Mostrando postagens com marcador Liderança. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Liderança. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Púlpitos Silenciosos

Púlpitos SilenciososIntrodução: Este artigo precisa ser lido e pregado por todo pastor. Ele é apropriadamente intitulado: "Púlpitos silenciosos"

Quando Eli Wiesel passou sua infância no campo de extermínio de Auschwitz e milagrosamente sobreviveu para contar sobre isso, a única realidade central, primordial, e terrível que permaneceu com ele desde então não foi a desumanidade, a doença, a sujeira, a tortura, a indignidade, ou o estupro e assassinato, ao contrário, foi o silêncio do mundo. Nenhum clamor! Nada nos jornais! Nada das Igrejas. Milhões de pessoas estavam sendo torturadas, passando fome, assassinadas e nem uma palavra!

Quando aqueles que aspiram a cargos mais altos de liderança e autoridade se recusam a falar, mesmo no meio de tanto horror também se recusam a falar, então a Bíblia tem algo a dizer... Eu te desafio a abrir os ouvidos e ouvir esta VERDADE...

E os púlpitos estão em silêncio

Por que os pastores estão em silêncio enquanto o Brasil se desintegra?

"Porque ímpios se acham entre o meu povo; andam espiando, como espreitam os passarinheiros. Armam laços, apanham os homens. Qual gaiola cheia de pássaros, assim as suas casas estão cheias de dolo; por isso se engrandeceram, e enriqueceram. Engordaram-se, estão nédios; também excedem o limite da maldade; não julgam com justiça a causa dos órfãos, para que prospere, nem defendem o direito dos necessitados. Acaso não hei de trazer o castigo por causa destas coisas? diz o senhor; ou não hei de vingar-me de uma nação como esta? Coisa espantosa e horrenda tem-se feito na terra: os profetas profetizam falsamente, e os sacerdotes dominam por intermédio deles; e o meu povo assim o deseja. Mas que fareis no fim disso?" (Jeremias 5:26-31)

Apesar do que os partidos políticos gostariam que você acreditasse o problema no Brasil não são os políticos, SÃO OS PÚLPITOS. Eu odeio dar a notícia a você, mas a maioria dos púlpitos do Brasil estão cheios de homens covardes e gananciosos. Elas são uma vergonha para o Cristo que dizem servir.

Palavras duras, não? Não é o tipo de coisa que vai fazer amigos nesta cultura de "Graça barata" em que vivemos. Mas tudo bem. Eu não estou procurando fazer amigos. 

O que vamos fazer com tais líderes que se preocupam apenas em agrada homens? Tudo o que os nossos antepassados ​​construíram está sendo destruído diante de nossos olhos e dificilmente se ouve um pio do púlpito. Eles não querem ouvir isso. É com os que ocupam o púlpito que estou falando. Eles estão preocupados com o ser "muito duros", eles me dizem que "Jesus está no controle," que não são "chamados" para combater o mal e que "devemos orar por nossos inimigos”.

De onde esses caras vieram? O que nós precisamos é de um retorno da Voz de Deus trovejando através dos profetas de pé nos púlpitos do Brasil. Não essa asneira que está sendo pregada e passando como o Evangelho de hoje. Os pregadores feminizados de hoje não podem sequer segurar uma vela para aqueles que inauguraram "O grande despertar" que levou à Revolução Americana.

Enquanto a nossa nação está matando milhões de bebês, nossas escolas estão doutrinando crianças cristãs no "humanismo secular" e a "verdade desfalece nas ruas", nossos pregadores participando de seminários de crescimento de igreja, usando livros de autoajuda para complementar a Bíblia e perseguindo seus milhões e fama. Eles estão brincando enquanto a nação queima, construindo suas igrejas, em vez de o reino de Cristo.

- As escolas públicas estão destruindo a fé de crianças cristãs.

- A legislação é introduzida para eliminar os direitos dos pais.

- As crianças são ensinadas que elas vieram dos macacos.

- Milhões de crianças são "medicadas" para controlar seu comportamento.

E os púlpitos estão em silêncio

- O jogo é promovido para pagar escolas.

- Bebês preciosos estão sendo assassinados no útero.

- Planejamento Familiar mata bebês com nossos impostos.

- Juízes fazem leis.

E os púlpitos estão em silêncio

- A tolerância supera a Verdade.

- Á sodomia homossexual é concedida proteção legal.

- A instituição do casamento está desmoronando.

- Obama diz que o Sermão da Montanha, justifica o casamento gay.

E os púlpitos estão em silêncio

- O governo substituiu Deus como defensor e provedor.

- Iniciativas baseadas na fé convidam o governo para a Igreja.

- A Receita Federal amordaça a voz da Igreja.

- Impostos são cobrados para fazer o trabalho da Igreja.

E os púlpitos estão em silêncio

- A igreja cruza os braços com compassivo-conservadorismo.

- Agências de serviço separam as crianças da família.

- Livros de autoajuda substitui a Bíblia.

- Uma Vida com Propósitos é mais importante que morrer para si mesmo.

E os púlpitos estão em silêncio

- G.W. Bush diz que cristãos e muçulmanos adoram o mesmo Deus.

- A Constituição é ignorada.

- Os pagãos rezam para abrir uma sessão do Congresso.

- Nossos irmãos eleitos mentem e roubam.

E os púlpitos estão em silêncio

- A propriedade privada é roubada pelo governo.

- A mãe terra é protegida mais do que Deus Pai é exaltado.

- O Palácio da Alvorada é mais anticristão do que qualquer Palácio da Alvorada na história.

- A indústria do entretenimento celebra e promove devassidão.

E os púlpitos estão em silêncio

De uma época passada, o som do púlpito retumba ao longo dos tempos.

"Poderia um salva-vidas permanecer ocioso ​​ouvindo o grito de afogamento? Poderia um médico se sentar com conforto e deixar seus pacientes morrerem? Poderia um bombeiro permanecer ocioso, vendo homens queimar e não dar nenhuma mão? Você pode sentar-se à vontade em Sião com o mundo em torno de você CONDENADO?” Leonard Ravenhill.

"Muitas igrejas são pouco mais de quatro paredes e um teto"- Billy Sunday

A voz do púlpito hoje canta uma canção diferente.

"os profetas profetizam falsamente, e os sacerdotes dominam por intermédio deles; e o meu povo assim o deseja. Mas que fareis no fim disso?" (Jeremias 5:31)

Verdade, a justiça é uma coisa do passado.

"Ninguém há que invoque a justiça com retidão, nem há quem pleiteie com verdade; confiam na vaidade, e falam mentiras; concebem o mal, e dão à luz a iniquidade" (Isaías 59:4)

E tragicamente, os púlpitos estão em silêncio.

"E isso fazei, conhecendo o tempo, que já é hora de despertardes do sono; porque a nossa salvação está agora mais perto de nós do que quando nos tornamos crentes. A noite é passada, e o dia é chegado; dispamo-nos, pois, das obras das trevas, e vistamo-nos, pois, das obras das trevas, e vistamo-nos das armas da luz. Andemos honestamente, como de dia: não em glutonarias e bebedeiras, não em impudicícias e dissoluções, não em contendas e inveja. Mas revesti-vos do Senhor Jesus Cristo; e não tenhais cuidado da carne em suas concupiscências" (Romanos 13:11-14)

Conclusão: Pastores façam um inventário de como e o que tem sido a sua pregação. Será que este artigo se aplica a você? Você Tem estado em silêncio sobre questões que você deve falar?

domingo, 23 de março de 2014

Pastores, parem de pregar

Pastores, parem de pregarHá algum tempo conversei com um homem que havia se convertido há um ano. Ele me disse que havia decidido parar de frequentar a igreja. Surpreso com a decisão dele, indaguei o motivo, e ele me disse: "É simples, existe uma diferença incrível entre a mensagem que ouço aos domingos e a Bíblia que leio diariamente. A Bíblia me transforma dia após dia, mas o que eles pregam na igreja parece estranho."

