Considerem suas ações

Considerem suas ações
Texto: Ageu 2:10-19

Introdução: Ageu recebeu e transmitiu duas mensagens do Senhor aos remanescentes que retornaram do cativeiro babilônico. A primeira mensagem foi um desafio para as pessoas considerarem seus caminhos. A segunda mensagem do Senhor seguiu-se cerca de um mês mais tarde. Esta mensagem era um desafio para que eles considerassem o Senhor; foi um chamado a resiliência e a dependência. Se passaram cerca de dois meses e Ageu recebeu outra mensagem para compartilhar com as pessoas. Esta mensagem era em relação às suas ações, o modo de vida, e envolvia a santidade pessoal diante do Senhor. Se eles quisessem prosperar espiritualmente e apreciar a bondade do Senhor, o povo teria de se adaptar um estilo de vida santa diante do Senhor.

Se passaram mais de 2.500 anos desde que Ageu transmitiu esta mensagem do Senhor e as coisas não mudaram em nossos dias. Nosso Deus é tão santo e justo hoje como Ele foi então. Seus caminhos não mudaram e eles nunca mudarão. Se quisermos prosperar espiritualmente e apreciar a boa mão de Deus sobre nossas vidas, nós também temos que nos adaptar um estilo de vida santa diante do Senhor.

Esta é uma atitude e um comportamento que requer determinação e compromisso. Devemos buscar a santidade em uma base diária. Não é impossível viver de uma forma que agrada ao Senhor, mas requer esforço. Isso nunca será obtido através de uma atitude complacente, apática. Devemos estar dispostos a crucificar a carne e seus desejos pecaminosos continuamente. 2 Coríntios 4:10-11 “trazendo sempre no corpo o morrer de Jesus, para que também a vida de Jesus se manifeste em nossos corpos; pois nós, que vivemos, estamos sempre entregues à morte por amor de Jesus, para que também a vida de Jesus se manifeste em nossa carne mortal”. Gálatas 6:7-8 - 7 “Não vos enganeis; Deus não se deixa escarnecer; pois tudo o que o homem semear, isso também ceifará. Porque quem semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção; mas quem semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna”. Vamos por alguns minutos examinar as acusações que Ageu transmite enquanto pensamos sobre o desafio: Considerem suas ações.

I. Uma palavra para revelar. v. 10-13

- Deus falou através de Ageu para revelar onde as pessoas estavam espiritualmente e para desafiá-los na sua caminhada com Ele. Observe:

A. A audiência. V. 10-11 “Ao vigésimo quarto dia do mês nono, no segundo ano de Dario, veio a palavra do Senhor ao profeta Ageu, dizendo: Assim diz o Senhor dos exércitos: Pergunta agora aos sacerdotes, acerca da lei, dizendo”. O Senhor tinha falado especificamente para os sacerdotes em relação à lei de Deus, a Palavra escrita. Os discursos anteriores tinham falado com as pessoas em geral, mas este foi reservado para os sacerdotes, aqueles em posições de autoridade e influência. Se esperasse que alguém conhecesse a Palavra de Deus e a seguisse, eram os sacerdotes certamente. Deus sabia que as pessoas nunca subiriam acima do nível espiritual influenciado pelos sacerdotes.

- Embora esta mensagem foi dada especificamente aos sacerdotes nos dias de Ageu, tem aplicação para todos os crentes. Ela apresenta um desafio especialmente para aqueles em posições de liderança. Somos agora um sacerdócio de crentes. Aqueles que conhecem a Palavra de Deus são indesculpáveis. Deus tem claramente definido o que espera da igreja dentro da Sua Palavra. Devemos prestar atenção à Palavra e obedecer sua direção para nossas vidas.

B. A análise. V. 12-13 “Se alguém levar na aba de suas vestes carne santa, e com a sua aba tocar no pão, ou no guisado, ou no vinho, ou no azeite, ou em qualquer outro mantimento, ficará este santificado? E os sacerdotes responderam: Não. Então perguntou Ageu: Se alguém, que for contaminado pelo contato com o corpo morto, tocar nalguma destas coisas, ficará ela imunda? E os sacerdotes responderam: Ficará imunda”. Ageu fez algumas perguntas que revelam a verdade significativa. A primeira pergunta era se uma pessoa ou objeto que fosse considerado santo não poderia tornar outra pessoa ou objeto sagrado simplesmente pelo simples contato. Poderia a peça sagrada de carne tornar um simples pedaço de pão santo simplesmente por tocá-lo? A resposta adequada foi: Não. Esta verdade não mudou. A justiça nunca é transferida por contato físico. Não podemos compartilhar ou transmitir a nossa justiça em Cristo para outro. Isto exige uma relação pessoal com Ele. Ele também lida com a inadequação dos rituais e tradições para garantir a justiça. Isto é obtido pela graça mediante a fé em Cristo! O mero fato de assistir aos cultos no templo não se traduziria em santidade para eles e nem a atividade religiosa para nós também.

