30 de setembro de 2017

Série: Jesus No Evangelho De João - Jesus: O Redentor Ressuscitado
Série: Jesus No Evangelho De João - Jesus: O Redentor Ressuscitado
Texto: João 20:1-18

Introdução: Hoje, enquanto examinamos a preciosa Palavra de Deus, veremos um retrato emocionante e maravilhoso de Cristo.

As últimas semanas não foram fáceis de olhar ou considerar, mas esta semana ... nós celebramos a grande verdade de que Jesus Cristo, que foi crucificado em uma cruz romana e morreu, ressurgiu dos mortos apenas três dias depois!

João revela-nos um retrato de Jesus: O Redentor Ressuscitado!

Esta única verdade é o que separa o cristianismo de todos os outros sistemas de crença no mundo!

Todos os outros líderes religiosos morreram. Buda morreu! Mohammed morreu! Confúcio morreu! Todos os fundadores de todas as religiões que já existiram morreram. No entanto, somente JESUS ressuscitou dos mortos!

Se Jesus não ressuscitasse dos mortos e não estivesse vivo hoje, então tudo o que Ele fez seria em vão, Sua morte seria um desperdício de vida e todos os Seus ensinamentos seriam simplesmente os delírios de um louco!

Sem a ressurreição de Cristo, o cristianismo seria apenas outra religião morta.

Se Jesus Cristo não está vivo, então não temos salvação, não há esperança para o mundo e todos estamos indo para o inferno!

Mas ... Ele está vivo! Ele esteve morto..., mas Ele não ficou morto! Ele ressuscitou no terceiro dia, assim como Ele disse que o faria!

Observe os personagens em nosso retrato hoje do Redentor Ressuscitado.

I. Maria. v. 1-11

A. Sua descoberta
1. Maria foi ao túmulo bem antes do amanhecer do dia.
2. Quando ela chega, ela descobre que a pedra tinha sido removida e o túmulo estava vazio.
3. Imediatamente, ela corre para encontrar os discípulos de Jesus e ela diz-lhes que o corpo de seu Senhor não está no túmulo.
4. Quando ouviram esta notícia, Pedro e João correram para o túmulo para ver o que aconteceu.
5. Quando chegaram, ambos viram os panos de linho deixados ali e o lenço que estivera sobre a cabeça de Jesus enrolado, em um lugar à parte, v. 5-7.
6. Depois que eles viram essas coisas, eles retornaram para suas casas.
7. João, pelo menos, acreditava que o Senhor Jesus estava vivo dentre os mortos, v. 8.

Nota: A Bíblia diz que os panos de linho estavam "enrolados" = ainda entrelaçados, exatamente como estavam quando foram enrolados pela primeira vez em torno de Seu corpo sem vida. As especiarias funerárias teriam endurecido os panos ao redor do corpo e teriam formado um casulo, mas estava vazio!

Se o corpo tivesse sido levado por ladrões de túmulos ou outros, os envoltórios ao redor do corpo não teriam sido removidos, e se eles tivessem sido removidos, eles não teriam sido deixados de forma tão ordenada.

Então, há a questão do lenço. Se o corpo tivesse sido removido por outros, o lenço simplesmente ficaria lá onde havia caído. Em vez disso, tinha sido dobrado e colocado em um lugar à parte. Tudo fala de calma e ordem no túmulo vazio de Jesus!

B. Sua devoção. v. 11
1. Pedro e João se afastaram do túmulo, mas Maria ficou para chorar e lamentar a perda de seu Senhor.
2. Por que ela ficou? Porque ela amava Jesus!
3. A Bíblia nos diz que Maria havia sido libertada de uma vida de profundo e terrível pecado.
4. Ela amava Jesus pelo que Ele havia feito em sua vida.
5. Ela era devotada a ele.
6. A alma redimida amará o Senhor Jesus!
7. Quando você parar para pensar em tudo o que Ele fez em sua vida, como você não pode amá-Lo?
8. Maria define o exemplo certo de amor e devoção para todos os seguidores do Senhor.
9. A questão que vem à mente nesta noite é: "Nós o amamos como deveríamos?"

