Mostrando postagens com marcador Momentos de reflexão. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Momentos de reflexão. Mostrar todas as postagens

sábado, 15 de março de 2014

Alcançando seus objetivos e metas – A maneira de Deus

Alcançando seus objetivos e metas – A maneira de DeusEu li muitos livros sobre atingir metas, objetivos, realizar tarefas e ser mais produtivo.

Alguns autores dizem que você deve atirar para as estrelas quando estabelecer metas. Outros autores dizem que você deve ter expectativas baixas e razoáveis.

Alguns dizem que se você escrever suas metas estabelecidas, você vai desbloquear a energia positiva do universo, que irá então fluir através de você (não estou inventando nada). Outros vão mais longe ao recomendar que você escreva o seu próprio obituário.

Todos os livros têm títulos como Esmagando seus objetivos!, Seja um empreendedor elite! e Princípios para dominar o mundo! (Esses autores realmente gostam do ponto de exclamação).

E a verdade é que esses livros me ajudaram a alcançar alguns dos meus objetivos.

Não me interpretem mal, eu estou feliz que eu tenha alcançado algumas coisas. Mas eu estou começando a perceber que há uma grande diferença entre simplesmente atingir metas e alcançar os objetivos de uma maneira que agrada a Deus.

É realmente possível alcançar quase qualquer coisa se você colocar sua mente nessa coisa e estiver disposto a derramar toda a sua energia para alcançar seu objetivo.

Esta é a forma como as pessoas morbidamente obesas perdem 20 quilos, office boys tornam se executivos de empresas e totais nerds encontram empresas como Apple e Google. É também a forma como as pessoas memorizam livros inteiros da Bíblia, criam ministérios assustadoramente impressionantes, e escrevem livros cristãos.

Mas há duas maneiras de alcançar um objetivo.

A primeira maneira é por confiar em sua própria força.

Você vai se levantar pelo próprio esforço, chutar todas as portas, e qualquer pessoa que ficar em seu caminho. Quando você atingir a meta, você terá a glória. Essa não é a maneira de Deus para alcançar os objetivos. Infelizmente, muitos tomam este caminho é muito frequente.

A segunda maneira de alcançar seus objetivos é em humilde dependência de Deus.

Em Provérbios 16:3 diz: “Confia ao Senhor as tuas obras, e os seus desígnios serão estabelecidos”.

Alcançar objetivos da maneira que agrada a Deus, começa quando você entrega o objetivo ao Senhor.

Começa quando você diz: "Senhor, eu quero fazer isso para tua glória. Eu percebo que eu não posso realizar nada verdadeiramente bom sem o seu divino poder. Ajude-me”.

Alcançar objetivos da maneira que agrada a Deus, começa quando humildemente oramos por nossos objetivos.

Começa quando levantamos nossas metas para o Senhor e dizemos: "Senhor, eu mantenho esse objetivo vagamente. Se o Senhor quer que eu consiga isso, me ajude. Caso contrário, frustra-me”.

"Senhor, me ajude a perder peso para sua glória, para que eu possa ser saudável e de forma mais eficaz servir minha família. Eu quero fazer isso de uma maneira que lhe agrade”.

"Senhor, me ajude a tirar boas notas para a sua gloria, não para minha. O Senhor me deu uma mente, ajuda-me a usá-la para trazê-lo honra".

"Senhor, me ajude a alcançar esta posição no trabalho de uma forma que lhe agrade. Guarda-me da ambição egoísta. Guarda-me da tentação de avançar na minha agenda acima de sua agenda”.

É perfeitamente possível alcançar bons e morais objetivos sem agradar ao Senhor. Já fiz isso muitas vezes.

Mas, se nós comprometemos nossos objetivos a Deus, e trabalhar neles em humilde dependência de Deus, ele será honrado.

Se trabalharmos em nossa própria força, teremos a glória quando atingirmos a meta.

Se trabalharmos na força de Deus, ele recebe a glória.

Enfrente os seus objetivos com a força de Deus.

Pr. Aldenir Araújo

quarta-feira, 25 de abril de 2012

O que dá dinheiro hoje?

O que dá dinheiro hoje?
Segundo uma pesquisa recente, os brasileiros estão mais cínicos do que nunca. Nós não confiamos nos políticos ou na economia e a maioria desconfiam da igreja. Uma das famas que as igrejas têm, hoje, é que elas estão sempre pedindo dinheiro.

Isso me lembra da mãe que ficou histérica porque o pequeno Jimmy tinha engolido uma moeda. Ela se virou para o marido e gritou para ele chamar um médico. Então ele pegou o telefone, mas em vez de chamar o médico, ele decidiu chamar o seu pastor. A mulher ficou chateada e disse: "Nós não precisamos do pastor, precisamos de alguma ajuda médica!"  Então o marido respondeu: "Ei, esqueceu; o nosso pastor pode tirar dinheiro de qualquer pessoa!”.

“O amor ao dinheiro tem sido a tragédia na vida de muitos lideres na atualidade”

“O dinheiro suscita a maior parte das vociferações que ouvimos: é o dinheiro que fatiga os tribunais, é ele que coloca pais e filhos em desavença, é ele que derrama venenos, é ele que põe a espada nas mãos dos assassinos e das legiões; ele está manchado de sangue nosso; é por causa dele que as discussões de marido e mulher ressoam na noite, é por causa dele que a turba aflui aos tribunais; por causa dele, os reis massacram, saqueiam e arrasam cidades que demoraram séculos a construir, para procurarem ouro e prata entre as cinzas. Vês os cofres arrumados a um canto? É por causa deles que se grita até os olhos saírem das suas órbitas e que os brados ressoam nos tribunais; é por causa deles que juízes vindos de regiões longínquas se reúnem para decidir qual é a avidez mais justa. 
E quando, não por um cofre, mas por um punhado de ouro ou por um denário que se dispensaria a um escravo, se perfura o estômago de um velho que ia morrer sem herdeiros? E quando, possuindo vários milhares, um usurário de pés e mãos deformados, incapaz sequer de mexer no dinheiro, reclama, furioso, os juros dos seus asses? Se me apresentasses todas as minas e todo o dinheiro que delas retiramos, se pusesses aos meus pés todos os tesouros escondidos (pois a avareza devolve ao interior da terra aquilo que dela fora retirado com maldade). não creio que todas estas riquezas conseguissem impressionar um homem virtuoso. Quão risíveis são todas as coisas que nos provocam lágrimas!”


