Benefícios daqueles que esperam no Senhor

Benefícios daqueles que esperam confiadamente no Senhor Texto: Salmos 40:1-3

Introdução:
1. Há certas coisas que pelas quais vale a pena esperar. Já existe um dito popular de que "o apressado come cru", cuja moral é a seguinte: Aquele que não sabe esperar pode atrair para si situações de desconforto, ou cai nas armadilhas do diabo. Um texto da Palavra de Deus que pode lançar luz sobre este princípio é Provérbios 21.5: "Os planos do diligente tendem à abundância, mas a pressa excessiva, à pobreza".
2. O apressado, em virtude de sua impaciência pode tomar decisões erradas que certamente comprometerão sua vida futura. Notem as palavras iniciais do Salmo 40: "Esperei com paciência no Senhor...". A espera aqui não é no homem, mas no Senhor, pois o homem pode falhar conosco, ao passo que Deus sempre nos honrará, e no tempo certo fará com que sejamos elevados na sua presença. Tomemos por exemplo um moço que deseja casar-se. Como uma companheira adequada e preparada por Deus demora a aparecer, ele lança mão da primeira que aparece, comprometendo seu futuro.
[post_ad]
3. Porém quando aprendemos a esperar no Senhor seremos galardoados com as melhores coisas, pois Deus quer o melhor para nós. Observando atentamente o texto lido nesta noite podemos ver quais são "Os benefícios que temos quando esperamos confiantemente no Senhor"

I. Nossas orações não ficarão sem resposta

1. "...Ele se inclinou para mim e ouviu quando clamei por socorro". Notem que há duas palavras importantes nesta expressão:
a. A palavra "inclinar-se". Esta palavra vem do termo hebraico "hjn" – natah e tem como significado "inclinar-se", "dobrar-se", "curvar-se para baixo". Isto mostra que Deus está como que fazendo um esforço para ouvir nossas orações.
b. A palavra "ouvir", que vem da palavra hebraico "emv" – shama, que traz o significado de "entender", "perceber", "ouvir com atenção", "conceder pedido".
2. O significado destas palavras nos mostra claramente que Deus não apenas está atento às nossas orações, mas também responde cada uma delas. Por toda a Palavra de Deus temos respaldo para crer que quando oramos a Deus em sinceridade, não estamos jogando palavras ao ar, mas estamos estabelecendo um elo de ligação entre Ele e nós. Vamos ver alguns textos que nos garantem a verdade de que Deus nos ouve:
a. Salmo 34:4, "Busquei o SENHOR, e ele me acolheu; livrou-me de todos os meus temores". A palavra buscar vem do hebraico "vrd" – darash – "procurar", "requerer", "consultar". O salmista afirma em sua oração que procurou ao Senhor e foi por Ele acolhido, livrando-o de todos os seus temores.
b. Lamentações 3.55-57, "55 Da mais profunda cova, SENHOR, invoquei o teu nome. 56 Ouviste a minha voz; não escondas o ouvido aos meus lamentos, ao meu clamor. 57 De mim te aproximaste no dia em que te invoquei; disseste: Não temas". Notem que a situação do profeta era grave. Seu clamor se fez ouvir por Deus da "mais profunda cova". Note como Deus respondeu através de expressões no próprio texto: "ouviste a minha voz", "de mim te aproximaste" (no dia da invocação), "disseste: Não temas".
3. Porém nossas orações devem expressar nosso anseio pelo Senhor:
a. Salmo 130:6, "A minha alma anseia pelo Senhor mais do que os guardas pelo romper da manhã. Mais do que os guardas pelo romper da manhã". Quem já trabalhou de vigia à noite entende muito bem este versículo. A partir da meia noite, a cada hora que passa, o vigia sabe que a aurora se aproxima e com isso se alegra. O anseio deste vigia pelo clarear do dia é comparado ao anseio que Davi demonstrava em sua busca ao Senhor.
b. 1 Cr 22.19, "Disponde, pois, agora o coração e a alma para buscardes ao SENHOR, vosso Deus...". Temos aqui um conselho do velho rei Davi a seu jovem filho Salomão, sucessor no reinado. Certamente que em nossa busca ao Senhor devem estar envolvidos "coração e alma", todos os nossos sentimentos. E desta maneira encontraremos ao Senhor. "Buscar-me-eis e me achareis quando me buscardes de todo o vosso coração", Jr 29.13.
4. Tenhamos a confiança de que podemos manter uma comunhão perfeita com Deus através de nossas orações, "Acheguemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna", Hebreus 4:16.