Jack Deere conta que numa pequena cidade, onde não havia um bar, alguém começou a construir uma taverna, não dando atenção a um pastor da cidade que pregava contra a ideia. O pastor e alguns cristãos reuniram-se para uma vigília com o objetivo de pedir a providência de Deus quanto ao caso. Naquela mesma noite, um raio atingiu a taverna em construção, destruindo-a completamente. O dono do prédio deu início a um processo judicial contra o pastor e a igreja, alegando que os crentes eram os responsáveis pelo que acontecera. O pastor e a igreja contrataram um advogado que negou que eles tivessem alguma coisa a ver com o ocorrido. Quando chegou o dia do julgamento, o juiz afirmou: "Uma coisa ficou muito clara neste caso, não importa qual seja seu desfecho. O dono da taverna acredita no poder da Bíblia e da oração, o pastor e os crentes, não."

Estas duas histórias são reais e chocantes. No entanto, elas refletem a realidade de um grande número de pastores da atualidade. Todas as semanas perto de um milhão de sermões são pregados em cerca de trezentas mil igrejas evangélicas no Brasil. Calculo que uma pessoa que frequente uma igreja por 15 anos, apenas um culto por domingo, já ouviu cerca de 780 sermões. Imagine o poder transformador de tanta pregação, por tanto tempo, na vida de milhões de pessoas. Entretanto, por que um avivamento não acontece? Por que os evangélicos não aniquilam a corrupção em lugar de serem aniquilados por ela?

É impossível deixar de fazer uma comparação. Por que Jonas, Pedro, Paulo, Spurgeon e Moody pregaram com mais dificuldade do que nós e causaram efeitos "devastadores"? Por que não vemos quase nada parecido a isto hoje?

Talvez a resposta esteja num "pedido" aos pastores: Parem de pregar!

1) Parem de pregar sermões onde não há alegria e são pregados por causa da obrigação com o emprego e porque estão sendo pagos pela igreja;
2) Parem de pregar sem antes estudar a Bíblia para aplicar em suas próprias vidas;
3) Parem de pregar sem antes dedicar dez a quinze horas de oração e mergulho no texto bíblico sobre o qual falarão;
4) Parem de pregar sermões prontos do seu bispo ou apóstolo, sem coração, paixão ou emoção;
5) Parem de pregar sermões copiados da internet, sem vida e sem experiência pessoal;
6) Parem de pregar suas ideias pessoais, justificadas com alguns versículos bíblicos;
7) Parem de pregar regras para as pessoas viverem, que vocês nunca viveram.
E a lista poderia ir embora...

Preguem a Palavra, poderosa, penetrante, transformadora e verdadeira.

Deixo um desafio que recebi há cerca de 30 anos, quando estudei pregação expositiva com um homem chamado Karl Lachler. Depois que ele nos explicou o poder da pregação da Bíblia – primeiro para a minha vida e depois como uma ferramenta que o Espírito Santo usa para alcançar outros –, a única coisa que consegui fazer naquele dia foi: me quebrantar, chorar, orar, chegar a minha casa e jogar fora todos os sermões que tinha, pedir perdão a Deus e começar tudo de novo. Nunca mais um sermão foi igual.

O apelo naquele dia foi: Parem de pregar na sua própria força ou sabedoria, mas deixem-se usar pelo Espírito, e o que Deus falar através de você incendiará o mundo. Talvez seja hora de parar de pregar do jeito que você está pregando e experimentar algo novo.

Josué Campanhã é escritor, palestrante, consultor e pregador

quinta-feira, 20 de março de 2014

Como Pregar Com o Objetivo Correto

Como Pregar Com o Objetivo CorretoEu gostaria de pensar que o que vou dizer é obvio, e que não é necessário tratar dessa questão. Mas eu ainda suspeito que possa estar equivocado.

O objetivo da leitura da Bíblia, e de fato, o objetivo de ouvir uma Pregação, não é para reunir informação. Ainda que isto não seja um mal resultado, mas não é o objetivo real, ou pelo menos não deveria ser.

Como pregador, o objetivo de passar tempo na Palavra de Deus, não é encher o cérebro com os fatos, ou seja, com informações, para que possamos impressionar os nossos ouvintes na nossa próxima mensagem. Não é para reunir informação para que possamos nos sentir bem acerca de nosso conhecimento em relação aos demais. Agora, isto não quer dizer que o conhecimento da bíblia que temos em nosso cérebro não importa. Sim, é importante, e muito. Mas nosso objetivo na leitura da Bíblia, e nossa meta e Objetivo na Pregação da Palavra de Deus, não é primordialmente intelectual, mas espiritual.

O objetivo de passar tempo na Palavra de Deus é conhecer, relacionar-se e responder a Deus. Adoramos a Deus, não a Bíblia. Sem duvida, podemos conhecer a Deus e responder a Deus, bem como passar tempo no que Ele tem dado de Si mesmo a nós através da Palavra, a Bíblia.

Você precisa ter isto muito claro na Pregação. Incluso se você sabe disso, creio que alguns de seus ouvintes ainda estarão no “Preciso saber mais, preciso educar minha escola de espiritualidade”.

Como pregadores, nós primeiro temos que viver, e logo também pregar, já que vivê-lo é de vital importância e de maneira absoluta do cristianismo como relação.

Alguns dos seus ouvintes podem ser que não entendem isto. De fato, eles podem estar muito preocupados e inclusive desanimados na luta por reter informação. Você como Pregador deve ajuda-las a conhecer que o verdadeiro objetivo é Conhecer e Responder a Deus.

O objetivo da pregação não é principalmente informativo ou educativo, ainda que isso faça parte, mas não é o mais importante. O objetivo sempre deve ser “Espiritual”. O objetivo é Deus, é conhecê-lo, e não o quanto eu sei dEle.

Pr. Aldenir Araújo

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

As características de liderança de Moisés

lideranca-de-moisesTexto: Hebreus 11:23-29
 
Hebreus 11:23 Pela fé Moisés, logo ao nascer, foi escondido por seus pais durante três meses, porque viram que o menino era formoso; e não temeram o decreto do rei.
Hebreus 11:24 Pela fé Moisés, sendo já homem, recusou ser chamado filho da filha de Faraó;
Hebreus 11:25 escolhendo antes ser maltratado com o povo de Deus do que ter por algum tempo o gozo do pecado,
Hebreus 11:26 tendo por maiores riquezas o opróbrio de Cristo do que os tesouros do Egito; porque tinha em vista a recompensa.
Hebreus 11:27 Pela fé deixou o Egito, não temendo a ira do rei; porque ficou firme, como quem vê aquele que é invisível.
Hebreus 11:28 Pela fé celebrou a páscoa e a aspersão do sangue, para que o destruidor dos primogênitos não lhes tocasse.
Hebreus 11:29 Pela fé os israelitas atravessaram o Mar Vermelho, como por terra seca; e tentando isso os egípcios, foram afogados.
 
Introdução: Um dos exemplos mais notáveis ​​de liderança na Bíblia é o exemplo de Moisés. Eu acho que é importante notar que ele aprendeu os princípios de liderança e a fé de seus pais (ver versículo 23) e ele aprendeu princípios de liderança e organização de seu sogro, Jetro (Êxodo 18:13-27 ).
 
Moisés foi um aluno capaz e se torna um líder capaz, com grandes características de liderança. Hebreus 11 lista Moisés na grande galeria dos heróis da fé e descreve as características de liderança que lhe permitiu ter sucesso na imensa tarefa que lhe foi dada pelo Senhor.
 

I. Fé

Hebreus 11:24 “Pela fé Moisés, sendo já homem, recusou ser chamado filho da filha de Faraó”.
 
Que incrível história de fé. Moisés, como você sabe, foi colocado pela fé no rio e salvo das águas pela filha do Faraó e levado para ser criado como seu próprio filho. No entanto, ele foi realmente criado por seus próprios pais que fizeram o papel de babá.
 
Mas quando Moisés tinha certa idade, ele escolheu Deus e seu povo ao invés da casa, fama e riqueza de Faraó. Para isso foi necessário esperança e fé em Deus, mas isso é o que devemos ter para ser um grande líder para Deus.
 
