Ana: A oração persistente de uma mãe
Texto: 1 Samuel 1:1-11

Introdução: Todos nós sabemos sobre a oração. Nós oramos por nós mesmos, nós oramos por amigos, oramos por estranhos, oramos por todos os tipos de situações. Às vezes, vemos nossas orações respondidas rapidamente, às vezes mais tarde, às vezes não.

Havia uma mulher no Antigo Testamento chamada Ana, que orava e orava e orava e, finalmente, Deus ouviu sua oração e respondeu.

Sua persistência na oração é um excelente exemplo para nós hoje

I. A mulher, Ana não tinha filhos, era estéril.

1. Todas as suas amigas tinham filhos, até mesmo a outra esposa do seu marido tinha filhos, e Ana estava profundamente angustiada.
2. Sua depressão e angustia desgostava seu marido Elcana muito.
3. A outra esposa do seu marido (Penina) que tinha filhos zombava de Ana e estava com ciúmes porque seu marido parecia importar-se mais com Ana do que com ela.
4. Havia a crença de que Deus tinha relações direitas em ter filhos e se a mulher não tinha filhos, era um sinal de pecado em sua vida.
a. Infelizmente, hoje, as pessoas tiram a vida da criança antes de nascer, alguns fetos são encontrados em latas de lixo.

II. Ana orou por um filho.

1. Ela ia anualmente ao templo em Siló, e orava e orava para que Deus lhe desse um filho.
2. Ela estava constantemente em oração em casa por uma criança.
3. Finalmente Ana fez uma aliança com Deus:
a. Para um filho.
b. Ela promete devolver o filho a Deus para que Deus o use.
4. As pessoas continuam tentando fazer acordos / alianças com Deus.
5. Ana orou tão intensamente, tão frequentemente no templo que o sacerdote Eli pensou que ela estava bêbada.

III. Deus ouviu sua oração persistente.

1. Deus cumpriu Sua parte na aliança / contrato e deu a Ana um filho.
2. Ana chamou seu filho "Samuel" que significa "pedido a Deus"
3. Deus tem feito alianças com outras pessoas através dos tempos, Adão, Abraão, Noé, Israel, Davi e conosco - se cremos em Seu Filho, Jesus, Ele vai nos dar a vida eterna.

IV. Ana levou Samuel ao templo.

1. Quando seu filho tinha 3 (três) anos, Ana o levou ao templo.
2. Ana dedicou Samuel ao Senhor.
3. Ana, entre lágrimas, manteve a sua parte na aliança / acordo.
4. Tente imaginar os sentimentos de Ana quando ela levou seu filho pequeno para o templo, sabendo que ela teria que deixá-lo lá. Agora tente imaginar os sentimentos dela quando ela saiu pelas portas do templo deixando seu filho lá onde ele permaneceria o resto de sua vida. Que mãe!

Conclusão:

1. A persistência na oração é sempre recompensada por Deus.
2. Ana foi abençoada por Deus com três filhos e duas filhas.
3. Somos cristãos por causa das orações persistentes de alguém.
4. Desconhecido para muitos, suas vidas têm sido guardadas por causa da oração persistente.
5. É sempre assim com Deus. Seja persistente na oração e sempre haverá recompensa.
6. "... Pedi, e dar-se vos-á; buscai e achareis; batei, e abrir-se vos-á..."  Mateus 7:7 – “...Nada tendes, porque não pedis…” Tiago 4:2
7. Ana é um exemplo maravilhoso de ser persistente na oração e em ser uma mãe que honra a sua aliança com Deus.