Mostrando postagens com marcador Esboços de Sermões. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Esboços de Sermões. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 23 de julho de 2014

A fé de Abraão - Parte 10

A fé de Abraão - Parte 10Texto: Gênesis 20:1-18

Introdução: Na semana passada vimos os resultados trágicos da vida desperdiçada de Ló no mundo. Hoje à noite vamos ver que a viagem de Abraão continua, mas não sem seus problemas. Quando vimos pela última vez Abraão estava em comunhão com Deus intercedendo pelo seu sobrinho, Ló.

Este capítulo começa com a afirmação de que Abraão continuou sua jornada. No entanto, no versículo dois, descobrimos que ele cai de volta nos seus caminhos ardilosos e engano para se proteger de algum dano. Se não soubéssemos quem era Abraão, e lêssemos este capítulo, pela primeira vez, nós certamente não pensaríamos que esse seria o homem que Deus escolheu para construir uma grande nação e abençoar todas as pessoas do mundo!

Este é um lembrete da verdade da Palavra de Deus. A Bíblia nos diz exatamente do jeito que é, e quando olhamos para um personagem, vemos que Deus nos mostra todos os defeitos e falhas. Podemos aprender algumas coisas com o fracasso de Abraão sobre o que acontece quando um crente comete pecado.

I. Os crentes pecam. V. 1-2

A. Abraão engana Abimeleque.

1. Ele recorre à mesma tática que ele tinha usado no Egito. (Gênesis 12:13) “Dize, peço-te, que és minha irmã, para que me vá bem por tua causa, e que viva a minha alma em atenção a ti”.

2. Ele havia dito aos egípcios que Sara era sua irmã por causa do medo por sua vida.

3. Então Faraó tomou Sara para ser sua esposa.

4. Isso trouxe o juízo de Deus sobre à casa de Faraó.

B. Abimeleque, o rei tomou a Sara para ser sua esposa.

1. Era costume, um rei tomar qualquer mulher solteira que lhe agradasse.

2. Embora ela tivesse passado dos 90 anos, Sara ainda era uma mulher muito bonita e foi tomada por Abimeleque para ser sua esposa.

3. Abimeleque não tinha ideia de que Sara e Abraão eram casados... ele acreditava que eles eram irmãos.

C. Por que Abraão fez isso?

1. Ele era como cada um de nós, ele ainda tinha uma natureza pecaminosa.

2. Ele estava andando por vista e não pela fé. (Gênesis 20:11) “Respondeu Abraão: Porque pensei: Certamente não há temor de Deus neste lugar; matar-me-ão por causa da minha mulher”.

3. Ele não conseguiu julgar este pecado no passado, e agora, Sara tinha compartilhado na mentira. (Gênesis 20:5) “Não me disse ele mesmo: É minha irmã? e ela mesma me disse: Ele é meu irmão; na sinceridade do meu coração e na inocência das minhas mãos fiz isto”.

II. Quando os crentes pecam, o resultado é o sofrimento. V. 3-7

A. Abraão perdeu seu caráter.

1. Abimeleque era o único com integridade.

2. Abraão era enganador e mentiroso.

3. Deus concorda com esta avaliação.

B. Abraão perdeu o seu testemunho.

1. Como ele poderia falar com Abimeleque ou outros sobre o Deus da verdade, quando ele provou ser um mentiroso?

2. Ló perdeu seu testemunho em Sodoma, e Abraão perdeu o em Gerar.

C. Abraão perdeu seu ministério.

1. Em vez de ser uma fonte de bênção, ele foi a causa do juízo.

2. Nenhuma criança nasceu durante este tempo. (Gênesis 20:18) “porque o Senhor havia fechado totalmente todas as madres da casa de Abimeleque, por causa de Sara, mulher de Abraão”.

3. Quando um filho de Deus fica fora da vontade de Deus, a disciplina de Deus geralmente se segue.

4. Ela geralmente afeta os outros: Jonas e os marinheiros a bordo; Acã e a derrota do exército; David trouxe tristeza para sua família.

D. Abraão tentou a Deus.

1. Através de sua decepção ele forçou Deus a intervir milagrosamente.

2. Abimeleque teria tomado inocentemente Sara como sua esposa.

3. O que aconteceria com a semente prometida?

4. Deus teve de intervir e impedir que isso acontecesse.

5. Então Ele fala a Abimeleque em um sonho e explica o que estava acontecendo.

III. Crentes que pecam podem ser perdoados e restaurados.

A. Abimeleque confronta e repreende Abraão. V. 8-10

1. Que vergonha isso deve ter sido para Abraão.

2. Para que um homem não salvo o repreendesse pelo que fez.

3. “... Que é isso que nos fizeste?"

B. Abraão apresenta desculpas para o seu pecado. V. 11-13

1. Ele diz que foi por causa de seu medo.

2. Ele, então, tenta convencer Abimeleque de que ele realmente não estava mentindo... ela é minha meia-irmã.

3. Neste ponto, Abimeleque ainda não está respondendo ao raciocínio de Abraão.

4. No entanto, Abraão aparentemente confessou e se arrependeu de seu pecado diante de Deus.

5. Ele é visto mais tarde orando por Abimeleque e Deus responde suas orações.

C. A restauração e a cura acontecem. V. 14-18

1. Abimeleque e os seus servos compreenderam a importância da obediência a Deus.

2. Eles responderam por medo, não por fé.

3. Sara voltou para Abraão, juntamente com os presentes e mil ciclos de prata.

4. Abraão foi capaz de ser uma bênção para Abimeleque, afinal.

Conclusão: Talvez Deus incluísse esse fato para nos ajudar a não se tornar muito autossuficientes em ler o relato da trágica vida de Ló. Mesmo um homem que é amigo de Deus pode cair. Deus nunca defendeu o pecado enganoso de Abraão, mas Ele defendeu Abraão.

Deus não rejeita seus filhos quando eles pecam, assim como um pai não rejeita seus filhos quando eles fazem algo de errado. Graças a Deus que somos justificados pela fé, e nossa posição em Cristo não é determinado por nossa prática na terra.

Pr. Aldenir Araújo

sábado, 19 de julho de 2014

A oração do Senhor Jesus

A oração do Senhor JesusTexto: João 17:1-5

Introdução

A. Alguma vez você já se perguntou como seria ouvir uma oração do Senhor Jesus? Este texto nos dá essa oportunidade.

B. De todas as horas que Jesus passou em oração ao Pai, este capítulo é a passagem mais longa de todas as orações de Jesus preservadas hoje: esta com certeza é uma oração muito importante!

I. Consideremos o conteúdo da oração de Jesus.

A. Jesus orou por Si mesmo (João 17:1-5).

B. Orou por Seus discípulos (João 17:6-19).

C. Orou por Seus futuros discípulos (João 17:20-26).

II. O que podemos aprender com a oração do Senhor Jesus?

A. Aprendemos que a unidade é muito importante para Ele (João 17:21-23; Efésios 2:11-18; 4:1-3).

B. Aprendemos que certamente a verdade nos fará diferentes (João 17:14-17; 3:20; 15:18-25).

C. Aprendemos que somos importante para nosso Senhor Jesus (João 17:20; Lucas 22:32; Hebreus 7:25-26).

D. Aprendemos que Jesus quer que estejamos com Ele, aqui e no céu (João 17:24; João 14:1-6; 1 Tessalonicenses 4:17).

Conclusão

A. Nos últimos momentos de Jesus na Terra, Seus pensamentos estavam focados nos discípulos que deixaria, e também pensou em você e eu, em quem Lhe seguiríamos depois.

B. Se você não aprender outra lição desta oração memorial, deves aprender que Jesus nos ama e quer que estejamos com Ele por toda a eternidade!

Pr. Aldenir Araújo

quinta-feira, 17 de julho de 2014

A fé de Abraão - Parte 9

A fé de Abraão - Parte 9Texto: Gênesis 19:1-38

Introdução: Se Abraão é caracterizado pela frase "amigo de Deus", Ló seria caracterizado pela frase "amigo do mundo”. Neste capítulo, nós registramos os tristes acontecimentos de declínio espiritual e moral de Ló.

Há muitos contrastes entre estes dois homens. Observe:

1. Quando o Senhor e os anjos vieram visitar no último capítulo que estudamos, Abraão estava sentado na porta de sua tenda enquanto Ló estava sentado à porta de Sodoma.

2. Abraão era um peregrino e estrangeiro só de passagem por este mundo, mas Ló saiu de sua tenda e se estabeleceu em Sodoma.

3. Abraão estava à procura de uma cidade construída por Deus, enquanto Ló se estabeleceu em uma cidade que se opôs a Deus.

4. Deus tinha comunhão com Abraão, mas Ló habitava o lugar de juízo.

5. A mensagem de Deus a Abraão foi motivo de alegria, mas Sua mensagem a Ló foi assustadora.

Hoje à noite, eu quero meditar com vocês em alguns versos-chave que nos revelam ainda maiores diferenças entre estes dois homens.

I. Ló não tomou posição contra o pecado. V. 1-1

A. Sentado a porta indica que Ló estava em um lugar de importância no governo da cidade. (v. 1-3)

B. A homossexualidade era galopante na cidade. (v. 4-5)

C. Ló chamava os homens de Sodoma de "irmãos" (v. 6-7).

D. Ele ofereceu suas duas filhas para esta perversa multidão fazer "a elas o que bem lhes parecer" (v. 8)

E. Estes "irmãos”, em seguida, ameaçaram levar Ló e fazer mais mal a ele do que o que tinha planejado fazer com os anjos. (v. 9)

F. Os anjos não permitiram que tal coisa acontecesse e feriram a máfia com cegueira. (v. 10-11)

II. Ló não tinha nenhuma influência com sua família.

A. Ele recebeu a mensagem do juízo vindouro. (v. 12-13)

B. Quando ele foi avisar sua família, ele foi ridicularizado. (v.14)

C. Por causa de sua fidelidade e obediência, Abraão seria uma bênção para o mundo inteiro, mas Ló só se tornaria um exemplo.

III. Ló e sua família não tinha nenhum desejo de deixar a cidade. V. 15-26

A. Os anjos tiveram que literalmente arrastar Ló e sua família para fora da cidade.

B. Ló pediu autorização para entrar em outra cidade.

C. Você pode tirar o porco para fora do chiqueiro, mas ele ainda continuará sendo um porco!

D. Sua esposa foi transformada em uma estátua de sal, porque ela não pode resistir a uma última olhada.

IV. Ló não tinha frutos por todos os seus anos de trabalho. V. 27-29

A. Abraão observou a uma distância como tudo virou fumaça.

B. Toda a riqueza e ganho material que Ló havia acumulado foram embora.

C. A maioria de sua família foi destruída.

D. Anos desperdiçados... mais nada !

V. Ló não mostrou arrependimento em absoluto. V. 30-38

A. Ele deixou Zoar por medo, não por arrependimento!

B. O resto do capítulo conta a história de sua embriaguez e o relacionamento incestuoso com suas duas filhas.

C. Que imagem vívida da verdade: O pecado irá levá-lo mais longe do que você quis ir, mantê-lo mais tempo do que você quis ficar, e vai custar-lhe mais do que você está disposto a pagar!

Conclusão: Que tragédia! A tragédia de uma vida desperdiçada. A vida desperdiçada de Ló serve como um contraste gritante com o amigo de Deus. Em vez disso, ele era um amigo deste mundo. Ele tinha tudo... sucesso, família, amigos ... O problema, porém, foi que ele deixou Deus fora de sua vida.

A lição para nós hoje não é difícil de entender. Devemos manter nosso coração reto com Deus. Não podemos permitir a atração de este mundo nos cegar para a verdade da Palavra de Deus. Anos após este evento, Deus usou o apóstolo Paulo a escrever: "Tudo o que o homem semear... Isso também ceifará!”.

