A Oração de Daniel: Setenta Semanas São Determinadas

A Oração de Daniel: Setenta Semanas São Determinadas
Texto: Daniel 9:1-27

Tema: Deus dá a Daniel uma visão da programação dos eventos que se seguirão após o retorno de seu povo à sua terra.

Daniel leu as Escrituras durante o primeiro ano do reinado do rei Dario Medo-Persa; e fez uma descoberta notável. O tempo do julgamento de Deus sobre o povo judeu - o tempo previsto em Jeremias 25:11-12 e 29:10-14 - estava chegando ao fim.

O cativeiro de setenta anos começou em 606 aC; e estava terminando com o decreto de Ciro de que o povo retornasse em 536 a.C. (veja Esdras 1:1-4). Daniel foi encorajado por isso a orar; e ele orou uma das maiores orações de intercessão registradas na Bíblia - uma oração, de fato, que recebeu uma resposta enquanto ele orava. O anjo Gabriel foi enviado a ele no final dos setenta anos, para contar de outros "setenta" ainda por vir.

Esta é a terceira das quatro visões proféticas de Daniel. Seu foco específico está no programa de Deus para Seu povo escolhido, os judeus, nos tempos que estavam por vir. Por ser especificamente “judeu” por natureza, não menciona muitos detalhes sobre o fim dos tempos que encontramos no Novo Testamento.

I. A Descoberta de Daniel da Escritura (vv. 1-2).

Essa descoberta ocorreu no primeiro ano de Dario (538 a.C.). Daniel leu muitos livros; mas particularmente o de Jeremias 25:11-12 e 29:10-14.

A oração de Daniel pode ter sido inspirada pelo que foi dito em Jeremias 29:12 no contexto do final profetizado do tempo do cativeiro: "Então me invocareis, e ireis e orareis a mim, e eu vos ouvirei"

II. A Oração de Daniel Por Seu Povo (vv. 3-19).

Daniel dirigiu seu rosto ao Senhor Deus para orar por seu povo. Observe a humildade com a qual ele orou. Sua oração consistia em adoração (v. 4), confissão (vv. 5-11a); admissão da justiça de Deus (vv. 11b-15); e um humilde pedido de misericórdia (vv. 16-19). E note que durante toda a sua oração - embora ele mesmo fosse um homem manifestamente justo - Daniel possuía a culpa de seu povo. Muitas vezes, ele disse "nós" e "nós". Este é um verdadeiro modelo de oração "intercessória"! (Faríamos bem em orar por nossa terra!)

III. A Revelação de Deus a Daniel (vv. 20-27).

Gabriel (o anjo mencionado em Daniel 8:16 e também em Lucas 1) veio a Daniel rapidamente - enquanto ele orava. Ele veio para dar a Daniel mais entendimento (vv. 20-23). E observe como Deus afirma seu amor por Daniel. Ele deu-lhe os detalhes do que ainda aconteceria ao seu povo depois de seu retorno à sua terra natal.

A figura usada é de “setenta semanas” (cada semana representando sete anos). O objetivo das setenta semanas é descrito no versículo 24. Ele descreve a conclusão da obra redentora de Cristo e a restauração do templo na terra. Envolve seis propósitos específicos que serão alcançados até o final das setenta semanas - seis propósitos que cumprirão a agenda profética de Deus para o povo judeu.

Os três primeiros tratam dos aspectos negativos dos pecados de Israel, e os três últimos lidam com o cumprimento positivo das promessas de Deus para com eles. Eles incluem:

1. O cessar da transgressão (isto é, a transgressão que trouxe o julgamento do cativeiro sobre o povo judeu).

2. O fim dos pecados (isto é, trazer um julgamento completo na cruz).

3. A realização da reconciliação pela iniquidade (que expressa completa expiação pelo pecado; que aponta para a obra expiatória de Cristo).

4. A entrada da justiça eterna (cumprimento da promessa de Jeremias 31:31-34).

5. O selamento da visão e da profecia (isto é, a conclusão da revelação profética de Deus).

6. A unção do Santíssimo (o que implica a reconstrução e santificação do futuro templo em Jerusalém).

Note que o verso 25 descreve as primeiras sessenta e nove das setenta semanas. Note também que elas são divididas em sete e sessenta e duas semanas.

1. As primeiras sete semanas começaram com o comando do rei Artaxerxes em 445 a.C. para reconstruir Jerusalém (Neemias 2:1-10); e terminou com a conclusão desse trabalho quarenta e nove anos depois. Este é um trabalho que, segundo nos é dito, seria realizado “em tempos angustiosos” (v. 25) - que são certamente os oponentes hostis ao trabalho descrito para nós em todo o livro de Neemias.

2. As últimas sessenta e duas semanas descrevem o período de 434 anos após a conclusão da reconstrução da cidade. Esse período culminou com a entrada de Jesus na cidade de Jerusalém para morrer por nós. Nos é dito que, no final deste período, “E depois de sessenta e duas semanas será cortado o ungido, e nada lhe subsistirá. . . ” (V. 26).

Um período intermediário de duração não revelado ocorreria entre o final das primeiras sessenta e nove semanas e o início da última semana. Esta última 'semana' também é apresentada como dividida em duas metades e envolverá a carreira do Anticristo. Esse período é chamado em outra parte do livro de Daniel de “e haverá um tempo de tribulação, qual nunca houve, desde que existiu nação até aquele tempo” (Daniel 12:1).

1. É precedido pelo "povo do príncipe que há de vir", destruindo a cidade de Jerusalém novamente (v. 26). As pessoas referidas são os romanos; e eles destruíram a cidade de Jerusalém em 70 d.C.

2. Depois de um período de tempo não revelado, o próprio príncipe (que é do império romano; veja Daniel 7:23-25) se levantará e confirmará uma aliança de sete anos com o povo judeu. Mas ele quebrará a aliança no meio deste período de sete anos e porá fim ao sacrifício e à oferta (v. 27). Os detalhes terríveis desse tempo são descritos para nós em Apocalipse 13.

Gostou desse esboço? Olha a novidade que tenho para você!

Eu preparei um e-book com 365 sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá á  disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! Clique Aqui para adquirir seu livro.

Nenhum comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!