C. Sua escuridão. v. 11
1. Maria tinha os olhos focados na evidência física e não na resposta espiritual.
2. Tudo o que ela viu foi um túmulo vazio.
3. Nunca entrou em sua mente considerar a maior verdade de que Jesus estava vivo.
4. Muitos cristãos vivem como se acreditassem que Jesus estivesse morto.
5. Não há alegria nem excitação em suas vidas.
6. Não há desejo ardente profundo de adorar e servir ao Deus que nos buscou e nos comprou pelo Seu amor e morte na cruz.
7. Muitas vezes agimos como se estivéssemos presos em alguma religião morta que mata nossa alegria e nos deixa sentindo miseráveis.
8. Crente, posso lembrá-lo nesta noite de que servimos ao Cristo que foi ao Calvário, morreu por causa do pecado e, três dias depois, ressurgiu da morte para viver para sempre!

Eu sirvo um Salvador ressuscitado; Ele está vivo hoje; eu sei que ele está vivo; não importa o que os homens possam dizer.

II. Dois anjos. v. 12-13

A. A presença deles.
1. Havia dois anjos no túmulo.
2. Estes anjos foram enviados de Deus para testemunhar a verdade de que Jesus estava vivo dos mortos.
3. A mensagem deles é uma esperança absoluta e uma garantia perfeita! Mateus 28:5-6 “Mas o anjo disse às mulheres: Não temais vós; pois eu sei que buscais a Jesus, que foi crucificado. Não está aqui, porque ressurgiu, como ele disse. Vinde, vede o lugar onde jazia”

B. O propósito deles
1. Eles estavam sentados no túmulo.
2. Parece que eles estavam ali para dar a Maria a calma garantia de que Jesus não foi roubado durante a noite ...
3. Mas, na realidade, ele estava vivo!
4. Maria estava chorando porque não entendia essa maravilhosa verdade.
5. É como se eles estivessem perguntando: "Este túmulo vazio não remete a alegria?"
6. Mas, Maria, como muitos de nós, parecia determinada a viver por vista, em vez de andar pela fé.
7. Muitas vezes, não conseguimos descobrir grandes bênçãos espirituais porque nos recusamos a olhar abaixo da superfície para ver o que o Senhor está tentando tão desesperadamente nos revelar!

III. Jesus

A. A confusão de Maria. V. 14
1. Em seu choro, ela percebe que ela não está sozinha no túmulo.
2. Ela vê um homem parado diante dela, mas não reconhece que é Jesus.
3. Ela continua chorando.
4. Não é assim conosco?
5. Temos a promessa dele - Hebreus 13:5, no entanto, deixamos de vê-lo em nossas circunstâncias uma e outra vez.
6. Ele é um Salvador ressuscitado e Ele sempre está envolvido no que envolve você.
7. Se você olhar, você sempre encontrará Jesus durante seu tempo de necessidade.

B. A confrontação. v. 15
1. Jesus agora faz duas perguntas a Maria que são projetadas para expô-la à verdade.
2. Porque choras? - Por que você chora quando você pode se alegrar?
3. Quem você está procurando entre os mortos? - Por que você procura por Ele que esteja vivo entre aqueles que estão mortos.
4. Essas perguntas foram destinadas a lembrar a Maria que Jesus é:
a. A ressurreição e a vida - João 11:25
b. O Príncipe da Vida - Atos 3:12
c. Aquele que daria a Sua vida e a tomaria novamente - João 10:18
d. O Caminho, a Verdade e a Vida - João 14:6

C. O chamado. v. 16-17
1. Quando Maria não responde às Suas perguntas, o Senhor simplesmente a chama pelo nome e diz com ternura "Maria".
2. Não é bom saber que Deus sabe nosso nome?
3. Ouça a voz do Pastor chamando uma ovelha que luta. João 10:27 “As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu as conheço, e elas me seguem”

D. A ordem. v. 17b-18
1. É uma mensagem incomum.
a. Maria foi convidada a dizer aos Discípulos que Jesus estava vivo e que Ele ascendeu de volta ao Pai.
b. Era para ser uma mensagem de esperança e benção para aqueles que lamentavam a Sua morte.
c. Este tipo de mensagem não era entregue todos os dias!
2. É uma mensagem imutável
a. Jesus está vivo!
b. E isso nunca mudará.
c. Ouça o que Jesus disse a João em Apocalipse 1:18 “e o que vivo; fui morto, mas eis aqui estou vivo pelos séculos dos séculos; e tenho as chaves da morte e do inferno”.
3. É uma mensagem universal.
a. Ainda somos ordenados a vir e ver, então vamos e contamos.
b. O mundo precisa ouvir de um povo que esteve no túmulo e sabe que Jesus está vivo.
c. O mundo precisa ouvir sobre o Salvador que servimos!
d. Todos os que vão ao túmulo e veem, e quem coloca sua fé no Senhor Jesus Cristo serão salvos de seus pecados e nascerão de novo.

