Como você mede o sucesso ministerial?

Como você mede o sucesso ministerialTexto: II Coríntios 3:1-3

Introdução: Você contrataria este homem como pastor da sua igreja?
* Preso várias vezes.
* Dentro e fora da prisão.
* Muitas vezes, correndo para fora da cidade.
* Nunca construiu um templo.
* Nunca falou na televisão.
* Nunca teve um website.
* Nunca teve uma página no Facebook.
* Nunca foi dono de seu próprio lar.
* Tinha que trabalhar para se sustentar.
* Nunca ficou muito tempo no mesmo lugar.
* Não era um hábil orador público.
* A aparência impressiona.
* Às vezes o sermão que ele prega, tem horas de duração.
* Parece que se envolve em controvérsias públicas.

[post_ad]  
A maioria das igrejas não aceitaria um pastor como esse. Afinal, você não pode confiar seu púlpito para qualquer um. E é por isso que o Apóstolo Paulo não iria se sentir em casa em muitas das nossas igrejas hoje.

Todo ano eu passo uma boa parte do meu tempo conversando com pastores. Eu amo pastores e eu adoro passar o tempo com eles. Às vezes eu pergunto: "Como estão as coisas?" depois é sentar e esperar a resposta.

O sucesso no ministério é notoriamente difícil de definir. Mesmo se tivermos que reunir todos os nossos objetivos, temos sido realmente bem sucedido aos olhos do Senhor?

Como podemos medir o sucesso no ministério?

Essa é a pergunta que Paulo enfrentou em 2 Coríntios. Ele tinha que se justificar mesmo porque um grupo de críticos tinham praticamente assumido a igreja, tentando preencher as mentes das pessoas com acusações contra a base do caráter de Paulo e sua conduta. "Não se pode confiar nele. Olha como ele é inconstante. Ele diz que está vindo para uma visita, então ele não aparece. Como você sabe que ele é não é uma fraude?"
Parte da resposta de Paulo vem em 2 Coríntios 3:1-3, onde ele declara que a medida real do seu ministério é a vida mudada pelo Espírito Santo.
Isso constitui um verdadeiro sucesso, aos olhos do Senhor.
O sucesso no ministério é notoriamente difícil de definir.
Não se trata de programas ou luxuosos templos.
Não se trata de orçamentos ou títulos.
Não se trata de uma grande reputação.

I. Formas inadequadas de medir o sucesso

"Porventura, começamos outra vez a louvar-no a nós mesmos? Ou necessitamos, como alguns, de cartas de recomendação para vós ou de recomendação de vós?" (2 Coríntios 3:1).
Paulo diz: "Eu não preciso se vangloriar e eu não preciso de uma carta de referência para provar a validade do meu ministério.”
Isso é diferente da forma como fazemos as coisas hoje.

Às vezes medimos o sucesso pelos nossos graus. Então vamos para a faculdade por quatro anos para receber um diploma de bacharel. Então vamos para a universidade de pós-graduação para mestrado ou um doutorado. Alguns vão procurar um grau profissional, como um MD, DD, DDS, e etc. Aqueles com uma inclinação erudita prosseguirá um PhD para que sejam qualificados para escrever ou ensinar aos mais altos níveis. Assim, no final, uma pessoa extremamente estudiosa pode ter uma série de graus depois do seu nome, como BA, Mestrado e Doutorado.

E, claro, que estas coisas importam. Nós prestamos atenção a elas. Colocamos nossos diplomas de graus na parede. Queremos que as pessoas saibam que nós fomos para esta ou aquela universidade. E não são apenas as letras. Nós ganhamos status, fazemos amigos, nós de rede, podemos conhecer o nosso cônjuge na faculdade ou na pós-graduação. Assim não importa.

Às vezes nós ordenamos as pessoas para o ministério. Isso é importante porque significa que um determinado grupo de pessoas bem-respeitadas examinam você cuidadosamente sobre o seu testemunho, seus antecedentes, sua educação, sua doutrina, sua vida espiritual, e sua chamada para o ministério.

