Série: Jesus no Evangelho de João - Jesus: Nosso Intercessor

Série: Jesus no Evangelho de João - Jesus: Nosso Intercessor
Texto: João 17:1-26

Introdução: Alguns anos atrás visitei um museu de arte religiosa. No museu encontrei muitos retratos de Cristo. E cada um era diferente ... porque ninguém realmente sabia como Cristo se parecia em Seu ministério terreno; cada artista pintou Cristo da maneira como eles pensavam que Ele teria sido.

Como você acha que ele parecia? Se ele estivesse aqui esta noite, você acha que você poderia reconhecê-lo?

Não temos retratos precisos de Cristo em tela, mas temos uma imagem perfeita dEle revelada a nós através das Escrituras. Nas últimas semanas, observamos o Evangelho de João para ver a revelação de Cristo. Em cada capítulo do Evangelho de João vimos um retrato de Cristo.
  • A Palavra de Deus
  • A Fonte da Vida
  • O Mestre Divino
  • O Ganhador de Almas
  • O Grande Médico
  • O Pão da Vida
  • A Fonte da Água Viva
  • O Simpático Salvador
  • A Luz do Mundo
  • O Bom Pastor
  • A Ressurreição e a Vida
  • A Videira Verdadeira
  • O Doador da Paz
Esta noite, chegamos a João 17 e encontramos mais uma imagem de Cristo. Aqui Ele é visto como nosso grande intercessor. Depois de encorajar os discípulos com a segurança de Sua paz, Jesus começa a orar.

I. Cristo Orou Por Si Mesmo. V. 1-5

A. "... glorifica a teu Filho, para que também o Filho te glorifique..."
B. O desejo de Jesus era a glória de Deus, e essa glória seria realizada em Sua obra consumada na cruz.
C. A palavra glória é usada cinco vezes nestes versos.
1. Glorificar é estimar, honrar e magnificar.
2. Jesus glorificou o Pai através de Seus milagres, mas Ele trouxe a maior glória ao Pai através dos seus sofrimentos e da morte no Calvário.
3. Do nosso ponto de vista, os acontecimentos da cruz eram horríveis ..., mas não do ponto de vista de Deus.
D. Jesus concluiu a obra que Deus lhe deu para fazer.
1. Esta "obra" incluiu Suas mensagens e milagres na Terra, o treinamento dos discípulos para o serviço futuro, mas acima de tudo, Seu sacrifício na cruz.
2. É com base nesta "obra consumada" que nós, como crentes, temos o dom da vida eterna.
3. Aqui vemos exatamente do que se trata a vida eterna
a. A base da vida eterna é conhecer o único Deus verdadeiro e Seu Filho.
b. Eu sei que você já ouviu isso antes, mas devo continuar a declarar uma e outra vez que existe apenas um Caminho para a vida eterna.
c. Esse é através da obra consumada de Jesus no Calvário!
d. Não há outra opção ... não há outra escolha ... não há outro caminho!

II. Cristo Orou Por Seus Discípulos. V. 6-19

A. Considere o poder de seu nome: V. 6-10
1. Cristo deu sua própria vida eterna (João 17:2), mas Ele também lhes deu a revelação do nome do Pai.
2. O judeu do Antigo Testamento conhecia seu Deus como "Jeová", o grande “EU SOU” (Êxodo 3:11-14).
3. Jesus tomou este nome sagrado "EU SOU" e tornou significativo para os discípulos dele:
a. "Eu sou o pão da vida"
b. "Eu sou a luz do mundo"
c. "Eu sou o bom pastor"
d. "Eu sou o caminho, a verdade e a vida"
4. Em outras palavras, Jesus revelou o nome gracioso do Pai ao mostrar aos Seus discípulos que Ele era tudo o que precisavam.
5. Nas Suas mensagens aos judeus, Jesus deixou claro que o Pai o enviou, e que Ele era igual ao Pai, e que Suas palavras e obras vieram do Pai.
6. Foi uma reivindicação clara da Deidade, mas a maioria dos judeus se recusou a crer.
B. Considere a Promessa de Sua Proteção. V. 11-12
1. Deus guarda os que são seus.
2. Nossa segurança depende da natureza de Deus, não de nosso próprio caráter ou conduta.
3. Quando estava na Terra, Jesus guardou Seus discípulos e eles podiam depender dele.
4. Se o Salvador pode guardar os Seus enquanto Ele estava na Terra, não deve nos surpreender que Ele possa nos guardar agora que Ele está glorificado no céu.
5. Ele e o Pai, juntamente com o Espírito Santo, certamente podem proteger e guardar o povo de Deus!
6. Portanto, como crente, estamos seguros em Cristo por causa da própria natureza de Deus, da natureza da salvação, da glória de Deus e do ministério de intercessão de Cristo.
C. Considere o Poder de Sua Palavra: V. 13-19
1. A Palavra de Deus é o presente de Deus para nós.
a. O Pai deu as palavras a Seu Filho
b. O Filho deu a Palavra a Seus discípulos, que, por sua vez, transmitiram a nós, conforme o Espírito os inspirou.
c. A Palavra é de origem divina, um presente precioso do céu.
2. A Palavra de Deus nos permite vencer o mundo.
a. Isso nos dá uma alegria interior que nos fortalece para vencer. "... a alegria do Senhor é a nossa força". (Neemias 8:10b)
b. O crente não encontra sua alegria no mundo, mas na Palavra. "Acharam-se as tuas palavras, e eu as comi; e as tuas palavras eram para mim o gozo e alegria do meu coração; pois levo o teu nome, ó Senhor Deus dos exércitos". (Jeremias 15:16)
3. A Palavra não apenas transmite a alegria do Senhor, mas também nos assegura do Seu amor. V. 14
a. O mundo nos odeia, mas somos capazes de enfrentar esse ódio com o próprio amor de Deus, um amor que o Espírito nos concedeu através da Palavra.
b. O mundo nos odeia porque não pertencemos ao seu sistema e não nos conformaremos com suas práticas e padrões.
c. A Palavra revela-nos como é o mundo. A Palavra expõe os enganos do mundo e dispositivos perigosos.
4. A Palavra de Deus não só nos traz a alegria e o amor de Deus, mas também transmite o poder de Deus para a vida santa. V. 15-17
a. Estamos no mundo, mas não no mundo, e não devemos viver como o mundo.
b. A verdadeira santificação (separado para Deus) vem através do ministério da Palavra de Deus. "Vós já estais limpos pela palavra que vos tenho falado". (João 15:3)
c. Quando somos salvos, somos separados para Deus.
d. À medida que crescemos em nossa fé, estamos cada vez mais experimentando santificação.
e. Nós amamos menos o pecado e nós amamos mais Deus.
f. Queremos servi-lo e ser uma benção para os outros.
g. Tudo isso vem através da Palavra.
5. A Palavra nos dá o que precisamos para servi-Lo como testemunhas neste mundo. V. 18-19
a. A santificação não é para o propósito de gozo ou alegria egoísta; é para que possamos representar Cristo neste mundo e ganhar outros para Ele.
b. Jesus se separou para nós, e agora Ele nos separou para Ele.
c. O Pai o enviou ao mundo, e agora Ele nos envia para o mundo.
d. Nós somos pessoas "sob ordens" e é melhor obedecer!

