Série: José: Amargura, Traição E Bênção - O Chamado Para Fora # 6

Série: José: Amargura, Traição E Bênção - O Chamado Para Fora # 6
Texto: Gênesis 41:1-44
Introdução: Quando deixamos José em nosso último sermão, ele estava preso em uma prisão egípcia, acusado e condenado por crimes que não cometeu. Ele havia interpretado compassivamente os sonhos do copeiro e do padeiro, com a promessa de ser lembrado uma vez que o copeiro fosse restaurado. Os dias se passaram, semanas, vários meses, ou mesmo anos. José continuava na prisão, aparentemente esquecido pelo mundo exterior. O vislumbre de esperança estava mais uma vez desaparecendo.

Nosso texto desta noite apresenta um momento profundo na vida de José. Enquanto parecia que ele tinha sido abandonado, Deus estava trabalhando nos bastidores, orquestrando eventos para posicionar José onde ele poderia ser usado pelo Senhor. A longa noite de sofrimento estava prestes a terminar quando José foi tirado da prisão e levado ao palácio do Faraó. Este texto prepara o terreno para o reinado de José no Egito e a graça providencial de Deus para com o Seu povo.

Embora nossas circunstâncias são muito diferentes, há esperança e encorajamento para nós nesta passagem também. Pode parecer também que você tenha sido forçado a suportar uma longa noite de sofrimento e dor, mas Deus é mais do que capaz de livra-lo das dificuldades da vida. Vamos dar uma olhada em sobre as circunstâncias deste momento na vida de José enquanto nós consideramos: O Chamado Para Fora.

I. Um Tempo De Confusão. V. 1-13

- Os primeiros versos revelam um tempo de confusão e consternação. Ao considerarmos este tempo, descobrimos:

A. Um atraso providencial. V. 1a“Passados dois anos inteiros, Faraó sonhou...”. Esta é em referência ao tempo que decorreu desde que o copeiro foi restaurado até o presente momento. José havia interpretado corretamente seu sonho e esperava ser lembrado por sua bondade e sabedoria, mas parecia que ele tinha sido esquecido. Dois longos anos se passaram, e José permanecia na prisão.

- Nesse ponto, ele provavelmente tinha perdido a esperança de que o copeiro seria de alguma ajuda para ele. Não há registro de qualquer amargura ou raiva contra Deus, mas é provável que José ficou desanimado e confuso sobre toda a situação. Sua vida tinha sido vivida para o Senhor, buscando sempre fazer a coisa certa, e em vez de ser recompensado, ele foi punido.

- Nós também podemos enfrentar épocas na vida em que parece que fomos esquecidos. Podemos sentir como se quanto mais tentamos viver para Deus e servi-Lo, pior a sua situação se tornou. Podemos orar sobre uma necessidade particular, meses ou anos, e ainda parecer que não recebemos uma resposta. Em tempos como estes, devemos continuar a confiar no Senhor. Ele vê muito mais do que nós. Ele conhece o princípio e o fim. Um atraso nem sempre significa negação. Pode não ser o tempo para Deus trazer o livramento, mas em Seu tempo, Ele o fará.

B. Um sonho desconcertante. V. 1-8 - Descobrimos que o faraó tinha sonhado dois sonhos separados, com resultados semelhantes. No primeiro, sete vacas formosas e de gorduras saudáveis estavam se alimentando no prado e elas foram devoradas por sete vacas magras de carne mal favorecidas. No segundo, ele viu sete espigas de milho, cheias de grãos sobre uma haste. Em seguida, sete espigas miúdas surgiram após elas e consumiu as espigas cheias e boas. É evidente que Deus estava soberanamente trabalhando, mas esses sonhos deixaram Faraó perplexo.

- Faraó, então, chamou todos os magos e sábios do Egito. Ele estava preocupado e queria entender o significado dos sonhos. Mesmo o mais sábio do Egito não podia interpretar os sonhos de Faraó. Como veremos, isso estava tudo no plano de Deus. Ele estava preparando o palco para usar José e elevá-lo aos olhos de Faraó e todo o Egito.

