.

Mateus 28:16-20
"16 Partiram, pois, os onze discípulos para a Galileia, para o monte onde Jesus lhes designara.
17 Quando o viram, o adoraram; mas alguns duvidaram.
18 E, aproximando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: Foi-me dada toda a autoridade no céu e na terra.
19 Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;
20 ensinando-os a observar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos".

Essa grande comissão promete a presença de Cristo para os cristãos em todas as épocas - "até a consumação dos séculos", isto é, até o fim do mundo. Vemos os fiéis do passado lutando para andar de mãos dadas com Deus. Devemos entender que Cristo continua a andar com os fiéis lutando para obedecê-lo.

Cristo pode ter desaparecido de nossa vista, mas ele ainda está presente. Lucas escreve sobre a aparição da ressurreição de Cristo na estrada de Emaús: "Abriram-se lhes então os olhos, e o reconheceram; nisto ele desapareceu de diante deles" (Lucas 24:31). Sugere-se que seria melhor traduzir este versículo dizendo: "Ele deixou de ser visto por eles". Não era que ele não estivesse mais lá; eles simplesmente não o viram. A transfiguração de Jesus diante de Pedro e João revela a realidade da presença de Jesus no mundo natural e sobrenatural. A maioria das pessoas, dentro e fora da igreja, carece de categorias mentais para interpretar ocorrências sobrenaturais.

Não é por acaso que a vida cristã começa no batismo. Quando o evangelho revela que estamos mortos em pecado, a única coisa natural a fazer é enterrar o que está morto. O batismo representa nosso desejo de enterrar nossa natureza pecaminosa. O batismo também revela nosso desejo de nos unir a Cristo - não apenas em sua morte, mas também em sua ressurreição.

Romanos 6:1-7
"1 Que diremos, pois? Permaneceremos no pecado, para que abunde a graça?
2 De modo nenhum. Nós, que já morremos para o pecado, como viveremos ainda nele?
3 Ou, porventura, ignorais que todos quantos fomos batizados em Cristo Jesus fomos batizados na sua morte?
4 Fomos, pois, sepultados com ele pelo batismo na morte, para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida.
5 Porque, se temos sido unidos a ele na semelhança da sua morte, certamente também o seremos na semelhança da sua ressurreição;
6 sabendo isto, que o nosso homem velho foi crucificado com ele, para que o corpo do pecado fosse desfeito, a fim de não servirmos mais ao pecado.
7 Pois quem está morto está justificado do pecado”.

A dificuldade com a maioria de nós é que procuramos viver uma vida morta para o pecado sem experimentar uma ressurreição com Cristo. Quando morremos com Cristo, é uma promessa viver com uma boa consciência para com Deus quando vivemos para Cristo (1 Pedro 3:18-22). Fomos batizados em Cristo para que possamos viver uma nova vida com Cristo. Fomos batizados em Cristo para que o Cristo ressuscitado possa reviver em nossos corações.

Gálatas 2:18-21
“18 Porque, se torno a edificar aquilo que destruí, constituo-me a mim mesmo transgressor.
19 Pois eu pela lei morri para a lei, a fim de viver para Deus.
20 Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé no filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim.
21 Não faço nula a graça de Deus; porque, se a justiça vem mediante a lei, logo Cristo morreu em vão”.

É tão importante para nós sermos elevados a uma nova maneira de viver, como é tornar-nos mortos para o pecado. Não podemos verdadeiramente experimentar a morte em nossa natureza pecaminosa sem ressuscitar com uma nova natureza.

Você não pode crer no poder de Cristo sobre o pecado sem procurar viver uma poderosa vida triunfante com o Cristo ressuscitado. Infelizmente, muitos cristãos vivem como mortos-vivos, pois suas vidas são nulas da presença de Cristo. Muitas vezes, estamos mortos para a disponibilidade do poder de Deus para tirar proveito de nossas oportunidades e cumprir nossas responsabilidades.

Tente me imaginar acordando todas as manhãs e empurrando meu carro até onde minha esposa trabalha, e depois o empurrando para a casa novamente. Então, faço a mesma coisa quando vou para igreja. Imagine me ver fazendo isso todos os dias. O carro está em perfeito estado de funcionamento. Ele tem um tanque cheio de gasolina, mas eu escolho levá-lo para onde quero ir com minha própria força e com minha própria energia.