Séneca, in 'Da Ira'


Gostaria que você deixasse a sua opinião sobre esse assunto: "Igreja e dinheiro" É importante, conto com sua participação!

Um forte abraço.

 

sábado, 26 de março de 2011

Geração Geazi

Geração-Geazi
Eu acredito que nós estamos vivendo em um dos maiores períodos na história para cumprir o ministério.

Podemos aproveitar a tecnologia para a propagação do evangelho da maneira que os Apóstolos jamais sonharam. O espírito de colaboração que existe entre nós é que nos permite compartilhar as melhores práticas disponíveis. Estamos vendo as coisas no nosso tempo, que as gerações de pastores que vieram antes de nós desejaram e oraram.

Mas como Lucas 12:48 diz, a quem muito é dado, muito é esperado. E como a tocha do Ministério está sendo passada para a nossa geração, eu estou preocupado que nós vamos estar aquém do destino que Deus tem para nós.
Não através de fracasso moral. Ou complacência.

Mas, por perseguir a obra de Deus por todas as razões erradas.

Você pode ver essa possibilidade muito real na vida contrastante de Eliseu e Geazi.
Eliseu foi discípulo de Elias. Ele estava tão determinado a cumprir o chamado de Deus sobre sua vida que ele perseguiu esse chamado com todo o seu coração. Ele não permitiria que Elias estivesse fora da sua vista. Como resultado, ele herdou uma porção dobrada do espírito de Elias, e foi usado grandemente por Deus na sua geração.

Geazi foi discípulo de Eliseu e deveria ter sido o próximo na linha para continuar o ministério. Mas, em vez de perseguir o chamado de Deus e Sua glória, ele perseguiu o ouro de Naamã. E porque ele fez a obra de Deus por suas próprias razões, tornou-se leproso e inútil no Reino de Deus.

Às vezes, temo que a minha geração se transforme na geração Geazi:

Mais interessados ​​em favores de Deus do que a favor de Deus.
Perder o nosso desejo de perseguir Deus na caça de glória e de ouro.
Perseguir os presentes de Deus mais do que buscar a Sua glória.
Mas isso não tem que ser dessa maneira. Nós não estamos consignados para esse destino. Podemos ser muito usados ​​por Deus, se abraçarmos e entendermos esta verdade:

Não há maior dom e recompensa para o nosso ministério que o próprio Deus.

Ore comigo hoje para a nossa geração:
Deus, nos ressuscitará para ser uma geração que vai perseguir a tua glória somente.
Que possamos cumprir fielmente os nossos destinos em um mundo cheio de distrações.


Pr. Aldenir Araújo 

sábado, 29 de janeiro de 2011

A fábula do porco espinho

porco-espinho Durante a era glacial, muitos animais morriam por causa do frio. Os porcos-espinhos, percebendo a situação, resolveram se juntar em grupos,assim se agasalhavam e se protegiam mutuamente.

Mas os espinhos de cada um feriam os companheiros mais próximos, justamente os que forneciam calor. E, por isso, tornaram a se afastar uns dos outros.
Voltaram a morrer congelados e precisaram fazer uma escolha: desapareceriam da face da Terra ou aceitavam os espinhos do semelhante.
Com sabedoria, decidiram voltar e ficar juntos. Aprenderam, assim, a conviver com as pequenas feridas que uma relação muito próxima podia causar, já que o mais importante era o calor do outro.

E assim sobreviveram.

 

Moral da historia:

“O melhor relacionamento não é aquele que une pessoas perfeitas, mas aquele onde cada um aprende a conviver com os defeitos do outro e consegue admirar suas qualidades...”

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Para pastores

pastor PARÁFRASE DE I CORÍNTIOS 13,

- Ainda que eu falasse com toda a eloqüência, e seguisse as múltiplas regras da oratória sacra, e ainda que eu tivesse o dom de persuasão para mover as multidões,

- e, no entanto, não amasse aos outros,

- estaria reduzido a um arauto barulhento,

- ou a um mensageiro a proclamar, insensivelmente, frases piedosas.

- E ainda que eu mantivesse uma linha direta aos céus para poder compreender os mais profundos mistérios divinos, e ainda que minha fé fosse tal que conseguisse edificar grandes templos com escassos recursos financeiros,

- e, no entanto, não tivesse amor,

- nada disso teria valor algum.

- E ainda que, devotamente, eu recusasse um aumento de salário, e me sujeitasse às críticas e crueldades dos caçadores de pastores,

- e, no entanto, não mostrasse o amor do Mestre,

- de nada adiantaria.

- O verdadeiro amor está sempre pronto a ajudar,

- mesmo que alguém insista em permanecer no erro.

- O verdadeiro amor não se sente ameaçado pelos ressentimentos dos que não compreendem bem ou que invejam os dons pastorais.

- O verdadeiro amor não se regozija no sofrimento nem aplaude a dor daqueles que se opõem à sua liderança.

- O verdadeiro amor se alegra com o progresso na vida de qualquer de suas ovelhas,

- por menor que seja esse progresso,

- por mais humilde que seja essa ovelha.

- O verdadeiro amor está sempre firme.

- Pode ser que a linha direta aos céus se apague;

- pode ser que a capacidade de persuasão diminua, ou, até, desapareça;

- pode ser que o conhecimento não acompanhe os desenvolvimentos modernos.

- Em nossos primeiros dias de vida cristã, achávamos que Deus gozava de grande privilégio, tendo-nos como seus cooperadores.

- Agora, porém, que já amadurecemos na fé, não cremos assim.

- Agora reconhecemos que aquilo que imaginávamos saber não passava de conhecimento sem valor.

- Sabemos que agora vemos somente a sombra da realidade que haverá no porvir.

