A Aliança Abraâmica
Lição 30

Gênesis 11:10-12:20

I. Introdução

A. A partir deste ponto em Gênesis, Deus começa a lidar com a nação Israel. Suas relações são com quatro indivíduos: Abraão, Isaque, Jacó e José.
B. A ênfase principal está em Abraão, que foi o canal escolhido por Deus para cumprir o propósito divino de trazer redenção para toda a raça humana. Através de Abraão, Deus traria bênção para o mundo inteiro.
C. Deus alterou toda a história humana através de Abraão. Dele Deus deu uma nação que reformulou completamente a história da raça humana.
D. Abraão tem a distinção única de ser chamado de “homem de fé”. Ele se destaca como o exemplo supremo da vida de fé. Embora ele ocasionalmente vacile, sua vida foi caracterizada pela fé.
E. Abraão é honrado por judeus, cristãos e muçulmanos como o pai da fé.

II. Introdução a Abraão. 11:10-32

A. Seus progenitores (11:10-26): Nessas genealogias, Deus está dando um registro da árvore de Abraão, traçando sua herança de volta à linha de Sem. A linha de Sem era abençoar religiosamente o mundo. Abraão, totalmente qualificado pela linhagem de sangue, torna-se o centro do drama da história religiosa de Deus.

B. Sua história passada (11:27-32): Abrão vivia em Ur dos Caldeus, no vale do rio Eufrates. A cidade era um centro de comércio e muito progressista para a sua época. É mais conhecida pelo culto ao deus da lua Nanna, ou Nannar, que lá acontecia. Terá, pai de Abraão, era um idólatra, morando em Ur (Josué 24: 2). É lógico que Abrão também era um idólatra (Isaias 51:1-2). Não há evidências de que Terá tenha abandonado sua idolatria para servir ao Deus vivo e verdadeiro. Abrão se casou com Sarai, que significa "contenda". Aparentemente, Sarai, antes de sua conversão, era cheia de inveja, ciúme e orgulho. Abrão recebeu um chamado de Deus para deixar sua idolatria e família e seguir o Deus verdadeiro (Atos 7:1-5). Abraão, com seu pai, Terá, começou a se mover em direção à terra. Ele levou consigo Sarai e Ló.

NOTA: Abrão, neste primeiro chamado, sabia que ele deveria deixar a família, mas os levou com ele. Aparentemente, Terá ainda era um idólatra e isso levou Abraão a chegar até Harã. Enquanto Abrão estava em Ur, Deus não podia usá-lo e, mesmo quando estava em Harã, ficou preso porque não estava separado da idolatria de Terá. Aparentemente, Abrão viveu em Harã por um longo tempo e não buscou a vontade de Deus até Terá morrer.

NOTA: Aparentemente, Abrão colocou seu pai antes do Senhor e Deus não poderia usá-lo. Deus não usará um crente até que ele seja comprometido sem reservas a Ele.

NOTA: Deus teve misericórdia de Abrão em tirar seu pai, pois agora a vontade de Deus poderia ser feita.

III. O Início de Uma Aliança Com Abraão. 12:1-3, 7

A. A aliança foi feita com Abrão quando ele estava em Ur, pois diz "o Senhor disse", indicando que havia sido dado anteriormente. Aparentemente, é repetido novamente para Abrão enquanto estava em Harã.

B. O chamado de Abrão é um ato da graça. A raça humana se afastou do Senhor e houve julgamento na queda no dilúvio e na torre de Babel. Mas Deus agora escolhe um homem através de cuja linhagem Ele finalmente proverá um Salvador e um Soberano que redimirá e também reinará. Por meio de Abraão e seus descendentes, Deus proverá para um mundo perdido.

C. Ele foi ordenado a deixar sua terra natal, seus parentes e até mesmo seu pai, e essa foi a condição para Abrão experimentar as bênçãos dessa aliança.

D. A aliança Abraâmica inclui quatro promessas básicas:

1. Uma terra (12.1-7). Esta terra deveria estar na Palestina e se estender de Wadi El Arish ( rio do Egito) até o grande rio Eufrates. Seria a posse deles para sempre (Gênesis 13:14-17; 15:18).

NOTA: Do ponto de vista bíblico, Deus escolheu o lugar mais imoral da terra como o lugar para Sua nação viver.

2. Uma nação (12:2a). Israel deveria ser uma grande nação (Gênesis 13:14-17; 15:1-5).

NOTA: Deus fez essa promessa por volta de 2.050 a.C. e Israel se tornou uma grande nação 430 anos depois. Abraão teve que crer em Deus, para o que parecia impossível.

3. Uma Bênção Pessoal (12.2b-3a): Deus abençoaria Abrão, tornaria seu nome grande, seria uma bênção e todos os que abençoassem Abrão e sua semente seriam abençoados por Deus.

NOTA: A história mostra que aqueles que trataram os judeus como inimigos foram julgados por Deus (babilônios, assírios, romanos, nazistas e etc.).

4. Uma Bênção Internacional (12:3b): Isso foi realizado através das Escrituras pelas quais o povo de Abraão tem sido guardiões e canais, e também através do Salvador que era a SEMENTE (Gálatas 3:16) em um sentido particular e está disponível para o mundo (Mateus 28: 19-20; Atos 1:8; 13:46-48; Gálatas 3:26-29).