Pr. Aldenir Araújo

terça-feira, 15 de julho de 2014

A fé de Abraão - Parte 8

A fé de Abraão - Parte 8Texto: Gênesis 18:1-33

Introdução: Na última mensagem vimos um período de silêncio de 23 anos entre o Senhor e Abraão quebrado com a reafirmação da aliança. Agora, no capítulo 18, talvez algumas semanas ou meses após os eventos do capítulo 17, Deus aparece a Abraão novamente.

Abraão é o único homem na Bíblia a receber a designação de “amigo de Deus”. Vemos em três lugares diferentes na Escritura.

(2 Crônicas 20:7) “Ó nosso Deus, não lançaste fora os moradores desta terra de diante do teu povo Israel, e não a deste para sempre à descendência de Abraão, teu amigo?”

(Isaías 41:8) “Mas tu, ó Israel, servo meu, tu Jacó, a quem escolhi, descendência de Abraão”.

(Tiago 2:23) “e se cumpriu a escritura que diz: E creu Abraão a Deus, e isso lhe foi imputado como justiça, e foi chamado amigo de Deus”.

Em nossa passagem esta noite, encontramos um “Amigo” que vêm visitar. Foi no calor do dia, quando a maioria das pessoas estava descansando ou dormindo, e Abraão estava sentado na porta de sua tenda, quando viu três homens se aproximando. Não demorou muito para perceber que estes não eram apenas homens comuns. Ele correu ao encontro deles. (Este é um homem de 99 anos correndo pela planície no calor do dia!).

I. Observe sua excitação. V. 1-8

A. Alguns disseram que ele estava apenas sendo hospitaleiro, como era o costume naqueles dias.

B. Observe a redação destes versos.

1. V. 2 “Ele correu para encontrá-los”

2. V. 6 “Abraão apressou-se para a tenda”

3. V. 6 “Preparem rapidamente”

4. V. 7 “Abraão correu ao rebanho”

5. V. 7 “Ele se apressou em prepará-lo”

C. Toda esta atividade no calor do dia de um homem que estava com quase 100 anos de idade... por quê?

D. Creio que Ele estava animado com o fato de que Deus tinha vindo visita-lo!

E. Seu desejo era ser um servo ao seu amigo.

II. Observe a promessa. V. 9-15

A. O Senhor prometeu que Sara teria um filho. (v. 9-1 0)

1. Deus havia dito a Abraão esta verdade no último encontro.

2. Mas desta vez parece que Deus queria que Sara ouvisse por si mesma.

3. Ele perguntou sobre onde ela estava não porque Ele não sabia, mas para chamar a atenção dela.

4. Sara ouviu de dentro da tenda.

B. Observe a reação de Sara. (v. 11-15)

1. Sara riu consigo, não em voz alta.

2. Ela ainda duvidava que isso pudesse acontecer.

3. Talvez Abraão não tivesse compartilhado com ela o que Deus lhe havia dito a última vez que se encontraram.

4. Em qualquer caso, ela reagiu à notícia com dúvida e risos.

5. O Senhor a confrontou com sua dúvida.

6. "há alguma coisa demasiado difícil para o Senhor?"

a. Ele repetiu a promessa de que Sara teria um filho.

b. Sara estava com medo e negou que tivesse rido, mas Deus sabia o que estava em seu coração.

III. Após o jantar uma conversa com o Senhor. V. 16-33

A. O Senhor tem algo a dizer. V. 16-22

1. Sobre Abraão. V. 17-19

a. Ele vai se tornar uma grande nação.

b. Todas as nações da terra serão abençoadas nele.

c. Ele ordena a sua casa a guardar o caminho do Senhor, para praticarem retidão e justiça.

d. Deus vai cumprir tudo o que Ele prometeu a Abraão.

2. Sobre Sodoma e Gomorra. V. 20-22

a. O clamor era grande e o seu pecado tinha se agravado muito. (Gênesis 13:13) Mas os homens de Sodoma eram maus e grandes pecadores contra o Senhor.

b. Deus iria ver se eles ainda eram tão maus como eles tinham sido.

c. Para fazer isso Ele manda os dois anjos a Sodoma.

d. Eles também foram para avisar Ló do juízo iminente.

B. Abraão tem algo a dizer. V. 23-25

1. "Queres destruir o justo com o ímpio?" "Porventura não é o Juiz de toda a terra?”.

a. Deus nunca teve a intenção de destruir o justo com o ímpio.

b. E não havia dúvida de que Deus faria o que era certo.

c. A pergunta em questão era se Ele pouparia a cidade se encontrasse cinquenta justos.

2. A misericórdia de Deus é vista como Abraão intercede em favor de Ló e o resto dos habitantes de Sodoma e Gomorra. V. 26-33

a. Abraão continua a interceder e fazer apelo a Deus.

b. E Deus responde às propostas de Abraão até chegar ao número 10.

c. Nesse ponto o fim das "negociações”.

d.Será que Deus teria continuado se Abraão não tivesse parado? Alguns pensam que sim. (Jeremias 5:1) “Dai voltas às ruas de Jerusalém, e vede agora, e informai-vos, e buscai pelas suas praças a ver se podeis achar um homem, se há alguém que pratique a justiça, que busque a verdade; e eu lhe perdoarei a ela”.

e.Outros podem dizer não, porque Deus já tinha proposto a destruição das cidades. (Gênesis 19:13) “porque nós vamos destruir este lugar, porquanto o seu clamor se tem avolumado diante do Senhor, e o Senhor nos enviou a destruí-lo”.

f. Deus "mudou de ideia" sobre a destruição das cidades, um exemplo é Nínive.

g. No entanto, existe uma grande diferença entre a forma como o povo de Nínive respondeu e a maldade continua de Sodoma e Gomorra.

C. O Senhor partiu, e Abraão voltou para o seu lugar. V. 33

Este capítulo serve como um grande contraste entre Ló e Abraão. Ló era um amigo do mundo, e Abraão era amigo de Deus.

(Tiago 4:4) “Infiéis, não sabeis que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus”.

Conclusão: O desafio para cada um de nós esta noite é a de escolher ser um amigo de Deus. Como? Como tudo na nossa caminhada espiritual... só pode ser pela fé ! Amigos gostam de passar algum tempo juntos... eles gostam de falar um com o outro ... eles podem contar um ao outro suas mágoas e encontrar encorajamento... eles sabem que mesmo quando parece que ninguém mais se importa ... seus verdadeiros amigos estarão sempre lá. Que bela imagem de nosso relacionamento com Deus!

Pr. Aldenir Araújo

segunda-feira, 14 de julho de 2014

A fé de Abraão - Parte 7

A fé de Abraão - Parte 7Texto: Gênesis 17:1-27

Introdução: Na semana passada vimos o que aconteceu quando Abraão e Sara ficaram impacientes com Deus e tentaram contornar o Seu plano para a sua vida, trazendo Hagar na situação. O capítulo terminou com a intervenção de Deus e a submissão de todas as partes envolvidas. Há um período de silêncio de treze anos entre os capítulos 16 e 17.

Ismael é agora um adolescente, e não é a semente prometida. A última vez que Deus havia falado diretamente com Abraão foi no capítulo 15, quando Deus fez sua aliança com Abraão, mas durante os próximos 23 anos não há comunicação direta registrado. Hoje à noite vamos ver o silêncio quebrado. Com a pausa em silêncio, vamos descobrir alguns novos nomes.

I. Um novo nome para Deus = Deus Todo-Poderoso. V. 1 -2

A. O nome hebraico é El Shaddai.

1. Esta é a primeira de 48 vezes que encontramos este nome de Deus no Antigo Testamento

2. Isso significa que o Deus todo-poderoso e todo-suficiente... Ele pode fazer qualquer coisa e atender a qualquer necessidade.

B. Por que um novo nome para Deus?

1. Depois de tantos anos de silêncio, Deus escolhe se revelar a Abraão como El Shaddai.

2. Agora, quando Abraão e Sara estão "como mortos", Deus garante que ele é suficiente para provocar o nascimento da semente prometida.

3. O Senhor queria que Abraão soubesse que Ele é o Deus que é todo suficiente e todo-poderoso, e que nada é difícil demais para ele.

C. Deus reafirma sua aliança com Abraão.

1. A frase "Eu farei" é usada mais e mais neste capítulo.

2. "A minha aliança" é usado pelo menos nove vezes.

3. Deus não havia mudado de ideia sobre o que ele ia fazer com Abraão.

4. Embora Abraão deva ter se perguntado sobre isso por causa dos anos de silêncio, Deus não havia mudado o Seu propósito.

II. Um novo nome para Abrão = Abraão v. 3-14

A. O nome Abraão significa "pai de uma multidão". V. 3-6

1. Agora, sempre que Abraão olhava para o chão, para o céu, ou ouvia alguém chamá-lo pelo nome...

2. Ele iria ser lembrado da promessa graciosa de Deus de lhe dar muitos descendentes.

3. Isto ainda era uma promessa e não uma realidade

4. Neste momento, ainda não tinha filho! Mas ele continuou a envelhecer... agora ele tinha 99 anos de idade.

B. Uma aliança eterna e uma possessão perpétua. V. 7-8

1. A promessa de Deus seria para Abraão e à sua descendência que viria depois dele.

2. Junto com esta promessa estava a posse da terra de Canaã para sempre.

3. Esta é a mesma promessa que Abraão recebeu antes, mas cada vez Deus dá informações adicionais.

4. Embora Deus conheça o fim desde o princípio, Ele nem sempre revela tudo para nós imediatamente.

5. Mas um dia a gente vai saber... um dia a nossa compreensão será completa .

C. Um sinal da aliança = circuncisão. V. 9-14

1. Não houve benefício místico ou espiritual adquirido por este rito.

2. Era apenas "um sinal da aliança"... um sinal de obediência.

3. Infelizmente, os judeus, mais tarde, fizeram deste ritual um meio de salvação.

4. Eles não perceberam que a circuncisão representava o relacionamento de uma pessoa com Deus.

5. Muitas pessoas colocam hoje a mesma falsa confiança no batismo, comunhão, e outros ritos.

6. Abraão obedeceu a Deus imediatamente. Nota: v. 23-27

III. Um novo nome para Sarai = Sara. V. 15-17

A. Sara significa "princesa das multidões”.

1. Este seria um nome apropriado para a mãe de reis.

2. Ela seria a mãe da nação judaica.

3. A importância da mudança de Sarai para Sara seria para marcar a ocasião.

B. Sara iria ser a mãe da semente prometida.

1. Não haveria mais intrigas e planos calculistas para “ajudar a Deus”

2. Ficou claro que Sara era para ser a mãe, não mais Agar e nenhum suplente.

3. Neste ponto, Abraão ri.

4. Sua risada é uma expressão de dúvida, enquanto ele tenta igualar a sua fé com as suas circunstâncias.

5. Ele ora para que Ismael possa ser aceito por Deus.

6. Ismael seria a fonte de uma grande nação (16:10) , mas ele não era o que Deus tinha escolhido.

IV. Um novo nome para a semente prometida: Isaque.

A. Ele é nomeado por Deus. V. 18-22

1. Isaque significa "riso" Acho que Deus tem um senso de humor, você não acha?

a. Parece que cada vez que Ele menciona que Abraão e Sara teriam um filho, a resposta foi o riso...

b. Você pode imaginar isso? Um homem de 100 anos, empurrando um carrinho de bebê... ou mulher de 90 anos correndo atrás de uma criança?

