A resposta de Deus para a vida vazia
Texto: João 4:1-16

Introdução: Existe um vazio da alma, que atinge mais profundo do que a fome física. Ele pode estar presente mesmo quando, a partir de uma perspectiva de fora, tudo parece bem. A pessoa pode sentir que algo está faltando ou perceber que a verdadeira paz e alegria escaparam dele.

A mulher no poço é um exemplo de alguém que se sentia vazio. Ela estava procurando por algo ou alguém para completa-lá. Jesus Cristo deu sentido e significado à vida daquela mulher, e ele pode fazer o mesmo por você.

I. A mulher no poço

A. Jesus conversa com a Samaritana. Conversar com uma mulher era incomum para a época (João 4:9). Os samaritanos eram parte judeu e parte gentios, por isso os israelitas os detestavam, mas Jesus olhou para ela apesar de sua herança mista. Além disso em “dias de Jesus”, homens e mulheres solteiros normalmente não falavam uns com os outros em público.
B. Nosso Salvador conseguiu a sua atenção, referindo-se como “água viva” (João 4:10). “Água Viva“, descrevia um córrego ou riacho, ao contrário de um poço ou cisterna. Jesus estava falando metaforicamente: Seu coração precisava de amor e aceitação da mesma forma que o corpo da água viva para sua sede física.
C. A mulher também tinha se divorciado múltiplas vezes e estava vivendo com alguém. Imagine como sua exposição deve tê-la afetado, principalmente quando Jesus perguntou sobre o marido. Mas, ao invés de condená-la, Jesus ofereceu preencher seu vazio, satisfazendo-a com sua água da vida.

II. Bebendo fora do poço do mundo

A. Cada pessoa é criada para ter um relacionamento pessoal com Deus. Isso significa que nenhum de nós pode ficar realmente satisfeito a menos que o Senhor seja uma parte essencial da nossa vida. Mas muitas pessoas esperam prestígio, dinheiro, ou realizações para satisfazê-los. Outros se voltam para as drogas, álcool ou sexo. Algumas pessoas entram em dívida tentando comprar coisas suficientes para preencher o vazio interior. Mesmo passatempos inocentes, como hobbies, esportes, entretenimento ou outro pode se tornar um problema se ocupam muito tempo e energia.
B. Se você sentir sede, você bebe a água do oceano? Provavelmente não. Este só vai deixá-lo mais sedento do que antes. É assim o que busca prazeres do mundo. Ele nunca terá satisfação duradoura, contentamento verdadeiro só é encontrado em Cristo.

III. Encontrando a Água Viva

A. No meio da sua conversa com Jesus, a mulher no poço de repente percebeu que Jesus era o Messias. Como resultado de seu testemunho, a cidade inteira creu “(João 4:42). Eles vieram ao encontro de Cristo, porque eles puderam ver uma mudança nela.
B. Deus pode transformar sua vida. Apesar do mundo material ter te dado prazer e depois o deixado arrasado, você pode experimentar a única coisa que satisfaz: confiando em Jesus Cristo.
C. Deve-se começar por admitir a sua necessidade dEle. Você está sozinha? Você se sente rejeitado? Você está com raiva ou ressentido com Deus e outros? Você muitas vezes se sente inseguro ou insatisfeito?
D. Jesus veio para que tivéssemos vida em abundância (João 10:10; ver também Gal. 5:22-23). Em outras palavras, Ele veio a terra não só para perdoar os nossos pecados, mas também para nos dar a paz, contentamento e segurança, independentemente das nossas circunstâncias.
E. Mesmo como crentes, você e eu podemos começar a nos sentir vazio. Quando sentimos insegurança, insatisfação ou decepção, isto é muitas vezes resultado da busca de alegria e satisfação através do sistema do mundo. Deixe este vazio lembrar que a verdadeira alegria só é encontrada através da íntima relação com Cristo.

Conclusão: Você está bebendo da água viva? Ou você está mergulhado no bem que não satisfaz? Posso garantir-lhe isto: os prazeres do mundo só vão deixá-lo mais desejoso. Mas não há decepção em Jesus, Ele cumpre Suas promessas. Mesmo que nada mude do lado de fora, tudo pode ser diferente no interior.

Quando você começa a beber da água viva que Jesus oferece, a sua atitude, sentido, propósito e segurança serão todos renovados. Permita que Ele te encha, e você nunca mais terá sede novamente.

Pr. João Pereira Gomes Filho