Hebreus 11:1 “Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que não se vêem”.
 
Precisamos de pessoas de fé genuína na liderança cristã hoje.
 

II. Fidelidade

Hebreus 11:25 “escolhendo antes ser maltratado com o povo de Deus do que ter por algum tempo o gozo do pecado”
 
A integridade é a solidez moral e ética. No plano físico, é uma integralidade ou totalidade não reduzida ou ininterrupta. Muitas pessoas em posições de liderança realmente não se qualificam para a liderança, porque eles são um fracasso na área da moralidade e da ética. Eles são um fracasso na área de sua relação com Deus e isso se nota em suas relações com o homem.
 
Precisamos de mais pessoas com integridade na liderança cristã hoje.
 

III. Prevenção


Hebreus 11:26 “tendo por maiores riquezas o opróbrio de Cristo do que os tesouros do Egito; porque tinha em vista a recompensa”
 
Moisés viu o grande panorama não apenas os problemas do momento. Ele viu a grande figura de Deus. Muitos ficam focados na pequena figura... figura do homem. A grande figura de Deus é maior do que a figura do homem, não importa quão boa a figura do homem é.
 
As riquezas de Cristo são maiores do que as riquezas de Faraó, mesmo que o caminho para a riqueza de Cristo nos leva através do sofrimento. Ainda vale a pena seguir a Cristo.
 
Nós temos que ter uma visão que vê mais do que os problemas, mas também vê a possibilidade por causa do poder de Deus. Esta é a visão que devemos compartilhar com aqueles que Deus nos dá para liderar.
 

IV. Firmeza

Hebreus 11:27 “Pela fé deixou o Egito, não temendo a ira do rei; porque ficou firme, como quem vê aquele que é invisível”.
 
Decisões devem ser tomadas, mesmo se elas envolvem medo e risco. Moisés tomou a decisão de abandonar o Egito (a segurança de Israel) e sair para a terra prometida (segurança de Deus).
 
Mas sair da segurança do homem para segurança real de Deus, inevitavelmente, nos leva através do deserto e prova a nossa fé em Deus. Mas, é preciso líderes espirituais reais para liderar o caminho, mesmo em face da oposição.
 

V. Desempenho

Hebreus 11:28 “Pela fé celebrou a páscoa e a aspersão do sangue, para que o destruidor dos primogênitos não lhes tocasse”.
 
Agora; uma coisa é decidir e outra coisa é fazer. Quando Moisés estava negociando a libertação de Israel do Egito com Faraó, ele pronunciou as pragas, uma por uma para o Egito. Quando chegou a páscoa, Moisés conduziu Israel para ser obediente à observância, mesmo em uma terra estranha, porque isso era o certo.
 
Era uma figura da cobertura e da redenção fornecida pelo sangue derramado de Cristo na cruz. Essa aspersão do sangue salvou o crente Israel e condenou o descrente Egito. É a mesma coisa hoje. Precisamos de líderes espirituais para nos conduzir em obediência a Cristo.
 

VI. Liberdade

Hebreus 11:29 “Pela fé os israelitas atravessaram o Mar Vermelho, como por terra seca; e tentando isso os egípcios, foram afogados”.
 
Quando Deus diz marche, é hora de se mover. É responsabilidade dos líderes espirituais liderar o povo de Deus através do Mar vermelho da vida. O mar está na frente de nós, as montanhas estão de ambos os lados de nós, e o inimigo está se aproximando atrás de nós.
 
Deus diz que Ele vai abrir o mar e nos dar passagem a seco para o outro lado. É hora de marchar e os verdadeiros líderes com as características de liderança de Moisés conduzir o povo de Deus para o outro lado.
 
Conclusão: Não é à toa que a maioria dos judeus e dos cristãos e de outras religiões igualmente considera Moisés um dos líderes mais capazes de todos os tempos. Ele foi um grande líder espiritual que encarna as grandes características de liderança listadas na Bíblia e que não descrevem apenas Moisés, mas outros grandes líderes que seguiram a Deus, incluindo Davi, Neemias e o Apóstolo Paulo, para citar apenas alguns.
 
E, claro, as características de liderança de Cristo e seus ensinos sobre a fé ofuscam todos eles. (Hebreus 12:1-3)
 
Hebreus 12:1 Portanto, nós também, pois estamos rodeados de tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo embaraço, e o pecado que tão de perto nos rodeia, e corramos com perseverança a carreira que nos está proposta,
Hebreus 12:2 fitando os olhos em Jesus, autor e consumador da nossa fé, o qual, pelo gozo que lhe está proposto, suportou a cruz, desprezando a ignomínia, e está assentado à direita do trono de Deus.
Hebreus 12:3 Considerai, pois aquele que suportou tal contradição dos pecadores contra si mesmo, para que não vos canseis, desfalecendo em vossas almas.
 
Será que estas características de liderança descrevem o seu tipo de liderança? Talvez você precise trabalhar em uma ou duas dessas características para se tornar o líder que Deus quer que você seja para Ele na obra do Reino que Ele lhe deu.
 
Pr. Aldenir Araújo
 
 

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

O ministro e o ministério

O ministro e o ministérioTexto: Efésios 4:11-13
 
Introdução: Este mundo não precisa de mais políticos, filantropos, ou professores. Estamos precisando de pregadores de verdade, de pastores reais que realmente se preocupam, ajudam e orientam seu povo para a honra e glória de Deus. Este mundo precisa de homens de Deus, e esta igreja como qualquer outra igreja precisa de um homem de Deus.
 
Observe:

I. O Homem: Algumas coisas devem ser verdade sobre cada pregador.

A. Seu caráter deve ser impecável:
1. Homem de salvação: II Timóteo 1:9 "Que nos salvou, e chamou com uma santa vocação, não segundo as nossas obras, mas segundo o seu próprio propósito e graça”.
2. Homem de separação: Isaías 52:11 "Retirai-vos, retirai-vos, saí daí, não toqueis coisa imunda; saí do meio dela, purificai-vos, os que levais os vasos do Senhor" I Timóteo 3:1-7 nos ensina a necessidade do caráter deste homem sem culpa e irrepreensível.
3. Homem de súplica: Efésios 6:18 "Orar sempre com toda oração e súplica no Espírito, e vigiando nisto com toda a perseverança e súplica por todos os santos"
4. Homem das Escrituras: II Timóteo 2:15 , 3:16-17
B. Sua vocação deve ser inegável: I Timóteo 1:11-12 "segundo o evangelho da glória do Deus bendito, que me foi confiado. Dou graças àquele que me fortaleceu, a Cristo Jesus nosso Senhor, porque me julgou fiel, pondo-me no seu ministério" O ministério foi colocado em sua confiança e Deus o considerou fiel para colocá-lo no ministério.
1. Deus confia um homem a pregar - É o Evangelho de Deus, e ele confia a seus pregadores.
2. Deus capacita o homem a pregar - é a unção de Deus, e ele unge seus pregadores.
3. Deus emprega um homem a pregar - É o ministério de Deus, e ele emprega seus pregadores.

II. A Mensagem: Algumas coisas devem ser verdadeiras da mensagem de cada pastor:

A. Pregar o Evangelho: Marcos 16:15 , para evangelizar os pecadores
1. Preceitos do Evangelho: I Coríntios 15:1-4
2. Perspectivas do Evangelho: Todo aquele que quiser. Não há exclusões
3. O poder do Evangelho: Romanos 1:16, "para a salvação"
B. Prega a Palavra: II Timóteo 4:2-5, para estabilizar os santos. A Palavra:
1. Produz fé para sua caminhada, Romanos 10:17
2. Produz frutos em sua obra, João 15:16: "Não fostes vós que me escolhestes, mas eu vos escolhi a vós , e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça"
3. Produzir liberdade em seu culto, João 5:39 : "Examinai as Escrituras, porque nelas vós cuidais ter a vida eterna, e são elas que de mim testificam" Quando um homem está certo de sua salvação e sabe dos benefícios de ser redimido, ele é livre para adorar a Deus e louvá-lo por suas bênçãos.