- Mas naquele futuro glorioso conheceremos todas as coisas, da mesma forma que nossa vida já é por Deus conhecida.

-Há três coisas importantíssimas, as quais continuarão para sempre:

- a Fé,

- a Esperança

- e o Amor.

- Estas três.

- Mas, sem dúvida alguma,

- a maior de todas é o AMOR.

Autor: Pr. Jerry Stanley Key (Adaptado)

Texto extraído da Revista Visão Missionária

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Pr. Silas Malafaia e a casa própria

Meus queridos, tem coisas que não dá para ficar calado, assista esse vídeo, onde o pastor Silas Malafaia ensina como realizar o sonho da tão sonhada casa própria sem muito trabalho; e deixe por favor a sua opinião. A que ponto chegamos!

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Porque não voto em pastor

images Bastam as eleições se aproximarem, que se torna absolutamente comum aparecer nos arraiais evangélicos, pastores afirmando que receberam um chamado especial da parte de Deus para se candidatar a algum cargo publico. Na verdade, boa parte destes advogam o fato de terem sido comissionados por Deus para servirem a igreja nos palácios do governo.

Entretanto, a história recente do Brasil nos mostra que a chegada de políticos evangélicos a cargos públicos não tem feito diferença na ética política do país. Basta ver que, nos últimos anos, o envolvimento da maioria dos evangélicos com a política produziu mais males do que benefícios.

Lembro que certa feita enquanto oficializava uma cerimônia fúnebre, um destes “pseudos-politicos-cristãos”, solicitou-me uma pequena oportunidade para que publicamente pudesse demonstrar sua solidariedade à família enlutada, além obviamente de falar de sua candidatura à Câmara Municipal da Cidade. Fato que obviamente não permiti.

Em época de eleição é comum receber a solicitação de inúmeros pastores, os quais em nome de “Deus”, advogam a crença de que o Todo-Poderoso os convocou a uma missão hercúlea, a qual somente eles conseguirão viabilizar. Tais cidadãos fazem uso de chavões e de frases prontas do tipo: “Somos cabeça e não cauda”, “ A política brasileira precisa de homens de Deus”, chegou a nossa hora, vamos mudar o Brasil e etc.

Ora, não acredito em messianismos utópicos, nem tampouco em pastores especiais, que trocaram o santo privilégio de ser pregador do evangelho eterno por um cargo público qualquer. Não estou com isso afirmando de que o crente em Jesus não pode jamais concorrer a um cargo público. Tenho convicção de que existem pessoas vocacionadas ao serviço público, as quais devem se dedicar com todo esmero a esta missão. No entanto, acredito que o fator preponderante a candidatura a um cargo qualquer, deve ser motivada pelo desejo de servir o povo e a nação, jamais fazendo do nome de Deus catapulta para sua projeção pessoal.

Agora, se mesmo assim o pastor desejar candidatar-se, que deixe o pastorado, que não misture o santo ministério com o serviço público, que não barganhe a fé, nem tampouco confunda as ovelhas de Cristo com o gado marcado para o abate. Que não comercialize aqueles que o Senhor os confiou, nem tampouco se locuplete do nome de Deus a fim de atingir seus planos e objetivos.

Encerro este artigo lembrando do pastor Billy Graham que ao receber o convite para concorrer à presidência da República dos Estados Unidos da América, recusou dizendo:

“Por acaso eu trocaria o Santo Ministério da Palavra de Deus por um cargo tão insignificante?”

Pois é, cara pálida, ouso afirmar que infelizmente alguns dos nossos pastores ao contrário do Dr. Billy Graham aceitariam o convite na hora.

Púlpito Cristão – Por Renato Vargens.

A Síndrome do Papagaio

papagaio Você já percebeu como as pessoas gostam de repetir o que os outros falam? Não vou lhe dizer que essa prática seja imprópria, mas é bom conferir tudo o que se ouve, para evitar situações constrangedoras… Na famosa igreja de Beréia, os cristãos recebiam de bom grado as pregações. Mas não as recebiam como verdades bíblicas sem antes conferir nas Escrituras (At 17:11).

Essa síndrome do papagaio se verifica nos diversos versículos “novos” que alguns pregadores insistem em repetir. Ouviram alguém, um dia, pronunciar um desses versículos e começaram a citá-los como verdade, sem, antes, ter o cuidado de confirmar a sua autenticidade bíblica.

Há alguns anos, tive o cuidado de reunir, com a ajuda de meus alunos do seminário teológico, várias “pérolas” que muitos repetem pensando ser versículos bíblicos… Você está curioso para conhecê-las? Quer saber se tem empregado alguma?

“A voz do povo é a voz de Deus”
Ouvi um pregador citando essa frase antibíblica e extrabíblica, oriunda do latim vox populi, vox Dei, como se fosse bíblica! Quando Jesus andou na terra, a opinião do povo a seu respeito era variada. Uns o consideravam pecador (Jo 9:16) ou endemoninhado (Mt 12:24), e outros criam que ele era um profeta (Mt 16:13,14). Enquanto isso, a voz de Deus ecoava: “Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo” (Mt 3:17). Como a voz do povo pode ser a voz de Deus?

“Água mole em pedra dura tanto bate até que fura”
Esse provérbio popular alude à persistência. Trata-se de um bom pensamento, mas extrabíblico! Conquanto não apareça nas páginas sagradas, realça o princípio da perseverança na oração (Mt 7:7,8; Lc 18:1-8). Isso, porém, não nos autoriza a citar a frase como se fosse um versículo inspirado da Palavra de Deus.

“Até 1000 irá; de 2000 não passará”
Essa frase já virou história… Muitos “profetas da última hora” a usaram para alertar acerca da iminente volta de Cristo, antes ou durante o ano 2000. Mas o que a Bíblia realmente diz acerca da vinda de Jesus? As palavras de Cristo quanto ao Arrebatamento da Igreja são mais do que claras: “… daquele dia e hora ninguém sabe…” (Mt 24:36). Leia também Atos 1:7, I Tessalonissenses 5:1 e II Pedro 3:8.