2. Ele é o segundo filho nascido que foi nomeado antes de seu nascimento.

3. Estes dois nascimentos representam:

a. Ismael = o nascimento da carne (homem selvagem)

b. Isaque = o nascimento do espírito (alegria e risos)

B. Deus abençoaria Ismael, mas sua aliança seria com Isaque.

1. Ismael era a escolha do homem e o resultado de pensamento e planejamento do homem.

2. Isaque era a escolha de Deus e o resultado da obra de Deus!

Conclusão: Novos nomes porque Deus estava preparando para fazer algo novo! Em um ano, Deus faria acontecer tudo o que Ele havia prometido a Abraão. Sem novo nome para Ismael, porque ele estava fora do pacto da promessa. Deus ia fazer algo maravilhoso, e os esforços do homem não teriam participação.

O mesmo acontece com a salvação. Deus faz algo maravilhoso além do trabalho do homem, para que somente Ele possa receber a glória para ele.

Eu era um pecador, mas eu recebi o perdão do meu Senhor... Isto foi dado livremente, e eu aprendi que ele sempre cumpre a sua palavra... Há um novo nome escrito na glória e é o meu... O sim é o meu... E os anjos vestidos de branco cantam a história de um pecador que voltou para casa!

(Apocalipse 3:11-12 ) “Venho sem demora; guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa. A quem vencer, eu o farei coluna no templo do meu Deus, donde jamais sairá; e escreverei sobre ele o nome do meu Deus, e o nome da cidade do meu Deus, a nova Jerusalém, que desce do céu, da parte do meu Deus, e também o meu novo nome”.

Pr. Aldenir Araújo

sábado, 12 de julho de 2014

Para que se cumprisse a Escritura

Para que se cumprisse a EscrituraTexto: Mateus 5:17-20

Introdução

A. Em comparação com os outros evangelhos, Mateus coloca mais ênfase nas Escrituras do Antigo Testamento.

B. Quando Jesus ensinou ideias que pareciam demasiado radicais para os judeus, alguns o acusaram de tentar destruir o que é sagrado (Mateus 26:61).

C. Mateus nos ajuda a ver que, em vez de tentar abolir a Palavra de Deus, Jesus a cumpriu em todos os aspectos de sua vida.

I. Jesus cumpriu a Escritura em sua existência mortal.

A. Foi anunciado pelo mensageiro de Deus (Mateus 3:3,11-12, 11:10).

B. Nasceu de uma virgem (Mateus 1:22-23; Isaías 7:14).

C. Cumpriu a Escritura em cada lugar que viveu (Mateus 2:5-6,15,23; 4:14-16).

Leia também: A resposta sobre Jesus

II. Jesus cumpriu a Escritura em seus ensinos e ministério.

A. Não se deu a conhecer publicamente (Mateus 8:4, 9:30, 12:16-21, Isaías 42:1-4).

B. Ele ensinou por parábolas (Mateus 13:34-35, Salmo 78:2-3).

C. Ele teve compaixão pelos doentes (Mateus 8:16-17).

D. Trouxe controvérsia e divisão (Mateus 10:34-36).

III. Jesus cumpriu a Escritura em sua morte.

A. Ele entrou em Jerusalém de uma forma humilde (Mateus 21:4-5).

B. Seus discípulos o abandonaram (Mateus 26:31, Zacarias 13:7).

C. Um "amigo" O traiu por 30 moedas de prata (Mateus 27:9-10, Zacarias 11:12-13).

Conclusão: Mateus apresenta claramente a Jesus como "o Cristo, o Filho do Deus vivo" (Mateus 16:16), e nos dá ampla evidência de que podemos compartilhar com um mundo que ainda duvida Dele.

Pr. Aldenir Araújo

sexta-feira, 11 de julho de 2014

A fé de Abraão - Parte 6

A fé de Abraão - Parte 6Texto: Gênesis 16:1-16

Introdução: Nas noites de domingo estivemos considerando um dos principais personagens da Bíblia, Abraão. Temos observado sua vida e sua fé. Hebreus 11:8 nos diz que Abraão seguiu o Senhor pela fé. Em nosso estudo, analisaremos o desenvolvimento de sua fé uma vez que Deus o chamou para ser o pai de uma grande nação. Vimos altos e baixos em sua vida, juntamente com vitórias e derrotas.

Lembre-se que dissemos que tudo o que ele trouxe do Egito, mais tarde, criaria problemas para ele. Esta noite, somos apresentados a Agar, a serva egípcia, e vamos ver os problemas que se desenvolveram em relação a ela. Neste capítulo vamos ver nitidamente o quanto é perigoso confiar em nossa própria sabedoria, em vez de crer em Deus.

I. Esperando em Deus. V. 1

(Gênesis 16:1) – “Ora, Sarai, mulher de Abrão, não lhe dava filhos. Tinha ela uma serva egípcia, que se chamava Agar”.

A. O tempo de Deus é de Deus e somente de Deus.

1. Abraão e Sara estavam esperando por dez anos pelo filho prometido.

2. Isso é muito tempo para esperar, e eles, como nós, não gostavam de esperar.

3. "Nós somos a geração do agora" e esse é certamente o caso.

4. Por que Deus os fez esperar tanto tempo? (Hebreus 11:12) “Pelo que também de um, e esse já amortecido, descenderam tantos, em multidão, como as estrelas do céu, e como a areia inumerável que está na praia do mar”.

5. Deus estava esperando até que eles estivessem "como mortos”, porque assim Ele iria receber toda a glória.

B. Devemos andar pela fé. "Porque andamos por fé, e não por vista" 2 Coríntios 5:7

1. Andar pela fé inclui a disposição de esperar no Senhor.

2. Andar pela fé é se preocupar apenas com a glória de Deus.

3. Andar pela fé significa agir sobre a autoridade da Palavra de Deus.

4. Andar pela fé resultará em alegria e paz em nossa vida.

C. Enquanto esperavam em Deus, Abraão e Sara foram se desviando de sua caminhada de fé.

II. Conspirando em torno de Deus. V. 2-4

A. O plano de Sara.

1. Ela sabia que era incapaz de ter um filho, mas Abraão ainda poderia ser um pai.

2. Ela começou a duvidar de Deus.

3. Afinal, Ele havia dito que Abraão seria o pai, mas não especificamente disse que ela seria a mãe.

4. Seu objetivo não era a glória de Deus, mas apenas para ter um filho. V. 2-5. Ao invés de crer em Deus, ela estava culpando Deus.

B. O consentimento de Abraão. V. 2b

1. Abraão não é isento de culpa em sua saída da caminhada de fé.

2. O plano pode ter sido de Sara, mas ele concordou.

3. Esta não é a primeira vez que um marido escolheu ouvir a sua esposa, em vez de Deus.

4. O problema não foi tanto o fato de Sara ter dado Agar para ser esposa de Abraão, porque a poligamia era uma prática aceita, naquele dia, mas o objetivo por trás do ato estava tudo errado.

5. Como resultado, Deus não reconheceu o casamento deles, ela nunca iria ser referida como a esposa de Abraão, apenas como empregada doméstica ou escrava de Sara.

C. Observe que eles não estavam dispostos a esperar em Deus:

1. Ambos atuaram para agradar a si mesmos ao invés de glorificar a Deus.

2. Eles não obedeceram à Palavra de Deus, e certamente isso não trouxe paz e alegria em seus corações ou em sua casa!

III. Lutando uma com a outra. V. 4-6

A. Este é o resultado natural de seguir a sabedoria do mundo, em vez de Deus.

1. Tiago 4:1, "De onde procedem as guerras e contendas entre vós? Porventura não vêm disto, dos vossos deleites, que nos vossos membros guerreiam?”.

2. De todas as brigas, as brigas familiares são as mais dolorosas e mais difíceis de resolver.

3. Não demorou muito para que o plano de Sara produzisse frutos: Agar engravidou e Sara se tornou amargurada.

B. A falta de lidar com os problemas corretamente sempre leva a problemas maiores.

1. O que eles deveriam ter feito era construir um altar, confessar seus pecados diante de Deus e pedir perdão.

2. O que eles fizeram foi típico de quem anda na carne.

3. Todos os três tinham a sua própria maneira de lidar com o problema.

a. A solução da Sara: culpar o marido e maltratar sua serva. V. 5

b. A solução de Abraão: ceder a sua esposa "o que for preciso para te fazer feliz, querida”.

c. A solução de Agar: fugir.

4. Ter se desviado em sua caminhada de fé levou a ações que tiveram resultados trágicos.

5. A única resposta para eles era ir a Deus.

IV. Submetendo-se a Deus. V. 7-16

A. Agar teve de submeter-se a Deus. V. 7-14

1. O Anjo do Senhor encontrou Agar no deserto, e encorajou-a.

2. Ele disse a ela para voltar ao seu devido lugar de serviço sob Sara.

3. Disse-lhe que, apesar de seu filho não ser a semente prometida, mas sua semente seria muito abençoada.

4. Ismael era o nome dele e que ele seria o pai dos povos árabes.

5. Agar confiou em Deus para proteger a ela e seu filho e voltou a submeter-se a Sara.

B. Sara teve que submeter-se a Deus.

1. Não está registrado de como ela reagiu quando Agar retornou.

2. Mas Agar, sem dúvida, relacionada com a maneira de como o anjo de Deus veio e falou com ela para tranquilizá-la de seus cuidados.

3. Sara já não a maltratou e aceitou-a de volta em sua casa como empregada.

C. Abraão teve que submeter-se a Deus. V. 15-16

1. Ele desempenhou um papel passivo em todo este drama, mas ele também teve de submeter-se a Deus.

2. Ele chama seu filho Ismael de acordo com a palavra do Senhor a Agar.

3. Mais uma vez vemos que Deus está no controle e Abraão aprende essa lição vez após vez em sua caminhada com Deus. (Provérbios 3:5-6) “Confia no Senhor de todo o teu coração, e não te estribes no teu próprio entendimento. Reconhece-o em todos os teus caminhos, e ele endireitará as tuas veredas”.

Conclusão: Abraão e Sara tiveram que aprender a viver com seus erros. Isso é verdade para todos nós. Quando nos desviamos em nossa caminhada de fé, sempre há consequências!

A lição simples para nós é esta: Que Deus realize a Sua vontade na Sua maneira e no Seu tempo.

Pr. Aldenir Araújo

segunda-feira, 7 de julho de 2014

Lembrai-vos da mulher de Ló

Lembrai-vos da mulher de LóTexto: Gênesis 19:15-26

Introdução: Na explicação da certeza e rapidez da sua vinda, Jesus usa o exemplo da repentina destruição de Sodoma e Gomorra como um alerta para que todos possam estar preparados nos últimos dias.

Nos dias de Ló, entendemos que a imoralidade era a regra e não a exceção, pelo menos em Sodoma. Por esta razão, Deus enviou anjos a Sodoma para resgatar Ló antes de destruí-la com fogo e enxofre.

Jesus disse que Sodoma foi apanhada de surpresa, quando vivia sua rotina normal. Comiam, bebiam, compravam, vendiam, plantavam e construíam até o momento em que o fogo caiu do céu e os destruiu. Isso foi trágico, no entanto, no versículo 32 do capitulo 17 de Lucas, vemos algo que eu acredito que é ainda mais trágico do que isso. Somos exortados a "Lembrai-vos da mulher de Ló". Por que devemos nos lembrar dela?

(Lucas 17:32) "Lembrai-vos da mulher de Ló".

I. Lembrai-vos que ela pereceu

A. Mesmo sendo a esposa de um homem justo

1. Ló não era tudo o que ele deveria ter sido.

2. Ele fez algumas escolhas muito erradas.

3. Ele estava muito preocupado com as coisas do mundo.

4. Sua influência sobre sua família não foi o que deveria ser.

5. Contudo, Pedro disse que Ló era um "homem justo". 2 Pedro 2:7-8.

6. Há muitos Lós modernos.

B. Só porque uma pessoa é cercada por pessoas justas, não vai torná-la uma pessoa justa.

1. A mulher de Ló pereceu porque ela fez a escolha pessoal errada.

2. Cabia a ela obedecer as instruções dos anjos para sair e não olhar para trás.

3. Muitos hoje irão perecer e perder tudo, apesar de serem influenciados pelo povo de Deus.

4. Colocar nossa confiança nos meios de salvação ainda é uma escolha pessoal.

(Romanos 10:9-10) "Porque, se com a tua boca confessares a Jesus como Senhor, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, será salvo; pois é com o coração que se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação".

