O Novo Começo
Lição 26

Gênesis 8:20 - 9:17

I. Introdução

A. Depois do Dilúvio, houve um novo começo, um novo começo para a humanidade, cheio de esperança e com toda garantia da bênção de Deus. O pecado foi julgado e Deus estava pronto para guiar o novo povo da terra.

B. O Dilúvio removeu o pecado, mas não os pecadores, pois Noé e sua família ainda eram pecadores e necessitavam da graça de Deus. Portanto, seria necessário que Deus fizesse uma aliança com o homem.

II. A Promessa a Noé. (8:20-22)

A. A atitude correta (8:20). A primeira coisa que Noé faz quando sai da arca é dar graças a Deus. Noé reconheceu a presença e providência de Deus.

NOTA: Oferecer ações de graças é uma consciência consciente de que Deus está no controle de todas as coisas (1 Tessalonicenses 5:18).

B. A Promessa de Deus (8:21). Deus prometeu que nunca mais enviaria um dilúvio universal à terra para destruir a humanidade por sua maldade (Gênesis 9:11).

NOTA: A terra será destruída por Deus no fim do mundo, mas será por fogo (2 Pedro 3:10).

III. A Aliança (Pacto) Com Noé. (9:1-17)

A. Introdução

1. Significado de uma aliança. Uma aliança bíblica é onde Deus incondicionalmente faz um pacto com os homens. Deus não chega a um acordo com o homem pecador através de um processo de negociação. O homem não é uma ameaça para o governo de Deus. Deus está no controle da história e estabeleceu as regras através de alianças para os homens viverem.

2. Fonte da Aliança Noética. A fonte é somente Deus (9:9, 11, 12, 17). Não há aliança a menos que Deus faça e a mantenha.

3. Alcance da Aliança Noética. Essa aliança foi feita com todos os homens e animais (9:9-10).

4. Objetivo da Aliança Noética. Deus fez essa aliança para garantir a todos os homens que o mundo nunca mais será destruído pela água (9:11).

5. Duração da Aliança Noética. Esta é uma “aliança eterna” e é para “gerações eternas” (9:12, 16).

6. Sinal da Aliança. Deus deu o arco-íris como um sinal da Aliança Noética. É uma garantia para cumprir tudo o que Deus prometeu nesta aliança (9:12-13).

7. Projeto da Aliança Noética. O primeiro desígnio da aliança é dar bênção a toda a humanidade. No entanto, pode haver um segundo desígnio para a aliança, que é levar de volta aos homens que eles são pecadores e precisam da graça e misericórdia de Deus. Em 8:21, diz "a imaginação do coração do homem é má desde a sua meninice". Essa é uma verdade fundamental que Deus sempre procura imprimir nos homens. Até que o homem entenda que ele é basicamente pecador, ele não precisa de um Salvador.

NOTA: Através da Aliança Noética, Deus ordena a vida de tal maneira que o homem não possa escapar da exposição a essa revelação fundamental de que ele é basicamente pecador. Toda provisão dessa aliança feita com Noé e toda a raça humana é projetada para impressionar o homem com o desamparo de sua má condição e, assim, levá-lo ao amor e graça de Deus.

B. Confiabilidade da natureza (8:22). A primeira promessa desta aliança é que, após o dilúvio, haveria total confiabilidade da natureza. A natureza agora é previsível e a ciência e a investigação modernas podem confiar nela.

NOTA: Deus torna a natureza estável e confiável, para que o homem não possa culpar seu mal ao meio ambiente.

C. Ordem para Povoar a Terra (9:1,7). Noé e sua família são instruídos a conceber filhos e encher a terra. Deus deseja que haja uma propagação da vida humana.

NOTA: A reprodução humana ajuda a realizar o propósito de Deus na redenção. Em seu isolamento, o homem acha fácil manter sua ilusão de sua decência básica e sua independência de Deus. Mas, à medida que o mundo se enche, e não podemos mais nos afastar daqueles que nos irritam, somos forçados a enfrentar nossa própria pecaminosidade. À medida que nossas cidades aumentam em população, a terra se enche e os continentes transbordam, e não há para onde correr; os homens descobrem o que sempre foi verdade: que, sob condições de aglomeração, o fino verniz da cultura desaparece rapidamente e tudo o que está oculto por baixo irrompe.

D. O governo do homem sobre o mundo animal através do medo (9:2). Medo e terror devem caracterizar bestas em relação aos homens. Que Deus deu ao homem o domínio sobre as bestas é um ato gracioso, pois se os animais se multiplicassem sem restrições, eles poderiam machucar o homem e, eventualmente, exterminá-lo.

NOTA: Esta provisão foi feita para ensinar ao homem que ele não é mais o senhor da criação, como ele foi originalmente criado para ser, tendo o mundo animal em sujeição amorosa e obediente a ele. Por quê? Porque o homem é pecador e a imagem de Deus nele foi marcada pelo pecado.

E. Provisão Para Sustentar a Vida (9:3). Deus havia dado uma dieta vegetal para o homem em Gênesis 1:30, mas agora Ele permite que uma dieta de carne também seja adicionada ao menu anterior.

NOTA: Talvez isso tenha sido planejado por Deus para ensinar ao homem que sua vida é sustentada pela morte de outra criatura. O homem não tem força de vida própria; tudo é emprestado. Ele é uma criatura muito dependente. Portanto, o homem deve depender de Deus e perceber que é através da morte de Cristo que o homem pode ter vida eterna.

F. Proibição de Certas Carnes Como Alimento (9:4). O homem não deve comer carne que não foi drenada do seu sangue. Existe uma sacralidade no sangue, porque é o próprio princípio de vida de um homem ou animal (Levítico 17:11).

NOTA: A sacralidade do sangue talvez tenha sido projetada para ensinar aos homens que, sem derramamento de sangue, não há perdão para os pecadores.

G. Punição por tirar a vida do homem (9:5-6). Como a vida é sagrada, conforme representada pelo sangue no corpo, Deus exigirá a vida de um animal ou homem que tire a vida de um homem (Êxodo 21:38). Há uma conexão entre 9:5 e 9:3. O homem que é permitido matar animais para alimentar-se pode usar mal esse princípio, tornar-se indiferente ao derramamento de sangue e considerar levemente até a vida de outro homem. Deus ergue um aviso antecipadamente, em vista da ampla latitude de possibilidades em que o homem pecador poderia cometer abusos. Esta ordem é a base da pena de morte em alguns países. O governo desses países acreditam agir como um instrumento de Deus (Romanos 13:1-6) e assim tem o direito de tirar a vida de outra pessoa. Acreditam que é Deus quem tira a vida humana, quando é feita através dos canais governamentais apropriados e, portanto, não é assassinato. Essa ordem de “uma vida por uma vida” lida com assassinatos premeditados e não incluiria coisas como matar em defesa de propriedades, de si próprio ou de outros ou assassinato militar.

NOTA: A vida humana é muito preciosa para Deus, e Deus quer que o homem entenda que os homens não devem recorrer à violência para atingir seus fins. Deus não considera levemente a distorção e despojo de Sua imagem no homem. A violência gera mais violência, até que o homem, finalmente, horrorizado com o que desatou na sociedade, enfrenta o fato fundamental de estar infiltrado no mal. Somente Deus pode curá-lo.

Postar Comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

Postagem Anterior Próxima Postagem

Gostou? Olha a Novidade Que Tenho Para Você!

Eu preparei um E-book Com 365 Esboços de Sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! CLIQUE AQUI para adquirir seu livro.