Como manter a pureza espiritual

Como manter a pureza espiritual
Texto: Gênesis 33:18 - 34:31

Introdução: O povo de Deus é claramente chamado para ser um povo distinto, separado. Os cristãos devem manter uma identidade clara como um povo separado, tanto no que creem, como na forma como se comportam. Como 1 Pedro 2:9 diz: "Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as grandezas daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz". O mesmo chamado para ser um povo distinto e separado também foi dado à nação de Israel. Como diz a Bíblia tanto para o cristão como para Israel, "Sereis santos (separados) porque eu sou santo" (1 Pedro 1:16, Levítico 19:2)

De acordo com este preceito bíblico para ser um povo distinto e separado que mantêm a pureza espiritual, Deus também nos dá várias advertências na Bíblia sobre a impureza espiritual, que também pode ser chamada de corrupção espiritual ou contaminação espiritual. Por exemplo Romanos 12:2 diz: "E não vos conformeis a este mundo...". Em 2 Coríntios 6:14-16, Paulo lembra aos crentes que a justiça e a maldade não têm nada em comum, e, portanto, não deve haver corrupção espiritual ou contaminação na vida do crente. No versículo 17 do mesmo capítulo ele então cita uma passagem do Antigo Testamento, que instrui o povo de Deus "Pelo que, saí vós do meio deles e separai-vos...". Dois versos depois, em 2 Coríntios 7:1, Paulo diz: "... purifiquemo-nos de toda a imundícia da carne e do espírito...".

Há muitas outras Escrituras, tanto no Antigo como no Novo Testamentos, voltados para Israel ou a igreja, que fala do mesmo problema de pureza espiritual. Neste ponto você provavelmente está se perguntando o que o tema da pureza espiritual tem a ver com o relato sórdido de sexo e violência em Gênesis 34. A resposta é "Tudo!" A nação de Israel sempre esteve em perigo de perder a sua identidade distinta e santa, adotando as práticas ou aceitando o povo de Canaã. Eles poderiam se tornar espiritualmente contaminados através de casamentos, tratados, ou várias tentações. Muitas das histórias em Gênesis, Ló em Sodoma, Abraão no Egito, etc., destinam-se a ensinar aos israelitas e a nós, a manter a pureza espiritual e os perigos da impureza espiritual.

Esses especialistas de risco biológico que lidam com Antrax não o fazem sem grande cuidado e sem se protegerem de serem contaminados. Da mesma forma, o cristão está sempre em perigo de ser contaminado pelo mundo. Temos também de ter muito cuidado para que nós estejamos protegidos da contaminação espiritual.

Em essência, essa é uma coisa que esta passagem do Gênesis ensina o povo de Deus a fazer. Ela nos ensina sobre a necessidade de manter a pureza espiritual, como manter a pureza espiritual e como não responder a impureza espiritual. Dito isto, eu gostaria de resumir a primeira lição de Gênesis 34 assim.

1. A pureza espiritual só pode ser mantida sendo totalmente obediente e alerta.

Quando eu uso o termo "pureza espiritual", estou falando do comportamento e as crenças das pessoas. A pureza espiritual é quando nossas crenças e nosso comportamento são consistentes com as quais são apresentadas como aceitáveis na Bíblia. Para manter esse padrão de moralidade, separação e pureza da doutrina, temos de ser totalmente obedientes a Deus e alertas para os perigos da contaminação mundana. Com isso dito, vamos olhar para esta passagem versículo por versículo.

Leia Gênesis 33:18-20 “Depois chegou Jacó em paz à cidade de Siquém, que está na terra de Canaã, quando veio de Padã-Arã; e armou a sua tenda diante da cidade. E comprou a parte do campo, em que estendera a sua tenda, dos filhos de Hamor, pai de Siquém, por cem peças de dinheiro. Então levantou ali um altar, e chamou-lhe o El-Eloé-Israel”.

