A Aliança Abraâmica
Lição 30

Gênesis 11:10-12:20

I. Introdução

A. A partir deste ponto em Gênesis, Deus começa a lidar com a nação Israel. Suas relações são com quatro indivíduos: Abraão, Isaque, Jacó e José.
B. A ênfase principal está em Abraão, que foi o canal escolhido por Deus para cumprir o propósito divino de trazer redenção para toda a raça humana. Através de Abraão, Deus traria bênção para o mundo inteiro.
C. Deus alterou toda a história humana através de Abraão. Dele Deus deu uma nação que reformulou completamente a história da raça humana.
D. Abraão tem a distinção única de ser chamado de “homem de fé”. Ele se destaca como o exemplo supremo da vida de fé. Embora ele ocasionalmente vacile, sua vida foi caracterizada pela fé.
E. Abraão é honrado por judeus, cristãos e muçulmanos como o pai da fé.

II. Introdução a Abraão. 11:10-32

A. Seus progenitores (11:10-26): Nessas genealogias, Deus está dando um registro da árvore de Abraão, traçando sua herança de volta à linha de Sem. A linha de Sem era abençoar religiosamente o mundo. Abraão, totalmente qualificado pela linhagem de sangue, torna-se o centro do drama da história religiosa de Deus.

B. Sua história passada (11:27-32): Abrão vivia em Ur dos Caldeus, no vale do rio Eufrates. A cidade era um centro de comércio e muito progressista para a sua época. É mais conhecida pelo culto ao deus da lua Nanna, ou Nannar, que lá acontecia. Terá, pai de Abraão, era um idólatra, morando em Ur (Josué 24: 2). É lógico que Abrão também era um idólatra (Isaias 51:1-2). Não há evidências de que Terá tenha abandonado sua idolatria para servir ao Deus vivo e verdadeiro. Abrão se casou com Sarai, que significa "contenda". Aparentemente, Sarai, antes de sua conversão, era cheia de inveja, ciúme e orgulho. Abrão recebeu um chamado de Deus para deixar sua idolatria e família e seguir o Deus verdadeiro (Atos 7:1-5). Abraão, com seu pai, Terá, começou a se mover em direção à terra. Ele levou consigo Sarai e Ló.

NOTA: Abrão, neste primeiro chamado, sabia que ele deveria deixar a família, mas os levou com ele. Aparentemente, Terá ainda era um idólatra e isso levou Abraão a chegar até Harã. Enquanto Abrão estava em Ur, Deus não podia usá-lo e, mesmo quando estava em Harã, ficou preso porque não estava separado da idolatria de Terá. Aparentemente, Abrão viveu em Harã por um longo tempo e não buscou a vontade de Deus até Terá morrer.

NOTA: Aparentemente, Abrão colocou seu pai antes do Senhor e Deus não poderia usá-lo. Deus não usará um crente até que ele seja comprometido sem reservas a Ele.

NOTA: Deus teve misericórdia de Abrão em tirar seu pai, pois agora a vontade de Deus poderia ser feita.

III. O Início de Uma Aliança Com Abraão. 12:1-3, 7

A. A aliança foi feita com Abrão quando ele estava em Ur, pois diz "o Senhor disse", indicando que havia sido dado anteriormente. Aparentemente, é repetido novamente para Abrão enquanto estava em Harã.

B. O chamado de Abrão é um ato da graça. A raça humana se afastou do Senhor e houve julgamento na queda no dilúvio e na torre de Babel. Mas Deus agora escolhe um homem através de cuja linhagem Ele finalmente proverá um Salvador e um Soberano que redimirá e também reinará. Por meio de Abraão e seus descendentes, Deus proverá para um mundo perdido.

C. Ele foi ordenado a deixar sua terra natal, seus parentes e até mesmo seu pai, e essa foi a condição para Abrão experimentar as bênçãos dessa aliança.

D. A aliança Abraâmica inclui quatro promessas básicas:

1. Uma terra (12.1-7). Esta terra deveria estar na Palestina e se estender de Wadi El Arish ( rio do Egito) até o grande rio Eufrates. Seria a posse deles para sempre (Gênesis 13:14-17; 15:18).

NOTA: Do ponto de vista bíblico, Deus escolheu o lugar mais imoral da terra como o lugar para Sua nação viver.

2. Uma nação (12:2a). Israel deveria ser uma grande nação (Gênesis 13:14-17; 15:1-5).

NOTA: Deus fez essa promessa por volta de 2.050 a.C. e Israel se tornou uma grande nação 430 anos depois. Abraão teve que crer em Deus, para o que parecia impossível.

3. Uma Bênção Pessoal (12.2b-3a): Deus abençoaria Abrão, tornaria seu nome grande, seria uma bênção e todos os que abençoassem Abrão e sua semente seriam abençoados por Deus.

NOTA: A história mostra que aqueles que trataram os judeus como inimigos foram julgados por Deus (babilônios, assírios, romanos, nazistas e etc.).

4. Uma Bênção Internacional (12:3b): Isso foi realizado através das Escrituras pelas quais o povo de Abraão tem sido guardiões e canais, e também através do Salvador que era a SEMENTE (Gálatas 3:16) em um sentido particular e está disponível para o mundo (Mateus 28: 19-20; Atos 1:8; 13:46-48; Gálatas 3:26-29).