Isso parece bobagem, mas é assim que muitos cristãos estão vivendo. Eles vieram a Deus para obter o perdão dos seus pecados passados, mas estão vivendo o presente como se tudo dependesse deles. Eles não dependem do poder de Deus para levá-los através das dificuldades da vida. Eles falham em ver a presença de Deus em suas vidas. Nós falhamos em ver o poder guardador de Deus.

Como Experimento a Presença Poderosa de Deus?

O poder de Deus não é um poder adormecido; pode parecer que sim, mas não é. Um jovem ipê amarelo caiu seus galhos e folhas. Alguém me perguntou se estava vivo. Ele estava preocupado com a sua sobrevivência, mas está muito vivo. A natureza do trabalho de Deus nessa árvore pode não ser visível nos meses de inverno, mas é muito viva. O sobrenatural está trabalhando nessa árvore; podemos não vê-lo com nossos olhos, mas podemos acreditar que é real com nossas mentes e corações. Se escolhemos vê-lo ou não, está lá.

O poder de Deus para trazer novo crescimento também depende de nós para garantir que ela tenha água e fertilizantes. O poder de Deus pode fazê-lo crescer, mas ele depende de nós para fazer nossa parte. O poder de Deus está sujeito ao nosso controle, que está em submissão a cada um de nós. Para que se torne real, cabe a nós usá-lo. Somos responsáveis ​​pela forma como o usamos. Nos versículos seguintes, vemos como os profetas possuíam o Espírito de Deus, mas os espíritos dos profetas estavam sujeitos aos profetas.

1 Coríntios 14:29-33
“29 E falem os profetas, dois ou três, e os outros julguem.
30 Mas se a outro, que estiver sentado, for revelada alguma coisa, cale-se o primeiro.
31 Porque todos podereis profetizar, cada um por sua vez; para que todos aprendam e todos sejam consolados;
32 pois os espíritos dos profetas estão sujeitos aos profetas;
33 porque Deus não é Deus de confusão, mas sim de paz. Como em todas as igrejas dos santos”

O poder de Deus é descoberto através da submissão a Deus e às necessidades dos outros. O poder imaginado pelo mundo é uma força coercitiva. Procura interesse próprio. No entanto, o poder de Deus é influente e persuasivo, e não coercitivo. O verdadeiro poder da libertação não é encontrado na busca pelo poder. Pode ser encontrado na busca do serviço através da submissão. Não é humilhante; é enobrecedor. O conceito de liderança na Bíblia é liderança servidora. Aqueles que desejam liderar o povo de Deus de maneira poderosa devem fazê-lo através do serviço.

Os grandes homens e mulheres na história bíblica não eram grandes por causa do brilhantismo do pensamento - eles não eram grandes porque possuíam recursos inesgotáveis ​​- eles não eram grandes por causa de sua cultura ou talentos natos - eram grandes porque, por sua submissão a Deus, conheciam o poder de Deus.

O poder da ressurreição de Cristo ganha vida em nós de maneiras simples e comuns - e não através do extraordinário. É vivenciado em nossos relacionamentos quando aprendemos a perdoar como fomos perdoados. O perdão torna possível que o poder curador de Deus entre em nossos relacionamentos. Manter nossos rancores nos amarga e nos enfraquece mais do que machuca os outros. Priva nossos relacionamentos da presença curativa de Deus.

1 Pedro 2:21-25
“21 Porque para isso fostes chamados, porquanto também Cristo padeceu por vós, deixando-vos exemplo, para que sigais as suas pisadas.
22 Ele não cometeu pecado, nem na sua boca se achou engano;
23 sendo injuriado, não injuriava, e quando padecia não ameaçava, mas entregava-se àquele que julga justamente;
24 levando ele mesmo os nossos pecados em seu corpo sobre o madeiro, para que mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; e pelas suas feridas fostes sarados.
25 Porque éreis desgarrados, como ovelhas; mas agora tendes voltado ao Pastor e Bispo das vossas almas”.