- Há uma verdade que precisamos entender sobre os sonhos de Faraó. Ele fez o que a maioria faz em nossos dias. Quando ele estava perplexo, ele buscou a sabedoria dos homens. Ele procurou a sabedoria e o raciocínio terreno, mas não houve resposta. Muitos hoje buscam o mundo e aqueles em torno deles as soluções para seus problemas. O mundo não tem as respostas! Temos de buscar o Senhor em oração e através da Sua Palavra buscar orientação e direção para nossas vidas.

C. Uma descoberta promissora. V. 9-14 - Ao ouvir os sonhos de Faraó e a incapacidade dos sábios para interpretá-los, o copeiro finalmente se lembrou de José. Ele compartilhou com o Faraó sua experiência com o hebreu na prisão e como suas palavras de sabedoria foram cumpridas exatamente como ele disse. Faraó mandou tirar imediatamente José da prisão. Ele foi autorizado a se limpar e recebeu uma peça de roupa limpa para se vestir. A esperança chegou para Faraó e para José também.

- Devemos sempre lembrar que, Deus opera em Seu tempo e à Sua maneira. José não tinha ideia de como seu encontro com o copeiro acabaria por vir. Ele provavelmente não sabia que Deus iria usar esse encontro como o "trampolim" para livrar José e todo o Israel.

- Deus trabalha de formas que não podemos ver ou entender muitas vezes. Haverá momentos em que pode parecer que toda esperança está perdida. Haverá momentos em que iremos ter medo de não suportar. Podemos até questionar por que estamos passando por um processo particular. A vida de José é uma imagem do Velho Testamento sobre a verdade do Novo Testamento. Deus sempre trabalha para o bem daqueles que O amam. Se formos pacientes, dispostos a continuar com o Senhor, confiando nele, Ele vai trabalhar na nossa situação para o nosso bem e Sua glória!

II. Um Tempo De Revelação. V. 15-36

- Este tempo de confusão é transformado em um tempo de revelação. Deus usa José para interpretar o sonho do Faraó e livrá-lo da prisão. Isto irá pôr em ordem o plano que Deus tinha o tempo todo. Observe, primeiro, vemos:

A. Uma admissão humilde. V. 15-16 - José é levado diante de Faraó com a promessa de sua capacidade de interpretar sonhos. Faraó transmite sua confiança na capacidade de José. Esta era a oportunidade de uma vida. José sofreu nas mãos de muitos, mesmo aqueles que ele tentou ajudar. Muitos teriam procurado o seu próprio bem e glória nesta situação, mas não José. O servo sempre humilde de Deus imediatamente dá a Deus todo o crédito e glória por sua habilidade. Ele aproveita a oportunidade para apresentar ao homem mais poderoso da terra o Deus do céu. José revela que só Deus pode transmitir sabedoria e fornecer paz.

- Que desafio nos apresenta. José sabia que a providência de Deus tinha sido abundante em sua vida. Ele sabia que Deus o havia sustentado mesmo no meio de circunstâncias difíceis, e ele não estava disposto a perder a oportunidade de louvar e reconhecê-Lo. Precisamos desse mesmo empenho e determinação. Precisamos buscar todas as oportunidades para apontar outros a Cristo. Ele mesmo comprou nossa redenção. Ele mesmo salvou nossas almas indignas. Ele mesmo tem garantido a vida eterna para nós. Tudo o que temos e desfrutamos nesta vida é um dom do Senhor. Não podemos reclamar qualquer crédito para nós mesmos. Tudo pertence ao nosso Salvador!

B. Uma apreensão horrível. V. 17-24 - Aqui Faraó revela os sonhos terríveis que teve a José e a incapacidade de alguém interpretá-los. Claramente Faraó está abalado por esses sonhos e muito preocupado com o seu significado.