C. Lembrai-vos da mulher de Ló como lembrete da necessidade de um relacionamento pessoal com Jesus Cristo.

II. Lembrai-vos que ela pereceu mesmo sendo avisada ​​do perigo.

A. Deus deu a Ló e sua família todas as oportunidades para sair.

1. Eles ainda permaneciam em Sodoma. Gênesis 19:16

2. Eles finalmente tiveram que ser levados para fora da cidade pela mão.

B. A esposa de Ló estava relutante em crer em Deus.

1. Ela ouviu a mensagem de condenação.

2. Ela ouviu, mas não creu.

3. Na verdade, a razão pela qual ela pereceu foi porque ela parou para ver se realmente iria acontecer.

C. Muitos hoje não creem na palavra.

1. A Palavra de Deus é clara que aqueles que rejeitam a Cristo vão passar a eternidade no inferno.

2. Mas muitos ainda duvidam da Palavra, agarrando-se a falsa esperança.

3. Quantas vezes você já ouviu: "Deus vai entender...”.

4. "Deus não vai mandar ninguém para o inferno!"

5. Infelizmente alguns ainda ouvem a advertência de Deus, mas não creem nelas.

III. Lembrai-vos que ela pereceu olhando para trás

A. Ela fez um esforço para ser salva.

1. Ela só estava comprometida em sua mente.

2. Ela era, em parte, convencida, mas não convertida.

3. Seu corpo estava fora da cidade, mas seu coração estava em Sodoma.

4. Ela não era participante das más ações de Sodoma, mas ela ainda amava as coisas do mundo.

B. Ela olhou para trás porque ela não creu em Deus.

1. Ela recebeu a ordem "Livra-te, salva a tua vida; não olhes para trás, nem pares...”.

2. Ela desobedeceu a ordem, com certeza ela achou que Deus estava sendo muito duro com ela.

3. Os pecadores perdidos não perecem por causa do número de seus pecados, mas por causa da natureza do seu pecado.

4. As Escrituras ensinam que "todos pecaram", não é uma questão de quanto.

(Romanos 5:12) "Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porquanto todos pecaram"

C. Ela quase foi salva da destruição.

1. Quase não foi bom o suficiente, então, não é bom o suficiente hoje.

2. O rei Agripa disse a Paulo que ele estava "quase persuadido a ser um cristão".

Quase não pode ser avaliado; quase não é mais do que fracasso! Triste, triste, que lamento amargo; "Quase, mas pereceu!”.

Jesus disse: "Lembrai-vos da mulher de Ló". Não o nome dela, nem como ela viveu a vida. Devemos lembrar como ela morreu. Ela morreu na incredulidade, desobediente a Palavra de Deus. Deus não quer que ninguém se perca, mas se não prestarmos atenção as Suas advertências vamos sofrer as consequências.

Conclusão: Não demore, creia em Cristo hoje! Obedeça ao Senhor.

Pr. Aldenir Araújo

sábado, 5 de julho de 2014

A fé de Abraão - Parte 5

A fé de Abraão - Parte 5Texto: Gênesis 15:1-21


Introdução: Nas noites de domingo temos meditado sobre um dos principais personagens da Bíblia, Abraão. Temos observado sua vida e sua fé. Hebreus 11:8 nos diz que Abraão seguiu o Senhor pela fé. Nós também somos instruídos a viver as nossas vidas pela fé.


Portanto, esta noite vamos continuar observando este grande exemplo de uma vida de fé.


Vimos na semana passada Abraão em um ponto alto em sua vida. Ele tinha acabado de liderar com sucesso o seu exército contra os quatro reis das cidades-estados e resgatado Ló, bem como todos os outros que haviam sido levados cativos de Sodoma. Ele foi capaz de recuperar todos os bens roubados e foi vitorioso em tudo. Não só foi capaz de vencer o inimigo no campo de batalha, mas também superou o ataque sutil de comprometer-se com o mundo.


No entanto, quando começamos o capítulo 15 , encontramos que o Senhor apareceu a Abraão e as primeiras palavras que disse foram estas: "Não temas”. A caminhada de fé não é sem lutas e dificuldades. Não é necessariamente uma estrada fácil para viajar, mas temos garantias de que não viajamos sozinhos nessa estrada. Deus está conosco em cada passo do caminho. Abraão teve preocupações e medos, mas Deus estava lá para tranquilizá-lo no meio desses medos.


Neste capítulo, vamos ver três áreas de preocupação na vida de Abraão, e vamos ver como é que Deus cuidou de cada uma delas. Ao considerarmos a vida de fé de Abraão, podemos encontrar encorajamento e força para viver pela fé no Deus que suprirá todas as nossas necessidades.

I. Ele estava preocupado com sua segurança. V. 1

A. Por que Abraão teve medo?
1. Nossas emoções podem "desmoronar" após um tempo de grande perigo e dificuldade.
2. Lembre-se de Elias, após a grande vitória no Monte Carmelo temia por sua vida!
3. Outro fator foi a possibilidade de que os quatro reis poderiam retornar com reforços e atacar o acampamento de Abraão.
4. Se Abraão fosse morto, o que aconteceria com a promessa de Deus?
B. Ouça a Deus.
1. "... a palavra do Senhor veio a Abrão...”.
a. Este é o primeiro lugar nas Escrituras onde encontramos estas palavras de encorajamento.
b. Elas aparecem ​​mais de 100 vezes no Velho Testamento.
c. A fé que vence o medo não é a fé em nossos sentimentos, mas a fé na Palavra de Deus.
2. “... não temas, Abrão...”.
a. Mais uma vez, este é o primeiro lugar na Escritura que encontramos estas palavras de segurança.
b. Deus o chama pelo nome.
c. O Deus que nomeia e numera todas as estrelas, também conhece os nossos nomes e se preocupa com as nossas necessidades.
3. "... Eu sou o teu escudo, e teu galardão será sobremodo grande"
a. O remédio de Deus para o medo de Abraão era lembrá-lo de quem Ele era. Salmo 46:10a "Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus"
b. O Deus "EU SOU" é perfeitamente adequado para o homem “Eu não sou".
c. Deus é o nosso escudo e nossa recompensa.
d. Ele é a nossa proteção e nossa provisão.
e. Abraão não precisava se preocupar em lutar outra batalha.
f. E ele não tinha que se arrepender por perder a riqueza que lhe ofereceu o rei de Sodoma, porque Deus iria recompensá-lo com muito mais. Salmo 84:11 "Porquanto o Senhor Deus é sol e escudo; o Senhor dará graça e glória; não negará bem algum aos que andam na retidão".

II. Ele estava preocupado com o seu herdeiro. V. 2-6

A. Nós vemos Abraão perguntando. V. 2-3
1. Deus prometeu que seus descendentes seriam tão numerosos quanto o pó da terra.
2. Mas Abraão e Sara ainda não tinham filhos.
3. E se ele morresse, o único herdeiro seria seu servo Eliezer.
4. Abraão não estava apenas preocupado com si mesmo e sua esposa, embora eles quisessem filhos.
5. Ele estava preocupado sobre como Deus iria executar o Seu plano de salvação para o mundo inteiro.
6. Princípio para lembrar: "A vontade de Deus deve ser cumprida na maneira de Deus e no tempo de Deus"
B. Nós vemos Abraão olhando. V. 4-5
1. Deus deixou claro que Abraão seria o pai do futuro herdeiro.
2. Deus disse: “... aquele que será gerado de ti será o teu herdeiro" Nenhum substituto seria aceitável.
3. Ele lhe disse para olhar para as estrelas e, assim como elas são inumeráveis​​, assim será a tua descendência.
4. Se Abraão olhasse para o pó ou para as estrelas, ele se lembraria da promessa de Deus.
C. Vemos Abraão crendo. V.6
1. As promessas não nos fazem nenhum bem a não ser que nós creiamos e agimos sobre elas.
2. Nós não somos salvos por fazer promessas a Deus, mas crendo em Suas promessas para nós!
3. Abraão mais tarde iria provar sua fé por suas obras, quando ele iria oferecer Isaque sobre o altar, mas agora a justiça foi dada a ele por Deus.
4. Gênesis 15:6 no Antigo Testamento é o equivalente de João 3:16.

III. Ele estava preocupado com sua terra. V. 7-21

A. Abraão buscou segurança. V. 8-12
1. Deus afirmou a Abraão que ele iria possuir a terra.
2. Abraão pediu a Deus um sinal de segurança.
3. Ele estava confiante de que Deus lhe daria o filho prometido, mas a terra estava nas mãos de 10 nações pagãs.
4. Uma coisa era ser dono da terra, outra coisa era possuí-la e disfrutar dela.
5. Deus “faz uma aliança" com Abraão.
a. O costume era que duas pessoas caminhavam juntas pelas partes divididas do sacrifício.
b. Isso seria ligá-los a uma promessa, e em vigor estava dizendo que se não cumprisse sua palavra, mereciam o mesmo destino dos animais sacrificados.
c. Deus não permitiu que Abraão entrasse na aliança com ele.
d. Ele sozinho, passou através das peças do sacrifício.
e. Isso fez com que a aliança ligada só com Deus, fosse unilateral.
B. Os termos da aliança envolveu o plano de Deus para a nação, Abraão, e a terra. V. 13-21
1. O plano de Deus para a nação. (13-17)
a. A escravidão no Egito por cerca de 400 anos.
b. O juízo de Deus sobre o Egito.
c. O livramento de Deus ao Seu povo.
2. O plano de Deus para Abraão. (15)
a. Morte pacífica em uma "boa velhice”.
b. Isso foi aos 175 anos.
c. Abraão iria andar com Deus por cerca de 100 anos.
3. O plano de Deus para a terra. (18 -21)
a. A terra pertence aos descendentes de Abraão através de Isaque.
b. Até o momento, Israel nunca totalmente possuiu toda a terra.
c. No entanto, Jesus Cristo vai reinar por 1000 anos e todas as promessas de Deus para Israel serão cumpridas.


Conclusão: Quando Abraão estava preocupado com ele mesmo, Deus lhe garantiu, dizendo: "EU SOU!" Quando ele estava preocupado com o seu herdeiro, ele ouviu Deus dizer: "EU VOU" Sua preocupação com a terra foi cumprida pela promessa de Deus: "EU TENHO DADO”.


Para você e eu, hoje, precisamos entender que Deus suprirá todas as nossas preocupações. Ele faz isso através de Seu Filho, Jesus Cristo.


(Filipenses 4:19) “Meu Deus suprirá todas as vossas necessidades segundo as suas riquezas na glória em Cristo Jesus”.


(Gênesis 15:6) “E creu Abrão no Senhor, e o Senhor imputou-lhe isto como justiça”.


Abraão creu em Deus, não é? Ele vai atender todas as nossas necessidades. Ele nos dará força para a jornada e Ele cumprirá Suas promessas a nós.


Pr. Aldenir Araújo

quinta-feira, 3 de julho de 2014

“Separai-vos, diz o Senhor”

Separai-vos, diz o SenhorTexto: 2 Coríntios 6:14-7:1

 

Introdução
A. O problema da igreja em Corinto é que ela era muito, “Corinto”.
B. O que significa “separar-se” do mundo?
C.  Como isso é possível e quão importante é para nossa vida e destino?

I. Muitas vezes a separação não é agradável, mas muitas das vezes é necessária.

A. Não disfrutamos a separação da família (cf. Gênesis 2:24).
B. Algumas vezes a separação é essencial para a salvação (1 Coríntios 5:4-8).
C. A morte causa separação, mas todos nós devemos experimentá-la (Hebreus 9:27).