- A segunda pergunta era se um objeto impuro poderia contaminar algo que anteriormente era puro. A resposta adequada aqui foi: Sim. Deus havia declarado certos objetos, animais e pessoas com certas condições impuros. Tudo o que estava morto tornaria impuro se tocado. O princípio revela que a impureza pode manchar e dificultar o que foi considerado limpo anteriormente. Os sacerdotes estavam sendo aconselhados a guardar-se daquilo que era considerada impuro, para que não se contaminassem.

- Não vivemos mais sob a lei, mas este princípio permanece e precisa ser ensinado e praticado. Em Cristo somos purificados pelo Seu sangue derramado e considerados justos diante de Deus. Nós somos aceitos pelo Senhor com base no sacrifício de Cristo. Sabemos que ao viver em um corpo de carne somos propensas ao pecado. Mesmo os crentes lutam com o pecado, mas isso revela o impacto que tem sobre o que é considerado sagrado. Quando nos envolvemos em atividade pecaminosa, participando do que é impuro diante de Deus, o pecado contamina e dificulta a nossa comunhão com Cristo. Deve ser confessado e abandonado!

II. Uma palavra para repreender. v. 14-17

- Os sacerdotes podem ter pensado que as suas obras estavam escondidas e tudo estava bem, mas o Senhor viu suas vidas e conheciam seus pecados. Ele repreende seus caminhos pecaminosos. Observe:

A. A contaminação. V. 14 “Ao que respondeu Ageu, dizendo: Assim é este povo, e assim é esta nação diante de mim, diz o Senhor; assim é toda a obra das suas mãos; e tudo o que ali oferecem imundo é”. Embora o trabalho tivesse começado novamente no templo, e o progresso estava sendo feito fisicamente, o povo ainda estava contaminado espiritualmente. Eles estavam envolvidos em atividade religiosa, mas não era agradável ao Senhor, porque estava sendo feito com as mãos sujas. Deus queria o templo restaurado, mas ele estava mais preocupado com a condição do povo do que a reconstrução do templo.

- Que desafio se apresenta para a igreja moderna. Estamos mais ocupados agora do que qualquer geração antes de nós. As igrejas agendam mais eventos e atividades do que nunca, e ainda não temos poder. Nós procuramos "fazer a igreja" sem vidas santificadas que dependem do Senhor para dar o crescimento. Ocupação nunca vai traduzir-se em santidade. Não há nenhum substituto para o poder de Deus no meio de nós, e Seu poder nunca vai ser apreciado por aqueles com mãos e corações impuros.

B. A morosidade. v. 15 “Agora considerai o que acontece desde aquele dia. Antes que se lançasse pedra sobre pedra no templo do Senhor”. Ageu oferece um lembrete da procrastinação deles na reconstrução do Templo. Seus corações não estavam estabelecidos nas coisas de Deus. Não havia nenhum senso de urgência para reconstruir o templo a fim de ter um local de culto. Eles estavam tão consumidos com suas próprias vidas e desejos, que não foi dado prioridade a adoração. Esta atitude estava presente muito antes da primeira pedra ser colocada sobre a fundação do templo e essa atitude permaneceu. Eles estavam trabalhando agora, mas toda a vontade deles não foi dada ao Senhor. Eles estavam dispostos a trabalhar no templo, mas até o momento suas vidas não estavam sendo vividas de acordo com as exigências de Deus.

- Esta é uma praga que tem consumido a igreja moderna. Agora, eu sei que todos nós temos que trabalhar para sobreviver. Há atividades e eventos que exigem nosso tempo e atenção. No entanto, estou convencido de que a maioria dos membros da igreja no Brasil não estão verdadeiramente preocupados com servir o Senhor ou viver para Ele. A maioria estão satisfeito com as coisas do jeito que estão. Não há preocupação real para ver os incrédulos vir a Cristo para salvação. A frequência à igreja é muito boa contanto que seja conveniente. Muitos se contentam em assistir aos cultos, desejando receber algo do Senhor, mas não estão dispostos a servi-lo ou dar de si para o bem dos outros. A igreja moderna é tão morosa como aqueles nos dias de Ageu!

C. O desespero. V. 16-17a “quando alguém vinha a um montão de trigo de vinte medidas, havia somente dez; quando vinha ao lagar para tirar cinquenta, havia somente vinte. Feri-vos com mangra, e com ferrugem, e com saraiva, em todas as obras das vossas mãos”. As coisas tinham se tornado caóticas para as pessoas. Suas colheitas não haviam produzido sua abundância de costume. Deus havia enviado um sol escaldante, vento e chuvas que causaram mofo, e granizo que danificou as suas culturas. A desobediência deles resultou em castigo do Senhor. Eles não estavam desfrutando da bênção que poderiam ter recebido.

