Gerenciando Nossos Sentimentos Falando a Verdade em Amor

Gerenciando Nossos Sentimentos Falando a Verdade em Amor
Texto: Efésios 4:15-16

Introdução: Mais de um terço de todos os casamentos cristãos terminam em divórcio. No entanto, os casamentos não precisam terminar em divórcio para fracassar. Muitos casamentos estão fracassando que nunca terminarão em divórcio. Eles fracassam porque nunca alcançam o objetivo de Deus. Eles simplesmente se ajustam aos seus fracassos e continuam a viver juntos na miséria.

A visão bíblica do amor é um compromisso incondicional, pois duas pessoas buscam o bem maior uma da outra. O amor de Jesus Cristo por você é incondicional. Você nunca pode fazer nada para que ele pare de amar você, porque o amor dele é irrevogável. Claro, você pode rejeitar o amor dele, mas o amor dele por você não cessará. Você pode escolher se perder, mas seu amor por você permanece constante e firme. Seu compromisso de amar você não diminui porque você decide rejeitar o amor dele. Ele continua buscando o que é melhor para você.

Nosso mundo acredita que não é realista que nos comprometamos uns com os outros por toda a vida. No entanto, sem esse compromisso incondicional, não pode haver amor verdadeiro; porque o amor verdadeiro dura para sempre porque é eterno.

A visão do mundo do amor é que é um sentimento. Nosso amor dura enquanto há um sentimento romântico. Quando esse sentimento se foi, nosso amor se foi. Minha esposa é diretora de atividades em uma casa de repouso. Há um casal que fica na varanda da frente daquele lar de idosos diariamente. A mulher é debilitada mental e fisicamente como resultado de um derrame. O marido vem vê-la duas ou três vezes por dia. Ele se senta e acaricia a mão dela e continua uma conversa com ela, embora geralmente haja pouca ou nenhuma resposta de sua esposa. Eu o admiro, pois ele está lá todos os dias. Seu amor por ela não morreu nos momentos mais difíceis. Seu amor por ela vai além dos sentimentos românticos, vai além de sua necessidade de ter suas necessidades satisfeitas; assumiu um compromisso onde, quando sofre, sofre com ela.
"Amar alguém não é apenas um sentimento forte - é uma decisão, é um julgamento, é uma promessa".
A visão de amor do mundo é que sou amado desde que minhas necessidades sejam satisfeitas e eu possa amar o outro desde que minhas necessidades sejam satisfeitas. É um amor condicional que dura enquanto eu for feliz. A visão do mundo do amor é baseada em como nos sentimos sobre nossas necessidades sendo atendidas.

I. O Amor Deve Controlar Nossos Sentimentos

A. A primeira coisa que precisamos entender é que nossos sentimentos são dados por Deus. Até Deus tem sentimentos. Deus nos criou para ter sentimentos negativos e positivos. Podemos não gostar de como nos sentimos, mas sentimentos são um presente de Deus. Tente imaginar como seria a vida sem sentimentos. Os sentimentos não são necessariamente bons ou maus, se forem tratados de maneira piedosa. Provérbios 25:28 “Como a cidade derribada, que não tem muros, assim é o homem que não pode conter o seu espírito”.

B. Não podemos negar nossos sentimentos, pois eles são reais. Eles devem ser tratados de forma realista para não lhes dar controle sobre nós. Para fazer isso, devemos honestamente lidar com nossos sentimentos. Não fazer isso só causa mais problemas.

C. Os sentimentos não devem ser a força motriz de nossas vidas, mesmo que nossos sentimentos sejam válidos. Sentimentos e emoções têm um lugar definido em nossas vidas, mas nunca devem assumir o controle de nós.

D. Com demasiado frequência os sentimentos são a força motriz em nossos casamentos. Isto é especialmente verdadeiro quando se trata de nossos métodos de comunicação dentro do relacionamento conjugal. Os sentimentos podem determinar se nos comunicamos de maneira negativa ou positiva. Isso torna essencial para nós aprendermos a comunicar nossos sentimentos de uma maneira positiva e eficaz.

E. A maioria de nós se enquadra em uma das quatro categorias quando lidamos com nossos sentimentos:
1. Muitos negam seus sentimentos para apaziguar os outros. Eles tentam ser a pessoa legal cedendo aos desejos de outra pessoa, mesmo que tenham fortes sentimentos sobre um assunto. Essa pessoa pode estar com raiva e ressentida por dentro, mas os sentimentos verdadeiros estão escondidos para apaziguar. Esse tipo de abordagem desonesta pode, eventualmente, deixar a pessoa extremamente amarga depois de uma vida inteira de ceder ao cônjuge.