Conclusão: Em toda a história humana registrada, a mensagem mais importante que já foi ouvida é esta: "Ele não está aqui, pois Ele ressuscitou".
Você conhece o Salvador ressuscitado?
Você está confiando em Jesus para a salvação de sua alma?
Como cristãos, estamos indo fielmente e contando aos outros?
Você conhece Jesus?

21 de setembro de 2017

Perguntas de Jesus No Evangelho de Mateus
Perguntas de Jesus No Evangelho de Mateus
Texto: Mateus 22:41-42

Introdução: Um método de ensino eficaz envolve fazer perguntas.

Jesus fez perguntas em diferentes ocasiões.

Várias vezes no livro de Mateus, Jesus fez perguntas.

Neste sermão, vamos analisar esses exemplos e ver o que podemos aprender com eles.

1. Porque Jesus fez perguntas?

A. Não é porque a verdade é subjetiva - há um padrão objetivo da verdade (João 17:17)
B. É porque Ele quer que eu raciocine (Isaías 1:18; Atos 17:2-3)
C. Deus quer que conheçamos e sejamos convencidos da verdade (1 Timóteo 2:4; 2 Timóteo 3:14), não apenas saber da verdade; precisamos conhecer a verdade por nós mesmos (Romanos 14:4-5)

Perguntas de Jesus...

2. De quem cobram os reis da terra imposto ou tributo?

A. Pergunta - sobre se Jesus pagaria o imposto pelo serviço do templo (Mateus 17:24-27, ver Êxodo 30:12-16) - alguns devem ter pensado que Jesus não o pagaria; Pedro afirmou que Ele pagaria
B. Resposta - os reis não cobram impostos de seus próprios filhos
C. Implicação - Jesus, como o Filho de Deus, estava isento de tributos para a casa de Deus (João 2:16)
D. Lição - devemos nos esforçar para não ofender desnecessariamente outros (1 Coríntios 8:4-13); não significa que devemos comprometer a verdade, significa que deixamos a porta aberta para ensinar a verdade

3. Um homem procurará uma ovelha extraviada?

A. Pergunta - sobre se um pastor procuraria uma ovelha desaparecida de entre uma centena (Mateus 18:12-14) - a ovelha é muito valiosa para desistir como perdida; o pastor se importa demais com as ovelhas
B. Resposta - o pastor sai para procurar a ovelha perdida
C. Implicação - cada indivíduo é importante para o Senhor (João 3:16; Atos 10: 34-35; 2 Pedro 3:9)
D. Lição - há segurança no aprisco (João 10:27-29); aqueles que estão devem permanecer, os que saem devem retornar, e os que estão fora devem ser trazidos (1 Pedro 2:25)

4. Qual filho fez a vontade de seu pai?

A. Pergunta - sobre qual dos dois filhos obedeceu seu pai (Mateus 21:28-32) - o primeiro filho inicialmente disse que não trabalharia, mas depois obedeceu; O segundo filho inicialmente prometeu trabalhar, mas não obedeceu
B. Resposta - o filho que fez o que o pai ordenou foi o que obedeceu
C. Implicação - os cobradores de impostos e as prostitutas entrariam no reino adiante dos principais sacerdotes e anciãos
D. Lição - nossas ações são importantes para apoiar nossas palavras (1 João 3:18) e corrigir os pecados passados ​​(Mateus 3:8)

5. Que pensais vós do Cristo? De quem é filho?

A. Pergunta - sobre o Cristo e de quem ele é filho (Mateus 22:41-46)
B. Resposta - o Cristo é filho de Davi
C. Implicação - o Cristo era mais do que o filho de Davi, Ele também era seu Senhor (Mateus 22:43-44; Atos 2:29-36)
D. Lição - precisamos estar dispostos a mudar nosso pensamento quando não se harmoniza com a verdade (Tiago 1:21; Atos 17:11; 1 Tessalonicenses 2:13)