- Este mesmo cenário não é prevalente em nossa sociedade hoje? As tempestades e secas enormes que agora experimentamos não são meras coincidências. A falta de poder de nossas igrejas e as experiências de vidas individuais não é por acaso. Estou convencido de que Deus está tentando chamar a nossa atenção. Ele está buscando revelar o erro de nossos caminhos. Ele está trabalhando para nos atrair de volta para ele. Meu avô costumava dizer: "Quando um homem não pode ouvir, às vezes ele tem que sentir". Há muita verdade nisso. O que será necessário para que possamos voltar a Deus e buscá-Lo?

D. A rebeldia. V. 17b “...e não houve entre vós quem voltasse para mim, diz o Senhor”. Através de todas as suas provações e infelicidade, eles permaneceram rebeldes. Deus tinha procurado a atenção deles e eles ainda se recusaram a buscá-Lo. Era como se nada pudesse impedi-los na busca por prazer e autoindulgência.

- Quão grave as coisas devem ficar antes de percebermos a nossa necessidade e buscar o Senhor? Ele está com ternura, pedindo a nós hoje para voltar a Ele com todo o nosso coração. Estou certo de que a maioria aqui hoje concorda que Deus é soberano sobre nossas vidas. A maioria concorda que Ele é digno de nossa devoção e adoração. Você também concorda que as bênçãos que desfrutamos vem de Sua graciosa mão. Sabendo disso, devo perguntar: por que não estamos dispostos a voltar-se para Deus e servi-Lo com todo o nosso ser? Por que Ele não é a prioridade na maioria dos lares? Por que estamos priorizando tudo na vida; menos Ele? Ele é nossa única esperança, e um arrependimento obediente é o nosso único curso de ação!

III. Uma palavra para tranquilizar. v. 18-19

- Deus não os deixou sem esperança. Ele deu a Ageu uma palavra para tranquilizá-los se eles se voltassem para Deus e o servisse. Observe:

A. O precedente. v. 18 “Considerai, pois, eu vos rogo, desde este dia em diante, desde o vigésimo quarto dia do mês nono, desde o dia em que se lançaram os alicerces do templo do Senhor, sim, considerai essas coisas”. Deus os desafiou a marcar aquele dia como um lembrete para o futuro. Ele tinha falado com eles sobre suas vidas. Eles estavam fazendo progresso no templo e o trabalho necessário para continuar. Eles também deveriam garantir que suas vidas estavam sendo vividas à luz da Sua santidade. Deus tinha dado a oportunidade para o renascimento e a renovação espiritual, mas isso dependia deles.

- O trabalho deles no templo serviria da mesma forma que o memorial que Israel estabeleceu quando eles cruzaram o Rio Jordão entrando em Canaã. Deus está nos chamando para voltar a Ele também. Precisamos fazer um novo compromisso com o Senhor hoje, e estabelecer uma pedra para lembrar e desafiar-nos sobre o nosso compromisso. Deus operará em nosso meio e abençoará nossos esforços, mas temos de conhecer as suas condições e servi-Lo fielmente!

B. A promessa. v. 19 “Está ainda semente no celeiro? A videira, a figueira, a romeira, e a oliveira ainda não dão os seus frutos? Desde este dia hei de vos abençoar”. Não há nenhuma dúvida de que a desobediência deles tinha chegado a um custo muito elevado. Suas colheitas eram escassas. As uvas, figos, romãs, azeitonas não produzia. As pessoas estavam sofrendo devido à desobediência. Isto poderia e iria mudar se eles buscassem o Senhor. Ele prometeu renovada bênção se eles vivessem como eles sabiam que ele esperava. Deus não estava pedindo algo difícil ou ridículo. Ele simplesmente queria que eles o seguisse.

- Continuo convencido de que estamos vivendo abaixo de nossas possibilidades espiritualmente. Poderíamos ter muito mais do que nós desfrutamos atualmente se nós somente buscássemos o Senhor e o servisse. Ele estaria disposto a abrir as janelas do céu e abençoar os nossos esforços se nós tão somente satisfizéssemos suas condições. Ele permanece sentado no trono nos céus. Ele ainda é capaz de salvar e transformar vidas!

Conclusão: Onde você está no seu relacionamento com o Senhor? Houve um momento em que você respondeu ao chamado de salvação? Conhece Cristo como seu Salvador e Senhor? Se assim for, a sua vida é agradável a Ele? Você pode honestamente dizer que Jesus é a sua prioridade? Você está procurando maneiras de servi-Lo? Se houver necessidade, e estou certo de que todos nós temos, por que não responder à direção do Espírito e vir a Cristo hoje. Só Ele pode satisfazer as suas necessidades. Se você precisa de salvação, só ele pode salvar. Se houver desobediência em sua vida, só Ele pode restaurar!

Gostou desse esboço? Olha a novidade que tenho para você!

Eu preparei um e-book com 365 sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! Clique Aqui para adquirir seu livro.

Considerem suas ações Reviewed by Aldenir Araujo on terça-feira, agosto 23, 2016 Rating: 5

Nenhum comentário:

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:
1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

All Rights Reserved by O Pregador © 2014 - 2015
Designed by Blogger

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.