“Da semente da mulher levantarei um que esmagará a cabeça da serpente”
É comum ouvir pregadores citando essa frase como sendo a primeira promessa com relação à obra redentora de Jesus. Mas essa promessa não aparece nas Escrituras. Em Gênesis 3:15, Deus disse para Satanás, personificado em uma serpente: “E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente; esta te ferirá a cabeça e tu lhe ferirás o calcanhar”.

É importante observar que o texto bíblico não usa o verbo “esmagar” e sim “ferir”. De acordo com a Palavra de Deus, o inimigo ainda não foi esmagado, isto é, derrotado por completo. Ele já está julgado (Jo 16:11), e, na cruz, Jesus o feriu (Cl 2:14,15). Entretanto, “… o Deus de paz esmagará em breve Satanás debaixo de vossos pés” (Rm 16:20).

“Deus cegou os entendimentos dos incrédulos”
É sério! Ouvi um pregador dizendo isso… Mas não foi Deus quem cegou o entendimento dos incrédulos! A Bíblia diz: “… o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus” (II Co 4:4). Esse “deus” é o diabo, e não o Deus verdadeiro que ilumina os que estão em trevas (Jo 8:12; I Jo 1:7).

“Diga-me com quem tu andas, e eu te direi quem és”
Clássica, não? Quantos pregadores não usam esse versículo… Alguém já chegou a dizer acerca dele: “Não está na Bíblia? Então devia estar!” Bem, a Bíblia apresenta versículos parecidos, que podem ser usados em lugar da frase em questão: “O homem violento persuade o seu companheiro, e guia-o por caminho não bom” (Pv 16:29); “Não entres na vereda dos ímpios, nem andes pelo caminho dos maus. Evita-o, não passes por ele; desvia-te dele e passa de largo” (Pv 4:13,14).

“É dando que se recebe”
Essa conhecida frase é extrabíblica, mas não chega a ser antibíblica. Ela confirma as palavras de Jesus em Lucas 6:38. Não deve, porém, ser usada como um versículo bíblico inspirado. O pregador só deve usar a frase “A Bíblia diz” quando for citar uma passagem sagrada. Caso contrário, deve deixar claro aos ouvintes que se trata apenas de uma boa frase.

“Esforça-te, e eu te ajudarei”
A expressão “Esforça-te” aparece 12 vezes na Bíblia, mas nunca acompanhada da frase “Eu te ajudarei”. Observe: “Esforça-te, e tem bom ânimo” (Js 1:6,7,9,18; I Cr 22:13; 28:20); “Esforça-te, e esforcemo-nos” (I Cr 19:13); “Esforça-te, e faze a obra” (I Cr 28:10); “Esforça-te, e clama” (Gl 4:27). No plural, ela aparece oito vezes, sem o complemento citado (Nm 13:20; Js 10:25; 23:6; I Sm 4:9; 13:28; II Cr 15:7; Sl 31:24; Ag 2:4). Apesar disso, não há dúvida de que o Senhor ajuda os que se esforçam.

“Eu venci o mundo, e vós vencereis”
É claro que através da vitória de Cristo todos os seus seguidores autênticos, nascidos de Deus (1 Jo 5:4), se tornam mais do que vencedores (Rm 8:37). Não obstante, as palavras de Jesus ditas em João 16:33 foram apenas: “Tenho-vos dito isto para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo”. O complemento “e vós vencereis” é um acréscimo às palavras do Mestre, prática que ele mesmo proibiu (Ap 22:18).

“Fazei o bem sem olhar a quem”
Essa frase é uma distorção de Gálatas 6:10: “Então, enquanto temos tempo, façamos bem a todos, mas principalmente aos domésticos da fé”. O cristão deve fazer o bem, pois ele tem a bondade, um dos elementos do fruto do Espírito (Gl 5:22). Mas fazer o bem “de olhos fechados” pode ser perigoso.

Existem muitos vigaristas dizendo-se missionários ou pastores. Eles sempre contam casos tristes para aplicar os seus golpes, e os irmãos bondosos, por não olharem a quem estão ajudando, acabam sendo lesados. Cabe-nos ajudar as pessoas comprovadamente necessitadas: “Livremente abrirás a tua mão para o teu irmão, para o teu necessitado, e para o teu pobre na tua terra” (Dt 15:11).

“Jesus é o Médico dos médicos”
Certos pregadores afirmam: “A Bíblia diz que Jesus é o Médico dos médicos”. Nas Escrituras, não existe esta menção. Jesus é chamado de Senhor dos senhores e Rei dos reis (Ap 17:14). Em nenhum lugar ele é chamado de Médico dos médicos. A expressão hebraica que demonstra o seu poder de curar os enfermos é “Yahweh-Roph´eka”, que significa “O Senhor que te sara”, também traduzida como: “O Senhor, teu Médico” (Êx 15:26).

“Mente vazia é oficina do diabo”
De fato, a pessoa que não ocupa a sua mente com as “coisas que são de cima” (Cl 3:1,2) acaba ficando vulnerável aos ataques do adversário. Como ser espiritual, ele tem influência sobre a mente dos incrédulos (2 Co 4:4; Ef 6:17). Segue-se que a frase é apenas apropriada para ilustrar o papel do diabo como tentador, não devendo ser usada com um versículo sagrado.

“Não cai uma folha de uma árvore sem a vontade de Deus”
A Bíblia mostra claramente que Deus é o Controlador da natureza. Em Isaías 40:12-31, vemos como ele tem o Universo em sua mão e faz o que lhe apraz. Apesar disso, a frase em questão não é um versículo bíblico!

“O amor encobre uma multidão de pecados”
Essa frase possui um acréscimo sutil, capaz de torcer a mensagem bíblica. Encobrir significa esconder, ocultar. E, de acordo com a Bíblia, “O que encobre as suas transgressões, nunca prosperará” (Pv 28:13). É preciso atentar para o que realmente as Escrituras dizem: “… a caridade cobrirá uma multidão de pecados” (I Pe 4:8).

Dentro do contexto bíblico, cobrir significa perdoar. E a diferença entre cobrir e encobrir pecados é vista principalmente no Salmo 32: “Bem-aventurado aquele cuja transgressão é perdoada, e cujo pecado é coberto” (v. 1); “Confessei-te o meu pecado, e a minha maldade não encobri” (v. 5).