III. O Método: Como um homem deve ir pregar e pastorear.

Há duas coisas:
A. A Essência da Pregação:
1. Expondo a Escritura: "Prega a Palavra"
2. Exaltando o Salvador: "Se eu for levantado...”.
3. Exortando os santos, Lucas 4:18-19 : "O Espírito do Senhor está sobre mim, porque ele me ungiu para pregar o evangelho aos pobres, enviou-me a curar os quebrantados de coração, a proclamar libertação aos cativos, e restauração da vista aos cegos, para pôr em liberdade os oprimidos, e para proclamar o ano aceitável do Senhor" esta foi a profecia de Cristo, e seus pregadores devem pregar assim também.
4. Expondo o pecado, Isaías 58:1: "Clama em alta voz , não dispensa, levanta a tua voz como a trombeta e anuncia ao meu povo a sua transgressão" Corrige, repreende , exorta -2/3 negativo.
B. O exemplo de pastoreio: I Coríntios 2:1-5
1. Declaração do Pastor: v 1: "Eu não fui com sublimidade de palavras ou de sabedoria..."
2. Determinação do Pastor: v 2, "Eu determinei não saber nada, mas Jesus..."
3. Demonstração do Pastor: v 4, " Não com palavras persuasivas de sabedoria humana ... "
4. Desejo do Pastor: v. 5 "que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria dos homens...”.
Um Pastor é importante, porque ele está liderando o povo de Deus
 
- A Igreja Local. É uma necessidade que temos de homens de Deus que levam o povo de Deus nos caminhos de Deus, sob a liderança do Espírito de Deus!
 
A Igreja é uma entidade especial, e o homem de Deus deve ter um coração para sua igreja local mais do que qualquer outra coisa!
 
É especial porque:
 
I. Sua fundação: Mateus 16:18
A. O fundador: o Cristo revelado
B. A fundação: O Cristo Ressuscitado
C. A fortificação: As portas do inferno não prevalecerão contra ela!
II. Sua formação: Deus tem uma maneira específica de formar ou organizar uma igreja. I Tessalonicenses 1
A. Deus chama um homem: v.1 -2
B. Deus confirma a sua mensagem: v 5, "A Palavra veio em poder"
C. Deus ajunta os membros: Ele salva, estabiliza, santifica, e satisfaz.
III. Sua função:
A. Função para cima: orar e adorar
B. Função externa: evangelizar e batizar
C. Função interna: envolver em comunhão, estabelecer na fé, equipar para a luta
IV. Seu futuro: Nós somos a noiva de Cristo, e tudo o que há no Céu é nosso.
Deus confiou suas igrejas locais à direção de seus pastores.
 
Exorto-lhe nesse dia para assumir essa responsabilidade a sério, e amar a igreja que Deus tem confiado a você mais do que qualquer outro trabalho que você poderia fazer.
 
Exorto a sua família para ser fiel no seu estilo de vida como exemplo para o rebanho. Exorto-lhe a ser solidário, compartilhar, e simpatizar com as necessidades do ministério.
 
Exorto a igreja para ver o pastor como o homem de Deus para essa igreja. Ele é um homem de Deus e ele é o homem de Deus para esta igreja. Ele é um homem de Deus, e não o seu homem. Ele trabalha para Deus, não para nós. Ore por ele.
 
Encoraje-o. Não façam fofocas ou criticas. Respeitem sua posição e pregação.
 
Respeitem o seu trabalho, e recompense o trabalhador de acordo com o seu trabalho. Ele é digno de seu salário, e ele é digno de dupla honra.
 
Oh Deus, dá-nos pregadores hoje, os pastores de hoje e de amanhã que levantarão bem alto a bandeira de Cristo e alimentarão o rebanho de Deus, que ele resgatou com seu próprio sangue! Envia homens que preguem para os meus filhos e netos a verdade.

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Como pregar sermões transformadores

Como pregar sermões transformadores"Todos nós temos ouvido pregadores com todas as habilidades de grandes oradores, mas algo está faltando”.

 

A grande pregação envolve não apenas inspiração, mas a pregação de sermões transformadores. Nós não desejamos fazer com que as pessoas apenas conheçam mais da Bíblia, apesar de que é importante e deve ser enfatizado. Nós definitivamente não desejamos simplesmente fazer as pessoas glorificar, chorar, pular, apesar de que pode ser a conclusão inevitável de nossa pregação poderosa. Não, nós buscamos a transformação através de sermões que chamam para a transformação.

 

Pregador, não orador ou palestrante.

Nós pregadores não simplesmente executamos nossas pregações escritas com grande habilidade oratória. Todos nós temos ouvido pregadores com todas as habilidades de grandes oradores, mas algo está faltando.

 

As pessoas glorificam, mas algo está faltando. Eles gostam de ouvir o pregador, e elas podem até entender o momento apenas como algo para desfrutar como arte popular. O culto de adoração é nada mais do que um show para este ouvinte individual, e o ouvinte não pode ser transformado. Não, precisamos de sermões transformadores.

 

Depois, há os professores da Bíblia que deixam as pessoas com um caderno cheio de anotações. As pessoas podem conhecer grandes coisas sobre Israel. Elas podem conhecer fatos esotéricos sobre Melquisedeque e as profecias do Apocalipse. No entanto, uma grande pregação não é apenas conhecer mais fatos. Trata-se de virar a página e se tornar um seguidor transformado pelo poder onipotente de Deus.

 

O Espírito Santo é necessário nos sermões transformadores

Aqui está a chave: Há os pregadores que podem não ter a eloquência de alguns "príncipes do púlpito" Eles podem não ter todo o conhecimento teológico e bíblico de alguns que transformam o púlpito em uma sala de aula, mas eles sabem algo sobre o Deus Altíssimo. Eles sabem algo sobre o Espírito.

 

Como eles fazem isso? Há duas coisas que eu quero enfatizar aqui. Em primeiro lugar, quero enfatizar a importância de uma conexão vital e crescente com Deus mediante a iluminação do Espírito Santo. O pregador precisa conhecer o Espírito Santo e precisa ser conectado à terceira pessoa da Trindade. Não caia na armadilha de tentar pregar em seu próprio poder. As pessoas podem gritar, chorar, glorificar, ou talvez elas serão informadas, ou talvez os dois, mas elas serão transformadas por um sermão transformador?

 

O pregador deve ser impactado por seu sermão transformador

Para garantir a pregação transformadora, o pregador deve ter antes de tudo, uma mensagem que chama o pregador, a uma transformação. Pare de pregar como se somente os outros precisassem melhorar... você já pregou de tal maneira que você foi condenado por seus próprios pecados e defeitos? Se não, você pode ver que o seu povo não tem convicção também. Então, primeiro precisamos de uma conexão vital com o Espírito. Em seguida, termos mensagens que tocam nossos corações antes de pregá-las.

 

Deus contemporâneo nos sermões transformadores

Finalmente, se desejamos pregar sermões transformadores, precisamos fazer um movimento assustador e propenso a erros. Temos que ter a audácia de passar do que Deus fez (no passado) para o que Deus está fazendo. Sim, podemos dizer a coisa errada, mas muita pregação nunca diz o que Deus está fazendo hoje. Se você quer pregar um sermão transformador, você deve antes de tudo entender o que o texto diz e o que Deus fez, mas mover de lá para ter a audácia de dizer o que Deus está fazendo hoje, em seu contexto, em sua congregação.

 

Há uma devoção que deixa Deus no livro, mas não permite Deus no presente. Deus não opera hoje com os fracos e os que sofrem? Será que Deus hoje nos ajuda a vencer os pecados que nos cega? Deus, hoje ataca as estruturas da desigualdade e do mal? Será que Deus hoje não está com os famintos? Esse é o movimento que nós temos que fazer se quisermos pregar sermões transformadores.

