O Benefício da Diversidade – Série: Igreja - Um modelo do Novo Testamento

O Benefício da Diversidade – Série: Igreja - Um modelo do Novo Testamento
Texto: 1 Coríntios 3:5-9

Introdução: À medida que continuamos nossa série - Igreja: Um modelo do Novo Testamento, me lembrei dos vários dons e habilidades dentro da igreja. Todo crente é dotado pelo Espírito para servir dentro do corpo de Cristo, e, no entanto, todos não têm os mesmos dons. Isso é razoável, e nosso Senhor, através da Sua infinita sabedoria, tem dotado e coloca indivíduos dentro do corpo como lhe agrada.

Paulo estava bem ciente da grande necessidade e benefício da diversidade dentro da igreja. Para que ela funcionasse de forma eficaz, ela precisava de uma diversidade de dons. 1 Coríntios 12:14 – “Porque também o corpo não é um membro, mas muitos”. 1 Coríntios 12:18-20 – “Mas agora Deus colocou os membros no corpo, cada um deles como quis. E, se todos fossem um só membro, onde estaria o corpo? Agora, porém, há muitos membros, mas um só corpo”. Ele encorajou e promoveu a diversidade dentro da igreja, especialmente no que diz respeito aos dons espirituais.

A igreja foi ordenada por Cristo nosso Senhor, sendo Seu corpo. Ele criou um design soberano para a igreja que incluiu uma grande variedade de dons e habilidades. Para que possamos prosperar, também devemos reconhecer e abraçar a necessidade de diversidade dentro da igreja. Quero examinar as certezas dentro do nosso texto enquanto consideramos: O Benefício da Diversidade.

I. O Desafio na Diversidade. V. 5

- “Pois, que é Apolo, e que é Paulo, senão ministros pelos quais crestes, e isso conforme o que o Senhor concedeu a cada um? ”. Paulo estava convencido do benefício da diversidade dentro da igreja, e ele também estava ciente dos desafios que apresentava. Observe:

A. A Tendência da Carne. V. 5a“Pois, que é Apolo, e que é Paulo...? ”. Enquanto ministrava em Corinto, uma disputa sobre lealdade e liderança tornou-se aparente. Alguns foram levados ao Senhor através do ministério de Paulo, e outros através do trabalho de Apolo. Sem dúvida alguma favoreceu a personalidade e a abordagem do ministério de um sobre o outro. Uma divisão entre as pessoas se desenvolveu sobre qual pregador deveriam seguir. Esta divisão não foi causada por diferenças na doutrina, mas em grande parte através de preferências e personalidades.

- Essas tendências permanecem na igreja hoje. Muitas divisões se formaram dentro da igreja principalmente por preferências e personalidades individuais. Alguns favorecem um líder ou trabalhador, e outros favorecem alguém. Conforme descobriremos, isso não é agradável ao Senhor e isso só cria um obstáculo dentro da igreja. O foco da nossa visão não está centrado em indivíduos dentro da igreja, mas seguir a vontade de Deus e seu plano para nossas vidas.

B. A Realidade da nossa fé. V. 5b“Pois, que é Apolo, e que é Paulo, senão ministros pelos quais crestes, e isso conforme o que o Senhor concedeu a cada um? ” Paulo instou as pessoas a considerarem suas ações. Não havia nada especial ou sobrenatural sobre ele ou sobre Apolo. Ambos eram apenas homens, chamados por Deus para ministrar à igreja. Se as pessoas estivessem concentradas, ou dependendo de Paulo ou Apolo em vez do Senhor, elas tinham perdido o foco. Eles eram meros mortais, procurando ser usados ​​por Deus no ministério. A lealdade do povo precisava estar em direção ao Senhor, e não aos homens.

- Precisamos também abraçar essa realidade. Enquanto Deus usa os homens para cumprir o Seu propósito dentro da igreja, nossa dependência não reside nos homens. Nunca devemos ser divididos sobre quem apoiamos em uma área de ministério, porque todos dependemos do Senhor. Como aqueles em Corinto, nossa lealdade deve ser para Cristo, o Senhor, e não indivíduos dentro da igreja! 2 Coríntios 4:7 – “Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus, e não da nossa parte”.