“O cair é do homem, mas o levantar é de Deus”
É comum o uso dessa frase para animar irmãos que fracassam na fé. Quem a usa, tenta demonstrar que a pessoa caída não precisa se preocupar. Deus a levantará em tempo oportuno. Entretanto, se o homem não tomar uma posição, levantando-se, tal como o filho pródigo, Deus não o socorrerá (Lc 15:17-24).

O texto de Tiago 4:8 mostra que o primeiro passo deve ser dado pelo homem. A Bíblia não diz: “Quando Deus se chegar a ti, chega-te para ele”. O homem precisa querer, desejar se chegar a Deus. Em toda a Escritura, observa-se que Deus convida o homem a se levantar, pois o cair é do homem, e o levantar também é do homem (Pv 24:16; Ef 5:14)!

“O dinheiro é a raiz de todos os males”
Às vezes, por não lerem a Bíblia com atenção, alguns pregadores caem no erro de omitir parte dos versículos bíblicos, gerando confusão. O dinheiro é importante e precisamos dele para a nossa manutenção. O errado é pôr o coração nele (Mt 6:19-21). É por esse motivo que Paulo não condenou o dinheiro, mas sim a ganância e a avareza: “Porque o amor do dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores” (I Tm 6:10).

“O pouco com Deus é muito”
Há pregadores citando essa frase como se fosse bíblica. É verdade que a matemática de Deus é diferente, pois quanto mais se tira tanto mais é acrescentado (Pv 11:24). Todavia, conquanto a frase em questão seja correta, ela não está registrada no Livro Sagrado.

“Os viciados não herdarão o reino de Deus”
A palavra “viciado” se aplica à pessoa que possui qualquer tipo de vício (do latim vitiu, tendência habitual para o mal). Mas a Bíblia não condena de forma explícita os viciados, como ocorre neste pseudo-versículo bíblico. Alguém poderá perguntar: “Se a Bíblia não condena especificamente o cigarro ou algum tipo de droga, eu tenho permissão para usá-los?”

Quando o cânon do Novo Testamento foi encerrado, ainda não havia o cigarro nem as drogas conhecidas hoje, não havendo razão para os escritores neotestamentários condená-los de modo específico. Contudo, está claro nas páginas sagradas que os que destroem o corpo, independentemente da maneira como o fazem, não herdarão o reino de Deus (I Co 6:10-20; Gl 5:19-21). Ademais, Zofar alertou: “Porque ele [Deus] conhece os homens vãos, e vê o vício; e não o terá em consideração?”, Jó 11:11.

“Quem com ferro fere, com ferro será ferido”
Essa frase, empregada para enfatizar a justiça de Deus, não está registrada na Bíblia Sagrada. É uma deturpação das palavras de Jesus ditas a Pedro, em Mateus 26:52: “Mete no seu lugar a tua espada; porque todos os que lançarem mão da espada à espada morrerão”.

“Quem dá aos pobres, empresta a Deus”
Usada principalmente pelos católicos romanos, essa frase já está nos lábios de alguns cristãos. Todavia, o versículo bíblico que mais se aproxima de tal afirmação é Provérbios 19:17: “Ao Senhor empresta o que se compadece do pobre, e ele lhe pagará o seu benefício”. Alguém dirá: “Mas não é a mesma coisa?” Não! Pois o versículo bíblico possui o selo da inspiração!

“Quem não vem pelo amor, vem pela dor”
É verdade que muitas pessoas, depois de passarem por uma dolorosa experiência, entendem a vontade de Deus (Dn 4:30-37; At 9). Entretanto, isso não é uma regra. Existem pessoas que nem mesmo pela dor se arrependem. Por isso, a Palavra de Deus alerta: “O homem que muitas vezes repreendido endurece a cerviz, será quebrantado de repente sem que haja cura” (Pv 29:1).

“Vem a mim como estás”
Jesus recebe o pecador arrependido na condição em que está. Todavia, a frase em questão não está registrada nos Evangelhos, apesar de ser usada com freqüência por muitos pregadores. Em seu lugar, pode-se usar um versículo bíblico autêntico, como Mateus 11:28: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei”.

Portanto, não seja como o papagaio, que repete, repete, repete… Seja como os bereanos, que examinavam nas Escrituras tudo o que ouviam. Afinal, a própria Bíblia Sagrada diz: “Examinai tudo. Retende o bem” (I Ts 5:21).

Autor: Pr. Ciro Sanches Zibordi

quinta-feira, 15 de julho de 2010

O que você tem feito pelo seu potencial

p10607_gg A maior ameaça para ser tudo o que poderia ser é a satisfação com o que você é. O que você poderia ser é sempre prejudicado por aquilo que você tem feito. Há milhões de indivíduos que sepultaram os seus talentos, dons e habilidades no cemitério de sua última realização.

Uma rápida vista de olhos pela história revela que os indivíduos que causaram impacto em suas gerações e afetaram dramaticamente o mundo foram pessoas que, devido a uma circunstância, pressão ou decisão, desafiaram seus limites, alargaram as barreiras da tradição e violaram expectativas. Grandes coisas jamais foram feitas dentro do comum que todos fazem.

Por que seguir um caminho se você pode fazer uma nova trilha? É dever de cada um perguntar a nós mesmos sobre as seguintes questões.

· Temos nos tornado tudo aquilo de que somos capazes?

· Temos nos expandidos ao máximo?

· Temos feito o melhor que podemos?

· Temos usado nossos dons, talentos e habilidades até o seu limite?

Muitas pessoas não utilizam todo o seu potencial por não saberem que eles têm esse potencial. Quando compramos um vídeo cassete, por exemplo, as únicas funções que utilizamos é ligar, parar, pausa, ir e voltar. Se você pegar o controle do seu vídeo irá perceber a imensa quantidade de botões. Recusamo-nos a ler o manual e seguir as instruções contidas nele, com isso somos incapazes de utilizar o potencial máximo do produto. Eu nunca vi uma pessoa que soubesse utilizar todas as funções. Em resumo, o desempenho desse produto foi restrito por mim e não pelo fabricante. Não importa a experiência que eu tive com ele ou a minha opinião dele, seu potencial sempre estará lá.