Em algumas denominações um candidato sem um diploma não será considerados para o pastorado. Colocamos o nosso certificado de ordenação na parede.
É uma marca de realização, um sinal de que alguém, em algum lugar nos examinou e nos aprovou nos exames.
Paulo nunca nos dá todas as estatísticas de presenças de suas igrejas.
Muitas vezes, nós pastores medimos o sucesso ministerial pelo tamanho da igreja. Provavelmente, nada importa mais do que isso. Vá para qualquer reunião ministerial, e após o período da reunião, ou durante o intervalo, alguém com certeza vai perguntar: "Qual o tamanho da sua igreja?" ou "Quantas pessoas, matriculadas na escola dominical?" Isso é importante porque 50 é melhor do que 25, 100 é melhor do que 50, 500 é melhor do que 100, 1000 é melhor do 500, 2000 é melhor do que 1000, e qualquer coisa em relação a 2000 é considerado uma mega-igreja.

Há outras maneiras de medir o sucesso. Quem você conhece? Como quem você está conectado? Você conhece um senador? Quantos milionários são membros da sua igreja? Você tem o número do celular do presidente do senado? Você conversa no Twitter com a Hebe Camargo? Quando você está em Brasilia, você passa no gabinete da presidencia pra dizer um oi para o presidente? Você já encontrou com o Presidente Obama? Será que o Jó Soares retorna suas chamadas? Você almoçou com o Sarney na semana passada? E assim sucessivamente.

Porque vivemos em uma cultura da celebridade, é importante para todos nós quem conhecemos. Conhecer pessoas importantes lhe dá cacife, ajuda você a fazer as coisas, e eleva-lo na mente dos outros.
Mas estas coisas, as "cartas de recomendação" de que Paulo está falando, a aprovação e o reconhecimento dos outros e os aplausos do mundo, estas não são as verdadeiras medidas de sucesso.
Deus vê de maneira diferente.

II. A única coisa que realmente importa

Tudo se trata de vidas mudadas pelo Espírito Santo. Veja como Paulo explica isso nos versículos 2-3:
“Vós sois a nossa carta, escrita em nossos corações, conhecida e lida por todos os homens. Porque já é manifesto que vós sois a carta de Cristo, ministrada por nós e escrita não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo, não em tábuas de pedra, mas nas tábuas de carne do coração.”
No que se refere a Paulo, a prova real de seu ministério era as vidas mudadas de seus ouvintes. Quando pregava o evangelho, o Espírito Santo aplicava aos seus ouvintes para que quando eles cressem em Jesus, as suas vidas eram completamente transformadas. Corinto era uma cidade totalmente pagã, dada a idolatria e a imoralidade sexual. Como uma cidade portuária, tinha uma reputação de sensualidade ao ponto que "a corinthianize" tinha se tornado uma palavra no primeiro século. Que significava viver no nível bruto de apetites sexuais. Corinto era um lugar onde você poderia dizer que realmente "vale tudo." Então, quando o evangelho entrou com sua promessa de
transformação de vida através do poder de Jesus Cristo, os pecadores foram convertidos, e alguns deles foram radicalmente transformardos. Paulo escreveu sobre isso em sua primeira carta aos Coríntios:
“Não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus.” (1 Coríntios 6:9-10).