 

Por isso, vamos buscar essa conexão com o Espírito Santo. Vamos pregar mensagens que nos chamam a uma transformação e provoque mudança em nós, assim como nos nossos ouvintes. E, finalmente, vamos ter a audácia de falar de Deus e a obra de Deus em nossas circunstâncias atuais. Então, vamos pregar não como um "professor da bíblia" ou como um "orador", mas como um "profeta”.

 

Como um profeta, vamos pregar sermões transformadores!

 

Pr. Aldenir Araújo

 

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Como Neemias encontrou direção através do Espírito Santo

Como Neemias encontrou direção através do Espírito Santo
Texto: Neemias 1:11-13:5-14

1. O Espírito Santo pode levá-lo como Ele levou Neemias a chorar, orar e jejuar para as necessidades de seu povo. Neemias orou: "Eles me responderam: Os restantes que ficaram do cativeiro, lá na província estão em grande aflição e opróbrio; também está derribado o muro de Jerusalém, e as suas portas queimadas a fogo. Tendo eu ouvido estas palavras, sentei-me e chorei, e lamentei por alguns dias; e continuei a jejuar e orar perante o Deus do céu". (Neemias 1:3,4)
Peça ao Senhor para ajudá-lo a chorar, orar e jejuar pelo seu povo permitindo que o Espírito faça a sua obra primeiro em você e nos corações de seu povo antes de qualquer coisa acontecer.

2. O Espírito Santo pode levá-lo como Ele levou Neemias a louvar a Deus em meio a grandes dificuldades. Neemias orou: "e disse: Ó Senhor, Deus do céu, Deus grande e temível, que guardas o pacto e usas de misericórdia para com aqueles que te amam e guardam os teus mandamentos:" (Neemias 1:5)
Peça ao Senhor para dar-lhe o coração para louvar a Deus independentemente dos problemas, pressões ou as pessoas que estão em sua mente.

3. O Espírito Santo pode levá-lo como Ele levou Neemias a confessar os pecados pessoal, e nacional ao Senhor buscando Seu perdão e restauração. Neemias orou: "Estejam atentos os teus ouvidos e abertos os teus olhos, para ouvires a oração do teu servo, que eu hoje faço perante ti, dia e noite, pelos filhos de Israel, teus servos, confessando eu os pecados dos filhos de Israel, que temos cometido contra ti; sim, eu e a casa de meu pai pecamos; na verdade temos procedido perversamente contra ti, e não temos guardado os mandamentos, nem os estatutos, nem os juízos, que ordenaste a teu servo Moisés" (Neemias 1:6-7)

Esteja disposto a confessar e abandonar todo o pecado pessoal antes de tentar conduzir o seu povo

4. O Espírito Santo pode levá-lo como Ele levou Neemias a apontar as pessoas imperativos bíblicos que lhes dão uma direção clara para onde eles precisam focar suas atenções. Neemias orou: "Lembra-te, pois, da palavra que ordenaste a teu servo Moisés, dizendo: Se vós transgredirdes, eu vos espalharei por entre os povos; mas se vos converterdes a mim, e guardardes os meus mandamentos e os cumprirdes, ainda que os vossos rejeitados estejam na extremidade do céu, de lá os ajuntarei e os trarei para o lugar que tenho escolhido para ali fazer habitar o meu nome". (Neemias 1:8,9)

Peça ao Senhor para ajudá-lo a dirigir a atenção das pessoas para os imperativos bíblicos essenciais que são necessários obedecer antes que Deus possa abençoá-los individualmente e coletivamente.

5. O Espírito Santo pode levá-lo como Ele levou Neemias a lembrar a Deus e seu povo das grandes promessas do Senhor, perspectivas e planos. Neemias orou: "Eles são os teus servos e o teu povo, que resgataste com o teu grande poder e com a tua mão poderosa. Ó Senhor, que estejam atentos os teus ouvidos à oração do teu servo, e à oração dos teus servos que se deleitam em temer o teu nome; e faze prosperar hoje o teu servo, e dá-lhe graça perante este homem. (Era eu então copeiro do rei.)" (Neemias 1:10,11)

Peça ao Senhor para ajudá-lo humildemente lembrar a Deus e seu povo das promessas bíblicas, perspectivas e planos para os seus melhores interesses.

6. O Espírito Santo pode levá-lo como Ele levou Neemias a analisar e administrar um ministério para a edificação do reino de Deus e a justiça. O Senhor deu a Neemias a capacidade de acessar as necessidades, organizar o seu povo e administrar a construção do muro que restabeleceria a segurança para o povo de Israel.

Peça ao Senhor para dar-lhe as capacidades analíticas e administrativas para ver que seus ministérios estão efetivamente contribuindo para o crescimento qualitativo e quantitativo do reino de Deus e a justiça em suas comunidades.

7. O Espírito Santo pode levá-lo como Ele levou Neemias a recrutar, formar, motivar e mobilizar as pessoas para trabalhar em conjunto para a realização de tarefas de Deus. O Senhor levou Neemias com a sabedoria, inspiração e habilidade de supervisão para ver um grupo diversificado de pessoas reunidas por seu objetivo comum de ver o muro de Jerusalém reconstruído para a glória de Deus e o bem-estar do povo.

8. O Espírito Santo pode levá-lo como Ele levou Neemias a harmonizar uma grande variedade de personalidades e perspectivas em conjunto para realizar sinergicamente o grande propósito de Deus. O Senhor levou Neemias a ser capaz de suportar todos os tipos de críticas, reclamações e desentendimentos entre pessoas de diferentes origens. Peça ao Senhor para ajudá-lo a harmonizar a diversidade de personalidades e perspectivas no seu grupo para a realização sinérgica dos propósitos de Deus.

9. O Espírito Santo pode levá-lo como Ele levou Neemias a delegar e substituir pessoas chave que podem ajudar a partilhar o fardo da liderança com você. O Senhor levou Neemias nomear anciãos sábios que foram capazes de despertar o melhor de seu povo, envolvendo todos em uma tarefa comum, apesar das objeções naturais.

10. O Espírito Santo pode levá-lo como Ele levou Neemias a combater o bom combate da fé contra os obstáculos espirituais, psicológicos e emocionais. Quando Tobias e Sambalate tentou zombar dos esforços de Neemias, ele se recusou a ceder a aflição, desânimo ou derrota.
Peça ao Senhor coragem para seguir em frente independentemente dos obstáculos espirituais, psicológicas ou emocionais que você está enfrentando.

11. O Espírito Santo pode levá-lo como Ele levou Neemias a superar todos os problemas, pois Ele sabe que o poder de Deus é maior que qualquer que se opõem a ele. Neemias orou: "Por isto, Deus meu, lembra-te de mim, e não risques as beneficências que eu tenho feito para a casa do meu Deus e para o serviço dela" (Neemias 13:14)

Peça ao Senhor para preservar, proteger e promover o que você tem feito para o Seu ministério pelo Seu poder.

Pr. Aldenir Araújo

terça-feira, 26 de julho de 2011

Liderando como Jesus

Liderando como Jesus
Creio que Jesus foi o melhor líder que já existiu.
 
Sério, olha o que ele realizou com apenas três anos de ministério público... ele ainda está impactando pessoas de todo o mundo.
 
Eu queria falar sobre quatro coisas (e há muito mais do que quatro) que eu acredito que Jesus fez que fez dele um líder eficaz. 

1 - Jesus passou tempo com seu círculo íntimo

A ideia de que o líder não pode estar perto com as pessoas com quem trabalha simplesmente não é como Cristo. Jesus não se isolava de "sua equipe", mas Ele fez a vida e ministério com eles. O líder que tem medo de ser conhecido pelo povo a quem foi chamado a servir; está em um lugar perigoso; ele pensa ser melhor do que eles ou possivelmente está tentando esconder alguma coisa deles. Jesus não liderou através do medo ... Ele liderou através de relações e estas só se tornam mais fortes à medida que se gasta tempo com o outro.
Na verdade, Ele realmente os chamou de Seus amigos (João 15:15). Se Jesus pode ser amigo de sua "equipe", então por que não podemos fazer o mesmo? 