É exatamente isso que acontece com você. Seu potencial está dentro de você, esperando ser liberado.

Autor: Prof. Menegatti

menegatti@menegatti.srv.br

Usado com permissão

terça-feira, 6 de julho de 2010

Salmo do viciado

vicio A droga é minha pastora,

sempre terei necessidade.

Ela me faz deitar nas sarjetas;

Guia-me ao lado de águas sujas;

Destrói a minha vida.

Conduz-me pelas veredas

da maldade por amor do esforço.

Sim, andarei pelo vale da pobreza e temerei todo o mal;

Porque a droga está comigo.

Tua agulha e cápsula tentam consolar-me;

Esvazias a minha mesa de alimento na presença de minha família;

Roubas a minha capacidade de raciocinar.

Meu cálice de tristeza transborda.

Certamente o vício me acompanhará todos os dias de minha vida.

E habitarei na casa dos marginalizados para sempre.

Este "salmo" foi encontrado em uma cabine telefônica por um policial de Long Beach, Estados Unidos. Foi escrito por uma jovem viciada, de 20 anos de idade. No verso do cartão em que o "salmo" estava datilografado, havia o seguinte bilhete escrito a mão:

"Verdadeiramente este é o meu salmo. Sou uma jovem de vinte anos de idade, e, durante 1 ano e meio, venho perambulando pela rua do pesadelo dos viciados em entorpecentes. Quero abandonar a droga e tento, mas não posso. A cadeia não me cura. Nem a hospitalização me ajuda por muito tempo. O médico disse à minha família que teria sido melhor, e na verdade mais generoso, se a pessoa que me deu a droga pela primeira vez tivesse pego uma arma de fogo e estourado meus miolos, e quisera Deus que ele tivesse feito isso. Meu Deus, quanto desejo isso!."

“Esse Salmo é o mandado de prisão de milhões de jovens por esse mundo afora que, vencidos lutam para romper as prisões a céu aberto e dificilmente obtém êxitos”  LISON

O vício é a pior escolha. Fuja dos vícios e corra para os braços do amoroso Pai Celestial - só nEle há vida!

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Pai Nosso

ora_bebe Será inútil dizer
"Pai Nosso"
se em minha vida não tomo atitudes como filho de Deus, fechando meu coração ao amor.
Será inútil dizer
"que estais nos céus"
se os meus valores são representados pelos bens da terra.
Será inútil dizer
"santificado seja o vosso nome"
se penso apenas em ser cristão por medo, superstição e comodismo.
Será inútil dizer
"venha a nós o vosso reino"
se acho tão sedutora a vida aqui, cheia de supérfluos e futilidades.
Será inútil dizer
"seja feita a vossa vontade aqui na terra como no céu"
se no fundo desejo mesmo é que todos os meus desejos se realizem.
Será inútil dizer
"o pão nosso de cada dia nos daí hoje"
se prefiro acumular riquezas, desprezando meus irmãos que passam fome.
Será inútil dizer
"perdoai as nossas ofensas"
"assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido"
se não me importo em ferir, injustiçar, oprimir e magoar aos que atravessam o meu caminho.
Será inútil dizer
"e não nos deixais cair em tentação"
se escolho sempre o caminho mais fácil, que nem sempre é o caminho de Deus.
Será inútil dizer
"livrai-nos do mal"
se por minha própria vontade procuro os prazeres materiais, e se tudo o que é proibido me seduz.
Será inútil dizer
"Amém"
porque sabendo que sou assim, continuo me omitindo e nada faço para me modificar.

Acredite que você pode mudar com o auxilio de Deus.

(Autor desconhecido)

quarta-feira, 30 de junho de 2010

Há sempre alguém

download O mundo inteiro está cheio de pessoas.
Há pessoas caladas que precisam de alguém para conversar.
Há pessoas tristes que precisam de alguém que as conforte.
Há pessoas tímidas que precisam de alguém que as ajude vencer a timidez.
Há pessoas sozinhas que precisam de alguém para brincar.
Há pessoas com medo que precisam de alguém para lhes dar a mão.
Há pessoas fortes que precisam de alguém que as faça pensar na melhor maneira de usarem a sua força.

Há pessoas habilidosas que precisam de alguém para ajudar a descobrir a melhor maneira de usarem a sua habilidade.

Há pessoas que julgam que não sabem fazer nada e precisam de alguém que as ajude a descobrir o quanto sabem fazer.

Há pessoas apressadas que precisam de alguém para lhes mostrar tudo o que não tem tempo para ver.

Há pessoas impulsivas que precisam de alguém que as ajude a não magoar os outros.

Há pessoas que se sentem de fora e precisam de alguém que lhes mostre o caminho de entrada.

Há pessoas que dizem que não servem para nada e precisam de alguém que as ajude a descobrir como são importantes.

Precisam de alguém
Talvez de ti ...
Façamos a nossa parte!!

(Leif Kristiansson)

quarta-feira, 23 de junho de 2010

O alfabeto de Deus

alfabeto2 O alfabeto de Deus não começa com a letra A e sim com a letra O  para aqueles que querem ser abençoado. E quero falar aos que param e ainda buscam para suas vidas o verdadeiro viver, pois a muitos sobrevivendo

Eis aqui um princípio para viver melhor.

Obedecer

"Como as nações que o SENHOR destruiu de diante de vós, assim perecereis; porquanto não quisestes obedecer à voz do SENHOR, vosso Deus." (Deuteronômio 8.20)

Desobedecer a Deus custa caro demais. Sempre foi assim, continua sendo assim, sempre será assim. Este texto é um exemplo vivo e prático de que Deus não brinca quando se trata de obediência, como também não poupa esforços quando se trata de corrigir aqueles a quem ama.