II. Ele nos livra das situações desconfortantes e nos coloca em lugar de destaque

1. "Tirou-me de um poço de perdição, de um tremedal de lama; colocou-me os pés sobre uma rocha e me firmou os passos". Alguns expressões precisamos destacar:
a. A expressão "poço de perdição", tem como significado "uma cova", "um calabouço", "uma cisterna", com aspecto horrível, de onde não se pode sair sem ajuda externa. Poderia equivaler a um "poço de areia movediça", ou ainda "uma cisterna usada para prisão", como aquela em que foi lançado o profeta Jeremias, Jr 38:6, "Tomaram, então, a Jeremias e o lançaram na cisterna de Malquias, filho do rei, que estava no átrio da guarda; desceram a Jeremias com cordas. Na cisterna não havia água, senão lama; e Jeremias se atolou na lama". Muitas vezes o filho de Deus está atolado até o pescoço e carece de uma intervenção sobrenatural do Criador.
b. A expressão "tremedal de lama", que tem como significado "um lugar cheio de lama", "um pântano", "um lugar sujo". Não resta dúvida o fato de que os demônios gostam de habitar lugares assim, como por exemplo, os cemitérios. É por esta razão também que os demônios são chamados no Novo Testamento de "espíritos imundos", pois gostam de sujeira, imundícia. O verdadeiro crente não pode viver na sujeira deste mundo.
c. A expressão "colocou os meus pés sobre uma rocha", alude a um contraste: Aquele que estava lutando para escapar de uma cisterna lamacenta ou de uma pântano barrento, é livrado por Deus e seus pés agora são colocados sobre uma rocha firme.
d. A expressão "firmou os meus passos", nos dá a ideia de que sem o Senhor nossos passos são vacilantes, nossas pisadas não são firmes, porém ao sermos tocados por Ele, nosso andar é corrigido, e nossa forma vacilante de caminhar adquire cadência e firmeza gerenciadas pelo Senhor.
2. Percorramos a Bíblia para procurar situações de desconforto, das quais podemos ser libertos pelo Senhor:
a. Salmo 18.18-19, "18 Assaltaram-me no dia da minha calamidade, mas o SENHOR me serviu de amparo. 19 Trouxe-me para um lugar espaçoso; livrou-me, porque ele se agradou de mim". A situação do salmista é descrita por ele como calamitosa, uma vez que estava acuado pelos seus inimigos. Porém o Senhor o amparou, e o livrou, porque se agradou dele. É por esta razão que devemos agradar ao Senhor em nossa vida! Quando estamos vivendo assim nosso relacionamento com Deus é sadio e alcançamos socorro em momentos difíceis.
b. Salmo 34.4, "Busquei o SENHOR, e ele me acolheu; livrou-me de todos os meus temores". Muitos são os temores que podemos desenvolver no mundo em que vivemos. Temor da morte, da fome, da miséria, da falta de um teto, da doença, etc. Deus nos livra de "todos" os nossos temores. O pior temor que o homem tem é o temor da morte. Este é o primeiro temor do qual somos libertos quando nos convertemos ao Senhor, Hebreus 2.14-15, "14 Visto, pois, que os filhos têm participação comum de carne e sangue, destes também ele, igualmente, participou, para que, por sua morte, destruísse aquele que tem o poder da morte, a saber, o diabo, 15 e livrasse todos que, pelo pavor da morte, estavam sujeitos à escravidão por toda a vida".
3. Em qualquer situação de desconforto, devemos lembrar que o nosso socorro vem do Senhor, Salmos 121.1-8, "1 Elevo os olhos para os montes: de onde me virá o socorro? 2 O meu socorro vem do SENHOR, que fez o céu e a terra. 3 Ele não permitirá que os teus pés vacilem; não dormitará aquele que te guarda. 4 É certo que não dormita, nem dorme o guarda de Israel. 5 O SENHOR é quem te guarda; o SENHOR é a tua sombra à tua direita. 6 De dia não te molestará o sol, nem de noite, a lua. 7 O SENHOR te guardará de todo mal; guardará a tua alma. 8 O SENHOR guardará a tua saída e a tua entrada, desde agora e para sempre".

