11 de setembro de 2017

Série: Jesus no Evangelho de João - Jesus: Nosso Salvador Sofredor

Série: Jesus no Evangelho de João - Jesus: Nosso Salvador Sofredor
Texto: João 18:1-40

Introdução: Em nosso estudo do Evangelho de João, vimos alguns retratos maravilhosas de nosso Salvador. No entanto, os próximos retratos de Cristo não são fáceis de ver. "Não é uma imagem bonita!"

Historicamente, a humanidade procurou afastar os olhos do que aconteceu com Jesus. Alguns optam por negar que ocorreu, e outros se recusam a reconhecer a importância do sofrimento do nosso Salvador, mas esta noite é exatamente o que eu quero que vejamos.

Ao olhar para as páginas da Palavra de Deus, percebemos que o sofrimento de Jesus foi por você e por mim.

1 Pedro 2:24 “levando ele mesmo os nossos pecados em seu corpo sobre o madeiro, para que mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; e pelas suas feridas fostes sarados”.

I. Ele sofreu em Sua prisão. v. 1-12

A. O Jardim do Getsêmani.
1. O nome significa 'prensa de óleo'.
2. Simbólico do que aconteceria.
3. Jesus estava prestes a ser prensado nos eventos que cercariam Sua crucificação.
4. Ele havia dito a Seus discípulos que isso ocorreria, então nada disso seria uma surpresa para Ele.
5. Ele voluntariamente entregou a Sua vida por nós.

B. A traição de Cristo.
1. Judas sabia onde ele estaria.
a. Tenha em mente que Judas havia deixado o Senhor e os outros discípulos antes.
b. Ele agora aparece com uma multidão diferente.
c. As pessoas sempre irão onde seus corações estão.
d. É claro que eles procuravam causar dano ao Senhor; eles vieram com armas.
2. Eles foram saudados pelo poder daquele que chamou o mundo a existência.
a. Nota v. 4, "Sabendo, pois, Jesus tudo o que lhe havia de suceder..."
b. Não há surpresas aqui ... Jesus conhecia seus corações e sabia que eles estavam lá para levá-lo.
c. Observe como Jesus os atordoou quando usou o nome divino, "EU SOU”
d. Que ironia ... a multidão veio com armas para prender Jesus ... mas eles não tinham nenhum poder contra ele.
e. Depois de se levantarem do chão, Jesus perguntou: "A quem buscais?"
f. No verso 8, Jesus advertiu os discípulos para que se afastassem, para que não entrassem em problemas.

C. A desobediência de Pedro.
1. O Senhor advertiu-os a sair, mas Pedro escolheu permanecer.
2. Em sua insolente desobediência, Pedro atacou Malco, o servo do sumo sacerdote.
3. Jesus repreendeu Pedro e depois curou a orelha do servo. Lucas 22:50-51 “Então um deles feriu o servo do sumo sacerdote, e cortou-lhe a orelha direita. Mas Jesus disse: Deixei-os; basta. E tocando-lhe a orelha, o curou-o”.
4. Ao usar a espada, Pedro definitivamente desobedeceu a Cristo.
a. Pedro teve o motivo errado, atuou sob ordens erradas e surgiu os resultados errados.
b. Quão gracioso de Jesus curar Malco e proteger Pedro contra os danos.
5. Não é incrível que, mesmo depois de tal demonstração do poder Divino, a multidão ainda prendeu Jesus e o conduziu.
6. Esta é uma clara indicação de que os homens não regenerados são cegos às realidades espirituais. 2 Coríntios 4:4 “nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus”.

II. Ele sofreu nas mãos do sumo sacerdote. v. 13-27

A. A negação Pedro: o que aconteceu lá fora.
1. No Cenáculo, Pedro se gabou três vezes de que ele permaneceria fiel a Cristo.
2. No Jardim, ele tinha dormido três vezes quando ele deveria estar orando.
3. Agora vemos que ele negou o Senhor três vezes.
a. No Cenáculo, Pedro caiu na armadilha do diabo.
b. No Jardim, ele cedeu à fraqueza da carne.
c. E agora no pátio, ele se renderia às pressões do mundo.
4. Enquanto Cristo estava sofrendo, Pedro estava se aquecendo no fogo do mundo.