II. A Concessão na Diversidade. V. 6-7

- Aqui Paulo humildemente admite sua dependência do Senhor enquanto reconhece as contribuições dos outros. Ele admitiu que o ministério exigia o poder de Deus e as contribuições de muitos. Observe:

A. A Participação. V. 6a“Eu plantei; Apolo regou...”. Paulo enfatizou a cooperação entre ele e Apolo. Ele muitas vezes plantou as sementes do Evangelho, e Apolo veio atrás e regou essas sementes. Ambos os aspectos do ministério eram essenciais para a produção de frutos, e sem o trabalho de ambos, o trabalho não teria prosperado. Enquanto eles tinham diferentes dons e habilidades, ambos eram essenciais para o trabalho do ministério. Um não era mais importante que o outro.

- Estou ciente de que Deus não precisa de nenhum de nós para cumprir os Seus propósitos, mas estou feliz por ele escolher usar-nos individualmente. Algumas posições e tarefas são mais visíveis do que outras, mas isso não significa que elas sejam mais importantes no escopo do ministério. Alguns de nós são chamados a plantar sementes, e outros são dotados para vir e regá-las mais tarde. Ambos são essenciais na produção de frutos para o Senhor.

B. A Providência. V. 6b“Eu plantei; Apolo regou; mas Deus deu o crescimento”. Paulo revelou a futilidade de seu debate. Ele admitiu que, enquanto ele e Apolo trabalhavam de maneiras diferentes, seus esforços por si só nunca foram suficientes. Eles cumpriram fielmente a tarefa que receberam, mas foi Deus quem deu o crescimento. Paulo sabia que o Senhor tinha que se mover no coração dos homens para que houvesse qualquer conversão e mudança duradoura.

- Podemos nos dividir com base em preferências e opiniões sobre quem precisa estar em que posição, fazendo uma tarefa particular, mas se Deus não abençoar nossos esforços, tudo será em vão de qualquer maneira. Estou certo de que o Senhor fica desapontado com um debate e divisão tão insensato, porque somos incapazes de produzir qualquer coisa por nossa própria conta. Dependemos dele, se quisermos ver algum fruto!

C. A Perspectiva. V. 7“De modo que, nem o que planta é alguma coisa, nem o que rega, mas Deus, que dá o crescimento”. Paulo voltou a enfatizar o foco e a perspectiva adequados. Ele sabia que, sem o Senhor trabalhando em suas vidas e fornecendo o crescimento, ele e Apolo não teriam nada para se gabar. Eles não eram nada sem o Senhor. Se alguém deveria ser louvado e receber o crédito pelo fruto em Corinto, deveria ser o Senhor e Ele somente.

- Muitas vezes, personalidades se interpõem no caminho do que o Senhor deseja realizar entre uma congregação de crentes. Esta não é minha igreja ou meu ministério. Não é sua classe da escola dominical ou ministério de pequenos grupos. Esta é a igreja e a obra do Senhor; nós só temos o privilégio de participar do que Ele escolheu fazer entre nós! Nós não somos nada mais do que vasos de barro dentro da poderosa mão de Deus. Somente Ele fornece as bênçãos que desfrutamos e o crescimento que recebemos.

III. A Cooperação Através da Diversidade. V. 8-9

- Finalmente vemos os pensamentos de Paulo sobre o benefício da cooperação nutrida através da diversidade dentro da igreja. Ele falou sobre:

A. A Unidade. V. 8a“Ora, uma só coisa é o que planta e o que rega...”. Paulo não estava com ciúmes ou estava chateado com o sucesso que Apolo desfrutava no ministério. Ele não ficou irritado com o fato de que alguns dentro de Corinto o tivessem considerado com grande respeito. Paulo sabia que eles pertenciam ao mesmo corpo e, embora tivessem abordagens diferentes no ministério, eles compartilhavam uma visão comum. Eles estavam nesse trabalho juntos, e ambos apreciavam os esforços do outro. Em vez de ser uma distração ou impedimento, seus esforços se complementavam.