III. Nossa libertação e a nova posição que ocupamos será motivo de alegria íntima e testemunho a outros

1. "E me pôs nos lábios um novo cântico, um hino de louvor ao nosso Deus; muitos verão essas coisas, temerão e confiarão no SENHOR". Dois pontos são importantes:
a. Deus põe em nossos lábios um novo cântico. Notem que este "novo cântico", é um cântico de louvor dado pelo Espírito Santo para adorarmos ao Senhor. Não se trata de um cântico que já estamos acostumados a cantar, mas um cântico com música e letra nova. Temos um Deus que é rico em poesia, pois toda sabedoria está nele.
b. Muitos verão o poder de Deus em nós e se voltarão para o Senhor. Quando há em nossas vidas a manifestação visível do poder de Deus, tal fato é contagiante para outras vidas. Um crente "murmurador", "reclamão", "resmunguento", "cri-cri", não serve de inspiração para ninguém. Mas um crente sobre o qual é visível a manifestação do Espírito Santo, torna-se "ponto de apoio", para vidas não salvas. Ninguém vai querer andar conosco ser formos lamurientos, maldizentes, mas quererão a nossa companhia se transparecermos paz, alegria, entusiasmo, etc.
2. Certamente, Deus nos salvou para sermos ponto de referência para a salvação de outras vidas. No dizer de Jesus seus discípulos, que eram pescadores, seriam transformados em pescadores de homens, Mateus 4:19, "E disse-lhes: Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens". E o que dizer de nós, crentes do século vinte e um? Sobre cada um de nós pesa a responsabilidade de gerar vida nas pessoas, levá-las à salvação em Cristo.
a. Paulo foi chamado para salvação dos gentios, Atos 13:47, "Porque o Senhor assim no-lo determinou: Eu te constituí para luz dos gentios, a fim de que sejas para salvação até aos confins da terra". Esta salvação deveria ser anunciada a qualquer custo, 1 Coríntios 9:16, "Se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, pois sobre mim pesa essa obrigação; porque ai de mim se não pregar o evangelho!"
b. Para esta missão fomos capacitados pelo Espírito Santo, Atos 1.8, "mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra". Notem que o poder do Espírito Santo em nossas vidas não é para exibição de dons, mas para sermos usados na salvação de vidas.
c. Exemplo do uso do poder para salvação de vidas:
· Cumprimento da promessa de Atos 1.8, At 2.1-4, "1Ao cumprir-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar; 2 de repente, veio do céu um som, como de um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam assentados. 3 E apareceram, distribuídas entre eles, línguas, como de fogo, e pousou uma sobre cada um deles. 4 Todos ficaram cheios do Espírito Santo e passaram a falar em outras línguas, segundo o Espírito lhes concedia que falassem".
· Exercício da promessa recebida, At 2.5-12, "5 Ora, estavam habitando em Jerusalém judeus, homens piedosos, vindos de todas as nações debaixo do céu. 6 Quando, pois, se fez ouvir aquela voz, afluiu a multidão, que se possuiu de perplexidade, porquanto cada um os ouvia falar na sua própria língua. 7 Estavam, pois, atônitos e se admiravam, dizendo: Vede! Não são, porventura, galileus todos esses que aí estão falando? 8 E como os ouvimos falar, cada um em nossa própria língua materna? 9 Somos partos, medos, elamitas e os naturais da Mesopotâmia, Judéia, Capadócia, Ponto e Ásia, 10 da Frígia, da Panfília, do Egito e das regiões da Líbia, nas imediações de Cirene, e romanos que aqui residem, 11 tanto judeus como prosélitos, cretenses e arábios. Como os ouvimos falar em nossas próprias línguas as grandezas de Deus? 12 Todos, atônitos e perplexos, interpelavam uns aos outros: Que quer isto dizer?"
· Resultado obtido, At 2.37-38, "37 Ouvindo eles estas coisas, compungiu-se-lhes o coração e perguntaram a Pedro e aos demais apóstolos: Que faremos, irmãos? 38 Respondeu-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo".
3. Não nos esqueçamos de que o Evangelho é poder de Deus, para salvação da humanidade, Romanos 1.16, "Pois não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê, primeiro do judeu e também do grego". O Evangelho quebra barreiras, abre caminhos, para levar a salvação de Deus. E, Deus nos escolheu como promotores do Evangelho! Cabe a nós anunciá-lo a todos que estão perto e a todos os que estão longe (Missões).

Conclusão:
1. Não podemos nos esquecer que quando esperamos em Deus:
a. Temos a garantia de resposta às nossas orações;
b. Somos libertos de situações dificílimas;
c. Somos usados como testemunho para outras vidas.
2. Não há privilégio maior do que pertencer ao povo de Deus!

Pr. José Antônio Corrêa

Gostou desse esboço? Olha a novidade que tenho para você!

Eu preparei um e-book com 365 sermões selecionados criteriosamente durante meus mais de 20 anos de ministério. Organizei eles por livros bíblicos para simplificar a busca. Quero que você utilize livremente em suas pregações e possa transformar a vida das pessoas com a Palavra de Deus.

Se você deseja investir em seu ministério, ainda hoje, terá à disposição Um Sermão para Cada Dia do Ano! Clique Aqui para adquirir seu livro.

Benefícios daqueles que esperam no Senhor Reviewed by Aldenir Araujo on sábado, outubro 09, 2010 Rating: 5

Nenhum comentário:

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:
1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

All Rights Reserved by O Pregador © 2014 - 2015
Designed by Blogger

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.