No mundo de hoje, tendem a encarar isso como uma "passagem dura" que nos faz contorcer-se porque parece muito negativo e é! Mas esse não é o fim da a história. Leia o versículo 11:
“E é o que alguns tem sido, mas haveis sido lavados, mas haveis sido santificados, mas haveis sido justificados em nome do Senhor Jesus Cristo e pelo Espírito do nosso Deus.”
A parte mais importante deste texto é a primeira frase do versículo 11:
"E é o que tem sido." Nessas treze letras encontramos toda a fé cristã. O poder efetivo de tudo o que acreditamos ser resumiu nessas poucas palavras. O cristianismo é uma religião de supremamente conversão. Tudo o que dizemos e acreditamos tudo é construído sobre uma premissa fundamental e revolucionária: Você não tem que ficar do jeito que você é. Sua vida pode ser radicalmente transformada por Deus. O milagre da conversão acontece quando se encontra a vida de Deus com a personalidade humana. Uma vez que Deus entra em cena, sua vida nunca mais será a mesma outra vez. Até então, você pode ser religioso e você pode ser uma pessoa muito boa e você pode obedecer todas as regras da igreja, mas não era convertido.
O cristianismo é uma religião suprema da conversão.
Vamos apenas anotá-la para o mundo todo para entender.
Os cristãos de Corinto eram. . .
Impios não mais.
Imorais, não mais.
Idólatras, não mais.
Adúlteros não mais.
Homossexuais não mais.
Ladrões não mais.
Ganaciosos não mais.
Bêbados não mais.
Caluniadores não mais.
Vigaristas não mais.
Fala sobre uma mudança. Você pode imaginar o impacto em Corinto, quando um adorador de ídolo veio a Cristo e seus camaradas no templo de Afrodite, a deusa do amor, quis saber o que aconteceu com ele. Por que ele não veio mais? Por que ele não oferece mais sacrifícios? Por que não participa nas sexuais travessuras com as sacerdotisas do templo? Por que ele não participa nas celebrações bacanal? O que aconteceu com ele? "Eu conheci uma pessoa que me falou sobre Jesus, e ele mudou minha vida completamente."

A conversão é o milagre em que Deus muda os tempos de sua vida:
Suponhamos que uma mulher era uma das sacerdotisas daquelas que praticavam uma forma de prostituição religiosa. Que diriam seus amigos, quando de repente ela parou seu comércio? Sua resposta iria fundir suas mentes.

Ou um homem em Corinto, que viveu um estilo de vida homossexual. Mas não mais. Ele foi lavado, purificado, santificado, recebeu um coração novo, uma nova vida, uma nova direção. Sim, as tentações continuam, mas a direção da sua vida tem sido alterada para sempre. Você pode imaginar o que seus amigos teriam dito quando declarou: "Eu não vou mais fazer isso"?
Não existe outra maneira de dizer isso. A conversão é o milagre pelo qual Deus muda os tempos de sua vida:
Isto é o que você era.
Isto é o que você é.
Os cristãos acreditam que Jesus Cristo pode fazê-lo, e nós acreditamos que só Jesus tem o poder transformador para transformar completamente a sua vida a partir de dentro para fora. Isso é o que aconteceu com os crentes do primeiro século, na cidade portuária de Corinto. Poderia acontecer com você hoje, enquanto você lê estas palavras.