2 - Jesus estava mais preocupado com o que seus seguidores estavam se tornando do que o que estavam fazendo

Se um líder se preocupa mais com o trabalho que sua equipe produz, em vez de o fruto que o Senhor está produzindo neles, então muitas vezes ele vai colocar sua equipe em um lugar perigoso, porque ele tentará conduzi-los através de sua agenda ao invés de tentar conduzi-los através da agenda do Senhor. Ele sabia que se eles desenvolvessem um coração totalmente dedicado a Ele que a qualidade do seu trabalho iria mostrá-lo! 

3 - Jesus foi paciente com aqueles mais próximos a ele

Quando lemos os Evangelhos nunca vemos Jesus sendo ignorante com Seus discípulos. Claro, há lugares onde Ele oferece correção e / ou censura... mas esta é a exceção, não a regra... Ele aborda a questão e então segue adiante. Ele se aproxima da sua "equipe" com uma atitude paciente e não presume que só porque alguém comete um erro; que eles são desleal a ele ou simplesmente um idiota que é incapaz de fazer algo significante.
 
Um líder que está sempre perdendo seu temperamento com os outros porque "não entendem", geralmente não percebe que a razão pela qual muitas pessoas não "fazem as coisas" não é porque lhes falta inteligência, mas sim porque não estão sendo bem liderados.  (E... quando Pedro "estragou tudo", negando a Cristo ... Jesus não ignora-o ou "demiti-o", ele desce de Jerusalém para a Galileia para encontrá-lo e restaurá-lo para o ministério! Ver João 21! Grande líderes não dispensa as pessoas primeiro... eles caminham com eles através do erro e restaurá-los!) 

4 - Jesus não era paranoico

Uma das coisas mais loucas que acontece nos círculos de liderança cristã é a ideia incrivelmente insana que um líder sempre tem que ser paranoico sobre as pessoas que estão e não estão com ele ... e que poderia em última análise, traí-lo. Jesus sabia que ia ser traído por Judas ... e ainda assim não o distraia do que Deus o havia chamado para fazer. (Na verdade, eu diria que a traição de Judas levou Jesus a se mover para um lugar maior!) 

Se você está na liderança tempo suficiente alguém vai te trair ... vai doer, no entanto, não nos dá uma desculpa para correr ao redor e constantemente criar uma atmosfera de medo e dúvida sobre nossa equipe e chamar tudo o que não gostamos ou percebemos como um ataque contra uma ideia que poderiam ter como "desleal". 

A melhor pergunta para um líder fazer não é ", essas pessoas são para mim", mas sim, " eu sou para essas pessoas?" Porque ... se uma equipe sabe que o líder lhes ama, que ele quer o melhor para eles e está disposto a lutar para liderá-los, amá-los e ser paciente com eles, então a traição é muito menos uma ameaça; o líder não deve estar sempre em pânico sobre quem pode e não pode trai-lo.

Pr. Aldenir Araújo

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Os maiores líderes possuem essas caraterísticas:

Os maiores líderes possuem essas caraterísticas:

1. Atitude:

O que normalmente separa os melhores do restante? Você já pensou nisso? O que separa o medalhista de ouro no medalhista de prata nas olimpíadas? O que separa o empresário de sucesso daquele que não tem sucesso? O que possibilita uma pessoa vencer na vida depois de um acidente que a deixou incapacitada enquanto outra desiste?

Considerando que algumas pessoas como Mozart, Einstein ou Lance Armstrong , cujos dons são consideradas tão extraordinárias a ponto de realizarem coisas que só conseguimos sonhar, os demais apresentam uma característica fundamental, a sua atitude.

 

O que separa uma medalha de ouro de uma de prata são centésimos de segundo. Jogadores de golfe vencem torneios com uma única tacada. Por que isso acontece?

 

A vantagem do vencedor não está em nascer num berço de ouro, em ter um QI elevado ou ser muito talentoso. Está na sua atitude, na sua aptidão. Atitude é uma das chaves para o sucesso. Atitude não se compra, mas se desenvolve. Por isso ela pode ser uma qualidade ou uma deficiência.

2. Carisma:

O que acontece com você diz muito sobre sua situação. O que acontece em você diz muito sobre seu caráter. E o que acontece por causa de você diz muito sobre o seu c a r i s m a.

 

Charles Schwab, um empresário bem-sucedido, afirmou: “ainda estou para ver o homem, por mais alta que seja sua posição, que não trabalhe melhor e se esforce mais quando sente aprovação do que quando está sob criticas”. Todo mundo quer e precisa de afirmação para alcançar suas realizações. Um menino que jogava dardos com o pai disse: “Vamos fazer assim: eu jogo e você diz: “Muito bem!””. É isso que uma pessoa carismática faz com as outras. Temos a tendência de nos transformar naquilo que a pessoa mais importante de nossa vida pensa que seremos um dia.

 

Pense no melhor, acredite no melhor e expresse o melhor que os outros possuem.

 

Atenção: ter carisma significa preocupar-se mais em levar os outros a se sentir bem a respeito de si mesmos do que em fazer que se sintam bem a respeito de você.

 

Prof. Menegatti é conferencista em Vendas, Motivação e Liderança. Entre seus produtos estão: o Livro "Desperte seu Potencial Emocional", CD Motivacional "Marcado para Vencer", DVD "Campeão de Vendas". A cada palestra, o Prof. Menegatti vem conquistando platéias de norte a sul do país. Contatos: www.menegatti.srv.br - menegatti@menegatti.srv.br

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Quando o ministério se tornar um peso...

Quando o ministério se tornar um peso...Texto: Salmos 51:12 "Restitui-me a alegria da tua salvação".

(Uma Mensagem Para Pastores)

 

Introdução: Cada novo trabalho começa com muita alegria, entusiasmo e expectativa.

Cada novo ministério começa com sonhos maravilhosos e planos. Mas o que acontece quando as realidades de lugares difíceis, as pessoas difíceis, e os problemas difíceis tiram o ar do seu balão espiritual? O que acontece quando o ministério não é mais uma satisfação? O que você faz quando a alegria se foi da sua peregrinação cristã e / ou sua missão celestial? Certamente não significa que você não é espiritual ou que não ama o Senhor. Também não significa que Deus não está agindo em sua vida. Significa simplesmente que você é humano e é hora de...

1. Retorne à sua Betel.

Betel foi o lugar onde Jacó teve a visão de anjos subindo e descendo por uma escada celestial, onde, depois de 20 anos, ele voltou, de acordo com seu voto, a criação de um altar, Gênesis 35:2-7. Volte atrás quando você foi salvo e, posteriormente, chamado para o ministério e lembre-se a maravilha de ser escolhido para anunciar a mensagem do Evangelho glorioso. Quando o ministério se torna um peso, eu volto para o meu Betel.

Quando o ministério se tornar um peso...

2. Abasteça Seu Espírito.

Isaías 40:31 nos lembra: "Mas os que esperam no Senhor renovarão as forças, subirão com asas como águias, correm e não se fatigarão, e eles andarão, e não se fatigarão." Quando Davi estava nas trevas do desespero, ele esperou diante do Senhor e clamou ao Senhor, Salmo 40:1. O perigo do ministério é o perigo de um navio empobrecido, sempre dando, mas não recebendo. Quando o ministério se torna um peso, eu reabasteço meu espírito.

Quando o ministério se tornar um peso...

3. Descanse seu corpo.

Neemias descobriu que "a força dos carregadores era decadente", Neemias 4:10, e a obra parou. A fadiga física é solo fértil para o desânimo emocional, físico e espiritual. Quando o ministério se tornar um peso, tire umas férias, saia e refresque a cabeça. Uma boa noite de descanso e algum tempo para renovação física pode fazer uma grande diferença.

Quando o ministério se tornar um peso...