- A diversidade só será benéfica onde a unidade existe. Nós também devemos perceber que estamos juntos nesse esforço. Somos um em Cristo. Este corpo de crentes não é constituído por uma colaboração de pequenos grupos. Nós somos um só corpo em Cristo. Não posso fazer o que Deus te deu, e você não pode fazer o que Ele me deu. Devemos trabalhar cada um dentro da nossa área de talento para o bem e o avanço do corpo!

B. A Responsabilidade. V. 8b“...e cada um receberá o seu galardão segundo o seu trabalho”. Enquanto Paulo e Apolo eram talentosos de forma diferente, e se felicitavam, sabia que cada um receberia sua própria recompensa. Paulo era dotado para plantar, e Apolo foi dotado para regar. Paulo não era responsável por regar as sementes semeadas, e Apolo não era responsável por plantar as sementes. Cada um tinha um trabalho a fazer, e cada um era fiel ao seu trabalho. Enquanto alguns preferiam um sobre o outro, Paulo sabia que cada um receberia sua recompensa do Senhor, não com base nas preferências ou opiniões dos homens.

- Gostaríamos de lembrar esta grande verdade. Cada um de nós deve se concentrar em usar os dons que recebemos ao máximo de nossa capacidade, em um esforço para cumprimentar o trabalho como um todo. Eu não sou responsável pelo trabalho que você recebeu, e você não é responsável pelo meu. Não seremos julgados com base nas preferências ou opiniões dos homens, mas em como usamos nossos dons para o Senhor.

C. A soberania. V. 9“Porque nós somos cooperadores de Deus; vós sois lavoura de Deus e edifício de Deus”. Paulo compreendeu uma grande verdade que colocava tudo em sua perspectiva adequada. Ele e Apolo não estavam operando de forma independente no ministério. Eles foram chamados a se juntar ao Senhor no trabalho que ele já estava envolvido. Ele escolheu permitir que eles tivessem uma parte no trabalho.

- Esta é uma grande benção. Como Paulo, não nos pediram para trabalhar de forma independente. Temo que muitos optem por seguir seu próprio caminho em vez de procurar se juntarem ao Senhor, onde Ele escolhe. Nós somos a sua criação - Ele nos colocou dentro de uma área específica da vinha de acordo com seu plano divino. Nós somos a Sua construção - somos o corpo de Cristo, confiado para continuar o trabalho do ministério. O trabalho em que nos ocupamos não é sobre nós; trata-se de ser usado pelo Senhor segundo o seu plano soberano. Somos abençoados por ter uma pequena parte no trabalho do Reino.

Conclusão: Espero ter compartilhado algo que o tenha ajudado em sua jornada com o Senhor. Verdadeiramente, eu aprecio e valorizo a diversidade dos crentes dentro da nossa congregação. Para ser eficazes, cada um de nós deve estar disposto a contribuir com o trabalho, ao mesmo tempo que aprecia e apoia o trabalho dos outros. Alguns são chamados a plantar; alguns são chamados para regar; alguns são chamados para colher. Cada aspecto é vital para a produção de frutos. Celebremos os dons individuais dentro da nossa igreja e aqueles que os possuem!

Se houver necessidades em sua vida, busque o Senhor pela ajuda que você precisa. Ele fortalecerá os fracos e guiará os perdidos. Se você ainda não respondeu ao chamado para a salvação, venha ao Senhor hoje. Ele quer salvá-lo pela Sua graça e colocá-lo dentro do corpo de Cristo.

Gostou desse esboço? Olha a novidade que tenho para você!

Eu preparei um e-book com 365 sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! Clique Aqui para adquirir seu livro.

MAIS EBOOKS E CURSOS

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!