Como é que esta mudança radical aconteceu entre aqueles que ouviram sua mensagem?
Estes ex-ídolo de culto pagãos eram agora. . .
Visivelmente Diferentes
“Vós sois a nossa carta, escrita em nossos corações, conhecida e lida por todos os homens" (v. 2). É uma coisa maravilhosa quando a sua conversão é tão real que ninguém pode negar a mudança em sua vida.
Seguidores de Cristo
"Porque já é manifesto que vós sois a carta de Cristo" (v. 3). Suas vidas eram como uma carta de Cristo, escrita em seus corações, simples e clara para o mundo inteiro ver.
Sobrenaturalmente transformados "Escrita não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo" (v. 3). Eles não haviam sido transformados por "unir à igreja" ou por "andar por um corredor" ou por uma "assinar um cartão de membro." Essas coisas não têm poder para nos mudar. Somente o Santo Espírito trabalhando dentro de nós pode escrever a verdade de Deus em nossos corações.
Internamente Transformados
"Não em tábuas de pedra, mas nas tábuas de carne do coração" (v. 3). Os dez Mandamentos foram escritos em pedra, dando-lhes a permanência como uma regra de vida para o antigo Israel. As regras podem fazer muitas coisas. Podem dizer-lhe o certo e o errado, elas podem fornecer a orientação em situações difíceis. Só o evangelho pode mudar nos de dentro para fora.
Os cristãos são "cartas vivas", cartas que qualquer um pode ler.
Cristianismo escrito na alma é
Legível,
Persuasivo,
Duradouro,
Irrefutável.
Jesus é o escritor, o Espírito Santo é a tinta, você é a letra!
Você está escrevendo um Evangelho, Um capítulo a cada dia, pelas obras que você faz e pelas palavras que você diz.
As pessoas lêem o que você escreve, seja fiel ou verdadeiro. O que é o Evangelho segundo você?
Então, qual é a marca real de um ministério bem sucedido? Deve ser as vidas transformadas pela pregação do evangelho através do poder do Espírito Santo. É por isso que a prova do ministério não pode ser simplesmente dipomas de graus ou quantidade de livros escritos ou lugares que tenha pregado ou o tamanho de sua escola dominical ou quantos cultos você tem no domingo ou quão grande é o seu orçamento ou quem veio falar com você ou qual celebridade você conhece ou quanto tempo você está no ministério.
Paulo nunca nos dá todas as estatísticas de presenças de suas igrejas, nunca diz-nos quantos batismos foram realizados em um determinado ano; nunca relatórios sobre o número de novos programas, que ele começou, e ele nem sequer nos diz como a doação estava fazendo em relação ao orçamento!
Contamos com essas coisas e dizemos: "Bem, se você tem essas coisas, você tem uma ministério bem-sucedido. Paulo disse: "Eu não jogo esse jogo." Ele não pede cartas de referência, nem que ele iria fornecer alguma. Ele simplesmente disse: "Se você quer saber sobre o meu ministério, confira as pessoas que me ouvem. Olhe o que Deus fez em suas vidas.”
Cartas vivas.
Provas vivas.
Essa é a única coisa que importa. O resto é apenas detalhes. E muito disto é apenas uma janela ministerial vestida.

III. A fonte de nosso sucesso

Se você tomar esta passagem como um padrão, isso significa que Deus mede nosso sucesso em termos de vidas transformadas. É evidente que, ele não se impressiona pelo tamanho do nosso orçamento ou pelo vitral do nosso santuário. Ele que colocou as estrelas no espaço não se importa com quantos livros temos escrito ou quanto dinheiro nós fazemos ou se vamos ou não ver o nosso nome na luzes.

Ele é Deus Todo-Poderoso, Criador do céu e da terra.
Como estamos fazendo vai impressioná-lo?
Acho que não.
Deus as nossas medidas de sucesso em termos de vidas transformadas.
Eu já disse que a prova do nosso ministério são vidas transformadas pelo Espírito Santo. Então, quem faz a mudança? (Isto não é uma pergunta difícil.)
O Espírito Santo (que é o próprio Deus).