III. Cristo orou por você e por mim. V. 20-26

A. "... por aqueles que pela sua palavra hão de crer..."
1. Você percebe que Jesus estava orando por você e por mim também naquela noite?
2. Não em aplicação ou interpretação, mas claramente este versículo nos ensina que estávamos em Sua mente.
3. Eu não sei o que isso significa para você, mas emociona meu coração saber que Ele se importa conosco.
B. O que Ele orou por nós?
1. Ele já orou sobre segurança e santidade; agora o ônus de Sua oração é a unidade.
2. Ele está preocupado que possamos experimentar uma unidade espiritual que seja como a unicidade do Pai e do Filho.
3. Uma das coisas que causam o maior impacto no mundo é quando os cristãos se amam e convivem em harmonia.
4. É este o testemunho que nosso Senhor quer no mundo "para que o mundo creia que tu me enviaste". V. 21.
5. O mundo perdido não pode ver Deus, mas eles podem ver os cristãos; e o que eles veem em nós é o que eles vão crer de Deus.
a. Crente, somos apenas um reflexo de Cristo para aqueles que nos rodeiam ...
b. O que eles veem?
c. A oração de Jesus era para que eles pudessem ver o amor e a compaixão que Deus tem por eles.
6. Jesus orou para que todos os que cressem nele pudessem estar com ele no céu.
a. Não é uma presunção auto justificada quando declaro que todos os crentes passarão a eternidade com Jesus no céu.
b. Jesus deixa claro que podemos ter certeza de um lar no céu.
c. Por causa do preço que Jesus pagou (1 Tessalonicenses 5:9-10) “porque Deus não nos destinou para a ira, mas para alcançarmos a salvação por nosso Senhor Jesus Cristo, que morreu por nós, para que, quer vigiemos, quer durmamos, vivamos juntamente com ele”.
d. Por causa da promessa que Jesus fez. (João 14:3) “E, se eu for e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos tomarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também”.
e. E por causa da oração que Jesus fez. (João 17:24) “Pai, desejo que onde eu estou, estejam comigo também aqueles que me tens dado, para verem a minha glória, a qual me deste; pois que me amaste antes da fundação do mundo”.

Conclusão: Jesus é o nosso Grande Intercessor. Ele ora por você e por mim. Se você está sem Cristo esta noite, é Sua oração que você venha a Ele pela fé aceitando Sua obra consumada no Calvário como o pagamento de seus pecados. Você confiará nele hoje? Você quer vir a ele agora?

Crente, Sua oração por nós hoje é que nos amemos uns aos outros. Para que possamos refletir Seu amor por nós para o mundo que nos rodeia. Quando o mundo nos olha, eles veem Jesus? No que dizemos ... e no que fazemos?

Venha esta noite. Deixa Deus entrar em seu coração e vida hoje. Qualquer que seja a necessidade, venha.
Série: Jesus no Evangelho de João - Jesus: Nosso Intercessor Série: Jesus no Evangelho de João - Jesus: Nosso Intercessor Reviewed by Aldenir Araujo on agosto 31, 2017 Rating: 5

Nenhum comentário:

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:
1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

Tecnologia do Blogger.