Estes versos podem não ser uma parte do capítulo 34, mas eles são essenciais para a compreensão da lição espiritual dessa história. Jacó tinha jurado para voltar ao Betel e havia sido instruído a fazer isso por Deus. Em vez de fazer isso, ele permaneceu perto da cidade de Siquém, que é a jornada de um dia de Betel. Ele não apenas permaneceu lá durante a noite ou parou para reabastecer suas provisões. Na verdade, ele comprou a terra "diante da cidade". Em alguns aspectos, esta história é semelhante à de Ló em Sodoma. Ambos Ló e Jacó se instalaram ou permaneceram onde eles não deveriam estar e ambos trouxeram danos para as suas famílias, como resultado.

O ponto é que Jacó não foi totalmente obediente e isso levou à contaminação de Diná. Ele fez parte do que ele deveria fazer, mas não obedeceu completamente. Inclusive ele reconheceu o Senhor como seu Deus pela primeira vez. Ele o adorou lá (Gênesis 33:20), mas não obedeceu plenamente a Deus. Só porque Jacó construiu um altar e fez coisas espirituais não significava que ele estava no lugar onde ele deveria estar. Só porque um cristão reconhece Jesus ou faz as coisas espirituais (Igreja, oração, dízimo, etc.) não significa que ele está no lugar onde ele deveria estar. De certa forma, Jacó estava fazendo o que muitos cristãos fazem hoje. Eles obedecem a Deus parcialmente, reconhece e o adoram, mas não fazem tudo o que Deus tem ordenado; eles não percorrem todo o caminho. Eles tentam manter alguns dos pecados ou os caminhos do mundo, mas isso acaba por conduzir a corrupção.

A pureza espiritual só pode ser mantida quando somos totalmente obedientes e alertas.

Se Jacó tivesse obedecido plenamente a Deus e ido para onde ele deveria estar, ele nunca estaria em um lugar onde Israel poderia ser contaminado. Quando os cristãos não obedecem plenamente a Deus em assuntos como frequentar a igreja, passar tempo na Palavra, não estão livrando suas casas e vidas do mal (entretenimento mundano, jogos ilegais, práticas de negócios antiéticos e etc.), eles também estão correndo o perigo de ser cada vez mais corrompidos por este mundo.

A pureza espiritual só pode ser mantida sendo totalmente obediente e alerta.

Leia Gênesis 34:1-4 “Diná, filha de Léia, que esta tivera de Jacó, saiu para ver as filhas da terra. Viu-a Siquém, filho de Hamor o heveu, príncipe da terra; e, tomando-a, deitou-se com ela e humilhou-a. Assim se apegou a sua alma a Diná, filha de Jacó, e, amando a donzela, falou-lhe afetuosamente. Então disse Siquém a Hamor seu pai: Consegue-me esta donzela por mulher”.

Esta é uma passagem triste que demonstra a falta de atenção de Jacó em relação a pureza espiritual. Abraão tinha guardado seu filho Isaque mantendo-o longe das tentações e influência dos cananeus e ao encontrar uma esposa para ele fora de Canaã, mas Jacó não mostrou o mesmo estado de alerta a respeito de sua filha. Neste ponto, Diná teria entre 13 e 15 anos de idade. Jacó, como um pai, teria total controle sobre as atividades de sua filha. Ele, aparentemente, lhe permitiu "ver as filhas da terra". Esta foi uma decisão tola, porque ele deveria conhecer o caráter das pessoas que viviam na cidade e que isso colocaria Diná em perigo de ser contaminada ou corrompida de uma forma ou de outra. O ponto desta parte da história é o mesmo que a de Ló em Sodoma. Em ambos os casos, demorar-se em ou permanecer perto da cidade, que representa o sistema mundial, levou ao dano e a contaminação potencial ou real.