Ocorre a mesma coisa conosco hoje, ainda que por questões de contexto histórico Deus não esteja mais agindo da mesma forma. Na época que este texto descreve as nações eram dizimadas ao fio da espada, pela mão do povo de Israel, como sendo a forma estabelecida na época. Hoje funciona diferente, pois o relacionamento com Deus é regido por outras regras.

Temos o Espírito Santo.

É preciso ficar claro que Deus pretende ter relacionamento conosco, e nisso está incluído pagar o preço por ter sido desobediente. A Bíblia está repleta disso, de capa a capa

Obedecer é melhor do que sacrificar, e sem sombra de dúvida as conseqüências são muito diferentes. O ponto chave da lição que este verso nos traz é "porquanto não quisestes obedecer". Deus está atento a nossa vontade, a nossa motivação, a nossa alma.

Devemos ter a intenção de obedecer, e obedecer na prática. Não vai valer nada a boa intenção pura e simples, sem a prática, como também Deus não receberá uma obediência cega, contrariada e sem sentido. São duas coisas que não se deve fazer; são duas coisas abomináveis a Deus.

Fica o nosso desafio de obedecer porque queremos.

"Pai, eu quero ter a obediência aos Teus princípios que vem do Teu Espírito”.

Que Deus te abençoe ...

Bispos José Antônio e Adriana

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Enterre os mortos, cuide dos vivos e feche os portos.

31091 Dizem que passado o terremoto de Lisboa (1755), o Rei perguntou ao General o que se havia de fazer.
Ele respondeu ao Rei: 'Sepultar os mortos, cuidar dos vivos e fechar os portos'.

Essa resposta simples, franca e direta tem muito a nos ensinar.

Muitas vezes temos em nossa vida 'terremotos' avassaladores, o que fazer?
Exatamente o que disse o General: 'Sepultar os mortos, cuidar dos vivos e fechar os portos'.

E o que isso quer dizer para a nossa vida?

Sepultar os mortos significa que não adianta ficar reclamando e chorando o passado.
É preciso 'sepultar' o passado. Colocá-lo debaixo da terra.
Isso significa 'esquecer' o passado.
Enterrar os mortos.

Cuidar dos vivos significa que, depois de enterrar o passado, em seguida temos que cuidar do presente.
Cuidar do que ficou vivo.
Cuidar do que sobrou.
Cuidar do que realmente existe. Fazer o que tiver que ser feito para salvar o que restou do terremoto.

Fechar os portos significa não deixar as 'portas' abertas para que novos problemas possam surgir ou 'vir de fora' enquanto estamos cuidando e salvando o que restou do terremoto de nossa vida.
Significa concentrar-se na reconstrução, no novo.

É assim que a história nos ensina.
Por isso a história é 'a mestra da vida'.
Portanto, quando você enfrentar algum "terremoto", não se esqueça:
Enterre os mortos, cuide dos vivos e feche os portos.

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Está faltando caráter

caráter Alguns ainda se lembram quando era possível fechar um contrato com uma palavra e um aperto de mãos. Hoje é nescessário firmá-lo na presença de duas testemunhas, selá-lo, lacrá-lo, registrá-lo e publicá-lo, e nem ainda com isso estamos seguros de que não vai ser descumprido. A que ponto chegamos?

Existe médicos que cobram cirurgias que não foram feitas; bioquímicos que cobram exames não realizados; empresários e comerciantes que enviam o dinheiro para fora do país e declaram falência; alunos que colam sem nenhuma vergonha e até sem medo, porque tem professores que consente e o justificam; donas de casa que reclamam quando o caixa não lhe dá o troco correto, mas não se importa quando o caixa lhe dá a mais; empregados públicos que aparecem no trabalho só no dia do pagamento; empregados que compram atestado médico, mas estão usando o tempo em outros negócios.

Mas, porque não abrimos os olhos a realidade das coisas? Somos um país riquíssimo, como existem poucos no mundo, um país que tem recursos naturais e humanos em abundância. Porque é, então, que outros países, com menos recursos, vão adiante, e nós ficamos estagnados?

O problema está dentro de nós, ou, para dizer mais cruamente: nós somos o problema. Vamos definir melhor, no singular: o problema sou eu.

O problema é moral, um problema de ética. A palavra “ética” soa linda, elevada, filosófica. Somos especialistas em poetizar e teorizar quando falamos de nossos conceitos da vida e conduta, especialistas em teorías filosóficas e doutrinas teológicas. Porque assim podemos despersonalizar de tal forma que não influenciam na vida cotidiana. Podemos ser “bons cidadãos” e “bons cristãos” sem que nos custe, e assim se nos permite seguir uma vida imoral, ou pelo menos amoral, no trabalho e na sociedade.

Nos queixamos que as leis são ineficazes, que tem que modificar a Constituição. Mas, porque modificá-la se não a colocamos em prática? Continuamos atravessando o semáforo no vermelho e fugindo de pagar os impostos, e logo nos queixamos que o país está um desastre. Realmente somos tão cegos?

Nosso problema é moral e, como já disse, começa comigo. Nunca posso esperar dos demais o que não espero primeiro de mim mesmo. Nós os pais não podemos esperar de nossos filhos o que eles não veêm em nós; e o mesmo critério se aplica aos patrões com seus empregados e obreiros e os governantes com os governados. O professor quer que seus alunos trabalhem mas, eles veêm que ele trabalha cada vez menos; os pais esperam que seus filhos sejam mais diligentes, mas eles, com seu exemplo, demonstram cada vez mais negligência; o executivo quer exprimir a seus funcionários enquanto ele vive passeando. Este é o cáncer que está corroendo o país. A autoridade que nos governa com a palabra unida a prática é uma autoridade ineficaz, para não dizer ilegítima.

Temos chegado a uma palabra chave: “autoridade”. Na falta de uma autoridade reconhecida, respeitada e acatada radica todo o problema de ética. Estamos tão cansados do autoritarismo que não queremos nada com autoridade. E em nossa confusão, não damos conta de que não há vida humana sem autoridade, uma autoridade boa, sã e justa.