II. Devemos nos separar do mundo.

A. Pode ser difícil nos separar, mas seremos abençoados se o fizermos (Lucas 6:22-23).
B. Isto significa que devemos evitar as coisas que estimulam os desejos ilícitos da carne (Romanos 12:2; 1 Pedro 4:1-4).
C. A separação pode ter um preço alto (Filipenses 3:4-8).

III. Não nos separar do mundo, nos custará tudo.

A. Israel pagou um preço alto por não separar-se dos Cananeus (Números 25:1-3; 1 Reis 11:1-4; Esdras 9-10).
B. Não separar-se do mundo produz a separação de Deus (Isaías 59:1-3; Tiago 4:4).
C. Os que se aliançam com homens ímpios certamente compartirá seu castigo (Números 16:26-33; 1 Coríntios 5:7-13).

IV. É uma grande benção quando Deus nos separa como Seus filhos.

A. Deus separou a Israel em Gósen (Êxodo 8:22-23; 11:7).
B. Deus separou a igreja do mundo (1 Pedro 2:9-10).
C. A separação final acontecerá no dia do Juízo (Mateus 25:31-34).


Conclusão
“Ora, amados, visto que temos tais promessas, purifiquemo-nos de toda a imundícia da carne e do espírito, aperfeiçoando a santidade no temor de Deus” (2 Coríntios 7:1).


Pr. Aldenir Araújo

A fé de Abraão - Parte 4

A fé de Abraão - Parte 4Texto: Gênesis 14:1-24

 

Introdução: Temos observado a fé de Abraão nas noites de domingo. Algumas semanas atrás, observamos as provas que Deus permitiu na vida de Abraão. Deus permite as provas em nossas vidas para que possamos ser amadurecidos na fé. O desejo de Deus para nós é que cresçamos em todas as áreas de nossas vidas, mas isso não será fácil. Não pode haver crescimento sem desafio, e não pode haver desafio sem mudanças. Se as nossas circunstâncias nunca mudarem, tudo seria previsível, e a vida se tornaria mais previsível, menos desafio que representa.

 

Quando andamos na luz, podemos ver o que está acontecendo, e nós experimentamos a variedade em nossas vidas. Mas na escuridão tudo parece semelhante. Não admira que as pessoas não salvas (e crentes desviados) são tão entediadas com a vida que, estão constantemente à procura de escape! A vida de fé apresenta desafios que nos mantém avançando e crescendo para o Senhor.

 

Lembre-se que, nós dissemos que quando Abraão chegou à Terra Prometida não era um fim, mas o início de uma nova caminhada com Deus. No capítulo 14, vemos Abraão em três áreas distintas, e em cada uma ele deve exercer a fé e tomar decisões. Nossas vidas são semelhantes na medida em que somos constantemente confrontados com novos desafios que se estendem a nossa fé e nos fazem amadurecer no Senhor.

I. Abraão o observador. V. 1-12

A. A guerra.
1. Esta é a primeira guerra registrada nas Escrituras.
2. A única razão porque está registrado aqui é por causa do envolvimento de Abraão e Ló.
3. A guerra aconteceu porque os cinco reis das cidades na planície do Jordão se rebelaram contra os quatro reis das cidades orientais.
4. Os quatro reis invadiram a planície do Jordão e foram vitoriosos e parte dessa vitória envolveu a tomada das cidades de Sodoma e Gomorra.
5. Quando isso aconteceu, Ló foi levado cativo.
B. O propósito de Deus na guerra.
1. Deus tinha algo especial em mente para Ló em tudo isso.
2. Ló olhou para Sodoma, mudou-se para Sodoma, e agora, aparentemente, estava vivendo em Sodoma.
3. A captura de Ló foi à forma de Deus discipliná-lo e lembrá-lo de que ele não tinha nada que habitar em Sodoma.
4. Deus disciplina Seus filhos, porque Ele os ama e quer o melhor para eles.
5. Se não ouvirmos as repreensões de Deus, então Ele pode ter que chamar nossa atenção de alguma outra forma.

II. Abraão, o guerreiro. v 13-6

A. Observe a atitude dele. (v. 13)
1. Abraão não se envolveu na guerra até que ele ouviu que Ló havia sido capturado.
2. No versículo 13, ele é chamado de Abrão, o hebreu, ele não tinha perdido sua identidade nem o seu testemunho.
B. Observe o seu exército. (v. 14)
1. Abraão foi preparado para a batalha.
2. Ele lutou, não para benefício pessoal, mas porque amava Ló e queria ajudá-lo.
3. Seu exército representa o que é necessário em nossa batalha espiritual hoje.
a. Eles nasceram em sua casa.
b. Eles eram servos.
c. Eles eram treinados.
d. Eles estavam armados por seu mestre.
e. Eles eram obedientes.
f. Eles foram vitoriosos.
C. Observe sua realização. (15-16)
1. Abraão e seu exército eram fortes.
2. Eles perseguiram o inimigo e os feriram.
a. Eles libertaram todos os cativos, incluindo Ló.
b. Eles recuperaram todos os bens que haviam sido tomados.
c. Não há menção de vítimas entre as forças de Abrão.
d. Esta vitória quebrou o poder da Confederação, e não há registro de qualquer tentativa subsequente para renovar seu domínio sobre a Terra.
3. Infelizmente, nem a correção do Senhor, nem a Sua bondade em resgatar Ló fez qualquer diferença para muito, porque ele voltou para Sodoma.

III. Abraão, o adorador. V. 17-24

A. Abraão foi recebido por dois reis no seu retorno da vitória.
1. Bera, rei de Sodoma (queima).
2. Melquisedeque, rei de Salém (paz).
B. Estes dois reis são simbólicos:
1. O rei de Sodoma representa este mundo e tudo o que ele oferece.
2. O rei de Salém representa Deus e tudo o que Ele oferece.
C. Há sempre a tentação depois de uma vitória reivindicar parte do crédito para nós mesmos.
1. Duas linhas de pensamento estão aqui representadas.
2. Pensamento piedoso: Abraão é ministrado por Melquisedeque, e é lembrado de que Deus é Aquele que merece a honra pela vitória.
3. Pensamento ímpio: O rei de Sodoma representa o mundo e diz: "Leve-o, você merece", mas Deus diz: "Dá porque tenho te abençoado".
4. Um foca a atenção em si mesmo, enquanto o outro concentra a atenção no Senhor.

 

Conclusão: O que podemos aprender com este aspecto da fé de Abraão?
Há um tempo para observar, e um tempo para se envolver. Devemos estar preparados para a batalha, Abraão não esperou até que a guerra começasse para se preparar, nem nós devemos. Devemos manter nosso foco no Senhor e perceber que é Deus que merece toda a glória por tudo o que Ele faz!

 

Pr. Aldenir Araújo

terça-feira, 1 de julho de 2014

De que lado você está?

De que lado você está?Texto: Êxodo 32:26-28

“pôs-se em pé à entrada do arraial, e disse: Quem está ao lado do Senhor, venha a mim. Ao que se ajuntaram a ele todos os filhos de Levi. Então ele lhes disse: Assim diz o Senhor, o Deus de Israel: Cada um ponha a sua espada sobre a coxa; e passai e tornai pelo arraial de porta em porta, e mate cada um a seu irmão, e cada um a seu amigo, e cada um a seu vizinho. E os filhos de Levi fizeram conforme a palavra de Moisés; e caíram do povo naquele dia cerca de três mil homens”.

Introdução

A. É impossível servir a dois senhores (Mateus 6:24).

B. Precisamos examinar constantemente a nós mesmos (2 Coríntios 13:5) para ter a certeza de que estamos do lado do Senhor.

I. Alguns têm dificuldade para decidir de que lado querem estar.

A. Durante o reinado de Acabe, o povo de Israel tinha dificuldade para decidir se serviriam a Deus ou a Baal (1 Reis 18:21).

B. Os samaritanos pensavam que podiam servir a Deus juntamente com outros deuses aos quais haviam servido antes (2 Reis 17:24-34).

II. Alguns estão do lado equivocado e ainda não perceberam.

A. Saulo achava que estava fazendo a coisa certa, mesmo quando se opunha a verdade (Atos 26:9-10; 23:1; 1 Timóteo 1:12-13).

B. Os judeus do primeiro século não sabiam que estavam lutando contra Deus (Atos 5:38-39; 3:17).

C. A certeza de Rabsaqué não lhe garantiu êxito em sua tentativa de derrotar Jerusalém (2 Reis 19).

III. De que lado você está?

A. Você está do lado dos odiados ou dos que odeiam? (Mateus 10:22)

B. Você está do lado dos praticantes ou dos que somente ouvem? (Tiago 1:22)

C. Você está do lado de Jesus ou contra Ele? (Mateus 12:30)

D. Você está do lado da verdade ou contra ela? (João 4:19-21)

Conclusão

A. Deus pelejará por você (Êxodo 14:14; Deuteronômio 1:30), mas também pelejará contra você (Isaías 63:10) se você escolher o lado equivocado.

B. Para que você não esteja do lado equivocado, examine-se a si mesmo.

Pr. Aldenir Araújo

segunda-feira, 30 de junho de 2014

A fé de Abraão - Parte 3

A fé de Abraão - Parte 3Texto: Gênesis 12:10

Introdução: Nas noites de domingo, temos observado a "A fé de Abraão”. Esta noite queremos continuar nosso estudo, olhando para as provas de fé de Abraão. Alguém disse: "Uma fé que não pode ser provada é uma fé que não se pode confiar"

Pedro comparou a prova da fé de um crente com o ouro que é provado no fogo de refinação. O propósito de Deus em permitir as provas não é apenas para verificar a nossa fé, mas também para purificá-la.

Na escola, nós fizemos provas para provar a nossa compreensão de uma determinada matéria. Deus prova a nossa fé para aperfeiçoa-la, para que possamos ver que tipo de fé nós temos. Deus usou três provas especiais para provar Abraão e Ele usa as mesmas provas para nós hoje. A prova das circunstâncias, a prova das pessoas e a prova das coisas.

I. A prova das circunstâncias. Gênesis 12:10

A. Abraão e a prova das circunstâncias.
1. Deus chamou Abraão para deixar seu país e sua família para viajar para uma nova terra.
2. Em pelo menos duas ocasiões, Deus mal falava diretamente a Abraão para confirmar suas promessas a ele.
3. Agora eles estavam na terra de Canaã, eles estavam prontos para se estabelecer e desfrutar de seu novo lar.
4. O mais provável é que eles pensavam que a jornada estava, mas Deus estava apenas começando com eles.
5. Deus permitiu uma fome na terra e Abraão foi confrontado com encontrar comida para sua grande companhia de pessoas (ele tinha 318 servos capacitados), mais os seus rebanhos e as manadas de animais.
6. Em vez de permanecer na terra e confiar em Deus para ajudá-lo, Abraão foi "para o Egito”.
7. O Egito é um tipo do mundo, ao invés de buscar a Deus, nesta prova, Abraão tentou fugir do problema e olhou para o mundo em busca de ajuda.
B. Nossa prova das circunstâncias.
1. Deus usa as circunstâncias difíceis da vida para construir os músculos da nossa fé.
2. À medida que a nossa fé é aumentada, vamos confiar em Sua Palavra mais do que nos homens.
3. Vamos enfrentar nossos problemas com Ele em vez de fugir deles.
4. Permanecer onde estamos até que Deus nos diga para se mover.
5. Em tempos de prova a nossa pergunta não deve ser "Como posso sair dessa?", mas "O que eu posso aprender com essa prova?”.
6. Deus está trabalhando na edificação da nossa fé, Ele está no controle das circunstâncias.
7. Abraão falhou nesta primeira prova da fé.