No versículo 2 ficamos sabendo que Siquém, que aparentemente tinha o mesmo nome da cidade ou vice-versa, "violou" Diná. Este termo refere-se à atividade sexual, mas não está claro se ele se refere a violação ou sedução. Neste caso, ele foi provavelmente o primeiro. Em ambos os casos, o ponto é que Siquém teve relações sexuais com Diná que não era sua esposa. Ele falou gentilmente com ela e procurou se casar com ela, mas isso em nada atenuou a contaminação de Diná. Este foi um terrível pecado!

Em meio a esses detalhes e perguntas, não vamos perder de vista o ponto principal. Diná não teria sido contaminada se Jacó tivesse sido totalmente obediente e alerta. É o mesmo para os cristãos hoje. Devemos ser totalmente obedientes e alerta para as várias tentações que podem trazer à corrupção espiritual para nós ou nossas famílias. Temos uma responsabilidade; não podemos simplesmente deixar as crianças tomarem suas próprias decisões. Devemos ter em mente que as nossas escolhas afetam muitos outros.

Como você mantém a pureza espiritual?

A pureza espiritual só pode ser mantida sendo totalmente obediente e alerta.

Há um segundo assunto que esta história direciona, e é como não responder a impureza espiritual. Agora que a corrupção aconteceu, como o povo de Deus deve responder à impureza espiritual? Nesta história nós aprendemos, pelo menos, duas formas que não devemos responder a impureza espiritual.

2. A impureza espiritual não deve ser respondida com apatia ou fanatismo.

Leia Gênesis 34:5-7 “Ora, Jacó ouviu que Siquém havia contaminado a Diná sua filha. Entretanto, estando seus filhos no campo com o gado, calou-se Jacó até que viessem. Hamor, pai de Siquém, saiu a fim de falar com Jacó. Os filhos de Jacó, pois, vieram do campo logo que souberam do caso; e entristeceram-se e iraram-se muito, porque Siquém havia cometido uma insensatez em Israel, deitando-se com a filha de Jacó, coisa que não se devia fazer”.

Há um grande contraste entre a maneira como Jacó respondeu a impureza espiritual e a maneira como os filhos de Jacó responderam. Jacó “calou-se”. Ele foi apático sobre este grande pecado. Provavelmente não é que ele não se importava, mas sim que ele não queria lidar com os problemas que viriam ao lidar com a contaminação de Diná. Ele aparentemente estava disposto a ignorar este terrível pecado e corrupção. Sua falta de ação me lembra de como muitos cristãos respondem a impureza espiritual (imoralidade, falsas doutrinas) na igreja de hoje. Quando muitos se tornam conscientes de outros cristãos, incluindo líderes, envolvidos em comportamento pecaminoso (adultério, ganância, mentira, etc.) ou ensinando falsas doutrinas, eles simplesmente ficam com a boca fechada. É a coisa mais fácil a fazer, mas não é a coisa certa a fazer. Isso transmite a mensagem de que as impurezas morais e doutrinárias não são importantes.

A impureza espiritual não deve ser respondida com apatia ou fanatismo.

Os filhos de Jacó são tudo, menos apáticos. Eles ficaram irados com razão. Eles reconheceram que eles eram um povo distinto e, portanto, a pureza espiritual deveria ser mantida. Eles eram Israel e eles estavam cheios de fúria porque “Siquém havia cometido uma insensatez em Israel”. Neste ponto, a reação é apropriada, mas daqui a pouco vamos ver que eles cruzaram a linha em resposta ao pecado de Siquém. Primeiro, porém, Hamor (pai de Siquém) queria fazer um acordo com Israel e levá-los a aceitar esta impureza moral e comprometer pacificamente.

Leia Gênesis 34:8-12 “Então falou Hamor com eles, dizendo: A alma de meu filho Siquém afeiçoou-se fortemente a vossa filha; dai-lha, peço-vos, por mulher. Também aparentai-vos conosco; dai-nos as vossas filhas e recebei as nossas. Assim habitareis conosco; a terra estará diante de vós; habitai e negociai nela, e nela adquiri propriedades. Depois disse Siquém ao pai e aos irmãos dela: Ache eu graça aos vossos olhos, e darei o que me disserdes; exigi de mim o que quiserdes em dote e presentes, e darei o que me pedirdes; somente dai-me a donzela por mulher”.

