Menu

Browsing "Older Posts"

Browsing Category "Jovens"
>

O projeto de Deus para o sexo

terça-feira, 18 de maio de 2010 / 2 Comentários
O projeto de Deus para o sexoTexto: Gênesis 1:27-28

Introdução: Deus nos criou para sermos amorosos, relacionáveis, seres sexuais, e quando seguimos o projeto e o propósito de Deus para estas coisas, vamos experimentar a satisfação, realização e prazer.
"Porque eu bem sei os pensamentos que penso de vós, diz o Senhor; pensamentos de paz e não de mal, para vos dar o fim que esperais" (Jeremias 29:11).
· Deus é bom, e Ele nos ama, e Ele tem bons pensamentos e planos para nós.
· A Bíblia é o modelo - O projeto de Deus para as nossas vidas, em sua infinita sabedoria.
· Projeto definido =
O que planejamos fazer.
Desígnio, tenção, plano, cometimento.
Primeira redação! de uma lei, estatutos, etc., que se submete à aprovação.
Constr. Plano gráfico e descritivo.

Vamos pensar sobre o sexo da maneira como Deus pensa sobre o sexo.

· Todas as idades precisam de saber isso - casados ou solteiros, jovens ou velhos.
· Isso pode parecer estranho para você, que Deus pensa sobre o sexo.
· Deus pensou sobre isso, ele criou, e Ele tem um jeito para que ele funcione.
· Deus disse: "era muito bom" Não deveria ser difícil para nós falarmos sobre sexo.

1. Deus é a favor do sexo

"E criou Deus o homem à Sua imagem; à imagem de Deus o criou; macho e fêmea os criou. E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai, e multiplicai-vos, e enchei a terra..." (Gênesis 1:27-28).
· As duas mais importantes verdades que aprendemos da Palavra de Deus: Deus nos criou, e nos ama.
· Quando Deus criou Adão e Eva, Ele lhes ordenou que tivessem relações sexuais.
· Deus nos projetou para sermos criaturas sexuais. Ele espera que o sexo seja uma experiência deliciosa.
Provérbios 5:18-19 - Deus encoraja os homens a desfrutar e estar satisfeito com a sua esposa.
Cantares de Salomão – Descreve o amor e o relacionamento sexual entre uma mulher e o marido
I Coríntios 7 – Aos maridos e esposas a Bíblia diz para desfrutar do sexo
· Satanás veio e roubou o que Deus criou, e o sexo é visto como algo sujo ou vergonhoso que você não deveria falar.
· Deus quer que nós conheçamos sobre esse presente maravilhoso, e não aprender sobre ele na TV, nas ruas, em alguma festa de pijamas, ou em um filme pornográfico.

2. Deus criou o sexo para o relacionamento conjugal

"Portanto, deixará o homem o seu pai e a sua mãe e se unirá à sua mulher, e serão ambos uma só carne. E ambos estavam nus, o homem e sua mulher; e não se envergonhavam" (Gênesis 2:24-25).
· O projeto de Deus é um homem e uma mulher em uma relação de casamento comprometidos ao longo da vida.
· O que aconteceria no planeta se todo mundo começasse a seguir o design de Deus?
ü Não haveria mais prostituição, o tráfico de escravos do sexo, adultério, estupro, pedofilia, gravidez na adolescência, a pornografia, culpa, vergonha, medo e dor. Nosso mundo não seria melhor?

3. O sexo fora do casamento é errado:

"Não sabeis que os vossos corpos são membros de Cristo? E eu, porventura, tomaria os membros de Cristo e os faria membros de meretriz? Absolutamente, não. Ou não sabeis que o homem que se une à prostituta forma um só corpo com ela? Porque, como se diz, serão os dois uma só carne. Mas aquele que se une ao Senhor é um espírito com ele.
Fugi da impureza. Qualquer outro pecado que uma pessoa cometer é fora do corpo; mas aquele que pratica a imoralidade peca contra o próprio corpo. Acaso, não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que está em vós, o qual tendes da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos?" (1 Corintios 6:15-19).
· Sexo não é apenas um ato físico, mas há uma união espiritual - uma alma unida - que ocorre.
· Sexo antes do casamento é errado, porque ele viola a lei do amor.
· 1 Coríntios 13:4 diz: "O amor é paciente." O verdadeiro amor espera!
· Não existe sexo seguro fora do casamento! Claro, talvez você possa se livrar de uma AIDS, de se engravidar, e de outras doenças sexualmente transmissíveis. Mas você não pode proteger seu coração.
· Vamos falar mais sobre os benefícios da espera até o casamento: "Por que esperar?"
Ilustração do guarda-chuvas: os mandamentos de Deus são para nossa proteção.
"Agora, pois, ó Israel, que é que o SENHOR requer de ti? Não é que temas o SENHOR, teu Deus, e andes em todos os seus caminhos, e o ames, e sirvas ao SENHOR, teu Deus, de todo o teu coração e de toda a tua alma, para guardares os mandamentos do SENHOR e os seus estatutos que hoje te ordeno, para o teu bem?" (Deuteronômio 10:12-13).
· Por que Deus nos deu Seus mandamentos? Para o nosso próprio bem e proteção!
· Quando você segue o plano de Deus, você está sob o guarda-chuva da proteção.
"Tomará alguém fogo no seu seio, sem que as suas vestes se queimem? Ou andará alguém sobre as brasa, sem que se queimem os seus pés? Assim será o que entrar (dorme) á mulher do seu próximo; não ficará inocente todo aquele que tocar" (Provérbios 6:27-29).
· É preciso reconhecer que há conseqüências para o pecado!
· Quando não seguimos o desígnio de Deus, vamos “ficar molhados" (não sob o guarda-chuvas).

