0
Estudo do Livro de Provérbios
O LIVRO DE PROVÉRBIOS
 
TEMA DO LIVRO: LEIS CELESTES PARA A VIDA TERRESTRE

Introdução: Os livros poéticos são: Jô, Salmos, Provérbios, Cantares e Eclesiastes.
É interessante observar que o livro de Jô fala do conhecimento de Deus, os Salmos fala da nossa comunhão com Deus, enquanto o livro de Provérbios ensina-nos sobre o nosso relacionamento adequado com a raça humana.
A sabedoria retratada em Provérbios não é a secular ou humana. É a sabedoria de Deus, implantada na vida do crente. O pecador não pode desfrutar dela (T 1.5; 3.13-18).
Autores: Salomão (1-24; 25-29), Agur (30) e Lemuel (31)
Provérbios são máximas que expressam uma verdade de forma sucinta.
Salomão escreveu três mil provérbios; neste livro constam oitocentos deles.
Salomão apresenta algumas palavras para definir o homem insensato: o simples ou néscio, o louco ou insensato, o escarnecedor; e distingue-o do homem sábio.
Cristo está revelado no livro de Provérbios: a sabedoria divina está plenamente revelada em Cristo Jesus (I Co 1.24-30)


I) A SABEDORIA APRESENTADA POR SALOMÃO (1-9)
 
