A fé de Abraão - Parte 4

A fé de Abraão - Parte 4Texto: Gênesis 14:1-24

Introdução: Temos observado a fé de Abraão nas noites de domingo. Algumas semanas atrás, observamos as provas que Deus permitiu na vida de Abraão. Deus permite as provas em nossas vidas para que possamos ser amadurecidos na fé. O desejo de Deus para nós é que cresçamos em todas as áreas de nossas vidas, mas isso não será fácil. Não pode haver crescimento sem desafio, e não pode haver desafio sem mudanças. Se as nossas circunstâncias nunca mudarem, tudo seria previsível, e a vida se tornaria mais previsível, menos desafio que representa.
[post_ad]
Quando andamos na luz, podemos ver o que está acontecendo, e nós experimentamos a variedade em nossas vidas. Mas na escuridão tudo parece semelhante. Não admira que as pessoas não salvas (e crentes desviados) são tão entediadas com a vida que, estão constantemente à procura de escape! A vida de fé apresenta desafios que nos mantém avançando e crescendo para o Senhor.

Lembre-se que, nós dissemos que quando Abraão chegou à Terra Prometida não era um fim, mas o início de uma nova caminhada com Deus. No capítulo 14, vemos Abraão em três áreas distintas, e em cada uma ele deve exercer a fé e tomar decisões. Nossas vidas são semelhantes na medida em que somos constantemente confrontados com novos desafios que se estendem a nossa fé e nos fazem amadurecer no Senhor.

I. Abraão o observador. V. 1-12

A. A guerra.
1. Esta é a primeira guerra registrada nas Escrituras.
2. A única razão porque está registrado aqui é por causa do envolvimento de Abraão e Ló.
3. A guerra aconteceu porque os cinco reis das cidades na planície do Jordão se rebelaram contra os quatro reis das cidades orientais.
4. Os quatro reis invadiram a planície do Jordão e foram vitoriosos e parte dessa vitória envolveu a tomada das cidades de Sodoma e Gomorra.
5. Quando isso aconteceu, Ló foi levado cativo.
B. O propósito de Deus na guerra.
1. Deus tinha algo especial em mente para Ló em tudo isso.
2. Ló olhou para Sodoma, mudou-se para Sodoma, e agora, aparentemente, estava vivendo em Sodoma.
3. A captura de Ló foi à forma de Deus discipliná-lo e lembrá-lo de que ele não tinha nada que habitar em Sodoma.
4. Deus disciplina Seus filhos, porque Ele os ama e quer o melhor para eles.
5. Se não ouvirmos as repreensões de Deus, então Ele pode ter que chamar nossa atenção de alguma outra forma.

II. Abraão, o guerreiro. v 13-6

A. Observe a atitude dele. (v. 13)
1. Abraão não se envolveu na guerra até que ele ouviu que Ló havia sido capturado.
2. No versículo 13, ele é chamado de Abrão, o hebreu, ele não tinha perdido sua identidade nem o seu testemunho.
B. Observe o seu exército. (v. 14)
1. Abraão foi preparado para a batalha.
2. Ele lutou, não para benefício pessoal, mas porque amava Ló e queria ajudá-lo.
3. Seu exército representa o que é necessário em nossa batalha espiritual hoje.
a. Eles nasceram em sua casa.
b. Eles eram servos.
c. Eles eram treinados.
d. Eles estavam armados por seu mestre.
e. Eles eram obedientes.
f. Eles foram vitoriosos.
C. Observe sua realização. (15-16)
1. Abraão e seu exército eram fortes.
2. Eles perseguiram o inimigo e os feriram.
a. Eles libertaram todos os cativos, incluindo Ló.
b. Eles recuperaram todos os bens que haviam sido tomados.
c. Não há menção de vítimas entre as forças de Abrão.
d. Esta vitória quebrou o poder da Confederação, e não há registro de qualquer tentativa subsequente para renovar seu domínio sobre a Terra.
3. Infelizmente, nem a correção do Senhor, nem a Sua bondade em resgatar Ló fez qualquer diferença para muito, porque ele voltou para Sodoma.

III. Abraão, o adorador. V. 17-24

A. Abraão foi recebido por dois reis no seu retorno da vitória.
1. Bera, rei de Sodoma (queima).
2. Melquisedeque, rei de Salém (paz).
B. Estes dois reis são simbólicos:
1. O rei de Sodoma representa este mundo e tudo o que ele oferece.
2. O rei de Salém representa Deus e tudo o que Ele oferece.
C. Há sempre a tentação depois de uma vitória reivindicar parte do crédito para nós mesmos.
1. Duas linhas de pensamento estão aqui representadas.
2. Pensamento piedoso: Abraão é ministrado por Melquisedeque, e é lembrado de que Deus é Aquele que merece a honra pela vitória.
3. Pensamento ímpio: O rei de Sodoma representa o mundo e diz: "Leve-o, você merece", mas Deus diz: "Dá porque tenho te abençoado".
4. Um foca a atenção em si mesmo, enquanto o outro concentra a atenção no Senhor.

Conclusão: O que podemos aprender com este aspecto da fé de Abraão?
Há um tempo para observar, e um tempo para se envolver. Devemos estar preparados para a batalha, Abraão não esperou até que a guerra começasse para se preparar, nem nós devemos. Devemos manter nosso foco no Senhor e perceber que é Deus que merece toda a glória por tudo o que Ele faz!

Pr. Aldenir Araújo

Gostou desse esboço? Olha a novidade que tenho para você!

Eu preparei um e-book com 365 sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! Clique Aqui para adquirir seu livro.

A fé de Abraão - Parte 4 Reviewed by Aldenir Araujo on quinta-feira, julho 03, 2014 Rating: 5

Nenhum comentário:

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:
1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

All Rights Reserved by O Pregador © 2014 - 2015
Designed by Blogger

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.