II. A prova das pessoas. Gênesis 12:11 -13:4

A. No Egito, Abraão enfrentou um novo conjunto de problemas.
1. Quando fugimos de um problema, não vai demorar muito até que nos deparamos com outro.
2. Em Canaã tudo que Abraão teve de lidar foi com a fome, mas no Egito havia um faraó que era considerado um deus.
3. Nós nunca vamos nos afastar de Deus, sem que isso nos afete.
B. Abraão mudou de muitas maneiras.
1. Mudou de confiar para intrigas. V. 11-13
a. Não havia altar no Egito.
b. Abraão não invocou o Senhor para direção e orientação.
c. Ele recorreu à sua própria sabedoria e que sempre vai levar a problemas.
d. Ele pretendia enganar os egípcios a respeito de seu relacionamento com Sara.
e.Lembre-se que este era um plano pré-concebido que ele tinha feito antes de sair de Ur. (Gênesis 20:13) “Quando Deus me fez sair errante da casa de meu pai, eu lhe disse a ela: Esta é a graça que me farás: em todo lugar aonde formos, dize de mim: Ele é meu irmão”
2. Mudou da confiança para o medo.
a. Quando estamos no lugar que é de Deus, nunca temos que temer.
b. Mas quando estamos onde não deveríamos estar, temos razão para ter medo.
c. Deus havia dito repetidamente, “Eu vou...” mas agora Abraão estava dizendo: "Eles vão ... "
d. Ele estava mais preocupado com ele mesmo do que com a sua esposa!
e. Ele tirou os olhos do Senhor e começou a olhar para as pessoas.
3. Deixou de ser fonte de bênção para trazer juízo. V. 14-20
a. Deus chamou Abraão para ser uma bênção para as nações.
b. No entanto, ele foi motivo de juízo sobre Faraó e sua família.
c. Jonas fugiu de Deus e quase levou um navio a pique por causa de sua desobediência.
d. Muitos da família de Ló foram destruídos porque ele escolheu morar em Sodoma.
e. Quando desobedecemos a Deus, trazemos juízo sobre aqueles que nos rodeiam.
4. Alguém pode olhar para esta situação e pensar que Abraão fez tudo certo, porque ele ganhou muita riqueza de Faraó.
5. Mas tudo o que ele recebeu no Egito mais tarde lhe causou problemas! 13:1-4
a. Por causa de sua grande riqueza, Abraão e Ló não podiam viver juntos e tiveram que se separar.
b. Agar, a serva egípcia, trouxe divisão e tristeza para dentro de casa.
c. Depois de ter tido o gosto do Egito (o mundo), Ló começou a medir tudo, com o que tinha visto lá. Gênesis 13:10-11
6. Abraão falhou na segunda prova de sua fé também, mas ele voltou para onde ele pertencia e mais uma vez começou a invocar o nome do Senhor.

III. A prova das coisas. Gênesis 13:5-18

A. Abraão decidiu ser um pacificador e não um criador de problemas. V. 5-8
1. O coração de todos os problemas é o "coração”.
2. O coração de Ló ainda estava centrado no mundo e o que ele tinha para oferecer. V. 10
3. Abraão tinha o seu coração em paz com Deus, quando ele voltou para o lugar de bênçãos de Deus.
4. Eles não foram capazes de caminhar juntos, porque eles estavam indo em direções opostas.
B. Abraão viveu para os outros e não para si mesmo. V. 9
1. Anteriormente, Abraão teve o primeiro pensamento de si mesmo na preocupação com a sua segurança.
2. Após o seu regresso a Canaã, Ele colocou Deus em primeiro lugar, os outros em segundo, e ele mesmo em ultimo lugar.
3. Abraão poderia ter "aproveitado" a situação e ter dito a Ló o que ele faria, mas ele optou por deixar Ló tomar a decisão.
C. Abraão viveu pela fé, não por vista. V.10 -13
1. Quando Deus está em primeiro lugar em sua vida, não faz diferença quem é o segundo ou o último.
2. Ló tinha uma tenda, mas não um altar.
3. Os olhos veem o que o coração ama.
4. Abraão tinha tirado Ló do Egito, mas ele não pode tirar o Egito de Ló.
5. Ló escolheu a terra que era "como a terra do Egito"
D. Abraão deixou Deus escolher para ele. V. 14-18
1. Abraão teve outro encontro com Deus.
2. Ló levantou os olhos para ver o que ele queria para si mesmo, agora, Deus levanta os olhos de Abraão para ver o que Deus queria para ele.
3. Deus disse a Abraão para levantar seus pés e caminhar ou reivindicar o que Ele lhe tinha dado.
4. Nossa fé em Deus determina o quanto de Sua bênção, vamos desfrutar.
5. Abraão falhou nas suas duas primeiras provas, mas ele passou na terceira com louvor!
6. O capítulo 13 começa com seu retorno a Canãa e para Deus, e termina com ele andando pela fé.

Conclusão: Como vamos passar nas provas de fé? Como Abraão vamos enfrentar provas similares ao longo da nossa caminhada. Seremos desafiados por circunstâncias, pessoas e coisas. Como iremos responder; fortalecerá ou enfraquecerá a nossa fé.

Pr. Aldenir Araújo

sexta-feira, 27 de junho de 2014

A fé de Abraão - Parte 2

A fé de Abraão - Parte 2Texto: Gênesis 11:27-12:9

Introdução: Na grande galeria da fé em Hebreus 11, Abraão é apresentado no versículo 8, com a seguinte declaração:

"Pela fé Abraão, sendo chamado, obedeceu, saindo para um lugar que havia de receber por herança; e saiu, sem saber para onde ia”.

Há duas palavras-chave nesse verso que descrevem Abraão: fé e obedeceu. Ele exerceu fé em Deus e obedeceu (agiu nessa fé).

Os primeiros onze capítulos do Gênesis estão cheio de decepção e fracasso após a criação inicial de Deus. Adão e Eva desobedeceram a Deus e foram expulsos do jardim, Caim matou seu irmão Abel, a humanidade tornou-se tão corrompida que Deus purificou a Terra com um dilúvio, depois de sair da arca Noé ficou bêbado e Cam olhou para sua nudez, em desafio a Deus os homens construíram uma cidade e uma torre para alcançar o céu e Deus enviou uma confusão de línguas para acabar com a rebelião.

Poderia ter sido tentado a destruir a humanidade novamente, mas Deus decidiu escolher um homem e dar à humanidade um novo começo. Ele escolheu Abraão. Ao longo das próximas semanas vamos considerar a vida de Abraão e aprender com este homem de fé.

I. O Chamado. (12:1a)

A. Quando Deus o chamou.
1. Não nos é dito exatamente quando Abraão recebeu o chamado, mas sabemos que foi um chamado da graça. (João 15:16 ) “Vós não me escolhestes a mim mas eu vos escolhi a vós, e vos designei, para que vades e deis frutos, e o vosso fruto permaneça, a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo conceda”.
2. Abraão foi chamado da idolatria. (Josué 24:2) “Disse então Josué a todo o povo: Assim diz o Senhor Deus de Israel: Além do Rio habitaram antigamente vossos pais, Tera, pai de Abraão e de Naor; e serviram a outros deuses”.
3. Abraão tinha 75 anos quando Deus o chamou de Harã, e ele confiou em Deus por 100 anos. (Gênesis 25:7) “Estes, pois, são os dias dos anos da vida de Abraão, que ele viveu: cento e setenta e cinco anos”.
4. Ele era casado com Sara e eles não tinham filhos.
5. Por que Deus chama um casal tão improvável para ser uma grande nação para Ele? (1 Coríntios 1:27-29) “Pelo contrário, Deus escolheu as coisas loucas do mundo para confundir os sábios; e Deus escolheu as coisas fracas do mundo para confundir as fortes; e Deus escolheu as coisas ignóbeis do mundo, e as desprezadas, e as que não são, para reduzir a nada as que são; para que nenhum mortal se glorie na presença de Deus”.
B. Como Deus o Chamou.
1. Estevão nos diz que "O Deus da glória apareceu a Abraão". Atos 7:2
2. Nós não sabemos como Deus lhe apareceu, mas esta foi uma das sete comunicações diretas de Deus a Abraão.
3. O versículo nos diz que Deus havia falado com Abraão.
4. Sabemos que a fé vem pelo ouvir e o ouvir a Palavra de Deus.
5. Era um chamado para separar-se da corrupção ao redor dele, e ele obedeceu.
C. Por que Deus o Chamou.
1. Em Seu amor, Ele estava preocupado com a sua salvação.
2. Em Seu plano, Deus quis abençoar o mundo inteiro através dele.
3. Em Sua sabedoria, Ele providenciou a vida de Abraão como um exemplo para todos os crentes.
4. Abraão não era perfeito, mas a sua caminhada com Deus foi geralmente caracterizada pela fé.
5. Ao considerarmos a sua vida de fé, vamos aprender que quando nós confiamos no Senhor, nenhuma prova é impossível e nenhuma falha é permanente.

II. O Pacto. (12:1-3)

A. A verdadeira fé é baseada na Palavra de Deus.
1. Deus falou a Abraão e disse-lhe o que Ele faria por ele e por meio dele se ele confiasse e obedecesse.
2. Nós não somos salvos, fazendo promessas a Deus, mas por acreditar nas promessas de Deus para nós.
3. Deus deu a Sua aliança com Abraão e ele, por sua vez, respondeu com fé e obediência.
B. Deus não deu a Abraão razões ou explicações.
1. Ele simplesmente lhe deu promessas.
2. "Eu te mostrarei... Eu farei de ti... Eu te abençoarei... Abençoarei os que te abençoarem...”.
3. Os homens em Babel disseram: "Façamos...”, mas Deus disse: "Desçamos e confundamos...”.
4. Nos anos posteriores, Deus iria reafirmar e ampliar determinadas áreas deste pacto, mas já foi o suficiente para Abraão crer Nele e sair pela fé.

III. O compromisso. (12:4)

A. Os primeiros passos de fé.
1. Estes nem sempre são passos de gigante.
2. Abraão não obedeceu plenamente a Deus.
3. Em vez de deixar sua família, como lhe fora ordenado, ele levou seu pai e seu sobrinho Ló com ele quando ele saiu de Ur. Gênesis 11:31
4. Ele atrasou por um tempo, talvez meses ou anos, até que em Harã Tera morreu. Gênesis 11:32
B. Abraão começa sua caminhada com compromisso.
1. Ele fez um acordo com Sara para mentir sobre o relacionamento deles. (Gênesis 20:13) “Quando Deus me fez sair errante da casa de meu pai, eu lhe disse a ela: Esta é a graça que me farás: em todo lugar aonde formos, dize de mim: Ele é meu irmão”.
2. Ele levou seu pai junto, talvez justificando seu compromisso com a idade de seu pai ou a falta de uma boa saúde.
3. Ele levou seu sobrinho, Ló, ao longo do qual resultou em problemas, até que mais tarde concordaram em separar.
4. Todas estas coisas impediram Abraão de obedecer totalmente a Deus, mas Deus nos prova, a fim de edificar a nossa fé.