Conclusão

A. Deus nos criou com a capacidade de pensar - Ele nos deu Sua palavra e espera que meditemos nela
B. Mas não basta apenas conhecer a verdade, devemos obedecer (Tiago 4:17; 1:22)
C. Examine-se a si mesmo (2 Coríntios 13:5) - O que você acha?
D. Você está bem perante Deus? - Se não está, esse é o momento de acertar a sua vida com Deus

20 de setembro de 2017

Série: Jesus No Evangelho De João - Jesus: O Rei Crucificado
Série: Jesus No Evangelho De João - Jesus: O Rei Crucificado
Texto: João 19:1-18

Introdução: Em 7 de dezembro de 1941, as forças armadas japonesas bombardearam a base naval dos EUA em Pearl Harbor, no Havaí. O presidente Roosevelt emitiu um discurso através de rádio no dia seguinte que descreveu o evento como um "dia que viverá na infâmia".

O dicionário de Webster descreve a infâmia como: "desgraça, desonra, grande maldade". Ouvi o assassinato do presidente Kennedy descrito como o dia mais "infame" na história dos Estados Unidos. Isso pode muito bem ser verdade. Talvez o dia que chega a nossa mente nesta noite como uma inclusão mais recente dos dias infames da história seria 11 de setembro de 2001. No entanto, eu gostaria de levá-lo no tempo para um dia a mais de 2.000 anos atrás, que será para sempre como o máximo dia infame na história da humanidade.

Naquele dia, a humanidade ergueu o punho rebelde contra o Todo-Poderoso. Naquele dia, o Filho de Deus tornou-se o Cordeiro morto desde a fundação do mundo. O dia em que Jesus Cristo foi crucificado é o dia mais infame da história do mundo. O retrato de Jesus está noite não é uma imagem bonita. É o retrato de Jesus: O Rei Crucificado.

I. O Rei Crucificado Suportou:

A. Grande sofrimento:
1. Jesus Cristo foi submetido ao ridículo e à vergonha.
a. Por roubo ou assassinato, um escravo romano era desnudo e crucificado.
b. O sem pecado Filho de Deus recebeu o mesmo tratamento vergonhoso.
c. Hebreus 12:2 nos diz que Ele "suportou a cruz desprezando a vergonha".
d. O pecado e a vergonha não podem ser separados, de modo que Ele suportou o pecado. Ele também sofreu a vergonha.
e. É um fato trágico que muitos hoje, que professam ser cristãos, tem vergonha daquele que suportou a vergonha no Calvário.
2. Jesus Cristo foi espancado severamente.
a. Ele foi levado e açoitado na mão de um especialista.
b. O instrumento era um "flagelo", que era composto por uma alça de madeira à qual estavam presas longas tiras de couro com pedras e metal costurado às pontas.
c. Com cada golpe, a carne e o tecido muscular eram literalmente rasgados do corpo.
d. A sentença máxima foi de 39 cílios, porque ninguém poderia sobreviver a 40 açoites
3. Jesus Cristo foi zombado e desprezado por aqueles que deveriam ter feito amizade com ele.
a. Ele veio para os seus, mas os seus não o receberam.
b. "Eles disseram: "Crucifica-o!"
c. Então Jesus foi levado e pregado na cruz por ordem de Pilatos.
d. A quantidade de sofrimento que Ele suportou por nós na cruz ultrapassa nossa imaginação.

B. Morte física:
1. Ele morreu uma morte voluntária.
a. João 10:11: "... o bom pastor dá sua vida pelas ovelhas".
b. Ele disse: "... ninguém ma tira de mim, mas eu de mim mesmo a dou".
2. Ele morreu uma morte substitutiva.
a. Jesus morreu por você e eu, junto com o resto da humanidade.
b. Pedro disse: "levando ele mesmo os nossos pecados em seu corpo sobre o madeiro..." 1 Pedro 2:24
c. Paulo escreveu: "... que se deu a si mesmo por nós para nos remir de toda a iniquidade..." Tito 2:14
3. Ele morreu uma morte necessária.
a. Romanos 6:23: "O salário do pecado é a morte ..."
b. Ele teve que morrer e derramar Seu sangue por nós.
c. "Sem derramamento de sangue não há remissão", Hebreus 9:22
d. Como o cordeiro era sacrificado e o sangue era derramado como expiação ... da mesma maneira o Cordeiro de Deus derramou Seu sangue no Calvário para expiar nossos pecados de uma vez por todas!