A ética pressupõe autoridade, pressupõe juizo, e não existe sem eles. Algo está bem ou está mal, correto ou incorreto, justo ou injusto, limpo ou sujo, elogiável ou condenável. Os mais velhos nos falam de tempos quando era fácil saber e sentir a diferença, quando a sociedade possuía valores, quando a tradição era respeitada e a religião era vigente. Como base de tudo estava a fé em um Deus de justiça e santidade, de amor e miséricordia, quem premiava aos bons e condenava os maus, quem perdonava o pecador mas odiava o pecado.

Nem sempre se cumpria com os ditádos desta ética, mas pelo menos ninguém estava em dúvida acerca deles. Se alguém os infringía, o ocultava, pedia perdão ou se justificava e se defendia. Mas, nunca negava que a ética existia. Em nossos dias temos chegado ao ponto que não há mais branco e preto, tudo é cinzento, tudo depende da ótica com que se olha, tudo é bom ou mal segundo meu ponto de vista, quer dizer, segundo me convenha ou não. A ética da situação reina, com o apoio muitas vezes da filosofía e a teología.

Já não faz falta superar-se, não faz falta melhorar nossa vida nem a vida da sociedade. O único que interessa é tirar o maior beneficio pessoal no instante; e os demais, que se cuidem, porque não é assunto meu. É uma atitude que parece afetar a todos, homens e mulheres, velhos e jovens, empresários e profissionais, empregados e patrões.

Tudo se desculpa, tudo se justifica com um: “Todo mundo faz”. Temos perdido o desejo, e a força de caráter, como para dizer: “Isto está mal e não vou fazer, pensem o que pensar e custe o que custar”. Sofremos a falta de disciplina na familia, na escola, na igreja e no trabalho, e em consequência se produz cada vez menos a disciplina interior, a força de vontade nescessária para afrontar as decisões que devemos tomar no dia a dia. Nos estamos nos transformando em uma sociedade cinzenta, chata, insípida, mediocre, isenta do sentido de drama e tragédia, mas também isenta do sentido de superação e triunfo que só a luta moral bem ganha nos pode dar.

Simplesmente, nos falta caráter, como individuos e como nação. Anelamos líderes que asumam a direção moral da sociedade, e clamamos por seguidores cujos corações respondam a essa direção.

O medo de ir contra a corrente, o medo do “que dirão”, a consciência adormecida como disse Paulo cauterizada, nos tem trnsforamdo em pobres vítimas das influências e insistências de outros. Nós, que tanto nos orgulhamos de ser independentes, somos levados de um lado para o outro pelas tiranias de outros e por nossas próprias debilidades.

De uma vez por todas, nos coloquemos de pé. Declaremos que há normas que governam a conduta, que não temos medo de fazer as coisas bem, que não aceitamos que os demais atuem causando prejuízo a nossa sociedade, que queremos viver em democracia e não em tirania, nem sequer a tirania da maioria. Sejamos homens e mulheres de principios bem fundados, homens e mulheres de caráter. Deus exige, nossa nação exige, e o exige também nossa própria felicidade.

Pr. Aldenir Araújo

quinta-feira, 11 de março de 2010

Fácil e Difícil - Carlos Drummond de Andrade

Carlos Drummond de Andrade Falar é completamente fácil, quando se tem palavras em mente que expressem sua opinião.

Difícil é expressar por atitudes e gestos o que realmente queremos dizer, o quanto queremos dizer, antes que a pessoa se vá.

Fácil é julgar pessoas que estão sendo expostas pelas circunstâncias.

Difícil é encontrar e refletir sobre os seus erros, ou tentar fazer diferente algo que já fez muito errado.

Fácil é ser colega, fazer companhia a alguém, dizer o que ele deseja ouvir.

Difícil é ser amigo para todas as horas e dizer sempre a verdade quando for preciso. E com confiança no que diz.

Fácil é analisar a situação alheia e poder aconselhar sobre esta situação.

Difícil é vivenciar esta situação e saber o que fazer. Ou ter coragem pra fazer.

Fácil é demonstrar raiva e impaciência quando algo o deixa irritado.

Difícil é expressar o seu amor a alguém que realmente te conhece, te respeita e te entende. E é assim que perdemos pessoas especiais.

Fácil é mentir aos quatro ventos o que tentamos camuflar.

Difícil é mentir para o nosso coração.

Fácil é ver o que queremos enxergar.

Difícil é saber que nos iludimos com o que achávamos ter visto. Admitir que nos deixamos levar, mais uma vez, isso é difícil.

Fácil é dizer “oi” ou “como vai?”

Difícil é dizer “adeus”. Principalmente quando somos culpados pela partida de alguém de nossas vidas…

Fácil é abraçar, apertar as mãos, beijar de olhos fechados.

Difícil é sentir a energia que é transmitida. Aquela que toma conta do corpo, como uma corrente elétrica, quando tocamos a pessoa certa.

Fácil é querer ser amado.

Difícil é amar completamente só. Amar de verdade, sem ter medo de viver, sem ter medo do depois. Amar e se entregar. E aprender a dar valor somente a quem te ama.

Fácil é ouvir a música que toca.

Difícil é ouvir a sua consciência. Acenando o tempo todo, mostrando nossas escolhas erradas.

Fácil é ditar regras.

Difícil é segui-las. Ter a noção exata de nossas próprias vidas, ao invés de ter noção das vidas dos outros.

Fácil é perguntar o que se deseja saber.

Difícil é estar preparado para escutar esta resposta. Ou querer entender a resposta.

Fácil é chorar ou sorrir quando der vontade.

Difícil é sorrir com vontade de chorar ou chorar de rir, de alegria.

Fácil é dar um beijo.

Difícil é entregar a alma. Sinceramente, por inteiro.

Fácil é sair com várias pessoas ao longo da vida.

Difícil é entender que somente uma vai te aceitar como você é e te fazer feliz por inteiro.

Fácil é ocupar um lugar na caderneta telefônica.

Difícil é ocupar o coração de alguém. Saber que se é realmente amado.

Fácil é sonhar todas as noites.

Difícil é lutar por um sonho.

Eterno, é tudo aquilo que dura uma fração de segundo, mas com tamanha intensidade, que se petrifica, e nenhuma força jamais o resgata.