2. Outros negam seus sentimentos para se sentirem melhor. Apontar o dedo da culpa ou acusar os outros é um meio de negação que muitos usam. Nós negamos nossos sentimentos vitimando o outro.

3. Muitas vezes, procuramos esconder nossos sentimentos tentando ser extremamente racionais. Procuramos nos sobrecarregar com palavras enquanto tentamos nos explicar de uma maneira muito racional. Podemos nos tornar bastante estóicos em nossa avaliação de nossas experiências à medida que negamos sentimentos de maneiras racionais.

4. Os sentimentos são tratados como não importantes por alguns. Alguma vez você já tentou ter uma conversa séria sobre como você se sente em relação a um problema, apenas para torná-lo uma piada, já que eles se recusam a lidar com o problema? Eles fazem isso como uma piada enquanto saltam de um assunto para outro na conversa enquanto se recusam a encarar seus verdadeiros sentimentos.

F. Em cada caso, mencionamos que devemos reconhecer que estamos permitindo que nossos sentimentos controlem nossas ações. Estamos permitindo que nossos sentimentos se tornem a força motriz por trás de como nos comunicamos uns com os outros.

G. Há uma diferença em sentimentos ruins e ações ruins. Efésios 4:25-27 "25 Pelo que deixai a mentira, e falai a verdade cada um com o seu próximo, pois somos membros uns dos outros. 26 Irai-vos, e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira; 27 nem deis lugar ao Diabo”.

H. A ira em si não é pecaminosa, mas pode se tornar pecaminosa quando falhamos em lidar com ela honestamente. Usamos mal nossa ira quando cedemos a ela, permitindo que ela se transforme em amargura ou quando permitimos que ela nos motive a magoar os outros, em um esforço para promover nossa própria ambição egoísta.

Eu conheci um casal que estava casado há anos. Parecia não haver nenhum problema aparente porque ambos pareciam muito emocionalmente seguros. Eles tinham uma filha, e no dia em que a filha se formou no ensino médio, a esposa entregou a notícia para o marido que ela estava deixando-o. Ela revelou que este tinha sido seu plano por vários anos. Ela pretendia ficar com ele até que sua filha se formasse no ensino médio. Os sentimentos de ressentimento haviam se acumulado ao longo dos anos e esses sentimentos davam lugar à amargura. O marido ficou completamente chocado porque achou que eles estavam felizes no casamento.

II. O Amor Deve Controlar Nossas Comunicações

A. Falar a verdade em amor é a maior ajuda para lidar com o conflito de forma construtiva. Efésios 4:15-16 “antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo, do qual o corpo inteiro bem ajustado, e ligado pelo auxílio de todas as juntas, segundo a justa operação de cada parte, efetua o seu crescimento para edificação de si mesmo em amor”
1. Podemos olhar para esses versículos apenas quando se aplicam ao nosso relacionamento dentro da igreja, mas Paulo está nos dando instruções que se aplicam a todos os relacionamentos, especialmente ao casamento. Um casal que se esforça para crescer em Cristo também crescerá em seu relacionamento um com o outro enquanto se esforçam para falar a verdade em amor.

B. É difícil expressar sentimentos negativos de maneira positiva, por isso tentamos ocultá-los. Às vezes, questionamos se ser honesto vale o risco das consequências negativas. Intimidade exige honestidade.

C. O casamento nos força a encarar nossas diferenças, valores, sentimentos e pensamentos pessoais, em um esforço para unir nossas vidas em um único relacionamento carnal. Isso nos força a avaliar nossas habilidades de comunicação para lidar com o inevitável conflito. Deixar de lidar com como enfrentar esse inevitável conflito pode causar sérios problemas.

D. Podemos acabar brigando quando permitimos que nossos sentimentos negativos produzam ira descontrolada. Podemos nos recusar a lidar com os problemas reais à medida que nos repreendemos. Quando isso acontece, perdemos completamente de vista o problema real. Isso nos impedirá de lidar honestamente com nossos problemas, ao mesmo tempo em que causará danos incalculáveis ​​à autoestima de cada um. Provérbios 20:3 “Honroso é para o homem o desviar-se de questões; mas todo insensato se entremete nelas”.
1. Norm Wright define questões como "conflito verbal no qual as emoções iradas estão no controle e o casal não lida com a questão, mas sim ataca a outra pessoa".
2. Efésios 4:29-32 29 Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas ó a que seja boa para a necessária edificação, a fim de que ministre graça aos que a ouvem. 30 E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual fostes selados para o dia da redenção. 31 Toda a amargura, e cólera, e ira, e gritaria, e blasfêmia sejam tiradas dentre vós, bem como toda a malícia. 32 Antes sede bondosos uns para com os outros, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo”.