4. Por que Deus criou o sexo?

a. Para produzir a vida: "E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai, e multiplicai-vos..." (Gênesis 1:28).
1. Deus nos ordena a ter filhos, povoar a terra. Este é um dos propósitos
b. Para proporcionar prazer: "Seja bendito o teu manacial, e alegra-te com a mulher da tua mocidade... Deixe seus seios satisfazê-lo em todos os momentos e sempre extasiado com o seu amor" (Provérbios 5:18-19).
1. Se você for casado, encorajo-vos a ler o Cantares deSalomão - Que descreve uma relação sexual intima entre marido e mulher.
2. A questão é - O sexo não é apenas para fazer bebês, é para seu divertimento, também! (Só no casamento)
c. Para promover a unidade: "Por isso o homem deixará seu pai e mãe e se unirá à sua esposa, e os dois serão uma só carne." (Efésios 5:31).
1. Existe uma unidade, uma intimidade, que se realiza. A Bíblia fala sobre “Conhecer” a sua esposa.
d. Para proteger casais casados: "O marido não deve privar sua esposa de intimidade sexual, que é seu direito como uma mulher casada, nem deve privar a mulher de seu marido... Então faça não privar-se de relações sexuais. A única excepção a esta regra seria o acordo de ambos, marido e mulher que se abstenha de intimidade sexual por um tempo limitado, por isso eles podem dar-se mais totalmente à oração. Mais tarde eles devem se reunir novamente para que Satanás não seja capaz de tentá-los por causa de sua falta de auto-controle" (1 Coríntios. 7:3,5).
1. Uma vida sexual saudável no casamento lhe ajudará a defender contra a tentação.
2. Você descobrirá a frequência!

Uma palavra aos pais:

• Se você não ensinar aos seus filhos, eles serão ensinados por alguém. Duas chaves:
1. Ensiná-los a fazer escolhas de entretenimento sábio
a. Se entra lixo, sai lixo! Guarda o coração.
2. Incentive-os a esperar até que eles se tornem mais velhos, para começar a namorar
3. Estatisticamente:
a. Os que começam a namorar aos 12 anos, 91% são sexualmente ativos antes do casamento.
b. Os que começam a namorar aos 14 anos, 56% são sexualmente ativos antes do casamento
c. Os que esperam até os 16 anos, apenas 20% são sexualmente ativos antes do casamento.

Conclusão:
· Deus é a favor do sexo. Deus criou o sexo para o relacionamento conjugal. O sexo pré-marital é errado.
· O sexo no casamento é para a produção da vida, proporcionar prazer, promover a unidade, e proteger os casais.
· É importante falar sobre amor, sexo e relacionamentos, e conhecer o desígnio de Deus.

Pr. Aldenir Araújo
>

Josias, um exemplo para a juventude

quarta-feira, 24 de março de 2010 / 4 Comentários
juventude, jovens
Texto: II Crônicas 34:1-8
“E fez o que era reto aos olhos do Senhor, e andou nos caminhos de Davi, seu pai, sem se desviar deles nem para a direita, não para a esquerda"

Introdução:
1. Contexto de Josias.
2. II Crônicas 34:1-8. Considere o exemplo de Josias, especialmente para aqueles que estão em sua juventude.