B. A frustração do sumo sacerdote: o que estava acontecendo lá dentro.
1. Agora que eles tinham Jesus, parece que eles não sabiam o que fazer com ele.
2. Eles o questionaram e provocaram.
3. Eles procuraram testemunhas falsas para testemunhar contra Ele, mas tiveram problemas para encontrar algo que pudesse ser credível.
4. Finalmente, eles o levaram a Pilatos e, quando perguntado quais eram as acusações, rodearam o assunto. V. 29-30

III. Ele sofreu nas mãos de Pilatos. v. 28-40

A. Considere os aspectos ilegais do julgamento de Cristo.
1. Foi realizada de noite.
2. O preso foi considerado culpado e foi tratado dessa maneira.
3. O tribunal contratou falsas testemunhas.
4. O juiz permitiu que o prisioneiro fosse maltratado enquanto estava amarrado.
5. O tribunal não permitiu ao acusado nenhuma defesa.

B. Após a zombaria de um julgamento, os sacerdotes levaram Jesus a Pilatos pela sentença de morte final.
C. A indecisão de Pilatos.
1. Pelo menos sete vezes, Pilatos saiu do pretório para falar com os judeus lá fora, tentando chegar a um acordo.
2. Pilatos crucificou Cristo porque era um covarde, "querendo satisfazer a multidão" (Marcos 15:15).
3. Cristo explicou a Pilatos a natureza espiritual de Seu reino, mas não explicou Sua afirmação: "Meu reino não é deste mundo".
4. Se os judeus o recebessem, Ele poderia ter estabelecido Seu reino na Terra.
5. Mas eles o rejeitaram, pois, o seu reino é de natureza espiritual, dentro dos corações das pessoas.

D. A escolha do povo.
1. O mundo sempre faz a escolha errada quando se trata de assuntos espirituais.
2. A multidão preferiu um ladrão e assassino ao Príncipe da Vida!
3. Eles escolheram o infrator da lei, e não o Legislador!
4. Os judeus rejeitaram seu verdadeiro Messias, mas um dia aceitarão o falso Messias de Satanás, o anticristo. João 5:43 “Eu vim em nome de meu Pai, e não me recebeis; se outro vier em seu próprio nome, a esse recebereis”.

E. Os homens rejeitam Jesus por diferentes razões.
1. Judas rejeitou Cristo porque ele ouviu o diabo.
2. Pilatos ouviu o mundo
3. Herodes obedeceu à carne.
4. "por costume que eu vos solte alguém", disse Pilatos (18:39).
a. Que triste que Pilatos conhecia os costumes religiosos, mas não conhecia Cristo!
b. As pessoas são assim até hoje, com o cuidado de observar feriados e costumes religiosos, mas ignorantes do Salvador do mundo.
c. Rejeição significa julgamento eterno, mas fé significa vida eterna.
d. Todos devem tomar sua própria decisão.

Conclusão: Jesus tornou-se nosso Salvador Sofredor, não por causa de Sua incapacidade de resistir aos poderes religiosos, mas por causa de Seu grande amor por você e por mim. Jesus sofreu as injustiças do homem pecador, para que possamos desfrutar das bênçãos da vida eterna. Não é um retrato bonito. Talvez seja uma imagem que gostaríamos de esquecer, mas não podemos.

1 Pedro 3:18 “Porque também Cristo morreu uma só vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus; sendo, na verdade, morto na carne, mas vivificado no espírito”

Você conhece pessoalmente a Cristo? Você nasceu de novo, purificado pelo sangue dele? Estamos vivendo para ele, ou estamos negando a ele? Deus possa lidar com nossos corações na graça esta noite.

Gostou desse esboço? Olha a novidade que tenho para você!

Eu preparei um e-book com 365 sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! Clique Aqui para adquirir seu livro.

Previous Post
Next Post

0 comments:

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:
1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!