Por meio de suas feridas, fomos curados para que o poder de cura de Deus possa ser estendido através de nós para os outros, à medida que entramos em relacionamentos com eles. Através do perdão, trazemos o poder de um Cristo ressuscitado para nossos relacionamentos. Quando suportamos a reprovação de outros, em grande parte, os ajudamos a suportar o peso de seus pecados e, assim, trazemos cura para o relacionamento.
Satanás está presente para tirar vantagem quando deixamos de permitir que Deus entre em nossos relacionamentos.

1 Coríntios 7:3-5
“3 O marido pague à mulher o que lhe é devido, e do mesmo modo a mulher ao marido.
4 A mulher não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim o marido; e também da mesma sorte o marido não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim a mulher.
5 Não vos negueis um ao outro, senão de comum acordo por algum tempo, a fim de vos aplicardes à oração e depois vos ajuntardes outra vez, para que Satanás não vos tente pela vossa incontinência”.

O poder da graça de Deus é experimentado através da maneira como falamos um com o outro. A graça de Deus é a coisa mais poderosa da Terra, e outros, e podemos experimentá-la se permitirmos que a graça de Deus direcione nossas palavras.

Efésios 4:29
“Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que seja boa para a necessária edificação, a fim de que ministre graça aos que a ouvem”.

Qualquer pessoa com pouco ou nenhum cérebro pode usar a língua para insultar e derrubar os outros. Mas palavras sábias dirigidas pelo poder da graça de Deus edifica ao invés de derrubar.

O poder de Deus é exercido através de nós quando escolhemos acreditar no melhor dos outros.
1 Coríntios 13:4-8
“4 O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não se vangloria, não se ensoberbece,
5 não se porta inconvenientemente, não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não suspeita mal;
6 não se regozija com a injustiça, mas se regozija com a verdade;
7 tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
8 O amor jamais acaba; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá”

As manifestações milagrosas da presença sobrenatural de Deus no primeiro século se tornam insignificantes quando o poderoso amor de Cristo descobre uma presença poderosa em nossas vidas.
  • O poder do Salvador ressuscitado é descoberto quando percorremos a segunda milha com aqueles que nos obriga a percorrer a primeira milha.
  • O poder do Salvador ressuscitado é descoberto quando tratamos os outros, como desejamos ser tratados.
  • O poder do Salvador ressuscitado é descoberto quando oramos por aqueles que, apesar de tudo, nos usam como ferramentas para conseguir o que querem.
  • O poder do Salvador ressuscitado é descoberto quando lamentamos o pecado em nossas vidas, enquanto temos fome e sede pela justiça de Deus.
Simplificando, a presença poderosa de Deus é realizada quando permitimos que nossas mentes sejam renovadas com o conhecimento de Deus.

Conclusão: Quando realmente vislumbramos nossa caminhada sobrenatural com Deus, veremos o Cristo glorificado ressuscitado trabalhando através de nós para realizar sua vontade. A parte triste de não poder ver o Cristo ressuscitado trabalhando em nossas vidas é que isso nos deixa com uma fé morta. Isso nos rouba a capacidade de Cristo de produzir frutos em nossas vidas. Isso torna impossível para nós vivermos livres dos laços do pecado.

Romanos 7:4-6
“4 Assim também vós, meus irmãos, fostes mortos quanto à lei mediante o corpo de Cristo, para pertencerdes a outro, àquele que ressurgiu dentre os mortos a fim de que demos fruto para Deus.
5 Pois, quando estávamos na carne, as paixões dos pecados, suscitadas pela lei, operavam em nossos membros para darem fruto para a morte.
6 Mas agora fomos libertos da lei, havendo morrido para aquilo em que estávamos retidos, para servirmos em novidade de espírito, e não na velhice da letra”.

Dependemos de Cristo para nos salvar de nossos pecados passados, mas deixamos de viver na realidade de sua presença?

2 Pedro 1:3-4
“3 visto como o seu divino poder nos tem dado tudo o que diz respeito à vida e à piedade, pelo pleno conhecimento daquele que nos chamou por sua própria glória e virtude;
4 pelas quais ele nos tem dado as suas preciosas e grandíssimas promessas, para que por elas vos torneis participantes da natureza divina, havendo escapado da corrupção, que pela concupiscência há no mundo”.
Postagem Anterior Próxima Postagem

Gostou? Olha a Novidade Que Tenho Para Você!

Eu preparei um E-book Com 365 Esboços de Sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! CLIQUE AQUI para adquirir seu livro.