I. O caminho escolhido por Josias. II Crônicas 34:1-3a.

A. As ações de Josias servem como exemplo para a juventude de hoje em que Josias decidiu, em tenra idade, dedicar-se a Deus.
1. Salomão escreveu: "Lembra do teu Criador nos dias da tua mocidade" Eclesiastes 12:1.
2. Paulo incentivou Timóteo: "Ninguém despreze a tua mocidade" I Timóteo 4:12.
B. No oitavo ano do seu reinado, Josias começou a buscar o Deus de Davi, seu pai.
1. Josias percebeu a importância de usar a Palavra de Deus como seu padrão de certo e errado. II Crônicas 34:2 - "Josias fez o que era reto aos olhos do Senhor"
2. Josias não se desviou nem para a direita nem para a esquerda.

II. A purificação de Josias. II Crônicas 34:3b - 7.

A. Josias sabia que Judá não poderia prosperar se ele permitisse que o mal existisse ao lado do bem.
1. Josias purificou Judá dos lugares altos, e os bosques, e as imagens esculpidas e as imagens de fundição. II Crônicas 34:3.
2. Ao fazer isso, Josias estava indo contra a religião de seu pai e do seu avô.
B. Os jovens de hoje podem imitar Josias purificando suas vidas do mal.
1. Não é possível "construir" sem antes "derribar".
2. Observe Colossenses 3:8-9: "Mas, agora, despojai-vos também da tudo: da ira, da cólera, da malicia, da maledicência, das palavras torpes da vossa boca. Não mintais uns aos outros, pois que já vos despistes do velho homem com os seus feitos"

III. A participação de Josias na reparação do templo. II Crônicas 34:8.

A. Uma vez que nossas vidas estão livres do mal, é preciso preencher o vazio com o que é justo.
1. Se o vazio é deixado por preencher, o mal retornará eventualmente.
2. Josias percebeu a importância de guardar a Palavra de Deus. II Crônicas 34:21.
B. Um paralelo pode ser estabelecido entre a participação de Josias em reparar o templo e a participação dos jovens no trabalho da igreja.
1. Os jovens têm responsabilidades para com a igreja.
2. Os jovens podem fazer contribuições para a igreja. I Timóteo 4:13-16. “Persiste em ler, exortar e ensinar, até que eu vá. Não despreze o dom que há em ti, o qual te foi dado por profecia, com a imposição das mãos do presbitério. Medita estas coisas, ocupa-te nelas, para que o teu aproveitamento seja manifesto a todos. Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina; persevera nestas coisas; porque fazendo isto, te salvarás, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem”

Conclusão:
1. A vida de Josias serve de exemplo para todos nós, especialmente para aqueles que estão em sua juventude.

Pr. Aldenir Araújo
>

Foge dos desejos da mocidade

sábado, 27 de fevereiro de 2010 / Nenhum Comentário

FOGE DOS DESEJOS DA MOCIDADETexto: II Timóteo 2:22

 

Introdução: O presente tema visa trazer a consideração alguns pensamentos que envolvem uma atitude de autodisciplina cristã e tem como ponto de partida o conselho do apostolo Paulo a Timóteo: “Foge dos desejos da mocidade”

I. O desejo de independência.

Paira no coração de cada jovem um desejo de ser independente, de ser absoluto, de exercer por si mesmo o comando de sua própria vida. E tal desejo costuma se acentuar em diferentes áreas da vida dos jovens.

1. Independência do lar. Provérbios 1:1 – I Reis 3:3 – Provérbios 17:6 – Provérbios 23:22 Provérbios 15:20 – II Samuel 14:28

2. Independência da comunidade. Lucas 15:13

3. Independência da igreja

Milhares de jovens têm perdido sua fé nos dias que findam a adolescência e iniciam a juventude, quase sempre motivados por esse desejo inato de independência da igreja. Às vezes a igreja não lhes soa atraente, existe não raro um ambiente de aparente hostilidade, desprezo ou falta de oportunidade para os jovens, os quais procuram ou são atraídos a outros campos e então se transformam em filhos pródigos.

O cuidado deve ser grande, a atenção deve ser multiplicada, para ajudar os jovens a permanecerem na igreja. Cremos que uma das melhores receitas se chama OCUPAÇÃO na casa de Deus. Outro remédio que sempre funciona é criar um ambiente de amor a igreja dentro do lar. Só isto poderia bloquear o espírito de independência da igreja que muitíssimas vezes tem assaltado os jovens. Lucas 2:42, 46 – Lucas 4:16

4. Independência de Deus.

Este é o ponto crucial, esta é a mais triste decisão. Pior que afastar-se da comunidade, é afastar se Deus, principalmente quando este afastamento é acompanhado de certo raciocínios “lógicos” de que Deus não existe, a igreja está superada, a Bíblia é um livro obsoleto etc..

II. O desejo de ser belo

Embora não se costuma noticiar, existe dentro da maioria dos corações jovens um sutil desejo de se projetar através da beleza física, através do senso estético, dos músculos rijos, da aparência de “Galã” etc.