IV. A Entrega. (12:4-9)

A. A fé nos tira de onde estamos. V. 4-5
1. Pode ter sido o amor de um filho para com seu pai idoso que fez Abraão demorar.
2. Mas finalmente chegou o dia em que ele e Sara tiveram que sair e ir para a terra que Deus havia escolhido para eles.
3. A fé exige o compromisso de obedecer.
4. Abraão saiu pela fé.
B. A fé nos faz entrar. V. 6-8
1. Deus nos tira para fora para que ele possa nos fazer entrar. (Deuteronômio 6:23 ) “mas nos tirou de lá, para nos introduzir e nos dar a terra que com juramento prometera a nossos pais”.
2. Ele tirou Abraão de Ur para que pudesse levá-lo a Canaã.
3. Canaã representa a herança do crente que ele vai receber pela fé.
4. A reivindicação de uma herança envolverá muitas provas e tentações, mas Deus é capaz de nos guardar.
5. Onde quer que Abraão fosse, na terra de Canaã, ele era marcado por sua tenda e seu altar.
6. Sua tenda o identificava como um estrangeiro e peregrino, e o altar o identificava como alguém que adorava o Deus vivo e verdadeiro.
C. A fé nos faz avançar. V. 9
1. A vida de fé é aquela que continua.
2. Deus iria manter Abraão se movendo para que ele pudesse enfrentar novos desafios e ser forçado a confiar em Deus para a graça em momentos de necessidade.
3. Abraão estava agora no lugar onde Deus o havia chamado, mas sua jornada estava apenas começando.

Conclusão: Como Abraão, cada um de nós que fomos salvos fomos chamados a segui-Lo. Devemos andar pela fé e não por vista. Confiar em Deus através das diversas circunstâncias da vida, sabendo que Ele tem um plano e um propósito para cada um de nós para sua glória.

Pr. Aldenir Araújo

terça-feira, 24 de junho de 2014

No principio... Deus

No principio... DeusTexto: Gênesis 1:1-5

Introdução: Qual é a sua primeira lembrança? Voltando ao passado em sua vida do que você pode se lembrar?

O que aconteceu antes das coisas que você se lembra? E se o universo realmente pudesse falar o que diria?

Ele fala, no entanto, revela coisas e a primeira coisa que ele revela é Deus. Deus, o Criador de tudo o que é obra de Deus.

I. Deus é antes de qualquer coisa

1. "... No princípio, Deus...”.

a. Antes de qualquer mente humana possa compreender - Deus estava lá.

b. Antes de qualquer coisa conhecida existir - Deus estava lá.

c. Antes de qualquer teoria do "big bang" ou quaisquer ideias humanas, Deus estava lá.

2. Deus é o fundamento de tudo:

a. Deus é antes de tudo.

b. Deus está acima de tudo.

c. Deus está além de tudo.

d. Deus está acima de tudo.

3. Deus é quem Ele é por isso que a idolatria é um pecado tão hediondo porque coloca a criatura acima de Deus que criou tudo.

II. Deus é aquele que criou tudo

1. No momento certo, Deus estava lá para criar.

a. Deus é o criador supremo.

b. Tudo o que existe, existe porque Deus trouxe à existência.

2. COMO Deus criou não é importante.

a. Foi em dias de 24 horas cada um?

b. Foi em eras?

c. O que é importante é que Deus está no centro, o fundamento de toda a criação.

d. Discutir sobre como Deus fez isso é argumentar sobre coisa não essencial

3. O que é importante é que a criação é de Deus e que nós somos parte dela.

a. Deus nos fez para ser parte de seu contínuo trabalho criativo.

b. Você já segurou um pequeno bebê em seus braços / mãos?

c. Você ficou espantado e maravilhado com a obra que você estava segurando?

d. Quando pensamos em como Deus continua a criar e nos permite ser uma parte disso, nos alegra e nos faz maravilhar-se em ser autorizado a fazer parte do plano de Deus.

III. Deus tem um propósito na sua criatividade

1. Pessoas fracas de espírito afirmam que o universo é algum tipo de acidente, mas as palavras de Gênesis são verdadeiras para aqueles que têm ouvidos de fé.

a. A criação tem um propósito divino.

b. Deus tem uma razão em tudo o que Ele cria.

c. Deus realiza o Seu próprio propósito na criação:

i. Do nada - em algo!

ii. De sem forma - em estrutura!

iii. Da escuridão - a luz!

2. Esta é a forma de Deus criar:

a. Tomar o que parece nada e transforma-lo em uma coisa incrível.

b. O que antes era "sem forma e vazia" tornou-se o universo milagroso em que vivemos.

Conclusão:

1. Através de Jesus Cristo, Deus tem trabalhado outro processo criativo.

a. Ele transformou pessoas perdidas, inúteis, pecadores em seus filhos.

b. Pecadores em santos

c. Perdido em encontrados

d. Nada em algo.

2. “... No principio - DEUS!"

3. Não há nada que se possa acrescentar ou tirar ou até mesmo explicar como Deus fez isso, mas ele fez!

Pr. Aldenir Araújo

domingo, 22 de junho de 2014

A fé de Abraão - Parte 1

A fé de Abraão - Parte 1Texto: Romanos 4:20

(Romanos 4:20) contudo, à vista da promessa de Deus, não vacilou por incredulidade, antes foi fortalecido na fé, dando glória a Deus

Introdução: Não há dúvida de que Abraão é um personagem bíblico muito importante. A Bíblia nos diz muito sobre ele e nós queremos dar uma olhada mais de perto neste grande homem de fé. Sabemos que Abraão ocupa um lugar de particular importância, com todo o povo judeu. Eles se identificam com ele, como o pai de sua nação, e isso é verdade. Mas ele também ocupa um lugar importante com todos os que colocaram sua fé no Senhor Jesus Cristo.

(Romanos 4:16) Porquanto procede da fé o ser herdeiro, para que seja segundo a graça, a fim de que a promessa seja firme a toda a descendência, não somente à que é da lei, mas também à que é da fé que teve Abraão, o qual é pai de todos nós.

Veremos que Abraão não é apenas o pai da nação judaica, mas também o pai de todos os que têm fé em Deus. Hoje à noite nós queremos olhar especificamente a forma como a Bíblia associa Abraão com a fé.

I. Ele é o primeiro a ser associado com a fé

A. Eu não estou dizendo que ele foi o primeiro homem a exercer fé em Deus...
B. Mas ele é o primeiro revelado nas Escrituras associado com a fé em Deus.
1. (Gênesis 15:6) “E creu Abrão no Senhor, e o Senhor imputou-lhe isto como justiça”.
C. Nota concernente a este versículo:
1. Este versículo não sugere que Abraão era um homem justo.
2. O que este versículo diz é que Deus contou a fé de Abraão nEle como justiça.
3. Isto fala diretamente com a questão da justiça que é pela fé.
4. E isso é de extrema importância... especialmente à luz das multidões de pessoas que ensinam que os crentes do Antigo Testamento foram salvos por suas obras!
5. A salvação é e sempre foi "Pela graça, mediante a fé...”!

II. Ele é a chave para compreender a justificação.

A. Paulo nos ensina sobre esta importante doutrina.
1. Justificação é um termo legal que fala de nossa posição diante de Deus.
2. Nós não temos nenhuma posição com base em quem somos ou no que temos feito.
3. A única base para nossa justificação é a nossa fé no que Deus fez por nós através de Seu Filho, Jesus. (Romanos 4:1-5) Que diremos, pois, ter alcançado Abraão, nosso pai segundo a carne? Porque, se Abraão foi justificado pelas obras, tem de que se gloriar, mas não diante de Deus. Pois, que diz a Escritura? Creu Abraão a Deus, e isso lhe foi imputado como justiça. Ora, ao que trabalha não se lhe conta a recompensa como dádiva, mas sim como dívida; porém ao que não trabalha, mas crê naquele que justifica o ímpio, a sua fé lhe é contada como justiça.
B. Se não compreendermos essa verdade... existem consequências eternas.
1. Não há várias maneiras de uma pessoa ser justificada ou ter uma posição correta diante de Deus.
2. Há apenas um caminho... o caminho pelo qual Abraão foi justificado... o caminho para ser justificado é exercer fé no sangue derramado de Jesus Cristo. (Romanos 3:24) sendo justificados gratuitamente pela sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus.
3. No entanto, se uma pessoa acredita que pode ser justificada diante de Deus por aquilo que "ela" fez ou fizeram... eles serão rejeitados por Deus! (Mateus 7:21-23 ) Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! Entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? E em teu nome não expulsamos demônios? E em teu nome não fizemos muitos milagres? Então lhes direi claramente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade.
C. Observe a repreensão de Paulo aos crentes da Galácia.
1. Os judaizantes tinham entrado na doutrina da Igreja, mas, apesar de terem crido em Cristo...
2. Eles ainda tinham que guardar a lei judaica!
3. Paulo esclareceu isso para eles... e para nós hoje à noite!
4. Leia: Gálatas 3:1-11

III. Ele é uma ilustração maravilhosa de viver pela fé

A. Hebreus 11 é chamado de o capítulo da "fé".
B. Ele começa com a fé de Abel no verso 4 e termina com os santos anônimos que foram martirizados por sua fé no verso 40.
C. O capítulo mostra como os servos de Deus alcançaram bom testemunho e agradaram a Deus pela fé.
D. Mais de um terço destes versos aborda a fé de Abraão.
E. Nas próximas semanas, vamos considerar o seu exemplo de vida pela fé.

IV. Abraão é a figura central na explicação da fé e obras.

A. Tem havido um debate travado há séculos sobre a relação entre fé e obras.
B. Nós já vimos que Paulo usou Abraão como exemplo ao explicar a justificação pela fé sem as obras da justiça.
C. Agora, existem sempre dois lados do espectro.
1. Alguns têm oscilado o pêndulo para o extremo...
2. Estes são os defensores da "crença fácil"
3. Ainda que a salvação é pela graça por meio da fé, uma fé que é real é também uma fé que vai acompanhar a salvação genuína com obras. (Efésios 2:10) Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus antes preparou para que andássemos nelas.
4. Assim, um cristão "não faz nada" não é realmente um cristão em absoluto! (Tiago 2:21-22 ) Porventura não foi pelas obras que nosso pai Abraão foi justificado quando ofereceu sobre o altar seu filho Isaque? Vês que a fé cooperou com as suas obras, e que pelas obras a fé foi aperfeiçoada.
5. A lição que Abraão nos ensina aqui é que a fé que salva é sempre a fé que é acompanhada por obras!
6. A fé que é real é sempre a fé que vai mudar a maneira como um homem vive!

Conclusão: Somos ordenados a viver pela fé! É vital para nós entendermos o pai da fé... Abraão. Podemos aprender a base para nossa justificação, podemos aprender o lado prático de andar pela fé, e aprendemos a conexão entre nossa fé e nossas obras. Tentar entender a fé sem procurar entender a fé de Abraão é infrutífero.
Como está nossa fé hoje à noite? É real? É à base da nossa caminhada do dia a dia? Os outros conhecem a nossa fé? Vamos determinar serem pessoas de fé para a glória de Deus.

Pr. Aldenir Araújo

sexta-feira, 20 de junho de 2014

Noé continuou construindo a arca

Noé continuou construindo a arcaTexto: Gênesis 6:11-17

Introdução: O mundo tornou-se tão pecaminoso que o Senhor decidiu destruir toda a carne. Noé achou graça aos olhos do Senhor. Ele era perfeito em sua geração. Ele andava com o Senhor. O Senhor o escolheu para levar a mensagem do juízo vindouro. O Espírito iria lutar com o homem por um tempo e, em seguida, o julgamento viria. O homem tornou-se muito mal. Cada imaginação do coração era só má continuamente. A terra estava cheia de violência (v.11). Isso atinge a nós quando nós pensamos de toda a violência em nossos dias. A geração de Noé estava, provavelmente, muito pior do que a nossa, mas isso não parece ser possível, quando ouvimos e lemos sobre as notícias da violência em nossos dias.