4. Renove sua visão.

Quando Paulo foi questionado perante Agripa porque ele estava tão comprometido com Cristo, ele respondeu: "Pelo que, ó rei Agripa, não fui desobediente à visão celestial" Atos 26:19. Muitos pastores têm sofrido a perda da visão de seu ministério e seu local de serviço. Os "matadores de visão" têm roubado seus sonhos. Quando Deus te chamou Ele te deu uma missão celestial. Volte para a cruz e renove sua visão. Peça a Deus para lhe dar uma nova visão para o seu local de serviço.

Quando o ministério se tornar um peso...

5. Reestabeleça suas prioridades.

Paulo disse: "Uma coisa eu faço..." Filipenses 3:13. Andar com Deus, pregar a Palavra, o amor de sua família, cuidar do seu povo, cuidar de si mesmo. Estabeleça metas claras, discipline-se a perseguir essas metas, e não deixe as interrupções desviar você. Quando o ministério se tornar um peso, restabeleça suas prioridades.

Quando o ministério se tornar um peso...

6. Alegre-se nas ricas bênçãos do Senhor.

Às vezes não conseguimos ver a terra que mana leite e mel, porque temos os nossos olhos nos gigantes. "Conta as muitas bênçãos... nomeá-las uma por uma, e irá se surpreender o que o Senhor tem feito" Paulo disse: "Eu aprendi a viver contente em qualquer situação." Filipenses 4:11.

Quando o ministério se tornar um peso, faça uma pausa para agradecer ao Senhor pelas muitas e ricas bênçãos que Ele tem livremente concedido a você.

Quando o ministério se tornar um peso...

7. Reafirme as promessas de Deus.

A. A promessa do Seu poder, Filipenses 4:13, I Coríntios. 10:13.

B. A promessa da sua perfeita provisão, Filipenses 4:19.

C. A promessa de Sua presença, Hebreus 13:5.

D. A promessa de Seu propósito, Romanos 8:28, Gálatas 6:9.

E. A promessa de Sua paz, João 14:27.

F. A promessa do paraíso, João 14:1-4.

Quando o ministério se tornar um peso...

8. Estenda a mão a alguém.

Onesíforo encontrou uma grande alegria no ministério de Paulo e foi um incentivador maravilhoso para ele, II Timóteo 1:16-18. Uma das delícias do meu ministério é o de tentar ser um incentivador para os meus irmãos pregadores.

Quando o ministério se tornar um peso...

9. Lembrar os que vos precederam.

Hebreus 12:1 nos lembra da grande nuvem de testemunhas que foram fieis seguiram suas carreiras e agora estão aplaudindo-nos do céu. Eles passaram o bastão do Evangelho para nós para que possamos executar fielmente a nossa carreira. Lembre-se que somos chamados para ser fiel, mesmo quando o ministério se torna um peso.

Quando o ministério se tornar um peso...

10. Alegre-se que seu nome está escrito no céu.

Isso é o que Jesus disse em Lucas 10:20. Nossos maiores dias de celebração estão por vir, quando a alegria será para sempre! Que possamos fixar os nossos olhos em Jesus, Hebreus 12:1. "Vai valer a pena tudo isso quando vir Jesus face a face!"

 

Conclusão: Que nunca nos esqueçamos de que a fonte da nossa alegria é Jesus e não um lugar especial de serviço. Deleita-te também no Senhor. Oro ao Senhor para que o seu ministério se torne prazeroso de novo. Senhor restaure a alegria da nossa salvação... e o nosso prazer de servir.

 

Pr. Aldenir Araújo

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Como se relacionar com pessoas difíceis

Como se relacionar com pessoas difíceis O que determina se o relacionamento será bom ou ruim, não é o tratamento que você recebe, mas a forma como você reage a eles.

 

Há vários tipos de pessoas complicadas, e é útil saber identificar seus traços em comum e aprender a lidar de maneira eficaz:

 

1. Tanque de guerra: gente desse tipo tem a tendência de intimidar os outros por sua atitude: usam a força e o poder. Seu comportamento é agressivo, às vezes até hostil e não dá margem a diálogos.

 

Como lidar: quando surgirem os problemas, seja objetivo, pois elas não entendem muito o que é diplomacia. Infelizmente, causam mais estragos emocionais do que outros tipos de gente complicada, pois não sofrem muito. Além disso, essas pessoas, que usam poder para intimidar, podem contar com muitos aliados.

 

2. Mundo da Lua: vive em seu universo próprio, não se entrosa. Essas pessoas não costumam reagir às técnicas normais de motivação.

 

Como lidar: não o coloque numa posição de liderança. Ele não será capaz de determinar o ritmo dos demais. Não considere a pessoa que vive no mundo da lua um caso perdido. Tente descobrir seu traço mais singular e procure desenvolver. Várias pessoas assim são brilhantes e criativas. Têm muito a oferecer, se surgir a oportunidade apropriada. Elas trabalham melhor quando estão sozinhas, então descubra a área de interesse e ofereça-lhes espaço para sonhar e criar.

 

3. Vulcão: é um tipo explosivo e imprevisível de pessoa que costuma ser muito arredia, provoca muita tensão e é difícil se sentir a vontade, pois nunca se sabe quando estão para explodir.

 

Como lidar: chegue de mansinho, na base dos rodeios, ou faça testes para saber como está o humor. Quando o vulcão está em erupção o segredo é manter a calma e puxar a pessoa de lado. Depois disso, deixe que a pessoa desabafe tudo. Não tente interromper, pois a pessoa não ouvirá o que você tem a dizer. Por fim, leve a pessoa a compreender a responsabilidade que tem sobre as coisas que diz e as pessoas que magoa.

 

4. Melindroso: esse tipo de personalidade tende a se ofender sem mais nem menos. São cheios de auto piedade e tentam comover os outros para que se compadeçam deles. Esse jeito de agir é um mecanismo de manipulação. Se as coisas não estão funcionando como eles querem, os melindrosos podem criar um ambiente pesado e opressivo. São muito habilidosos nisso. Costumam usar o silêncio para conseguir o que querem.

 

Como lidar: primeiro, alerte o melindroso sobre o fato de que melancolia é uma questão de escolha. Isso é fundamental. Muitas pessoas usam a melancolia para manipular os outros e assumir o controle. Raramente são melancólicas quando estão sozinhas. Segundo: não dedique atenção demais, principalmente se tiver outras pessoas presentes, pois farão de tudo para chamar a atenção. Às vezes é útil mostrar aos melindrosos, pessoas que enfrentam problemas de verdade. Talvez isso ajude a ver a si mesmos de uma maneira diferente e, com isso, assumam uma atitude positiva.

 

5. Estraga-prazeres: são negativos o tempo todo. Acham tudo impossível e sempre acham um problema em toda solução. Adoram contar e reprisar as ofensas que sofreram nas mãos dos outros. Elas afagam as próprias feridas e não fazem questão de se curar. O fato de haver coisas negativas na vida já é ruim, mas colecionar desgraça e andar por aí lamuriando-se para que todos vejam, é doentio.

 

Como lidar: com amor, mas com firmeza, demonstre confiança nessa pessoa, mas explique que aquela atitude complica tudo. Ela precisa escolher entre ser mais positiva ou não. Se optar pela mudança de comportamento, será mais alegre. Se resolver ficar como está, a melhor coisa a fazer é afastar-se dela.

 

6. Aproveitador: é a pessoa que manipula as outras, evita responsabilidade. Costuma usar a culpa para conseguir o que desejam. Usam uma fachada de coitadinhos para que as pessoas se sintam em falta com elas e as ajudem.

 

Como lidar: comece determinando os limites aos quais você se dispõe a chegar para ajudá-lo. Senão, ele aciona o mecanismo da culpa dentro de você para enfraquecê-lo. Lembre-se de que esse tipo de pessoa não se satisfaz quando você anda o segundo ou o terceiro quilometro, se permitir, o levarão até o fim do mundo. Exija responsabilidades. Caso contrário, você acaba levando o peso todo nas costas, enquanto ela segue seu caminho sem dificuldades. Não se sinta em divida com os aproveitadores. Na maioria das vezes, um simples e firme “não” é o melhor remédio.