1. Na verdade, isto é um espírito de vaidade. Provérbios 6:25 – 30:8 – I Pedro 3:3-4 – I Reis 16:13

2. O espírito de competição está bem patente nestes casos. Muitas moças alimentam interiormente uma vontade quase incontrolável de serem “manequins”, ou “misses Brasil, etc. Ester 2:3

3. Isto costuma gerar sérios problemas, muitas vezes de ordem psicológica, como a terrível frustração de não atingir o alvo, outras vezes a procura depressão que pode ser motivada por motivos alheios a vontade pessoal do jovem, como certos defeitos físicos ou estéticos e finalmente os problemas financeiros que podem ser criados com gastos excessivos, para manter um padrão de aparência acima do suportável, por causa do desejo da mocidade. Isaias 55:2

4. Este pode ser finalmente, a matriz de alguns complexos, tanto para cima como para baixo. E, como todos sabem os complexos não deve fazer parte do comportamento regular do cristão.

III. O desejo de enriquecer

Todos nós devemos ter dado conta de que na imensa maioria das mentes juvenis existe um sutil desejo de tornar-se famoso e rico. Naturalmente isto faz parte dos conhecidos e universais “sonhos da mocidade”

Escapam a esta regra os jovens que não nutrem qualquer interesse pela vida, que não alimentam qualquer paixão de entusiasmo por ela e que não vislumbram qualquer futuro importante para si mesmo.

O jovem precisa ser bastante vigilante nesta área, por causa das muitas ofertas que o mundo atualmente apresenta como uma formula “mágica” ou “misteriosa” para fazê-lo atingir seus objetivos.

As ofertas são inúmeras, mas todas ilusórias. O mundo sugere que os jovens podem ser ricos através das diferentes formas de loteria que atualmente existem, no Brasil e fora dele. Podemos ser famosos através do uso de praticas consagradas entre outros jovens, tais como o habito de fumar algo bastante “charmoso”, a dolorosa experiência do “embalos, a moda “chique de periodicamente usar um “tragos”, as idas regulares a um baile, a perversa pratica de uso de motéis etc.

Também faz parte do elenco de oportunidades para enriquecer facilmente a tentação da desonestidade. Quantos têm cedido diante desse provocador e sinistro golpe de Satanás.

A única medicina aplicável é a conservação dos padrões bíblicos.

A verdadeira riqueza que deve ser almejada e perseguida pelo jovem cristão são as riquezas da graça, Efésios 1:7 e as riquezas da glória, Efésios 2:9. São eternas provisões de Deus para o bem estar de nossa alma, e não fantasias para o nosso corpo.

V. O desejo de conhecer

A sede do saber pode muitas vezes ser devidamente justificada. Fomos criados com uma mente capaz de assimilar uma infinita soma de conhecimento. Temos sido privilegiados por Deus com a memória capaz de reter uma gama quase infinita de informações.

Mas não permitamos que a sede do saber seja poluída pelo conhecimento daquilo que não produz vantagens para nossa vida como servos de Deus.

Devemos possuir bastante sabedoria para não armazenarmos excesso de conhecimento, principalmente aquele que pode ajudar-nos a destruir-nos nós mesmos. Sabe-se de muitíssimos casos de pessoas que se afastaram tanto dos pés de Jesus, em busca de “conhecimento” periférico, que nunca mais a Ele voltaram e morreram perdidos dentro de seu conhecimento e fora da presença de Deus.

Paulo recomenda que cada um de nós saiba apenas aquilo que racionalmente lhe convém saber, Romanos 12.3.

O salmista declarou abertamente que não estava interessado em saber coisas que não ultrapassassem a necessidade real de conhecê-las, Salmo 101.3.

Frequentemente a fome de conhecimento pode induzir a pessoa a certo desprezo pelos mais velhos, principalmente por aqueles que não foram tão aquinhoados com possibilidade de alcançar maior soma de conhecimentos para sua própria vida.

O padrão de conhecimento de um jovem não deve ultrapassar o limite de sua fé, para o seu próprio bem. É claro que não estamos sugerindo um patrulhamento naquilo que ele deve ler ou estudar, ou procurar, mas estamos paternalmente sugerindo que tenham bastante sensibilidade espiritual para não se envolver com venenos que poderão eventualmente destruir todo o fundamento de sua fé, arruinar por completo sua alma e fazê-los perder o maior tesouro que vieram a adquirir: sua salvação pessoal e sua comunhão com Deus.

 

Conclusão: Que cada jovem seja ungido pelo Espírito Santo o suficiente para fugir dos desejos da mocidade e manter-se, incólume, nessa quadra da vida, batalhando pela fé que uma vez foi entregue aos santos, Judas 3.