I. Noé continuou construindo a arca, apesar da depravação.

A. O caráter.
1. Deus descreve as pessoas como ímpias e tendo pensamentos iníquos.
a. A imaginação tem a ver com o pensamento e o planejamento no coração.
b. Tem a ver com os pensamentos que precedem as obras.
2. As pessoas fazem o que fazem por causa do que elas são.
a. Eles eram maus e, portanto, eles pensavam maus pensamentos e faziam coisas más.
b. Deus viu que a maldade do homem era grande.
c. Os homens maus parecem não pensar que estão fazendo mal, mas Deus sabe.
3. Deus disse que o mundo estava cheio de violência.
a. Quando as pessoas são más, elas fazem coisas más.
b. Isso inclui ser violento em seu comportamento.
c. O coração clama a Deus quando ouvimos e lemos sobre os atos perversos da nossa geração.
B. A conduta.
1. Uma coisa que provava que eram maus é que eles eram violentos no comportamento.
2. A conduta deles refere-se a ação ou comportamento.
3. O caráter de uma pessoa se expressa em sua conduta ou a forma como a pessoa vive a vida.
4. Deus disse: "toda a imaginação dos pensamentos de seu coração era só má continuamente".(v5)
C. A continuação.
1. O caráter e a conduta é o produto de nossos pensamentos e imaginação. "Não é o que entra pela boca que contamina o homem; mas o que sai da boca, isso é o que o contamina" "Mas o que sai da boca procede do coração; e é isso o que contamina o homem" (Mateus 15:11 e 18)
2. O comportamento violento e perverso é resultado da pessoa imaginar maldade... pensamentos podem ser produzidos em ações.
3. Quanto mais fundo você entrar no pecado, mais profundo você tem que ir para obter qualquer satisfação temporária dele.
4. As pessoas se tornam escravas de seus desejos pecaminosos, e se tornam mais perversas para encontrar alguma satisfação.
D. A consagração.
1. Noé não parava de fazer o que Deus lhe disse para fazer.
a. Noé não foi movido pela depravação de sua geração.
b. Ele se manteve reto fazendo o que Deus lhe disse para fazer.
2. A depravação provavelmente apontou para ele a ira de Deus e o fato de o juízo de Deus.
a. O cristão maduro espiritualmente vê as coisas diferentes do que as pessoas de mentalidade mundana veem.
b. Devemos nos consagrar ao Senhor quando olhamos para esse mundo pecaminoso.
3. O mundo está nos chamando para juntar-se a ele, mas devemos procurar obedecer. "Mas buscai primeiro o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas"(Mateus 6:33)

II. Noé continuou construindo a arca, apesar do engano.

A. A carne.
1. O pecador se sente como se eles estivessem justificados em seus pecados.
2. A maioria das pessoas querem que lhes diga que elas estão fazendo certo fazendo errado.
3. Elas clamam por alguém para dizer-lhes que suas ações estão certas.
4. O pecador quer que lhe diga que ele não é o culpado por seu pecado.
a. Digam que é uma doença.
b. Digam que é a sociedade.
c. Põe a culpa em qualquer um e todos, mas não lhe chamam pecado!
5. A carne busca a auto justificação no pecado.
6. A carne quer sentir que é correto fazer o mal.
a. Converse com alguém que é culpado de pecado e eles vão te dar uma razão pela qual eles pecam
b. A razão parece tornar certo o pecado, mas você simplesmente não pode estar certo fazendo errado!
B. O falso.
1. Alguns provavelmente se aproximavam de onde Noé estava construindo a arca e diziam:
a. "Deus me disse para dizer-lhe para parar de construir a arca"
b. O velho Noé está louco... ele perdeu a cabeça ... ele está falando de um dilúvio e nunca vimos nenhuma chuva.
c. Como pode uma névoa inundar a terra?
d. Você pode imaginar no que a natureza pecaminosa moveu homens e mulheres a dizer a este servo fiel de Deus enquanto ele trabalhava na construção da arca?
2. Aqueles que não creem na Palavra de Deus têm suas maneiras de tentar provar aqueles que estão fazendo certo que o que estão fazendo está errado.
3. Observe o que Paulo escreveu em I Timóteo 4:1 "Mas o Espírito expressamente diz que em tempos posteriores alguns apostatarão da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios”.
C. O engano.
1. Satanás sempre tenta contrariar o que Deus faz usando falsificações.
2. O diabo está no negócio religioso de alguma forma.
3. Nota 2 Coríntios 11:13-15.
4. Muitos do povo de Deus não acreditam que Satanás tem igrejas e pregadores que se opõem à verdade.
5. A Palavra de Deus nos diz que Satanás faz exatamente isso.
6. Nota 1 João 4:1 - "Amados, não creiais a todo espírito, mas provai se os espíritos vêm de Deus; porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo" (1 João 4:1)
7. Temos a obrigação de obedecer a este versículo.
a. Coloque os espíritos a prova ou julgue-os.
b. Meça o que você ouve e vê pela Palavra de Deus.
D. O temor.
1. Noé tinha reverência e respeito por Deus.
2. Ele caminhava com ele.
3. Ele era perfeito e achou graça aos olhos do Senhor.
4. Ele continuou construindo a arca, apesar do engano e da mentira em torno dele.
5. Devemos respeitar e reverenciar a Deus, apesar da situação ou a condição da humanidade.

III. Noé continuou construindo a arca, apesar do desafio.

A. A advertência.
1. Noé era um pregador da justiça. (2 Pedro 2:5)
2. O dilúvio veio anos depois de Noé ter começado a construir a arca e pregar.
3. Ele advertiu-os do juízo de Deus.
4. Ele pregou durante a construção da arca.
5. Graças a Deus por pessoas que estão dispostas a obedecer ao Senhor, quando parece que elas perderam tudo.
6. Nós também devemos pregar e ensinar a Palavra de Deus.
7. Devemos advertir as pessoas sobre o juízo que está por vir.
B. A vontade.
1. Paulo nos diz que devemos nos preparar para a geração do tempo do fim.
2. Ele os descreve em 2 Timóteo 3:1-13 , e certamente parece com a nossa geração hoje.
3. A geração de Noé não quis ouvir, pois eles eram maus, violentos e desafiadores.
4. Eles estavam vivendo o seu próprio caminho, apesar do juízo vindouro de Deus.
5. Homens e mulheres podem escolher fazer o que eles querem fazer, mesmo sabendo que eles terão de enfrentar a Deus um dia e dar conta dos seus atos.

Conclusão: Nada impediu Noé de obedecer à Palavra de Deus. Ele continuou construindo a arca e pregando a justiça. Esta noite, você vai parar? Será que vamos ser influenciados por este mundo ou vamos causar um impacto sobre as pessoas ao nosso redor?

Com quem nos identificamos neste relato bíblico? Noé ou aqueles que riam e zombavam?

A misericórdia de Deus é grande e Sua graça é maravilhosa. Esta noite, se você nunca experimentou a graça de Deus venha e aceite Jesus Cristo como seu Salvador. Crente, por que não vir e comprometer-se a uma vida de obediência, independentemente do que acontece nesse mundo que nos rodeia?

Pr. Aldenir Araújo

sexta-feira, 13 de junho de 2014

Deus Usa Métodos Diferentes

Deus Usa Métodos DiferentesTexto: Mateus 2:1-2

Introdução: Não há duas pessoas iguais e, portanto, diferentes métodos são necessários às vezes para comunicar a mesma coisa para pessoas diferentes.

Deus usa métodos diferentes para falar com as pessoas - trovão, relâmpago, anjos, animais, a voz das nuvens ou o céu, etc.

Se Deus usa métodos diferentes para falar com as pessoas, então talvez a Igreja de Deus também deva usar métodos diferentes para alcançar as pessoas para o Senhor também.

Quando Jesus nasceu, Deus usou um método muito incomum para deixar que alguns homens que vivia longe saberem - Deus usou uma estrela.

I. Deus usa métodos que as pessoas podem entender

1. Os Magos haviam estudado as estrelas durante todas as suas vidas.

a. Deus usou uma única estrela para chamar a atenção deles.

2. Os Magos não sabiam nada sobre os anjos de Deus e etc., por isso Deus lhes falou com uma voz que eles podiam entender - estrelas.

3. A voz de Deus é como o som de muitas águas, e como um Pai, Deus fala aos Seus filhos de maneira que eles possam entender.

II. As pessoas tem conhecido o Senhor Jesus de diferentes formas

1. Os profetas do Antigo Testamento apontavam para Jesus.

2. A Lei apontava para Jesus.

3. Os sacrifícios nos altares judaicos apontavam para Jesus.

4. João Batista apontou para Jesus.

5. Uma estrela apontou para Jesus.

a. Apontar para Jesus não é a função normal de uma estrela, mas três homens de um país distante foram levados ao lugar onde Jesus estava por uma estrela.

6. Nunca se deve limitar o poder de Deus em abrir caminhos para levar alguém a conhecer o Senhor Jesus.

7. As pessoas têm conhecido o Senhor Jesus ao ouvir uma palavra na rua, através de algum ato de auto sacrifício bondade ou até mesmo no sorriso de uma criança.

III. Deus cria intensa curiosidade sobre o Senhor Jesus

1. Por curiosidade e um grande interesse os magos deixaram sua casa e partiram para seguir a estrela, enfrentando perigos e dificuldades, sem saber exatamente o que iriam encontrar.

a. Se soubessem que encontrariam um bebê, eles teriam feito a longa viagem?

2. Por curiosidade os magos viajaram centenas de quilômetros, conversaram com as pessoas em Jerusalém, se recusaram a parar sua busca.

3. Desde aquele tempo até hoje, a curiosidade sobre o Senhor Jesus nunca morreu.

a. Em toda a história, Jesus tem sido uma pessoa fascinante.

b. Mais pensamentos são dirigidos a Jesus do que qualquer outra pessoa.

c. Mais livros foram escritos sobre Jesus do que qualquer outra pessoa.

d. As pessoas ainda estão tão curiosas sobre Jesus hoje, assim como os magos estavam quando eles viram a sua estrela

IV. Os mais curiosos sobre Jesus foram os de longe

1. Os mais curiosos sobre Jesus foram pessoas (magos) de longe.

a. Havia muitos em Belém, mas não curiosos.

b. Foram os três de muitos quilômetros de distância, que estavam ansiosos para encontrar o recém-nascido Salvador.

2. Neste país, em nossa própria terra, existe o perigo da despreocupação descuidada sobre o Senhor Jesus.

a. Os missionários são enviados a partir desta terra para terras estrangeiras e naquelas terras estrangeiras há um interesse no Senhor Jesus, que é muito maior do que nesta nossa terra.

V. Encontrar Jesus é mais importante que qualquer outra coisa.

1. A rainha de Sabá foi da Arábia a Jerusalém para ver as maravilhas e ela ficou maravilhada e espantada com tal prodigalidade e voltou para casa falando sobre o que ela tinha visto.

2. Os magos do Oriente chegaram à pousada na pequena cidade de Belém à espera de ver alguém de grande majestade real, mas encontrou um bebê recém-nascido - o Senhor Jesus.

a. Eles ficaram desapontados?

b. A viagem valeu a pena?

c. Era o pequeno bebê tudo o que havia para a estrela e a longa viagem

3. Muitos são tentados a perguntar, quando se encontram com o Senhor Jesus: "Será que vale a pena todo esse esforço?”.

a. "Isso é tudo que existe para a história de Jesus?”.

b. "Não há outra coisa?”.

4. A viagem valeu a pena todo o esforço e a despesa que os magos tiveram porque eles foram informados por Deus para voltar para casa por outro caminho e não dizer nada ao rei sobre o menino Jesus.

a. Sim, os seus esforços, a longa viagem e as despesa valeu a pena.

Conclusão:

1. Deus usa métodos diferentes para falar com as pessoas.

a. As músicas, os testemunhos, os sermões, as amizades, as dificuldades, bondade, situações, etc.

2. Pessoas em países estrangeiros estão se tornando mais conscientes de Jesus do que nosso próprio país.

3. Um dia Jesus voltará para a Sua Igreja e como os magos do Oriente; a viagem que empreendemos para encontrar com o Senhor Jesus vai valer a pena.

Pr. Aldenir Araújo