 

Autor: Prof. Menegatti é conferencista em Vendas, Motivação e Liderança. Entre seus produtos estão: o Livro "Desperte seu Potencial Emocional", CD Motivacional "Marcado para Vencer", DVD "Campeão de Vendas". A cada palestra, o Prof. Menegatti vem conquistando platéias de norte a sul do país. Contatos: www.menegatti.srv.br - menegatti@menegatti.srv.br

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Antes do Púlpito

Antes do PúlpitoTexto: Jeremias 2:1-2  

Introdução: Quando uma congregação senta para ouvir um pregador no púlpito não imagina o que já aconteceu antes daquele momento.  

Basta recordar a história do profeta Jeremias para saber que muitas coisas acontecem antes do púlpito. O púlpito é a parte romântica do ministério pastoral.  

O que vem antes do púlpito são os espinhos desse ministério. Jeremias fez tudo o que pode para não ter um púlpito. Ele disse: “Eis que não sei falar; porque não passo de uma criança”  (1.6). Mas Deus lhe disse em resposta: “Antes que eu te formasse no ventre materno, eu te conheci, e antes que saísses da madre, te consagrei e te constituí profeta entre as nações” (v. 5). “Não temas diante deles; porque eu sou contigo...” (v. 8). “Eis que ponho na tua boca as minhas palavras” (v. 9).  

O pregador que usa o seu púlpito com responsabilidade sabe que existem fatos que lhe dão autoridade na pregação.  

Vamos citar alguns desses fatos, para que os pregadores que têm um púlpito façam uma autocrítica do seu ministério.

I. O primeiro fato é que antes do púlpito há um chamado.

Não é o púlpito que faz o pregador.  É o pregador que dignifica o púlpito. O pregador não acontece por acaso. Deus chama o pregador para ser sua boca; e Deus fala por intermédio dele. Deus chama quem Ele quer e como Ele quer para ser o seu pregador. O profeta Amós disse: “Eu não sou profeta, nem discípulo de profeta, mas boieiro e colhedor de sicômoros. Mas o SENHOR me tirou de após o gado e me disse: Vai e profetiza ao meu povo Israel” (Amós 7.14,15).

Deus não está à procura de grandes oradores. Os grandes oradores não têm púlpito.

Eles querem mesmo é uma tribuna. Deus precisa de homens de púlpito e não de homens de tribuna.  

O púlpito é algo que está relacionado diretamente com a Palavra de Deus (Neemias 8.4,5).

Infelizmente, por total ignorância da história da pregação e da teologia do púlpito, as Igrejas estão trocando o seu púlpito pelo palco onde tudo pode acontecer. Acontece desde a pregação da Palavra até exibições de música, teatro, coreografia e balcão de venda de CDs. Somente entende o púlpito quem recebeu o chamado para o ministério da pregação.

II. O segundo fato é que antes do púlpito há um preparo.

A Igreja não pode ceder o seu púlpito para qualquer pregador. Ela precisa saber quem é o homem que irá ministrar a Palavra no seu púlpito.

Paulo diz: “quem deseja o “episcopado” – o homem que usará o púlpito – não pode ser neófito. Isto é, não pode ser pessoa imatura.  

O preparo antes do púlpito envolve conhecimento das doutrinas cristãs, conhecimento das necessidades humanas, conhecimento da história da Igreja e conhecimento das técnicas da pregação.  

Não basta para o pregador um curso de bacharel em teologia, de mestrado, de doutorado. Esse preparo antes do púlpito vai muito além. Trata-se de um conhecimento de Deus, o Deus da vida pessoal do pregador. Por isso Paulo teve a ousadia de fazer este desafio: “Sede meus imitadores, como também eu sou de Cristo” (1Co 11.1).

III. O terceiro fato é que antes do púlpito há uma luta.

Pregador que usa o púlpito antes de ter enfrentado uma luta espiritual não pode ser considerado pregador. Ele pode ser um excelente orador; conhecedor de todas as regras da oratória, mas não é pregador. O pregador tem KERIGMA (mensagem) e não discurso.  

Satanás não gasta o seu tempo com discurso. Ele é capaz de convocar as suas hostes demoníacas para impedir o KERIGMA que está para ser pronunciado no púlpito. Essa luta de Satanás com o pregador acontece antes do púlpito. Identificamos essa batalha quando o pregador responsável vê aproximar-se o dia de sua pregação e o KERIGMA parece não chegar ao seu coração. Um bom exemplo dessa luta antes do púlpito é a história de Moisés no monte Horebe.  

Deus fala a Moisés: “Vem, agora, e eu te enviarei a Faraó, para que tires o meu povo, os filhos de Israel, do Egito”. Então disse Moisés: “Quem sou eu para ir a Faraó...?” (Êxodo 5.10,11). “Eis que quando eu vier aos filhos de Israel e lhes disser: O Deus de vossos pais me enviou a vós outros; e eles me perguntarem: Qual é o seu nome? Que lhes dirás?” “Disse Deus a Moisés: Eu Sou o que Sou. Eu sou me enviou a vós outros” (Êxodo 3.13,14).  

Essa luta de Moisés para aceitar a sua Missão de libertador, corresponde à luta do pregador com Satanás antes do púlpito.

IV. O quarto fato é que antes do púlpito há uma paixão.

O púlpito é o lugar dos apaixonados pelas almas perdidas. Paulo declarou enfaticamente: “Se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, pois sobre mim pesa essa obrigação; porque ai de mim se não pregar o evangelho!” (1Co 9.16). Antes do púlpito o pregador é como um garimpeiro que busca pedras preciosas nas páginas das Sagradas Escrituras para enriquecer as pobres almas que andam, sem destino, pelos caminhos da vida.  

A pregação do púlpito é o desabrochar de um coração cheio de amor pelas multidões aflitas e exaustas, como ovelha que não tem pastor. Púlpito não é lugar de políticos. Eles têm os seus palanques eleitorais. Também não é lugar de “astros”. Eles têm o seu palco e seu “fã clube” para aplaudi-los.  

Púlpito é para pessoas que amam a Deus de todo o coração, de toda a alma, de toda a força e de todo o seu entendimento; amam o seu próximo como a si mesmo. Paixão exige renúncia, sacrifício e ação; e púlpito sem paixão é púlpito sem vida. Wesley dizia: “A minha paróquia é o mundo”. Knox clamava: “Senhor, dá-me a Escócia ou eu morro”.

Moisés pediu: “Agora, pois, perdoa-lhe o pecado; ou, se não, risca-me, peço-te, do livro que escreveste”. Então disse o Senhor a Moisés: “Riscarei do meu livro todo aquele que pecar contra mim” (Êxodo 32.32,33).  

O púlpito foi a paixão de Henry Martins, missionário na Índia, que clamava: “que eu me consuma por Deus e pelas almas”.  

Conclusão: É hora de restaurar o púlpito nos cultos de nossas Igrejas. No reinado de Acabe os altares do Senhor foram destruídos e nos seus lugares foram construídos os altares de Baal e os postes ídolos.  

A palavra de Deus estava totalmente esquecida em Israel, até que surgiu o profeta Elias e“restaurou o altar do Senhor, que estava em ruínas” (1Rs 18.30). Então Deus se manifestou nesse altar reconstruído, “o que, vendo todo o povo, caiu de rosto em terra e disse: O Senhor é Deus! O Senhor é Deus” (1Rs 18.39).  

Assim como Elias restaurou o altar do Senhor; precisamos ter coragem e restaurar o púlpito de Deus em nossas Igrejas. Eliseu, acompanhando os passos de Elias até o seu arrebatamento, tomou o manto que Elias lhe deixara cair, feriu as águas do Jordão e disse: “Onde está o Deus de Elias?”.  

Sabendo que os púlpitos do Senhor estão em ruínas, podemos mudar a tônica da pergunta de Eliseu e clamar: Onde estão os Elias de Deus que se disponha a enfrentar os Acabes e os profetas de Baal, restaurando o nosso púlpito, tão banalizado pela mídia do evangelicalismo?