II. O Rei Crucificado Observado.

A. Havia os espectadores.
1. Eram aqueles que vieram assistir Sua crucificação, com apatia.
2. Eles eram indiferentes ao Seu sofrimento e à injustiça e ao ódio que o colocou lá.
3. Eles nunca odiaram a Cristo, eles simplesmente não se preocupavam com Ele.
4. Isto pode ser visto melhor, quando os soldados lançaram sortes por Suas vestes enquanto ele sofria a agonia da cruz.

B. Havia os inimigos.
1. Os escribas, sacerdotes e governantes dos judeus.
2. Eles haviam procurado por algum tempo uma maneira de silenciar Sua mensagem para o povo, e agora eles estavam gostando do acontecido.
3. Ele revelou seus modos perversos e hipócritas e eles buscavam alívio de Suas palavras de convicção.

C. Havia os amigos.
1. É triste, mas essa era a multidão menor naquele dia.
2. Apenas um punhado de amigos simpatizantes que não se envergonharam de serem reconhecidos como aqueles que o amavam.
3. O grupo consistia principalmente de mulheres, apenas João e talvez Pedro, estava disposto a serem identificados com Ele na Sua morte.
4. As grandes multidões que foram alimentadas com peixes e pães não estavam lá, muitos que foram curados por Seu toque amoroso não foram encontrados, e apenas alguns seguidores consagrados estavam à disposição quando Ele morreu.

D. As multidões são as mesmas hoje.
1. Há aqueles que odeiam o som de Seu nome.
a. Eles não querem nada com Cristo ou Sua igreja.
b. Eles estão muito preocupados com seus próprios planos e objetivos.
c. Muitos andam no pecado e usam seu tempo, talentos e influência para Satanás.
2. Há tantos hoje que são apenas indiferentes.
a. Eles não odeiam a Cristo, mas eles não parecem importar-se com o fato de Ele ter morrido por eles.
b. Eles se contentam em viver suas vidas como se não houvesse eternidade.
c. Eles são frios e insensíveis em relação à Sua igreja e ao Seu povo.
3. Graças a Deus, há aqueles que o amam, e não tem vergonha de se identificar com Ele.
a. Eles são fiéis para servi-lo da maneira que puderem.
b. Eles procuram dizer aos outros sobre a Sua maravilhosa graça salvadora.
c. Eles são fiéis a Ele em suas vidas diante dos demais.

III. O Rei Crucificado Assegurou:

A. O amor e o sacrifício de Deus.
1. "Porque Deus amou tanto o mundo que deu o seu filho unigênito ..."
a. Quando Deus deu Seu Filho, não foi com alguma expectativa que Ele pudesse, de algum modo, escapar da maldita morte de Cruz.
b. Deus não tinha esperança de salvar homens, senão pela morte de Seu Filho.
c. Assim também, o homem não tem esperança de ser salvo, senão através do poder da Cruz.
d. Atos 4:12: "E em nenhum outro há salvação; porque debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, em que devamos ser salvos"
2. "e andai em amor, como Cristo também vos amou, e se entregou a si mesmo por nós, como oferta e sacrifício a Deus, em cheiro suave" Efésios 5:2
a. A cruz representa o amor do Pai e o sacrifício de Deus, o Filho.
b. A mensagem da Cruz é a mensagem do amor infinito e imerecido.
c. Somente Deus poderia amar os pecadores o suficiente para dar Seu único Filho ao sacrifício pelos nossos pecados.
d. "Mas Deus dá prova do seu amor para conosco, em que, quando éramos ainda pecadores, Cristo morreu por nós" Romanos 5:8