NOTA: Deus elegeu Israel para que o mundo inteiro tivesse a notícia da salvação (Êxodo 19:5-6; Amós 3:2, Isaias 44:8).

IV. A Resposta Inicial de Abraão. 12:4-9

A. Abrão agora tem uma resposta de fé. Ele foi obediente pela fé, mas não com uma obediência completa que se separava de seus parentes, a saber Ló. Mas ele começou a longa jornada para fazer o que Deus havia lhe dito. (12:4-5).

NOTA: Abrão, tão obediente na fé, foi chamado de "amigo de Deus" (2 Crônicas 20:7; Isaias 41:8; Tiago 2:23).

B. Abraão estava agora em comunhão com o Senhor e ele entrou em Siquém, que ficava bem no meio da terra Cananéia. E Deus apareceu a ele (o Cristo pré-encarnado) e reafirmou o aspecto de terra e semente da aliança. Abrão construiu um altar a Deus como um testemunho para os cananeus ateus (12:6-7).

NOTA: Quando os cristãos estão em comunhão com o Senhor, o Senhor se revela espiritualmente e os cristãos se tornam testemunhas ativas do Senhor.

C. Ele também entrou em Betel e construiu um altar (12:8). Abrão parece ter uma experiência no “topo da montanha” e está no ponto mais alto de sua vida espiritual.

V. A Insidiosidade da Incredulidade. (12:10-20)

A. Após a grande vitória de Abrão, vem uma prova para ver se ele continuaria confiando no Senhor. Ele agora tem uma resposta negativa de descrença. Uma fome chega à terra e Abrão não acredita que Deus seja capaz de suprir suas necessidades no meio dela. A vontade de Deus para Abrão deve estar localizada na terra de Canaã, não importa quais sejam as circunstâncias externas, Abrão se volta para suas próprias possibilidades naturais e adota um ponto de vista humano em relação à vida. Ele não confiou no Senhor, mas voltou-se para os recursos do Egito. O Egito é um tipo do mundo, na Bíblia.

NOTA: Abrão não tem comunhão com seu Deus, pois parou de confiar em Deus e voltou-se para sua própria força humana para resolver problemas. Seus olhos estavam mais nas circunstâncias do que no Senhor.

B. Culpado de recorrer a artifícios e inteligência humana, Abrão começa a abusar das pessoas. Ele aproveita a esposa para proteger sua própria pele. Ao representar sua esposa Sarai como sua irmã (na verdade, sua meia-irmã, 20:12) e criar a impressão de que ela não era sua esposa, ele estava mentindo. Ele usou a beleza dela e arriscou uma desonra trágica para ela em possíveis abusos dos egípcios para salvar seu próprio pescoço.

NOTA: Talvez Abrão tenha racionalizado esse ato dizendo a si mesmo que ele tinha que viver para ter um filho para cumprir a promessa de Deus. O que aconteceu com Sarai não foi importante. Isso é egoísmo.

C. Sarai era uma mulher bonita. Ela tinha cerca de 65 anos (10 anos mais jovem que Abrão, 75). À luz de sua vida útil total de 127 anos (23:1), ela era equivalente a uma mulher de cerca de 30 a 35 anos em termos de vida útil atualmente. Tão bonita era Sarai que atraiu os olhos dos príncipes, e até o faraó foi tomado por sua beleza.

D. Abrão lucrou com o negócio, pois ele recebeu um dote de Faraó por Sarai, e ele ficou ainda mais rico.

NOTA: Você pode ter certeza; no entanto, que Abrão era uma pessoa infeliz, pois seu coração não estava bem com o Senhor.

E. Exatamente quando parecia que Abrão havia projetado para si e sua esposa uma bagunça colossal, Deus interveio na graça para preservá-los e cumprir seu compromisso. O Senhor atormentou a casa do faraó. Provavelmente isso se refere a algum tipo de doença grave. Como o Faraó descobriu que essa doença era por abrigar Sarai, não sabemos. Talvez ele tenha tido um sonho ou Sarai lhe disse por que a doença em sua família.

NOTA: Quando um crente está fora da comunhão, ele torna todos à sua volta miseráveis, até os incrédulos.
F. O faraó repreende Abrão por esta má ação e manda Abrão e Sarai para fora do Egito.

NOTA: Como é triste o perverso Faraó ter que repreender um verdadeiro crente em uma questão de moralidade. Pensar que Abrão deixaria a mãe de uma raça escolhida viver em um harém.

G. Conclusão: As coisas vão de mal a pior quando um crente não está em comunhão com o Senhor. Abrão nunca deveria estar no Egito, mas quando ele chegou lá, deveria ter confessado seu pecado e se virado e voltado para Canaã. Ele não fez e o resultado foi confusão, mais pecado, frustração e desgosto.
Postagem Anterior Próxima Postagem

Gostou? Olha a Novidade Que Tenho Para Você!

Eu preparei um E-book Com 365 Esboços de Sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! CLIQUE AQUI para adquirir seu livro.