A) Objetivos da Sabedoria (1.1-6)
  • Para se conhecer e entender (1.2)
  • Para instruir (1.3)
  • em sábio procedimento,
  • retidão, 
  • em justiça e
  • em equidade
  • Para a maturidade espiritual (1.4-6)
  • Para crescer em sabedoria
  • Para se adquirir habilidade
  • Para entender provérbios, parábolas, adágios e enigmas dos sábios
B) Princípios da sabedoria (1.7-33)
  • temor do Senhor (1.7)
  • Ouvir a instrução da Palavra de Deus e da Igreja (1.8-9)
  • Fugir das más companhias dos pecadores (1.10-16)
  • Não copiar as suas ações (1.17-19)
  • Buscar a sabedoria – ela está à nossa disposição (1.20-21)
  • Influenciar e ensinar a sabedoria aos pecadores (1.22-23)
  • Saber que os pecadores sofrerão o dano de terem rejeitado a sabedoria (1.24-33)
C) Virtudes da Sabedoria (2-3)
  • Nos leva ao conhecimento de Deus (2.1-6)
  • Nos traz proteção (2.7-8)
  • Nos faz entender a obra de Deus (2.9-10)
  • Nos traz livramento (2.11-19)
  • do mau caminho dos homens sem Deus (2.11-15)
  • da mulher adúltera (2.16-19)
  • Nos conduz no bom caminho (2.20-22)
  • Nos proporciona longevidade (3.1-4)
  • com vida e prosperidade (3.2)
  • com amor e fidelidade (3.3)
  • com graça aos olhos de Deus e dos homens (3.4)
  • Nos aproxima de Deus (3.5-12)
  • confiando em Deus (3.5)
  • reconhecendo a operação divina (3.6)
  • com humildade (3.7-8)
  • com adoração a Deus (3.9-10)
  • com submissão a Deus (3.11-12)
  • valor da sabedoria (3-13-20)
  • é feliz quem é sábio (3.13)
  • é de grande valor (3.14-15)
  • produz longevidade (3.16)
  • traz paz e alegria (3.17)
  • é alimento para a vida (3.18)
  • estava no princípio com Deus (3.19-20)
  • A ordem bíblica para se guardar a sabedoria (3.21-28)
  • porque traz vida e graça (3.21-22)
  • porque traz segurança (3.23)
  • porque livra do temor (3.24-26)
  • porque produz generosidade (3.27-28)
  • A sabedoria faz a diferença entre o justo e o ímpio (3.29-35)
  • o justo não alimenta pensamentos maus (3.29)
  • justo não contende (3.30)
  • o justo não tem inveja (3.31-32)
  • o justo tem sua morada abençoada (3.33)
  • os ímpios terão a vingança de Deus (3.34-35)
D) Benefícios práticos da Sabedoria (4-7)
·         Apega-te à sabedoria (4.1-13)
·         a sabedoria ensinada pelo pai (4.1-2)
·         a excelência da sabedoria (4.3-13)
·         Contrastes entre o ímpio e o justo (4.14-19)
·         o caminho do ímpio deve ser evitado (4.14-15)
·         o ímpio busca o mal (4.16-17)
·         o justo anda na luz (4.18)
·         o ímpio anda nas trevas (4.19)
·         andar o justo (4.20-27)
·         o justo considera a sabedoria (4.20-21)
·         o justo olha para a sabedoria (4.22)
·         o justo guarda o seu coração (4.23)
·         o justo vigia nas suas palavras (4.24)
·         o justo olha para o que é direito (4.25)
·         o justo caminho na boa estrada (4.26)
·         o justo anda no seu caráter, não se desvia (4.27)
·         Astúcias da mulher adúltera (5.1-6)
·         o sábio é livrado pela sabedoria (5.1-2)
·         astúcias de palavras (5.3)
·         ela é amarga (5.4)
·         seu destino é a morte e o inferno (5.5)
·         é enganada – pensa que vive, mas é incerta a sua vida (5.6)
·         Consequências do adultério (5.7-14)
·         a saúde e a vida são desperdiçadas (5.7-10)
·         o fim é de lágrimas (5.11)
·         a consciência fica martirizada (5.12-14)
·         A felicidade no casamento (5.15-23)
·         com a fidelidade conjugal (5.15-17)
·         a bênção da fidelidade conjugal (5.18)
·         a esposa deve ser amada para sempre (5.19-20)
·         o ímpio sofre pelos próprios pecados (5.21-23)
·         Várias advertências para uma vida sossegada (6.1-19)
·         advertência contra a fiança (6.1-5)
·         advertência contra a preguiça (6.6-11)
·         advertência contra o homem de belial (6.12-19)
·         perversidade de palavras (6.12)
·         acenos com os olhos (6.13)
·         fala com o pé (6.13)
·         faz sinais com os dedos – obscenidades (6.13)
·         é perverso de coração (6.14)
·         maquina o mal (6.14)
·         semeia contendas (6.14)
·         será destruído (6.15)
·         advertências contra as coisas que o Senhor odeia (6.16-19)
·         olhos altivos (6.16-17)
·         língua mentirosa (6.17)
·         mãos que derramam sangue (6.17)
coração que maquina projetos iníquos (6.18)
·         pés que se apressam a correr para o mal (6.18)
·         testemunha falsa (6.19)
·         o que semeia contendas entre irmãos (6.19)
·         Advertências contra o adultério (6.20-7.5)
·         o crente é protegido pela observância da Palavra de Deus (6.20-24)
o adultério traz conseqüências graves (6.25-35)
financeiramente – bocado de pão (6.25-26)
fisicamente – caça a vida (6.27-35)
fugindo da mulher adúltera (7.1-5)
observando os mandamentos (7.1-3)
buscando a sabedoria (7.4-5)
As artimanhas da mulher adúltera (7.6-27)
·         os despercebidos, andando sem vigilância (7.6-9)
·         as características da mulher prostituta (7.10-21)
·         vestes sensuais (7.10)
·         astuta de coração (7.10)
·         turbulenta (7.11)
·         contenciosa (7.12)
·         não para em casa (7.11-12)
·         é sutil e impudica (7.13)
·         é sedutora (7.14-21)
·         com palavras persuasivas (7.14-18)
·         com infidelidade (7.19-20)
·         com lisonjas (7.21)
·         As comparações bíblicas (7.22-23)
·         como o boi que vai para o matadouro (7.22)
·         como prisioneiro e fugitivo (7.23)
·         conselhos para fugir delas (7.24-27)
·         E) Personificação da Sabedoria (8-9)
·         convite da sabedoria (8.1-21)
·         está em todo o lugar (8.1-3)
·         está à disposição de todos os homens (8.4-9)
·         valor da sabedoria (8.10-11)
·         qualidades da sabedoria (8.12-21)
·         a sabedoria traz consigo (8.12-14)
·         a prudência
·         conhecimento
·         a discrição (8.12)
·         temor de Deus
·         ódio ao orgulho
·         ódio à arrogância
·         ódio ao mau caminho
·         o ódio à boca perversa (8.13)
·         conselho
·         entendimento
·         poder (8.14)
·         ensina o homem a governar (8.15-16)
·         oferece ao homem (8.17-21)
·         amor (8.17)
·         riquezas, honra e justiça (8.18)
·         retidão e justiça (8.19-20)
·         bens permanentes (8.21)
·         A eternidade da sabedoria – estava no princípio com Deus (8.22-31)
·         A felicidade dos que a acham a sabedoria (8.32-36)
·         é bem-aventurado quem a acha (8.32-33)
·         é bem-aventurado quem a segura firme (8.34)
·         porque acha a vida e o favor do Senhor (8.35-36)
·         Contraste entre a sabedoria e a insensatez (9.1-18)
·         a sabedoria traz conforto (9.1-6)
·         a sabedoria orienta o homem na boa aplicação das coisas (9.7-12)
·         isenta-o de afrontas (9.7)
·         não se desgasta (9.8)
·         usa com sabedoria sua palavra de ensino (9.9)
·         tem origem no temor de Deus (9.10)
·         promove a vida longa (9.11)
·         não induz à vangloria (9.12)
·         a mulher insensata é despojada da sabedoria (9.13-18)
·         é alvoroçadora, indisciplinada e sem conhecimento (9.13)
·         procura atrair a atenção (9.14-15)
·         traz convite oposto ao da sabedoria (9.16)
·         oferece prazer passageiro (9.17-18)