Se vidas estão realmente sendo transformadas no nosso ministério, Deus está fazendo isso!
Ele arranjou as coisas de modo que temos a honra e o privilégio de servi-lo. Para nós, ele comissionou a mensagem de reconciliação e nos disse para ir para o mundo e pregar em todas as nações, dizendo para todos: "Seja reconciliado com Deus."
Nós fazemos a pregação.
Deus faz a salvação.
Nós fazemos a oração.
Deus faz o atendimento.
É Deus quem leva a mensagem que pregamos e grava no coração daqueles que ouvem. E devemos ser gratos por isso.
Eu não sei como você se sente sobre isso, mas eu estou muito feliz que "tudo é em vão a menos que o Espírito Santo entre em ação", isso significa que não depende só de mim.
O meu sucesso depende do Senhor!
Não parcialmente, mas totalmente.
Três conclusões simples
Primeiro, eu tenho um papel a desempenhar, e devo fazer a minha parte.
Eu sou chamado para pregar e ensinar a Palavra de Deus. A onde e como e quando não é especificado. As circunstâncias mudam o tempo todo. Olhe para a vida de Paulo. Ele tinha grande sucesso em uma cidade e corria para a próxima. Ele permanecia em uma cidade por mês e em outra por três ou quatro semanas. Ele era amado e odiado, admirado e insultado, elogiado e criticado por onde passava. Algumas das igrejas, começou tendo grandes problemas. Nem todos os que o ouviam acreditavam em sua mensagem. Nem todos os seus discípulos, permaneceram fieis ao Mestre.
E ainda assim ele decidiu ir para onde ele era levado, para se tornar "tudo para todos os homens ", para que pela graça de Deus, ele poderia ganhar alguns para Cristo.
Paulo foi bem sucedido? Da perspectiva de vinte séculos mais tarde, sabemos que a resposta é sim. Mas ele acabou na prisão em Roma (duas vezes!) E evidentemente morreu por decapitação por ordem de Nero.
Em 1 Coríntios 4:1 Paulo revela uma chave secreta de sucesso no ministério. "Além disso, requer-se nos despenseiros que cada um se ache fiel." Está, claro, para todos verem.
Seja fiel.
Isso é o que Deus quer de você e eu.
Ser fiéis à nossa vocação.
Ser fiel ao Senhor.
Ser fiel a pregação da Palavra.
Essa é a minha parte e eu tenho que fazer minha parte. Ninguém mais pode fazer isso por mim.
Segundo, eu realmente não sei como eu tenho sido bem sucedido até eu chegar ao céu.
Vários anos atrás eu assisti Larry King entrevistar Billy Graham. Em um ponto, ele perguntou ao Dr. Graham, "Quantas pessoas foram salvas através do seu ministério? "Sem perder o ritmo, Billy Graham respondeu: "Eu não tenho idéia." “Você não tem idéia?” “Não, só o Senhor sabe disso."
Aqui está um homem que tem pregado a mais pessoas do que qualquer outra pessoa na história. E centenas de milhões devem tê-lo visto na TV. Ele é o melhor evangelista conhecido na história cristã. Mas quando você pergunta quantos foram salvos, ele diz: "Eu não tenho idéia." Você pode contar com as decisões, mas apenas o Senhor conhece a verdadeira condição do coração de quem vem a frente.
A atitude dele é exatamente certa.
Desde que nós não poupar ninguém, toda a glória pertence ao Senhor sozinho.
Qualquer que seja o sucesso que temos em servir o Senhor vem porque o próprio Senhor concedeu a nós. Desde que nós não salvamos ninguém, toda a glória pertence ao Senhor sozinho.
Em terceiro lugar, eu não deveria me comparar com ninguém.
João 21: 21-22 “Vendo Pedro a este, disse a Jesus: Senhor, e deste que será? Disse lhe Jesus: Se eu quero que ele fique até que eu venha, que te importa a ti? Segue-me tu.”
"Siga-me."
"Siga-me, e não se preocupe com ninguém."
"Siga-me, e eu vou cuidar dos outros.”
"Siga-me, e você terá muito o que fazer.”
Aqui está o nosso chamado simplificado:
Apascentar as ovelhas de Deus.
Ser fiel.
Seguir Jesus.

Conclusão: Se fizermos isso, já somo bem sucedidos, e quando nosso trabalho for feito, descobriremos que o Senhor fez mais do que fizemos do que sabíamos quando estávamos na terra. O aplauso do céu nos dará as boas vindas, e esse é o único sucesso que realmente importa.

Pr. Aldenir Araújo

Gostou desse esboço? Olha a novidade que tenho para você!

Eu preparei um e-book com 365 sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! Clique Aqui para adquirir seu livro.

Como você mede o sucesso ministerial? Reviewed by Aldenir Araujo on sábado, janeiro 23, 2010 Rating: 5

2 comentários:

  1. O SUCESSO DO PREGADOR ESTÁ NO FATO DE PREGAR A PALAVRA DE JESUS E VIVÊ-LA EM SUA VIDA. DO CONTRÁRIO É UM DIABO FALSO.

    ResponderExcluir
  2. Concordo plenamente, pregar e não viver é enganar e ser enganado. Obrigado pela visita, volte sempre

    ResponderExcluir

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:
1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

All Rights Reserved by O Pregador © 2014 - 2015
Designed by Blogger

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.