Os perigos de pregar uma passagem fora do contexto

Os perigos de pregar uma passagem fora do contexto
"Não é isso o que eu quis dizer". Você já ouviu alguém fazer essa afirmação? Em algum lugar ao longo da linha, seus pensamentos, suas ideias, suas intenções foram mal interpretadas para que outros mal entendessem o que se dizia. Pode ser perigoso, você sabe. Uma palavra mal colocada em uma mensagem de texto, uma inflexão matizada na voz, uma pausa mal interpretada em uma conversa e de repente as coisas são percebidas de uma maneira que nunca foi planejada.

"Isso não é o que eu quis dizer!" Eu me pergunto com que frequência Deus diz isso durante a hora da pregação?

Nada é mais perigoso para a igreja de Jesus Cristo do que tirar uma passagem da Escritura fora do contexto. Grande parte da heresia e apostasia desenfreada que encontramos em nossa cultura é o resultado de pregações mal colocadas, imprecisas e sensivelmente carregadas em nossos púlpitos. Muitas vezes, quando os pregadores convidam a congregação a "ler um texto", eles acabam tirando um texto fora do contexto. Tal prática não só dilui o significado da passagem, mas expõe simultaneamente o povo de Deus à verdade mal interpretada, enfraquecendo assim a fé. Se você lê as epístolas pastorais de Paulo, você encontrará um tema contínuo: Pregar a Palavra, ser fiel ao texto, não ensinar nenhuma outra doutrina, repreender aqueles que abraçam o erro, ficar comprometidos com a exposição, ser um trabalhador, ser um mestre da palavra.

Esta é uma das principais razões pelas quais eu recorro à pregação expositiva. A pregação não deve ser uma plataforma de lançamento na atmosfera de nossos próprios pensamentos e opiniões; deve ser uma prancha de mergulho onde mergulhamos nas profundezas do que Deus já decretou. Quando Paulo disse: "nós temos a mente de Cristo", ele implicou que podemos saber o que Cristo pensa através do significado contextual de Sua Palavra. Portanto, o significado contextual da Escritura é a chave para a pregação bíblica.

Pense nisso. Nós recusamos informações fora do contexto de todos os outros locais da vida. Não nos atrevemos a tomar uma medicação sem conhecer os parâmetros. Não permitimos que nossos filhos saiam com alguém sem detalhes específicos. Nós não damos dinheiro a uma causa sem uma pesquisa adequada. Não nos oferecemos para trabalhar em alguma obra de caridade sem conhecer as ramificações físicas e emocionais. Verificamos as coisas, investigamos, consideramos todos os aspectos internos e externos para que possamos tomar boas decisões adequadas. A falta de fazê-lo resultará em uma vida problemática. Se isso é verdade na medicina, na educação infantil e nos assuntos financeiros, é exponencialmente verdadeiro quando se trata da pregação da Palavra de Deus.

Você pode perguntar, porque é tão perigoso tirar uma passagem da Escritura fora do contexto?

Porque permite que a opinião do homem usure a autoridade de Deus

Pergunte à maioria dos homens se eles são um "pregador da Bíblia" e eles responderão afirmativamente. Essa não é a questão. A questão é: eles estão dizendo o que Deus quis dizer na passagem? Só porque alguém abre uma Bíblia quando prega não significa que ele está dizendo o que a Bíblia diz.

Muitos pregadores usam a Escritura como ponto de partida apenas para validar seus próprios pensamentos e opiniões, reduzindo assim o texto sagrado a uma nota de rodapé ou apêndice de seu sermão. Este ato manipulador exalta os pensamentos dos homens sobre as palavras de Deus. A pregação é vazia da autoridade divina quando falhamos em dizer o que Deus disse, como Deus falou, quando Deus falou e onde Deus falou.

A pregação contextual considera a verdade de Deus na sequência, ordem e estrutura que pretendia o Espírito Santo. Quando um homem opera fora desse reino, ele está se aventurando em um território não ordenado por Deus; ele exalta seus pensamentos sobre os de Deus.

A verdade torna-se, na melhor das hipóteses, mal interpretada

Quando uma mensagem é misturada com apenas partes e parcelas da Escritura, quase sempre abre a porta para uma teologia defeituosa. O trabalho do pregador é proclamar a verdade clara, definitiva e objetiva da Palavra de Deus; mas quando sua mensagem é retirada do contexto, a "verdade" que ele proclama torna-se enlameada e turva de desinformação. Em seu volume clássico, a Pregação da Bíblia, Haddon Robinson observa:
"Com nossa ânsia de dizer algo útil para as pessoas que sofrem, podemos acabar dizendo algo que a Bíblia não diz. Podemos usar o texto da Escritura que achamos que apoia o que queremos dizer sem considerar a intenção do autor bíblico ou o contexto dos versos. Aqueles que querem abordar as necessidades sentidas de seu povo devem ser elogiados por seu desejo de serem relevantes. Ao mesmo tempo, não há maior traição de nossa vocação do que colocar palavras na boca de Deus".
"Colocar palavras na boca de Deus" leva ao erro, heresia, falsidades, falsas declarações e meias verdades. "Partes e parcelas da verdade", disse William Howells, "são as flechas mais envenenadas que voam do arco de Satanás". Isto é exatamente o que o diabo fez no jardim quando ele tentou nossos primeiros pais. Ele não negou completamente a Palavra de Deus, ele simplesmente tirou ela do contexto. Que advertência para todo pregador, chamado por Deus!