B. Redenção e salvação do homem.
1. O plano de redenção foi estabelecido antes da fundação do mundo.
a. João Batista identificou Jesus como o "Cordeiro de Deus que tira os pecados do mundo" João 1:29
b. Mas o livro de Apocalipse nos diz que Ele é o "Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo", Apocalipse 13:8
2. Esse plano foi concluído quando Jesus clamou: "Está consumado!"
a. Ele veio dar a Sua vida em resgate por muitos.
b. Jesus teve que morrer de acordo com o plano de redenção de Deus.
c. Uma vez que a redenção foi consumada, a salvação está dentro de cada pessoa.
d. "Em quem temos a redenção através do Seu sangue, o perdão dos pecados ..." Efésios 1:7
  • O rei crucificado suportou grande sofrimento e morte física ...
  • O rei crucificado observou as multidões de pessoas sobre a cruz ...
  • O rei crucificado assegurou a cada um de nós o amor e o sacrifício de Deus, resultando em nossa redenção e salvação ...
Conclusão: Ao vê-lo hoje, ele é o rei crucificado ... você já o recebeu como seu Salvador pessoal? Você está aguardando pelo seu retorno como nosso Soberano Senhor? Venha hoje, seja qual for a necessidade ... o rei crucificado deu a sua preciosa vida por você e por mim.

11 de setembro de 2017

Série: Jesus no Evangelho de João - Jesus: Nosso Salvador Sofredor
Série: Jesus no Evangelho de João - Jesus: Nosso Salvador Sofredor
Texto: João 18:1-40

Introdução: Em nosso estudo do Evangelho de João, vimos alguns retratos maravilhosas de nosso Salvador. No entanto, os próximos retratos de Cristo não são fáceis de ver. "Não é uma imagem bonita!"

Historicamente, a humanidade procurou afastar os olhos do que aconteceu com Jesus. Alguns optam por negar que ocorreu, e outros se recusam a reconhecer a importância do sofrimento do nosso Salvador, mas esta noite é exatamente o que eu quero que vejamos.

Ao olhar para as páginas da Palavra de Deus, percebemos que o sofrimento de Jesus foi por você e por mim.

1 Pedro 2:24 “levando ele mesmo os nossos pecados em seu corpo sobre o madeiro, para que mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; e pelas suas feridas fostes sarados”.

I. Ele sofreu em Sua prisão. v. 1-12

A. O Jardim do Getsêmani.
1. O nome significa 'prensa de óleo'.
2. Simbólico do que aconteceria.
3. Jesus estava prestes a ser prensado nos eventos que cercariam Sua crucificação.
4. Ele havia dito a Seus discípulos que isso ocorreria, então nada disso seria uma surpresa para Ele.
5. Ele voluntariamente entregou a Sua vida por nós.

B. A traição de Cristo.
1. Judas sabia onde ele estaria.
a. Tenha em mente que Judas havia deixado o Senhor e os outros discípulos antes.
b. Ele agora aparece com uma multidão diferente.
c. As pessoas sempre irão onde seus corações estão.
d. É claro que eles procuravam causar dano ao Senhor; eles vieram com armas.
2. Eles foram saudados pelo poder daquele que chamou o mundo a existência.
a. Nota v. 4, "Sabendo, pois, Jesus tudo o que lhe havia de suceder..."
b. Não há surpresas aqui ... Jesus conhecia seus corações e sabia que eles estavam lá para levá-lo.
c. Observe como Jesus os atordoou quando usou o nome divino, "EU SOU”
d. Que ironia ... a multidão veio com armas para prender Jesus ... mas eles não tinham nenhum poder contra ele.
e. Depois de se levantarem do chão, Jesus perguntou: "A quem buscais?"
f. No verso 8, Jesus advertiu os discípulos para que se afastassem, para que não entrassem em problemas.

C. A desobediência de Pedro.
1. O Senhor advertiu-os a sair, mas Pedro escolheu permanecer.
2. Em sua insolente desobediência, Pedro atacou Malco, o servo do sumo sacerdote.
3. Jesus repreendeu Pedro e depois curou a orelha do servo. Lucas 22:50-51 “Então um deles feriu o servo do sumo sacerdote, e cortou-lhe a orelha direita. Mas Jesus disse: Deixei-os; basta. E tocando-lhe a orelha, o curou-o”.
4. Ao usar a espada, Pedro definitivamente desobedeceu a Cristo.
a. Pedro teve o motivo errado, atuou sob ordens erradas e surgiu os resultados errados.
b. Quão gracioso de Jesus curar Malco e proteger Pedro contra os danos.
5. Não é incrível que, mesmo depois de tal demonstração do poder Divino, a multidão ainda prendeu Jesus e o conduziu.
6. Esta é uma clara indicação de que os homens não regenerados são cegos às realidades espirituais. 2 Coríntios 4:4 “nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus”.