-Os sonhos e visões no Antigo Testamento eram comuns. Deus ainda revelou seus planos através de tais meios na igreja primitiva. Não há mais a necessidade para isso hoje. Nós temos a completa Palavra de Deus através da qual o Senhor fala a Seu povo. Não temos de buscar interpretação dos sonhos mais. Nós simplesmente precisamos ler, orar e estudar a Palavra. Nela encontraremos as respostas para os problemas e orientação para nossas vidas. Em nossos tempos de apreensão, e eu sei que todos nós temos esses momentos, buscar a Deus em oração e sua Palavra! Ele é fiel para proporcionar a sabedoria que precisamos, se o buscarmos.

C. Uma aplicação honesta. V. 25-36 - Depois de ouvir os sonhos de Faraó, José revela que a mensagem dos dois são as mesmas. Deus tinha revelado a Faraó que haveria sete anos de fartura, resultando em uma colheita abundante, seguido de sete anos de seca e fome. Eles iriam desfrutar o melhor dos tempos, durante sete anos, seguido de sete anos de dificuldade impensável. A fome seria tão grave e devastadora que iria apagar toda a memória dos bons anos.

- Ao considerarmos isso, tenha em mente que José é um hebreu, encarcerado em uma prisão política, acusado de um crime desonesto. José, em seguida, faz o impensável na cultura egípcia: depois de dizer a Faraó o que virá em seu caminho, ele o instrui como lidar com a situação. Na maioria das circunstâncias, isso teria sido visto como ir além dos limites da autoridade. Não era normal dizer aos Faraós o que fazer. Com a ajuda do Senhor José revela a Faraó um plano que iria salvar as pessoas. Ele encorajou-o a armazenar até 20% da colheita durante os bons anos, a fim de sobreviver à fome. Era simples, mas ele iria trabalhar, sendo oferecido em sabedoria.

- Isso também representa um desafio para todos os crentes. Nós podemos nunca ter ouvido de alguém com tanta autoridade quanto o Faraó, mas temos de estar dispostos a falar a verdade a quem quer que seja. Devemos estar dispostos a compartilhar as verdades do Evangelho, confrontar o pecado, e empunhar a Palavra de Deus. Nossa sociedade precisa desesperadamente de pessoas que não tem medo e nem vergonha de compartilhar a Verdade!

III. Um Tempo De Elevação. V. 37-44

- As dificuldades da escravidão dentro do calabouço na prisão eram para ser apenas uma memória para José, depois deste dia. A longa noite de sofrimento acabou e Deus o livrara. A vida de José nunca mais seria a mesma a partir deste ponto. Vamos considerar este tempo de elevação na vida de José. Nós vemos que:

A. José era respeitado. V. 37-38 - O conselho de José era muito simples, mas fez todo o sentido. Os sábios do Egito não conseguiram interpretar o sonho. Deus havia dado a José sabedoria não só para interpretar o sonho, mas também para sugerir um plano que iria sustentá-los através dele. José foi reconhecido e respeitado por sua sabedoria.

- O mundo pode nem sempre concordar com a gente, e estou certo de que nem todos abraçam a verdade, mas devemos ser fiéis em compartilhar a Verdade. Nem todo mundo vai crer, e alguns vão mesmo zombar, mas alguns vão reconhecer a nossa caminhada com o Senhor e o nosso compromisso com Ele. Permanecer na verdade e seguir o Senhor é sempre a melhor política, mesmo que isso não seja aceito pela maioria. Teremos uma melhor chance de ganhar os perdidos se formos consistentes. Temos de garantir que a Bíblia é nosso guia e sempre compartilhar a verdade. José falou pelo Senhor e ele foi respeitado por isso. Muitos em nossos dias pregam a filosofia humana ou erram em direção a correção política. Podemos ser chamados a confrontar o pecado e o erro, e quando nós formos, devemos nos certificar de que temos a Palavra de Deus para fazê-lo.