II) A SABEDORIA ENSINADA POR SALOMÃO (10-24)
A) Contrastes entre o sábio e o insensato (10-15)
·         Benefícios da sabedoria na vida justa (10.1-32)
·         no trabalho (10.1-5)
·         na personalidade (10.6-14)
·         na honra do nome (10.6-7)
·         na integridade (10.8-9)
·         na maneira de expressar – a comunicação (10.10-14)
·         nas palavras (10.15-21)
·         nas bênçãos divinas (10.22-25)
·         na vida espiritual (10.26-32)
·         Atividades do justo (11.1-31)
·         na sua integridade (11.1-9)
·         na sua prosperidade (11.10-11)
·         na sua administração (11.12-15)
·         na conquista justa dos seus bens (11.16-23)
·         na sua generosidade (11.24-26)
·         na sua confiança em Deus (11.27-31)
·         Atitudes do justo (12.1-28)
·         quanto ao conhecimento (12.1-3)
·         quanto à sua vida em família (12.4-7)
·         quanto à sua humildade (12.8-9)
·         quanto à sua prosperidade (12.10-11)
·         quanto ao seu caráter (12.12-20)
·         quanto à sua diligência (12.21-24)
·         quanto à sua prudência (12.25-28)
·         Aplicações da justiça (13.1-25)
·         a si mesmo (13.1-6)
·         aos seus próprios bens (13.7-8)
·         à sua humildade (13.9-10)
·         na sua confiança (13.11-12)
·         no seu aprendizado (13.13-19)
·         na escolha sábia de suas companhias (13.20-25)
·         Irracionalidade dos insensatos (14.1-35)
·         é reconhecida na vida familiar (14.1-4)
·         é reconhecida nas palavras proferidas (14.5-7)
·         é reconhecida na convivência com os pecadores (14.9-17)
·         é reconhecida na sua prudência (14.18-22)
·         é reconhecida no seu trabalho (14.23-24)
·         é reconhecida na sua vida com Deus (14.25-27)
·         é reconhecida na sua vida pública (14.28-35)
·         O interesse de Deus pela justiça (15.1-33)
·         nas palavras proferidas (15.1-4)
·         na disciplina paterna (15.5-6)
·         na vida de comunhão com Deus (15.7-12)
·         no contentamento da vida (15.13-22)
·         nos sábios conselhos proferidos (15.22-26)
·         no crescimento espiritual (15.27-33)