NOTA: Deus elegeu Israel para que o mundo inteiro tivesse a notícia da salvação (Êxodo 19:5-6; Amós 3:2, Isaias 44:8).

IV. A Resposta Inicial de Abraão. 12:4-9

A. Abrão agora tem uma resposta de fé. Ele foi obediente pela fé, mas não com uma obediência completa que se separava de seus parentes, a saber Ló. Mas ele começou a longa jornada para fazer o que Deus havia lhe dito. (12:4-5).

NOTA: Abrão, tão obediente na fé, foi chamado de "amigo de Deus" (2 Crônicas 20:7; Isaias 41:8; Tiago 2:23).

B. Abraão estava agora em comunhão com o Senhor e ele entrou em Siquém, que ficava bem no meio da terra Cananéia. E Deus apareceu a ele (o Cristo pré-encarnado) e reafirmou o aspecto de terra e semente da aliança. Abrão construiu um altar a Deus como um testemunho para os cananeus ateus (12:6-7).

NOTA: Quando os cristãos estão em comunhão com o Senhor, o Senhor se revela espiritualmente e os cristãos se tornam testemunhas ativas do Senhor.

C. Ele também entrou em Betel e construiu um altar (12:8). Abrão parece ter uma experiência no “topo da montanha” e está no ponto mais alto de sua vida espiritual.

V. A Insidiosidade da Incredulidade. (12:10-20)

A. Após a grande vitória de Abrão, vem uma prova para ver se ele continuaria confiando no Senhor. Ele agora tem uma resposta negativa de descrença. Uma fome chega à terra e Abrão não acredita que Deus seja capaz de suprir suas necessidades no meio dela. A vontade de Deus para Abrão deve estar localizada na terra de Canaã, não importa quais sejam as circunstâncias externas, Abrão se volta para suas próprias possibilidades naturais e adota um ponto de vista humano em relação à vida. Ele não confiou no Senhor, mas voltou-se para os recursos do Egito. O Egito é um tipo do mundo, na Bíblia.

NOTA: Abrão não tem comunhão com seu Deus, pois parou de confiar em Deus e voltou-se para sua própria força humana para resolver problemas. Seus olhos estavam mais nas circunstâncias do que no Senhor.

B. Culpado de recorrer a artifícios e inteligência humana, Abrão começa a abusar das pessoas. Ele aproveita a esposa para proteger sua própria pele. Ao representar sua esposa Sarai como sua irmã (na verdade, sua meia-irmã, 20:12) e criar a impressão de que ela não era sua esposa, ele estava mentindo. Ele usou a beleza dela e arriscou uma desonra trágica para ela em possíveis abusos dos egípcios para salvar seu próprio pescoço.

NOTA: Talvez Abrão tenha racionalizado esse ato dizendo a si mesmo que ele tinha que viver para ter um filho para cumprir a promessa de Deus. O que aconteceu com Sarai não foi importante. Isso é egoísmo.

C. Sarai era uma mulher bonita. Ela tinha cerca de 65 anos (10 anos mais jovem que Abrão, 75). À luz de sua vida útil total de 127 anos (23:1), ela era equivalente a uma mulher de cerca de 30 a 35 anos em termos de vida útil atualmente. Tão bonita era Sarai que atraiu os olhos dos príncipes, e até o faraó foi tomado por sua beleza.

D. Abrão lucrou com o negócio, pois ele recebeu um dote de Faraó por Sarai, e ele ficou ainda mais rico.

NOTA: Você pode ter certeza; no entanto, que Abrão era uma pessoa infeliz, pois seu coração não estava bem com o Senhor.

E. Exatamente quando parecia que Abrão havia projetado para si e sua esposa uma bagunça colossal, Deus interveio na graça para preservá-los e cumprir seu compromisso. O Senhor atormentou a casa do faraó. Provavelmente isso se refere a algum tipo de doença grave. Como o Faraó descobriu que essa doença era por abrigar Sarai, não sabemos. Talvez ele tenha tido um sonho ou Sarai lhe disse por que a doença em sua família.

NOTA: Quando um crente está fora da comunhão, ele torna todos à sua volta miseráveis, até os incrédulos.
F. O faraó repreende Abrão por esta má ação e manda Abrão e Sarai para fora do Egito.

NOTA: Como é triste o perverso Faraó ter que repreender um verdadeiro crente em uma questão de moralidade. Pensar que Abrão deixaria a mãe de uma raça escolhida viver em um harém.

G. Conclusão: As coisas vão de mal a pior quando um crente não está em comunhão com o Senhor. Abrão nunca deveria estar no Egito, mas quando ele chegou lá, deveria ter confessado seu pecado e se virado e voltado para Canaã. Ele não fez e o resultado foi confusão, mais pecado, frustração e desgosto.


Gostou Desse Esboço? Olha a Novidade Que Tenho Para Você!

Eu preparei um E-book Com 365 Esboços de Sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! CLIQUE AQUI para adquirir seu livro.

Postar Comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

Postagem Anterior Próxima Postagem