E. Nas “questões” geralmente acabamos culpando os outros pela maneira como nos sentimos, em vez de permitir que nossos sentimentos sejam expressos honestamente, a fim de compartilhar o que está acontecendo dentro de nós. A honestidade não é facilitada quando aqueles com quem compartilhamos nossos verdadeiros sentimentos ficam ofendidos com o que sentimos sobre uma situação.
1. Para termos um conflito bíblico construtivo, precisamos aprender a falar a verdade em amor. Efésios 4:15-16 15 antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo, 16 do qual o corpo inteiro bem ajustado, e ligado pelo auxílio de todas as juntas, segundo a justa operação de cada parte, efetua o seu crescimento para edificação de si mesmo em amor”.

F. O conflito que temos não é errado, mas a maneira como lidamos com nosso conflito enquanto nos esforçamos para nos tornarmos uma só carne pode estar errado se não falarmos a verdade em amor.

G. As mulheres geralmente têm melhores habilidades verbais do que os homens. Frequentemente, os homens tendem a se desligar e se retirar emocionalmente quando não têm a capacidade de se comunicar de forma eficaz. Se você não for cuidadoso, seu marido se retirará quando tentar resolver o conflito falando com ele. Isso pode deixar a esposa pensando que o conflito é resolvido enquanto o marido está apenas enterrando sua ira que eventualmente se manifestará.

H. O conflito pode instilar um espírito competitivo, deixando ambos sentindo como se tivessem que vencer a discussão. Se nossos sentimentos negativos instilarem a ideia de que devemos vencer, entramos em uma espiral descendente em nosso relacionamento matrimonial. Quando provar que estamos certos, torna-se o propósito do conflito que sempre deixa alguém perder. Se alguém perde, ambos perdem e tem consequências incalculáveis ​​no relacionamento de uma só carne.

I. Alguns tipos de personalidade tendem a ceder àqueles com quem se sentem em conflito. Se você ou seu cônjuge estiver constantemente cedendo para resolver o conflito, a raiva provavelmente está aumentando, o que acabará por surgir.

J. Resolver conflitos exige que enfrentemos nossas diferenças sem nos atacarmos. Seria extremamente útil se percebêssemos que há uma resposta para nossos problemas quando procuramos resolvê-los. Ter fé que existe uma resposta irá percorrer um longo caminho na resolução, uma vez que nos permitirá enfrentar os nossos problemas em antecipação de um resultado positivo.

III. Lidando Com Conflitos Construtivamente

A. Precisamos ver as dificuldades que enfrentamos para nos tornarmos uma só carne como aspecto saudável, natural e normal dos casamentos. Então podemos lidar com nosso conflito honestamente. O conflito é inevitável, mas pode ser resolvido por um casal em busca de um relacionamento de carne e osso um com o outro.

B. Entender nossas expectativas é o primeiro passo para lidar com os conflitos de forma construtiva. Primeiro, devemos entender que nosso cônjuge pode não saber nada sobre nossas expectativas quando não conseguem corresponder às expectativas. Podemos estar esperando que ele se comporte de uma maneira, quando está totalmente inconsciente de como esperamos que ele aja. Isso pode fazer com que nosso cônjuge fique desconfortável, e então o sentimento desconfortável leva a um comportamento negativo.
1. Precisamos reconhecer nossa expectativa ou necessidade.
2. Precisamos reconhecer a fonte de nossa expectativa.
3. Devemos nos perguntar se nossas expectativas e necessidades são legítimas.