II. Ele sofreu nas mãos do sumo sacerdote. v. 13-27

A. A negação Pedro: o que aconteceu lá fora.
1. No Cenáculo, Pedro se gabou três vezes de que ele permaneceria fiel a Cristo.
2. No Jardim, ele tinha dormido três vezes quando ele deveria estar orando.
3. Agora vemos que ele negou o Senhor três vezes.
a. No Cenáculo, Pedro caiu na armadilha do diabo.
b. No Jardim, ele cedeu à fraqueza da carne.
c. E agora no pátio, ele se renderia às pressões do mundo.
4. Enquanto Cristo estava sofrendo, Pedro estava se aquecendo no fogo do mundo.

B. A frustração do sumo sacerdote: o que estava acontecendo lá dentro.
1. Agora que eles tinham Jesus, parece que eles não sabiam o que fazer com ele.
2. Eles o questionaram e provocaram.
3. Eles procuraram testemunhas falsas para testemunhar contra Ele, mas tiveram problemas para encontrar algo que pudesse ser credível.
4. Finalmente, eles o levaram a Pilatos e, quando perguntado quais eram as acusações, rodearam o assunto. V. 29-30

III. Ele sofreu nas mãos de Pilatos. v. 28-40

A. Considere os aspectos ilegais do julgamento de Cristo.
1. Foi realizada de noite.
2. O preso foi considerado culpado e foi tratado dessa maneira.
3. O tribunal contratou falsas testemunhas.
4. O juiz permitiu que o prisioneiro fosse maltratado enquanto estava amarrado.
5. O tribunal não permitiu ao acusado nenhuma defesa.

B. Após a zombaria de um julgamento, os sacerdotes levaram Jesus a Pilatos pela sentença de morte final.
C. A indecisão de Pilatos.
1. Pelo menos sete vezes, Pilatos saiu do pretório para falar com os judeus lá fora, tentando chegar a um acordo.
2. Pilatos crucificou Cristo porque era um covarde, "querendo satisfazer a multidão" (Marcos 15:15).
3. Cristo explicou a Pilatos a natureza espiritual de Seu reino, mas não explicou Sua afirmação: "Meu reino não é deste mundo".
4. Se os judeus o recebessem, Ele poderia ter estabelecido Seu reino na Terra.
5. Mas eles o rejeitaram, pois, o seu reino é de natureza espiritual, dentro dos corações das pessoas.

D. A escolha do povo.
1. O mundo sempre faz a escolha errada quando se trata de assuntos espirituais.
2. A multidão preferiu um ladrão e assassino ao Príncipe da Vida!
3. Eles escolheram o infrator da lei, e não o Legislador!
4. Os judeus rejeitaram seu verdadeiro Messias, mas um dia aceitarão o falso Messias de Satanás, o anticristo. João 5:43 “Eu vim em nome de meu Pai, e não me recebeis; se outro vier em seu próprio nome, a esse recebereis”.

E. Os homens rejeitam Jesus por diferentes razões.
1. Judas rejeitou Cristo porque ele ouviu o diabo.
2. Pilatos ouviu o mundo
3. Herodes obedeceu à carne.
4. "por costume que eu vos solte alguém", disse Pilatos (18:39).
a. Que triste que Pilatos conhecia os costumes religiosos, mas não conhecia Cristo!
b. As pessoas são assim até hoje, com o cuidado de observar feriados e costumes religiosos, mas ignorantes do Salvador do mundo.
c. Rejeição significa julgamento eterno, mas fé significa vida eterna.
d. Todos devem tomar sua própria decisão.

Conclusão: Jesus tornou-se nosso Salvador Sofredor, não por causa de Sua incapacidade de resistir aos poderes religiosos, mas por causa de Seu grande amor por você e por mim. Jesus sofreu as injustiças do homem pecador, para que possamos desfrutar das bênçãos da vida eterna. Não é um retrato bonito. Talvez seja uma imagem que gostaríamos de esquecer, mas não podemos.

1 Pedro 3:18 “Porque também Cristo morreu uma só vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus; sendo, na verdade, morto na carne, mas vivificado no espírito”

Você conhece pessoalmente a Cristo? Você nasceu de novo, purificado pelo sangue dele? Estamos vivendo para ele, ou estamos negando a ele? Deus possa lidar com nossos corações na graça esta noite.