Tirai a pedra 2

Tirai a pedra II
Texto: João 11:39
“Disse Jesus: Tirai a pedra. Marta, irmã do defunto, disse-lhe: Senhor, já cheira mal, porque está morto há quase quatro dias”
Precisamos voltar a crer no sobrenatural, a entender que a razão é dom de Deus, mas que nunca pode reger as ações da igreja. Um livro de Enéas Tognini, que li no início de meu ministério, tinha este título: “Tirai a pedra”. Sua linha, que muitos têm seguido, é que há pedras por tirar em nossa vida para que o poder de Jesus se manifeste. Apesar da simplicidade, não foi um escrito banal. Com habilidade, Tognini expôs seu argumento, evitando a banalidade.[post_ad]Sem o brilho dele, gostaria de mostrar dois aspectos, apenas, que também me parecem relevantes.
O primeiro é a racionalidade de Marta argumentando que Lázaro estava morto há quatro dias, e que o corpo cheirava mal. Estava coberta de razão. Dava para sentir o cheiro. Jesus opõe à racionalidade de Marta sua necessidade de crer. Ela precisa crer. Isto me é particularmente instrutivo.
Sou muito racionalista e custei muito a submeter a razão, por completo, ao poder de Jesus. Não que fosse incrédulo. Marta também não o era. Mas eu “colocava a razão a serviço de Cristo”, mais que submetia a razão a Cristo. São coisas diferentes. Mas me parece que muitos de nós, crentes, igrejas e instituições temos perdido a capacidade de crer no poder transformador de Jesus, em sua infinita capacidade de mudar situações. Trocamos a fé por análises sóbrias, bem fundamentadas e racionais (talvez “racionalistas” soe melhor) da situação.
Assim transformamos o evangelho em algo sem poder, sem atrativo, apenas informações sobre Deus. Tiramos sua sobrenaturalidade e colocamos a cognição em seu lugar. A vida abundante com Jesus se torna ter informações sobre Jesus. É um empobrecimento do evangelho.
O segundo é que o homem que já se decidiu trazer Lázaro do mundo dos mortos, e tinha autoridade para tal, poderia fazer a pedra desaparecer. Ou invocar anjos para arrastá-la. Mas tirar Lázaro da morte só ele pode fazer. Tirar pedras é com os homens. Uma parceria, digamos assim, para o andamento da obra de Deus. Ele faz o impossível. O possível, nós devemos fazer, crendo nele, e sob sua orientação. Se tirassem a pedra antes, nada adiantaria. Se deixassem para depois, também seria inútil. Agir sob a orientação de Jesus e crendo no seu poder.
Mas a resposta do Salvador à objeção de Marta é digna de nota: “Não te disse que, se creres, verás a glória de Deus?” (v. 40). Ele não disse: “Se planejares”. Ou “Se fores bem racional”. Ou “Se usares as modernas técnicas de arrastamento de pedra”. Nem ainda “Façam um cursinho sobre como arrastar pedras”. Disse “Se creres”. Somos chamados a crer no irracional, no impossível, no que os homens não conseguem nem podem explicar.
Cuidado para não rebaixarmos o evangelho ao reino do possível ou trazer a igreja para o degrau do “Só o que foi bem planejado tem possibilidade de dar certo”. O que faz tudo dar certo é o poder de Cristo. Precisamos voltar a crer no sobrenatural, a entender que a razão é dom de Deus, mas que nunca pode reger as ações da igreja, e que nossa vocação é para sempre esperarmos dele o desconcertante.
“Verás a glória de Deus”. Nós a vemos quando cremos de todo coração que ele pode fazer o impossível. Para que aconteça conosco só o possível não precisamos dele. Mas ele é o Senhor exatamente para se glorificar na nossa impossibilidade e com nossa obediência. Creiamos.

Autor: Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho

Gostou desse esboço? Olha a novidade que tenho para você!

Eu preparei um e-book com 365 sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá á  disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! Clique Aqui para adquirir seu livro.

Nenhum comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!