C. Quando temos expectativas e necessidades legítimas que devem ser discutidas, existem princípios que nos permitirão lidar com o nosso conflito de forma construtiva.
1. O tempo é crucial enquanto lidamos com a nossa diferença. . . muitas vezes o tempo é tudo. Para sua esposa, pode não ser o tempo certo do mês. Não é bom discutir as questões quando estamos fisicamente ou mentalmente cansados. Eclesiastes 3: 1, 7 1 Tudo tem a sua ocasião própria, e há tempo para todo propósito debaixo do céu. 7 tempo de rasgar, e tempo de coser; tempo de estar calado, e tempo de falar”

2. Há momentos em que o silêncio é ouro. Devemos estar conscientes dos momentos dos meses em que nossas esposas não se sentem bem ou quando estamos extremamente cansados. O melhor momento para lidar com conflitos não é apenas quando vocês dois entram pela porta chegando do trabalho. Você precisa de um lugar privado para lidar com o conflito. Nem sempre podemos escolher uma ideia de tempo, mas podemos ser sensíveis aos melhores momentos para nos confrontarmos.

3. Manter a questão é importante, em vez de descarregar todos os nossos sentimentos negativos sobre tudo. Muitas vezes, o conflito em torno de um problema nos leva a despejar todas as nossas emoções negativas sobre tudo de uma vez. Determine qual é a questão central do conflito e foque nela. A questão pode estar conectada a vários problemas periféricos, portanto, concentre sua atenção na questão principal por meio da resolução de conflitos. Provérbios 25:11 “Como maçãs de ouro em salvas de prata, assim é a palavra dita a seu tempo”.

4. Não apertar o botão um do outro para evocar uma resposta negativa. Duas pessoas que vivem juntas sabem o que pode provocar um ao outro emocionalmente. Podemos fazer isso para que nosso cônjuge se sinta tão negativo quanto nos sentimos. . . é uma maneira de tentar entender como nos sentimos sobre um problema. Efésios 4:1-3 1 Rogo-vos, pois, eu, o prisioneiro no Senhor, que andeis como é digno da vocação com que fostes chamados, 2 com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor, 3 procurando diligentemente guardar a unidade do Espírito no vínculo da paz”.

5. Aprenda a gerenciar a ira um do outro. Isso requer que nos responsabilizemos pelo que o outro sente. Podemos ajudar a gerenciar os sentimentos do outro, sendo rápidos para ouvir e desacelerar para falar. Esteja determinado que ambos querem ficar bravos ao mesmo tempo. Se alguém decidisse permanecer calmo, os problemas poderiam ser resolvidos com mais calma. Efésios 4:25-28 - Tiago 1:19-20 19 Sabei isto, meus amados irmãos: Todo homem seja pronto para ouvir, tardio para falar e tardio para se irar. 20 Porque a ira do homem não opera a justiça de Deus”.

6. Cada pessoa deve reconhecer sua contribuição para o problema. A maioria de nós tende a negar nossa responsabilidade. O conflito construtivo exige que reivindiquemos propriedade para nossos problemas. Mateus 7:1-5 "1 Não julgueis, para que não sejais julgados. 2 Porque com o juízo com que julgais, sereis julgados; e com a medida com que medis vos medirão a vós. 3 E por que vês o argueiro no olho do teu irmão, e não reparas na trave que está no teu olho? 4 Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, quando tens a trave no teu? 5 Hipócrita! tira primeiro a trave do teu olho; e então verás bem para tirar o argueiro do olho do teu irmão"

7. A afirmação é essencial durante o conflito. A autoestima tende a desaparecer durante o conflito. Um simples lembrete pode garantir ao seu cônjuge que ele é especial. Efésios 4:29 “Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas ó a que seja boa para a necessária edificação, a fim de que ministre graça aos que a ouvem”.

D. Precisamos aprender a aceitar o ponto de vista um do outro sem nos sentirmos ameaçados. Podemos estar convencidos de que nosso ponto é a única visão válida, mas isso só promove o conflito. Romanos 15:7 “Portanto recebei-vos uns aos outros, como também Cristo nos recebeu, para glória de Deus”.

Conclusão: Esses princípios ajudarão você a trabalhar em direção a uma solução.

Efésios 4:15-16 15 antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo, 16 do qual o corpo inteiro bem ajustado, e ligado pelo auxílio de todas as juntas, segundo a justa operação de cada parte, efetua o seu crescimento para edificação de si mesmo em amor”.

Gostou Desse Esboço? Olha a Novidade Que Tenho Para Você!

Eu preparei um E-book Com 365 Esboços de Sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! CLIQUE AQUI para adquirir seu livro.

Gerenciando Nossos Sentimentos Falando a Verdade em Amor Gerenciando Nossos Sentimentos Falando a Verdade em Amor Reviewed by Aldenir Araújo on julho 02, 2019 Rating: 5

Nenhum comentário:

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

Tecnologia do Blogger.