B) Princípios construtivos no crescimento da personalidade (16-22.16)

  • Confiar no Senhor como o guia da nossa vida (16.1-31)
  • nos nossos planos (16.1-4)
  • nos nossos caminhos (16.5-7)
  • na sinceridade (16.8-9)
  • nos julgamentos (16.10-15)
  • na humildade (16.16-21)
  • no entendimento (16.22-26)
  • nas palavras (16.27-28)
  • nas ações (16.29-31)
  • Encontrar satisfação através da sabedoria divina (17.1-28)
  • com o que possuímos (17.1-5)
  • com a chegada da velhice (17.6)
  • com a prática da justiça (17.7-9)
·                    com a instrução (17.10-12)
·                    com a retribuição amorosa (17.13-15)
·                    com a conquista de verdadeiros amigos (17.16-1)
·                    com a prática da integridade (17.18-23)
·                    com atitudes inteligentes (17.24-28)
·                    Cultivar o hábito de fazer amigos verdadeiros (18-19)
·                    o homem não pode viver isolado – é sinal de egoísmo (18.1)
·                    escolhendo bem as amizades (18.2-9)
·                    a amizade protetora de Deus (18.10)
·                    ajudando o amigo ferido (18.11-21)
·                    a amizade na vida conjugal (18.22)
·                    há amigo mais chegado que um irmão – Jesus Cristo (18.24)
·                    há amigos interesseiros (19.1-9)
·                    perdoando os falsos amigos (19.10-16)
·                    ajudando os amigos necessitados (19.17)
·                    cultivando a amizade em família (19.18-19)
·                    cultivando a amizade com Deus (19.20-23)
·                    praticando a justiça com os amigos (19.24-29)
·                    Encarar a importância da retidão de vida (20.1-21.31)
·                    Reconhecer a responsabilidade na formação do caráter (22.1-16)
·                   
C) Palavras dos sábios sobre o crescimento da personalidade (22.17-24.34)
·                    O sábio aprende com o conhecimento, não por injunção (22.17-29)
·                    O sábio vive em função de princípios e não de paixões (23.1-35)
·                    princípios alimentares (23.1-8)
·                    princípios éticos (23.9-11)
·                    princípios familiares (23.12-17)
·                    princípios espirituais (23.18-26)
·                    princípios morais (23.27-35)
·                    O sábio eleva e conduz o mundo (24.1-34)
·                    sem copiar as ações dos ímpios (24-1-2)
·                    com a sabedoria de Deus (24.3-7)
·                    sem ações malvadas (24.8-9)
·                    com ânimo redobrado (24.10)
·                    ajudando os perdidos (24.11-12)
·                    com inteligência (24.13-14)
·                    com confiança no Senhor (24.15-22)
·                    sem imitação das obras dos ímpios (24.23-34)
·                    seu conteúdo (24.23-26)
·                    sendo diligente no seu trabalho (24.27-34)


III) A SABEDORIA DE SALOMÃO ENSINADA PELOS HOMENS DE EQUIAS (25-29)


B) Maneiras de reconhecer o insensato (26.1-28)

· Por suas palavras (26.1-7)
· Pela forma como recebem as honras dadas a eles (26.8-12)
· Por seu trabalho (26.13-16)
· Por seu envolvimento em questões alheiras (26.17)
· Por seu temperamento iracundo (26.18-28)
C) Maneiras de crescer em sabedoria (27)
D) Benefícios práticos da justiça (28)
E) Perigos da insensatez (29)


IV) A SABEDORIA ILUSTRADA (30-31)


A) Conselho paternal: buscar a sabedoria divina (30.1-33)

·         Através da Palavra de Deus (30.1-6)
·         Com humildade (30.7-9)
·         Através da transformação de comportamento (30.10-33)
B) Conselho maternal: governar com sabedoria (31.1-9)
·         Não se misturando com outras mulheres (31.1-3)
·         Não usando bebida forte (30.4-7)
·         Defendendo o direito do necessitado (30.8-9)

Postar um comentário Blogger

 
Top