O mendigo chamado Lázaro

O mendigo chamado LázaroTexto: Lucas 16:20-22
 
Introdução: Ensina-nos algo o sofrimento? Por ventura o sofrimento é sinal da desaprovação divina? De pecado e condenação? Aprendemos com a historia do homem rico, e seu banquete, que a situação física ou material dos homens é sumamente enganosa, não sendo uma regra válida para determinar se alguém está bem ou não com Deus.
 
Aqui temos um homem que esteve sofrendo muito, e sem dúvida, era um homem de Deus. O conhecemos como “O mendigo chamado Lázaro”. [post_ad]

I. Habitualmente pedia esmola.

A. Era um homem que mendigava, era um homem que dependia do favor das pessoas.
B. Como foi que ele chegou a este estado? Onde estão seus pais? Sua família? Será que nunca teve família? Não sabemos, pois a luz do relato bíblico, temos um homem solitário, sem ter nenhum ente querido que se compadecesse dele.
1. Este homem não somente tem que lidar com a fome, como também com a solidão.
a. E apesar da solidão, era um homem de Deus!
C. Quantas humilhações não deve ter recebido durante a sua vida? Muitas! Chacotas, queixas, e até grosseiras respostas.
a. Humilhações pelo fato de ser, um “mendigo”, que dizer, “um homem de pouco valor”, “um homem indigno”.
b. Humilhado por causa da sua aparência (Tiago 2:2-4)
c. Apesar dos golpes verbais sofrido pelos demais, era um homem de Deus!

II. Não tinha lugar para viver, nem onde comer.

A. Temos visto muitas pessoas viverem de esmola, mas muitos deles têm pelo menos um lar, um teto onde dormir.
1. Este homem não tinha lar! Não tinha um pequeno lugar onde viver, estava “jogado” (deitado ou prostrado) a porta do homem rico.
a. Talvez preferiu ficar ali por causa dos contínuos banquetes, e pensou, “talvez se compadeçam de mim”.
B. A estas alturas a fome era intensa, pois “ansiava saciar-se”.
1. Estava experimentando todas as sensações próprias de um homem que não havia se alimentado bem durante dias, semanas, ou meses.
2. Tinha um intenso desejo de satisfazer seu paladar, sua língua, seu estômago.
a. Era tanta sua fome, que já não lhe importava a qualidade do alimento, pois anelava as “migalhas” que caiam da mesa, algo insuficiente para satisfazer a fome de um faminto. Mas, o que mais se pode desejar quando a fome é insuportável?
C. Seu corpo se debilitava mais e mais, e suas enfermidades se agravavam.

III. Estava muito enfermo.

A. Tinha uma enfermidade que provocava “chagas” pelo corpo.
1. Diversos comentaristas creem que este homem estava padecendo da enfermidade de Hansen, conhecida na Bíblia como “lepra”.
2. Era uma enfermidade asquerosa (Salmos 38:5)
B. Era uma enfermidade dolorosa, e ainda mais, quando os “cães” lambiam lhe as feridas.
1. A debilidade deste homem era tal, que não tinha força nem para afastar os cães.
C. Quem poderia imaginar que este homem era um homem de Deus? É comum acreditarmos que se alguém está bem com Deus, tudo está bem na sua vida.
1. O caso de Lázaro, como de muitos outros homens de Deus que padeceram nos lembra de que nosso propósito na vida é glorificar a Deus, “… seja pela vida, ou pela morte…” Filipenses 1:20 (“…Cristo será exaltado no meu corpo, seja pela vida ou pela morte…”)
2. “… Receberemos o bem de Deus e não receberíamos o mal?…” (Jó 2:10)

IV. Apesar de todos seus sofrimentos, ele tem um nome.

A. Observemos este detalhe importante, o homem rico não tem nome, mas este pobre mendigo tem: Seu nome é Lázaro.
1. Seu nome significa “ajuda de Deus”.
2. Há alguma relevância que saibamos o nome deste mendigo, e não do homem rico?
a. Creio que sim. Deus tem em consideração este homem, e acima de tudo, quem é ele!
b. Deus não esquece dos seus santos (Gênesis 8:1; 19:29; Números 10:9; Lucas 10:20; 2 Timóteo 2:19)
c. É o caso deste mendigo.
B. Os pecadores, por outro lado, são esquecidos por Deus.
1. Não tem nome, a memoria deles é borrada (Salmo 34:16; Eclesiastes 6:4; Deuteronômio 9:14; 29:20; salmo 9:5; Apocalipse 3:8)
a. É o caso do pobre homem rico.

V. Apesar de todos seus sofrimentos morreu e, “… Foi levado pelos anjos ao seio de Abraão…” (v. 22).

A. Estava sendo “consolado” (v. 25).
B. Isso é o que acontece com aqueles que “morrem no Senhor” (Apocalipse 14:13)
C. Os que morrem no Senhor não tem medo da morte (Salmo 23:4)
D. É preciosa para Deus a morte do justo (Salmo 116:15)
E. O justo morre com “esperança” (Provérbios 14:32)
F. A morte do justo é “ganho” (Filipenses 1:21)
 
Conclusão: Você é conhecido por Deus? Se não, hoje pode se tornar conhecido dele. Você está sofrendo, ou tem medo da morte? Hoje mesmo você pode estar preparado para quando se encontrar com ela.
 
Pr. Aldenir Araújo

Gostou desse esboço? Olha a novidade que tenho para você!

Eu preparei um e-book com 365 sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! Clique Aqui para adquirir seu livro.

O mendigo chamado Lázaro Reviewed by Aldenir Araujo on quarta-feira, setembro 18, 2013 Rating: 5

Nenhum comentário:

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:
1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

All Rights Reserved by O Pregador © 2014 - 2015
Designed by Blogger

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.