B. José foi recompensado. V. 40-44 - Faraó ficou tão impressionado com José e sua sabedoria, que ele o recompensou muito. Observe:

1. Sua Posição. V. 40-41 - José já não era um escravo hebreu. Ele tinha sido elevado ao segundo no comando de todo o Egito. Apenas Faraó tinha mais poder e autoridade do que José. Ele não tinha procurado esta posição por si mesmo. Ele não tinha tirado vantagem dos outros para chegar lá. Na verdade, José provavelmente nunca pensou que esta seria a maneira que Deus iria cumprir os sonhos de sua juventude. Deus trabalhou na vida de José e Ele elevou-o a posição que Ele desejava em Seu tempo.

- Muitos hoje buscam posição e poder para seu próprio ganho e reconhecimento. Eles estão dispostos a fazer o que for preciso, prejudicando quem fica no caminho, a fim de alcançar os seus planos. Precisamos ser como José era. Não devemos buscar a posição para o nosso ganho ou glória. Deus tem um plano e obra para cada um de nós. Nós podemos ter que esperar pacientemente para que ele cumpra seu desejo, mas no seu tempo ele vai cumprir. Nós nunca iremos alcançar uma posição tão gratificante e pacífica como aquilo que Deus dá. Seja paciente e espere no Senhor. Ele vai colocá-lo onde Ele quer você em Seu tempo!

2. Seu Poder. V. 42-44 - Esta certeza é uma mudança do calabouço prisão. De manhã cedo José estava preso na prisão, vestido com as vestes de um escravo. Antes do pôr do sol ele estava vestido com uma roupa de autoridade. Esta era diferente da túnica de várias cores, mas, mais uma vez Deus havia elevado José a uma posição de classificação e autoridade. Foi-lhe dado o anel do Faraó, o selo de autoridade e uma corrente de ouro foi colocada sobre o seu pescoço. Deus tinha um plano para usar José, e mesmo que muitos tinham procurado impedir esse plano, a soberania de Deus não seria negada.

- Mais uma vez lembro-me de como José tipifica nosso Senhor. Ele foi rejeitado pelos Seus. Certamente aqueles que o odiavam pensavam que a cruz era o fim. Quando eles colocaram Seu corpo no sepulcro, eles provavelmente se alegraram de que ele estivesse morto. O mundo tinha seus planos, mas Deus tinha um plano muito maior. Ele saiu da sepultura, vivo e bem. Ele subiu de volta ao Pai vestido de glória. Ele está sentado lá hoje com todo o poder e autoridade! Nós não temos nenhuma razão para temer as circunstâncias ou temer o futuro. Nosso soberano reina e nunca vai mudar!

Conclusão: Ao encerrarmos esta noite, eu não sei o que você está passando. Você pode estar se sentindo como se você estivesse sido abandonado e esquecido. A vida pode ter trazido mais dificuldade do que você pode suportar. Posso lhe assegurar que Deus está ciente de sua situação. Ele está trabalhando em sua vida. Ele tem a capacidade de trazê-lo para fora da masmorra do desespero e vesti-lo com Sua graça e misericórdia. Busque por Ele para a necessidade em sua vida.

Em breve vamos descobrir como José foi usado para trazer libertação para o Egito e sua família. Sua posição permitiu-lhe o poder necessário para sustentar. Cristo, nosso Senhor tem a posição e Ele tem o poder. Ele pode livra-lo das profundezas do pecado e do desespero. Se você nunca foi salvo, venha a Ele enquanto Ele fala com você. Talvez Ele está chamando você para vir a Ele hoje à noite!

Pr. Aldenir Araujo

Gostou desse esboço? Olha a novidade que tenho para você!

Eu preparei um e-book com 365 sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! Clique Aqui para adquirir seu livro.

Série: José: Amargura, Traição E Bênção - O Chamado Para Fora # 6 Reviewed by Aldenir Araujo on terça-feira, fevereiro 23, 2016 Rating: 5

Nenhum comentário:

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:
1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

All Rights Reserved by O Pregador © 2014 - 2015
Designed by Blogger

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.