cruz Texto: João 19:17

 

Introdução: O sacrifício de Jesus na cruz é o ponto focal da Bíblia (I Coríntios 15:3). Tudo o que veio antes apontava para a cruz.

 

Tudo o que se seguiu olhou para a cruz. É importante que possamos ver a cruz como mais do que apenas um ícone e entender o que ela realmente representa.

 

I. A cruz de Cristo

A. Um símbolo de morte - Ao pregar o primeiro sermão evangélico, Pedro descreveu Jesus como tendo sido "pregado a uma cruz pelas mãos de homens ímpios e colocou à morte..." (Atos 2:23). A crucificação foi concebida especificamente para provocar uma morte agonizante. Jesus não morreu de forma rápida e indolor. Ele sofreu por várias horas na cruz. Isto foi além do espancamento e flagelação que Ele suportou durante as horas que antecederam a crucificação.

B. Um símbolo da rejeição - Jesus foi rejeitado por aqueles de sua cidade natal (Mateus 13:57), assim como o povo judeu como um todo (Mateus 23:37).
Em seu julgamento, o povo ignorou as profecias (Gálatas 3:24) e declarou lealdade a César, em vez de Cristo (João 19:15). Depois que Pilatos convincente para colocá-Lo à morte, Jesus foi conduzido para fora da cidade para o lugar onde Ele seria crucificado (João 19:17).

C. Um símbolo da Humilhação - Jesus morreu a morte de um criminoso. Quando Ele estava pregado na cruz, havia dois ladrões que foram crucificados com Ele (Mateus 27:38). Jesus morreu publicamente (Romanos 3:25), exposto (Mateus 27:35), e ridicularizado por pessoas que testemunharam sua morte, incluindo os ladrões que estavam sofrendo o mesmo destino (Mateus 27:39-44)

D. Um símbolo de rebeldia - A crucificação era reservada para o pior dos criminosos. Barrabás, que foi escolhido para ser liberada, em vez de Jesus, era um assassino e rebelde (Mc 15:7). Jesus, é claro, não ia usar a violência para criar ou avançar o Seu reino (Mateus 26:51-54, João 18:36). Mas ele foi, em certo sentido, um rebelde, em que Ele veio para estabelecer um reino e "pôr fim" ao poder atual, em Roma (Daniel 2:44). Esta foi a acusação contra Jesus pelos judeus (João 19:12) e a razão pela qual "os príncipes se ajuntaram contra o Senhor e contra o seu Cristo" (Atos 4:26).

E. Um símbolo de submissão - Embora Jesus se recusasse a submeter à vontade do homem, sua morte foi um ato de submissão à vontade do Pai. Jesus voluntariamente foi à cruz (João 10:18), pois é isso que Ele veio fazer (Mateus 16:21). "Ele se humilhou, tornando-se obediente até à morte, e morte de cruz" (Filipenses 2:8).

II. Nossa Cruz

Assim como Jesus teve que carregar a Sua cruz, nós temos uma cruz para carregar também.
Jesus disse: "Se alguém quer vir após mim, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e siga-Me" (Lucas 9:23). Nossa cruz representa o mesmo para nós, como a cruz de Jesus representava para ele.

A. Morte - Quando somos batizados, somos crucificados com Cristo, tornando-se "unidos com Ele na semelhança da sua morte" (Romanos 6:3-5). Nesta morte, tornamos-nos mortos para o pecado (Romanos 6:6,11) e mortos para o mundo (Gálatas 6:14, Colossenses 2:20). Neste também damos a nossa vida a Ele como "um sacrifício vivo e santo" (Romanos 12:1), mesmo sendo preparado para, se necessário, entregar as nossas vidas pela Sua causa (Apocalipse 2:10).

B. Rejeição - Se formos seguir a Cristo, devemos esperar ser rejeitado por outros. João nos diz a razão para isso: "o mundo não nos conhece, porque não o conheceu" (I João 3:1). Podemos ser rejeitados pela família (Mateus 10:34-36). Podemos até sofrer perseguições (I Pedro 4:12-16). Em tudo isto, estamos sendo rejeitados, porque estamos seguindo Aquele que foi rejeitado pelo mundo.

C. Humilhação - Não só vamos ser rejeitados, mas nós, muitas vezes, seremos insultados e ridicularizados (1 Pedro 4:4). Isso às vezes é difícil, já que tendemos a dar grande ênfase em ser aceito pelos outros. Mas Jesus suportou a humilhação e vergonha na cruz, deixando para nós um exemplo a seguir. (Hebreus 12:2-3).

D. Rebelião - Nossa revolta é contra "o deus deste mundo" (2 Coríntios 4:4). Paulo nos diz que nossa luta é "contra os principados, contra as potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais" (Efésios 6:12). Haverá momentos em que seremos rotulados como desordeiros ou malfeitores para seguir a Cristo. Mas, como cristãos, devemos recusar-se a submeter à vontade do homem em oposição a Deus.

E. Submissão - Ao tomar a nossa cruz, estamos também sendo submissos ao Senhor. Jesus disse que devemos tomar nossa cruz e "seguir" a Ele (Lucas 9:23). Tornamos-nos mortos para o pecado, a fim de se tornar "escravos da justiça" (Romanos 6:18). Devemos totalmente nos submeter à vontade do Senhor, para que possamos dizer: "Fui crucificado com Cristo; e já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim, e a vida que agora vivo na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e Se entregou por mim" (Gálatas 2:20).

 

Conclusão: Se entendermos a cruz em seu contexto adequado, podemos com Paulo nos "gloriar... na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo" (Gálatas 6:14), como "tomar a [nossa] cruz e segui-lo" ( Lucas 9:23).

 

Pr. Aldenir Araújo

Postar um comentário Blogger Disqus

 
Top