Hamor oferece o povo de Israel a mesma proposição que o mundo oferece aos cristãos. Ele basicamente diz, "Relaxe seus padrões de pureza, não fiquem muito chateados, e eu vou fazer valer a pena. Vocês podem ter paz, prosperidade e propriedade, etc., mas apenas se vocês não insistirem em fazer a coisa certa". Irmãos, temos de ter em mente que somos chamados para ser um povo distinto e santo e Satanás está sempre procurando oportunidades para seduzir-nos a comprometer as normas santas de Deus, o que leva à impureza espiritual. Satanás nos promete o mundo se nós apenas cedermos um pouco. Deve notar-se que tudo o que Hamor promete aos israelitas, assim como tudo neste mundo que Satanás promete para nós, é uma mentira. (Gênesis 34:23)

Acredito que Moisés incluiu este capítulo em toda a sua repulsa para avisar o povo de Deus do perigo de se tornar assimilado com o mundo de Deus. A nação de Israel estava prestes a ir para a terra de Canaã. O maior perigo que eles enfrentariam não seria lutar contra os gigantes na terra. Era o perigo de serem seduzidos a se misturar com os cananeus. O mesmo é verdadeiro para nós hoje.

O cristão de hoje enfrenta o mesmo perigo que a nação de Israel enfrentou há muito tempo. Enfrentamos o perigo de não manter a nossa distinção e misturar-se com o mundo basicamente por acreditar e se comportar da mesma maneira que eles se comportam. É por isso que precisamos nos lembrar de como manter a pureza espiritual.

A pureza espiritual só pode ser mantida quando somos totalmente obedientes e alerta.

Leia Gênesis 34:13-31. Resumidamente expor sobre o texto durante a leitura.

A impureza espiritual não deve ser respondida com apatia ou fanatismo.

Nesta seção, vamos ver outra maneira errada de responder a impureza espiritual. Os filhos de Jacó enganaram os cidadãos de Siquém, para que pudessem punir todos eles. Isto é descer o nível. Isso é fanatismo e é tão inaceitável como a apatia. A circuncisão naqueles dias não era feita com a mesma precisão cirúrgica e antissépticos que estão disponíveis hoje. Como resultado, um homem estaria incapacitado por vários dias após a circuncisão, e logo não haveria problema para Simeão e Levi matar todos os homens da cidade, o que provavelmente era mais parecido com o que poderíamos chamar de uma pequena aldeia. O ponto principal é que eles foram longe demais em resposta a impureza espiritual.

A impureza espiritual não deve ser respondida com apatia ou fanatismo.

Às vezes, o mesmo tipo de fanatismo tem sido visto em muitos cristãos. A história está repleta com aqueles que cruzaram a linha em busca de pureza moral e doutrinária. Tivemos as inquisições católicas e protestantes e etc. Esses são exemplos extremos do tipo de fanatismo que é uma resposta inaceitável para a impureza espiritual. É bom sermos zelosos, mas temos de ter cuidado para não ir muito longe.

Conclusão: Como cristãos somos chamados para manter a pureza espiritual e responder adequadamente a impureza espiritual. A fim de fazer isso, devemos aprender as 2 lições que vimos neste texto hoje.

1. A pureza espiritual só pode ser mantida sendo totalmente obediente e alerta
2. A impureza espiritual não deve ser respondida com apatia ou fanatismo.

Gostou desse esboço? Olha a novidade que tenho para você!

Eu preparei um e-book com 365 sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! Clique Aqui para adquirir seu livro.

Como manter a pureza espiritual Reviewed by Aldenir Araujo on segunda-feira, setembro 12, 2016 Rating: 5

Nenhum comentário:

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:
1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

All Rights Reserved by O Pregador © 2014 - 2015
Designed by Blogger

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.