Os crentes desenvolvem fé e adoração superficial e vazia

A fé vem pelo ouvir a Palavra de Deus. Se a Palavra de Deus estiver vazia, deturpada ou distorcida de qualquer forma do púlpito, inevitavelmente e negativamente afetará aqueles que a ouvirem semana pós semana. Se o "justo viverá pela fé" e a palavra que se propaga do pregador é defeituosa, então o veredicto é conclusivo: a fé daqueles que ouvem consistentemente a pregação fora do contexto será uma fé inútil, ou pior ainda, fé falsa. Isso é claramente visto em nossa cultura americanizada de cristianismo.

Quando as diretrizes que estão sendo pregadas no púlpito não são claras, indistintas e borradas, a igreja se volta para o entretenimento, o emocionalismo e as táticas egoístas para despertar as multidões. Essa espiritualidade superficial e vazia é o resultado da pregação juvenil não bíblica.

O Espírito Santo é entristecido

O Espírito Santo só valida e aprova o que está sendo dito pelo pregador se o que o pregador diz é a verdade contextual da Escritura. Jesus confirmou isso ao chamar o Espírito Santo de "Espírito da verdade" (João 15:26). Jesus disse à mulher no poço que "Deus é Espírito; e os que o adoram devem adorá-lo em espírito e em verdade" (João 4:24). Deus, o Espírito, não pode mentir (Números 23:19, 1 João 1:10). Portanto, se uma mensagem é retirada do contexto, o Espírito Santo não pode e não dará testemunho da afirmação errada.

Seu caráter sagrado não permitirá tal coisa. Uma das razões pelas quais existe um espírito seco, frio, indiferente e apático em nossas igrejas é por causa da tristeza do Espírito na hora da exposição.
Ezequiel falou a Palavra aos ossos secos e mortos, e o vento do Espírito procedeu a dar vida àquilo que havia sido proclamado pelo profeta. Se o expositor falhar corretamente e contextualmente ao falar com os ossos, nunca haverá uma capacitação do Espírito de Deus.

O expositor cresce espiritualmente anêmico

A saúde da igreja está indubitavelmente ligada ao crescimento espiritual do expositor. Se o pregador da Palavra de Deus não conseguiu estabilizar sua própria ingestão espiritual com o consumo sistemático, sequencial e sucessivo da Escritura, ele será forçado a comprovar sua saúde em algum outro lugar.

Muitos pregadores recorrem a tópicos modernos e métodos modernos, vacilando assim com todos os novos truques no mercado religioso. O estudo exposicional, verso a verso e a pregação não exigem tal chicanaria.

Através da digestão contínua do leite e da carne das Escrituras, o pregador pode ancorar sua alma na mesa do fornecimento ilimitado de verdade de Deus. Ao pregar fora do contexto, o pregador reduz a quantidade de tempo que ele gasta em estudo e preparação sistemática. O resultado é que os homens não qualificados assumem uma tarefa não respaldada com uma mensagem não fundamentada para uma congregação não equipada.

A doutrina torna-se insignificante

Você já ouviu alguém dizer: "Deixe-me dizer o que esse verso significa para mim?" Essa é uma abordagem arriscada da Escritura, porque não importa o que um verso significa para você ou para mim. O que importa é o que o verso significa, em seu contexto.

O significado do verso é o significado do verso sem aditivos superficiais e anedóticos. A igreja conhece às suas doutrinas fundamentais através do significado contextual da Escritura; mas se um verso significa uma coisa para você e outra coisa para mim, toda a nossa doutrina está sujeita a um pensamento e um gesto caprichoso.

A Escritura, fora do contexto, não dá fundamentos doutrinários dogmáticos, e sem o fundamento, a casa está destinada a cair. Esta realidade se desenvolveu em nossa cultura, onde a verdade doutrinária não é ensinada, abraçada ou mesmo pouco compreendida pela liderança, e muito menos pela congregação.

Deus não é glorificado

A Bíblia diz no Salmo 138:2: "...pois engrandeceste acima de tudo o teu nome e a tua palavra". Santo é o nome de Deus, indescritível e não escrito aos antigos de antigamente. No entanto, aqui, o salmista declara a glória e a majestade da Palavra de Deus. A façanha mais horrivelmente imaginável de qualquer expositor é manejar mal o que Deus magnificou acima de Seu próprio nome.

Tirar uma passagem de contexto não só despoja o pregador de sua autoridade, como também oculta a glória que Deus deseja manifestar ao Seu povo. Se Deus quisesse que Sua Palavra fosse compreendida e conhecida de outra maneira, ele teria escrito e ordenado assim; mas Ele nos deu como é, portanto, para a glória de Deus, que possamos dar aos homens da mesma forma, no contexto!

Gostou desse esboço? Olha a novidade que tenho para você!

Eu preparei um e-book com 365 sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! Clique Aqui para adquirir seu livro.

MAIS EBOOKS E CURSOS

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!