Série: Jesus no Evangelho de João - Jesus: Nossa Paz

Série: Jesus no Evangelho de João - Jesus: Nossa Paz
Texto: João 16:16-33

Introdução: Uma das marcas da maturidade espiritual é a capacidade de julgar as questões por consequências a longo prazo, em vez de recompensas imediatas. É fácil interpretar mal quem está à frente e quem está perdendo sem uma perspectiva de longo alcance. O que parece ser o sucesso pode ser um fracasso disfarçado.

O discernimento espiritual é a capacidade de distinguir o permanente do temporário, o visível do invisível. Cristo contrastou a opinião do mundo incrédulo e não regenerado com o de Seus discípulos. O mundo se alegraria com a crucificação de Cristo e os discípulos sofreriam, mas os resultados a longo prazo produziriam alegria em Seus discípulos e tristeza pelo mundo.

Na passagem de hoje encontramos que Jesus é a nossa paz. Em um mundo onde parece que o mal está vencendo o que é bom, Jesus nos chama a paz nele. Leia o texto: João 16:16-33

I. A alegria do mundo é passageira

A. A religião oficial odiava Cristo.
1. Ele expôs a ignorância deles.
a. Nota: Mateus 21:23-27
b. Nota: Mateus 22:41-46
2. Ele expôs os pecados deles.
a. Ele os chamou de "sepulcros caiados" que parecem bons do lado de fora, mas dentro eles estavam apodrecidos.
b. Ele expôs os pecados de seus corações.
c. Ele lhes disse que eram cuidadosos com coisas que não importavam, mas eram tolerantes com os pecados que eles desfrutavam.
B. O mundo viu a morte de Cristo como uma boa notícia, mas eles estavam cegos para as más notícias.
1. Cristo estava morto, mas Ele não ficaria morto!
2. No final, eles o encontrarão novamente; só que desta vez ele será juiz.
3. O mundo olha a vida através do extremo errado do telescópio.
4. As pessoas que estão rindo deveriam estar chorando.
C. Observe a aparente vitória do diabo em Apocalipse 11:7-10
1. Duas testemunhas de Deus acabaram de ser mortas e os corpos delas colocados nas ruas.
2. Observe como o mundo se alegra quando as testemunhas são mortas.
3. Agora vamos ler v. 11-14.
4. A festa acabou, e Deus é glorificado.
D. Cristo disse a seus discípulos que não fossem enganados pela percepção do mundo de vários eventos.
1. O mundo se alegraria com a morte de Cristo.
2. No entanto, uma cena finalizada não significa que o ato acabou; a cortina se abrirá novamente.
3. Em outras palavras, muitas pessoas se surpreenderão quando chegarem à última cena!

II. A tristeza do crente é passageira.

A. Os discípulos seriam como ovelhas sem pastor.
1. Eles acreditavam que o reino terrestre predito pelos profetas do Antigo Testamento seria estabelecido imediatamente.
2. Nenhum dos discípulos entendeu claramente que a morte e ressurreição de Cristo, mais alguns 2000 anos, precederia a era do reino.
3. Quando Cristo morresse, suas esperanças morreriam com Ele.
B. Observe Lucas 24:13-35
1. Os dois que caminhavam em direção a Emaús após a morte de Cristo estavam tristes e sem esperança.
2. Jesus perguntou-lhes sobre suas tristezas (v. 17).
3. Eles estavam desanimados porque confiaram em Jesus Cristo. (V. 21)
4. Eles pensaram que tinham sido enganados.
5. Jesus ensinou-lhes as Escrituras e lhes deu esperança.
6. Seus olhos foram abertos à verdade de que a cruz era necessária.
7. Então a mensagem e a atitude deles mudaram! (V. 33- 34)
C. A tristeza temporária seria transformada em alegria permanente.
1. Não que a alegria seguiria a tristeza.
2. Foi que o evento que causou a tristeza lhes daria alegria.
3. Jesus usou o exemplo de uma mulher dando à luz. V. 21
4. A crucificação de Cristo foi o maior crime que já foi cometido e, no entanto, foi o único evento que trouxe ao crente a maior alegria e benção.

Os discípulos começaram a entender o que Cristo os ensinava, e, no entanto, Cristo sabia que não podiam compreender completamente o que estava por acontecer. Ele os encorajou no versículo 33. Também podemos encontrar encorajamento neste versículo. Pode parecer que estamos lutando contra uma batalha perdida, mas Cristo já ganhou a vitória!

(João 16:33) “Tenho-vos dito estas coisas, para que em mim tenhais paz. No mundo tereis tribulações; mas tende bom ânimo, eu venci o mundo”.

Conclusão: Como vemos os eventos em constante mudança deste mundo? Sem Cristo, deve ser assustador considerar o que está acontecendo ao nosso redor hoje, mas quando vemos o mundo através da cruz de Cristo, temos uma perspectiva totalmente diferente. Paulo escreveu:

(2 Coríntios 4:17-18) “Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós cada vez mais abundantemente um eterno peso de glória; não atentando nós nas coisas que se veem, mas sim nas que se não veem; porque as que se veem são temporais, enquanto as que se não veem são eternas”.

Você desfruta da paz que só vem através de um conhecimento pessoal de Jesus Cristo como seu Salvador? Por que não vem agora e deixe-nos apresentá-lo a ele hoje. Jesus morreu no Calvário, para que tenhamos vida eterna. Ele é o único caminho para o céu; Ele é a fonte da nossa paz num mundo turbulento. Confie nele hoje.
Série: Jesus no Evangelho de João - Jesus: Nossa Paz Série: Jesus no Evangelho de João - Jesus: Nossa Paz Reviewed by Aldenir Araujo on agosto 22, 2017 Rating: 5

Nenhum comentário:

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:
1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

Tecnologia do Blogger.