Se Jesus não tivesse morridoTexto: Apocalipse 1:18

Introdução: Muito tem sido dito sobre as realizações da vida de Jesus e da morte, que é justificável. A abordagem negativa é produtiva e muitas vezes utilizada por escritores inspirados (I João 3:11, 12).
 
Ouvimos falar muito sobre Cristo morte e consequentes resultados, mas e se Jesus Cristo não tivesse morrido?

I. Se Jesus não tivesse morrido, não haveria sacrifício perfeito e nem justificação.

A. O escritor de Hebreus repetidamente enfatiza o sacrifício perfeito de Jesus (Hebreus 10:1-4, 5-7).
B. O sacrifício de Jesus de si mesmo foi tão perfeito que foi feito "uma vez por todas" (Hebreus 10:10, cf. Judas 3).
C. Se Jesus não tivesse morrido, não haveria graça (João 1:17).
D. Sem graça, a única maneira de o homem ser justificado seria pelo cumprimento perfeito da lei, coisa que nenhum homem jamais fez (Romanos 3: 23).
1. Por isso, Jesus foi "entregue por nossos pecados, e ressuscitou para nossa justificação"(Romanos 4: 25).

II. Se Jesus não tivesse morrido, não haveria o melhor exemplo de amor

A. Jesus despojou-se da glória do céu e o Pai enviou seu único Filho (João 3:16; 2 Coríntios 8:9). Nunca houve tal exemplo de amor! 

III. Não haveria nenhuma oração em nome de Jesus

A. A oração em nome de Jesus se baseia na morte de Jesus e na triunfante ressurreição (João 16:23-24, I João 2:1).
1. Portanto, se Jesus não tivesse morrido, não haveria oração em o nome poderoso de Jesus e nenhum advogado. 

IV. Se Jesus não tivesse morrido, não haveria nenhuma igreja

A. A salvação está em Cristo, seu corpo espiritual (a igreja, Efésios 1:22-23, II Timóteo 2:10). A morte de Jesus beneficiou aqueles antes da cruz e depois da cruz (Hebreus 9:15).
1. Na ausência da morte de Jesus, o homem seria sem esperança. 

V. Se Jesus não tivesse morrido, não haveria exemplo perfeito de obediência e nem acesso ao céu.

A. Paulo escreveu, portanto, de Jesus: "E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até a morte, e morte de cruz" (Filipenses 2:8). A obediência de Jesus era necessária: "Ainda que era Filho, aprendeu a obediência, por aquilo que padeceu. E, sendo ele consumado, veio a ser a causa de eterna salvação para todos os que lhe obedecem" (Hebreus 5: 8, 9). 
 
Conclusão: Se não podemos apreciar a morte de Jesus a partir da perspectiva de suas realizações, devemos apreciar a sua morte a partir da consideração de: Como seria se Jesus não tivesse morrido. No entanto, ele morreu por nós!