Os fundamentos da evangelização

Os fundamentos da evangelizaçãoTema: Missões

Texto: Mateus 9:35;10.13

Introdução: A evangelização, dentro dos paradigmas do testemunho pessoal, está ultrapassada na sociedade contemporânea. A igreja deve apresentar ao mundo mais do que o plano da salvação resumido em algumas poucas leis espirituais.

Jesus oferece uma perspectiva mais abrangente da ação missionária ao demonstrar três fundamentos da evangelização.
[post_ad]
Vejamos:

1. O conteúdo da evangelização é o reino de Deus. V.35

Arrependimento e fé não são o fim da evangelização. O fim da evangelização é a participação no reino Deus. O novo nascimento não é um fim em si mesmo, mas apenas o meio de acesso ao reino de Deus. Nesse caso, o evangelho é a boa notícia da chegada do reino de Deus (Marcos 1.14,15) a todos aqueles marginalizados (Mateus 5.1-12) pelas sociedades e culturas dominadas pelo príncipe deste século (2 Coríntios 4.3,4; Efésios 2.1-3; 1 João 5.19).
O conteúdo da evangelização é o anúncio de que Deus ressuscitou Jesus e o fez Senhor e Cristo (Mateus 28.1-20; Atos 2.36), que dá liberdade a todos os que viviam opressos pelo Maligno (João 8.32).

2. O contexto da evangelização é as cidades e povoados. V.35

Evangelizar é mais do que convidar à aceitação de uma salvação individual em resposta a um plano pessoal de entrega da vida a Jesus. Evangelizar é anunciar a chegada do reino de Deus, com todas as suas implicações para vida humana em todas as suas dimensões. O Pacto de Lausanne, fruto do Congresso Mundial de Evangelização (Suíça, 1974) afirmou que a missão da igreja é levar o evangelho todo para o homem todo. Jesus percorria todas as cidades e povoados.
O contexto da evangelização é a rua, a praça, os condomínios e as favelas, as casas, os centros culturais e artísticos, os polos de poder econômico e político, a academia, o campo e as fábricas, enfim, todo lugar além das paredes dos templos (sinagogas) e dos cultos vespertinos evangelísticos.

3. A estratégia da evangelização é a proclamação, o ensino e a cura. V.36

Jesus pregava, ensinava e curava. O anúncio da chegada do reino pressupõe um novo estilo de vida, o que justifica o ensino-discipulado, mas também, e principalmente, uma nova dimensão de existência, onde a graça de Deus começa a restaurar todas as coisas e dimensões da vida humana.
Curar também é tarefa da igreja. Seja a cura física, dos relacionamentos, da alma, das relações sociais, e de tudo quanto o ser humano faz e sofre enquanto está longe de Deus e escravizado do mal, pois para isso o Filho do Homem se manifestou, para desfazer as obras do Diabo (1João 3.8), trazendo salvação, libertação e restauração (Lucas 4.18-21).

Conclusão: A expansão missionária evangelística da igreja deve multiplicar sinais do reino de Deus até os confins da terra (Atos 1.8), gerando cidades edificadas sobre o monte, onde as obras deste reino são vistas e resultam em glória ao nosso Pai que está nos céus (Mateus 5.14-16).

Leia também: Os recursos da evangelização

Gostou desse esboço? Olha a novidade que tenho para você!


Eu preparei um e-book com 365 sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá á  disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! Clique Aqui para adquirir seu livro.

Os fundamentos da evangelização Os fundamentos da evangelização Reviewed by Aldenir Araujo on março 04, 2010 Rating: 5

Nenhum comentário:

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

Tecnologia do Blogger.